Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Diferença entre testamento e doação

nova lenda do cangaço

Cabeça de jagunços

Diante da possibilidade de vir aumento de imposto estadual em cima das questões de herança, o que já está provocando a escolha da doação de bens em vida, no lugar do inventário depois da morte, com ou sem testamento, que é feito em vida, podendo ser aberto ou fechado, o Em Conta desta terça-feira (1º) tem como convidado na Entrevista de Valor o presidente da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg-BR), Rogério Portugal Bacellar. Afinal, qualquer caminho que for o escolhido pelos herdeiros, sempre vai ter que passar por um cartório.

00:00
19:34
Entenda a diferença entre testamento e doação em vida, por luanda.lima
A prosa, bem detalhada, começa pela escolha dos pais doarem em vida os seus bens, tomando sempre o cuidado de que isto aconteça com a garantia do usufruto da moradia até a morte deles e, também, da incomunicabilidade dos bens, ou seja, mesmo doados, a metade podendo ser até para estranhos, desde que eles estejam lúcidos e capazes, se houver a cláusula da incomunicabilidade, os herdeiros não podem usar os bens, mesmo que doados, para servir de garantia em financiamentos e muito menos serem vendidos.

Por isso, o conselho do especialista: “antes de fazer a doação em vida, os pais precisam ter muita confiança nos filhos porque eles podem casar e a situação mudar e, que acontece muitas vezes, começar a pressionar os pais, em vida, para que assinem um documento autorizando a venda do bem doado, mas com cláusulas de usufruto e incomunicabilidade. Infelizmente, isto acontece”.

No caso do tradicional testamento, também existem muitos detalhes a serem seguidos, segundo Rogério Bacellar. Pode ser aberto, no cartório, na presença de duas testemunhas, todo mundo sabendo de seu conteúdo, ou então cerrado, ou seja, fechado e costurado, quando nem o cartório conhece o que tem dentro, ainda que possa ser mudado pela pessoa que fez o testamento ainda em vida. Metade dos bens precisam ser divididos por igual entre os filhos, mas a outra metade pode ser destinada até mesmo a estranhos, sem problemas.

Depois da morte da pessoa que herda bens, aí começa o caminho do inventário, com pagamento de altos impostos, taxas de cartório e tal. Se não houver herdeiro menor de idade, quando é preciso a participação do Ministério Público, e se todos estiverem de acordo, o melhor caminho é o inventário extrajudicial, feito em cartório e que se resolve no máximo em 15 dias. Mas se a família não se entender na divisão dos bens, principalmente se não houver testamento, aí o problema vai para a Justiça, onde demora muitos anos, sem contar as custas todas.

EBC

Creative commons 3.0

janeiro 5, 2017 Posted by | Judiciário | , , , , | Deixe um comentário

Quem roubar primeiro

Poder do Dinheiro

Poder do Dinheiro

Eu tenho lido muitas críticas ao capitalismo, sistema mais forte entre todos os que foram implantados nas últimas décadas. Sempre me vem uma pergunta perturbadora à cabeça: Capitalismo é um sistema político, social, econômico, ou seria uma mistura de tudo isso?

A terceira opção é a mais adequada mas não ajuda muito, ao invés disso, traz uma nova pergunta: Qual é o setor predominante no capitalismo?

A resposta é óbvia e está no próprio nome desse dito sistema econômico, portanto, a economia prevalece. É através desse sistema que os magnatas capitalistas conseguem privilégios, lucros, e poder, muito poder.

Entretanto, nem todos os países são iguais. Em países elitizados como o Brasil, os magnatas capitalistas decidem quem deve ser pobre, ser preso ou morrer.

Para protegê-los, um subsistema tem sido elaborado a perfeição, o sistema burocrático.

A burguesia também tem sido privilegiada por esse sistema burocrático, afinal, a maior parte do trabalho/crime, burocrático é executado por burgueses da Idade Contemporânea. É através desses trabalhos criminosos que o errado é visto como certo, sem que ninguém consiga provar o contrário.

Recentemente, houve muitas manifestações contra a censura na internet, a mídia com maior audiência do mundo. Apesar de ter a maior audiência, a internet não é considerada mídia de massa, já que é uma ferramenta pessoal, dividida por canais.

Muitos grupos financeiros tem se mobilizado em torno das principais ferramentas, com o intuito de transformar a internet em mídia de massa, mas ainda não conseguiram. A maioria das ferramentas são compradas, mas sempre tem uma que foge ao controle do dinheiro, já que é muito difícil saber qual vai se destacar.

No fundo, não são os direitos autorais que preocupam mais os capitalistas, é o monopólio da informação que encontrou um adversário a altura, apesar de a maioria dos internautas repetirem informações prontas.

Entretanto, o direito autoral é uma das vítimas da burocracia. É através da burocracia que o autor perde seus direitos para as empresas capitalistas, as mesmas que lutam para censurar a internet.

Essa prática não é nova, há muito tempo que autores consagrados da pintura, escultura, letras, músicas e outras áreas, tem morrido na miséria. Os próprios banqueiros Rothschilds, idealizadores do poder pelo capital, tem investido muito em obras de arte.

A maioria dessas práticas criminosas são legais e dificilmente um ladrão de composição musical irá para a cadeia, isso porque a arte é uma área extremamente lucrativa, não para o autor, mas para as empresas que se apropriam, adquirem dessas obras. Assim, ou o autor faz um acordo e aceita as migalhas, ou ficará sem nada.

Nesse mundo criminoso, tem surgido empreendedores especialistas em crimes burocráticos, como é o caso de Sílvio Santos, um empresário dono de uma das maiores redes de televisão do país e que conseguiu a façanha de dar um golpe de quatro bilhões e meio de reais nos cofres públicos.

Algumas pessoas se espantaram com o golpe do Grupo Sílvio Santos, mas não o suficiente para afetar a sua audiência.

O Caráter do empresário já poderia ser avaliado pela sua história. Começou como um camelô, tornou-se um apresentador de programas, dono de TV, rede e criou um sorteio/concurso para disfarçar o jogo que é ilegal no país, e que era monopolizado pela máfia dos políticos.

Entre seus famosos golpes, estava a extinta Rede Manchete que ousou desafiar o poderio da Rede Globo e pagou por isso. Muitas histórias em torno da transação foram veiculadas pela imprensa, numa época em que a Rede Globo praticamente detinha o monopólio da informação.

Segundo tais informações, a negociação da falência da Rede Manchete envolvia até presidente da república, mostrando a força da Rede Globo que, por sinal, foi responsável pela queda desse presidente.

A transação foi impugnada, a fumaça baixou e logo surgiram os boatos que um grupo estrangeiro havia comprado a Rede de TV. O conteúdo da TV, entretanto, estava nas mãos do empresário Sílvio Santos, que se faz de dissimulado quando a questão dos direitos autorais vem à tona.

A Rede Globo que via seu monopólio em risco, nem imaginava que uma nova ferramenta surgiria depois disso e que seria incontrolável, a internet.

A Rede Globo começou de forma obscura, cresceu, eliminou os concorrentes, com a ajuda de capital internacional, o que era proibido e fez alianças com políticos como Collor e Sarney, afiliados da rede, e com Ricardo Teixeira e família, com direito a João Havelange, FIFA e outros golpes.

No Paraná, uma pequena ideia se tornou um grande negócio, a lavagem de dinheiro.

A rede de bancos públicos do governo do estado do Paraná criou uma máfia de lavagem de dinheiro jamais vista no Brasil, talvez no mundo.

Jaime Lerner era o governador que atraía as empresas do mundo inteiro e tornava-se celebridade conhecida, o crime de lavagem de dinheiro era perfeito, já que envolvia toda a alta burguesia brasileira, desde políticos e empresários, até apresentadores de TV e jogadores de futebol, enviando dinheiro para infernos fiscais.

Uma coisa que nunca pode ocorrer em grandes organizações mafiosas é um erro, cálculo, logística, etc. Erros inevitavelmente atraem a atenção da polícia.

Foi isso o que aconteceu no Paraná, onde dois erros se destacaram. Um apresentador de sorteios que chamou até a atenção de Sílvio Santos, que deu o golpe nos sorteados e desapareceu, e as relações obscuras do governador Jaime Lerner e do presidente da Câmara dos Deputados, Aníbal Cury, com um empresário de desmanche de carros.

Esses dois erros atraíram a polícia que descobriu um gigantesco esquema de lavagem internacional, com direito a bancos no Paraguai e Nova Iorque.

Felizmente, para eles, não há justiça no país, ninguém foi preso e todos viveram felizes para sempre.

… menos o apresentador do sorteio que desapareceu e só PC Farias sabe onde foi parar.

By Jânio

Filosofia anti-democrática

Vendedoras de sonhos e pesadelos

Mapa dos ricos

maio 3, 2013 Posted by | Política | , , , , , , | Deixe um comentário

A revolução dos mendigos

reação miserável

Observar a região metropolitana de São Paulo, é sempre uma forma de aprendizado. São Paulo é uma região rica, com cara de primeiro mundo, mas com problemas típicos de terceiro, ou seja, muita desigualdade social.

As tentativas frustradas e desesperadas dos ricos da maior metrópole brasileira em resolver problemas sociais crônicos, são uma típica tragicomédia bem à brasileira.

Durante muito tempo, as mídias de massa vinham divulgando, alertando, criticando um problema sério da cidade, a cracolândia, não havia quem não se emocionasse. A cracolândia acabou se tornando um problema para os gestores públicos que resolveram dar uma basta, bem ao estilo brasileiro, ou seja, fechando tudo numa verdadeira blitz, seguida pela ocupação do local.

Aconteceu o que já era esperado, os viciados se espalharam pelo centro da cidade, irritando a maior parte da população.

Na realidade, o governo não resolveu o problema, mas tentou empurrar para debaixo do tapete.

Enquanto os viciados tinham o seu espaço, a visão de um admirável mundo novo, com políticos incompetentes separando a sociedade, impondo um sistema de governo selvagem aos desgraçados, estava em harmonia. A ocupação do local pela polícia, levou essa doença social para mais perto do povo, inclusive para quem insistia em não ver.

É claro que o governo não esperava por isso, mas agora tem de admitir: A região não tem segurança, não tem condições de tratar essas pessoas e, pior, não tem nenhum interesse em resolver o problema.

Esse problema agora só será resolvido se a população pressionar os políticos, revelando outro problema brasileiro, a falta de interesse do povo em controlar os seus políticos.

Esse tipo de trapalhada política já havia sido observado no Espírito Santo, onde os políticos criaram uma lei proibindo passageiros em pé nos ônibus.

Ora, nós sabemos que já era proibido por lei, passageiros em pé nos ônibus, mas essa trapalhada revelou o alto custo do serviço de transporte, provocado pelas altas taxas de impostos, pelo próprio governo.

No tempo do governo militar, a rigidez do sistema levou a sociedade a se adaptar. Tudo o que era profano, bizarro, decadente, etc., foi separado para uma área específica.

Em pequenas cidades, os bordéis ficavam fora da área urbana, longe dos olhos da burguesia. Nas grandes cidade ocorria a mesma coisa, as classes mais decadentes da sociedade se reuniam em regiões pouco frequentadas pelos ricos, como a boca do lixo, favelas, etc. Pouca coisa mudou no país, pelo menos para melhor.

O problema se agravou e, enquanto os políticos aprimoraram seu sistema de controle, domesticação, os miseráveis desenvolveram formas de sobreviver.

De certa forma, a inteligência desse nosso admirável mundo novo se desenvolveu em duas frentes – Ou seriam fronts? – mas a pressão sofrida pelas pessoas, leva os indivíduos aos seus limites e, frequentemente, ocorrem explosões subconscientes de revolta.

As pessoas deixam de acreditar na justiça, em autoridades, e passam a demonstrar isso em atos desconcertantes de vandalismo, como ocorreu na apuração dos votos das escolas de samba em São Paulo.

Ricos se diferem de pobres, como temos observado. Ricos são premeditados e tem sempre alguém que assume a culpa e paga pelo crime, mesmo que esse crime tenha sido organizado por mais de uma pessoa.

Essa estratégia burguesa é antiga, vem desde Tiradentes.

Certamente, há um acordo, onde são oferecidos privilégios, como bons advogados, em troca do silêncio, e tudo quase sempre acaba bem.

No crime organizado isso já vem acontecendo também, afinal, um grande traficante pode não viver entre os ricos, já que é marginal, mas também não é pobre.

By Jânio

A glória dos desgraçados

março 3, 2012 Posted by | Reflexões | , , , , , , | 1 Comentário

Maldita Burocracia

perigo burocratico

Crimes Burocráticos

Vivemos na era das ditaduras, se cai um sistema de “governo ditatorial”, um novo governo nada faz para mudar o que está errado, pior, o povo, já cansado de tantas lutas, acredita que realmente mudou.

O resultado dessa crença inabalável de que tudo agora vá dar certo, somado à publicidade, interesse de religiões baseadas em princípios fundamentalistas, achando que realmente não é preciso ter sentimento para dar significado às palavras, levam-nos a retroceder no tempo.

Cansados de tantas batalhas e lutas do dia-a-dia, os trabalhadores abrem a guarda para mais uma ditadura, a ditadura da burocracia.

Para quem não está atento, burocracia é a melhor maneira de roubar uma pessoa.

Algumas pessoas acreditam que o que foi assinado deverá ser cumprido, não importando se foram roubadas, mas é para isso que servem os advogados.

Se você tiver um bom advogado – o melhor advogado é o advogado que se pode confiar – você terá uma grande possibilidade de não ser roubado, caso contrário, estará nas mãos dos burocratas.

Não é tão fácil evitar a burocracia, ela está por toda parte, mas isso não evita a ação dos malandros.

Com tanta burocracia, surge até a fobia, pessoas que não suportam ver papéis à sua frente. Pessoas com fobia de burocracia enchem caixas de papéis e faturas durante até um ou dois anos, para depois tentar arrumar.

Durante alguns momentos a pessoa tem a brilhante ideia de queimar tudo, logo o pavor toma conta dela: E se algum papel importante for queimada? – pensa.

A burocracia é, em alguns casos, totalmente inútil. Pense bem, segundo os especialistas em burocracias – acredite, já temos isso – contas como água, luz e telefone, devem ser guardadas durante dois anos.

O motivo, segundo esses “consultores”, é que, em caso de alguma falha no sistema, você terá como comprovar o pagamento, evitando dor de cabeça.

Tente imaginar uma família humilde que gaste mensalmente cinquenta reais de luz – acredite, temos pessoas humildes assim também – essa pessoa guarda os extratos de suas poucas contas durante dois anos, para evitar essa tal dor de cabeça. Se essa mesma pessoa deixar de pagar sua conta um único mês, receberá o aviso “carinhoso”: “Caro cliente, sua conta desse mês não foi paga. Caso essa conta não seja paga dentro de trinta dias, seu abastecimento será suspenso.”

Vocês entenderam, não é mesmo? – Se faltarem dois pagamentos, o abastecimento será suspenso, mas a “bendita” fatura deve ser guardada por dois anos, para que fique devidamente comprovado o seu pagamento.

Eu me lembro quando eu fui ao Ministério do Trabalho para fazer o meu primeiro registro, até então eu trabalhara sem registro – e ai de quem denunciasse para o Ministério do Trabalho.

A atendente me perguntou – Onde está a sua carteira de identidade, para que eu possa fazer o seu registro.

Não tenho carteira de identidade – respondi.

Mas que tipo de homem é você que não tem nem uma carteira de identidade – perguntou-me ela.

Com quinze anos, eu senti todo o peso da burocracia em minhas costas. Pensei em explicar a mulher que eu só tinha quinze anos, mas senti em seu olhar que a sua intenção não era exatamente discutir o sistema – perdi uma grande oportunidade de emprego.

Depois de juntar trinta reais, fui até o Banco da cidade. A bancária me disse gentilmente – O mínimo, para abrir uma conta, é cinquenta cruzeiros, meu filho.

Concluí que a procura pela primeira conta em Banco deveria ser grande, e que eu precisaria juntar mais vinte cruzeiros, caso eu quisesse realizar o meu “grande” sonho capitalista.

Depois de conseguir os cinquenta cruzeiros, voltei ao Banco – Você poderia me apresentar o seu CPF, por favor? – pediu-me educadamente a bancária.

Sem o CPF não daria para abrir a conta, mais uma vez o meu sonho seria adiado.

CPF – Cadastro de pessoas físicas. Poderíamos chamar também de controle de pessoas físicas, mas eles são covardes demais para assumir.

Um amigo meu resumiu tudo assim: Precisamos de identidade para tirar qualquer tipo de documento; precisamos do registro de nascimento para tirar a identidade; precisamos da certidão de casamento dos pais para tirar a identidade, etc.

Se a identidade é necessária para tirar qualquer tipo de documento, então porque ela não pode ser utilizada para realizar essas funções, onde se utiliza outros documentos? – A resposta é controle.

É através de seu CPF que o Governo controla todo dinheiro que você movimenta, exceto o dinheiro que realmente deveria ser controlado, o dinheiro da PPP.

Não importa se você só tem quinze anos, se quiser entrar no sistema, terá que seguir as normas, além de ficar preso a elas, naturalmente.

By Jânio

maio 27, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , | 6 Comentários

Ficha Limpa fica para 2.012

política elitizada

Decisão Anti-democrática

Eu me lembro da cara de satisfação de todos os políticos, quando o novo Ministro Luiz Fux foi nomeado para o STF. Como seria ele quem iria dar o voto de desempate, quanto a validade da lei do Ficha Limpa na última eleição, era de se esperar o resultado final.

A atual Presidenta Dilma não cansou de elogiá-lo: “Ele passou em primeiro lugar no concurso, em primeiro lugar não sei em que, em primeiro lugar…, enfim, chegou a dar calafrios.

O STF é a maior autoridade judicial do país, passando a sensação de que o STJ, e outras instituições, não existem.

Assim, o jogo de cartas marcadas da justiça brasileira, mais uma vez venceu, e o tão sonhado Ficha Limpa ficará para o ano de 2.012.

Se todos nós soubéssemos o que ocorre nos bastidores da política, não haveria mais político vivo no país. Seria difícil conter a indignação popular dos eleitores brasileiros, apesar de seu eterno conformismo.

Nenhum canal de comunicação será capaz de insinuar o mar de lama no submundo do poder, e tudo ficará como está.

O que as pessoas precisam saber, é que uma lei importante não precisa necessariamente seguir um princípio discutível, como o princípio da anterioridade, contrariando praticamente todos os outros.

A cassação do mandado do ex-presidente Collor não teria ocorrido, caso a lei fosse seguida burocraticamente. Foi preciso que o povo saísse as ruas, liderados pela burguesia, incentivados por todos os meios de comunicação de massa.

As mídias de massa passavam a ideia de que nunca ocorrera corrupção no país, incitando o povo a se manifestar. Acontece que a família do então presidente Collor, sabia muito bem o que isso significava, já que eles são donos da maioria das grandes empresas de comunicação de Alagoas.

Ver o povo sair às ruas não é muito comum, a não ser quando são incitados pela mesma mídia que os controla.

Eu já estou em dúvida sobre o cumprimento da lei do Ficha Limpa, em 2.012, já que não haveria impedimentos reais, caso houvesse interesse em se fazer justiça agora.

A legalidade, ética, igualdade, democracia, entre outros fatores preponderantes da sociedade, todos foram ignorados.

Essa não é a primeira vez que o STF fica “entalado na garganta” dos brasileiros, mas assim como os políticos, eles não dão a última palavra, essa sempre ficará à cargo dos coronéis, nas sombras do poder.

Os poucos ministros que votam a favor, passam a impressão de que há de fato justiça, mas no fundo os políticos tem o controle exato do resultado.

Votaram contra a aplicação do Ficha Limpa em 2.010.

Luiz Fux

Gilmar Mendes

Dias Toffoli

Marco Aurélio

Celso de Mello

Cezar Pelluso

Votaram a favor da aplicação da Lei da Ficha Limpa em 2.010.

Ayres Britto

Joaquim Barbosa

Ricardo Lewandowski

Carmem Lúcia

Ellen Gracie

By Jânio

Textos Relacionados:

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

março 25, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , | 23 Comentários

As leis burocráticas funcionam para os bobos.

veja a injustiça

veja a injustiça

Eu já estava convencido de que as leis burocráticas não funcionam, preparei até um pequeno discurso para apresentar, aqui, no Made in Blog/icommercepage, mas por mais que a lógica levasse a isso, a realidade me mostrava o contrário, esperei algum tempo e, finalmente, eu cedi, meus amigos, lamentavelmente, minha lógica foi vencida pelos fatos.

Manuel Zelaya, em Honduras, com a ajuda de Chavez, ajudaram-me a  decidir.

Zelaya tentou mudar a constituição, para poder se reeleger, tentou dar o golpe, mas os militares foram mais espertos, deram o golpe antes. Para Zelaya, sobrou apenas a alternativa de envolver o Brasil na encrenca, escondendo-se em sua embaixada.

Isso já aconteceu no Brasil, há quase cinquenta anos atrás, quando a carreira militar era o grande sonho da burguesia brasileira. Sob o pretexto de uma ameaça comunista (meia dúzia de gatos pingados), as forças armadas tomaram o poder, com a ajuda dos EUA, os mesmos que são, agora, categoricamente contra esses tipos de golpes.

Aproveitando-se da maré a seu favor, a cria da cria de Fidel Castro armou todo esse barraco, o mesmo que já havia dado certo na Venezuela, Bolívia…

Eu tive a ideia da negação às leis burocráticas, depois da lei contra os motoristas que dirigiam alcoolizados, pensei comigo: “Que lei absurda, será que é preciso uma lei para confirmar o óbvio: Dirigir bêbado constitui crime, direção perigosa”.

Na semana passada, quando vi um motorista parar o carro em um túnel movimentado, dar a ré no carro, andar contra a mão e o bom senso, para fugir de uma blitz policial, não tive a menor dúvida: “Leis burocráticas funcionam!”.

O fato anterior a esse foi pior. Um médico do Hospital de Clínicas, na tentativa de fugir da polícia, já que estava bêbado, bateu em vários carros, deixando algumas pessoas feridas e matando outra. Isso me deu a sensação de que leis burocráticas funcionam, funcionam até demais.

No caso da lei anti-fumo, em locais públicos, foi muito parecido, pode vender mas não pode fumar, sobrou para os donos dos estabelecimentos comerciais que, diante da multa, foram obrigados a mostrar aos fumantes como estavam sendo incômodos.

Alguns críticos afirmaram: “A prefeitura multou meia dúzia de estabelecimentos, acontece que essa meia dúzia de estabelecimentos se tornou referência a clientes não fumantes. Foi preciso uma lei, para lembrar aos fumantes que fumar faz mal à saúde, incomoda, acaba com casamentos, faz mal ao seus filhos, ao bebê, à mulher grávida.

Só faltou lembrar que fumar é um vício, tem causas, precisa ser tratado, conversado.

Esses são apenas alguns exemplos de que as leis burocráticas podem dar certo, levando-se em conta o aspecto humano.

Na constituição, são raras as leis que não apresentam vícios, por isso são criadas cláusulas, artigos ou outras leis para corrigir as primeiras, mal definidas.

Para um Juiz, basta um pequeno indício para que ele mude sua sentença, não baseado no que é certo, mas no que diz a lei. No meu tempo, isso se chamava comportamento anti-ético.

Os casos envolvendo gente famosa, inevitavelmente, vai parar em terceira instância. Começa na primeira, vai para a segunda, terceira, e, volta para a primeira novamente, repetindo todo o processo.

Depois de um desses processos sair na imprensa, um dos ministros do Supremo, irritado, desabafou: “Não somos nós quem somos incompetentes, incompetentes são os Tribunais que acabam sempre encaminhando esses processos até aqui, como se o Supremo fosse resolver milhões de processos que tramitam pelo Brasil inteiro”.

A incompetência dos Tribunais de Primeira Instância, nós já conhecemos, resta-nos saber o motivo de tantos processos serem encaminhados à Terceira Instância, seriam aumento de processos ou seriam aumento de criminosos importantes?

By Jânio.

setembro 30, 2009 Posted by | Reflexões | , , , , , , | 4 Comentários

A burocracia na justiça brasileira

burocracia, we can

burocracia, we can

No Paraná, um caso que, desde o começo, dava sinais de que não seria um crime comum, surpreende a própria Polícia e deixa a sociedade atônica com a burrocracia, eu quero dizer a burocracia das leis brasileiras.

Os jovens foram atacados por um bandido, enquanto passeavam pelo litoral paranaense. O rapaz, na tentativa de ajudar a moça, foi morto, a moça foi baleada e ficou tetraplégica.

Sob pressão da sociedade, a polícia prendeu um suspeito, reconhecido pela vítima, e o caso foi encerrado.

Quando tudo parecia terminado, não é que a própria polícia prendeu um assaltante, e estuprador, e ele confessou os dois crimes.

O Delegado deixou bem claro que não haverá uma nova revisão, do caso dos jovens, a não ser que haja um novo processo.

Este caso mostra como há necessidade de uma revisão de nossas leis, nossa herança de um tempo em que a burocracia falava mais forte.

Além da confissão, exames de balística revelaram que os tiros, realmente, partiram da arma do bandido preso.

Se, no caso dos políticos, as autoridades se comportassem assim, vários bandidos, políticos, continuariam presos. Parece que a política possui uma legislação própria, ou talvez seja algum perigo oculto, manter um político preso pode ser perigoso.

Seja como for, o terceiro mandato para eleições presidenciais, não existia, nem o próprio Presidente admitia esta possibilidade, visto que ele conhece muito bem esta lei, mas uma lei, se não existe, pode ser criada, em política é assim.

Seria bom se a legislação fosse mais simples, talvez as pessoas acreditassem mais na justiça social e houvesse menos crime no Brasil.

julho 3, 2009 Posted by | Reflexões | , , , , , | 8 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: