Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Acionistas faturam 80 bilhões sem pagar imposto no Brasil

Anúncios

maio 12, 2018 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Desigualdade de renda no Brasil

maio 8, 2018 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Brasil tem uma lei para rico e outra para pobre

janeiro 28, 2018 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Un tribunal de Brasil decide si Lula deberá cumplir la condena de 9 años y medio por corrupción

janeiro 24, 2018 Posted by | Espanhol | , | Deixe um comentário

Brasil perderá R$ 1 trilhão com isenção a petroleiras estrangeiras

dezembro 13, 2017 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Polícia descobre fábrica clandestina de metralhadoras na Grande São Paulo

policia contra policia

Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

A Polícia Civil de São Paulo descobriu hoje (16) uma fábrica clandestina de metralhadoras em um imóvel em Ferraz de Vasconcelos, município da Grande São Paulo. Na residência, foram encontradas cinco metralhadoras em fase de montagem e várias munições, algumas de calibre .50, capazes de abater aeronaves e perfurar veículos blindados.

De acordo com a polícia, um homem que estava no local foi preso em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.

As investigações foram feitas por agentes do 44° Distrito Policial e a ação contou com o apoio do Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra), do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Edição: Davi Oliveira
Agência Brasil

outubro 17, 2017 Posted by | Policia | , , | Deixe um comentário

Cinema de animação cresce no país, mas sofre com falta de capacitação

Líria Jade – Repórter da Agência Brasil

A animação brasileira completou um século este ano. Há 100 anos, no dia 22 de janeiro de 1917, foi exibido o primeiro filme brasileiro de animação da história: O Kaiser. O curta, do cartunista Álvaro Marins, exibido no Cinema Pathé, na Avenida Rio Branco no Rio de Janeiro, perdeu-se no tempo.

Hoje, o Brasil é reconhecido internacionalmente, com premiações consecutivas no festival de animação mais importante do mundo, Annecy – festival realizado anualmente na cidade de Annecy, na França, criado em 1960 e organizado pela Associação Internacional de Filmes de Animação (Association d’International du Film d’Animation). Por dois anos consecutivos, longas brasileiros venceram o prêmio Cristal do festival.

Uma História de Amor e Fúria, de Luiz Bolognesi, foi o vencedor em 2013 e O Menino e o Mundo, de Alê Abreu, recebeu o prêmio Cristal de Melhor Filme pelo júri e pelo público, em 2014. Outro filme, da única mulher brasileira premiada no festival, é o curta Guida (2015), de Urbes. Soma-se a isso o fato de o longa Menino e o Mundo ter recebido indicação ao Oscar, em 2016.

De acordo com a Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA), 373 filmes de animação foram produzidos no Brasil entre 2000 e 2004. Enquanto 216 filmes foram produzidos no Brasil nos anos 1990. Ou seja, foram produzidos 72% a mais do que na década anterior.

Segundo Cândida Luz Liberato, integrante da ABCA, contribuem para o desenvolvimento do mercado as inúmeras iniciativas governamentais, por meio de programas de fomento ao setor audiovisual. Leis de incentivo, editais, o Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e o aumento da demanda de distribuidoras e canais de televisão por conteúdo nacional (filmes, séries e animações), consequência da Lei 12.485/11 (a Lei da TV Paga), corroboram nesse sentido.

Cândida Liberato explica, no entanto, que a animação brasileira não nasceu da criação de grandes estúdios, e sim da vontade de pioneiros e entusiastas. Para ela, apesar dos incentivos públicos existentes, um dos desafios do setor é o diálogo com o Poder Público. “É preciso o estabelecimento de padrões específicos de regras de fomento para o setor de animação, porque atualmente as regras são as mesmas usadas para outras técnicas de conteúdo audiovisual”, disse.

Ela ressalta que, apesar de as animações terem um potencial de exportação e retorno financeiro maior em comparação a outras técnicas de audiovisual, a demanda de tempo e recursos financeiros para a produção também é superior. Uma das principais demandas do setor é capacitação.

Segundo a integrante da ABCA, poucos profissionais são capacitados para fazerem roteiros e produção de animação com qualidade técnica. “Atualmente, temos poucos cursos de capacitação na técnica de animação. Esses cursos têm que ter uma carga horária alta e respeitar as especificidades do setor. É bem diferente de um roteiro e produção de um longa-metragem ou de um documentário, por exemplo”, explica. Outro problema apontado é o fato de os cursos da área se concentrarem no eixo Rio-São Paulo e a produção seguir essa tendência.

Para Maurício Fonteles, professor do Departamento de Audiovisual da Universidade de Brasília (UnB), a tendência de crescimento da produção do setor de animação é influenciada pela facilidade de acesso a equipamentos e tecnologia para a produção, diminuindo consideravelmente os custos do processo, comparado aos anos anteriores. No entanto, um dos desafios, segundo o professor, é a falta de investimento na formação dos profissionais da área. “As universidades brasileiras não investem na formação voltada para o cinema de animação, a própria UnB já teve um núcleo de animação, mas foi extinto”, destaca.

Fonteles ressalta que agências de propaganda têm uma longa tradição de empregar a animação como forma de despertar o interesse do consumidor em seus comerciais. “Fora do âmbito publicitário, uma das maiores conquistas do setor audiovisual foi a Lei da TV Paga, que aumentou a demanda por conteúdo nacional para ser veiculado nos canais de TV por assinatura, com uma cota de três horas e meia da sua grade de programação semanal, em horário nobre, das 18h às 24h, para os trabalhos das produtoras brasileiras independentes”, detalha.

Fortalecimento do setor e exportação de talentos

Apesar das demandas, a força do setor de animação nacional é cada dia maior, conforme avalia a Associação Brasileira de Cinema de Animação (ABCA). Uma prova foi a compra da animação Lino, de Rafael Ribas, pelos estúdios Fox. O filme, dublado por Selton Mello, Paolla Oliveira e Dira Paes, tem estreia prevista para 7 de setembro em mais de 400 salas do Brasil.

Outro destaque da animação é o estúdio brasiliense Anim’all, que tem feito sucesso nas redes sociais desde que começou a animar tirinhas do quadrinista Caio Gomez. Com relação à exportação de talentos, um dos nomes mais lembrados é o de Matias Liebrecht. O paulistano trabalhou com o londrino Tim Burton em Frankenweenie, filme da Disney de 2012. O brasileiro também atuou no longa Isle of dogs, do americano Wes Anderson. Com previsão de lançamento em 2018, o filme terá as vozes de Edward Norton, Bill Murray, Tilda Swinton e Scarlett Johansson, dentre outros nomes estrelados.

Linha do Tempo animação

Edição: Carolina Pimentel
 
Agência Brasil

julho 8, 2017 Posted by | Internacional | , , , | Deixe um comentário

Moody’s põe nota do Brasil em observação, com possibilidade de rebaixamento

Risco Brasil

Classificação de Risco

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil

A agência de classificação de risco Moody’s revisou para baixo a perspectiva da nota da dívida pública brasileira. A nota de crédito soberano do país foi mantida dois níveis abaixo do grau de investimento (garantia de que o país não corre risco de dar calote), mas com perspectiva negativa, o que indica que a classificação pode ser alterada para baixo na próxima revisão.

Em comunicado divulgado no fim da tarde desta sexta-feira (26), a agência citou o aumento da instabilidade política como justificativa para a decisão. Segundo a Moody’s, a crise política pode atrasar a aprovação de reformas estruturais, como a da Previdência Social, que, na visão da agência, ajudarão na recuperação da economia brasileira.

“Independentemente de seu desfecho, a crise política que emergiu no Brasil na última semana provavelmente debilitará a agenda de reformas do governo e comprometerá a aprovação de reformas futuras, incluindo a da Previdência. Isso provavelmente impactará negativamente a confiança do investidor e levará ao aumento da volatilidade nos mercados, ameaçando o momento macroeconômico positivo observado desde o início da agenda de reformas”, destacou o comunicado.

Apesar de citar os riscos políticos, o relatório da Moody’s destacou o tamanho e a diversidade da economia brasileira como pontos vantajosos para o país. O documento também mencionou o elevado nível de reservas internacionais, US$ 377 bilhões, como fator que reduz a vulnerabilidade externa do país, diminuindo o risco de fuga de capitais estrangeiros.

Outras agências

Em março, a Moody’s tinha elevado a perspectiva da nota da dívida brasileira de negativa para estável. Na ocasião, a agência tinha mencionado que a queda da inflação e a recuperação da economia estavam ajudando a conter o crescimento da dívida pública.

Na semana passada, outra agência de classificação de risco, a Standard & Poor’s, também tinha reduzido, de estável para negativa, a perspectiva da dívida brasileira. Já a Fitch manteve o país dois níveis abaixo do grau de investimento com perspectiva negativa. Ao contrário das outras duas agências, a Fitch não tinha chegado a elevar a perspectiva da nota brasileira no início deste ano.

Ministério da Fazenda

Em nota, o Ministério da Fazenda informou que continua empenhado na aprovação das reformas e que continua as negociações com o Congresso Nacional. “O Ministério da Fazenda reafirma seu compromisso com a continuidade da implementação da agenda de reformas estruturais necessárias à recuperação econômica. Nesse sentido, destaca os resultados positivos obtidos por meio da manutenção de intenso diálogo e coordenação com o Congresso Nacional, sinalizando o empenho para o alcance da estabilidade da política brasileira”, destacou o comunicado.

Edição: Davi Oliveira
 

maio 28, 2017 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

La bolsa de Brasil deja de operar tras una caída del 10% por las acusaciones contra Temer

Publicado em 18 de mai de 2017

El presidente brasileño fue grabado hablando sobre los pagos para silenciar el testimonio de un posible testigo en la investigación sobre la corrupción en Petrobras. Más información: https://es.rt.com/548t

¡Suscríbete a RT en español!
http://www.youtube.com/user/Actualida…

RT en Twitter: https://twitter.com/ActualidadRT
RT en Facebook: https://www.facebook.com/ActualidadRT
RT en Google+: https://plus.google.com/+RTenEspanol/…
RT en Vkontakte: http://vk.com/actualidadrt

Vea nuestra señal en vivo: http://actualidad.rt.com/en_vivo

RT EN ESPAÑOL: DESDE RUSIA CON INFORMACIÓN

maio 19, 2017 Posted by | Espanhol | , , | Deixe um comentário

Embaixador brasileiro vai reassumir posto na Venezuela

sofrimento latino

Luta latino-americana

Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil

O embaixador do Brasil na Venezuela, Ruy Pereira, vai reassumir o posto na embaixada brasileira em Caracas, na próxima segunda-feira (22), segundo o ministro da Defesa Raul Jungmann. A informação foi confirmada hoje (16) pelo Itamaraty.

“O Brasil tomou a decisão de mandar de volta [o embaixador], em um gesto de boa vontade, porque não pode perder nenhuma possibilidade de ajudar na mediação”, disse o ministro, sobre a crise política na Venezuela. Ele não soube confirmar, entretanto, se o embaixador venezuelano voltará ao Brasil.

Segundo Jungmann, apesar das críticas às decisões políticas do governo venezuelano, o Brasil está empenhado em favorecer a interlocução e mediação para resolver os conflitos no país. A Venezuela vive uma violenta crise política, descontrole da inflação, desemprego e escassez de alimentos e remédios. O conflito se agravou neste ano com enfrentamentos entre manifestantes pró e contra o governo e forças policiais, que já deixaram mortos e feridos.

Neste mês, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, chamou a “classe operária” a convocar uma Assembleia Nacional Constituinte e aprovou um novo decreto de “estado de exceção e emergência econômica” que restringe as garantias constitucionais em todo o território nacional como uma medida para “preservar a ordem interna”.

“Em que pesem as críticas que o Brasil tem que fazer, por dever de suas convicções e críticas que faz aos direitos humanos e liberdades, temos em mente a necessidade e disposição de mediar o conflito que hoje está instalado na Venezuela e que preocupa a todos”, disse.

O ministro da Defesa disse que o governo brasileiro se preocupa com as medidas de exceção que estão sendo tomadas, com as prisões por ideologia, com a questão humanitária e com as mediações que não avançam. “País nenhum deixa de se preocupar quando o vizinho vive em conflito. A grande preocupação é o que podemos fazer para ajudar”, ressaltou.

Jungmann recebeu a Agência Brasil e correspondentes da imprensa estrangeira hoje, em Brasília, para falar sobre o controle e a segurança nas fronteiras. Na próxima sexta-feira (19), Jungmann viaja a Tabatinga (AM) para um encontro com o ministro da Defesa do Peru, Jorge Montesinos, para tratar sobre esses temas.

A crise na Venezuela também deve ser assunto entre os ministros. Segundo Jungmann, em viagens que tem feito ao exterior, há preocupação dos países com a situação venezuelana. “Isso vai além do plano regional”, disse.

A estimativa é que cerca de 50 mil venezuelanos estão cruzando a fronteira com a Colômbia, diariamente. No Brasil, entre 6 mil a 8 mil venezuelanos transitam entre os dois países todos os dias, principalmente por Roraima. O ministro disse que uma tese acadêmica levanta a hipótese de que, se houve uma situação de conflito aberto na Venezuela, isso poderia gerar entre 2 milhões e 2,5 milhões de refugiados.

“Estamos torcendo pelo melhor, mas se isso não acontecer, temos planos de contingência para as questões humanitárias para acolher venezuelanos”, disse. “Nossa preocupação é humanitária”, afirmou, explicando que as relações militares com o país vizinho são “fluidas”.

Nos próximos dias, o ministro deve visitar Pacaraima e Boa Vista, em Roraima, para verificar a situação, assim como equipes do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Segundo ele, por enquanto não há a necessidade de construção de centros de refugiados.

Previdência militar

Durante a coletiva, Jungmann informou que amanhã (17) vai se reunir com os comandantes para debater a proposta de previdência militar. Segundo ele, o prazo para entregar a proposta à Presidência é até o final de maio.

O ministério está debruçado sobre questões como a idade mínima, tempo de contribuição e pensões, segundo Jungmann. “Deve-se fixar uma idade mínima, pois do militar é exigida plena capacidade”.

Edição: Maria Claudia
 
 

maio 17, 2017 Posted by | Internacional | , , | Deixe um comentário

Cientista brasileira está entre as cem pessoas mais influentes do mundo

Sumaia Villela – Correspondente da Agência Brasil

Entre as 100 pessoas mais influentes do mundo escolhidas este ano pela revista norte-americana Time figuram dois brasileiros. Um deles é o mundialmente conhecido jogador de futebol Neymar Jr. A outra é a médica epidemiologista Celina Turchi, de 64 anos, cientista brasileira nascida em Goiás que atua como pesquisadora convidada na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Pernambuco.

Citada na categoria Pioneiros, Celina, é professora aposentada da Universidade Federal de Goiás (UFG) e ganhou o título de influenciadora mundial pelo papel que desenvolveu na investigação dos casos de microcefalia e a relação com o vírus Zika. Foi ela a responsável por formar uma rede, com cerca de 30 de profissionais de diversas especialidades e instituições, reunidos no Merg – Microcephaly Epidemic Research Group (Grupo de Pesquisa da Epidemia de Microcefalia). O grupo de pesquisadores conseguiu identificar como o vírus Zika e a microcefalia estavam associados em apenas três meses – em janeiro de 2016 os estudos começaram e em abril já havia fortes indícios da relação.

No fim do ano passado, Celina Turchi foi citada na lista dos dez cientistas mais importantes de 2016 da revista Nature (uma das publicações científicas mais importantes do mundo), pelo mesmo motivo. Apesar da notoriedade no meio científico, a pesquisadora se considera apenas uma “representante” do setor, que até hoje trabalha em conjunto para responder as tantas questões ainda em aberto sobre o vírus Zika e suas consequências.

Em entrevista à Agência Brasil, a cientista fala sobre o reconhecimento que recebe hoje (25), no Lincoln Center, em Nova Iorque, defende a manutenção de recursos para o meio científico, opina sobre o setor público de saúde no Brasil, além, é claro, de comentar sobre o assunto que lhe rendeu fama internacional: o vírus Zika e a síndrome congênita causada por essa arbovirose.

A pesquisadora Celina Turcci foi citada na lista de 100 pessoas mais influentes no mundo, pela revista Time. Ela trabalhou com o grupo de cientistas que descobriu a relação entre casos de grávidas com Zika e o nascim
A pesquisadora Celina Turchi foi citada na lista de 100 pessoas mais influentes no mundo pela revista Time. Ela trabalhou com o grupo de cientistas que descobriu a relação entre casos de grávidas com Zika e o nascimento de bebês com microcefaliaImagem de divulgação/Ascom Fiocruz PE

Agência Brasil: Você foi um dos destaques da revista Nature em 2016 e agora está entre as 100 pessoas mais influentes do mundo, segundo a revista Time. O que passa pela sua cabeça ao ser reconhecida dessa forma? Até pensando de outro jeito: uma mulher cientista é uma das representantes brasileiras em listas de pessoas que fazem a diferença no mundo.

Celina Turchi: Eu gosto quando você coloca “representante”. É isso que eu me sinto, uma representante do grupo de investidagores e profissionais de saúde brasileiros que se empenharam tanto, desde o início dos acontecimentos extraordinários, do ponto de vista científico, que ocorreram no Brasil no segundo semestre de 2015 e que estamos acompanhando até agora.

Agência Brasil: E para o meio científico brasileiro como um todo, esse reconhecimento influencia?

Celina Turchi: Eu acho que todo o reconhecimento de algum dos pares é bem-vindo, porque traz à tona essa possibilidade de visibilidade. Normalmente o grupo de cientistas almeja, quando muito, o reconhecimento entre os próprios cientistas. Dificilmente existe esse reconhecimento social. Mas eu acho que esse reconhecimento é importante principalmente em momentos onde se há menção de retirada de recursos para a pesquisa. Para que se entenda que a manutenção e o aprimoramento de instituições de ensino e pesquisa públicas, não só no Brasil, mas no mundo, são essenciais para dar respostas a ameaças em saúde, como essa que ocorreu.

Agência Brasil: Você é pesquisadora convidada da Fiocruz e, em outras entrevistas, falou que tem consciência do investimento feito pelo Estado brasileiro na formação da sua carreira, já que teve bolsa para estudar no exterior, trabalhou na Federal de Goiás. Seria possível avançar tão rápido nas descobertas com o seu grupo, o MERG, sem que o Brasil tivesse uma estrutura pública na área de saúde que tem atualmente? Como você avalia o setor público de saúde no país?

Celina Turchi: Eu acho que as evidências que tivemos nessa epidemia é que o setor público de saúde do Brasil, não só de atendimento, como de pesquisa, ele têm áreas de excelência. Basta lembrar que os primeiros casos foram notificados por neurologistas, a doutora Ana Van der Linden e a doutora Vanessa Van der Linden, que trabalhavam em hospitais públicos do Recife. Também teve a contribuição enorme do doutor Carlos Brito, um médico infectologista que formulou essa primeira hipótese, da possibilidade de que uma epidemia [de Zika] pudesse estar causando microcefalia. E a quantidade de pesquisadores que tinham uma experiência, um trânsito internacional muito grande com laboratórios produzindo antígenos, testes laboratoriais que pudessem ser aplicados.

Então, eu vejo que a manutenção de institutos de saúde públicos, de centros de excelência no país, isso é parte esssencial até de uma estratégia de segurança. Porque as epidemias, principalmente de saúde pública, são uma ameaça local e podem ser uma ameaça global, como foi essa, que ainda persiste. E também por uma de redução do impacto econômico que as epidemias causam, acho que a gente tem que no mínimo manter e reforçar essas instituições e a formação de pessoal.

Agência Brasil: O setor privado não conseguiria substituir essa rede?

Celina Turchi: As estruturas que eu conheço de pesquisa no mundo inteiro são – principalmente em áreas de doenças infecciosas – de responsabilidade e considerada estratégicas para o país. Os Estados Unidos têm uma rede, um Centro para Controle e Prevenções de Doenças, o CDC [na sigla em inglês], que é quem dá as diretrizes e normativas, que é uma instituição pública gerenciada pelo governo, porque isso faz parte da segurança do país.

Agência Brasil: Você falou sobre a epidemia de vírus Zika como uma ameaça que ainda persiste. Como ela está se configurando atualmente? A gente pode considerar que houve um pico no passado e existem menos casos de fato, ou ainda não chegou o tempo de uma nova epidemia?

Celina Turchi: Acho, sim, que houve uma redução de casos, em relação ao Nordeste. As epidemias virais se traduzem por aumentos e depois reduções do número de casos, então essa redução pós epidêmica é esperada. Mas como isso vai evoluir, se a gente vai ter outros picos epidêmicos, só vamos saber com um monitoramento. Nós não temos ainda todos os elementos para fazer uma predição: população infectada, introdução de outros vírus que podem potencializar a ação deste, quantidade de vetores, como as pessoas se mobilizam.

Agora, eu não tenho dúvida nenhuma de que as arboviroses [como a dengue e a zika] passaram a ser uma ameça nas cidades pela desigualdade, por esse mosaico que a gente tem nas nossas cidades, de ilhas de riqueza rodeadas por extrema pobreza e habitação muito precária, o que facilita a proliferação de vetores em áreas urbanas.

Agência Brasil: Essa seria uma das questões para entender como foi o surgimento da microcefalia em diferentes regiões do país? Porque o Nordeste foi mais afetado, registrou mais casos.

Celina Turchi: Nós não temos ainda muita clareza… esse parece ser um dos fatores, mas não temos ainda evidências muito sólidas. Temos alguns estudos que mostram que existem diferenças intraurbanas na distribuição dos casos da síndrome de zika congênita, sendo que os locais com mais casos têm piores condições socioeconômicas. Isso ficou muito claro pra cidade do Recife.

Agência Brasil: Quais as outras questões que o grupo que você coordena estão tentando responder atualmente? Existe alguma resposta nova? Por exemplo: por que o vírus afeta alguns bebes e outros não?

Celina Turchi: Atualmente tem um grupo coordenado pelo doutor Ricardo Ximenes [professor da Universidade Federal e da Universidade Estadual de Pernambuco] que está acompanhando um grupo grande de gestantes para responder perguntas em relação a que semestre ou trimestre gestacional a infecção viral afeta mais o bebê. Essas crianças nascidas de mães infectadas durante a gestação, independente de ter ou não microcefalia, estão sendo acompanhadas em outros projetos. Esses projetos são grandes consórcios internacionais. Um deles é o Zika Plan, com 25 universidades e instituições de pesquisa públicas do mundo. Outro grupo – o CNPQ junto com o Ministério da Saúde e a Capes – também fez um grande esforço colaborativo para projetos que estão sendo coordenados em diferentes áreas por outros membros desse grupo, que estão investigando o que acontece com essas crianças nascidas de mães infectadas, independentemente se apresentam alterações ou não no momento do nascimento, para saber se, a longo prazo, serão afetadas.

Agência Brasil: As descobertas feitas pelo grupo que você coordena ajudaram os serviços de saúde do mundo e, no Brasil, a gente teve um momento de expansão de serviços do SUS para atender gestantes e bebês que não estavam somente na capitais. Mas ainda há limitações. Mães que entrevistei este ano falam da dificuldade de encontrar serviços especializados no interior, por exemplo, ainda mais porque novas consequências do vírus são descobertas na medida em que os bebês vão crescendo.

Celina Turchi: Exatamente.

Agência Brasil: Que resposta o Estado brasileiro, pensando em governo federal, estadual e municipal, devem dar daqui pra frente? Qual o grande desafio da organização do atendimento?

Celina Turchi: Eu acho que é inserir o atendimento às crianças não só com infecção congênita por zika, mas também por sífilis. Um programa de atendimento que tenha continuidade, que seja adequado e entenda também essa necessidade de apoio aos familiares. Essas crianças são um impacto de grande monta na vida das famílias, principalmente das mulheres.

Agência Brasil: E uma pergunta para inspirar pessoas, especialmente mulheres fora do eixo Rio-São Paulo, que queiram seguir carreira científica: como foi sua trajetória até se deparar com esse desafio histórico?

Celina Turchi: Eu diria que a vida das mulheres da minha geração não foi diferente. Eu casei, tive filhos, tive que em algum momento interromper a minha formação. Contei, durante a minha trajetória acadêmica, com o apoio incondicional dos meus familiares e dos meu filhos. Fui bolsista do CNPq na London School como o que eles chamam de “mature student”, um estudante não tão jovem. Então eu diria para os mais jovens e, especialmente para as mulheres, que embora as carreiras femininas possam não parecer às vezes tão linerares quanto às masculinas, por causa da gestação, de alguns anos de menor produtividade, que a vida é sempre surpreendente.

É isso, não sei se… não me sinto exemplo, mas sinto muito orgulho de fazer parte desse grupo de pessoas que trabalha, na maioria das vezes no anonimato, e que vez por outra se vêem em situações extraordinárias. Poder contribuir numa situação extraordinária, do ponto de vista científico, e numa situação trágica, do ponto de vista social, e se sentir fazendo parte dos eventos, acho que é tudo que a gente pode almejar de uma trajetória profissional.

Edição: Denise Griesinger
 
 

abril 25, 2017 Posted by | curiosidades | , , | Deixe um comentário

Cuba suspende envio de 710 médicos ao Brasil, diz Ministério da Saúde

Comércio da morte

A volta do descaso

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

Cuba cancelou o envio de 710 médicos para o Brasil, previsto para este mês. A suspensão se deu, conforme ofício enviado ao governo brasileiro, devido ao possível descumprimento de termos do acordo de cooperação. Em nota enviada à imprensa, o Ministério da Saúde diz que poderá enviar a Cuba uma delegação brasileira para esclarecer os questionamentos do governo cubano.

O Brasil recebeu nesta quinta-feira (13), por meio da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), a solicitação de uma reunião de representantes brasileiros e cubanos para tratar do programa Mais Médicos.

Segundo o governo cubano, o cancelamento do envio se deu pelo aumento de ações judiciais impetradas por médicos cubanos vinculados ao programa e sua contratação direta pelo Ministério da Saúde, determinada por liminares. Essa situação, segundo o texto do ofício, não estaria em conformidade com o acordo firmado.

A cada três meses, o Ministério da Saúde realiza editais para preencher os postos de trabalho eventualmente vagos no programa. No último edital, para cerca de 1,6 mil vagas, mais de 8 mil candidatos brasileiros se inscreveram para a seleção.

Segundo o Ministério da Saúde, caso necessário, as vagas não preenchidas pela cooperação serão oferecidas nos próximos editais. Os médicos cubanos que chegariam ao Brasil são 600 novos bolsistas e 110 para reposição de profissionais.

Cubanos no Mais Médicos

Quando o Mais Médicos foi lançado, em 2013, a maciça presença de médicos cubanos foi duramente criticada pelas entidades médicas brasileiras. Um dos motivos foi o fato de estes profissionais não terem registro nos conselhos regionais de medicina do Brasil. Além disso, os vencimentos deles são pagos ao governo cubano, que repassa ao profissional um valor menor do que o recebido por outros participantes do programa.

Porém, apesar de os editais do programa sempre priorizarem a contratação de brasileiros, a maior parte das vagas, muitas localizadas em áreas carentes e de difícil acesso, como Distritos Sanitários Indígenas, não atraía o interesse de profissionais brasileiros. Desde 2015, o governo tem apostado em novas estratégias para que os brasileiros participem do Mais Médicos.

Em janeiro deste ano, pela primeira vez, além da reposição de rotina, foram disponibilizadas vagas antes ocupadas por profissionais cubanos, que vieram ao Brasil por uma cooperação intermediada pela Opas. Segundo balanço do início deste ano, das 18.240 vagas do programa, 62,6% são ocupadas por cooperados cubanos, 29% por brasileiros formados no Brasil e 8,4% estrangeiros e brasileiros formados no exterior.

A meta do governo federal é substituir 4 mil médicos cooperados por brasileiros em três anos e, assim, reduzir de 11,4 mil para 7,4 mil participantes cubanos. A expectativa é chegar a 7,8 mil brasileiros no Mais Médicos, representando mais de 40% do total de profissionais.

Edição: Kleber Sampaio
 
 
 

abril 14, 2017 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Brasil amenaza a Chile con represalias si bloquea su mercado por el escándalo de la carne adulterada

março 22, 2017 Posted by | Espanhol | , , , , | Deixe um comentário

Lava Jato põe em xeque a segurança nuclear no Brasil

março 18, 2017 Posted by | Policia | , , | Deixe um comentário

Anistia Internacional: Arábia Saudita usou armas brasileiras em ataques no Iêmen

segredo terrorista

Terrorismo Comercial

Cristina Indio do Brasil – Repórter da Agência Brasil

A Anistia Internacional denunciou que uma coalizão liderada pela Arábia Saudita utilizou armamentos fabricados no Brasil em três ataques no Iêmen nos últimos 16 meses. Segundo a entidade, o primeiro foi documentado em outubro de 2015, o segundo em maio de 2016 e o terceiro ocorreu, às 10h30, do dia 15 de fevereiro deste ano. Neste foram atingidas três áreas residenciais e uma área rural na cidade de Sa’da, ferindo dois civis e causando danos materiais.

Segundo a Anistia Internacional, o uso, a produção, a venda e o comércio de munições cluster, um tipo de projétil, que se abre no ar e espalha submunições explosivas e podem ser jogados ou disparados de um avião ou lançados de foguetes superfície-superfície, é proibida nos termos da Convenção sobre Munições Cluster (CCM), de 2008, subscrita por mais de 100 países signatários.

O Brasil não assinou a convenção e é um dos principais produtores mundial deste tipo de munição, ao lado de Estados Unidos, China, Índia, Rússia, Israel e Paquistão, que também não são signatários da CCM.

De acordo com a diretora de pesquisa do escritório da Anistia Internacional em Beirute, Lynn Maalouf, a coalizão liderada pela Arábia Saudita justifica de modo absurdo o uso de munições cluster, alegando que está em conformidade com a lei internacional.

“As munições cluster são, de forma inerente, armas que infligem dano inimaginável às vidas civis. O uso de tais armas é proibido pela lei internacional humanitária em qualquer circunstância. À luz de evidências crescentes é mais urgente do que nunca que o Brasil faça sua adesão à Convenção sobre Munições Cluster e que a Arábia Saudita e os membros da coalizão parem todo uso destas armas”, disse a diretora.

A Anistia Internacional informou que entrevistou oito moradores do local, inclusive duas testemunhas, sendo que uma delas foi ferida no ataque. Além disso, manteve contato com um ativista local e analisou fotos e vídeo fornecidos pelo Yemen Executive Mining Action Center, que inspecionou a área 30 minutos após o ataque. Vestígios identificados pela Anistia Internacional mostram que o ataque partiu de um foguete Astros II superfície-superfície, um sistema de lançamento múltiplo, carregado por caminhão, fabricado pela empresa brasileira Avibras.

Conforme testemunhas, os foguetes atingiram as áreas residenciais de Gohza, al-Dhubat e al-Rawdha, atingindo, ainda, na dispersão de submunições, casas em al-Ma’allah e Ahfad Bilal, cemitérios novos e velhos no centro da cidade e áreas agrícolas.

Falhas

A Anistia Internacional chamou atenção, ainda, para a elevada taxa de falhas desses armamentos, o que, para a entidade, significa que uma alta quantidade deles não explode no momento do impacto, tornando-se minas terrestres que representam uma ameaça para os civis durante anos após o ataque.

A entidade informou ainda que após ter documentado o uso de munições cluster, pela primeira vez em outubro de 2015, enviou uma carta formal à Avibras.

Por meio de nota, a Avibras informou que todos os produtos de defesa fabricados por ela respeitam estes aspectos humanitários e não poderia avaliar as origens dos artefatos encontrados no Iêmen por não ter acesso ao local do conflito.

“É importante destacar que os artefatos produzidos atualmente pela Avibras diferem dos mostrados pelas imagens dos noticiários, principalmente quanto ao confiável dispositivo de autodestruição que atende aos princípios humanitários e legislações no âmbito da ONU, bem como de Oslo”, informou a empresa.

A Avibras disse que, na produção e no fornecimento de seus produtos de defesa, “sempre cumpriu as legislações e os requisitos estabelecidos para o setor, inclusive os acordos internacionais no âmbito da ONU [Organização das Nações Unidas] e os acordos nos quais o Brasil é signatário”.

A empresa acrescentou que as suas exportações são autorizadas por órgãos públicos brasileiros competentes e “destinadas a nações amigas que também cumprem estas legislações”.

Edição: Fábio Massalli

março 10, 2017 Posted by | Internacional | , , , | Deixe um comentário

Desemprego no Brasil

população excluída.

Fragilidade Social

 

fevereiro 25, 2017 Posted by | Política | , | Deixe um comentário

Diferença entre testamento e doação

nova lenda do cangaço

Cabeça de jagunços

Diante da possibilidade de vir aumento de imposto estadual em cima das questões de herança, o que já está provocando a escolha da doação de bens em vida, no lugar do inventário depois da morte, com ou sem testamento, que é feito em vida, podendo ser aberto ou fechado, o Em Conta desta terça-feira (1º) tem como convidado na Entrevista de Valor o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg-BR), Rogério Portugal Bacellar. Afinal, qualquer caminho que for o escolhido pelos herdeiros, sempre vai ter que passar por um cartório.

00:00
19:34
Entenda a diferença entre testamento e doação em vida, por luanda.lima
A prosa, bem detalhada, começa pela escolha dos pais doarem em vida os seus bens, tomando sempre o cuidado de que isto aconteça com a garantia do usufruto da moradia até a morte deles e, também, da incomunicabilidade dos bens, ou seja, mesmo doados, a metade podendo ser até para estranhos, desde que eles estejam lúcidos e capazes, se houver a cláusula da incomunicabilidade, os herdeiros não podem usar os bens, mesmo que doados, para servir de garantia em financiamentos e muito menos serem vendidos.

Por isso, o conselho do especialista: “antes de fazer a doação em vida, os pais precisam ter muita confiança nos filhos porque eles podem casar e a situação mudar e, que acontece muitas vezes, começar a pressionar os pais, em vida, para que assinem um documento autorizando a venda do bem doado, mas com cláusulas de usufruto e incomunicabilidade. Infelizmente, isto acontece”.

No caso do tradicional testamento, também existem muitos detalhes a serem seguidos, segundo Rogério Bacellar. Pode ser aberto, no cartório, na presença de duas testemunhas, todo mundo sabendo de seu conteúdo, ou então cerrado, ou seja, fechado e costurado, quando nem o cartório conhece o que tem dentro, ainda que possa ser mudado pela pessoa que fez o testamento ainda em vida. Metade dos bens precisam ser divididos por igual entre os filhos, mas a outra metade pode ser destinada até mesmo a estranhos, sem problemas.

Depois da morte da pessoa que herda bens, aí começa o caminho do inventário, com pagamento de altos impostos, taxas de cartório e tal. Se não houver herdeiro menor de idade, quando é preciso a participação do Ministério Público, e se todos estiverem de acordo, o melhor caminho é o inventário extrajudicial, feito em cartório e que se resolve no máximo em 15 dias. Mas se a família não se entender na divisão dos bens, principalmente se não houver testamento, aí o problema vai para a Justiça, onde demora muitos anos, sem contar as custas todas.

EBC

Creative commons 3.0

janeiro 5, 2017 Posted by | Judiciário | , , , , | Deixe um comentário

Renunció el secretario de Gobierno de Michel Temer

Corrupção no governo

Ministro de Temer

Geddel Vieira Lima, secretario de Gobierno de Brasil, presentó su renuncia “irrevocable” en el medio de acusaciones por presiones y tráfico de influencias. Las denuncias fueron realizadas este jue
ves por el ex ministro de Cultura del gobierno de Michel Temer, Marcelo Calero.

El denunciante sostiene que fue presionado para autorizar la construcción de un edificio en la ciudad de Salvador en el que Vieira Lima compró un departamento de lujo. El problema es que la obra se está llevando a cabo en un lugar considerado patrimonio histórico, por lo que el Ministerio de Cultura debía habilitar o rechazar la edificación.

Ante esta situación Calero acudió a Temer quién, de acuerdo a los testimonios difundidos por la Policía Federal, avaló a su secretario de Gobierno. El ex ministro de Cultura dijo sentirse “decepcionado por que el propio presidente lo había castigado” al decirle que “‘la política tenía estas cosas, este tipo de presiones'”.

La renuncia y la investigación

“Frente a las dimensiones de las interpretaciones dadas, pido disculpas a quienes hayan sido por ellas alcanzados, pero Brasil es mayor que todo eso”, dijo el ahora ex secretario de Gobierno en su carta de renuncia. Vieira Lima reconoció que compró el departamento mencionado pero afirmó que no haber ejercido ningún tipo de presión.

Al conocerse la dimisión, la Policía Federal confirmó que remitió a la Fiscalía General la declaración de Calero, con el objetivo de que ese organismo decida si se debe iniciar una investigación formal contra Vieira Lima.

De esta forma el gobierno de Temer pierde a su sexto ministro en seis meses. Dilma Rousseff había visto renunciar a ocho en un año y medio.

RT-TV

 

novembro 26, 2016 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

Lula da Silva a Oliver Stone: “Hay una guerra en Brasil”

El expresidente de Brasil se entrevistó con el cineasta estadounidense y aseguró que existe una conjura para evitar que se presente a las elecciones de 2018.

El expresidente brasileño Luiz Inacio Lula da Silva durante un encuentro en Santo André, Sao Paulo, Brasil, 15 de agosto de 2016

El expresidente brasileño Luiz Inacio Lula da Silva durante un encuentro en Santo André, Sao Paulo, Brasil, 15 de agosto de 2016Paulo WhitakerReuters
El expresidente de Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, concedió una entrevista al cineasta estadounidense Oliver Stone en la que aseguró que en su país se está viviendo “una guerra” contra el sistema democrático. El video de la entrevista fue divulgada en Brasil por el sitio Nocaute.

A manera de denuncia, Lula declaró: “Hay una guerra en Brasil, estamos frente a un proceso violento contra la democracia. Han construido una teoría mentirosa para justificar la salida de Dilma y la criminalización del PT (..) Hay una coordinación perfecta entre la prensa, la policía federal y el ministerio público para construir mentiras”.

Sobre las acusaciones que lo vinculan con la red de corrupción en torno a la estatal Petrobras, Lula Da Silva dijo que “están trabajando para evitar que yo pueda participar en las elecciones de 2018. No tendría sentido que me permitieran volver a la presidencia dos años después del golpe parlamentario”.

Persecución judicial

Oliver Stone, director de películas ‘Nacido el 4 de Julio’, ‘Platoon’, ‘JFK’ y documentales como ‘Al Sur de la frontera’, preguntó a Lula sobre sus posibilidades en las próximas elecciones presidenciales dado que, aún sin estar en campaña, las encuestas le dan la victoria en la primera vuelta, según un despacho de la agencia Telam.

El director de cine Oliver Stone durante una conferencia de prensa para promocionar la película 'Snowden', Toronto, Canadá, 10 de septiembre de 2016

El director de cine Oliver Stone durante una conferencia de prensa para promocionar la película ‘Snowden’, Toronto, Canadá, 10 de septiembre de 2016Fred ThornhillReuters

Al respecto de esto, el expresidente respondió: “dado que ellos no pueden impedir la decisión electoral del pueblo, están intentando apartarme a través del poder judicial, atribuyéndome cosas absurdas que no son creíbles ni para un niño pequeño”.

Por todo ello, Lula presentó una queja ante la Organización de las Naciones Unidas denunciando la violación de su derecho a la defensa y la parcialidad del magistrado que lo acusa. La denuncia, que cuenta con el apoyo del movimiento sindical internacional, ya fue aceptada por el Comité de Derechos Humanos de ONU, ente que “aceptó analizar el tema”.

No regulamos los medios

Lula declaró a Stone que no tiene “aliados en los medios”, que gobernó de “forma republicana” y que cuando llegó al poder, por ejemplo, “la red Globo estaba casi quebrada y nosotros ayudamos a salvarla… y después cometimos el error de no regular los medios”.

Para ejemplificar la actitud hostil de la gran prensa brasileña indicó que “de marzo a agosto, el principal canal, Globo, dedicó 14 horas en su noticiero más visto a informaciones negativas en contra mí. Ahora Globo y Netflix están trabajando sobre un documental sobre la operación ‘Lava Jato‘. Si fuera por Globo, yo sería un Pablo Escobar“.

Ernesto J. Navarro

RT-TV

novembro 17, 2016 Posted by | Espanhol | , , , , | Deixe um comentário

EE.UU. pretende sacar a Brasil de los BRICS con el golpe

El presidente de Brasil niega que se vayan a paralizar las investigaciones sobre corrupción durante su gestión y rechaza las acusaciones contra él del ex fiscal general Fabio Medina Osorio. El ex procurador había afirmado que Michel Temer trata de encubrir la investigación del caso Lava Jato. Osorio fue despedido el pasado viernes y reemplazado por Grace Fernandes, la primera mujer con un alto cargo en el nuevo gobierno.

Hemos conversado con Joao Pedro Stédile, Fundador y líder de Movimiento de los Trabajadores Rurales Sin Tierra, que considera que detrás de la destitución de Dilma Rousseff está Washington. En su opinión, Estados Unidos pretende sacar a Brasil de los BRICS.

RT-TV

setembro 15, 2016 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

O golpe no Brasil – RT-TV

agosto 25, 2016 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Parlamento americano contra o impeachment

agosto 25, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Olimpíadas 2.016 – Brasil ganha primeira medalha

Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil
Felipe Wu comemora a medalha de prata na prova de pistola de ar 10 metros
Rio de Janeiro – Felipe Wu comemora a medalha de prata na prova de pistola de ar 10 metrosValdrin Xhemaj/Agênci Lusa/Direitos Reservados

O tiro esportivo, modalidade que rendeu a primeira medalha do Brasil em Olimpíadas, deu aos brasileiros também a sua primeira nos Jogos Olímpicos Rio 2016 para Felipe Wu, que ficou com a prata na final da prova de pistola de ar 10 metros.

Wu, que chegou aos Jogos como número um do ranking mundial, superou o chinês Wei Pang, que terminou com o bronze. O vietnamita XuanVinh Hoang conquistou o ouro, na prova disputada no Centro Olímpico de Tiro, no Parque de Deodoro.

A primeira medalha do Brasil em Olimpíada foi conquistada no tiro esportivo por Afrânio da Costa nos Jogos Olímpicos de 1920, na Bélgica.

Edição: Lílian Beraldo

agosto 6, 2016 Posted by | esportes | , , , , , | 1 Comentário

Edward Snowden e o impeachment no Brasil

 

sobre o golpe no Brasil

Snowden e Miranda

David Miranda é um dos jornalistas que trabalharam na divulgação de documentos vazados  por Edward Snowden , ex-agente da Agência de Segurança Nacional (NSA) e da Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos. Por este trabalho ele foi detido por 12 horas pela polícia em Londres, em agosto de 2013, no aeroporto de Heathrow, sob acusações de terrorismo.

Por essa acusação,  Miranda recorda que ficou detido por  9 horas em uma sala e “depois ficou mais três horas,” seu passaporte foi confiscado no aeroporto.

Naquela momento, ele estava vindo de Berlim porque estava trabalhando com Oliver Stone e Glenn Greenwald (sua mulher, também jornalista,  divulgou os documentos de Snowden). “Nós estávamos indo  fazer um documentário sobre as famílias que têm alguém preso em Guantánamo, pelo governo dos EUA ou qualquer outro  governo”, disse à RT.  Informou que “eu sabia na época que estes governos, quando dizem usar a lei anti-terrorista, têm  poder ilimitado.”

Eu acho que nesses arquivos haverá muitas surpresas para todos

O jornalista descreveu o momento de tensão e a dificuldade na hora do interrogamento. Principalmente porque, se no final, “o agente decide que você não colaborou e que não estava de acordo com o que ele queria, eles podem enviá-lo para a prisão.”

Durante o interrogatório, ele foi questionado sobre seu trabalho, sua família, seus amigos e até mesmo sobre seu relacionamento com Greenwald.

“Eles usaram suas técnicas contra mim, como colocar dois copos de água sobre a mesa. O agente que estava lá bebeu um copo e perguntou se eu não estava com sede, se eu não queria beber”, disse Miranda, acrescentando que ele fez “isso com o vaso água, sete vezes “. “Eu fiquei lá 12 horas sem beber, sem comer ou ir ao banheiro”, disse ele.

Finalmente, depois de 8 horas e 15 minutos ele foi autorizado a falar com um advogado do jornal britânico ‘The Guardian’. Até então, eles estavam fazendo perguntas sem acesso a um profissional para aconselhá-lo sobre seus direitos.

Passadas 09:00, soltaram-no, mas não lhe deram seu passaporte, então, ele teve de protestar até que  finalmente tivesse uma passagem de avião para o Brasil, que era para onde estava indo. Eles já haviam requisitado toda a sua bagagem, incluindo o seu material jornalístico, que é protegido pelas leis da Convenção da União Europeia.

O Trabalho com Documentos da NSA

Eu acho que nesses arquivos haverão muitas surpresas para todos”, revelou Miranda, quando perguntado se mais material será lançado. O jornalista observou que “há muitos arquivos” que ainda não foram utilizados e  não “foram discutidos ao longo destes anos”.  Sobre se irá divulgá-las ou não. “Agora queremos fazer isso, porque devemos isso à necessidade do público de saber o que está nesses documentos”, disse ele.

A coisa mais importante agora  é revelar ao público o que realmente está sendo desenvolvido nesses países, quando espiam ou fazem algo errado.

Perguntado se houve pressão para não publicar tais informações, Miranda foi contundente: “Em todos os momentos”.

Tanto a sede da NSA Government Communications Headquarters (GCHQ) “nos disseram que se  publicarmos essas informações, será uma ameaça à segurança nacional e outras coisas estúpidas desse tipo.”

No entanto, o repórter esclareceu que sempre fizeram um processo de trabalho preliminar para avaliar se a informação é sensata ou não. “Primeiro pedimos conselhos de especialistas. E então formamos nossa própria equipe em “TheIntercept” que reavalia e decide se isso poderá afetar alguém ou não “, disse ele.

Enquanto eles avaliam o quanto isso pode afetar a segurança dos EUA ou de outros países, salientou que a coisa mais importante é “revelar ao público o que realmente está sendo desenvolvido nesses países, ao espiar ou fazer algo errado.”

“Nós colocamos na mesa a informação que é de interesse público” e “analisamos se podemos revelar sem causar qualquer dano a alguém. E eu acho que até agora temos feito isso muito bem”, disse ele.

A relação com Snowden

Miranda observou que Snowden “concordou em mostrar ao mundo o que fizeram os EUA e seus aliados, e estava disposto a pagar o preço por isso e passar o resto de sua vida na prisão.”

No entanto, considerou positivo que atualmente tenha asilo na Rússia. Ele ressaltou que está “muito bem” porque “tem total liberdade de movimentos” e pode participar no debate”, que ele ajudou a criar. “Ele também disse que conversa “quase todos os dias” através de “canais seguros”.

Além disso, ele questionou quem o chama de “traidor”, porque “eles não entendem o conceito de liberdade. Chamam-me de um traidor é não compreendem o conceito de liberdade.” “Essas pessoas não merecem o meu respeito”, disse ele.

A situação política no seu país

Miranda – brasileiro e residente no Rio de Janeiro – opinou sobre o recente ” golpe” contra a presidente Dilma Rousseff.

Eu não tenho dúvidas  em descrever o ‘impeachment’ como “absolutamente ilegítimo” porque aqueles que o promoveram e estão no governo “são os verdadeiros corruptos”.  Considerou que manipularam a opinião pública”com a ajuda de grandes corporações de mídia, que dirigiu todo o processo.” Assim, ele insistiu que “é totalmente ilegítimo.”

“Eu não estou dizendo que gostei do governo Dilma, especificamente falando”, disse ele, mas “era, pelo menos, uma democracia em que haviam votado para ela ocupar essa posição.”

Agora, no exterior,  estão vendo que o Brasil tem “uma democracia tão jovem e corrupta que aqueles que querem tomar o poder simplesmente fazem isso com a democracia”, analisou.

“Estão acabando com a nossa nacionalidade e como outros países nos vêem”, disse ele.

RT-TV

Impeachment – A Globo conseguiu mas não garantiu

Globo e PMDB – tudo a ver

Passo-a-passo no golpe do impeachment

O bordel do Sérgio Moro

maio 28, 2016 Posted by | Arquivo X, Política | , , , | 1 Comentário

Causas de la crisis política en Brasil

RT y TeleSUR analizan las causas de la crisis política en Brasil

Publicado: 2 may 2016 19:31 GMT | Última actualización: 2 may 2016 19:54 GMT
 

La presidenta brasileña, Dilma Rousseff, se enfrenta a un proceso revocatorio, que puede dirigir al país hacia una crisis política de magnitudes insólitas. ¿Ha llegado la nación a un punto de no retorno? ¿Veremos a la mandataria abandonar su puesto antes de tiempo? ¿Qué efecto tendrá este juicio político? RT y TeleSUR ponen ‘en la mira’ esta crisis política.

 

En la tercera entrega de ‘En la mira’ —el programa en el que RT y TeleSUR pretenden arrojar luz sobre los aspectos informativos que, habitualmente, quedan ocultos en las coberturas mediáticas—, la corresponsal y presentadora de los informativos de RT, Aliana Nieves, y el presentador de TeleSUR, Rey Gómez, analizan la crisis política que vive Brasil y el futuro de su presidenta, Dilma Rousseff, quien está siendo sometida a un proceso de enjuiciamiento político, conocido como ‘impeachment’.

Rousseff está acusada de haber violado la Ley de Responsabilidad Fiscal de su país cuando empleó parte de los presupuestos de los bancos públicos para cubrir programas gubernamentales. Sin embargo, el motivo por el que se juzga a la mandataria parece haber pasado a segundo plano.

Se utiliza la falsa bandera de la corrupción para derribar gobiernos que antagonizan con los intereses imperialistas

Dilma se declaró inocente del crimen de responsabilidad fiscal y, tras presentar las cuentas de 2014, el Tribunal de Cuentas brasileño las rechazó. Ese fue el último año de su primer mandato, en el que revalidó su cargo tras unas elecciones presidenciales que venció por tres millones de votos.

El comportamiento de algunos parlamentarios brasileños en la noche de la votación del ‘impeachment’, seguros de que lograrán la destitución de Rousseff, casaba con los titulares de diversos medios, que ya certificaban la derrota de la presidenta de Brasil. Entre ellos destacan varios diarios estadounidenses, como ‘The Wall Street Journal’, que afirmaba que “la presidenta Rousseff está preparada para la caída”, o ‘The Washington Post’, que aseguraba que “la batalla contra el juicio político en Brasil no ha terminado, pero se presenta sombría para la presidenta Rousseff”.

Asimismo, los presentadores de RT y TeleSUR analizan la posible implicación de Estados Unidos. Para ello, Aliana Nieves hace un paralelismo entre la actual crisis política de Brasil y el caso del expresidente de Paraguay,Fernando Lugo, a quien el Parlamento de su país destituyó en 2012 por “responsabilidad política”. En aquel entonces, la actual embajadora de EE.UU. en Brasil, Liliana Ayalde, ostentaba el mismo cargo en el país vecino.

Al mismo tiempo, de los 367 diputados que votaron a favor del ‘impeachment’ contra Rousseff, 303 se enfrentan a condenas de corrupción

Al mismo tiempo, de los 367 diputados que votaron a favor del ‘impeachment’ contra Rousseff, 303 se enfrentan a condenas de corrupción, entre ellos el vicepresidente, Michel Temer. En este contexto, el analista político Beto Almeida considera que “este proceso oculta la verdadera intención de desestabilizar a la presidenta Rousseff” e “involucra una serie de iniciativas disfrazadas por una acusación sin base real para forzar un proceso de ‘impeachement’ de naturaleza geopolítica, que podría afectar gravemente a la unidad de Latinoamérica y al antiimperialismo”.

“Primero fue una acusación por la que se condenó a Dilma Rousseff, pero después se buscó un crimen que no tenían y alegaron un delito de actividad contable que arrastraban los gobiernos anteriores: usar fondos de los bancos públicos para pagar los programas sociales”, explica el analista.

Teniendo en cuenta que tanto el vicepresidente, Michel Temer, como el presidente de la Cámara de Diputados, Eduardo Cunha, se enfrentan a acusaciones de corrupción, Beto Almeida considera que “sería un verdadero teatro de lo absurdo” si asumiesen la presidencia temporal del país en el caso de que se destituyera a Rousseff. “Se utiliza la falsa bandera de la corrupción para derribar gobiernos que antagonizan con los intereses imperialistas, como el que se presenta ahora en Brasil, un país de gran riqueza energética y estratégica”, concluye Almeida.

Artículo en português

RT-TV

maio 4, 2016 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

Estado Islâmico ameaça o Brasil

Estado Islâmico no Brasil

Ameaça Terrorista

Um integrante do grupo Estado Islâmico postou em sua conta pessoal no Twitter uma ameaça ao Brasil. A mensagem “Brasil, vocês são nosso próximo alvo” foi postada em novembro do ano passado, logo após os atentados que deixaram 129 mortos e dezenas de feridos, na França, mas só nessa quarta-feira (13) a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) confirmou a autenticidade do perfil e da mensagem.

Embora alguns poucos sites tenham divulgado a existência da mensagem já à época, como o da rádio francesa Tendance Ouest, no Brasil o assunto só foi tornado público ontem (13), após o diretor do Departamento de Contraterrorismo da Abin, Luiz Alberto Sallaberry, confirmar as suspeitas.

Ao proferir palestra na Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa, em São Paulo, Sallaberry falou sobre as estratégias do Estado Islâmico para recrutar seguidores e ordenar atentados pelas redes sociais. O diretor da agência de inteligência também tratou das possíveis ameaças terroristas aos Jogos Olímpicos Rio 2016 e dos riscos aos quais o Brasil está exposto atualmente.

Ameaça pela internet

EI no Brasil

Sallaberry não só revelou que a agência de inteligência já tinha confirmado a autenticidade da ameaça divulgada pelo francês Maxime Hauchard, como também informou que a probabilidade de o Brasil ser alvo de ataques terroristas elevou-se nos últimos meses, por causa dos eventos ocorridos em outros países e do aumento do número de brasileiros que têm aderido à ideologia do grupo. A reportagem não obteve detalhes sobre ligações entre brasileiros e o grupo terrorista.

Segundo o diretor de Contraterrorismo da Abin, a agência tem adotado ações para evitar possíveis ataques terroristas, como o intercâmbio de informações com serviços estrangeiros, a capacitação de profissionais de setores estratégicos e trabalhos com órgãos integrantes do Sistema Brasileiro de Inteligência, em especial com os eixos de segurança pública e defesa.

Conhecido como “o carrasco”, o francês Maxime Hauchard é suspeito de ser um dos terroristas que aparecem em vídeos que exibem a decapitação de pessoas sequestradas ou feitas prisioneiras pelo Estado Islâmico, sobretudo soldados sírios. Os sites que primeiro divulgaram a informação, logo após a mensagem ter sido postada, observaram que o usuário havia criado o perfil pouco tempo antes dos ataques à França. Atualmente, a conta está desativada.

Alex Rodrigues – Jornalista da Agência Brasil

Edição: Nádia Franco

abril 15, 2016 Posted by | Internacional | , , , | Deixe um comentário

Fitch revisa para 3,5% queda do PIB

Risco Brasil

Classificação de Risco

Mariana Branco – Repórter da Agência Brasil

A agência de classificação de risco Fitch revisou a estimativa de queda do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro em 2016 de 2,5% para 3,5%. A previsão está em relatório sobre perspectivas para a economia global, que atualiza números publicados em dezembro.

Segundo comunicado da Fitch, a revisão para o Brasil reflete o aumento da incerteza política e o seu impacto na confiança, deteriorando o mercado de trabalho e as condições de crédito. A agência citou também o enfraquecimento do preço das commodities (produtos básicos com cotação internacional) como fator que afetou a economia brasileira.

A Fitch alterou as perspectivas para a Rússia, de crescimento de 0,5% do PIB, estimado em dezembro, para queda de 1,5%. No caso dos Estados Unidos, a agência prevê crescimento econômico, mas de 2,1% em lugar do 2,5% anunciado anteriormente. Para a China, a previsão é crescimento do PIB, reduzida de 6,3% para 6,2%.

Leia notícia completa no site da Agência do Brasil

02) 51% dizem que a TV incentiva desrespeito e assédio à mulher

Flávia Villela – Repórter da Agência Brasil
Cerca de 51% dos brasileiros dizem que filmes e programas televisivos incentivam o desrespeito e o assédio a mulheres em ambientes de trabalho. Quase metade deles acredita que os programas de entretenimento têm impacto negativo nas práticas de assédio a mulheres nos locais de trabalho. Cerca de 73% acreditam que as mulheres são mostradas de maneira exageradamente sexualizadas no cinema e na TV, “reduzidas a seios e bundas”, com poucas roupas e pouco inteligentes.

Os dados fazem parte da pesquisa Investigação sobre o impacto da representação de gênero no cinema e na televisão brasileira, divulgada hoje (7) pelo Instituto Geena Davis, que há mais de dez anos se dedica a estudar e ampliar a presença da mulher no audiovisual no mundo.

Leia o texto completo no site da Agência Brasil

03) Justiça concede perdão de pena para Luiz estevão

André Richter – Repórter da Agência Brasil
A Justiça do Distrito Federal concedeu hoje (7) perdão da pena ao ex-senador Luiz Estevão pela condenação a três anos e seis meses por falsificação de documento, crime relacionado às obras da sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) em São Paulo, na década de 1990.

O ex-parlamentar foi beneficiado pelo indulto natalino. Ele cumpria a pena desde março do ano passado.

De acordo com decisão do juiz Fernando Messere, Luiz Estevão cumpriu os requisitos estabelecidos no indulto, como cumprimento de um ano, dois meses e 29 dias da pena e ausência de falta disciplinar. Antes da decisão, Estevão cumpria a pena em regime aberto.

Leia texto completo no site da Agência de notícias

 

março 8, 2016 Posted by | Política, Resumos Semanais. | , , , , | 1 Comentário

A bomba brasileira

bomba econômica

Causa da Corrupção

Muita gente acha que a China está “tombando”, mas tombar é diferente de balançar, o que me preocupa é que o balanço de uma economia desse tamanho pode criar uma maré econômica capaz de afetar muitos países próximos a ela. O Brasil é o maior exportador de matérias primas do mundo e, portanto deveria ser o mais afetado, entretanto, apesar de a China ter vivido uma ditadura política durante muito tempo, quando o assunto é economia, a ditadura brasileira é insuperável, o Brasil consegue inverter toda a lógica de liberdade econômica através da taxa SELIC (FHC conseguiu o recorde), impostos altos, fraudes bancárias, monopólio, acordões políticos, injustiça, falta de infra-estrutura e baixo IDH, só para citar alguns exemplos.

Quando o Governo fala em aumentar os impostos, isso significa que o roubo tende a aumentar, lembrando que o roubo a nível municipal e estadual é sempre maior que o federal, mas se a justiça não funciona no topo, STF, não funcionará aqui em baixo, já que toda a máfia é controlada lá de cima.

O Governo foi obrigado a cortar verbas do orçamento e sobrou até para a Polícia Federal. Isso quer dizer que o PT vai ficar parecido com o PSDB, ou seja, não haverá mais escândalos, sem verbas para a Polícia Federal trabalhar.

Voltando ao caso da crise chinesa, que pode ser crise só aqui, já que vivemos constantemente em crises, tudo faz parte do plano de desaceleração econômica que o Governo chinês iniciou há alguns anos atrás, quando a China crescia em uma proporção muito maior que qualquer outro país, chegando próximo aos vinte por cento do PIB ao ano.

Como os EUA decidiram investir mais na economia mexicana – o mercado chinês foi uma utopia – a China teve de mudar também a sua estratégica. O Governo chinês diminuiu o investimento em estatais, já que as exportações para os EUA tende a diminuir, e passa a investir mais no consumo interno que representa pouco mais de trinta por cento, no Brasil o consumo interno ultrapassa os 65%. Então, essa é a causa da fragilidade da economia chinesa, falta de exportação (dependência dela) e investimento, lembrando que a falta de investimento implica em estratégia, política econômica. O consumo deve receber o investimento do Governo e compensar a falta de exportação. O Governo chinês investiu muito em seus parceiros e isso deverá ser revisto agora.

O Brasil continuará sendo uma eterna crise e lembra muito a guerra contra o Estado Islâmico que, depois de vários bombardeiros, a coalisão internacional conseguiu recuperar cerca de treze por cento de seu território, a diferença é que não conseguimos atacar a corrupção, ou seja, aumentam os impostos, aumenta a corrupção, isso é óbvio.

Se o Brasil perde a mamata de exportar matérias primas para a China, sem valor agregado, sem industrializar, perdeu também a mamata de desviar dinheiro através de investimentos feitos pela Petrobrás fora do país, aliás, o preço do petróleo despencou graças as guerras no Oriente Médio. Irã x Arábia Saudita e explosão de bomba de hidrogênio na Coréia do Norte.

No caso da guerra contra o Estado Islâmico, que deveria afetar a Turquia, acabou envolvendo Também a Rússia que teve um avião derrubado durante os ataques turcos. O Estado Islâmico se revelou uma máquina de fazer dinheiro, já que roubava o petróleo para vender para empresas capitalistas, isso sem falar nos saques às obras de arte.

A Arábia Saudita executou um clérigo por espionagem, mas seus aliados se voltaram contra o Irã, e eu fiquei sem entender nada. Foi como se uma guerra bipartidária tivesse se iniciado: de um lado os países árabes e aliados e de outro os fundamentalistas do Irã e Iraque.

Para animar a festa, a Coréia do Norte explodiu uma bomba de hidrogênio. A Coréia do Sul exibiu as imagens que os especialistas disseram ser de um teste nuclear antigo feito pela Rússia, nem os Estados Unidos acreditaram na suposta explosão, mas foi suficiente para isolar ainda mais o país da Coréia do Norte. Pensando bem, quem ficou mais isolado foi o Irã, já que os países vizinhos fecharam suas embaixadas por um crime que o Irã não cometeu, no caso da Coréia do Norte, já estava isolada há muito tempo e não tinha nada a perder.

A Coreia do Norte passa a ser o país mais isolado do mundo, nem a China que sempre apoiou sua soberania contra ataques externos, está disposta a se manter ao seu lado. A resposta da Coreia foi irônica: “A bomba faz parte de uma estratégica político-militar, só será usada em caso de ameaça a soberania do país”. Traduzindo, trocaram o apoio da China pela suposta bomba, já que a bomba não possui nenhum interesse, pior, nem sabem se ela existe.

Eu continuo fingindo acreditar que a Coreia fabricou uma bomba, se bem que poderia ter comprado uma pronta. As mídias de massa admitiram a possibilidade de a Coreia ter fabricado uma bomba de hidrogênio portátil, o que permitiria que tal bomba fosse lançada com um míssil.

Assim eu para de fingir…

By Jânio

Rússia condena teste nuclear na Coreia do Norte

A execução do clérigo Nimr Al-Nimr

Guerra da Rússia contra o Estado Islâmico

janeiro 7, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Desemprego pelo Brasil

trabalho fora do brasil

trabalho fora do brasil

Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil

A região metropolitana de Salvador registrou aumento de 0,4 ponto percentual na taxa de desemprego entre outubro e novembro. Segundo a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED)  divulgada hoje (22) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), 19,6% da população economicamente ativa da capital baiana está sem trabalho. Em números absolutos, a quantidade de desempregados variou de 358 mil em outubro para 367 mil em novembro.

Na região metropolitana de Porto Alegre também houve uma elevação discreta do percentual de desempregados, de 10,1% em outubro para 10,2 % em novembro. O que significa, de acordo com a PED, um contingente de 189 mil pessoas sem trabalho.

Nas metrópoles de Fortaleza e São Paulo houve uma pequena redução do percentual de desempregados. Na Grande São Paulo, foi registrada queda de 0,2 ponto percentual, deixando o índice em 14,1% em novembro – 1,57 milhão de pessoas. Na capital cearense o percentual caiu de 9,4% em outubro para 9,2% em novembro, o equivalente a 169 mil desempregados. No Distrito Federal a taxa de desemprego ficou estável.

Salvador também foi a metrópole que registrou maior aumento no nível de ocupação, um crescimento de 1,3% no número de postos de trabalho. Em números absolutos, o maior crescimento foi no setor de serviços, com a abertura de 17 mil vagas. A indústria de transformação da capital baiana empregou mais 3 mil pessoas.

No Distrito Federal foi registrada uma elevação de 0,9% no nível de ocupação. O setor de serviços contribuiu com 18 mil novas vagas. A indústria de transformação registrou a abertura de mil novos postos.

Nas regiões metropolitanas de Fortaleza e Porto Alegre, o nível de ocupação caiu 1,1%. Em ambas capitais, a maior queda absoluta foi no ramo de comércio e reparação de veículos automotores. Na Grande Fortaleza, foram fechadas 13 mil vagas e em Porto Alegre, 14 mil. A indústria de transformação registrou ainda a perda de 9 mil postos na metrópole gaúcha e de 3 mil na cearense.

Em São Paulo, o nível de ocupação ficou praticamente estável, com crescimento de 0,1%. Na Grande São Paulo, o setor de serviços abriu 56 mil postos e o ramo de comércio e reparação de veículos automotores fechou 46 mil. 

Edição: Maria Claudia
Outras notícias
 

dezembro 22, 2015 Posted by | oportunidades | , , , | 1 Comentário

Quem descobriu o Brasil

farsa do descobrimento

Descobrimento do Brasil

Há muita controversa a respeito de quem descobriu o Brasil, alguns dizem que foi Pedro Álvares Cabral, outros dizem que foi Cristóvão Colombo, entretanto, os indígenas já entraram com recurso dizendo que não está havendo justiça nesse país. Em entrevista, um  indígena deu a sua opinião:

“Homem branco mentiroso, invade terra indígena, mata índios e diz descobrir terra. Homem branco deu nome feio a terra de índio e o Brasil que deveria ser de índio, virou brasil de cara pálida.”

Apesar de terem chegado aqui primeiro, os portugueses conviveram muito com os espanhóis, tanto aqui na terrinha, quanto lá na Europa. Como os espanhóis sempre tiveram mais filhos que os portugueses, a quantidade de descendentes de espanhóis por aqui é imensa. Quem descobriu o Brasil não tem tanta importância, já que Portugal só colocou o nome.

Além das indenizações que o Brasil pagou para se tornar independente, ganhou um sistema, uma língua e uma falsa história baseada em uma falsa democracia.

By Jânio

A maldição do espelho

Piada mais antiga do Brasil

A farsa da falsa democracia

Heróis latino americanos

 

julho 26, 2015 Posted by | Política, Reflexões | , , | Deixe um comentário

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Marca Livro

A arte de criar histórias em prosa ou verso

Atraídos Pela Leitura

Literatura e Entretenimento

bastet - protetora dos gatos

todos os animais merecem o céu e os gatos principalmente

Blog CIN 5018

Informatização de Unidades de Informação

The Promise's Carrier

Ebrael's official website in English.

detudosobretudoblog

Este site vai aborda todos os temas voltado para as mulheres

Letícia Giacometti Ribeiro

O diário de uma estudante de Jornalismo

Caminho Alternativo

Geopolítica, atualidades e opinião

%d blogueiros gostam disto: