Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Governo fecha 2016 com pior déficit primário da história

regras_poupança

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil
Apesar da ajuda do programa de regularização de recursos no exterior, a chamada repatriação, o Governo Central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central – encerrou 2016 com o pior déficit primário da história. No ano passado, o resultado ficou negativo em R$ 154,255 bilhões, contra déficit de R$ 114,741 bilhões registrado em 2015.

O déficit primário é o resultado negativo das contas do governo antes do pagamento dos juros da dívida pública. Apenas em dezembro, o Governo Central registrou déficit de R$ 60,124 bilhões. O resultado é o segundo pior para o mês, perdendo apenas para dezembro de 2015 (R$ 60,633 bilhões). No ano retrasado, no entanto, o déficit havia sido inflado pelo reconhecimento de passivos do Tesouro com bancos oficiais e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

O déficit primário ficou abaixo da meta revisada de R$ 170,5 bilhões estabelecida para o Governo Central 2016. O principal fator que ajudou o governo a ficar dentro da meta foi a regularização de ativos no exterior. Também conhecido como repatriação, o programa arrecadou R$ 46,7 bilhões no ano passado, dos quais R$ 24 bilhões ficaram com o Tesouro Nacional, e o restante foi partilhado com estados e municípios.

Saiba Mais
Mercado prevê que Selic chegará a 9% ao ano em 2018
A deterioração das contas públicas no ano passado ainda foi resultado da crise econômica que tem reduzido a arrecadação nos últimos anos. Em 2016, as receitas líquidas do Governo Central caíram 4,1% descontando a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). As despesas totais caíram, mas em ritmo menor: 1,2% também descontado o IPCA.

Em relação às despesas, o principal fator que pressionou as contas públicas no ano passado foram os gastos com a Previdência Social, que cresceram 7,2% acima da inflação em 2016. Os gastos com o funcionalismo público caíram 0,5% descontado o IPCA. As demais despesas obrigatórias caíram 22,5% também descontada a inflação, principalmente por causa do reconhecimento de passivos com os bancos públicos e o FGTS, que ocorreram no fim de 2015 e não se repetiram em 2016, e da reversão parcial de desonerações, como a da folha de pagamento.

As despesas de custeio (manutenção da máquina pública) caíram 8,1% no ano passado, considerando a inflação oficial. Depois de passarem boa parte de 2016 acumulando variação negativa, os investimentos federais, que englobam obras públicas e a compra de equipamentos, somaram R$ 64,925 bilhões, alta real (descontada a inflação) de 7%.

Apesar da alta dos investimentos, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) gastou R$ 42,042 bilhões, queda real de 17,8% em relação a 2015. Em relação ao programa Minha Casa, Minha Vida, a retração real foi ainda maior: 64,3%. No ano passado, o principal programa habitacional do governo federal executou R$ 7,965 bilhões, contra R$ 20,709 bilhões em 2015.

O número divulgado hoje (30) refere-se somente às contas do Governo Central, com a metodologia acima da linha, que leva em conta os gastos registrados em tempo real no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi). Amanhã (31), o Banco Central divulga o déficit primário de 2016 para o setor público, conta que inclui os estados e os municípios e considera a metodologia abaixo da linha (variação de endividamento dos entes públicos).

Edição: Amanda Cieglinski

Agência Brasil

 

janeiro 30, 2017 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Passo-a-passo do golpe do impeachment

PMDB controla o poder

Golpe do PMDB

Não há muito para se falar sobre o passo-a-passo do golpe e, com ou sem os militares, as ditaduras das elites já mostraram as caras.

01 – Defesa do afogamento dos nordestinos

Não falo só da Mayara Petruso mas de toda a burguesia que humilhava os eleitores do PT com piadas de quinta categoria, sem o menor constrangimento diante do racismo e discriminação pregado por eles. Não acredito que seja coincidência que Janaína Paschoal tenha defendido justamente a Mayara Petruso, antes de receber a missão de ser mais uma defensora do golpe. A defesa de Mayara possibilitou a sua entrada no grupo de extrema direita.

02 – Do MPL ao MBL

O Movimento Passe Livre foi muito ingênuo ao achar que milhões de pessoas iriam às ruas para defender o transporte coletivo gratuito, se assim fosse, todos eles estariam mortos a essa hora. Acontece que a máfia dos transportes urbanos é uma das mais sanguinárias do país e não costumam mandar recados.

O Movimento Brasil Livre roubou a sigla do Movimento Passe Livre para fazer a mesma coisa, só que de maneira muito mais objetiva. Eu diria que eles estiveram camuflados no MPL e só mostraram a cara do golpe quando viram o sucesso e o inconformismo com a corrupção. Podemos dizer também que a justiça parcial das instituições públicas foi fatal para a democracia, já que a direita ganhou coragem ao notar que ninguém iria preso desse lado da política.

Como podemos notar nos textos anteriores, o MBL constitui um antagonismo ao MPL, mesmo assim, utiliza uma sigla quase igual. Enquanto o Passe Livre defende o subsídio do governo, o MBL defende o banimento desse. Além disso, o suposto Brasil Livre ou Inferno Livre, defende descaradamente a privatização, e até a globalização volta a ser o foco central da política de extrema direita.

O objetivo do golpe e o ataque ao governo é claro, pior, a imprensa internacional já denunciava esse movimento mesmo antes dele surgir, já que a manifestação seguia o Passe Livre e as sub-celebridades do MBL que ainda nem eram conhecidas.

Lembrando que o golpe de 64 começou com uma jornalista que criticava o governo, suas críticas foram usadas para arquitetar o golpe. Ela tentou impedir, mas já era tarde. Dessa vez começou com o MPL, a UNE ainda tenta resistir, mas a história se repete.

03 – A volta da Rede Globo

O MBL fez o serviço sujo que os políticos de direita não poderiam, mas o elemento mais perigoso durante todo esse processo foi o monopólio de informação pela Globo. A Globo já tem experiência em golpe, já que nasceu através de um, e pretende renascer sem que ninguém perceba o que está acontecendo. Talvez o caso Panamericano tenha dado um novo ânimo à Rede Globo.

O museu bilionário demonstra como a Globo jogou sujo e ajudou a roubar dinheiro durante esse tempo todo, isso sem falar de suas ligações com a CBF, FIFA e o maior de seus crimes, sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. A Rede Globo possui uma empresa controlada por laranja em cada setor das organizações Globo, inclusive a Fundação Roberto Marinho.

Apenas os telespectadores ignorantes da Globo acreditam que essa seja uma empresa de entretenimento ou informação. Os maiores negócios dessa empresa estão diretamente relacionados com políticos, roubo de propriedade intelectual e conspiração. Foi assim que a Globo eliminou sua concorrência e monopolizou a informação e o mercado publicitário controlado pela ditadura que está prestes a voltar, pior, sem os militares.

04 – Conspirações e vazamentos

Com os supostos vazamentos seletivos que tem forjado a recente história política do Brasil, a Rede Globo conseguiu arquitetar o golpe político que já havia se consolidado nas ruas com o MBL. Primeiro jogou o PT contra o PMDB e, depois, jogou o PT contra o STF.

05 – Eduardo Cunha nas mãos da máfia

Eduardo Cunha nem de longe foi um dos maiores líderes do PMDB. Renam Calheiros digeriu seu maior adversário, Temer, em nome da governabilidade do PT mas, de fato, sempre foi o PMDB quem teve o poder nas mãos.

A frágil aliança PMDB/PT começou a se fragmentar com os supostos vazamentos do ambicioso vice-presidente Temer, primeiro foi a carta, depois foi o discurso. Tudo isso comparado com a encrenca do presidente da câmara, Eduardo Cunha, foi o estopim da crise política do governo.

06 – Curitiba – A capital do Golpe

O PT teve vários políticos presos por corrupção, mas nenhum partido de direita teve político preso, ou pelo menos não na mídia golpista. Se Janaína Paschoal era a advogada extremista que defendia o afogamento de nordestinos, o estado ideal para a gestação do golpe seria o Paraná, onde o PSDB chegou a 75% dos votos e, antes disso, a assembleia de deputados do Paraná foi considerada a maior máfia política do mundo, 95% dos deputados paranaenses estiveram envolvidos com corrupção.

Tanto dos escândalos de Beto Richa, quanto nos escândalos da assembleia de deputados, o sistema jurídico do Paraná sempre esteve nas mãos da máfia, por isso seria inevitável que o golpe começasse pelo Paraná.

07 – O escândalo do Banestado

Durante o escândalo do Banestado, as maiores empresas do Brasil que faziam lavagem de dinheiro com a ajuda do Governo Jaime Lerner e do Banco do Estado do Paraná, inclusive a Globo, fizeram lavagem de mais de 600 bilhões. O processo desapareceu ou ficou nas mãos de chantagistas, mais de 120 bilhões já haviam sido rastreados.

08 – Sergio Moro – O juiz da máfia

Sérgio Moro foi o advogado que livrou Beto Richa da polícia, também foi Sérgio Moro o responsável pelo fim do processo da máfia dos bancos, HSBC e Banestado. Seria inevitável que um juiz experiente da máfia fosse escolhido para conduzir a operação que demonstrou a justiça caolha do Brasil.

Durante a operação lava a jato, Sérgio Moro e a Globo formaram parceria para grampear telefones e vazar informações que comprometessem o governo do PT, ou que comprometessem todas as estratégias políticas desse governo, inclusive suas relações com os maiores aliados do PMDB. O desinteresse do PT em defender Eduardo Cunha foi um erro fatal para o partido, se bem que o PT já estava com toda a mídia contra.

09 – O envolvimento do STF

Há muito tempo o STF tem sido visto como uma instituição falida, seu mártir, Joaquim Barbosa, ameaçou fazer uma limpeza na política brasileira, pouco depois foi aposentado e o escândalo de Carlinhos Cachoeira nunca mais foi falado. Os corruptos do escândalo de cachoeira seriam os próximos a serem caçados pelo STF.

Recentemente os jornalistas falaram dos bens de Joaquim Barbosa em Miami e ele se esforçou para explicar, como se ele ainda fosse um juiz. Outra celebridade política, FHC, finalmente contou a história da amante que foi enviada para o exterior para salvar o governo de direita, a privataria e a globalização made in Brasil do governo de FHC. A amante revelou suas empresas nos paraísos fiscais que não era apenas uma, comportamento de quem precisa enconder suas transações, assim com a Rede Globo que abriu uma empresa fantasma em nome de um laranja, só para fazer o pagamento da FIFA e CBF. A mulher que queimou o processo da Globo tinha uma conta no mesmo prédio da empresa dos Marinhos, mas ela jura que ninguém mandou – “Eu fiz porque eu quis!”.

10 – Vazamentos internacionais

Os escândalos do HSBC e Panamá Papers tinham endereço certo, todos sabemos que o Panamá não é o país preferido das lavagens corporativas. A direita teria um preço a pagar, já que aliados também foram citados, entretanto, os mais importantes foram poupados pela mídia: sobrou mais uma vez para Eduardo Cunha.

Eduardo Cunha já não tinha como escapar da justiça, por isso, faria tudo o que fosse ordenado.

11 – O golpe na Câmara dos Deputados

Os deputados votaram pressionados pelos seus eleitores que por sua vez foram manipulados pela mídia. Só um detalhe, Eduardo Cunha foi um dos políticos mais xingados da história, tanto pela esquerda quanto pela direita. Para evitar que o fato se repetisse no Senado, Eduardo Cunha foi afastado até que o processo de impeachment fosse concluído.

12 – A farsa do presidencialismo

A aprovação do impeachment pela Câmara dos deputados demonstrou como a mídia brasileira é um problema para a democracia: num sistema presidencialista, a presidente cai pelas mãos de mafiosos que estavam nas mãos da oposição, enquanto outros mafiosos entram na fila para assumir o governo.

Comentários finais:

Eu sinceramente não acredito que o PSDB esteja fazendo tudo isso apenas para deixar o PMDB no governo, entretanto, a Rede Globo já vem fazendo parceria com governos do PMDB há muito tempo, isso quer dizer que quando Temer assumisse – Temer lidera a ala de direita do PMDB – a mídia silenciaria e haveria uma trégua até a próxima eleição.

… ou não …

Caso o PSDB decidisse por uma nova eleição, o PT votaria contra o PMDB, assim como votaria também contra o PSDB. Temer cairia, Calheiros cairia, Maranhão cairia e haveria uma nova eleição, já que o PMDB não teria aliados suficientes para a governabilidade.

Depois do apocalípse…

Novos partidos passariam a liderar a política brasileira, como o PSB, Rede, PV, todos ligados a Marina Silva, enquanto outros partidos poderiam apoiar Marina Silva, como PDT, PC do B, PSOL e o próprio PT, etc.

Mesmo assim, a votação do impeachment no Senado será histórica, mais uma vez a história do Brasil será escrita com o estrume de políticos corruptos e de nossa justiça caolha. E, para não dizer que não será interessante, alguns políticos poderão ser expulsos de seus partidos, assim como Valdir Maranhão.

A sede do golpe, o estado do Paraná, não terá muita força no Senado. Álvaro Dias será a favor do impeachment, Requião e Gleisi serão contra.

Lembrando que, apesar de eu não ter acompanhado o golpe de 64, o golpe tem a cara da Globo novamente, enquanto o impeachment lembra muito o impeachment de Collor, apesar de, dessa vez, nenhum político corrupto ter sido poupado.

PC Farias foi vingado.

By Jânio

Votação do impeachment ao vivo do Senado

MPL – Movimento Passe Livre

MBL – Movimento Brasil Livre

A maior lavagem de dinheiro da história

A história da Rede Globo

A CPI do Banestado

Políticos que apoiaram o golpe de 64

Trinta anos de escândalos

Panamá Papers

Lavagem de dinheiro no HSBC

Máfia do metrô

Máfia do asfalto

Políticos com problemas na justiça
 

maio 10, 2016 Posted by | Política | , , , , | 4 Comentários

Globo e PMDB tudo a ver

Chegou a Hora

CPI da Globo

O impeachment é um processo político, segue normas jurídicas, mas continua sendo um processo político. Começou como uma vingança de Eduardo cunha que não gostou de ser processado e decidiu devolver na mesma moeda. A questão é polêmica e foi decidida por vingança, Cunha chegou a dizer que se o PT não parasse os ataques, ele aprovaria outros pedidos de impeachment que estão sendo analisados.

A situação polêmica nos leva de volta aos tempos de Collor e, pior, aos tempos dos “Golpe de 64”, Nos tempos de 64 eu nem vou detalhar, eu não vivi naquele tempo, mas a Globo começou nesse tempo e irritou muita gente. Criou-se o mito do perigo comunista e pagamos um preço muito alto.

Durante décadas perguntou-se: “Onde está o dinheiro do país mais rico do mundo?”, enquanto isso, a Rede Globo começava a destruir os seus inimigos, concorrentes, TVs, e a administrar suas próprias verdades para atender seus interesses. A Globo derrubou seus concorrentes e iniciou seu império que, durante décadas, foi influenciado por suas conspirações. A Globo tem jogado partidos contra partidos, partidos contra instituições, na intenção de conseguir diminuir a influência da base do governo e, até agora, tem funcionado.

A Globo deixa de ser uma ameaça para o Brasil e passa a ser uma ameaça mundial, isso porque os paraísos fiscais chegaram ao limite, chegando até a ameaçar os EUA, Inglaterra e outros países ricos, isso fez com que a Globo retirasse seu dinheiro dos paraísos fiscais e mostrasse sua cara, assustando as maiores redes de TVs do mundo.

Collor foi cassado porque o povo foi às ruas; o povo foi às ruas porque a Globo utilizou o monopólio de informação para levar as pessoas às ruas. Sem internet e sem como ver o país sob visão da mídia internacional, os políticos votaram influenciados pelo povo nas ruas. Por isso o interesse no voto aberto e sendo transmitido pela TV. Isso demonstra como a aristocracia passa por cima da lei, promovendo vazamentos, conspirando, fingindo que a injustiça está de um lado só. A mídia internacional mostra uma visão muito diferende, mostra verdades que estão sendo omitidas pela Globo, já que não interessa a ela, por isso, eu acho importante assistir o documentário “Muito além de um cidadão Kane”.

Lembrando que vários pedidos de impeachment foram recusados por Eduardo Cunha mas, ironicamente, o primeiro aceito foi o pedido da extremista que defendeu o afogamento de nordestinos, Janaína. Eduardo Cunha já avisou que poderia aprovar outros pedidos de impeachment e terá a ajuda dos corruptos delatores.

A mídia internacional já deixou bem claro a semelhança da crise brasileira com a crise forjada nos Estados Unidos pela extrema direita, a diferença é que os criminosos da direita não estão sendo presos no Brasil, nunca foram: privataria, máfia do metrô, máfia do asfalto, Carlinhos Cachoeira, mensalinho de Brasilia e recentemente a máfia da merenda, ninguém foi preso e nem será, deixando uma dúvida sobre a força do bipartidarismo. Lembrando que só existe um sistema pior que o bipartidarismo, justamente sistema aristocrático controlado pela extrema direita, onde ninguém nunca será preso.

Lembrando também que é tudo uma questão de maioria política, foi por isso que José Sarney arquivou o próprio pedido de CPI, Renan escapou do maior escândalo da história, depois de PC Farias e mensalão, lembrando como a direita e a esquerda resolvem seus problemas. PC foi assassinado e ninguém foi preso, já no caso do mensalão foi diferente. Agora temos dois escândalos prestes a serem ignorados pela justiça, Cunha e Temer, tudo porque o PMDB é maioria. O impeachment exige dois terços da câmara e depois do senado para a aprovação, isso não é fácil. Se depender da cúpula dos líderes, isso não seria possível. A votação para aprovar o parecer do impeachment foi boa para a oposição, mas não o suficiente. Todos os estados estão fazendo pedaladas fiscais, FHC fez isso. Mudou-se a lei, mas ninguém conseguiu cumprir.

O perigo será os deputados votarem baseados em magnatas que são seus financiadores e estão ganhando pouco com taxa de juros, ou baseados nos povos das ruas que são manipulados pela Globo.

The real news

Le monde

Roda Viva TV Cultura

Documentário proibido no Brasil:

Muito além de um cidadão Kane 01

Muito além de um cidadão Kane 02

Muito além de um cidadão Kane 03

 

abril 13, 2016 Posted by | Política, Videos | , , , , , | 5 Comentários

Como foi criado o vidro

História do Vidro

Origem do Vidro

Em ciência dos materiais ovidro é uma substância sólida eamorfa, que apresentatemperatura de transição vítrea[1] . No dia a dia o termo se refere a um material cerâmicotransparente geralmente obtido com o resfriamento de uma massa líquida à base de sílica.

Em sua forma pura, o vidro é um óxido metálico super esfriado transparente, de elevada dureza, essencialmente inerte e biologicamente inativo, que pode ser fabricado com superfícies muito lisas e impermeáveis. Estas propriedades desejáveis conduzem a um grande número de aplicações. No entanto, o vidro geralmente é frágil, quebra-se com facilidade. O vidro comum se obtém por fusãoem torno de 1.250 ºC de dióxido de silício, (SiO2), carbonato de sódio (Na2CO3) ecarbonato de cálcio (CaCO3).

História

Os povos que disputam a primazia da invenção do vidro são os egípcios e osfenícios. Segundo a Enciclopédia Trópico:

“Os fenícios contam que ao voltarem à pátria, do Egito, pararam às margens doRio Belus, e pousaram sacos que traziam às costas, que estavam cheios denatrão (carbonato de sódio natural, que eles usavam para tingir ). Acenderam o fogo com lenha, e empregaram os pedaços mais grossos de natrão para neles apoiar os vasos onde deviam cozer animais caçados. Comeram e deitaram-se, adormeceram e deixaram o fogo aceso. Quando acordaram, em lugar das pedras de natrão encontraram blocos brilhantes e transparentes, que pareciam enormes pedras preciosas. Um deles, o sábio Zelu, chefe da caravana, percebeu que sob os blocos de natrão, a areia também desaparecera. Os fogos foram reacesos, e durante a tarde, uma esteira de liquido rubro e fumegante escorreu das cinzas. Antes que a areia incandescente se solidificasse, Zelu plasmou, com uma faca aquele líquido e com ele formou uma empola tão maravilhosa que arrancou gritos de espanto dos mercadores fenícios. O vidro estava descoberto.”

Esta é uma das versões, um tanto lendária. Mas, notícias mais verossímeis, relatam que o vidro surgiu pelo menos 4.000 anos A.C.. Julga-se entretanto que os egípcioscomeçaram a soprar o vidro em 1.400 A. C., dedicando-se, acima de tudo, a produção de pequenos objetos artísticos e decorativos, muitas vezes eram confundidos com belas pedras preciosas. Sua decomposição é de 4000 anos. A cada 1000 kg de vidro leva-se 1300 kg de areia.

Em Portugal

Foi só no século XVIII que se estabeleceu em Portugal a indústria vidreira — na Marinha Grande — e ainda hoje esta existe. Anteriormente, há notícia, desde o século XV, da existência de alguns produtores artesanais de vidro. É conhecido o labor do vidreiro Guilherme, que trabalhou noMosteiro da Batalha. O vidro era obtido através da incineração de produtos naturais com carbonato de sódio (erva-maçaroca). Houve diversos fornos para a produção vidreira em Portugal, mas a passagem de uma produção artesanal, muito limitada, para a produção industrial foi lenta. Uma fábrica existente em Coina veio a ser transferida para a Marinha Grande, em consequência da falta de combustível. Estava-se no reinado de D. João V. A proximidade do Pinhal de Leiria, teria aconselhado a transferência da antiga Real Fábrica de Coina. Depois, o Marquês de Pombal concedeu um subsídio para o reapetrechamento desta fábrica vidreira na Marinha Grande.

Em 1748 estabeleceu-se na Marinha Grande John Beare, dedicando-se ali à indústria vidreira. A abundância de matérias primas e de carburante aconselhavam o fomento dessa indústria naquela região. Em 1769 o inglês Guilherme Stephensbeneficiou de importante protecção do Marquês de Pombal e estabeleceu-se na mesma localidade: subsídios, aproveitamento gratuito das lenhas do pinhal do Rei, isenções, etc. A Real Fábrica de Vidros da Marinha Grande desenvolveu-se a ponto de ser Portugal, a seguir à Inglaterra, o primeiro país a fabricar o cristal.

Fonte: Wikipedia

Invenções e descobertas da Índia

Tecnologias do Paquistão

Inventos que mataram seus criadores

agosto 24, 2015 Posted by | curiosidades | , , , | Deixe um comentário

Quem descobriu o Brasil

farsa do descobrimento

Descobrimento do Brasil

Há muita controversa a respeito de quem descobriu o Brasil, alguns dizem que foi Pedro Álvares Cabral, outros dizem que foi Cristóvão Colombo, entretanto, os indígenas já entraram com recurso dizendo que não está havendo justiça nesse país. Em entrevista, um  indígena deu a sua opinião:

“Homem branco mentiroso, invade terra indígena, mata índios e diz descobrir terra. Homem branco deu nome feio a terra de índio e o Brasil que deveria ser de índio, virou brasil de cara pálida.”

Apesar de terem chegado aqui primeiro, os portugueses conviveram muito com os espanhóis, tanto aqui na terrinha, quanto lá na Europa. Como os espanhóis sempre tiveram mais filhos que os portugueses, a quantidade de descendentes de espanhóis por aqui é imensa. Quem descobriu o Brasil não tem tanta importância, já que Portugal só colocou o nome.

Além das indenizações que o Brasil pagou para se tornar independente, ganhou um sistema, uma língua e uma falsa história baseada em uma falsa democracia.

By Jânio

A maldição do espelho

Piada mais antiga do Brasil

A farsa da falsa democracia

Heróis latino americanos

 

julho 26, 2015 Posted by | Política, Reflexões | , , | Deixe um comentário

A história do capitalismo

decadência do capitalismo

Fases do Capitalismo

Eu estava lendo esta lista de temas sobre o capitalismo abaixo e um dos aspectos que me chamou a atenção foi  o fato de haverem  mais crises que “milagres”, pode parecer normal para a maioria das pessoas mais isso não descarta o lado diabólico do controle das pessoas através do sistema. Também não precisa ser um especialista para notar o quanto os países que resistiram ao capitalismo pagaram um preço alto por isso, especialmente os países revolucionários da América Latina O Brasil até ensaiou um protecionismo considerável, mais morreu na  praia.

Através das fases do capitalismo podemos nos relembrar:

Comercial: veio logo depois da decadência do feudalismo e possuía algumas boas iniciativas. Além do desenvolvimento do comércio a nível internacional, politicamente unia a classe média e o povo em um único objetivo. Parecia bom para o povo mas o governo não tinha tanto controle  sobre a população quanto gostaria.

Industrial: depois de um início desastroso, quando desempregou muita gente e os deixou sem alternativa a não ser trabalhar em regime de semi-escravidão. Trabalhavam muito, ganhavam pouco. Foi nessa época que surgiram as primeiras organizações em defesa das minorias. As leis, os sindicatos, entre outras associações, conseguiram evitar o pior, mas o estrago já estava feito, o capitalismo começava a mostrar sua faceta do mal.

Financeiro – Durante essa fase, o capitalismo deixa o caráter social e político e passa a se concentrar mais nas questões econômicas que influenciariam nas fases seguintes.

Informacional – esta fase demonstrou o quanto os países desenvolvidos se distanciaram dos menos desenvolvidos. Enquanto nos grandes centros europeus e americanos se discutia e estudava o tal fenômeno, os países subdesenvolvidos iniciavam o declínio.

Concorrencial: o que parecia justo nos início, para os países mais desenvolvidos, logo demonstrou que poderia ser facilmente controlada pelos banqueiros mundiais que passavam a controlar os governos através da farsa democrática.

Monopolista: o controle dos governos possibilitou o surgimento do capitalismo monopolista, boicotando países concorrentes em prol de interesses mútuos. Em países subdesenvolvidos como Brasil e México, esse sistema dominou o governo e o Estado entrou em decadência. Em países assim, o crescimento do PIB  é inversamente proporcional ao crescimento do IDH, mesmo assim, não há iniciativa para aumentar a concorrência e melhorar o ambiente de negócios.

Globalização: esse sistema tinha cara de cultura e pretendia facilitar as transações internacionais, ao invés disso, apenas promoveu a lavagem de dinheiro, facilitando a migração de capitais, tornando os países muito mais fracos e a mercê dos grandes grupos multinacionais. Como consequência disso, o novo feudalismo conseguiu a sua grande vingança contra a nova burguesia, classe média, que se viu perdida em meio as teorias mirabolantes que eles fingiam entender e acabaram sendo as maiores vítimas. Assim, os países chamados de ignorantes e sem noção de modernidade, conseguiram se proteger, amparados por um nacionalismo ultrapassado,  mistura de capitalismo e socialismo – controle do capital pela elite e socialismo para os pobres.

Esse sistema deu tão certo no Brasil que vem sendo desenvolvido à imperfeição na China e  certamente será aproveitado também por países como a Argentina no futuro.

O México merece uma observação especial, já que esse parece ser o futuro de um sistema bizarro que consegue quase sempre se transformar, apresentando alternativas bizarras que não são adequadas a países subdesenvolvidos, como é o caso da legalização da maconha e prostituição para salvar o caos da economia que eles mesmos criaram.

A China, Brasil e Argentina são exemplos de países que caminham em um terreno perigoso. Concentrando gigantescos centros metropolitanos com IDH acima da média, enquanto outras regiões permanecem isoladas e sob risco de se transformarem em sociedades mutantes, pior, sem poderes.

By Jânio

Você também pode gostar de:

O erro americano

Legalização da prostituição

Paraísos fiscais da máfia brasileira

Quem são os donos do mundo

Atividade que mais dá lucro

julho 22, 2015 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

A história da Rede Globo

Chegou a Hora

CPI da Globo

As críticas à Rede Globo referem-se ao extenso histórico de controvérsias nas relações desta rede de televisão brasileira com a sociedade do país. A emissora possui uma capacidade sem paralelo de influenciar a cultura e a opinião pública.
A principal polêmica histórica da estação televisiva e das Organizações Globo está ligada ao apoio dado à ditadura militar e a censura dos movimentos pró-democracia nos noticiários do canal. O regime, segundo os opostos à emissora, teria rendido benefícios ao grupo midiático da família Marinho, em especial para o canal de televisão que, em 1984, fez uma cobertura omissa das Diretas Já.  A própria Globo reconheceu em editorial lido no Jornal Nacional, 49 anos depois e pressionada pelas manifestações de junho de 2013, que o apoio ao golpe militar de 1964 e ao regime subsequente foi um “erro”.
No final da década de 1980, a emissora novamente foi alvo de críticas devido à edição que promoveu do último debate entre os candidatos a presidente na eleição de 1989, o que teria favorecido Fernando Collor de Mello. No final da década de 1990, as Organizações Globo enfrentaram diversos problemas financeiros que teriam sido aliviados pelo Estado, apesar de se tratar de uma empresa privada. Durante o período, a emissora utilizou-se de sua influência entre os políticos para conseguir mudar um artigo da Constituição Federal, no qual permitia a entrada de 30% de capital estrangeiro nas empresas de mídia.
Em 2002, o governo federal ofereceu ajuda de 280 milhões de reais à Globocabo através de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).  A emissora voltou novamente a ser alvo de críticas pela cobertura supostamente tendenciosa das eleições de 2006 e 2010. Mais recentemente, foi revelado que as Organizações Globo possuem irregularidades junto à Receita Federal. Entre 2010 e 2012, o conglomerado foi notificado 776 vezes por sonegação fiscal.
“Participamos da Revolução de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada. Quando a nossa redação foi invadida por tropas anti-revolucionárias, mantivemo-nos firmes em nossa posição. Prosseguimos apoiando o movimento vitorioso desde os primeiros momentos de correção de rumos até o atual processo de abertura, que se deverá consolidar com a posse do novo presidente.”
— Roberto Marinho, no jornal O Globo, edição n° 1.596, 7 de outubro de 1984.
A Rede Globo foi fundada em 1965, um ano após o golpe de estado de 1964 e se consolidou como maior rede de televisão do país durante a década de 1970. Neste período, o regime militar implementou uma política de modernização das telecomunicações. Em 1965, criou a Embratel, ao passo em que o Brasil se associou à Intelsat.12 Em 1968, foi criado o Ministério das Comunicações e, no mesmo ano, surgiram as primeiras emissoras de rádio FM e foi criada a AERP (Assessoria Especial de Relações Públicas), que reforçava a necessidade de propagar ideais ufanistas e nacionalistas. Em 1969, o país se integra ao sistema mundial de comunicação por satélite. A intenção do regime era se opôr à hegemonia cultural caracteristicamente de esquerda da época. Uma de suas armas para isso teria sido a televisão, tendo o regime feito vistas grossas à parceria, vetada por lei, entre Roberto Marinho e a multinacional Time-Life, o que contribuiu para o salto tecnológico da Rede Globo.12
Segundo as Organizações Globo, O Globo apoiou o golpe militar de 1964 fazendo parte de um “posicionamento amplamente majoritário” contra o governo do presidente João Goulart.13 Afirma também que Roberto Marinho acreditava na vocação democrática do presidente Castello Branco e na eficácia da política econômica desenvolvida por Roberto Campos e Octavio Gouvêa de Bulhões. No entanto, o grupo nega que o crescimento da Rede Globo se deu graças à estreita ligação de Roberto Marinho com o regime implantado em março de 1964, citando como exemplos disso a dificuldade em obter concessões para canais de televisão em João Pessoa e Curitiba em 1978, alguns casos de censura a sua programação, além do fato de que alguns de seus profissionais eram membros do Partido Comunista Brasileiro.13 No entanto, como apontou Renato Ortiz, a censura não era generalizada, uma vez que “sua principal função era impedir a emergência de determinadas ideias, notícias, publicações que estivessem contrárias à lógica ditatorial de difundir ideais de progresso, harmonia e desenvolvimento”.
Em sua autobiografia, no entanto, Walter Clark, diretor-geral da Rede Globo, confessou ter cancelado os programas de Carlos Heitor Cony e Roberto Campos para satisfazer o coronel Gustavo Borges, chefe de polícia no estado do Rio de Janeiro. Além disso, Clark afirmou ter contratado um ex-diretor da censura para “ler tudo que ia para o ar” e uma “assessoria especial” formada pelo general Paiva Chaves, pelo civil linha-dura Edgardo Manoel Erickson (“pelego dos milicos”, conforme disse) e mais “uns cinco ou seis funcionários”. Além disso, relatou receber o presidente Emílio Garrastazu Médici em seu gabinete na Globo, onde assistiam aos jogos de futebol exibidos pela emissora aos domingos. Segundo ele, o denominado “padrão Globo de qualidade” acabou “passando por vitrine de um regime com o qual os profissionais da TV Globo jamais concordaram”.
Em entrevista ao documentário britânico Beyond Citizen Kane, o ex-ministro da Justiça (1974-1979) Armando Falcão afirmou que “o doutor Roberto Marinho nunca me criou qualquer tipo de dificuldade. Eu, ministro-censor, ele diretor do Globo, da televisão Globo, da Rede Globo, da Rádio Globo, da Rádio Mundial, da Rádio Eldorado, ele nunca me criou dificuldade”.  O próprio Médici chegou a afirmar, sobre o Jornal Nacional, em entrevista: “Sinto-me feliz todas as noites quando ligo a televisão para assistir ao jornal. Enquanto as notícias dão conta de greves, agitações, atentados e conflitos em várias partes do mundo, o Brasil marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como se eu tomasse um tranqüilizante após um dia de trabalho”. Em 2012, um ex-delegado do Dops relatou a proximidade entre o regime e a Globo.
Em 2013, as Organizações Globo reconheceram e desculparam-se publicamente, através de um editorial publicado no jornal O Globo e que também foi lido por William Bonner durante o Jornal Nacional, por terem apoiado a ditadura militar instaurada no país depois do golpe militar de 1964. No texto do editorial, o jornal afirma: “À luz da História, contudo, não há por que não reconhecer, hoje, explicitamente, que o apoio [ao golpe de 1964] foi um erro, assim como equivocadas foram outras decisões editoriais do período que decorreram desse desacerto original. A democracia é um valor absoluto. E, quando em risco, ela só pode ser salva por si mesma.”

Diretas Já

Comício das Diretas Já em 16 de abril de 1984 em São Paulo.
No dia 25 de janeiro de 1984, foi ao ar, pela primeira vez em rede, aquele que é considerado o primeiro grande comício das Diretas Já, realizado na praça da Sé, em São Paulo. Naquele dia, o telejornal exibiu reportagem de dois minutos e dezessete segundos sobre o tema. No entanto, ocorreu um equívoco durante a escalada do Jornal Nacional; 25 de janeiro é também o dia do aniversário da cidade de São Paulo, e por conta de um suposto erro técnico, o apresentador do telejornal acabou anunciando o comício como parte das comemorações dos 430 anos da cidade. A emissora recebeu críticas que diziam que não havia sido uma falha técnica, mas sim uma manipulação de dados.
José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ex-vice-presidente das Organizações Globo afirmou, em entrevista a Roberto D’Ávila em 2005, que foi Roberto Marinho quem determinou a censura do primeiro grande comício das Diretas Já.  Segundo Boni, “o doutor Roberto não queria que se falasse em Diretas Já” e decidiu que o evento da praça da Sé fosse transmitido “sem nenhuma participação de nenhum dos discursantes”.  O que teria ocorrido no episódio, ainda de acordo com ele, foi uma “censura dupla” (por parte do regime e da emissora). A versão oficial da Globo, relatada no livro Jornal Nacional – A Notícia Faz História, porém, é de que a emissora não omitiu que o comício fizesse parte das Diretas e que é falsa a versão de que emissora noticiou o evento como parte das comemorações pelo aniversário da cidade de São Paulo.

 Caso Proconsult
Em 1982, a Globo teria tido participação no chamado caso Proconsult, uma tentativa de fraudar as eleições para o governo do Rio de Janeiro, impossibilitando a vitória de Leonel Brizola, candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT). A empresa Proconsult, contratada pela Justiça Eleitoral para apurar os votos do pleito, desenvolveu um sistema informatizado de apuração dos votos que, no entanto, não batia com a apuração paralela divulgada pelo Jornal do Brasil e comandada pelo jornalista Paulo Henrique Amorim. A Globo, que havia publicado editorial favorável ao candidato Moreira Franco na véspera da votação, se ateve à apuração oficial divulgada pelo Proconslt.
Segundo o jornalista Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa, a fraude só não se concretizou devido à participação do delegado da Polícia Civil Manoel Vidal, escalado para fiscalizar a apuração. Vidal percebeu que havia algo de errado na apuração tendo, em seguida, contatado o também delegado Arnaldo Campana, ligado a Brizola.  O candidato do PDT, censurado nos veículos das Organizações Globo, concedeu uma entrevista aos correspondentes estrangeiros explicando a situação que ocorria. A fraude foi exposta e os jornalistas do conglomerado foram hostilizados nas ruas do Rio de Janeiro. Por outro lado, a emissora respondeu que “nunca contratou a Proconsult” e “se baseava nos números de O Globo, responsável por uma totalização própria, realizada a partir dos mapas oficiais apurados pelo TRE”.

Caso NEC

Durante o regime militar, a NEC Brasil foi obrigada a nacionalizar seu capital. Por isso, cedeu o controle acionário da empresa ao grupo Brasilinvest de Mário Garnero. À época da redemocratização, a NEC Brasil havia se tornado a maior fornecedora de equipamentos de telecomunicação para o governo brasileiro. Em 1986, o então ministro das Comunicações Antônio Carlos Magalhães criou dificuldades econômicas para a NEC Brasil ao suspender os contratos do governo com a empresa, cujo principal cliente era o governo federal. Com o grupo em crise, a NEC do Japão recomprou as ações da NEC Brasil e as vendeu para as Organizações Globo por um milhão de dólares. Logo em seguida, ACM restabeleceu os contratos e a empresa passou a valer 350 milhões de dólares.
Em dezembro de 1986, depois de ACM ter ajudado as Organizações Globo a comprar as ações da NEC Brasil, a Globo concedeu a ACM o direito de tornar sua emissora de televisão na Bahia uma afiliada da Globo, o que ocorreu em janeiro de 1987, um mês após o acordo NEC-Globo. O acordo NEC-Globo foi noticiado na época pela imprensa brasileira (até na própria Globo e na TV Bahia) inicialmente como legal. Porém o acordo ficou sob suspeita quando a TV Bahia deixou inesperadamente de retransmitir o sinal da Rede Manchete para retransmitir o da Globo em janeiro de 1987. A situação gerou um processo dos proprietários da TV Aratu, retransmissora da Globo na Bahia por 18 anos, contra os donos da TV Bahia, mas a contenda judicial terminou três dias depois, quando ficou acordado que a TV Bahia retransmitiria a Globo e, a TV Aratu, a Manchete. A quebra de contrato unilateral por Roberto Marinho ocasionou uma queda de 80% na arrecadação da TV Aratu.
As suspeitas contra o acordo NEC-Globo só vieram a tona nacionalmente com as primeiras denúncias de corrupção do Governo Collor em 1992. Com o fim das empresas do Grupo Telebrás, as Organizações Globo venderam suas ações na NEC Brasil, que teve seu apogeu durante o monopólio estatal das telecomunicações. As operadoras europeias e norte-americanas que compraram as empresas telefônicas estatais optaram por manter seus parceiros ocidentais na área de tecnologia, e a NEC teve sua presença no mercado reduzida. Atualmente, o capital da NEC Brasil pertence 100% à NEC do Japão.

Eleições de 1989 e Impeachment

Fernando Collor de Mello teria sido favorecido pela Rede Globo em detrimento de Luiz Inácio Lula da Silva.

A emissora é acusada de ter ajudado a eleger o candidato a presidente Fernando Collor de Mello (dono da TV Gazeta de Alagoas, retransmissora da Globo) nas eleições de 1989, através da manipulação de trechos do último debate entre Collor e o candidato petista Luiz Inácio Lula da Silva. Na época do debate, já no segundo turno, as pesquisas apontavam um empate técnico entre os dois candidatos; logo, o confronto na televisão seria decisivo para definir a disputa. Lula se saiu mal no debate, fato reconhecido pelo seu próprio partido.
A Rede Globo, que procurou a isenção na cobertura do processo eleitoral, parece ter assumido um lado na reta final da disputa. Foram exibidas duas reportagens sobre o debate no dia de dezembro de 1989, antevéspera do segundo turno das eleições. Uma delas foi ao ar no Jornal Hoje e, a outra, no Jornal Nacional, sendo essa a mais polêmica. A primeira reportagem mostrou as melhores intervenções de cada candidato e a segunda teria favorecido Collor, pois teria mostrado os melhores momentos dele e os piores de Lula. O PT moveu uma ação no Supremo Tribunal Federal contra a Globo. O partido queria que novos trechos do debate fossem exibidos, a título de direito de resposta, mas o pedido foi negado.
A Globo sempre negou que agiu de má-fé no episódio, mas admite que a edição não foi equilibrada. Segundo Boni, a Central Globo de Jornalismo fez uma edição favorável a Collor, não seguindo a orientação da direção da empresa para que o tratamento fosse imparcial. Já Roberto Marinho, diante da declaração de Boni, afirmou que o então vice-presidente das Organizações Globo não entendia de eleições e que o Jornal Nacional tinha sintetizado de maneira correta o debate, visto que Collor havia se saído melhor. Em 2009, Collor admitiu que foi favorecido pela Globo na disputa.
Grande parte da mídia apoiou abertamente a campanha de Collor à presidência. No entanto, de acordo com o historiador Gilberto Maringoni, doutor em História pela USP, por incapacidade de manter maioria no Congresso e por entrar em confronto com uma parte expressiva do empresariado nacional, Collor acabou por influenciar por si só a mudança de postura da imprensa. A crise econômica com a volta da inflação, uma das consequências do confisco da poupança, e a intensa cobertura investigativa da imprensa ajudaram a impulsionar as manifestações sociais que culminaram no impeachment.

Direito de resposta de Leonel Brizola

Leonel Brizola recebeu direito de resposta a ser veiculado pelo Jornal Nacional após dois anos de disputa judicial.
Em 15 de março de 1994, a Rede Globo colocou no ar, durante o Jornal Nacional, o direito de resposta obtido pelo então governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, após dois anos de disputa judicial.32 Brizola havia entrado na Justiça contra a Globo em 1992, depois que o jornalístico de 6 de fevereiro daquele ano divulgou trechos do editorial que seria publicado no dia seguinte pelo jornal O Globo, intitulado “Para entender a fúria de Brizola”. O governador do Rio, que queria impedir a emissora de transmitir o desfile das escolas de samba daquele ano, era acusado pelo editorial do jornal carioca de sofrer “declínio da saúde mental” e de “deprimente inaptidão administrativa”.
Na resposta que foi ao ar, lida pelo locutor Cid Moreira, Brizola dizia não reconhecer na Globo “autoridade em matéria de liberdade de imprensa” e que a emissora teve “longa e cordial convivência com os regimes autoritários e com a ditadura de 20 anos que dominou nosso país”. Brizola dizia ter sido “apontado como alguém de mente senil”. Na sequência, argumentava: “Ora, tenho 70 anos, 16 a menos que meu difamador, Roberto Marinho, que tem 86 anos. Se é este o conceito que tem sobre os homens de cabelos brancos, que os use para si”. O portal Observatório da Imprensa avaliou que “a contribuição de Brizola ao país, no campo da política e do avanço social, nunca foi grande coisa […] mas esse célebre episódio foi uma espécie de divisor de águas no capítulo da liberdade de imprensa. Soou como uma senha para a multiplicação de ações e para a escalada de condenações de jornais e jornalistas que se seguiu”.

Eleições de 2006

De acordo com a revista CartaCapital, o Jornal Nacional não informou sobre a tragédia do Voo Gol 1907, mas focou toda a sua edição no “Escândalo do Dossiê”.

Houve várias críticas à forma como a Globo fez a cobertura das eleições gerais de 2006. A emissora teria atuado para prejudicar a campanha do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva à reeleição, dando atenção exagerada a fatos negativos envolvendo o PT. Luiz Carlos Azenha, o repórter destacado para cobrir a campanha presidencial do candidato tucano Geraldo Alckmin, confirma que houve a intenção de prejudicar o PT na cobertura. Segundo ele, “tinha sido determinado desde o Rio que as reportagens de economia deveriam ser esquecidas porque supostamente poderiam beneficiar a reeleição de Lula”. Além disso, Azenha afirma que uma reportagem de sua autoria potencialmente danosa para o então candidato a governador de São Paulo, José Serra, foi censurada pela Globo. As críticas à forma como estava cobrindo as eleições levaram a emissora a fazer, internamente, um frustrado abaixo-assinado em apoio a sua linha editorial.

O evento mais comentado pelos críticos foi quando, na véspera da votação do primeiro turno, a Rede Globo deu enorme destaque à imagem do dinheiro que havia sido apreendido no contexto do Escândalo do Dossiê.

Hoje é sabido que o delegado da PF que havia comandado a operação convidou quatro jornalistas para uma conversa reservada e repassou os CDs com as fotos. A conversa foi inteiramente gravada e nela se pode ouvir os apelos do delegado para que as imagens fossem parar na edição do Jornal Nacional do mesmo dia, 29 de setembro. No caso da Rede Globo, ressalta-se que, na mesma noite em que exibiu as fotos, o telejornal se absteve de informar sobre a tragédia do Voo Gol 1907, em que morreram 154 pessoas. Assim, ao mesmo tempo em que a notícia já repercutia no mundo inteiro, a edição ao vivo do jornal se dedicava somente a dar destaque à divulgação do escândalo político. Por outro lado, segundo publicado pela emissora no Memória Globo, era “impossível dar a notícia durante a exibição do jornal, já que não haviam informações concretas sobre o acidente”:
“ Os rumores de que um avião da Gol não pousara no horário certo em Brasília chegaram à redação do Jornal Nacional por volta de 20h10, quando o telejornal já estava no ar. A partir desses rumores, iniciou-se uma corrida frenética para verificar o que houve com o avião, com exatidão, para que não se criasse pânico na população. A primeira confirmação era de que, de fato, um avião da Gol estava desaparecido desde as 18h10, mas a Infraero não confirmava a rota nem o número do voo. Sem essas informações, era impossível divulgar uma informação sobre o avião desaparecido, sem provocar grande angústia em todos aqueles que tinham parentes ou amigos voando Gol. Não eram poucos: no dia 29 de setembro de 2006, 54 aviões da Gol levantaram voo. Cada um deles podia levar até 144 passageiros; a ocupação média era de 80% dos assentos. A Gol calcula que transportou naquele dia 6.200 pessoas. Não divulgar o número do voo ou a rota seria colocar sob suspeição todos os 54 voos, um procedimento que um telejornal líder de audiência, visto por milhões, não pode fazer. Enquanto esteve no ar, até as 20h45, o Jornal Nacional, e nenhum outro telejornal de outra emissora, conseguiu esses dados. ”
Algumas semanas após o fim das eleições, Rodrigo Vianna, repórter que estava se desligando da emissora, divulgou uma carta aberta onde critica várias das posturas da emissora durante o período eleitoral, dando sua visão de como os processos se davam internamente. Na carta, Vianna diz, assim como Azenha, que a direção da emissora barrou reportagens e investigações que envolvessem o PSDB e o então candidato ao governo de São Paulo, José Serra. Segundo ele, alguns jornalistas questionaram as opções editoriais da Globo, mas não receberam respostas convincentes de seus superiores. Logo após as eleições, Vianna foi afastado da cobertura política e destacado para atuar nos jornais locais. O comentarista político Franklin Martins, que mais tarde se tornaria Secretário de Comunicação Social de Lula, também foi afastado. Segundo Vianna, “Do Bom dia Brasil ao Jornal da Globo, temos um desfile de gente que está do mesmo lado”.

Jingle de aniversário
Em 18 de abril de 2010, a emissora lançou, no Fantástico, uma campanha em comemoração aos seus 45 anos de rede, que aconteceria em 26 de abril daquele ano. O logotipo da emissora aparecia ao lado do número quarenta e cinco e de frases de atores da emissora, falando frases do jingle como “todos queremos mais”. Em determinado trecho da peça, os atores falam: “Todos queremos mais. Educação, saúde e, claro, amor e paz. Brasil? Muito mais”. Segundo o deputado federal do Paraná e secretário de Comunicação do PT, André Vargas, o jingle embutiria, de forma disfarçada, propaganda favorável à José Serra, candidato a presidente pelo PSDB, concorrente do PT. Na mensagem estavam embutidas o “45”, o número de registro do PSDB no Tribunal Superior Eleitoral, e frases do jingle como “todos queremos mais”, o que, de acordo com os petistas, seria uma referência ao slogan de Serra, “o Brasil pode mais”.
Logo no primeiro dia de veiculação da campanha institucional dos 45 anos, a TV Globo tirou do ar a campanha. A emissora afirma que o filme foi criado em novembro de 2009, quando “não existiam nem candidaturas muito menos slogans, mas a Rede Globo não pretende dar pretexto para ser acusada de ser tendenciosa e está suspendendo a veiculação do filme.” O colunista Luís Nassif, no entanto, contestou a justificativa da emissora, afirmando que a campanha teria sido gravada em 14 de abril, três dias depois que Serra lançou sua pré-candidatura, apontando para isso notícias do próprio portal da Globo.com.

Agressão a José Serra

Uma reportagem apresentada pela Globo no segundo turno da campanha apontava que José Serra havia sido agredido com um rolo de fita por militantes petistas durante um ato da campanha no Rio de Janeiro, passando mal em seguida e dirigindo-se a um hospital onde foi examinado. Ele teria cancelado os demais compromissos do dia por ordem médica. Entretanto, uma reportagem do SBT mostrou que Serra havia sido atingido por uma bolinha de papel, continuou caminhando até receber um telefonema, e então, 20 minutos depois, é que levou a mão à cabeça para se queixar do “golpe”. Serra teria, então, feito uma tomografia, mas não foi encontrado nenhum ferimento. O ocorrido gerou uma onda de críticas no Twitter à cobertura promovida pela Rede Globo do episódio, fazendo com que as hashtags #serrarojas (uma referência ao jogador de futebol chileno Roberto Rojas, que bolou uma suposta agressão para cancelar uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo de 1990 e evitar que a seleção brasileira vencesse a chilena) e #BolinhadePapelFacts se popularizassem.
No dia 21 de outubro de 2010, a Folha de S. Paulo publicou uma reportagem na qual revelava que Serra havia sido atingido por um rolo de fita adesiva depois da bola de papel. No mesmo dia, o Jornal Nacional levou ao ar uma reportagem completa sobre o assunto. Em 22 de outubro, ambos Folha e O Estado de S. Paulo confirmaram que Serra fora atingido em dois momentos: primeiro por uma bola de papel, e dois por um rolo de fita. O SBT também confirmou em seu telejornal SBT Brasil que as imagens da bolinha de papel eram anteriores ao ataque com o rolo. Cinco dias depois, a revista Veja publicou uma reportagem intitulada “Pau na democracia”, cuja possuía trechos na qual o jornalista Fábio Portela acusava o SBT de omitir o rolo de fita que fora jogado à cabeça de Serra. O canal, por sua vez, respondeu que “o telejornal SBT Brasil veiculado no dia do episódio, quarta-feira 20, exibiu apenas as imagens captadas por nossas câmeras, que registraram o incidente com a bolinha de papel. Até aquele momento não tínhamos conhecimento de outro vídeo captado por um jornalista da Folha de S. Paulo, por celular, que mostrava o episódio posterior, em que um rolo de fita crepe atinge a cabeça do candidato Serra. Quando tomou conhecimento desse novo fato, o SBT tratou de registrá-lo no mesmo dia em seu telejornal da meia-noite. No SBT Brasil do dia seguinte, quinta-feira, o apresentador Carlos Nascimento voltou ao assunto, ressaltando que o segundo incidente não fora captado por nossa equipe, mas frisou que o candidato José Serra fora atingido duas vezes em um intervalo de poucos minutos.”
Não houve, portanto, nenhuma disputa entre SBT e Globo sobre bolinha de papel. Em todo o episódio, o mérito, a bem da verdade, foi da Folha de S. Paulo. Foi o jornal quem noticiou primeiro a agressão a Serra com um rolo de fita adesiva. Foi o jornal quem pôs na internet um vídeo do momento da agressão. O Jornal Nacional, num trabalho independente, confirmou os achados da Folha. 
 Eleições municipais no Brasil em 2012
Houve várias críticas à forma como a Rede Globo fez a cobertura do julgamento do caso conhecido como Mensalão, que coincidiu com as eleições municipais no Brasil em 2012. No mês de outubro de 2012, às vésperas do segundo turno das eleições municipais, o Jornal Nacional dedicou 18 dos seus 32 minutos de duração para abordar o julgamento, tendo ainda como agravante o fato da matéria ter ido ao ar imediatamente após o fim do horário eleitoral, que, em São Paulo, foi encerrado com o programa de Fernando Haddad, candidato do PT. Durante todo o segundo turno o noticiário do mensalão foi apresentado pelo telejornal sempre logo após ao fim do horário eleitoral.

Manifestações de 2013

Durante a série de manifestações populares que ocorreram em várias cidades brasileiras em 2013, protestos em frente às sedes da emissora aconteceram por todo o país. A sede da empresa em São Paulo teve estrume lançado sobre a sua fachada, além dos muros terem sido pichados. 5 No protesto na sede da emissora no Rio de Janeiro, os manifestantes entraram em confronto com a polícia.
A emissora foi alvo de várias críticas pelas redes sociais durante os protestos. No dia 19 de junho, durante o Jornal Nacional, a apresentadora Patrícia Poeta leu um editorial feito pela própria emissora, falando sobre os atos contra a rede. No dia seguinte, a emissora exibiu flashes sobre as manifestações em todo o país. Estava marcado, para o mesmo dia, uma cobertura de um jogo da Copa das Confederações FIFA de 2013, mas a cobertura foi cancelada e a emissora decidiu priorizar a cobertura dos protestos; duas novelas não foram levadas ao ar naquele mesmo dia: Flor do Caribe e Sangue Bom. Por tal razão, a emissora perdeu audiência, mas sua atitude foi bem-recebida na internet.

 Eleição presidencial brasileira de 2014

Em 8 de agosto de 2014, pouco antes do início do horário eleitoral, matérias veiculadas em O Globo e nos telejornais da emissora acusaram o Palácio do Planalto de alterar informações nas páginas de Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia, com o objetivo de difamá-los. As edições, feitas em maio de 2013 por um dispositivo conectado à rede de internet do Palácio, qualificam as análises de Leitão como “desastrosas” e a acusa de ter defendido “apaixonadamente” o banqueiro Daniel Dantas quando este foi preso pela Polícia Federal, citando como prova um comentário de Leitão na Rádio CBN onde ela defendia a inocência de Dantas. Já Sardenberg é acusado de ser crítico à política de juros do governo por ter um irmão que trabalha na Febraban.
O Palácio do Planalto, em nota, explicou que não possui maneiras de identificar o autor das críticas, uma vez que o IP usado para a alteração servia tanto à rede interna quanto à rede sem fio, o que possibilitaria a qualquer visitante fazer tal alteração. As Organizações Globo foram criticadas por divulgar alterações nas biografias de seus contratados na Wikipédia, ferramenta de caráter colaborativo e aberta à edição de todos e que, segundo seu próprio criador, Jimmy Wales, não deve ser usada como fonte primária de informação. Também foi criticada por só noticiar a alteração mais de um ano depois e em período de campanha eleitoral. O jornalista Miguel do Rosário relatou caso semelhante que ocorreu na rede sem fio da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo e disse que já visitou o Palácio do Planalto, onde obteve acesso à senha da rede sem fio do gabinete presidencial. A Globo, segundo seus críticos, estaria descontente com a possibilidade de disseminação de informações produzidas de maneira não-linear pela internet.

Luta do UFC gravada

Em 27 de maio de 2012, houve uma luta do UFC transmitida pela Globo, que dizia ser “ao vivo”, mas o Combate, pertencente à Globosat, exibiu a luta 30 minutos antes da Globo.65 Ou seja, a Globo gravou a luta, mas pôs “ao vivo” em cima do seu logotipo na marca d’água, o que gerou críticas contra a emissora, principalmente nas redes sociais.
Monopólio de transmissão em eventos esportivos
Críticas à Rede Globo Acho que a CBF não tem uma interferência dentro do futebol tão grande. A CBF cuida apenas da Seleção Brasileira. Quem realmente cuida do futebol brasileiro é a Globo. A gente sabe que a Globo trabalha na dependência da novela. A gente brinca aqui no Coritiba que os jogos de quarta-feira só rolam depois do último beijo da novela. Críticas à Rede Globo
— Alexsandro de Souza, jogador do Coritiba

A Rede Globo é frequentemente acusada de deter o monopólio das transmissões esportivas, principalmente do Campeonato Brasileiro de Futebol. Esse monopólio, que começou aos poucos no início dos anos 90, só foi facilitado graças ao lançamento das primeiras operadoras de TV por assinaturas no Brasil, coincidindo também com a desistência das principais redes concorrentes em exibir tais eventos esportivos, sob alegação de que possuíam altos custos de transmissões e baixa audiência. Depois disso, com esses direitos oferecidos às Organizações Globo, configurou-se a prática de cartel, que impedia outras redes transmitir as partidas, já que até então os canais das Organizações Globo eram os únicos a transmitir, dividindo as transmissões com a Bandeirantes.
Em 20 de outubro de 2010, depois de 10 anos de tentativas, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) emitiu orientação ao Clube dos 13 (grupo que reúne 20 grandes times do futebol brasileiro, mas é chamado Clube dos 13) para que não desse preferência à Globo na transmissão das partidas de futebol do Campeonato Brasileiro e que se comprometesse a oferecer pacotes diferentes de divulgação para cada tipo de mídia (TV aberta, TV fechada, pay per view, internet e celular) a partir dos campeonatos de 2012 a 2014.69 Apesar disso, o Clube dos 13 desrespeitou a orientação do CADE e firmou contrato com a Rede Globo para todas as mídias. Dessa maneira, a Globo manterá seu monopólio sobre a transmissão do Campeonato Brasileiro, pelo menos até 2015.
Segundo matéria do Esporte Fantástico da Rede Record, exibida em 17 de agosto de 2013, a Globo seria a principal responsável pelo baixo público presente nas partidas do Campeonato Brasileiro de Futebol daquele ano. Segundo a reportagem, a prática da emissora carioca de forçar a exibição das partidas após o final da novela das nove, com início por volta das 22 horas, inibe a presença do público nos estádios. Poucos dias antes, em entrevista ao portal LanceNet, Alexsandro de Souza, artilheiro do Coritiba, declarou que a prática da emissora é desumana para com os torcedores. Recentemente, a Record conseguiu quebrar o monopólio da Globo ao adquirir os direitos de transmissão de grandes eventos esportivos como Olimpíadas de Inverno de 2010, Jogos Pan-americanos de 2011, Olimpíadas de 2012, Olimpíadas de Inverno de 2014, Jogos Pan-americanos de 2015 e Olimpíadas de 2016 (essa última em parceria com a Globo e a Band). Apesar disso, a Globo manteve o direito de transmissão da Copa do Mundo FIFA de 2018 e de 2022, num processo de concorrência criticado pela Record por sua falta de transparência.

Receita Federal e Criança Esperança

As Organizações Globo possuem problemas com a Receita Federal. Entre 2010 e 2012, o conglomerado foi notificado 776 vezes por sonegação fiscal. A maior parte das autuações envolve a apreensão de equipamentos, sem o recolhimento de impostos, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.10 Ainda segundo a Receita, a empresa praticou fraude contábil ao negociar um perdão de R$ 158 milhões em dívidas com o banco JP Morgan em 2005.3 A emissora, multada em 730 milhões de reais, contesta a cobrança, mas foi derrotada em uma das instâncias do Ministério da Fazenda, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, em setembro de 2013. Além disso, o conglomerado teria sonegado o Imposto de Renda ao usar um paraíso fiscal para comprar os direitos de transmissão da Copa do Mundo FIFA de 2002.3 Após o término das investigações, em outubro de 2006, a Receita Federal quis cobrar multa de R$ 615 milhões da emissora.3 No entanto, semanas depois o processo desapareceu da sede da Receita no Rio de Janeiro.3 Em janeiro de 2013, a funcionária da Receita, Cristina Maris Meinick Ribeiro, foi condenada pela Justiça a quatro anos de prisão como responsável pelo sumiço. No processo, ela afirmou ter agido por livre e espontânea vontade.
Um documento datado de 15 de setembro de 2006, liberado pelo site WikiLeaks em 2013, cita que a Rede Globo repassou à UNESCO apenas 10% do valor arrecadado desde 1986 com a campanha filantrópica Criança Esperança, promovida em parceria com a agência das Nações Unidas (à época 94,8 milhões de reais).72 73 A emissora afirmou “desconhecer” essa informação e afirmou que “todo o dinheiro arrecadado pela campanha é depositado diretamente na conta da Unesco”.
Beyond Citizen Kane

Chico Buarque participou de Beyond Citizen Kane, concedendo um depoimento para a equipe de produção.

Em 1993, o Channel Four, uma grande cadeia de TV britânica, produziu um filme, criado por Simon Hartog e intitulado Beyond Citizen Kane, que conta a história da Rede Globo de Televisão e suas “ações sombrias” no país até o ano de 1990. O documentário foi proibido no Brasil desde 1994, graças a uma ação judicial movida por Roberto Marinho. Atualmente existem poucas cópias em circulação no Brasil, além de versões piratas circulando pela internet, como no YouTube. O filme conta com a participação de alguns artistas, políticos, e especialistas como Luiz Inácio Lula da Silva, Chico Buarque, Leonel Brizola e Washington Olivetto. O documentário jamais esteve no circuito de cinemas brasileiros e a exibição que ocorreria no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro foi proibida pelo então presidente da República, Itamar Franco.
No país, o documentário recebeu o título de Muito Além do Cidadão Kane. O título teve origem no personagem Charles Foster Kane, criado em 1941 por Orson Welles para o filme Citizen Kane, que por sua vez, tratava-se de um um drama de ficção baseado na trajetória de William Randolph Hearst, magnata da comunicação nos Estados Unidos. Segundo o documentário, a Globo empregaria a mesma manipulação grosseira de notícias para influenciar a opinião pública como fazia Kane no filme. De acordo com matéria veiculada na Folha Online em 28 de agosto de 2009, a produtora que montou a filmagem é independente e a televisão pública britânica não teve qualquer relação com seu desenvolvimento. Já a Record sustenta que a BBC, outra emissora pública do Reino Unido, estaria relacionada com sua produção.
O documentário é dividido em 4 partes:
na primeira parte é mostrada a relação entre a Rede Globo de Televisão e o período militar, em que se veem fatos sociais que ocorreram no país em decorrência do governo;
na segunda parte apresenta-se o acordo firmado entre a Globo e o grupo Time-Life;
na terceira parte evidencia-se o poder do proprietário da emissora, Roberto Marinho. Mostra-se também o suposto apoio da mesma à saída dos militares do poder, na figura do candidato à presidência da República Tancredo Neves;
na quarta parte, tida como a mais importante e reveladora do filme, mostram-se às claras “os envolvimentos ilegais e mecanismos manipulativos utilizados pelas Organizações Globo em suas obscuras parcerias para com o poder em Brasília”. Contudo, o documentário não apresenta fontes primárias, apenas entrevistas.
A Globo tentou comprar os direitos de exibição do filme. Entretanto, antes de morrer, Hartog formou um acordo com organizações brasileiras para que os direitos de exibição do documentário não caíssem nas mãos da emissora, a fim de que este pudesse ser amplamente conhecido tanto por organizações políticas quanto culturais. O canal perdeu o interesse em comprar o filme quando os advogados da emissora descobriram tal acordo, mas até hoje uma decisão judicial proíbe a exibição de Beyond Citizen Kane no Brasil. De acordo com a Folha de S. Paulo, na década de 1990, a direção da Record havia tentado comprar os direitos de exibição do documentário, mas “percebeu que haveria uma disputa judicial com a TV Globo a respeito das muitas imagens retiradas da programação deles. Então decidiu não comprá-lo”. No entanto, em agosto de 2009, no auge de uma troca de acusações mútuas entre as emissoras, provocadas por acusações de lavagem de dinheiro da Igreja Universal do Reino de Deus, a Record comprou os direitos de transmissão do documentário por aproximadamente 20 mil dólares, e espera a autorização da justiça para transmiti-lo.

Escândalo do Papa-Tudo

“E assim, usando uma grande rede de televisão, […] uma grande vendedora agindo diretamente junto ao público infantil induzindo a que crianças pedissem aos pais para comprarem, […] associados ao insuspeito ‘titio’ Artur Falk, foi dado um dos maiores golpes – conto do vigário – na população tola, que acredita na Rede Globo, que compra os produtos que ela anuncia que doa para as “instituições de caridade”, abençoadas pela Globo. Pobre população ludibriada que se comove com os trambiques glamourizados da televisão”.
—Antônio Paiva Rodrigues, Observatório da Imprensa.
No início da década de 1990, com a finalidade de concorrer com a Tele Sena, pertencente à Silvio Santos e seu conglomerado,79 a Globo lançou em parceria com o então banqueiro Artur Falk um título de capitalização intitulado Papa-Tudo, que tinha César Filho e Fausto Silva como apresentadores e Xuxa Meneghel como garota-propaganda. A venda era semelhante à da concorrente supracitada: o título era adquirido em casas lotéricas e unidades da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, e, caso o comprador não fosse contemplado, poderia resgatar metade do valor pago após um ano ou comprar um novo título pela metade do preço. Antes mesmo do lançamento, o jornalista Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa, disse que “aquilo cheirava a um grande golpe e que não tinha uma chance em um milhão de dar certo um empreendimento entre Artur Falk e Roberto Marinho”.
Consoante o Observatório da Imprensa, “prometiam que, além da recompra garantida, os futuros compradores ainda concorreriam a grandes prêmios milionários e parte da arrecadação ainda seria destinada a instituições de caridade. E numa colossal e obscena ‘pirâmide’, infestaram o Brasil inteiro com promessas milagrosas de enriquecimento fácil, sempre tendo à frente a exclusividade da Globo, a insuspeita Xuxa e a benemerência de instituições de caridade. Embalado pelos heróis da Globo e pelos “embaixadores” da Unicef, o país inteiro comprou, muitas e muitas vezes, os bilhetinhos do ‘titio’ Artur Falk, veiculados pela Rede Globo e apresentado pela irrepreensível Xuxa”.80 Entretanto, chegou uma época que a ECT e as lotéricas pararam de resgatar os bilhetes, pois não recebiam os prêmios do Papa-Tudo. O título anunciou que indenizaria os compradores, mas tal ato não ocorreu. Todo o escândalo culminou na prisão de Artur sob a acusação de estelionato. Por outro lado, ninguém da emissora foi responsabilizado.
Compra da TV Paulista
Em 1955, Oswaldo Ortiz Monteiro decidiu vender a TV Paulista, a qual era proprietário, às Organizações Victor Costa, devido às dificuldades enfrentadas pela emissora. 55% do capital da concessão, formada por 15.099 ações, foi entregue ao conglomerado. Victor Costa morreu enquanto aguardava a transferência da TV Paulista para seu nome ser aprovada pelo então Departamento Nacional de Telecomunicações (DENTEL). O filho de Costa ficou no comando, embora as ações de controle ainda ficassem em nome dos ex-acionistas. Nove anos depois, ele vendeu o canal à Roberto Marinho, mesmo sem os documentos de transferência, mas as ações originais de controle continuaram em nome da família Ortiz Monteiro por mais 13 anos. Em 1977, o Dentel aprovou a transferência das ações dos Ortiz Monteiro para Roberto Marinho, com base nos recibos e procurações apresentados pela Globo. Então, a emissora foi transformada em TV Globo São Paulo.
Após a morte de Monteiro, em 1990, sua família começou a investigar uma possível fraude na compra da TV Paulista pela Rede Globo. Uma perícia realizada no ano de 2003 pelo instituto paulista Del Picchia revelou que as assinaturas foram falsificadas e incluíram desde nomes de pessoas falecidas antes da transferência até o uso de máquinas de escrever que ainda não existiam na época do ato. Os advogados da cadeia carioca, por outro lado, apresentaram parecer técnico do perito Antonio Nunes da Silva atestando que os recibos e procurações em poder da família Marinho eram autênticos. Em 2010, foi confirmado pelo Superior Tribunal de Justiça que os documentos eram verdadeiros. Em contrapartida, quatro anos depois, o senador Roberto Requião, do PMDB do Paraná, protocolou no Senado um requerimento ao Ministério das Comunicações com informações sobre os supostos atos administrativos irregulares que aprovaram a transferência da concessão do canal 5 à Marinho.
TV Diário fora das parabólicas

No dia 25 de fevereiro de 2009, a TV Diário, emissora pertencente ao Sistema Verdes Mares, também proprietário da TV Verdes Mares, afiliada da Globo em Fortaleza, deixou de ser transmitida pelo satélite de antenas parabólicas, pela qual alcançava toda a América do Sul e parte do Caribe, e pelas afiliadas que possuía pelo território brasileiro, deixando os telespectadores surpresos. Os que tentaram assistir à programação da Diário pelas afiliadas passaram a acompanhar outras redes a partir daquele dia.86 Consoante informações anteriores e posteriores à saída da rede, a saída da programação da TV Diário do satélite deveu-se a pressões das Organizações Globo ao Sistema Verdes Mares, que era responsável pela TV Verdes Mares, “por conta do excessivo crescimento da audiência da TV Diário em muitos locais do país, inclusive no eixo Rio-São Paulo, o que ameaçava os nichos de mercado da Rede Globo”.

Ao sair do satélite, a emissora passou a restringir sua cobertura apenas ao estado do Ceará, além dos estados vizinhos e algumas cidades do interior do estado de São Paulo pela TV aberta e sistemas de televisão por assinatura, entre elas a Você TV, através da DTHi, a partir de agosto de 2009. Com a saída da Diário do satélite, a Rede União tornou-se a única rede instalada no Ceará exibir satélite em todo o Brasil e todas as Américas (do Sul, Central, Norte e ilhas do Caribe) partes da Europa e África. A Rede Globo respondeu que “a TV Globo, como cabeça da Rede Globo, formada por 121 emissoras, procura harmonizar os sinais de VHF e UHF de forma que estes fiquem circunscritos a seus territórios de cobertura. Desta forma, em busca de uma harmonia entre todos e pelo respeito recíproco aos interesses, a atuação da TV Diário estará restrita a seu território de cobertura, não sendo mais captada em territórios de outras afiliadas. Seu sinal permanecerá no satélite, cobrindo o estado do Ceará, porém, codificado”. A atitude da Globo foi amplamente criticada; moradores da região Nordeste promoveram um boicote ao canal de TV no dia 13 de março de 2009, mas o movimento não repercutiu. Um acontecimento semelhante ocorreu com a Amazon Sat, de propriedade da Rede Amazônica, que entre os anos de 1998 e 2004 podia ser assistida pelas parabólicas, entretanto a partir daí o sinal foi codificado e somente pode ser captado por parabólicas com receptor digital através da aquisição de cartão com o código para decodificação. A partir de 2014, a emissora voltará a ser transmitida nacionalmente, através do satélite SES-6, utilizado pela Oi TV.

Discriminação

No dia 16 de setembro de 2008, o humorístico Casseta & Planeta, Urgente! levou ao ar um quadro chamado Otário Eleitoral Gratuito, onde um dos candidatos, o personagem “Tinoco, o homem toco”, que não tinha braços nem pernas, declarava: “Você me conhece: eu sou o Tinoco, o homem toco. Vote em mim, que eu não vou meter a mão; e se eu roubar não vou conseguir fugir”, de modo a “debochar genericamente dos políticos e dos deficientes físicos”. Tal conteúdo levou o Grupo de Ação pela Cidadania de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais a abrir um processo na Procuradoria Regional dos Diretos dos Cidadãos de São Paulo contra a TV Globo de São Paulo por discriminação às pessoas deficientes.
Troca de nomes
Em 2011, a rede foi processada pelo bartender Igor Pachi, que teve sua imagem confundida com a do BBB Igor Gramani. De acordo com sua advogada, Shirley Klouri, “a Globo, sites do Grupo e o canal Multishow exibiram fotos e vídeos de seu cliente na divulgação do programa e causaram problemas a ele”. O rapaz conseguiu uma liminar pedindo a retratação da cadeia e indenização mínima de 150 salários mínimos.
Edições na Wikipédia
Em 8 de agosto de 2014, uma matéria do portal de O Globo96 afirmou que um dispositivo conectado à internet através da rede sem fio do Palácio do Planalto alterou, em maio de 2013, informações das páginas de Miriam e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia, com o objetivo de difamá-los. As informações inseridas no artigo de Miriam qualificavam suas análises e previsões econômicas como “desastrosas”, além de acusá-la de ter defendido “apaixonadamente” o banqueiro Daniel Dantas quando este foi preso pela Polícia Federal.61 Esta última acusação ocorreu em razão de comentário de Miriam na Rádio CBN onde ela defendia a inocência de Dantas.
O Palácio do Planalto, em nota, explicou que o endereço IP usado na alteração era utilizado tanto pela sua rede interna quanto pela rede sem fio do Palácio. Isso possibilitaria a qualquer visitante do Planalto realizar tal alteração. No entanto, o Planalto identificou o autor das alterações como sendo um servidor da Secretaria de Relações Institucionais e o funcionário foi exonerado.
As Organizações Globo foram criticadas por divulgar alterações das biografias de seus contratados na Wikipédia, ferramenta de caráter colaborativo e aberta à edição de todos e que, segundo seu próprio criador, Jimmy Wales, não deve ser usada como fonte primária de informação.61 Também foram criticadas por só terem noticiado as alterações em plena campanha eleitoral de 2014. O jornalista Miguel do Rosário divulgou que um usuário que navegava através da rede da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo inseriu uma calúnia na biografia do músico Raul Seixas. Ele também relatou que já visitou o Palácio do Planalto e que teve acesso à senha da rede sem fio do gabinete presidencial.

Fonte: Wikipedia

Obs: Para saber mais, clique na palavra Globo abaixo

março 13, 2015 Posted by | televisão | , , , , | 14 Comentários

Dez grandes mistérios da natureza solucionados

Parece que o ser humano nunca poderá resolver todos os mistérios da natureza que sempre nos surpreende. Apesar disso, os cientistas nunca ficam de braços cruzados.

Apresentamos-lhes uma lista elaborada pelo “The Huffington Post”, os dez fenômenos da natureza que deixaram de ser um mistério graças a uma explicação científica.

01 – O mais recente mistério da natureza é sem dúvida os três buracos descobertos na Sibéria no mês passado e que imediatamente gerou muitas especulações, incluindo exploração de petróleo, impacto de meteoritos e, é claro, presença alienígena. Os cientistas descobriram que as crateras são o resultado do aquecimento global, que derreteu a camada de gelo, permafrost, em determinados pontos da península de Yamal.

Buraco Gigante

Buraco Gigante

02 – O eclipse do Sol sempre foi um fenômeno rodeado de mistério desde a antiguidade. Assim, os Mayas utilizavam para controlar a sociedade. Hoje este evento já tem explicação científica bem precisa. De acordo com os astrônomos o efeito ótico se deve ao fato de, em uma fase específica, a Lua ocultar o Sol, da perspectiva da Terra, naturalmente. Apesar disso, algumas pessoas ainda acreditam que este dia está carregado de uma energia especial que ajuda em vários aspectos da vida como, por exemplo, a saúde ou o sucesso de uma dieta.

Eclipse

Eclipse

03 – Outro fenômeno que durante muito tempo deixou as pessoas inquietas, principalmente os amantes dos OVNIS, são os gigantescos buracos azuis. Os geólogos descobriram que são covas submarinas quase circulares que se formaram durante as eras glaciais, quando o nível do mar estava de 100 a 150 metros mais baixo, e agora tem este contraste de cores da água devido a diferença da profundidade. Mesmo com a explicação científica, as especulações sobre a origem destes círculos marinhos continuam na rede.

Círculos Azuis

Círculos Azuis

04 – Cada ano milhões mariposas percorrem mais de 3.000
quilômetros, entre o leste dos Estados Unidos e o México, para fugir do Frio. Os cientistas continuam investigando seu complexo sistema de navegação, que pode competir com o sistema das aves. O que já se sabe é que estes incríveis insetos utilizam suas antenas como fotosensores para guiar-se pelo caminho.

Mariposas Viajantes

Mariposas Viajantes

05 – Outros objetos misteriosos e também de forma perfeitamente circular são os círculos de vegetação submarina no oceano encontrados graças ao Google Maps, em maio deste ano, perto da ilha croata de Dugi Otok. Apesar da explicação exata do fenômeno ainda não ter sido encontrada, os cientistas já afirmam que são resultados de atividade humana.

Circulos submarinos

Circulos submarinos

06 – O fenômeno dos pilares de luz sempre foi associado a algo divino. Entretanto, este efeito ótico, que pode ser contemplado durante os dias mais frios do ano nas regiões onde a temperatura baixa é comum, deve-se ao reflexo da luz pelos cristais de gelo ao amanhecer e ao entardecer.

Reflexo do Gelo

Reflexo do Gelo

07 – As pedras do vale da morte, Califórnia, Estados Unidos, que se movem sozinhas durante um século, foi um quebra-cabeça para os cientistas e curiosos – Seria o vento, magnetismo, alienígenas? – No ano passado o pesquisador da NASA, Ralph Lorenz, descobriu que as rochas se movem devido a pequenos pedaços de gelo formadas debaixo delas pela água do rocío, possibilitando o seu movimento pelo vento.

Vale da Morte

Vale da Morte

08 – Mais círculos misteriosos que tiram o sono dos aficcionados pelos enigmas da natureza. Desta vez vem da Grã-Bretanha, onde são gerados vários sinais misteriosos nos campos de cultivo de toda a Inglaterra. O mistério dos círculos britânicos já deu muito o que falar na mídia do país até a última década do século passado, quando algumas pessoas foram descobertas e confessaram que era brincadeira.

Brincadeira Perigosa

Brincadeira Perigosa

09 – A origem dos goeglifos do deserto de Nazca, Perú, visto do ar era algo totalmente incompreensivel. Os arqueólogos do século passado afirmaram que se trata de um conjunto ritual da cultura antiga do Nazca, criado para atrair a chuva, necessária para essa região pouco fértil. Apesar do fenômeno já não ser uma novidade hoje em dia, o deserto não deixa de nos prover de signos enigmáticos de civilizações antigas. Em agosto deste ano, por exemplo, ventanias e tormentas de areia revelaram novas figuras, entre elas, uma serpente de 60 metros.

Mistério Antigo

Mistério Antigo

10 – Os relâmpagos, tão comuns, são considerados um fenômeno simples da natureza, além disso, os cientistas há séculos descobriram que se trata de uma descarga elétrica causada pelas difenças de polaridade nas nuvens. Apesar disso, os pesquisadores do século XXI descobriram que estes raios elétricos estão vinculados com os ventos solares que carregam partículas elétricas.

Relampagos

Relampagos

Fonte: RT-TV

Mistérios científicos sem solução

Mistérios do Universo

O obscuro universo do átomo

Ciência cega

Cientista querem provar o multiverso

Ciência social insensível

agosto 17, 2014 Posted by | Ciências | , , , , , , , | 2 Comentários

Cinema 2.014 – Exodus Gods and Kings

Exodus

Exodus: Gods and Kings – Exodus: Deuses e Reis é um filme épico bíblico dirigido por Ridley Scott e escrito por Bill Collage, Adam Cooper e Steven Zaillian. O filme é estrelado por Christian Bale, Joel Edgerton, Aaron Paul, Ben Kingsley e Sigourney Weaver. É uma interpretação do êxodo dos israelitas no Egito, liderados por Moisés e relacionado ao livro Êxodo do Antigo Testamento.

Christian Bale como Moisés

Joel Edgerton como Rhamses

Aaron Paul como Josué

John Turturro como Seti

Ben Kingsley como Nun

Sigourney Weaver como Tuya

Produção:

Em 15 de março de 2013, a Deadline.com informou que Ridley Scott queria Christian Bale para estrelar o filme. Em agosto, ele confirmou o papel para ser o próprio Moisés. No mesmo dia, Joel Edgerton também se juntou ao elenco para interpretar Rhamses, antagonista de Bale, e a produção começaria em setembro. O estúdio anunciou que filmaria na Espanha, nas cidades Almería e Pechina, entre 3000 e 4000 extras, e iria chamar mais 1000-2000 extras em Fuerteventura. Em 27 de agosto, Aaron Paul também se juntou ao elenco para interpretar Josué, Sigourney Weaver, Ben Kingsley e John Turturro ainda estavam em conversações para se juntar ao elenco. Em 27 de março de 2014, o estúdio mudou o título do filme para “Exodus: Deuses e Reis”.

Filmagens:

O filme começou a ser rodado em outubro de 2013, em Almeria, Espanha. Parte do filme foi programado para ser rodado em Pinewood Studios, na Inglaterra. As filmagens haviam começado no dia 22 de outubro, em Almería. Em Fuerteventura, nas Ilhas Canárias, Ridley Scott filmaria a maior parte do filme, em Pájara e Antigua, durante 6 semanas, e mais 3 semanas em Inglaterra ou Almería.

Lançamento:

A 20th Century Fox publicou as primeiras fotos do filme em 30 de dezembro de 2013, anunciando que seria lançado em 12 de dezembro de 2014.

Resumo de êxodo na Bíblia (Wikipedia):

O Livro do Êxodo dá continuidade ao livro de Gênesis, relata como Moisés conduz os israelitas do Egito pelo deserto até o Monte Sinai Bíblico, onde Yahveh se revela e oferece uma aliança: os israelitas devem manter a lei e, em retorno, receberiam a proteção de Yahveh que lhes daria Canaã (a Terra Prometida). Há muitas relatos bem conhecidos no Êxodo, como a passagem pelo Mar Vermelho (possivelmente, Mar dos Juncos), a revelação no Sinai, a entrega das tabuletas da lei, Bezerro de ouro e o aparecimento de maná no deserto.

O Crescimento da população israelita no Egito assusta o novo faraó, que manda matar todos os recém-nascidos. Entretanto, Moisés é colocado no rio e adotado, escapando da morte.

Depois de matar um soldado que espancava um israelita, Moisés é obrigado a fugir para o deserto.

Quando tem o primeiro contado com Javé, Moisés recebe a ordem de procurar o faraó e exigir que liberte seu povo, caso isso não aconteça, o Egito sofrerá as pragas.

A cena clássica em que Moisés enfrenta o mago do faraó é um dos pontos altos da história, digna de reflexão, já que a Bíblia possibilita isso.

Outros pontos importantes da história de Moisés são:

A travessia do Mar Vermelho.

O recebimento da tábua com os Dez Mandamentos.

A chegada à Terra Prometida.

Entretanto, a parte mais polêmica da história, pelo menos na minha opinião, é quando os israelitas são chamados para purificar o seu povo, excluindo os impuros de seu meio. Essa parte da história é usada como pretexto para a violência fundamentalista até os dias de hoje. A única maneira de manter essa violência seria negando as reformas feitas por Jesus Cristo, mas há quem queira trazer o fundamentalismo até o cristianismo também.

Ficha técnica:

Exodus: Gods and Kings

Directed by Ridley Scott

Produced by:

Peter Chernin

Dylan Clark

Ridley Scott

Jenno Topping

Escrito por:

Bill Collage

Adam Cooper

Steven Zaillian

Estrelando:

Christian Bale

Joel Edgerton

Aaron Paul

Cinematography:

Dariusz Wolski

Studio:

Scott Free Productions

Chernin Entertainment

Distributed by:

20th Century Fox

Possível data de estréia:

12 de Dezembro de 2014 (US)

País – EUA e Reino Unido

Língua – inglesa

Fonte: RT-TV

Cinema 2.014

Hunger games

This is where I leave you

If I stay

Green inferno

Dark places

Lets be cops

The giver

O destino de Júpiter

Lucy

Get on up

Blended

Jersey boys

The signal

Transformers – A era da extinção

Million dollar arm

The amazing spider man

Walk of shame

The love punch

Brick mansions

Cinema 2.014 – Noé

Perfect sisters

In the blood

Earth to echo

A long way down

Better living through chemistry

Sabotage

Bad country

Bad Words

Inatividade Paranormal 

Divergente

Invertigo

Endless love

Welcome to Yesterday

After the Dark – Depois do Apocalipse

A arte do roubo

The legend of Hercules

Mindscape – Filmes 2.014

Capitão América – Soldado Invernal

Stallone – Ajuste de contas

Maze runner – Correr ou morrer

Need for speed

Refém da paixão

O sétimo filho

Os mercenários 3

A menina que roubava livros

Map to the Stars

Before I Go to Sleep

Planeta dos macacos 2.014

300 – Rise of an Empire

X-men – Dias de um futuro esquecido

Robocop 2.014

Mad Max 4

Sin City 2 – Dame to Kill For

Avatar 2 – Notícias

Capitão América – Soldado Invernal

Interstellar – Curiosidades do filme

Enemies closer

Pompéia

Vampires Academy – Irmãs de sangue

3 Days to Kill

Nom Stop – Sem escalas

Under the skin

Cinema 2.014 – Oculus

 

junho 9, 2014 Posted by | Cinema | , , , , , , | 14 Comentários

Cinema 2.014 – This is where I leave you

Cinema 2.014

This is Where I Leave You, É Aqui Que Eu Deixo Você, é um filme Americano de comédia de 2.014, dirigido por Shawn Levy. O filme é baseado no livro de mesmo nome de Jonathan Tropper, que também escreveu o roteiro do filme. O filme será lançado dia 12 Setembro, 2014.

Sinopse:

Jason Bateman como Judd Altman, um dos quatro irmãos da família Altman, protagonista do filme. Ele é casado com Jen, que recentemente descobriu que estava traindo ele com o seu chefe.

Tina Fey como Wendy Altman, uma dos quatro irmãos; uma mãe responsável, casada com Barry e tem 2 filhos. Ela é a ex-namorada de seu amigo de infância Horry.

Adam Driver como Phillip Altman, um dos quatro irmãos; o playboy da família que não é nada parecido com o pai. Ele é o caçula da família que se tornou talvez o mais problemático.

Corey Stoll como Paul Altman, um dos quatro irmãos; o irmão que é responsável pelos negócios da família. Ele é casado com Alice.

Connie Britton como Tracy, namorada de Phillip.

Rose Byrne como Penny, amor do colegial de Judd.

Jane Fonda como Hillary Altman, a mãe viúva de Judd, Phillip, Wendy e Paul. Ela escreveu um guia de grande sucesso para criar os filhos.

Kathryn Hahn como Alice Altman, esposa de Paulo. Ela e Paul estão tentando ter um bebê há muito tempo.

Timothy Olyphant como Horry, ex-namorado de Wendy, que ainda mora com a mãe na rua em frente a casa da família Foxman, devido a uma lesão cerebral que sofreu quando ele e Wendy estavam namorando.

Abigail Spencer como Quinn, ex-esposa de Judd, a quem ele pegou dormindo com seu chefe.

Ben Schwartz como “Boner”, o jovem rabino da família, que está determinado a revolucionar, modernizar a longa tradição de sua fé.

Cade Lappin como Cole Altman

Dax Shepard como Wade Boulounger, ex-chefe de Judd que atualmente está dormindo com sua esposa (de Judd). Boulanger é um apresentador de rádio, só se ele era atleta.

Debra Monk como Linda, vizinha da Altman, mãe de Horry, e melhor amiga e confidente de Hillary.

Produção:

É Aqui Que Eu deixo Você começou a fotografia principal em 13 de maio de 2013 em Nova York.

Recepção:

Fonte: Entertainment Weekly, PopSugar Entretenimento

Marketing:

Em 15 de maio de 2014, a Entertainment Weekly revelou o elenco do filme. Em 28 de maio de 2014, o primeiro trailer foi lançado.

This Is Where I Leave You

Directed by Shawn Levy

Produced by:

Jeff Levine

Paula Weinstein

Written by: Jonathan Tropper

Based on This Is Where I Leave You

De Jonathan Tropper

Starring:

Jason Bateman

Connie Britton

Rose Byrne

Adam Driver

Tina Fey

Jane Fonda

Debra Monk

Kathryn Hahn

Timothy Olyphant

Dax Shepard

Abigail Spencer

Corey Stoll

Music by Michael Giacchino

Cinematography Terry Stacey

Editing by Dean Zimmerman

Studio:

Spring Creek Productions 21 Laps

Distributed by Warner Bros

Data de lançamento

September 12, 2014

Tempo de duração – 103 minutes

País – United States

Língua – English

Fonte: Wikipedia

Sinopse do livro:

A morte do pai de Judd Foxman marca a primeira vez que a família Foxman inteira-incluindo a mãe de Judd, irmãos e irmã estão juntos depois de anos. Ausente: a esposa de Judd, Jen, cujo caso de quatorze meses com locutor de rádio e chefe de Judd, recentemente se tornou dolorosamente público.

Simultaneamente ao luto pela morte de seu pai e o fim de seu casamento, Judd se junta ao resto dos Foxmans. Como eles relutam em submeter-se a pedido de seu patriarca antes de morrer: passar os sete dias após o funeral juntos, na mesma casa, como uma família.

Durante a semana rapidamente a situação fica fora de controle, rancores antigos ressurgem, segredos são revelados, e as paixões antigas são despertadas. Para Judd, é uma tentativa de uma semana para dar sentido a bagunça que sua vida virou enquanto tenta em vão não ser envolvido nos conflitos de sua louca família. Tudo o que já seria difícil, antes da bomba revelada por Jen justamente no dia em que o pai de Judd morreu: Ela está grávida.

Aqui é Onde eu Deixo Você é o trabalho mais completo de Jonathan Tropper até Agora, um romance violentamente engraçado sobre o amor, o casamento, o divórcio, a família e os laços que une tudo isso, quer gostemos ou não.

Fonte: Wikipedia

Fonte da sinopse: Bookbrowse

Reações:

The New York Times

“… novela inteligentemente cômica… embora o diálogo do Sr. Tropper seja rápido e superficial, seu livro também é envolvente… ainda assim, o ponto forte deste autor são as piadas, mais irreverente, melhor. E ele dá um certo fascínio sarcástico às observações de Judd.

The Washington Post – Carolyn See

Este é um belo romance sobre os homens – a sua luxúria, raiva e doçura. Leia-o – ou dê como um presente – da próxima vez que passar as temidas férias em família.

Entertainment Weekly

A saga da família magnificamente engraçada… em que a escrita de Tropper pode ser o presente mais delicado deste romance transbordante de humor, peço de todo o meu coração: Leia e chore de tanto rir.

Publishers Weekly

Tropper atinge um excelente equilíbrio entre a história da família e sua precipitação atual, provando sua capacidade de criar personagens comoventemente humanos e deliciosa de ler.

Kirkus Reviews

Tropper… preencheu este território homem-criança, mas poucos podem rivalizar com suas descrições comoventes de homens confusos, feridos, em relação às mulheres que amam.

Library Journal

Altamente recomendado para os fãs de Tropper, que se alegrarão com a oportunidade de ler; outros vão querer saber onde ele esteve durante toda a vida.

USA Today

Prazeiroso ler alguma coisa sob o ponto de vista masculino. . . Tropper entende os homens. É a versão mais sincera, perspicaz de Nick Hornby, outro mestre da psique masculina.

Cinema 2.014:

If I Stay

Green inferno

Dark places

Lets be cops

The giver

O destino de Júpiter

Lucy

Get on up

Blended

Jersey boys

The signal

Transformers – A era da extinção

Million dollar arm

The amazing spider man

Walk of shame

The love punch

Brick mansions

Cinema 2.014 – Noé

Perfect sisters

In the blood

Earth to echo

A long way down

Better living through chemistry

Sabotage

Bad country

Bad Words

Inatividade Paranormal 

Divergente

Invertigo

Endless love

Welcome to Yesterday

After the Dark – Depois do Apocalipse

A arte do roubo

The legend of Hercules

Mindscape – Filmes 2.014

Capitão América – Soldado Invernal

Stallone – Ajuste de contas

Maze runner – Correr ou morrer

Need for speed

Refém da paixão

O sétimo filho

Os mercenários 3

A menina que roubava livros

Map to the Stars

Before I Go to Sleep

Planeta dos macacos 2.014

300 – Rise of an Empire

X-men – Dias de um futuro esquecido

Robocop 2.014

Mad Max 4

Sin City 2 – Dame to Kill For

Avatar 2 – Notícias

Capitão América – Soldado Invernal

Interstellar – Curiosidades do filme

Enemies closer

Pompéia

Vampires Academy – Irmãs de sangue

3 Days to Kill

Nom Stop – Sem escalas

Under the skin

Cinema 2.014 – Oculus

 

junho 2, 2014 Posted by | Cinema | , , , , , | 15 Comentários

Influências do destino manifesto

império americano

Influências Imperialistas

O historiador William E. Weeks observou que três temas-chave foram frequentemente abordados pelos defensores do destino manifesto:

a) a virtude do povo americano e as suas instituições;

b) a missão de difundir essas instituições e assim refazer o mundo à imagem dos Estados Unidos;

c) o destino em Deus para fazer este trabalho.

A origem do primeiro tema, mais tarde conhecido como excepcionalismo americano, foi muitas vezes atribuída a herança cultural da América puritana, particularmente no famoso John Winthrop de “Cidade sobre o Monte”, sermão de 1630, em que ele faz um chamado para o estabelecimento de uma comunidade virtuosa que seria um brilhante exemplo para o Velho Mundo. Em seu influente panfleto de 1.776, “Senso Comum”, Thomas Paine cita esse conceito, argumentando que a Revolução Americana foi uma oportunidade para criar uma nova sociedade, melhor:

Temos em nosso poder a chance de começar o mundo novamente. A situação, semelhante ao presente, não ocorre desde os dias de Noé. O nascimento de um novo mundo está na mão…

Muitos norte-americanos concordaram com Paine, e chegaram a acreditar que a virtude dos Estados Unidos fora o resultado de sua experiência excepcional na liberdade e na democracia. Thomas Jefferson, em uma carta a James Monroe, escreveu que “é impossível não olhar para a frente a tempos distantes quando a nossa multiplicação rápida expandiria-se para além desses limites, e cobriria todo o norte, se não até o sul do continente”. Para os americanos nas décadas que se seguiram, a sua proclamação de liberdade para a humanidade, consubstanciado na Declaração de Independência, só poderia ser descrito como a inauguração de “uma nova escala de tempo”, porque o mundo iria olhar para trás e definir a história de acordo com os eventos que ocorreram antes e depois da Declaração de Independência. Então os americanos deviam ao mundo a obrigação de expandir e preservar essas crenças.

A origem do segundo tema é menos precisa. A expressão popular da missão dos Estados Unidos foi elaborada pelo presidente Abraham Lincoln em sua mensagem ao Congresso, 01 de dezembro de 1862. Ele descreveu os Estados Unidos como “a última e melhor esperança da Terra. “A “missão” dos Estados Unidos foi mais elaborada durante o discurso de Lincoln em Gettysburg, no qual ele interpretou a Guerra Civil Como uma luta para determinar se qualquer nação com ideais democráticos poderia sobreviver, o que tem sido chamado pelo historiador Robert Johannsen de “a indicação mais duradoura da América sobre o Destino Manifesto e sua missão”.

O terceiro tema pode ser visto como uma conseqüência natural da crença de que Deus tinha uma influência direta na fundação e outras ações dos Estados Unidos. Clinton Rossiter, um estudioso, descreveu esta visualização como prova de “que Deus, na hora certa, preparava o caminho da história, convocando certas almas resistentes das antigas nações, cheias de privilégios… e que concederia sua graça. Ele também concederia uma responsabilidade peculiar”.

Os americanos imaginaram que eles eram não só eleitos por Deus para manter o continente norte-americano, mas também para “espalhar os princípios fundamentais enunciados na Declaração de Direitos”. Em muitos casos, isso significava colonizar os vizinhos participantes e os países eram vistos como obstáculos ao invés do destino que Deus havia fornecido aos Estados Unidos.

A análise de Faragher da polarização política entre o Partido Democrata e o Partido Whig é que:

“A maioria dos democratas eram partidários sinceros da expansão, ao passo que os whigs (especialmente no norte) se opuseram. Os Whigs acolheram a maior parte das mudanças provocadas pela industrialização, mas defenderam fortes políticas governamentais que orientariam o crescimento e desenvolvimento dentro dos limites existentes no país; Temiam (corretamente) que a expansão levantasse uma questão controversa a respeito da escravidão nos territórios americanos. Por outro lado, muitos democratas temiam a industrialização defendida pelos Whigs…

Para muitos democratas, a resposta para os males sociais do país era continuar a seguir a visão de Thomas Jefferson de estabelecer a agricultura nos novos territórios, a fim de contrabalançar a industrialização”.

Outra possível influência era a possível predominância racial, ou seja, a ideia de que a raça anglo-saxã americana era “separada, naturalmente superior” e “destinada a trazer um bom governo, a prosperidade comercial e o cristianismo para o continente americano e ao mundo. “Este ponto de vista também considerou que “raças inferiores estavam condenadas a condição subordinada ou extinção”. Isto foi usado para justificar “a escravização dos negros e da expulsão e possível extermínio dos índios”

Fonte: RT

A origem do imperialismo

Carta da independência dos EUA

Destino Manifesto – o início

março 5, 2014 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

Destino manifesto – o início

imperialismo e expansionismo

Destino Manifesto

No século 19, Manifest Destiny era a crença amplamente difundida nos Estados Unidos, pela qual os colonos norte-americanos estariam destinados a se expandir por todo o continente. Historiadores, em sua maior parte, concordam que há basicamente três características para o Manifest Destiny:

a) As virtudes especiais do povo americano e as suas instituições;

b) A missão da América de resgatar e refazer o oeste à imagem da América agrária;

c) Um desejo irresistível de realizar essa tarefa essencial.

O historiador Frederick Merk diz que este conceito nasceu de “um senso de responsabilidade em resgatar o Velho Mundo pelo bom exemplo, gerado pelas potencialidades de uma nova terra para a criação de um novo paraíso”.

Os historiadores têm enfatizado que “Destino Manifesto” era um conceito muito contestado pelos americanos proeminentes (como Abraham Lincoln, Ulysses S. Grant, e a maioria dos Whigs) que o rejeitaram. O Historiador Daniel Walker Howe escreveu, “American imperialism did not represent an American consensus; it provoked bitter dissent within the national polity….[Whigs] saw America’s moral mission as one of democratic example rather than one of conquest.” Nationwide, probably most Democrats supported Manifest Destiny and most Whigs strongly opposed it. O historiador Daniel Walker Howe escreve: “O imperialismo americano não representam um consenso americano; ao invés disso provoca uma amarga dissidência dentro da política nacional…. Whigs viu uma necessidade moral dos Estados Unidos como um dos exemplos democráticos, em vez de um exemplo de conquista”, provavelmente a maioria dos democratas tenham apoiado o Manifest Destiny e a maioria dos Whigs foram fortemente contra.

O Manifest Destiny, veio do tom retórico até a maior aquisição de território dos EUA. Foi usado pelos democratas na década de 1840 para justificar a guerra com o México e também foi usado para dividir metade do Oregon contra a Grã-Bretanha. Mas o Manifest Destiny sempre foi criticado por causa de suas limitações internas e a questão da escravidão, diz Merk. Isso nunca chegou a ser uma prioridade nacional. Em 1843 John Quincy Adams, originalmente um dos principais defensores, havia mudado de idéia e passou a repudiar o Manifest Destiny porque significava a expansão da escravidão no Texas.

Merk conclui:

Desde o início o Manifest Destiny revelava-se como um grande projeto, em seu sentido de se expandir pelo continente, mas com pouco apoio. Faltou consenso nacional, ou quantidade de pessoas proporcional a sua magnitude. A razão era que ele não refletia o espírito nacional. A tese de que ele encarna o nacionalismo, encontrada em grande parte da literatura histórica, é apoiado por poucas evidências concretas.

Fonte: Wikipedia

Gestado – Choque de raças

Os 25 pontos chaves do racismo

Suástica – o símbolo obscuro do nazismo

Eugenia – Da genética ao nazismo

fevereiro 24, 2014 Posted by | Política | , , , , , , , , | 1 Comentário

A trágica história de Joaquim

Menino Diabético

Vítima Social

A nova novela policial é a triste história de Joaquim Ponte Marques, menino de apenas 3 anos que é a nova vítima de nossa sociedade cruel. Mais uma vez eu tenho que repetir a mesma ladainha: Joaquim só morreu como um anjo porque lhe negaram a chance de crescer, mas que educação ele poderia ter desses pais, caso não tivesse morrido?

Quem irá contar a história para os descendentes será o seu irmão, que talvez tenha mais sorte, agora que os pais estão presos.

Os cronistas se lembraram de Isabela Nardoni, outro escândalo que já demonstrava a decadência da família brasileira pela mídia. Desta vez houve mais participação de celebridades, apesar do caso ter se resolvido mais rapidamente.

A história da tragédia: A psicóloga Natália Mingoni Ponte, 29 anos, conheceu o técnico em informática, Guilherme Raymo Longo, 28 anos, numa clínica de recuperação em Ipuã. Depois de algum tempo, a psicóloga se juntou com o paciente, técnico em informática.

Ela já começou demonstrando falta de ética, uma psicóloga não pode se relacionar com um paciente – qualquer semelhança com aquele filme de Ian Mckellen, Asyllum, como um médico de um hospital para doentes mentais, não é mera coincidência.

Além disso, o laudo do paciente mostra que ela é uma péssima psicóloga. Sua possível responsabilidade e participação no crime, compromete ainda mais sua péssima carreira de psicóloga. A educação no Brasil realmente deixa muito a desejar, tanto a educação familiar, quanto a universitária.

Segundo a psicóloga, ela queria se separar do antigo paciente, quando soube que ele voltara a consumir drogas. Guilherme tornara-se violento, ameaçando agredir o próprio bebê do casal.

Quando Joaquim, irmão de Vitor Hugo, desapareceu, houve uma preocupação muito grande, já que o menino era diabético e necessitava de cuidados especiais. A história mobilizou anônimos e famosos, até que a polícia encontrasse o corpo em um rio.

Agora a história se repete: Descobrir o assassino, se é que foi um assassinato, já que a polícia descobriu através de exames que o menino já estava morto quando foi jogado no rio.

O escândalo começou quando o pai verdadeiro de Joaquim denunciou o desaparecimento e o comportamento violento do padrasto.

O que se sabe até agora, é que todos são culpados, inclusive a própria sociedade que os condena.

O mal exemplo da justiça política, deixando a ideia de que ninguém vai preso no país, combinado com a falta de investimentos em cadeias e penitenciárias, sem vagas para os criminosos que aumentam a cada dia, pioram a situação.

O pior de tudo é imaginar democraticamente esses malditos políticos nos representam e que eles são o nosso reflexo.

Resta-nos saber se nosso grito será ouvido e, mesmo que não seja, nós cometemos um erro e está na hora de corrigir esse erro.

By Jânio

Caso Isabela Nardoni dirtorce a realidade

Família de PMs é assassinada

Menino atira na professora e se mata

A morte da princesa

Decadência da família brasileira

Solução para os problemas sociais

novembro 19, 2013 Posted by | Policia | , , , , | 2 Comentários

Maria Quitéria

Mulheres na História

Mulher Guerreira

Maria Quitéria de Jesus (Feira de Santana, 27 de julho de 1792 — Salvador, 21 de agosto de 1853) foi uma militar brasileira, heroína da Guerra da Independência. Chamada de “Joana d’Arc brasileira”, é a patronesse do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro.

Maria Quitéria nasceu no sítio do Licurizeiro (Syagrus coronata), uma pequena propriedade no Arraial de São José das Itapororocas, na comarca de Nossa Senhora do Rosário do Porto de Cachoeira, atual município de Feira de Santana no estado da Bahia. A data mais aceita pelos pesquisadores para o seu nascimento é a de 1792. Foi a filha primogênita dos portugueses nascidos na colónia do Brasil Gonçalo Alves de Almeida e Quitéria Maria de Jesus.

Maria Quitéria encontrava-se noiva quando, entre 1821 e 1822, iniciaram-se na Província da Bahia as agitações contra o domínio de Portugal. Em Janeiro de 1822 transferiram-se para Salvador as tropas portuguesas, sob o comando do Governador das Armas Inácio Luís Madeira de Melo, registrando-se em fevereiro o martírio de Soror Joana Angélica, no Convento da Lapa, naquela Capital.

Em 25 de junho, a Câmara Municipal da vila de Cachoeira aclamou o príncipe-regente D. Pedro como “Regente Perpétuo” do Brasil. Por essa razão, em julho, uma canhoneira portuguesa, fundeada na barra do rio Paraguaçu, alvejou Cachoeira, reduto dos independistas baianos. A 6 de setembro, instalou-se na vila o Conselho Interino do Governo da Província, que defendia o movimento pró-independência da Bahia ativamente, enviando emissários a toda a Província em busca de adesões, recursos e voluntários para formação de um “Exército Libertador”.

Tendo o velho Gonçalo, viúvo, sem filho varão, se escusado a colaborar, para a sua surpresa, a filha Maria Quitéria, pediu-lhe autorização para se alistar. Tendo o pedido negado pelo pai, fugiu, dirigindo-se a casa de sua meia-irmã, Teresa Maria, casada com José Cordeiro de Medeiros e, com o auxílio de ambos, cortou os cabelos. Vestindo-se como um homem, dirigiu-se à vila de Cachoeira, onde se alistou sob o nome de Medeiros, no Regimento de Artilharia, onde permaneceu até ser descoberta pelo pai, duas semanas mais tarde.

Defendida pelo Major José Antônio da Silva Castro (avô do poeta Castro Alves), comandante do Batalhão dos Voluntários do Príncipe (popularmente apelidado de “Batalhão dos Periquitos”, devido aos punhos e gola de cor verde de seu uniforme), foi incorporada a esta tropa, em virtude de sua facilidade no manejo das armas e de sua reconhecida disciplina militar. Aqui, ao seu uniforme, foi acrescentado um saiote à escocesa.

A 29 de outubro seguiu com o seu Batalhão para participar da defesa da ilha de Maré e, logo depois, para Conceição, Pituba e Itapoã, integrando a Primeira Divisão de Direita. Em fevereiro de 1823, participou com bravura do combate da Pituba, quando atacou uma trincheira inimiga, onde fez vários prisioneiros portugueses (dois, segundo alguns autores), escoltando-os, sozinha, ao acampamento.

Em 31 de março, no posto de Cadete, recebeu, por ordem do Conselho Interino da Província, uma espada e seus acessórios.

Finalmente, a 2 de julho de 1823, quando o “Exército Libertador” entrou em triunfo na cidade do Salvador, Maria Quitéria foi saudada e homenageada pela população em festa. O governo da Província dera-lhe o direito de portar espada. Na condição de Cadete, envergava uniforme de cor azul, com saiote por ela elaborado, além de capacete com penacho.

Por seus atos de bravura em combate, o General Pedro Labatut, enviado por D. Pedro para o comando geral da resistência, conferiu-lhe as honras de 1º Cadete.

No dia 20 de agosto foi recebida no Rio de Janeiro pelo Imperador em pessoa, que a condecorou com a Imperial Ordem do Cruzeiro, no grau de Cavaleiro, com seguinte pronunciamento:

“Querendo conceder a D. Maria Quitéria de Jesus o distintivo que assinala os Serviços Militares que com denodo raro, entre as mais do seu sexo, prestara à Causa da Independência deste Império, na porfiosa restauração da Capital da Bahia, hei de permitir-lhe o uso da insígnia de Cavaleiro da Ordem Imperial do Cruzeiro”.

Além da comenda, foi promovida a Alferes de Linha, posto em que se reformou, tendo aproveitado a ocasião para pedir ao Imperador uma carta solicitando ao pai que a perdoasse por sua desobediência.

Perdoada pelo pai, Maria Quitéria casou-se com o lavrador Gabriel Pereira de Brito, o antigo namorado, com quem teve uma filha, Luísa Maria da Conceição.

Viúva, mudou-se para Feira de Santana em 1835, onde tentou receber a parte que lhe cabia na herança pelo falecimento do pai no ano anterior. Desistindo do inventário, devido à morosidade da Justiça, mudou-se com a filha para Salvador, nas imediações de onde veio a falecer aos 61 anos de idade, quase cega, no anonimato.

Os seus restos mortais estão sepultados na Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento e Sant’Ana, no bairro de Nazaré em Salvador.

Fonte: Wikipedia

Presidentes do Brasil

A mulher que desafiou o império romano

julho 23, 2013 Posted by | Política | , , , , | 1 Comentário

Boudicca – A mulher que desafiou o império romano

Rainha Guerreira

Inimigos do Império

Boudicca, também conhecida como Boadicea, 60 d.c., foi a rainha da tribo britânica de Iceni, uma tribo que liderou uma revolta contra as forças de ocupação do Império romano.

Prasutagus, marido de Boudicca, havia governado a tribo de Iceni (atual Norfolk) como aliados voluntários do império romano. Entretanto, quando ele morreu, sua vontade foi ignorada e o reino foi anexado e suas filhas foram violentadas.

Entretanto, em 60 ou 61 d.c, enquanto o governador romano Caio Suetônio Paulíneo liderava uma campanha na ilha de Anglesey, ao longo da costa noroeste de Gales, Boudicca liderou Iceni, assim como os Trinovantes e outros em uma revolta contra o império. Destruiram Camulodunum, moderna Colchester. Camulodunum era a capital de Trinovantes, mas havia se tornado uma colônia, em acordo com o imperador Claudius.

Os veteranos romanos que tinham maltratado os moradores, tornaram a cidade um foco de ressentimento. Os habitantes romanos buscaram reforços através do procurador Catus Decianus, mas ele mandou apenas duzentas tropas auxiliares. O exército de Boudica caiu sobre a cidade mal defendida e destruiu, sitiando os últimos defensores do templo por dois dias antes de cair. Arqueólogos têm mostrado que a cidade foi metodicamente demolida. O futuro governador Quintus Petillius Cerialis, então comandando da Legio IX Hispana, tentou aliviar a cidade, mas sofreu uma derrota esmagadora. Sua infantaria foi exterminada – apenas o comandante e alguns de sua cavalaria escaparam. A localização da destruição da Legio IX é agora reivindicada por alguns como a aldeia de Grande Wratting, em Suffolk, que fica no Vale do Stour no Icknield Way West de Colchester, e por uma aldeia, em Essex. Após esta derrota, Catus Decianus fugiu para a Gália.

Nos três assentamentos destruídos, entre setenta e oitenta mil pessoas dizem ter sido mortos. Tácito diz que os britânicos não tinham interesse em tomar ou vender prisioneiros, somente no abate por forca, fogo, ou cruz. O relato de Dio dá mais detalhes, para que as mulheres mais nobres foram empaladas em estacas e tiveram os seios cortados e costurados à boca”, com o acompanhamento de sacrifícios, banquetes, e comportamento lascivo” em lugares sagrados, em particular os bosques de Andraste.

Ao ouvir a notícia da revolta, Suetônio correu para Londinium (Londres moderna).

No entanto, a falta de capacidade de manobra das forças britânicas, combinado com a falta de táticas de campo aberto para comandar esses números, deixou-os em desvantagem para os romanos, que eram hábeis em combate aberto devido ao seu equipamento superior e disciplina. Além disso, a estreiteza do campo fez com que Boudica pudesse colocar diante de si apenas tropas que os romanos poderiam enfrentar em um determinado momento.

Em primeiro lugar, os romanos mantiveram-se firmes e usando saraivadas de pila (dardos pesados) para matar milhares de cidadãos britânicos que estavam correndo em direção às linhas romanas. Os soldados romanos, que agora tinham usado a sua pila, foram capazes de se engajar na segunda onda de Boudica em campo aberto. Como os romanos avançaram em uma formação em cunha, os britânicos tentaram fugir, mas foram impedidos pela presença de suas próprias famílias, que haviam estacionado em um anel de vagões na borda do campo de batalha, e foram abatidos. Este não é o primeiro exemplo dessa tática – as mulheres da Cimbri, na Batalha de Vercellae contra Gaius Marius, estavam estacionados em uma linha de vagões e agiram como uma última linha de defesa. Ariovistus do Suebi é citado por ter feito a mesma coisa em sua batalha contra Júlio César. Tácito relata que “de acordo com um relatório, quase oitenta mil britânicos caíram”, em comparação com apenas quatrocentos romanos.

Concluindo que eles não tinham soldados suficientes para defender o assentamento, fugiram. Boudicca levou cem mil soldados Iceni, Trinovantes e outros, para lutar contra a Legio IX Hispana e queimaram e destruiram Londinium, Verulamium (atual St. Albans). Estima-se que entre 70 mil e 80 mil romanos e britânicos foram mortos nas três cidades, pelos guerreiros liderados por Bouducca. Suetônio, entretanto, reagrupou suas forças na região de West Midlands, e apesar de ser em menor número, conseguiu vencer os britânicos na batalha de Watling Street.

A crise fez com que o imperador Nero considerasse a retirada de todas as forças romanas da Grã-Bretanha. Depois de derrotada, não se sabe de Boudicca se matou, ou se ficou doente e morreu. As fontes de Tácito e Cassius Dio são diferentes.

A ausência de literatura britânica nativa durante a primeira parte do primeiro milênio, fez com que a Grã-Bretanha tomasse conhecimento dessa parte da história através dos escritos dos romanos.

Fonte: Wikipedia

Jùlio César e o império romano

Na época de Gengis Khan

julho 20, 2013 Posted by | curiosidades | , , , | 1 Comentário

Protestos no Rio superam dia histórico

número de manifestantes

Protestos no Brasil

A televisão quase estragou a festa, mas os brasileiros conseguiram se superar, não só em quantidade, quanto em qualidade. Era inevitável que houvessem confrontos mas, felizmente, não era a população quem corria perigo, era a PPP.

Assim como na Bíblia Judas traiu Jesus Cristo, tentando usá-lo para fazer o povo de Israel se voltar contra o poderoso e cruel Império Romano, alguns manifestantes mais rebeldes perderam o controle, nesse protesto, quebrando tudo o que havia pela frente, um prato cheio para a televisão que está sempre em busca de desgraças.

Ao mostrar os chamados “vândalos”, a televisão se esqueceu dos motivos pelos quais eles estavam revoltados. É muito fácil chamar um grupo de manifestantes revoltados de vândalos, difícil é chamar Renan Calheiros, José Sarney, Sílvio Santos, Roberto Marinho, Antônio Benlinatti, Jaime Lernner, Paulo Maluf, Demóstenes Torres, Ricardo Teixeira e outros, de corruptos e ladrões.

Os manifestantes revoltados procuram por cabeças e para acalmá-los, basta entregar a eles essas cabeças citadas, entre outras, não acho que seja difícil encontrar banqueiros e magnatas que vivem ás custas do governo.

Será que a televisão sabe quantos desses baderneiros perderam irmãos, pais, mães, filhos ou amigos, em portas de hospitais ou com uma tiro de assaltante?

Não, a intensão deles não é só fazer baderna. Se esse fosse o caso, eles sairiam de casa com uma sub-metralhadora, como os bandidos da minha pequena cidade de 35 mil habitantes. Acontece que eles ficam exaltados durante as manifestações, por terem lembranças desagradáveis.

Quando a televisão deixa de mostrar trezentas mil pessoas pacíficas, para mostrar cinquenta ou cem pessoas descontroladas, a televisão está fazendo propaganda política. É por isso que os manifestantes não aceitam a TV por perto, porque eles não mostram a verdade do movimento.

Alguns manifestantes que chegaram com bandeiras de partidos, foram convidados a se retirar, já que a política não era bem-vinda.

O Rio de Janeiro começa a mostrar sua verdadeira beleza, a militância política que esteve por tanto tempo adormecida, e que custou tão caro a sociedade. Se no dia anterior o Rio de Janeiro concentrou quase a metade dos manifestantes das grandes capitais de todo o Brasil, hoje, quinta-feira, 20 de junho de 2.013, a cidade do Rio escreve pela segunda vez consecutiva, o seu nome na verdadeira história do Brasil.

Belém chegou a preocupar, os manifestantes chegaram a encurralar os guardas municipais.

No Rio de Janeiro também houve confronto, mas entre trezentas mil pessoas não dá para evitar isso. Felizmente, tudo foi controlado.

Brasília teve um aumento espetacular desde a última manifestação e, desta vez, foi inevitável um pequeno quebra-quebra.

São Paulo continua além de seu potencial no movimento, mas manteve os números com uma ligeira queda, cinquenta mil pessoas.

Veja alguns números de hoje:

Rio de Janeiro – 300.000 manifestantes

Recife – 50.000

São Paulo – 50.000

Brasília – 30.000

Salvador – 20.000

Porto Alegre – 18.000

Campinas – 15.000

Florianópolis – 15.000

Belo Horizonte – 15.000

Campo Grande – 10.000

Fortaleza – 5.000

Curitiba – 3.500

O movimento está começando a ganhar forças, só precisa atingir as causas dos problemas sociais brasileiros e, a partir daí, começar a discutir os rumos que teremos pela frente.

Protestos no Rio entram para a história

Maiores protestos da história

Vereadores proíbem passageiros em pé.

A crise da PPP

Veneno bipartidário

Congressistas mais caros do mundo

By Jânio

junho 21, 2013 Posted by | Política | , , , , , , | 5 Comentários

Manifestações no Brasil já ultrapassam 200 mil pessoas

manifestações brasileiras

Protestos Históricos

O que parecia ser apenas uma manifestação desorganizada, sem nenhuma chance contra os poderosos, adquiriu importância até chegar a centenas de milhares de pessoas, transformando seus participantes em heróis nacionais, inclusive com história para contar para os filhos e netos.

Enquanto todos torciam para que os protestos ocorressem sem violência, parecia quase impossível que não ocorressem confrontos, afinal, as pessoas estão no limite.

Foi o Rio de Janeiro que registrou a maior concentração de manifestantes até agora, cerca de cem mil. Foi o Rio também que registrou o maior confronto do dia, com policiais atirando para o alto como aviso.

O protesto teve como estopim o aumento das passagens mas os próprios manifestantes reconheceram, através de cartazes, que o motivo não era só esse. Só em São Paulo, foram cerca de sessenta mil pessoas.

Outro dado curioso é que, finalmente, o povo conseguiu se livrar do jogo bipartidário, protestando contra todos os partidos, governo e oposição.

As imagens mais curiosas vieram de Brasília, com o povo invadindo a sede do poder, melhor, sem violência. Apesar das imagens, a adesão dos manifestantes em Brasília não foi tão grande.

Depois do rio, com cem mil manifestantes, e São Paulo, com sessenta mil, Belo Horizonte chamou a atenção com cerca de vinte mil pessoas no protesto. Não há dúvida que o nível de educação foi um fator importante nesses números.

A Rede Globo recebeu um recado, mas foi pouco, já que todas as redes de TVs tem relações obscuras com o poder, principalmente o grupo Sílvio Santos.

A mídia tratou o protesto como um fato ocorrido, quando de fato está apenas começando e tudo vai depender das medidas que os governos tomarem em relação ao que está ocorrendo no país.

A manifestação reclamou de tudo: Saúde, transporte, educação, corrupção, etc.

Eu sempre gosto de ressaltar que para uma manifestação como essa ter início, é muito importante que os objetivos e metas sejam estabelecidos antes. Pessoalmente, eu preferia uma manifestação pela cabeça dos corruptos, apesar de os brasileiros preferirem seus interesses imediatos.

Os interesses pessoais não são o mais importante, justamente pelo fato de serem consequências. O que deve ser atacado são as causas dos problemas, daí a importância de se pedir a cabeça dos oligarcas que trabalham para os banqueiros e magnatas.

Eu devo admitir que já tivemos paciência demais, até ver Renan Calheiros voltando a presidência do Senado, ficamos com os nervos a flor da pele.

Com relação ao problema específico das passagens, eu também já venho comentando isso há muito tempo: estamos brigando pelas migalhas, já que o governo só aumenta os impostos, forçando as empresas de ônibus a subir o preço das passagens.

Se as empresas de ônibus não são totalmente inocentes nessa história, a culpa do governo nem é preciso de provas para comprovar.

By Jânio

Vereadores proíbem passageiros em pé.

A crise da PPP

Veneno bipartidário

junho 18, 2013 Posted by | Política | , , , , | 2 Comentários

Um homem otimista

Homem de Sorte

Homem de Sorte

Jorge era um homem otimista, gostava de namorar, tinha muitas mulheres e pouca responsabilidade. Muita gente o considerava irresponsável, principalmente suas ex-amantes que tinham dificuldade em criar os filhos, se bem que a paternidade também era uma grande dúvida.

Curiosamente, as ex-amantes e filhos sempre conseguiam acertar a vida de alguma forma, enquanto ele continuava sua vidinha dura de sempre.

Ele era galante e sempre estava a procura de uma mulher bonita, atraente e que lhe interessasse, quase sempre conseguia conquistar seu objeto do desejo.

O tempo passou e Jorge envelheceu, mas ninguém notava, já que ele era muito conservado e aparentava ser um irmão de seus filhos. Entretanto, a vida ia se tornando cada vez mais difícil, já não era tão jovem, apesar das aparências.

Com a vida “cada vez mais devagar” e o tempo cada vez mais acelerado, a ideia de que o mundo um dia poderia acabar, passou-lhe pela primeira vez em sua mente. Jorge, que já conseguia controlar os seus ímpetos, encontrou o seu verdadeiro amor e decidiu construir o seu castelo dos sonhos.

Passava o tempo todo trabalhando e parou de beber, fumar e arriscar a sorte, de fato já encontrara a sua sorte, pensava.

Convidado para conhecer uma igreja, pensou que essa seria a hora de demonstrar ao seu amor o quanto era um bom homem. Agora o seu tempo vago era dedicado às leituras frequentes da Bíblia e à sua companheira.

Todas as pessoas admiravam a mudança radical pela qual aquele homem havia passado e não era raro algumas pessoas demonstrarem inveja.

Quando a sua vida já se encaminhava para as primeiras grandes conquistas, um fato inesperado aconteceu. O homem ao qual Jorge tanto confiava e considerava o seu melhor amigo, traiu a sua confiança.

Descobriu da maneira mais difícil que seu amigo havia fugido com sua esposa.

Perdera a esposa, o amigo e todo o tempo que havia dedicado a sua nova vida. De fato, seu castelo desmoronou, quando alguém lhe disse que sua esposa havia fugido com o pastor de sua igreja.

Agora, ele nem procurava um motivo para o que acontecera, afinal, todo o dinheiro que ele vinha economizando para comprar sua própria casa, perdeu a serventia, sua mulher não reclamou nada que fosse dele.

Pediu dispensa do emprego e decidiu mudar para longe dali, para uma cidade grande. Confiante como era, queria esquecer o mais rápido possível de sua infelicidade, felizmente tinha dinheiro para a mudança.

Já estava morando na cidade grande, mas a idade avançada parecia não ajudar muito. Um dia se perdeu em pensamentos e foi atropelado, levou algum tempo para se recuperar, entretanto, um dos muitos filhos que tivera o ajudou.

Não demorou para que tivesse de voltar para casa, onde encontraria o aconchego de um de seus muitos filhos, que via nele um homem bom, bem longe da opinião dos outros que só viam o homem irresponsável.

Algum tempo depois, o homem otimista morreu, sempre acreditando que viveria muito mais e, em nenhum momento, pensou que iria morrer, nem mesmo depois que já estava morto.

Ele se tornou o fantasma mais otimista do cemitério onde morava. Havia conseguido finalmente o seu castelo, pequeno, mas muito confortável – não precisava mais – pensou.

By Jânio

janeiro 18, 2013 Posted by | Cinema | , , , | 3 Comentários

Justiça argumentativa

Justiça Oriental

Durante o período mais conturbado dos últimos anos, Guerra Mundial, as ciências ocultas foram muito fortes, responsáveis inclusive por levar Hitler ao poder. Na Rússia, antes da revolução socialista, Rasputin era o homem que dava as ordens.

Como o governo dos Csares, na Rússia, e o nazismo de Hitler eram sistemas de política elitista, devemos concluir que ciências ocultas nunca foram práticas muito populares. Sociedades secretas, como a maçonaria, demonstram uma hierarquia mais rígida até que a rígida e organizada hierarquia de Gengis Khan.

Mas não era sobre isso que eu gostaria de discursar hoje, gostaria de demonstrar uma tendência notável atualmente, a valorização das ilusões sobre a realidade.

As ciências ocultas podem até parecer ilusões, mas são o lado prático da mágica, essa sim é ilusória.

Atualmente, as aparências tem sido mais importante que a realidade, mas essa tendência já vem de longa data. TV, moda, cinema, riqueza, beleza, tudo é questionável mas muito influente, infelizmente.

Em meio a todas essas formas de manipulação do pensamento contemporâneo, a área que mais afeta a sociedade, influenciada por modismos e desvios de comportamento, é a Justiça.

A Justiça sempre foi muito discutível, evoluiu muito através de estudos, análises, observações, mas o ser humano é muito criativo em seus argumentos e pode se convencer, ou convencer outras pessoas, que o errado está certo.

Entre a justiça dos Bilderbergers, CIA e Wikileaks, até a pena de morte, Texas-EUA, ou o apedrejamento no Irã, a diferença é muito pequena. A China tem a sua forma implacável de justificar os seus atos, enquanto o Brasil finge que não vê o abandono dos hospitais e salários injustos de bombeiros, professores e outros funcionários públicos.

Não é possível globalizar os costumes, cada povo tem uma forma de entender e controlar a sua natureza, buscar as suas respostas e não se deve impor mudanças quanto a isso.

Em cada processo, são chamados os réus, as testemunhas, acusação e a defesa. São apresentadas as provas materiais, relatórios de investigação e tudo passa a ser analisado para que o juiz possa dar a sentença final.

A importância do Juiz é notável em alguns casos, mas sua participação no processo da justiça é limitado. Alguns juízes tem problemas com casos inexplicáveis, sem provas materiais, polêmicas, religião, etc.

Em alguns casos, o réu passa a ser a vítima; crimes comprovados, com provas materiais e investigação, são descartados, enquanto em outros casos, a condenação é baseada única e exclusivamente nos depoimentos das testemunhas, que na realidade são os próprios réus – é como se vários mentirosos tivessem o direito de transformar suas mentiras em realidade.

O crime pode ter vários pontos de vistas diferentes, onde o conservador e fundamentalista tem uma visão oposta ao liberal e revolucionário, e isso não é nada bom pois a justiça está muito além disso.

O pior de tudo é que há argumentos, teses, teorias, suficientes para provar até que o certo está errado, ou vice-versa. Algumas vezes, a resposta está além da compreensão popular, mas há casos que estão muito próximos do pensamento da maioria.

A mitológica opinião pública faz pressão e influência nos resultados dos julgamentos, mas essa opinião pública é criada por mídias de massa, fazendo prevalecer a vontade da elite. O ponto de vista pessoal, até agora só teve força na internet, e isso foi suficiente para uma verdadeira revolução no sistema, chegando a incomodar as elites que ameaçam bloquear esse canal tão importante para a expressão popular.

O argumento elitista é: Quem não sabe escrever, não deve escrever; quem não sabe falar, não deve falar; quem não sabe pensar, não deve pensar; e tudo estaria bem, caso as pessoas concordassem com isso, mas não concordamos.

Durante toda a história, o conhecimento e a informação foi negado a população, em países imperialistas, para que a elite tivesse todo o poder em suas mãos. Essas práticas evoluíram, negativamente falando.

Hoje, essas práticas somam-se a outros maus hábitos, o resultado é uma sociedade decadente, com pessoas cientes de que tudo está errado, mas sem uma resposta para o problema.

A falência das instituições levam as pessoas à marginalidade, criando sociedades alternativas tão organizadas quanto nos sistemas tradicionais, e quando isso ocorre, surgem conflitos de interesses que podem levar às guerras.

Nas guerras, o que vale não é o que é certo ou errado, são os interesses que contam. Quem tiver mais reputação, influência, terá mais chances de vitória.

By Jânio

março 22, 2012 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , | 2 Comentários

O maior prêmio pago do Brasil

história política

Sílvio Santos e Lula

Eu fiquei sabendo que o maior prêmio pago pela caixa foi de R$ 119.142.144,27, o problema é que esqueceram dos 4,5 bilhões de reais que o Sílvio Santos ganhou. Fazendo uma nova pesquisa, descobri que a caixa, assim como outras instituições públicas, estão investindo muito dinheiro fora do país.

Investir fora do país, será bom para eles, já que não será possível controlar ou administrar essas instituições.

A Caixa já tem filiais na Venezuela e Japão, e é tudo ideia do PT.

Quando Chavez e Morales privatizaram a Petrobrás de seus respectivos países, Venezuela e Bolívia, nessa ordem, o presidente Lula deixou bem claro que eles deveriam ter autonomia de seus países, para a ira da burguesia tucana, mesmo assim, continuaram investindo.

Voltando atrás no tempo, os militares investiram pesado em estatais, como forma financiar a infra-estrutura do país, e deu certo em partes. Logo ficou comprovado que essas instituições, administradas por compadres do poder, não estava atingindo seus objetivos, foi aí que começou a privataria tucana.

Quase todas as estatais criadas pelos militares foram vendidas, para que pudessem dar lucros, até então só davam prejuízo. Nenhuma auditoria foi feita e as empresas foram vendidas para quem pagasse mais.

Como poucos bilionários tinham condições de comprar tais estatais, essas empresas acabaram nas mãos de compadres dos políticos e até hoje ninguém sabe onde foi parar o dinheiro dessas compras. Há quem diga que esse dinheiro ia para os especuladores da bolsa.

Eu imagino que, agora, os compadres dos políticos estejam torcendo para o companheiro chavez dar um golpe na Venezuela, assim, eles teriam um lugar para morar o resto de suas vidas, condecorados como heróis, inclusive, depois de toda ajuda que deram ao presidente boliviano. Podem até ajudar a família Castro, através da Venezuela – a Bolívia já foi ajudada, com a estatização da Petrobrás.

É interessante porque eu imaginava esse mesmo caminho para o Battisti, não há a menor dúvida de que os caminhos da esquerda são diferente dos caminhos da direita.

Eu imagino os tempos em que Antônio Carlos Magalhães tinha uma equipe de espiões, ao lado de Arruda, e confiava tanto em sua “divindade” que acabou caindo. Enquanto isso, Jaime Lerner abria as portas para os infernos fiscais, através do Banestado, Banco Del Paraguai e Nova Iorque.

Maluf causava um rombo no Banespa, enquanto PC Farias comprava todos os políticos que o governo precisava. Chico lopes era o consultor do governo que vazava informações para os compadres dos políticos.

Não resta dúvidas que o PT é incompetente para roubar, mas deixar a Polícia Federal trabalhar ajudou a aumentar as reservas. A prisão dos doleiros encareceu a lavagem de dinheiro e surgiram, finalmente, os primeiros bilionários brasileiros, Made in Brasil, sem a ajuda da Suíça, Ilhas de Cayman, ou outros infernos fiscais.

… E o Brasil pagaria o maior prêmio da história…

O Chico da Fossa ganhou mais, mas foi parcelado. Foram vários prêmios, até somar mais de sete bilhões.

By Jânio
A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

dezembro 28, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , | 2 Comentários

As economias que mais cresceram em duzentos anos

melhores economias

Melhores PIBs

Em tempos de crise, muito se especula sobre o futuro da economia mundial. Países imperialistas de economias fechadas ao capital externo e às populações mais carentes, como são os casos dos BRICS por exemplo, desafiam a lógica.

Pelo ponto de vista de brasileiros, estamos mais próximos de um admirável mundo novo que das previsões e especulações de especialistas.

Não se sabe como países errados, como Brasil, China, Índia, Rússia e África do Sul, podem apresentar economias tão fortes, apesar de não terem preocupação nenhuma com princípios básicos, como a justiça, educação, transportes, saúde e todos os setores que completam a infraestrutura básica para o bem estar social.

O que eles não sabem, é que cada um desses países imperialistas tem um ás na manga, por exemplo:

Brasil: É um país auto sustentável, poderia ser a maior potência do mundo, se não houvesse a participação de países como EUA e Inglaterra para complicar nosso desenvolvimento e apoiar governos corruptos. Além disso, temos uma herança de um sistema elitizado de quinhentos anos, o qual desenvolvemos ao máximo, negativamente falando é claro.

China: A China é o país com a maior população do mundo, qualquer ideia sobre como governar um país como esse parece pretensiosa. Para começar, eles teriam que desmembrar esse país gigantesco, mesmo assim, teriam dificuldades para governá-lo, sem a ajuda de uma ditadura.

Os japoneses dizem que a China conseguiu um desenvolvimento tecnológico muito grande, graças a espionagem e roubo de tecnologias.

Índia – Se a China teria pirateado as tecnologias de países mais desenvolvidos, a Índia tem a seu lado a língua inglesa, assim como a África do Sul, mas como explicar tecnologias tão avançadas?

África do Sul – Assim como os outros países da BRICS, a África apresenta muitos problemas sociais, mas tem ao seu lado a comunidade de língua inglesa.

Enquanto os especialistas afirmam que nada dará certo, e que países sem preocupação com o bem estar social não terão chances, os países emergentes insistem em contrariá-los. A economia cresce diabolicamente na mesma proporção que a miséria; o que os países ricos fazem com o resto do mundo, os emergentes imperialistas fazem individualmente, atacando o seu próprio povo.

O pesquisador Dani Rodrik, da Universidade de Harvard, fez uma pesquisa para saber quais países cresceram acima de 4,5%, durante pelo menos trinta anos, de acordo com o PIB. Antes da Grande Guerra Mundial, apenas três casos foram registrados.

01) Austrália (1823-1853)

02) Nova Zelândia (1840-1870)

03) Venezuela (1907-1939) – petróleo

Após a Segunda Guerra Mundial, três grupos merecem a atenção:

01) Japão do pós-guerra – Com a ajuda do plano Marshall

02) Exportadores de petróleo – Década de 70

03) Tigres asiáticos – Hong Kong, Singapura, Coréia do Sul e Taiwan.

A Rússia teve um crescimento de quase dez anos, acima de 4,5%. De 1999 a 2008, acima de 4,7%; em 2.000, a Rússia atingiu o crescimento de 10%.

A Líbia apresentou, no período de 1950 a 1980, uma taxa de crescimento d 7,4%.

De 1949 a 1980, o crescimento na Espanha foi de 4,9%.

A participação dos EUA pode ser notada na maioria desses casos, mas eu não tenho a menor dúvida que os BRICS vão crescer muito e vão (des)equilibrar boa parte da economia mundial.

Eu só espero que não Hajam conspirações e guerras, enquanto isso.

Fonte: RT

Texto: By Jânio

outubro 9, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , | Deixe um comentário

Os maiores protestos da história

top protestos

Melhores Protestos

01 – 1.773 – Boston Tea Party não era exatamente uma festa, o abuso de poder do império britânico chegava ao limite. Como os americanos não tinham sequer representante no parlamento britânico, essa questão do monopólio do chá que vinha da Índia, foi apenas o começo da luta pela independência.

02 – 1.930 – Gandhi/Satyagraha – O monopólio britânico na Índia, levaria a um protesto, provocando a prisão de cerca de 80.000 pessoas, pessoas que desafiaram o império.

03 – 1.963 – Duzentas mil pessoas na luta pelos direitos civis nos EUA, com a participação de Martin Luther King Jr, “I Have a Drean” – Eu tenho um sonho. Não houve violência, mas, algum tempo depois, a família Kennedy não seria a única a chorar seus entes queridos.

04 – 1.969 – StoneWall – No Greenwich Village, a máfia cedeu um lugar para os gays e lésbicas beberem e se divertirem, mas quando a polícia invadiu e fechou o local, houve tumultos e confrontos com a polícia em todo o Greenwich Village.

05 – 1.969 – Guerra do Vietnã – Os americanos cobraram caro pelo envolvimento dos EUA no conflito vietnammita. Foram cerca de 500 mil pessoas no maior protesto da história, e essa foi apenas uma parte da manifestação que se espalharia por todo o mundo.

06 – 1.978 – Irã – A praça Shahyad de Teerã seria o início de uma manifestação iraniana que atingiria 10% de todo o país, foi estimado de 6 a 9 milhões de pessoas. O povo pedia a renúncia de xá Mohammed Reza Pahlavi e a volta de Grand Ayatullah Ruhollah Khomeini. O Irã apresentava a sua “democracia” ao mundo.

07 – 1.986 – Corazon Aquino volta às Filipinas, após a morte de seu marido, iniciando uma luta pela verdadeira democracia nas Filipinas.

08 – 1.989 – Quando um rebelde desarmado ficou a frente de um tanque, o mundo inteiro pôde ver o que de fato acontecia na China. Não se sabe muito, mas o pouco que se sabe chocou o mundo inteiro.

09 – 1.989 – Purple Rain – Milhares de ativistas se mobilizaram pela luta contra o apartheid na África do Sul, dias antes das eleições parlamentares. A idéia da polícia usar água com tinta roxa, contra os manifestantes, ficou conhecida no mundo inteiro, só o efeito foi o contrário.

11 – 2.011 – Egito – Os protestos no Egito dão início a uma revolução político-social no Oriente Médio.

Fontes – TIME

julho 4, 2011 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , | 11 Comentários

Guerras irreais

encarnação do mal

Falsas guerras

As guerras trazem muitas consequências desagradáveis para a vida de uma pessoa, os casos mais divulgados pela mídias nos últimos anos, sem dúvida estão relacionados à Guerra do Vietnã.

O diretor de cinema Oliver Stone foi um voluntário na guerra do vietnã, um jovem idealista que perdeu a inocência numa guerra insana, passando a ser um dos maiores críticos do jogo do poder.

Nem todos tem a sorte de Oliver Stone.

Oliver Stone perdeu a inocência, tornou-se rebelde, mas sobreviveu, mantendo sua sanidade intacta, ou quase.

O maníaco homicida Rambo, vivido por Sylvester Stallone no cinema, é considerado a encarnação de Oliver North, ou vice-versa – coronel do exército americano – um homem de passado obscuro, servindo interesses políticos e comerciais, relacionados a uma indústria bélica diabólica, patrocinadora do imperialismo americano.

Assim como na ficção – Rambo – na realidade, sua encarnação – North – acreditava e era manipulado pelas ideias, pelas propagandas criadas pelo governo americano. Oliver North era uma versão dos terroristas, supostamente “fundamentalistas”, mas que na realidade eram usados por essas ideias, ferramentas de controle mental.

A primeira vítima dessa lavagem cerebral no Brasil, foi o maníaco Wellington Menezes, autor da carnificina do Realengo. Expondo um problema crônico na infraestrutura do país: falta de manicômios, hospícios, hospitais para doentes mentais, ou seja lá como esses locais se chamem.

Era uma vez um jovem idealista milionário que acreditava que poderia mudar o mundo, também poderíamos dizer que era um grande louco que acreditava que poderia mudar os destinos de nações oprimidas, não importa, o fato é que o jovem se aliou ao império mais poderoso da terra – EUA.

Os EUA são muito parecidos com o Império Romano em alguns pontos, mas são bem distintos desses em outros pontos também.

Seu império só faz uso da crueldade fora de seu território, nisso são muito parecidos com os romanos e diferentes dos políticos brasileiros.

O erro americano ocorre quando aplicam a pena de morte aos criminosos de outros países.

Outro tipo de erro o qual podemos observar, é o comércio da indústria bélica e suas estratégias, somadas aos interesses comerciais das grandes potências.

Quando o serviço secreto americano começou a treinar o terrorista Osama Bin Laden, nem imaginava o perigo que ele representaria no futuro.

Talvez o fato dos terroristas/guerrilheiros desenvolverem suas estratégias, organização e atividades em células isoladas, tenha permitido que o jovem milionário árabe envelhecesse.

Próximo a sua morte, ele se encontrava ao lado daqueles que deveriam prendê-lo.

Surgiram os boatos de que os soldados paquistaneses estivessem protegendo-o, ou talvez comprando suas habilidades, conhecimentos e informações, passadas a ele gentilmente pela CIA.

Não se sabe ao certo, de certo é o fato de Bin laden deixar de ser útil aos dois lados. Osama já não era mais útil aos americanos há muito tempo, deixando de ser útil aos paquistaneses também, em seus últimos dias.

Talvez Osama Bin Laden fosse apenas um fantoche, talvez trabalhasse para os próprios americanos, promovendo a venda de armas através das guerras. Nas últimas imagens divulgadas do terrorista, nota-se que ele era um grande vendedor.

Terroristas convivem com o perigo, alguns são mercenários sem nação nem ideologia, cujo interesse é o lucro vindo do caos e da guerra. Nem todos são assim, a maioria são pessoas sem emprego, sem futuro, vivendo em países explorados por superpotências, cujo único objetivo é uma ideologia maluca que usa como pretexto trechos de livros sagrados, mal interpretados naturalmente.

Por causa de Osama Bin Laden – EUA – pelo menos três nações árabes entraram em conflito direto com o Ocidente, além de outras envolvidas indiretamente. A suposta “Guerra Santa” mostrou o outro lado do suposto “fundamentalismo“, versão do fundamentalismo de livre mercado – capilalismo – com o qual esse conflito está diretamente relacionado.

Em meio a tudo isso, o fiel ex-alidado passou a ser o homem mais procurado pelo FBI, uma polícia que deveria ser federal, mas que passou a assumir várias funções da CIA, polícia secreta que trata apenas de assuntos americanos politicamente incorretos.

O poder de Bin Laden já era conhecido pela CIA, mas o mundo só passou a saber disso no dia em que milhares de mortos do World Trade Center escreveram com sangue o princípio: “Quem viver pela espada, pela espada morrerá.”

A reação americana foi imediata, quase ensaiada, e o filho do “homem”, Bush, fez a vontade do pai, invadindo, caçando e matando Saddam Hussein. Você entendeu? – Osama atacou as torres gêmeas, e o ditador Saddam Morreu.

Saddam Hussein foi acusado de produzir armas nucleares, mas isso nunca foi suficiente para unir o bipartidarismo americano, era preciso dizer que Saddam Hussein estava protegendo Bin Laden.

Com a morte de Saddam Hussein, foi criado um novo inimigo, Paquistão, curiosamente, nunca houve uma guerra do Paquistão, houve uma guerra do Afeganistão.

No Afeganistão, país dividido, controlado pelos talibãs, seria o esconderijo perfeito para Osama Bin Laden, afinal, foi ali que ele começou sua história, trabalhando para os americanos contra a União Soviética.

Vencida a Guerra do Afeganistão, guerrilheiros do Talibã teriam fugido para o Paquistão, com eles Osama Bin Laden, o top criminoso do FBI. Acontece que o Paquistão não gosta muito de invasores – ou será que gosta?

O Governo do Paquistão prendeu muitos guerrilheiros do Talibã, mas Osama estava ali, junto de um quartel do exército.

No fundo, os árabes estavam gostando de ver a decadência do império americano.

Em países subdesenvolvidos, as confusas histórias desses países se confundem com as histórias de homens como Osama Bin Laden. São histórias difíceis de contar e de entender, regiões onde tradições, religiões, ditaduras, impérios e interesses econômicos se misturam.

só uma coisa não muda: “Quem viver pela espada, pela espada morrerá”.

O Assassinato de Osama Bin Laden foi um crime perfeito, com o corpo atirado ao mar, apesar de muita gente duvidar de sua morte.

É natural essa dúvida, afinal, criaram um mito, um super-homem que nunca morre, capaz de decidir o destino de países inteiros.

Somando as guerras e a crise mundial, podemos dizer que o assassinato de Osama Bin Laden é o assassinato mais caro da história, mas um conceito fundamentalista nunca morre: “Quem vive pela espada, pela espada morrerá”.

Portanto: “Não matarás!”

Textos relacionados:

Osama é morto pelos americanos

Imagens chocantes de 11 de setembro

Repercussão da morte de Osama Bin Laden

By Jânio

maio 12, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , | 5 Comentários

O lado obscuro do jornalismo

jornalismo obscuro

Propaganda Nazista

Muita gente pode pensar que eu tenho sido muito cruel com a imprensa brasileira, principalmente a mídia de massa, quando o assunto é falar a verdade, denunciar. Eu não vou fazer a “mea culpa”, mas temos que reconhecer que quando o patrocinador é um grande capitalista, há uma cartilha a ser seguida, não é mesmo?

Muitas vezes é o próprio Governo quem patrocina – Não tem as mensagens positivas do Twitter, que valem cerca de quinhentas “pratas”? – Então. Quanto você acha que vale uma “notícia” positiva na tv?

Eu também não sei, o que eu sei é que quanto menor a audiência das grandes redes de tvs, mais ricas elas ficam.

Poderíamos até dizer que as igrejas estão bancando tudo, o problema é que as igrejas sempre estiveram presentes na tv, apesar de ser uma participação menor. Recentemente, por exemplo, vimos um pastor chorando, dizendo que iriam tirar o seu horário.

O Brasil passa por um processo de mudanças, se antes o que interessava aos políticos era o dinheiro, agora o poder tem sido mais importante que o dinheiro.

No Brasil há uma inversão de fatores, em relação aos capitalistas do primeiro mundo. Enquanto lá o dinheiro vem em primeiro plano, por proporcionar o poder, aqui, o poder vem primeiro, por proporcionar muito dinheiro.

Eu li, por exemplo, que a maior rede de tv do Brasil, passou a ser a terceira maior do mundo, justamente quando passa pela sua maior crise. A concorrência não fica muito atrás não, apesar da pouca audiência, há dinheiro jorrando para todos os lados.

Está certo que não há mais lugar seguro para se investir fora do país, portanto, pedir falência, concordata, anda meio fora de moda. Até a lavagem de dinheiro já é um péssimo negócio, com a Polícia Federal prendendo doleiros.

Ainda há ONGs internacionais, e alguns investidores malucos, mas a maioria não anda muito motivada não. E depois, os mafiosos já não são tão mal vistos assim, vários protagonistas de escândalos recentes, andam rindo à toa.

Então vamos voltar ao tempo de Napoleão:

Depois de sua grande derrota, Napoleão foi banido. A parcialidade da imprensa ficou escancarada em manchetes do jornal parisiense “Le Moniteur” em 1.815.

O problema é que antes de sua despedida desse mundo, um homem como Napoleão haveria de dar seu último suspiro, para a surpresa do “Le Moniteur”.

Veja as manchetes de 1.815:

09/03/1815 – O monstro fugiu do local do exílio.

10/03 – O Ogro desembarcou em Cabo Juan.

11/03 – O tigre apareceu em Gap. As tropas estão chegando de todos os lados para deter-lhe a fuga.

12/03 – É verdade que o monstro adiantou-se até Grenoble.

13/03 – O tirano agora está em Lyon. O terror apoderou-se de todos os que o viram chegar.

13/03 – O usurpador arriscou-se chegar a umas 60 horas da capital.

19/03 – Bonaparte adiantou-se em marchas forçadas, mas é impossível que alcance Paris.

20/03 – Napoleão chegará amanhã aos muros de Paris.

21/03 – O Imperador Napoleão está em Fontainebleau.

22/03 – Ontem à tarde, sua majestade o imperador entrou solenemente em Paris e chegou ao palácio. Nada pôde superar a alegria universal.

Esses fatos me fazem lembrar Júlio Cesar, seus soldados eram tão leais a ele que jamais lutariam contra seu General.

Júlio César foi apunhalado pela aristocracia, mas ninguém sobreviveu para usurpar-lhe o trono.

Durante as próximas gerações, o nome de César iria sustentar o império, mesmo depois de séculos de sua vida.

Eu sempre digo que quase todas as instituições sociais são burguesas, portanto não são confiáveis. Quando eu estiver errado, então teremos um Governo Perfeito e representativo.

Fonte das manchetes: Marlene & Silva

By Jânio

abril 9, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , | 9 Comentários

José Alencar e Elizabeth Taylor – Semelhanças e Diferenças

Homem Forte

Governo Brasileiro

José não era de Alencar, era o próprio Alencar.

Um político que também não era santo, pois sabia que não há santos na política.

Era um homem maduro, enérgico como um empresário experiente, mas sem perder a voz macia de um líder político.

Durante sua campanha, o PT já havia planejado tudo, só faltava encontrar um vice para o Lula.

José Alencar era o candidato a vice perfeito, acrescentava o que o PT não tinha.

Foi um homem rico e pobre, empresário e político.

Era o oposto de Lula, não tinha nada de inocente, ingênuo, inexperiente ou idealista. Formava com lula, uma chapa perfeita, dando ao partido a credibilidade que faltava, diante do empresariado brasileiro.

Depois da eleição, vencida por Lula, iniciava-se a caça às bruxas. Radicais contrários ao Governo, começaram a ser expulsos.

Essa atitude do partido, transformou José Dirceu em inimigo número um dos aliados do Governo.

Com coragem, José Alencar foi firme em suas críticas à política econômica. Sempre contrário às altas taxas de juros, apesar de não especificar diretamente os principais fatores envolvidos ao universo da política de juros altos.

Pausa: Há duas formas de combater a inflação: A maneira certa e a forma errada. A maneira errada é justamente aumentar os juros, impostos, inibindo o livre mercado, aumentando a corrupção, financiamentos obscuros, calotes aos bancos, atuação de laranjas, etc.

A maneira correta de combate a inflação é a oposta: Baixando os impostos, as taxas de juros, propiciando um aumento considerável na concorrência, ao mesmo tempo em que a corrupção deixa de ser útil estrategicamente ao mercado.

Continuando: Depois de insistir em duras críticas ao Governo, Alencar foi indicado para o Ministério da Defesa, e ele não foi o único a passar por esse castigo.

O Ministério da Defesa é o único ministério onde não se pode falar nada, nesse ministério, a República Federativa Militar do Brasil reina em sua forma mais “pura”.

Depois de passar por tamanha responsabilidade, Alencar tornou-se mais moderado quanto às suas críticas. Ficando mais experiente, foi mais útil ao Governo.

A sua doença veio mostrar a hora de diminuir o trabalho, as responsabilidades, pensar mais em si mesmo.

Apesar da doença, Alencar nunca parou. Continuou o tratamento, mas não abdicou do cargo de Vice-Presidente.

Logo após o fim do mandato de Lula, exatamente três meses depois do final, José Alencar chegou ao fim de sua estrada. O conselheiro, amigo, ex-vice-presidente e leal companheiro do ex-presidente, disse adeus a família, aos amigos, partidos e ao povo brasileiro.

O Brasil perde um líder político que ousou criticar o poder, um poder ao qual ele próprio fazia parte, aos 79 anos.

Certamente ele partiu na hora certa, como ele mesmo dizia: “Deus não precisa de câncer para me levar, quando chegar a minha hora, ele me levará”.

Ele terminou os mandatos, todos os dois.

Alencar morreu com a mesma idade de Elizabeth Taylor, atriz falecida há alguns dias atrás. Eles não eram iguais, mas tinham várias coisas em comum.

Ambos eram fortes;

Começaram a trabalhar na infância, o que lhes trouxe muita maturidade e responsabilidade social;

Apoiaram pessoas expostas à opinião pública, em seus momentos mais difíceis: Michael Jackson e Lula;

Enfrentaram suas doenças e resistiram até o fim, com bom humor, ironia e sem perder a dignidade;

Ambos eram muito ricos;

Taylor enfrentou a maldição da viúva negra, Alencar enfrentou a maldição dos vices.

Encerraram sua jornada, ambos aos 79 anos;

Apesar de tanta semelhança, também Haviam diferenças:

Elizabeth Taylor não nasceu pobre como Alencar;

Enquanto Elizabeth Taylor iniciava sua carreira no auge, José Alencar trabalhava para viver:

Elizabeth Taylor esteve, com sua família, dividida entre os EUA e a Grâ-Bretanha;

Alencar nunca deixou dúvidas de que era mineiro, da terra das contradições políticas;

Elizabeth Taylor sempre esteve sob as luzes dos holofotes, da fama; Alencar manteve-se discreto.

Elizabeth Taylor e José Alencar: Diferenças e semelhanças de duas pessoas que nasceram fortes…e viveram.

By Jânio.

março 30, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , | 9 Comentários

Terremoto no Japão causa danos e provoca milhares de vítimas fatais

novas tragédias

Terremotos no Japão

O maior terremoto da história do Japão deixou o país em estado de calamidade, o país que já vinha enfrentando dificuldades econômicas (o país está entre os mais endividados do mundo) terá muita dificuldade para enfrentar mais esse problema.

O governo japonês se endividou, injetando dinheiro na economia do país, essa liquidez fez com que o país retomasse o crescimento. Como consequência, o Japão era um dos países mais endividados do mundo.

Apesar desse ter sido um dos piores desastres da história do Japão, não foi o mais grave, pelo menos em relação às vítimas. Em 1.923, em Tokyo, um terremoto de 7,9 graus na escala richter, causou a morte de cerca de 140.000 pessoas.

Com uma infra-estrutura precária, o Japão, em 1.923, lembrou muito o terremoto no Haiti, onde a quantidade de vítimas fatais também foi muito grande, considerando-se sua intensidade.

Ao longo dos anos, o Japão tem sofrido muito com desastres provocados pelos terremotos, por isso desenvolveu também uma das melhores tecnologias anti-tremores do mundo, tecnologia que não foi suficiente para proteger as usinas atômicas.

Depois de ser o primeiro país a sofrer as dores de uma tragédia atômica, o país se viu obrigado a se valer da energia nuclear, para obter a energia suficiente ao seu desenvolvimento, e mais uma vez o país se viu diante do perigo.

Até agora, o terremoto mais caro da história do Japão, havia sido o de Kobe, 1.995, onde o governo gastou cerca de 100 bilhões de dólares para cobrir os danos causados.

As fábricas de automóveis já suspenderam sua produção, entre elas Sony, Toyota e Nissan, assim como outras indústrias, toda comunicação da região foi afetada. São milhares de vítimas fatais, milhares de desaparecidos e centenas de milhares de desabrigados.

Esse já é o maior desastre desde a segunda guerra mundial, no Japão, pelo menos quatro milhões de pessoas estão sem energia elétrica.

Os internautas brasileiros que vivem naquele país, alguns naquela região, estão incomunicáveis, pelo menos os que eu conheço. Quando eles puderem acessar a internet, poderemos ter mais notícias desses brasileiros.

As imagens através do Youtube, chegam a impressionar, são carros, ônibus, barcos, sendo arrastados pelo tsunami, explosões e incêndios.

Depois do atentado de 11 de setembro, mais uma vez cenas de filmes de ficção são vistas em nossa realidade, mais uma vez o Japão sente as dores de uma tragédia, tão constante em sua história.

Vídeo das imagens do terremoto no Japão

Fonte: RT – TV

Textos relacionados:

Comunicado às famílias de brasileiros no Japão

Mancha escura cobre o Japão

Texto: By Jânio

março 15, 2011 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , , , , , , | 14 Comentários

A teoria do poder

poder do povo

Minorias Organizadas

Durante a nossa longa historia, a humanidade passou por várias fases importantes, quando o assunto é conhecimento.

Não dá para analisar qualquer tema que seja, sem retornar a dezenas, centenas, milhares de anos atrás. Encontrar a origem de tudo, também é impossível, aliás, é impossível encontrar a origem de quase tudo.

A história escrita mostra apenas uma parte dos acontecimentos, nem sempre a arqueologia, antropologia e história se encaixam.

O império romano tem muita culpa nisso tudo, quando, com suas conquistas selvagens, tentava impor o seu padrão de sociedade.

Isso deveria servir de alerta para as sociedades modernas, afinal, a globalização de culturas implica em uma perda maior do que os seus benefícios.

Um dos maiores problemas sociais de nossa civilização, é encontrar um sistema ideal de sociedade, uma forma de controlar o poder, sem desagradar as pessoas.

O poder era visto, na antiguidade, como algo individual, algo que só o líder de uma tribo deveria possuir. Com o tempo essa mentalidade foi sendo modificada, ao mesmo tempo em que os reinos se expandiam.

De certa forma, hoje, alguns países são tão extensos que fica difícil encontrar um sistema ideal de governo.

Em grandes regiões metropolitanas, como São Paulo, Nova York ou Barcelona, apenas para citar alguns exemplos, nenhuma delas é capital de seu país, mas a sua importância é maior que a própria capital, daí os conflitos e idéias separatistas.

Parece difícil entender como cidades que não detém o poder, adquirem tamanho desenvolvimento. A resposta pode estar nas novas distribuições de poderes, em vários níveis, como municipal, estadual e federal.

Em todos os níveis de poderes, há responsabilidades, ou, pelo menos, deveria haver.

Não dá para culpar sempre só o governo federal. Apesar de as leis possuírem em uma hierarquia, a isonomia desses poderes permite que cada autoridade tenha sua parte no poder, nos tributos e na administração de parte da nação.

Durante a evolução da teoria dos poderes, os filosofos, sociólogos e vários outros pensadores, fizeram a sua contribuição para o desenvolvimento de nosso sistema.

Uma das conclusões a que se chegou, é que a expansão territorial, aumento de poder, deveria ser distribuído e redistribuído. Com o passar dos anos, depois de muitas tentativas fracassadas, descobriu-se o que já se sabia na Grécia antiga, o poder deveria representar o povo.

Hoje, os países com mais ONGs, com maior representatividade popular, tendem a crescer mais. Nessa representação, estão descartadas a religião ou formas de representação que possibilitem a manipulação de corações e mentes.

Quanto maior for a manipulação do povo, pior serão as consequências. Os movimentos populares na África e Oriente Médio, devem ser estudados de perto, não por interessados em se manter no poder, mas pelas pessoas que querem evitar que isso aconteça.

Essa semana, eu vi um sociólogo/historiador que eu considerava com muito respeito, debochar da internet: “A internet não derrubou nenhuma ditadura, ela só tem ajudado a Google a ganhar dinheiro, e a dar lucro para as telefônicas.” Não me perguntem o seu nome porque eu não sei, agora, nem quero mais saber.

A Google é um belo exemplo de distribuição de poder, do poder da palavra. Foi uma das primeira organização da internet, ao lado do Linux, a reconhecer a necessidade de compartilhamento de informações e produto, de maneira gratuíta. A Google provou que isso pode dar certo.

Inteligentemente, a Google deu poder aos blogs => blogueiros => povo, com isso cresceu muito, a ponto de impor algumas regras. Surgiram depois da Google, outros organizações muito populares, como a Facebook, Wikipedia, Twitter e o próprio Wikileaks, todas com grande capacidade de informar e influenciar.

Se a internet não tivesse nada a ver com a queda de ditadores, não teria sido desligada. De qual outra maneira seria possível organizar, planejar um movimento, de maneira tão perfeita.

O sociólogo/historiador citou a greve geral, como uma das formas mais tradicionais de movimento, em contradição com a internet. O problema aqui, meu caríssimo pensador, é que a democracia, também, é uma das formas mais tradicionais de sistemas sociais.

No caso da internet, meu nobre colega, ela é apenas o meio de comunicação mais importante, além de ser um tipo de comunicação bilateral, conceito que Vossa Senhoria nunca irá entender profundamente.

By Jânio

março 7, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Egito dá um belo exemplo de democracia

data histórica

Vitória dos Egípcios

O Egito mostra para o mundo um grande exemplo de democracia, mas eu já vi esse filme antes, a diferença poderá estar no final que o povo egípcio dará a esse filme da vida real.

O povo egípcio arriscou a vida, durante dezoito dias esteve nessa guerra pela democracia. Sua vontade prevaleceu, o movimento foi um sucesso.

Como dissemos ontem, a inteligência dos EUA foi pega de surpresa, quando autoridades egípcias desligaram a internet e as redes, via celulares, já era tarde.

O governo egípcio entra num período de transição, através dos militares. Essa história é bem conhecida dos brasileiros, só esperamos que os egípcios não esperem cinquenta anos, para darem o próximo passo.

Durante cinquenta anos o povo brasileiro esteve acomodado, nesse tempo, a constituição foi adaptada de acordo com os interesses de cada governo.

Não adianta só mudar o governo, se o povo não continuar participando. A verdadeira lei não é aquela que está na constituição, a verdadeira lei está nas faixas de protestos e reivindicações das pessoas.

Tanto o governo brasileiro, quanto o governo americano, estiveram fazendo “simpatias” para que tudo acabasse bem. Essa foi a declaração do governo, dizendo que via com simpatia o movimento do povo egípcio.

Durante trinta anos, nenhum governo fez nada. O povo egípcio esteve sozinho, e foi assim que o povo promoveu mudanças.

Pelo que eu pude entender, os EUA “doavam” mais de um bilhão de dólares ao ano, em recursos militares, para o governo egípcio, em troca de seu apoio no Oriente Médio, felizmente, esses recursos não foram utilizados contra o povo.

Depois da queda do governo egípcio, todas as contas do ditador foram bloqueadas na Suíça, cinquenta bilhões de dólares – Isso me fez lembrar do Paulo Maluf e da filha do Sarney.

A filha de Sarney poderia ter tido sua candidatura impugnada pelo Ficha Limpa, mas isso se houvesse justiça naquele estado. Depois de eleita democraticamente, não havia como tirá-la de lá.

Não poder tirá-la de lá, apenas em teoria, afinal de contas, em Roraima parece que o STF está agindo. Parece que o STF está avalizando a confederação brasileira à risca, vendo pela ótica do poder, é claro, afinal de contas, em Roraima entra o governo do PT.

É bom deixar bem claro que eu não estou criticando a ação da justiça, critico, sim, a falta dela.

Quando o poder político é mais forte que a justiça, é sinal de ditadura, e a ditadura só vai acabar no Egito, quando o povo eleger o próximo governante.

É bom que o povo egípcio fique atento dessa vez, não é o apoio do governo americano que conta, mas a opinião do mundo inteiro.

Essa globalização da democracia, que teve início quando um homem colocou fogo no próprio corpo, em sinal de protesto contra a corrupção de um fiscal, na Tunísia, vem se espalhando pelo norte da África. Evidentemente que essas informações do mundo vieram pela internet, mas a velocidade em que o movimento foi organizado, isso espantou todo o mundo.

Essa velocidade de organização do movimento egípcio não lembra o Brasil, aqui, tudo é muito devagar, ninguém está muito disposto a arriscar a vida, ou botar fogo no próprio corpo.

No Brasil, eu me espanto é com a velocidade dos políticos, a maneira como eles organizam desvios de dinheiro, financiamentos fraudulentos, e ainda conquistam o apoio da aristocracia.

Definitivamente, o Egito não deve seguir os caminhos do Brasil, talvez deva dar o exemplo para nós, continuar a luta.

Aqui vale a minha velha teoria: “A democracia não emana diretamente do povo, a democracia emana do poder das minorias organizadas e legitimamente constituídas.”

Quanto mais Orgs, ONGs, maior a organização, menor a corrupção. O governo não tem nenhum interesse nisso.

…e tenho dito.

By Jânio

fevereiro 12, 2011 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , , | 14 Comentários

Voto errado pode ser pior que voto em branco

hora de votar

Voto Consciente

Vamos começar o post de hoje, dizendo que a ausência de textos políticos, deve-se exclusivamente às eleições.

Depois de ver qual é o perfil das pessoas que acessam a internet, e qual o perfil das pessoas que formam (manipulam) a opinião pública, foi quase irresistível postar um texto com a minha opinião. Eu disse quase, mas eu pensei comigo: “O voto é secreto, não é?”

Postar a minha opinião, seria revelar o meu voto. Se o voto secreto é uma forma inteligente do processo eleitoral, eu não seria inteligente, revelando o meu.

Logo após as eleições, voltaremos a esse tema que é tão fácil de discutir, e realizador também.

No próximo domingo, teremos a maior eleição da história, isso só acontece de quatro em quatro anos. Na outra eleição, para Prefeito e Vereadores, não há tantas opções como essa.

Apesar de só se falar em eleição para Presidente, como é típico de mídia que quer manipular corações e mentes, serão seis opções.

Como disse um amigo meu: “Para Senador é pior, além de a gente ter de escolher dois, eles ficam dois mandatos “aprontando”, ou seja, esses senadores ficam oito anos no poder, podendo escolher entre tentar uma eleição para Governador ou ficar mais quatro anos como Senador.

Como isso é possível? – Para explicar isso, é preciso saber onde está a maior parte dos corruptos, a porcentagem de infratores da política.

No Universo político, os corruptos são organizados pelos “coronéis da política”, políticos que estão há muito tempo no poder, pessoas que trabalham para empreiteiras, empresários e para os próprios políticos.

Os “coronéis” da política são encarregados de organizar todo o jogo de interesses, transformando negociatas em negociação de cargos em distribuição de cargos; nepotismo em cargos de confiança.

Para ser um bom “coronel” da política, é preciso muita dedicação à política, são décadas e décadas, conhecendo o arquivo sujo do poder, decidindo quem estará de mãos amarradas, pronto para agir em benefício do sistema sujo.

Em nosso sistema bipartidário, há duas forças, o bem e o mal, mas na realidade nem se sabe ao certo quem é quem. O que se sabe, é que qualquer um dos dois lados que vencer, pouca coisa mudará.

Os dois lados tem muito mais em comum do que parece, ambos tem oito anos de atos controversos, polêmicos, criminosos.

Quer saber o nome dos “coronéis”? – Há muitos coronéis, para saber quem são, primeiro é preciso buscar no Google quem são: “Os políticos que tiveram problemas com a justiça.”

Calma, eles não estão nessa lista, mas  chegamos muito perto, eles trabalham para os “coronéis”. Depois precisamos descobrir: “A Relação de todos os Presidentes do Brasil”.

Nessa lista, notaremos como eram organizados os golpes de Estado e quem os apoiava, também notaremos que alguns Presidentes, ex-Presidentes, e candidatos a Presidentes, morriam de forma muito misteriosa, antes, durante, ou depois da eleição. Notaremos que há mortes de Jornalistas, artistas, e estudantes militantes da resistência à isso tudo.

Todas essas pessoas  morreram, ou eram consideradas subversivas, ou terroristas, ou inimigas do Estado. Durante todo esse período, é possível notar claramente que haviam alguns políticos que sobreviveram politicamente até os dias de hoje, sempre atuando do lado certo do lado errado da política brasileira, noventa e nove por cento não estão atuando na política, a maioria nem é viva.

É preciso conhecer “A história dos partidos políticos” e seus jogos de interesses, para saber quem está até hoje no poder. Um político corrupto que tenha sobrevivido ao governo militar, não tem medo de mais nada.

Se algum político rezar, lembre-se do que disse Jesus: “à César o que é de César, à Deus o que é de Deus”. Pesquisando a história de “Maquiavel – O criador da política moderna”, verificamos que esse só veio relembrar o que já havia sido dito há mais de mil  anos atrás, ao afirmar que o Estado não deve se misturar à Igreja.

O Estado bipartidário é a cara da sociedade romana, não há lugar para minorias: Indigentes, gays e lésbicas, ateus, pensadores, enfermos, deficientes, comunistas, e até socialistas ficam disfarçados para não serem perseguidos. Todos estarão abandonados a própria sorte.

Não meu amigo, eu não direi o nome dos “coronéis”, esse é um dever de cada eleitor identificar. Só identificando os velhos “coronéis”, você poderá decidir em quem não deve votar.

Está pensado em votar em branco? – Eu também. Estou me lembrando de um menino de dez anos que acreditava que só havia um bandido no mundo, por isso lutava incessantemente contra esse criminoso cruel.

Hoje, eu não sou mais um menino, também sei que não há apenas um bandido no mundo.

Votar em branco seria como voltar aos dez anos, acreditando que só há um bandido no mundo. Seria como voltar a bela e doce inocência de criança – Não seja tão pretencioso.

Não são apenas duas alternativas, são vários candidatos, apesar de não sabermos nada sobre os outros. Deveremos escolher apenas um, com excessão dos candidatos para Senador, estes possuem duas alternativas.

01 – O primeiro número será para Deputado Estadual.

02 – Em seguida, deveremos digitar os números do candidato a Deputado Federal.

03 – Depois do Deputado Federal, haverá a alternativa do primeiro candidato ao Senado.

04 – Nova alternativa para Senador, o segundo candidato ao Senado, igual ao Império Romano.

05 – Aqui poderemos ceder o direito de terra ao Senador do império, ou seja, um Senador poderá passar a ser o Governador.

06 – Finalmente, estaremos preparados para eleger o grande César, Caesar, Csar ou kaiser. Traduzindo: Presidente da República Federativa “Militar” do Brasil.

Muitas pessoas deverão levar uma “cola”, já que são muitos os números, mas não tire essa cola do bolso exceto quando estiver frente à urna. A discriminação pode levá-lo a prisão, por propaganda eleitoral.

Caso alguém ofereça algum “santinho”, coloque-o imediatamente no bolso que não será usado, para não ter problemas com a justiça.

Caso algum policial o veja com um “santinho” na mão, poderá acusá-lo de fazer propaganda. Não converse com ninguém, vá direto para casa, tudo o que fizer no dia da eleição, poderá e será usado contra você no tribunal.

…e não se esqueçam de levar o titulo de eleitor e a carteira de identidade, na hora de votar.

By Jânio

setembro 30, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , , , , , | 6 Comentários

Como surgiu o blog

conhecimento e pensamento

Futuro da Informação

Tecnicamente, o blog, contração do termo Web Log, que por sua vez significa diário virtual, é uma evolução dos antigos diários. Em países da Europa, os diários ainda são muito comuns, como na França, onde há muitos “Semanários”.

Na prática, eu vejo muito mais que isso. Vejo toda os sistemas de internet evoluindo constantemente, rumo à “Xanadu”, de Ted Nelson, o grande inspirador da internet.

Essa evolução de todos os sistemas numa só direção, não era exatamente o desejo dos Web Masters, mas é um processo irreversível. Qualquer pessoa pode criar um blog automaticamente, ter seu espaço com direitos autorais, mas seguindo as leis que regem outros meios de comunicação.

Além dos diários virtuais, haviam também os sites prontos, onde a pessoa montava seu site a seu gosto, exatamente como os blogs. Na minha modesta opinião, esse foi o principal motivo da profissionalização dos blogs.

Assim como os blogs, esses sites “pré-montados”, tipo “geocities”, permitiam a criação, usando principalmente o html. Para quem não conhecia o html, havia a possibilidade da utilização de templates prontas, montando automaticamente o site a partir de uma plataforma.

Outro elemento que eu destaco, seria os antigos fóruns, os blogs são muito utilizados com a função dos fóruns, para que se possa discutir temas institucionais.

O sistema de comentários, criado pelos hackers (favor não confundir com crackers, nem lammers) foi um dos grandes motivos do crescimento do uso de blogs, até jornalistas renomados, escritores, analistas e críticos especializados, aderiram a essa ferramenta. Houve um novo passo, via Web 2.0, que pode até indicar novos rumos para o blog, o chamado microblog, mas, ao que tudo indica, o microblog deverá ser mais uma, entre várias ferramentas que interagem com os blogs.

O que me leva a acreditar que o blog veio para ficar, é o fato de estarem ligados a noventa por cento de toda a internet, via web 2.0, além disso, o processo de permalinks, ou urls permanentes, o que transforma cada post em uma página exclusiva, possibilitando o acesso a conteúdos antigos de um blog, apontam para um investimento de conteúdos a longo prazo.

Facilidades de edição e profissionais dispostos a criar inúmeras ferramentas interativas, criando uma verdadeira revolução em termos de comunicação, são outro indicador de que a blogosfera deverá ter vida longa.

O blog, a meu ver, foi a primeira ferramenta para “amadores” em programação a atrair os “profissionais” da área, obrigados a aderir a essa ferramenta devido a facilidades de interação com outros grandes sites.

Em grandes plataformas para blogs, pode-se incluir textos, imagens, vídeos ou músicas, esse conteúdo será de propriedade do autor do blog, mas poderá ser organizado, indexado, agregado e/ou lincado por terceiros, otimizando ainda mais a internet.

WIKIPEDIA: “O termo “weblog” foi criado por Jorn Barger em 17 de Dezembro de 1997. A abreviação “blog”, por sua vez, foi criada por Peter Merholz, que, de brincadeira, desmembrou a palavra weblog para formar a frase we blog (“nós blogamos”) na barra lateral de seu blog Peterme.com, em abril ou maio de 1999. Pouco depois, Evan Williams do Pyra Labs usou “blog” tanto como substantivo quanto verbo (“to blog” ou “blogar”, significando “editar ou postar em um weblog”), aplicando a palavra “blogger” em conjunção com o serviço Blogger, da Pyra Labs, o que levou à popularização dos termos.

No dia 31 de agosto, comemora-se o Dia do Blog (devido a semelhança da data 31.08 com a palavra blog, onde 3 seria um B, o 1 seria um éle, zero seria um o e o oito seria um g), que se propõe a promover a descoberta de novos blogues e de novos blogueiros.

A blogosfera, termo que representa o mundo dos blogs, ou os blogs como uma comunidade ou rede social, cresceu em ritmo espantoso. Em 1999 o número de blogs era estimado em menos de 50; no final de 2000, a estimativa era de poucos milhares. Menos de três anos depois, os números saltaram para algo em torno de 2,5 a 4 milhões. Atualmente existem cerca de 112 milhões de blogs e cerca de 120 mil são criados diariamente, de acordo com o estudo State of Blogosphere.”

Os blogs são, ao lado dos miniblogs e dos sites de compartilhamentos, as maiores fontes de conteúdo da internet.

Como surgiu a internet

Quando surgiu a Google

Como surgiu a twitter

A história da Wikileaks

By Jânio

setembro 25, 2010 Posted by | blogosfera | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 23 Comentários

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Marca Livro

A arte de criar histórias em prosa ou verso

bastet - protetora dos gatos

todos os animais merecem o céu e os gatos principalmente

Blog CIN 5018

Informatização de Unidades de Informação

The Promise Carrier

Ebrael's official website in English.

detudosobretudoblog

Este site vai aborda todos os temas voltado para as mulheres

Letícia Giacometti Ribeiro

O diário de uma estudante de Jornalismo

Caminho Alternativo

Geopolítica, atualidades e opinião

Escrita em Foto

Colunas, textos, fotografias; a vida de alguém que busca mais do que apenas viver.

%d blogueiros gostam disto: