Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Panamá estabelece relações diplomáticas com a China após romper com Taiwan

Ana Cristina Campos – Enviada especial da Agência Brasil*

China e Panamá estabelecem relações diplomáticas - Foto Agência Xinhua
Os chanceleres Isabel Saint Malo, do Panamá, e Wang Yi, da China, assinam comunicado sobre o estabelecimento de relações diplomáticas – Agência Xinhua

O Panamá estabeleceu relações diplomáticas com a China, após romper os laços com Taiwan. O comunicado para formalizar o início do relacionamento diplomático foi assinado hoje (13) pela vice-presidente e chanceler do Panamá, Isabel de Saint Malo, e o ministro de Relações Exteriores da China, Wang Yi, em Pequim.

No comunicado conjunto, o governo do Panamá reconhece que existe “uma só China” no mundo. “O governo da República Popular da China é o único governo legítimo que representa toda a China, e Taiwan forma parte inalienável do território chinês. O governo da República do Panamá rompe hoje suas relações diplomáticas com Taiwan e se compromete a deixar de ter relação ou contato oficial com Taiwan”, diz o documento.

A vice-presidente panamenha destacou que a nação centroamericana se junta aos 174 países que reconhecem “a política de uma só China”. “Concretizamos hoje um passo importante e vamos começar uma aliança estratégica que resultará em benefício para ambas as nações e povos”, disse Isabel de Saint Malo.

Segundo ela, os países começarão a trabalhar em uma agenda bilateral em matéria de comércio, agricultura, cooperação marítima, entre outros temas. A chanceler ressaltou que o Panamá pretende aumentar o intercâmbio comercial e incrementar as exportações dos produtos panamenhos para a China.

As duas nações já mantêm relações comerciais, e de acordo com o Ministério de Relações Exteriores em Pequim, a China é o segundo maior usuário do Canal de Panamá.

Para o chanceler chinês, este é um momento histórico para as relações sino-panamenhas que começam um novo capítulo. “Esta importante decisão tomada pelo presidente [Juan Carlos] Varela corresponde aos interesses nacionais do Panamá e concorda plenamente com a tendência de desenvolvimento de nossa era e com a configuração internacional de uma só China”, disse.

Taiwan

China e Taiwan têm uma divergência de mais de seis décadas por questões de soberania. A China considera a ilha uma província chinesa, enquanto Taiwan se autoproclama um Estado autônomo.

No início de 2016, Taiwan elegeu pela primeira vez uma mulher para presidente. Uma das primeiras medidas adotadas por Tsai Ing-wen foi anunciar que se recusaria a aceitar a noção de uma China unificada sob o comando de Pequim.

O presidente chinês Xi Jinping declarou, em meados do ano passado, que a China não aceitará nenhuma ação voltada à obtenção de independência por Taiwan e se oporá às forças separatistas.

*A repórter viajou a convite do Centro de Imprensa China-América Latina e Caribe

Edição: Graça Adjuto
 
Agência Brasil
 
 

junho 13, 2017 Posted by | Internacional | , , | Deixe um comentário

They want me to fight China. It’s gonna be a massacre!

Publicado em 22 de mai de 2017

The Philippines should have stronger ties with Russia and China, as Western nations are only interested in double talk and disregard Philippines interests, President Rodrigo Duterte told RT and other Russian media ahead of his visit to Moscow.

RT LIVE http://rt.com/on-air

Subscribe to RT! http://www.youtube.com/subscription_c…

Like us on Facebook http://www.facebook.com/RTnews
Follow us on Twitter http://twitter.com/RT_com
Follow us on Instagram http://instagram.com/rt
Follow us on Google+ http://plus.google.com/+RT
Listen to us on Soundcloud: https://soundcloud.com/rttv

RT (Russia Today) is a global news network broadcasting from Moscow and Washington studios. RT is the first news channel to break the 1 billion YouTube views benchmark.

maio 22, 2017 Posted by | english | , , , | Deixe um comentário

Cúpula do Brics na China em setembro pretende fortalecer cooperação Sul-Sul

Ana Cristina Campos – Enviada especial da Agência Brasil*
O secretário-geral do Partido Comunista de Xiamen, Pei Jinjia, fala sobre a reunião do Brics, marcada para setembro na cidade chinesa - Foto Ana Cristina Campos/Agência Brasil
O secretário-geral do Partido Comunista de Xiamen, Pei Jinjia, fala sobre a reunião do Brics, marcada para setembro na cidade chinesa – Ana Cristina Campos/Agência Brasil

A 9ª Cúpula do Brics, bloco formado pelo Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul, que ocorrerá em setembro na cidade chinesa de Xiamen, pretende aprofundar a cooperação pragmática entre os países-membros e fortalecer a governança para fazer frente aos desafios globais, segundo o governo chinês.

A 100 dias do início da cúpula do grupo de economias emergentes, o secretário-geral do Partido Comunista de Xiamen e autoridade máxima da cidade, Pei Jinjia, disse hoje (22) que uma das prioridades do governo chinês é fortalecer a cooperação Sul-Sul. Ele destacou que o encontro pretende ser uma importante plataforma para atingir esse objetivo.

“Expandir a cooperação Sul-Sul vai contribuir para a promoção da globalização da economia e o fortalecimento das parcerias econômicas”, afirmou, em entrevista coletiva, em Xiamen.

A cúpula que reunirá os chefes de Estado e de governo dos cinco países-membros do bloco ocorrerá na cidade chinesa entre os dias 3 e 5 de setembro, sob o tema “Brics: parceria mais forte para um futuro mais brilhante”.

Xiamen

Situada na província de Fujian, na Costa Sudeste da China, Xiamen foi umas das primeiras a conseguir o status de zona econômica especial, em 1980. As zonas econômicas especiais chinesas têm como características a abertura ao investimento estrangeiro, a adoção de incentivos fiscais e a produção industrial diversificada destinada especialmente às exportações.

A cidade chinesa de Xiamen, onde será realizada em setembro a reunião do Brics - Foto Ana Cristina Campos/Agência Brasil
A cidade chinesa de Xiamen, onde será realizada em setembro a reunião do Brics – Ana Cristina Campos/Agência Brasil

Importante cidade portuária, Xiamen também tem entre suas principais atividades econômicas a indústria pesqueira, a construção naval, a produção de máquinas e equipamentos e os setores de telecomunicações e de serviços financeiros. Outro destaque da economia local é o parque tecnológico voltado para a indústria de software.

O secretário-geral de Xiamen disse que a localidade está preparada para receber as delegações internacionais. “Aqui é um importante centro econômico e turístico, pioneiro na política de abertura e reforma [econômicas], acrescentou.

Segundo Pei Jinjia, o trabalho de preparação da cidade para sediar a cúpula foi conduzido paralelamente à reconstrução da infraestrutura destruída pelo tufão Meranti, que atingiu a região em meados de setembro do ano passado.

*A repórter viajou a convite do Centro de Imprensa China-América Latina e Caribe

Edição: Graça Adjuto

 

maio 22, 2017 Posted by | Internacional | , , | Deixe um comentário

Alianzas ante la incertidumbre

Publicado em 17 de mai de 2017

Este miércoles en ‘El Zoom’ analizamos la importancia de las alianzas y de la cooperación ante los nuevos retos de la comunidad internacional. Con motivo del Foro de la Franja y la Ruta, Javier Rodríguez Carrasco analiza la inestabilidad política y económica que conlleva el mandato de Trump y trata de arrojar un poco de luz sobre el futuro de cuestiones tan relevantes como la guerra en Siria o la crisis con Corea del Norte bajo la batuta del imprevisible presidente estadounidense.

MÁS EPISODIOS DE EL ZOOM: https://actualidad.rt.com/programas/zoom

¡Suscríbete a RT en español!
http://www.youtube.com/user/Actualida…

RT en Twitter: https://twitter.com/ActualidadRT
RT en Facebook: https://www.facebook.com/ActualidadRT
RT en Google+: https://plus.google.com/+RTenEspanol/…
RT en Vkontakte: http://vk.com/actualidadrt

Vea nuestra señal en vivo: http://actualidad.rt.com/en_vivo

RT EN ESPAÑOL: DESDE RUSIA CON INFORMACIÓN

maio 17, 2017 Posted by | Espanhol | , , , , | Deixe um comentário

Peligro latente

Publicado em 6 de mai de 2017

El debate de ‘El Zoom’ aborda la tensión que se respira en la península de Corea. Javier Rodríguez Carrasco examina, con la ayuda de expertos, los elementos que pueden hacer estallar la delicada situación en la zona: sanciones de EE. UU. contra Pionyang, amenazas de Kim Jong-un de nuevas pruebas con misiles, firme rechazo de China al despliegue del THAAD e inestabilidad política del Gobierno de Seúl. Un escenario explosivo que puede saltar por los aires en cualquier instante.

MÁS EPISODIOS DEL PROGRAMA: https://es.rt.com/53hb

¡Suscríbete a RT en español!
http://www.youtube.com/user/Actualida…

RT en Twitter: https://twitter.com/ActualidadRT
RT en Facebook: https://www.facebook.com/ActualidadRT
RT en Google+: https://plus.google.com/+RTenEspanol/…
RT en Vkontakte: http://vk.com/actualidadrt

Vea nuestra señal en vivo: http://actualidad.rt.com/en_vivo

RT EN ESPAÑOL: DESDE RUSIA CON INFORMACIÓN

maio 6, 2017 Posted by | english | , , , | Deixe um comentário

America-China Financial Wars

Publicado em 29 de abr de 2017

Check Keiser Report website for more: http://www.maxkeiser.com/

In this episode of the Keiser Report, Max and Stacy discuss the ‘total fool’ speculator who bombed the Borussia Dortmund team bus in order to profit from shares falling. They also discuss global debt exploding to 325 percent of global gross GDP. In the second half, Max interviews Alasdair Macleod of Macleod Finance and Goldmoney.com. They discuss America’s financial war strategy and whether or not it has already failed in this war against China.

WATCH all Keiser Report shows here:
http://www.youtube.com/playlist?list=… (E1-E200)
http://www.youtube.com/playlist?list=… (E201-E400)
http://www.youtube.com/playlist?list=… (E401-E600)
http://www.youtube.com/playlist?list=… (E601-E800)
https://www.youtube.com/playlist?list… (E801-E1000)
https://www.youtube.com/playlist?list… (E1001 – Current)

RT LIVE http://rt.com/on-air

Subscribe to RT! http://www.youtube.com/subscription_c…

Like us on Facebook http://www.facebook.com/RTnews
Follow us on Twitter http://twitter.com/RT_com
Follow us on Instagram http://instagram.com/rt
Follow us on Google+ http://plus.google.com/+RT
Listen to us on Soundcloud: https://soundcloud.com/rttv

RT (Russia Today) is a global news network broadcasting from Moscow and Washington studios. RT is the first news channel to break the 1 billion YouTube views benchmark.

abril 29, 2017 Posted by | english | , , , | Deixe um comentário

Silicon Valley Destruction

Publicado em 25 de abr de 2017

Check Keiser Report website for more: http://www.maxkeiser.com/

Max and Stacy discuss the fact that Silicon Valley is being destroyed and $400 juicers are the evidence. Max interviews Dan Collins of TheChinaMoneyReport.com about China’s tech sector coming up with all the innovations while drawing in all the investment. While Silicon Valley wastes capital on complex juicers, China attracts 50% of global fintech investment and its digital payments market is 50 times larger than America’s.

RT LIVE http://rt.com/on-air

Subscribe to RT! http://www.youtube.com/subscription_c…

Like us on Facebook http://www.facebook.com/RTnews
Follow us on Twitter http://twitter.com/RT_com
Follow us on Instagram http://instagram.com/rt
Follow us on Google+ http://plus.google.com/+RT
Listen to us on Soundcloud: https://soundcloud.com/rttv

RT (Russia Today) is a global news network broadcasting from Moscow and Washington studios. RT is the first news channel to break the 1 billion YouTube views benchmark.

abril 25, 2017 Posted by | english | , , , | Deixe um comentário

Madre mía, ¡este hombre está loco! Vamos a comprar oro

Publicado em 22 de abr de 2017

En este episodio de Keiser Report, Max y Stacy se preguntan si ha llegado a su fin la época del dinero fácil. En la segunda parte Max entrevista a Mike Maloney, de GoldSilver.com, sobre las tasas de interés, el dinero gratis y el oro.

TODOS LOS EPISODIOS: https://actualidad.rt.com/programas/k…

¡Suscríbete a RT en español!
http://www.youtube.com/user/Actualida…

RT en Twitter: https://twitter.com/ActualidadRT
RT en Facebook: https://www.facebook.com/ActualidadRT
RT en Google+: https://plus.google.com/+RTenEspanol/…
RT en Vkontakte: http://vk.com/actualidadrt

Vea nuestra señal en vivo: http://actualidad.rt.com/en_vivo

RT EN ESPAÑOL: DESDE RUSIA CON INFORMACIÓN

abril 22, 2017 Posted by | Espanhol | , , , , | Deixe um comentário

China doesn’t want unified Korea aligned with US

abril 19, 2017 Posted by | english | , , | Deixe um comentário

Viéndolas venir

março 15, 2017 Posted by | Espanhol | , , , , , | Deixe um comentário

Rusia y China vetan la resolución del Consejo de Seguridad sobre las sanciones contra Siria

fevereiro 28, 2017 Posted by | Espanhol | , , , , , , | Deixe um comentário

Presidente chinês adverte Trump em Davos: “Globalização é irreversível”

encontros imperiais

Impérios Atuais

Da Rádio França Internacional

O presidente chinês Xi Jinping afirmou nesta terça-feira (17), em Davos, onde abriu o Fórum Econômico Mundial, que culpar a globalização não resolverá os problemas do mundo. O discurso foi um recado à política protecionista e isolacionista defendida pelo presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump. As informações são da Rádio França Internacional.

Essa é a primeira vez que um presidente chinês participa do Fórum Econômico Mundial. E o mandatário Xi Jinping chegou a Davos com um surpreendente discurso de defensor do livre comércio, alertando contra as guerras comerciais e recuos no processo de globalização.

“Temos que continuar defendendo o desenvolvimento do livre comércio (…) e dizer não ao protecionismo”, martelou o líder chinês diante dos 3.000 líderes econômicos e políticos reunidos na cidade dos Alpes suíços. “Qualquer tentativa de interromper os fluxos de capital, tecnologias e produtos (…) é impossível e vai contra a marcha da história”, salientou.

Recado claro

A mensagem de Xi Jinping à elite mundial visou implicitamente Donald Trump, que assume a presidência da primeira potência mundial na próxima sexta-feira (20) e vem acusando abertamente a globalização de destruir milhares de empregos nos Estados Unidos.

Trump, que não participa do Fórum, já prometeu abandonar o Acordo de Associação Transpacífico (TPP), um tratado de livre comércio assinado em 2015 entre 12 países da América do Norte e do Sul e da Ásia. Ele também ameaça criar barreiras alfandegárias com o México e a China, além de depreciar com frequência a Organização Mundial do Comércio (OMC), dirigida pelo brasileiro Roberto Azevêdo.

Xi Jinping também critica as instituições multilaterais, como a OMC, consideradas por ele “inadequadas” e “pouco representativas”. O líder comunista defende contudo um reequilíbrio da globalização “que deve ser mais inclusiva e sustentável”. A China quer aproveitar a gestão de Trump para reforçar sua posição de segunda potência mundial e redesenhar como lhe convém o mapa do comércio mundial.

Responsabilidade mundial

Consciente do movimento contrário à globalização em vários países, o tema do Fórum Econômico Mundial este ano é “a responsabilidade dos líderes”. Klaus Schwab, fundador do evento nos anos 70, estima que a elite mundial deve buscar a razão pela qual as pessoas estão irritadas e insatisfeitas. Ele se refere à eleição de Trump nos EUA, mas também ao referendo pelo Brexit, por exemplo.

O Fórum Mundial avalia que a exclusão social e as desigualdades são os principais perigos para 2017 e publicou na segunda-feira (16) um estudo que mostra que a renda média anual retrocedeu nos países desenvolvidos nos últimos cinco anos. “Devemos ouvir o que as pessoas dizem. As vantagens da globalização são mais claras nos países emergentes que nos países desenvolvidos”, comentou Sergio Ermotti, chefe do banco suíço UBS.

“Como acontece todos os anos, com a cumplicidade da grande mídia, as elites tentarão passar uma imagem positiva de sua ‘liderança’ sobre a globalização. Mas serão obrigadas a levar em conta a revolta crescente dos povos, que perturba a ordem neoliberal”, denunciou a ONG Attac.

Agência Brasil

janeiro 17, 2017 Posted by | Internacional | , , , | Deixe um comentário

Primeira missão espacial tripulada da China

outubro 17, 2016 Posted by | Espanhol | , , | Deixe um comentário

Rússia vai emitir títulos da dívida em Yuan

Moeda Chinesa

Moeda Chinesa

Rússia emitirá na China títulos da dívida  em yuan, como uma alternativa para títulos em dólar. Esta decisão facilitará a entrada de empresas russas no mercado do gigante asiático,  considerando também a possibilidade de transações em moeda chinesa.

“Estamos preparando um projeto piloto em yuan no mercado internacional”, disse o diretor do Departamento da Dívida do Ministério das Finanças russo, Konstantin Vyshkovski, citado pela Bloomberg,  ele relata que em 2016 Moscou pretende atrair cerca de 3 bilhões de dólares em empréstimos estrangeiros.

Os títulos serão oferecidos na parte continental da China, utilizando para isso a infra-estrutura financeira da Rússia. “Estamos falando de uma nova categoria de investidores estrangeiros. É uma alternativa, um mercado grande e receptivo”, disse Vyshkovski.

A primeira venda de títulos em yuan irá mostrar que a Rússia é um mercado interessante. De fato, os investidores chineses já compraram o equivalente a 1 bilhão de dólares da dívida pública em rublos, acrescentou o funcionário.

As autoridades russas estão analisando “aspectos técnicos” para a venda de títulos na China, Vyshkovski  não especificou o montante da dívida a ser oferecido. Moscou e Pequim permanecem acertando detalhes financeiros, além de acordos bilaterais entre bancos centrais para impulsionar o comércio em moedas locais e reduzir a dependência em relação ao dólar.

Fonte : RT-TV

PIB dos BRICS deve ultrapassar os EUA

Previsão de crescimento do PIB por país

novembro 2, 2015 Posted by | Internacional | , , | Deixe um comentário

Rusia emitirá deuda denominada en yuanes

 

Rusia emitirá en China deuda denominada en yuanes, como una alternativa a los bonos en dólares. Esta decisión facilitará a las empresas rusas la entrada en el mercado del gigante asiático, que también consideran la posibilidad de realizar transacciones en la moneda china.

“Estamos preparando un proyecto piloto en yuanes en el mercado internacional”, dijo el director del Departamento de Deudas del Ministerio de Finanzas ruso, Konstantin Vyshkovski, citado porBloomberg, que informa que en 2016 Moscú tiene la intención de atraer unos 3.000 millones de dólares en préstamos del extranjero.

Los bonos se colocarán en la parte continental de China, utilizando para esto la infraestructura financiera rusa. “Estamos hablando de una nueva categoría de inversores extranjeros. Es una alternativa, un mercado grande y receptivo”, señaló Vyshkovski.

La primera venta de bonos denominados en yuanes mostrará que Rusia es un mercado interesante. De hecho, los inversores chinos ya han comprado el equivalente a 1.000 millones de dólares de deuda pública denominada en rublos, agregó el funcionario.

Las autoridades rusas están analizando “los aspectos técnicos” para la venta de obligaciones en China, señaló Vyshkovski, quien no especificó el volumen de deuda que se ofrecerá. Moscú y Pekín siguen acercando posiciones a nivel financiero además de sus acuerdos bilaterales entre bancos centrales de swaps de divisas para fomentar el comercio en monedas locales yreducir la dependencia del dólar.

RT-TV

novembro 2, 2015 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

Maior congestionamento de trânsito do planeta

colapso no trânsito

Engarrafamento de Veículos

Um colapso de trânsito terrível deixa milhares de pessoas presas em uma rodovia que liga Macau e Pequim, quando os moradores de Pequim  retornavam após a celebração do Dia Nacional.

O congestionamento espetacular deixou milhares de motoristas presos nos arredores da capital chinesa a partir das 14:00 horas do dia 6 de Outubro, informa o site de notícias Mashable.

O engarrafamento ocorreu na estrada G4 Pequim-Hong Kong-Macau, que tem 50 faixas, e foi gravado a partir de um helicóptero por repórteres da rede de televisão Legal Evening News.

Em 6 de outubro, último dia do Feriado Nacional, que dura uma semana inteira, centenas de milhares de pessoas da capital chinesa, Pequim, voltavam de suas férias.

Embora o congestionamento na  estrada G4 seja terrível,  não é comparável com o famoso engarrafamento de 100 km registrado na China em 2010. Neste colápso, considerado o maior da história, milhares de motoristas ficaram com seus veículos presos por 11 dias.

Veja o vídeo

Fonte do Texto: RT-TV

China volta-se para Serra Leoa

Dez empresas com mais empregados no mundo

Empresas mais importantes do mundo

outubro 9, 2015 Posted by | Internacional | , , , | Deixe um comentário

El peor atasco de tráfico de la historia

colapso no trânsito

Engarrafamento de Veículos

Un terrible colapso circulatorio deja atrapadas a miles de personas en una autopista que comunica Macao y Pekín cuando los habitantes de la capital china regresaban tras la celebración del Día Nacional.
El espectacular atasco dejó atrapados a miles de conductores en las afueras de la capital china desde las 14:00 del pasado 6 de octubre, informa el portal de noticias Mashable.

El embotellamiento se produjo en la autopista G4 Pekín–Hong Kong–Macao, que cuenta con 50 carriles y fue grabado desde un helicóptero por reporteros de la cadena Legal Evening News.

El 6 de octubre, último día de la fiesta nacional, que se prolonga una semana entera, cientos de miles de habitantes de la capital china regresaban a Pekín de sus vacaciones.

Aunque el atasco en la autopista G4 fue terrible, no se puede comparar, sin embargo, con el famoso embotellamiento de 100 kilómetros que fue registrado en China en 2010. En este atasco, considerado el mayor de la historia, miles de conductores se quedaron encerrados en sus vehículos 11 días.

Video

Fonte do texto RT-TV

outubro 9, 2015 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

Socialismo – China X URSS

comunismo chinês

Diferenças Socialistas

  1. A ideia de que a tomada violenta do poder pode ser feita não por uma insurreição armada de base operária que tome o poder de Estado e depois o consolide mediante a guerra civil, como sucedeu na Rússia, mas sim por uma inversão da ordem das coisas: primeiro a guerra civil, de base camponesa e prolongada, que acabe por cercar e conquistar as cidades e finalmente tomar o poder de Estado. Mao defendeu a ideia de que o campesinato era uma força revolucionária que poderia ser mobilizada pelo Partido Comunista sob o seu liderado. Ainda mais: considerava que a força motora da revolução devia ser a imensa massa camponesa que sobrevivia nas relações quase feudais do latifúndio chinês, enquanto o proletariado devia ser a força diretriz.
  2. Associada à ideia anterior, a denominada linha de massas. Enquanto Lenin considerava que para a tomada do poder não era necessário, nem sequer possível, ter o apoio da maioria dos operários e muito menos dos camponeses, e que era a própria tomada do poder que poderia depois permitir conseguir esse apoio, com alguns decretos populares (a paz, a terra e o pão), Mao defendia que era preciso desde o princípio lograr o apoio permanente dos operários e sobretudo dos camponeses à guerra civil, mediante uma sintonia profunda entre o Partido e as aspirações populares. É por isso que o maoísmo se tornou o modelo de todas as guerras de guerrilha posteriores. A linha de massas deu ao maoísmo uma natureza sempre diferente da do bolchevismo e das experiências socialistas típicas dos países europeus. De um modo geral, as execuções de “inimigos do povo” eram precedidas de julgamentos com grande participação popular, com um intuito pedagógico muito diferente do dos métodos aplicados pela Tcheka, caracterizados, após a guerra, pelo desaparecimento silencioso dos opositores. Os militares do exército branco que se rendiam eram em regra integrados no exército vermelho, e muitos oficiais e patrões foram também aceitos, desde que aceitassem honestamente a direção do partido. De um modo geral, pode-se dizer que o comunismo maoísta nunca teve semelhanças com a experiência socialista da União Soviéticaou dos países do Leste europeu. Talvez o melhor exemplo dessa diferença seja o destino dado ao monarca do regime deposto na Rússia e na China: enquanto na primeira ele foi fuzilado, bem como toda a sua família e criadagem, sem julgamento, na China o imperador foi “reeducado” e mais tarde empregado como cicerone do palácio que outrora fora dele e que depois passou a ser aberto ao povo.
  3. Ligada às anteriores, a utilização do campesinato para a revolução. Embora Marx e Engels colocassem a responsabilidade da revolução no proletariado e mais especificamente Lenin se centrasse no proletariado urbano e na inteletualidade próxima ao POSDR, a linha de massas de Mao obrigava a dirigir-se à maioria social do país, que era de base camponesa. O campesinato ganhava assim uma centralidade que não tinha no caso da experiência russa, onde era absolutamente ignorado.
  4. Permanência das classes sociais. Segundo Mao, as classes sociais permanecem depois da tomada de poder pelos revolucionários, de modo que também deve continuar a luta de classes durante o governo socialista, já que a burguesia mantém, após a revolução, a capacidade de restaurar o capitalismo. Evitar que isso acontecesse na China foi o principal motivo para organizar a Grande Revolução Cultural Proletária

Fonte: Wikipedia

Verdade inconveniente do Tibet

agosto 31, 2015 Posted by | Política | , , , | 1 Comentário

China vende títulos do tesouro dos EUA

Estratégia da China

Economia Chinesa

China está freneticamente reduzindo suas reservas de títulos do Tesouro dos EUA  este mês, a fim de obter os dólares para manter o yuan em meio a desvalorização sofrida há duas semanas, dizem fontes familiarizadas com o assunto. No entanto, o governo chinês não confirma esta informação.

Segundo a fonte citada pela Bloomberg, que não quis ser identificada, os canais para tais transações incluem a China vendendo diretamente suas reservas ou através de agentes na Bélgica e na Suíça. O gigante asiático já anunciou as vendas para as autoridades norte-americanas, mas não informou os números dessas vendas, diz outra fonte. No entanto, o Banco Popular da China e da Embaixada dos EUA em Pequim não quis  comentar sobre o assunto com os jornalistas.

O fato de a China vender títulos do Tesouro “não é uma surpresa, mas é algo que não tem sido bem considerado”, disse Owen Callan, estrategista de renda fixa do banco Fitzgerald  em Dublin.  “Isso teria mudado um pouco menos as perspectivas no mercado de Tesouros, se as pessoas tivessem notado preços há seis meses, aproximadamente quando a China começou a realizar uma liquidação abrangente de suas reservas”, explica o analista.

“Vendendo seus títulos para apoiar a moeda nacional, a China impede que os rendimentos dessa venha cair ainda mais, embora tenhamos visto uma queda acentuada no mercado de ações”, disse à Bloomberg na quarta-feira, David Woo, diretor global de pesquisa de taxas de juros  e de câmbio no Bank of America. “A China tem um impacto direto sobre os mercados globais através das taxas dos EUA”, disse Woo.

O Banco Popular da China vendeu seus ativos de reserva, incluindo títulos do tesouro, por, pelo menos, 106 bilhões de dólares nas últimas duas semanas, de acordo com a estimativa da empresa de serviços financeiros Societe Generale SA. Especialistas dizem que esses dados confirmam o fato de que na quinta-feira o mercado à vista abriu em 6.4155 yuans por dólar, mas reverteu perdas anteriores e fechou em alta de 0,08% para 6.4053 yuan por dólar.

Fonte: RT-TV

O Brasil segundo o IBGE

Previsão do PIB dos ricos e emergentes

China tem maior reserva cambial do mundo

2.011 – Bolsas perdem 6,7 trilhões

agosto 29, 2015 Posted by | Internacional | , , | Deixe um comentário

China se deshace bonos del Tesoro de EE.UU.

Estratégia da China

Economia Chinesa

China está disminuyendo frenéticamente sus reservas de bonos del Tesoro de EE.UU. durante este mes con el objetivo de conseguir los dólares necesarios para mantener el yuan en medio de la devaluación sufrida hace dos semanas, afirman fuentes familiarizadas con el asunto. Sin embargo, el Gobierno chino no confirma esta información.

Según la fuente citada por Bloomberg, que ha declinado ser identificada, los canales para dichas transacciones incluyen a China vendiendo directamente sus reservas, o bien a través de agentes en Bélgica y Suiza. El gigante asiático ya ha comunicado las ventas a las autoridades estadounidenses, pero no ha informado sobre el volumen de las mismas, afirma otra fuente. Sin embargo, el Banco Popular de China y la Embajada de Estados Unidos en Pekín no respondieron a solicitudes de comentarios al respecto por parte de periodistas.

El hecho de que China venda los bonos del Tesoro “no es una sorpresa, pero es algo que no ha sido bien considerado”, comenta Owen Callan, un estratega de renta fija del banco Cantor Fitzgerald LP en Dublín. “Esto habría cambiado en menor medida las perspectivas sobre el mercado de los bonos del Tesoro si la gente se hubiera fijado en los precios hace seis meses, aproximadamente cuando China empezó a realizar una amplia liquidación de sus reservas”, explica el analista.

“Vendiendo sus bonos del Tesoro para apoyar la moneda nacional, China impide que los rendimientos de estos vayan más a la baja a pesar de que hemos visto una fuerte caída en el mercado de valores”, expresó a Bloomberg este miércoles David Woo, director global de investigación de tasas de interés y divisas en Bank of America. “China tiene un impacto directo en los mercados globales a través de las tasas de Estados Unidos”, subrayó Woo.

El Banco Popular de China ha vendido sus activos de reserva, incluyendo los bonos del Tesoro, por al menos 106.000 millones de dólares en las últimas dos semanas, de acuerdo con la estimación de la empresa de servicios financieros Societe Generale SA. Los expertos sostienen que estos datos confirman el hecho de que este jueves el mercado al contado abrió a 6,4155 yuanes por dólar, pero revirtió sus pérdidas iniciales y cerró con un alza del 0,08%, a 6,4053 yuanes por dólar.

Fonte: RT-TV

 

agosto 29, 2015 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

Rothschild vai investir ouro na China

Ouro dos Rothschilds

Olhar sobre a China

A Lendária família dos Rothschilds está interessada em redistribuir as reservas mundiais de ouro para o mercado chinês, dizem os especialistas, analisando as recentes atividades da família.

Um recente acordo dos Rothschilds como consultor financeiro para a diretoria da empresa exportadora de ouro espanhola, Gold Mountain, juntamente com outros dados, é um sinal inequívoco do interesse da dinastia em aumentar seu controle estratégico sobre o ouro, movendo-se em direção aos mercados emergentes e bancos centrais de todo o mundo.

No início deste século, Jacob Rothschild anunciou que sua empresa de investimentos, RIT Capital Partners, organizou corridas de preços do ouro, mas deixava de fazer o que deveria para reduzir os preços.

No entanto, estas manobras poderiam ser apenas parte dos planos dos Rothschilds para comprar grandes quantidades de ouro quando atingirem seu preço mínimo. Atualmente, com a instabilidade das principais moedas do mundo, a demanda pelo ouro vai crescendo e os Rothschilds não querem perder sua influência no mundo financeiro.

Ao mesmo tempo, a própria família demonstra o seu claro interesse nos mercados emergentes orientais, principalmente na China. Os planos chineses de desenvolvimento para os anos 2.011-2.015, oferece grandes oportunidades para os investidores chineses e a “RIT Capital Partners pretende aproveitá-las”, disse Jacob Rothschild, durante uma viagem à China.

O Governo chinês aposta em sete ramos da indústria, tais como: biotecnologia, energias alternativas, produtos inovadores e novas TI. Atualmente as empresas destes setores já atingem 3% do PIB do país, mas para 2.020 deverá chegar a 15%. Por isso a dinastia de banqueiros de origem alemã poderia usar suas reservas de ouro para investir na China.

Fonte: RT-TV

Comentários: Deixem-me ver se entendi bem: Os Rothschilds que tem boa parte do ouro do mundo em suas mãos, controlando as outras partes das quais não são donos, pretendem investir nos planos de desenvolvimento tecnológico chinês que, segundo as previsões, saltaria de 3% para 15% nas sete principais áreas da indústria tecnológica chinesa.

Como observamos em outros artigos, a China dobrou as suas reservas em ouro, mas continua com apenas 2%, do total de suas reservas internacionais em ouro. Aproveitando-se desse interesse chinês, os Rothschilds direcionam o ouro para a China, com o intuito de investir nas áreas que deverão crescer; a oferta de ouro controlada pelos Rothschilds faria com que o preço do ouro caísse, enquanto o grupo investe em áreas que crescem.

Quando o preço do ouro estiver com sua cotação mínima, os Rothschilds começarão a comprar o ouro de volta mas, dessa vez, numa escala muito maior. Naturalmente, não será o ouro chinês que será comprado, mas o ouro do resto do mundo, surgindo daí a nova ordem mundial.

Atualmente, os donos do mundo já controlam a maior potência do planeta, EUA, com 16 trilhões de dólares em dívidas. Apesar disso, os EUA achavam que estavam bem, já que tem a maior reserva de ouro do mundo, mais de 70%.

Se os EUA quebrarem, as riquezas serão redirecionadas para a China, ninguém vai querer comprar títulos americanos.

Apesar do interesse chinês, seria bom que eles prestassem atenção na história econômica americana e tomassem muito cuidado onde pisam. A china está sendo beneficiada pelos donos do mundo, mas não é a China que está controlando o mercado financeiro, são eles.

Os Rothschilds financiaram o nazismo, mas quando Hitler tornou-se ditador, abandonou todas as suas bases, desde religião e política, até financeira, com isso os Rothschilds tiveram suas riquezas confiscadas e saíram do país.

Depois disso, os banqueiros conseguiram se recuperar, mas tem abandonado o sistema monetário, preferindo áreas menos instáveis, como vinhos, artes e ouro.

A vida dos ricos é muito difícil de ser compreendida, uma área que vale um bilhão, pode valer muito menos no papel, ocultando toda a sua riqueza, por isso, ninguém sabe o valor das riquezas dos Rothschilds, simplesmente porque suas riquezas não estão avaliadas.

Comentários: By Jânio

Nova ordem dos Rothschilds

Guerras modernas

História universal das riquezas

março 15, 2013 Posted by | Resumos Semanais. | , , , , , | 3 Comentários

China passa EUA em parceiros comerciais

Top Parceiros Comerciais

Top Parceiros Comerciais

A China assume o posto de país com o maior número de parceiros comerciais do mundo, título que pertenceu aos EUA durante os últimos cem anos. Especificamente falando, era Washington quem possuía mais parceiros.

Se antes da crise financeira global, os EUA era o parceiro comercial mais importante para 127 países, enquanto a china era o parceiro mais importante para 70 países, hoje essa situação se inverteu. Pequim está com 124 países, enquanto Washington é o parceiro mais importante para 76, segundo dados da agência de notícias Associated Press, que baseia sua análise em dados do Fundo Monetário Internacional – FMI.

A nível global, os EUA ainda tem o maior volume de comércio, já que comercializa com os países mais ricos, mas essa supremacia também poderá cair, já que o antigo G-7 já não tem boa perspectiva, segundo analistas da AP. Entre os anos de 2.000 e 2.008, o comércio internacional da China aumentou mais de quatro vezes, as exportações cresceram 474% e as importações, 403%.

O analista Francisco González Tejera opina que esta situação se deve ao fato de os EUA terem conduzido uma política de maneira desastrosa, forçando várias empresas a se instalarem em outros países, como a China.

Com a nefasta política americana com outros povos e até com sua própria população, está gerando uma grande desolação do povo americano e até mesmo o aumento progressivo da pobreza”. Disse o analista da RT-TV.

A crise financeira global a partir de 2.008, mostrou a capacidade de recuperação da economia chinesa. Pequim também sofreu, mas muito menos do que Washington ou qualquer economia da Europa. Apesar da depressão nos mercados ocidentais, as importações chinesas cresceram 73% desde 2.009 e as exportações cresceram 58%, principalmente através do comércio com os países em desenvolvimento.

Este ano, apesar da queda na demanda internacional, a economia chinesa voltou a mostrar sua tendência de crescimento. Segundo dados preliminares, as exportações aumentaram em pelo menos 7%, enquanto o Serviço Estatal de Estatísticas dos relatórios dos países informa que o volume de lucros líquidos das maiores empresas industriais aumentou 20,5%, em outubro, em relação ao ano passado.

Mas nem todos os prognósticos sobre o “milagre chinês” são igualmente otimistas. A agência americana de classificação de risco, Moody’s, por sua vez, mostra-se mais reservada. Segundo seus especialistas, entre os anos de 2.012 e 2.014 o crescimento da economia do país vai desacelerar e não passará de 7,5%. Eles advertem, ainda, que a partir de 2.015 a população ativa começará a diminuir. No entanto, outro pilar do setor de classificações de risco, a agência S & P, é mais positiva sobre isso, confirma a nota de solvência da China a nível “AA-/A-1” e prevê que o país voltará às taxas estáveis de crescimento, graças ao potencial que tem, baixo nível da dívida pública e de suas reservas.

Fonte: RT-TV

dezembro 10, 2012 Posted by | Internacional | , , , , , , | Deixe um comentário

Brasil poderá ter sua própria moeda internacional

moeda internacional

O banco de desenvolvimento da China está a ponto de firmar um acordo com o bloco BRICS (integrado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) para ampliar a esses países, empréstimos em sua própria moeda.

Este acordo tem por objetivo impulsionar o comércio internacional e internacionalizar o Yuan, convertendo a moeda chinesa em um meio de pagamento do comércio internacional, além de reduzir a imensa reserva de dólares da China.

Desta maneira, as nações do grupo BRICS poderiam também usar sua própria moeda.

Para a China, competir com o dólar será um grande desafio, competindo nas transações internacionais e mercado de crédito.

Essa iniciativa do Banco de Desenvolvimento da China, aliado ao forte crescimento do BRICS, poderia atrair outros países para o bloco. Pelo menos é o que acredita o analista financeiro Eduardo Ávila.

“A causa da última crise foi a força da moeda. Juntos, notamos como as economias avançadas tem problemas e, por outro lado, como as economias emergentes estão tendo um bom desempenho, confirma esse especialista.

Segundo Ávila, trata-se de um elemento importante que atrai um número significativo de todo tipo de países, sobretudo emergentes, que buscam o benefício do crescimento que estão tendo esses países.

Atualmente, menos de 13% do comércio da China com a Ásia tramita em Yuanes. entretanto, os especialistas do banco HSBC calculam que a participação da moeda no comércio regional poderá chegar à 50% nos próximos três anos.

Comentário: É muito interessante essa iniciativa do governo chinês. Já há algum tempo, o BRICS demonstrou interesse em impor suas próprias moedas no mercado internacional, como comentamos aqui no blog, mas os países desenvolvidos tem seus próprios problemas, sem se preocuparem com os países em desenvolvimento.

Enquanto a China apresentava um grande crescimento, mesmo durante a forte crise, o Brasil tinha a economia mais forte do bloco. Tanto um, como o outro, tinham interesse em sua própria moeda internacional.

Especialistas da China chegaram a criticar a política fiscal brasileira, mas o protecionismo brasileiro prevaleceu e a economia da China balançou primeiro, inclusive apresentando um déficit comercial histórico.

Assim como aconteceu em relação a Argentina, na desindexação da moeda, agora os corruptos do Brasil serão salvos pelo problema da China, isso porque a China passou a ser um dos maiores parceiros comerciais do Brasil. Se a China é um grande parceiro, logo, nada mais óbvio que acompanhar sua economia de perto.

Acompanhando o problema de seu parceiro comercial, a China, o Brasil viu a saída que precisava para o problema cambial, aqui. Assim como na China, aqui no Brasil, quanto mais dólares, menor o seu valor.

A queda do valor do dólar no Brasil, coloca em risco o protecionismo econômico, como é o caso da alta taxa de juros.

Resumindo: Essas medidas poderão provar que tudo o que é errado pode dar certo, assim, os impostos ficariam ainda mais altos e continuaria a corrupção e alta taxa de juros para combater a inflação.

Por outro lado, o dólar deixaria de ter tanta importância, resolvendo o problema da balança comercial, sem baixar os juros e sem baixar o roubo também.

Sem concorrência, o Brasil continuará sendo uma panela de pressão e, nós que sempre estivemos a um passo do eixo do mal, comunismo e nazismo, finalmente encontraremos, lá, o nosso lugar.

Fonte: RT-TV

Comentário: By Jânio

Moedas mais valorizadas do mundo

abril 1, 2012 Posted by | segurança | , , , , , | 3 Comentários

Brasil se iguala a China em 2.012

bem ou mal

Riqueza para Ricos

A bolsa ainda não chegou ao recorde de 70.000 pontos e o dólar voltou a cair, mostrando que nem a especulação será suficiente para dar-lhe credibilidade. Além do Orkut, o dólar é a única coisa que só o brasileiro acredita.

Eu acredito que a maioria dos brasileiros que especulavam na bolsa, já arrumaram um emprego, até porque não dá mais para brincar com o governo, pelo menos enquanto o governo tiver trezentos e cinquenta bilhões de dólares de reserva.

Isso me faz lembrar de um amigo que me repreendeu, após eu dizer-lhe que o governo só fechava no vermelho.

– Governo é como igreja, meu amigo, não pode dar lucro, porque se der lucro, alguém está sendo roubado.

Essas palavras nunca me saíram da cabeça, mas o capitalismo é cruel, mesmo sendo o melhor sistema de governo que já foi criado e mesmo já estando falido.

Todo governo tem de ter uma boa reserva, para poder ter o controle sobre a sua própria economia.

Eu me lembro que quando a china começou a se destacar, no início do governo lula, tinha uma reserva de 400 bilhões de dólares. Com essa reserva, era considerada uma das melhores economias do mundo, graças ao crescimento do PIB.

Enquanto isso, no Brasil, Lula conseguia os primeiros 20 bilhões de dólares e chegaria a atingir a incrível marca de 250 bilhões de dólares de reserva, depois de quatro anos. Todo esse dinheiro despertou a cobiça da oposição e até dos próprios aliados.

Logo os escândalos mostrariam que não seria possível aumentar mais que isso.

No fim do governo, Dilma estava desesperada para investir todo aquele dinheiro e foi criado o PAC, mas o problema do início de governo sempre fora um empecilho.

A ideia de deixar a Polícia Federal trabalhar, foi um tiro contra o próprio pé, e o PT não conseguiu nem preencher as vagas destinadas à casa civil, muito menos encontrar empreiteiras que não cometessem escândalos.

Segundo às previsões dos bancos, o Brasil está muito perto de atingir a marca de 400 bilhões de dólares, justamente quando caiu mais um ministro – eu fiquei até pensando comigo: Por quê esse ministro não caiu no fim do ano passado, para o PT começar o ano limpo?

Pelo menos esperou terminar o mês de Janeiro, o que já é considerado uma façanha.

… e pensar que a maior rede de TV do país, divulgou uma pesquisa, afirmando que a popularidade do governo Dilma é maior que a do governo Lula.

Isso é incrível, porque nem os bancos que sempre confiaram na força do governo, acreditam que cairá uma moeda do bolso do governo, sem que a oposição e a polícia fiquem sabendo. Resumindo: a reserva vai aumentar ainda mais.

Os EUA tiveram de decidir rápido, entre o Brasil e a China, decisão difícil, já que somos muito parecidos com a China, mas escolheram o Brasil que é muito mais fácil de manipular. Resta saber se os americanos conseguirão impor no país, graças a sua influência, o padrão de vida de lá.

Mesmo que não consigam influenciar o governo, e caso venham a investir por aqui, irão exigir uma taxa de impostos menor, juros menores, etc., e isso poderá ser um bom começo, mesmo que seja o começo do fim, como dizem meus leitores, o início da bolha.

Bem-vindos ao capitalismo selvagem, socialistas brasileiros, bem-vindos ao Clube de Bilderberg.

By Jânio

fevereiro 3, 2012 Posted by | Política | , , , , , , , , , | 3 Comentários

O descontrole do poder

encontros imperiais

Impérios Atuais

Se os grandes pensadores gregos não acreditavam na democracia, observando atentamente o funcionamento de nosso sistema político, por um momento, temos a impressão que somos um monte de palhaços em fila, no dia das eleições.

Por mais que se discutam teorias de liberalismo, neoliberalismo, comunismo, etc., há sempre um detalhe que passa despercebido – o Clube de Bilderberg, o Brasil tem o seu próprio clube. Em toda eleição, o que poderia parecer vitória acaba se transformando em derrota, quando os políticos vitoriosos passam do discurso para o governo.

Não dá para negar que os antigos oradores já não tem espaço na nova política, mas ainda são notáveis as diferenças entre o político de palanque e o político de mídia. Cada ambiente exige uma habilidade distinta da outra, com as mídias exercendo papel fundamental nas estratégias dos candidatos.

São muitas as diferenças entre os políticos, os partidos, as empresas que patrocinam os políticos e os banqueiros que obtém financiamentos fraudulentos no Brasil e pagam seus políticos com dinheiro que já se encontram em paraísos fiscais, o que acontece, também, no caso das empresas multinacionais e de mídias.

O Governo do PT apresentou tantos escândalos, não só de seu partido, naturalmente, que a política deixou de ser por interesses em eleições, passando a ser permanente.

Burgueses normalmente dizem para quem vão votar, temendo serem descobertos e passam a fazer campanha contra. Essa prática faz com que esses eleitores pareçam um bando de vagabundos sem ideologia nenhuma.

Quando algum candidato me pergunta para quem eu vou votar, normalmente eu falo um monte de bobagens para ele. Essa é a grande vantagem de ser pobre, não ter o rabo preso; de que adiantaria prostituir-se para manter o status social, se o mais importante, a honra, se perdeu.

…e quando eles me fazem alguma ameaça, eu aviso – Cuidado, eu vou falar tudo o que eu sei rs. Eu não sou o Durval Barbosa, mas também não sou o PC Farias. rsrs

A guerra pelo poder acontece somente entre quem tem o poder e, com a chegada da internet, uma situação nova na política surgiu, o povo exercendo o direito de opinar e, portanto, com o poder da palavra.

Sempre haverão grandes grupos, e pequenos grupos também, controlando, ou tentando controlar o poder. Assim como as empresas de tryvertising valorizam os dados de um consumidor em potencial, os políticos valorizam os dados dos eleitores.

Quando votamos, algumas pessoas estão anotando qual é a nossa urna para, mais tarde, saberem em quem votamos. O sistema de legenda também não ajuda muito, pelo contrário, torna o sistema muito mais anti-democrático.

Os americanos, por incrível que pareça, ainda tem um sistema indireto de eleições, baseado na federação de estados/províncias. Aqui no Brasil, tem se discutido muito a respeito de um estado com uma população menor, ter a mesma quantidade de senadores, só não se discute o porquê desses estados terem a população menor ou maior.

Os americanos também não gostam nada da ideia da urna eletrônica, sistema desenvolvido pelos brasileiros, mas isso não tem impedido que eles estejam descendo o morro abaixo, quando o assunto é economia. enquanto se discute qual o país está certo ou errado, a China tem crescido cada vez mais, e novos bilionários chineses tem surgido nas listas de homens ricos.

Enquanto a China se aproveita de sua mão-de-obra escrava para aumentar suas reservas, dependendo das matérias-primas brasileiras para o seu crescimento, aqui no Brasil, os poderosos tem, não só os decadentes americanos como clientes, mas também a nova potência econômica, a própria China. A diferença é que os nossos parasitas atacam a própria carne.

A entrada de um grupo de políticos inexperientes no poder, no Brasil, acabou ajudando no aumento das reservas internacionais, apesar da ambição ser a mesma, sua inexperiência, ou não, em liberar a Polícia Federal para atuar, fez com que o grupo protagonizasse uma série de erros e escândalos, diminuindo a vontade de muitos políticos ambiciosos.

Apesar dos escândalos terem aumentado, as reservas internacionais também tem aumentado, o que não impediu que a dívida pública tenha atingido recordes, o que poderá resultar em uma crise interna, em um futuro bem próximo, quando as empresas estarão sem dinheiro para pagar seus impostos e muitas autoridades, que antes eram pagas para fazer parte da máfia, ficarão sem pagamentos. Nesse dia, haverá um descontrole do poder.

Os parasitas que antes chupavam o sangue dos brasileiros, passarão a disputar as migalhas entre si, sentindo na pele o que sentem os pobres e a classe média baixa, disputando as migalhas que lhe são oferecidas.

…e quando os ricos pensarem em fugir do país, com suas fortunas, descobrirão que os paraísos fiscais já não existem mais, e que a China é uma economia fechada e que no Japão os corruptos estão cometendo suicídio, aí, os pobres terão a sua justiça.

By Jânio

agosto 22, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , | 5 Comentários

PIB dos Brics deve ultrapassar os EUA

moeda internacional

Negócio da China

Por essa o G7 não esperava, por essa nem o FHC esperava.

Segundo analistas chineses, o PIB dos BRICS deverá ultrapassar o PIB dos EUA até 2.015. Baseados nessa pesquisas e em outros dados mais recentes, os BRICS, Brasil, Rússia, Índia, China, e agora a África do Sul, tem progredido muito em seus acordos, resta saber quem levará vantagem nisso.

Tanto a China, quanto o Brasil, querem ver suas moedas entre as moedas utilizadas para o comércio internacional, sem o qual levam uma grande desvantagem frente a outros países que mantém suas moedas desvalorizadas, facilitando suas exportações.

É natural que moedas fortes, como é o caso do Real, possam vir a ser utilizadas pelo comércio internacional, todos os países podem se beneficiar com mais duas moedas, portanto, duas novas opções.

As moedas em uso, dólar, euro, iene e libra, sofreram, e sofrem, os efeitos da grave crise que se abateu sobre a economia mundial, tornando-se desvalorizadas. Isso faz com que esses países tenham uma certa “vantagem” no câmbio, a mesma ladainha a qual nós brasileiros ouvimos a vida inteira.

Caso os BRICS consigam convencer os organismos internacionais a incluir essas duas novas moedas no comércio internacional, todas as empresas exportadoras terão duas moedas fortes e confiáveis, afinal estão sendo avalizadas por suor e sangue derramados pelos povos desses dois países. Na China, o salário de fome e o trabalho infantil ajudam tornar sua economia forte e saudável, enquanto no Brasil nós temos os impostos.

Os impostos do Brasil são tão altos, que cerca da metade de nossas riquezas fica perdida, por sonegação, corrupção ou roubo, criando um efeito cascata difícil de ser mantido nas sombras, devido às novas tecnologias.

Se a globalização era uma ambição dos Bilderbergs, constituindo-se na principal causa da crise global, fica a pergunta: De quem é o interesse pela globalização dos BRICS?

Precisamos voltar no tempo e descobrir quem começou tudo isso, certamente a resposta encontraremos na primeira letra do grupo, “B” de Brasil.

Enquanto a China defende os interesses do império chinês, aqui no Brasil, os interesses sempre foram egoístas e serão capazes de vender o Brasil pela melhor comissão de mercado.

É bom que fique claro que o povo brasileiro não tem nenhuma participação nas negociações, pelo menos o povo aqui de baixo, os pobres.

Antes de criar um novo mercado comum entre países, o mínimo que deveríamos fazer é avaliar as consequências desastrosas do euro. O euro não derrubou só o dólar, criou uma crise que afetou o mundo inteiro.

Certamente a nossa máfia deve estar muito interessada no crescimento chinês, resta saber quais são os planos da China nisso tudo. Um país que não respeita nem os seus próprios cidadãos, deverá ter ainda menos respeito pelos povos de outros países.

Os primeiros acordos entre o Brasil e China foram uma catástrofe, praticamente destruíram a indústria brasileira em um curto período de tempo.

Isso aconteceu, evidentemente, porque o Brasil não se encontrava à altura da China em termos tecnológicos, ainda enfrentamos a mesma situação.

Se a China é capaz de construir um prédio de quarenta andares, em sete dias – isso é apenas um exemplo hipotético – o Brasil levaria sete anos – esse é outro exemplo hipotético – isso se terminasse, caso a construtora não simulasse a própria falência, levando todas as economias dos pobres trabalhadores.

A China é um raríssimo caso de imperialismo perfeito, enquanto no Brasil, o que temos é um bando de trombadinhas que se revezam no poder.

O Brasil é exatamente o oposto, um caso perdido, em quinhentos anos de história patética.

O euro não deu certo porque não foi criado com esse objetivo, a ideia era facilitar as transferências monetárias do Clube de Bilderberg, sem ter que dar satisfações ou pagar altos impostos. Esse processo aumentou a concentração de capitais dos ricos, consequentemente, aumentou muito mais a pobreza.

Para que o euro desse certo, seria preciso que os países tivessem força, fossem iguais, socialmente falando. Poucos países no mundo tem condições de criar uma mercado comum.

Um sonho desse porte exige uma transformação muito grande, exige que países tornem-se solidários, humanos. Criar um mercado comum, acreditando apenas em seu poder econômico, seria um grande erro.

A inclusão dessas duas moedas no mercado internacional, será um grande avanço para o Brasil, mas que fique por aí, nada de fazer acordos sem o devido planejamento. Eu, pessoalmente, acredito que todos os acordos deveriam ser feitos separadamente, com direito a regulamentação, complementos.

Nenhum acordo que não seja vantajoso para ambas as partes, deverá ser descartado, daí a necessidade de se ter cautela, fazer ajustes, entrar em acordo.

Não é intenção da China destruir o Brasil economicamente, o Brasil não teria a menor chance de sequer afetar a china, portanto, é preciso um passo de cada vez, nesse caso, um acordo de cada vez.

O principal interesse da china, em relação ao Brasil, é a força de sua economia, a força da estabilidade de sua moeda, mas principalmente das matérias-primas. Não é de hoje que a China vem estudando a forma como o Brasil conduz sua economia, a china é especialista em copiar sistemas, econômicos, tecnológicos, menos sistemas sociais.

Se é certo que um mercado comum deva ser criado por países iguais, os BRICS não teriam a menor chance, eles só são iguais no descaso social, na maneira como tratam seus pobres, na desigualdade social.

É melhor manter tudo em níveis de acordos.

By Jânio.

abril 19, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , | 4 Comentários

Brasil é a sétima economia do mundo

brasil é pobre

Brasil Rico

O Brasil consegue o maior PIB dos últimos vinte e quatro anos, surpreendendo até os mais otimistas.

Já estão dizendo que esse bom desempenho no PIB, seria apenas uma recuperação dos anos anteriores, que apresentaram um período de relativa estagnação da economia.

Eu tenho que discordar dessa análise. Se a explicação para uma crise fosse tão simples assim, não haveria motivo para preocupação, nem haveria mais crise.

Sempre gostamos de comparar o “pobre” Brasil, com o resto do mundo, então, é bom saber que o Brasil teve o quinto melhor desempenho dos G-20 – Esse é o maior crescimento desde 1.986.

Graças aos últimos Governos, ou mesmo sem eles, o Brasil, ao contrário dos outros quatro do Top five, não teve crise, portanto estamos recuperando de quê?

Nós sabemos que tanto a China, quanto a índia, enfrentam muitos problemas sociais. Estão ainda piores que o Brasil, se isso é possível, quando se trata de infra-estrutura.

Enquanto a China tem a ditadura para controlar seus problemas, a Índia consegue conviver com as várias culturas, graças ao poder de suas religiões e filosofias.

Aqui no Brasil, o sistema se vale da força da elite e dos meios de comunicação tendenciosos, os mesmos que conseguem fortunas em financiamentos fraudulentos.

A Argentina, que também está em forte crescimento, sempre teve o IDH melhor que o Brasil, a ponto de muitos brasileiros se mudarem para lá.

Nem mesmo a forte crise dos últimos anos, abalou a confiança dos empreendedores argentinos, ou de seu IDH. Nesse momento, atravessam um dos melhores momentos de sua história, com crescimento do PIB e do IDH, que sempre foi bom.

Na terra da contradição e desigualdades, continuamos entre os países mais ricos do mundo, PIB, e entre os mais pobres, IDH e apoio ao empreendedor. O Brasil sempre esteve entre os países mais ricos do mundo, sétima ou oitava economia mais rica, em se tratando do PIB.

Nesse momento, somos a sétima maior economia, a frente de outros países mais ricos, como Reino Unido e a França.

Como é possível o Brasil ultrapassar países ricos, como o Reino Unido e a França, apresentando uma miséria tão grande? – A resposta pode ser mais simples do que imaginamos.

Quanto mais o Brasil fica rico, maior se tornam os impostos, a miséria. Os impostos são parceiros da corrupção, subornos, propinas, tornando a classe média alta aliada desses facínoras.

Aumentar a taxa de juros se tornou desculpa para controlar a infração, quando todos nós sabemos que para se controlar a inflação, é preciso aumentar a concorrência.

Não haverá concorrência, enquanto a taxa de impostos for tão alta, beneficiando os empresários que financiam toda essa sujeira política.

Empresários criminosos compram e vendem sem nota, registrando o “extravio” dessas notas que nunca existiram, quando a Polícia Federal aperta o cerco.

Todo o planejamento do crime é feito no alto escalão, impossibilitando a ação da lei que eles mesmos criam.

Durante o crescimento do PIB, o que não é nenhuma surpresa, ninguém perguntou quando o IDH vai crescer 7,5%, mas isso também não é nenhuma surpresa.

A mídia covarde também é beneficiada pelas leis tributárias e selvagens, por isso sempre estarão presos em sua própria força.

TAXAS DE CRESCIMENTO DO PIB:

Acima da média:

01 – China 10,3%

02 – Índia 8,6%

03 – Argentina

04 – Turquia

05 – Brasil 7,5%

Obs: Com um PIB de 3,6 trilhões, o Brasil passa à frente do Reino Unido e da França…mas só no PIB.

OUTROS NÚMEROS DE CRESCIMENTO:

Japão – 3,9%

Rússia – 3,8%

Estados Unidos – 2,8%

União Européia – 1,7%

NÚMEROS DO ANO PASSADO:

Melhores países – IDH

Países mais ricos das Américas

Melhores países em ambiente de negócios

PIB dos países de língua portuguesa

By Jânio

março 5, 2011 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 16 Comentários

As marcas mais valiosas do mundo

campanhas duvidosas

Não Alimente os Ursos

Hoje, vamos relacionar a lista das empresas mais valorizadas do mundo, como é de costume, vamos fazer algumas observações.

Antes de começar a lista, vale observar que há uma diferença considerável entre o ponto de vista do Brasil e o ponto de vista do mundo, quando se trata de lista de empresas mais valiosas.

Entre as três primeiras do ranking, não há mudanças, suas posições continuam as mesmas, apesar dos respectivos crescimentos de 2%, 7% e 7%.
01 – Coca-Cola – US$70,5 Bilhões – Considerada quase uma lenda, onde se fala até em fórmula secreta, a Coca-Cola continua imbatível, apesar de um suco natural ainda ser mais saudável.

02 – IBM –  US$64,7 Bilhões – A IBM é a primeira empresa de tecnologia a aparecer na lista, em segundo lugar. A IBM é um exemplo de empresa, planejamento, pesquisa e estratégia, responsável pelo início da fortuna de Bill Gates.

03 – Microsoft – US$60,9 Bilhões – Depois de um negócio estratégico com a IBM, Bill Gates criou uma empresa famosa, entre outras coisas, por tentar cartelizar o mundo inteiro. Graças a isso, chegou ao inabalável terceiro lugar.

04 – Google – US$43,5 Bilhões – A Google mostra a força do setor de tecnologia, mostrando que o mundo deverá evoluir cada vez mais rápido. Difícil é saber se isso é bom ou ruim.

Apesar da crise e da distância que está da Microsoft, a Google provou que é possível oferecer tecnologia de graça para as pessoas, e ainda ganhar dinheiro com isso. com um crescimento de 36%, foi a segunda empresa que mais cresceu no mundo, perdendo apenas para a Apple, que mostra que ainda é referência em visão de mercado.

No caso da Google, assim como na IBM, o que prevalece é a empresa bem planejada. A Google está muito próxima de ultrapassar a Microsoft, pulou de sétima para quarta em apenas um ano, apesar da crise, que por sinal não abalou os emergentes, onde a Google é a melhor.

05 – General Eletric – US$42,8 Bilhões – A GE é, ao lado da IBM, representante da velha guarda, resiste ao tempo e faz parte da própria história do império americano. Nunca conheceu o fracasso, nem tempo ruim, foi por isso que teve uma queda considerável de 10%, em época de crise, uma crise longa poderia comprometer seu futuro.

A poderosa GE é a primeira das cinco a cair uma posição no ranking, mas a julgar as últimas fraudes contábeis, em grandes empresas americanas, não dá para arriscar um palpite.

06 – McDonalds – US$33,6 Bilhões – Eis aqui uma empresa que dificilmente vai quebrar. Pioneira no sistema de franquias, um processo que não admite perdas: Se a empresa perde, o franqueado fica com o prejuízo.

Com um nome de personagens em quadrinhos, o sistema de fast-food é ideal para quem quer acabar com a saúde, apesar de que seria possível inverter esse processo, com uma boa alimentação natural.

Quem entra em uma lanchonete especializada em fast-food, não está interessada em saúde; seria como uma pessoa em regime para emagrecer, entrar em uma padaria.

07 – Intel – US$32,0 Bilhões – A intel fez seu nome no mercado de processadores para pc, com a velha mania americana de exclusividade, não se fala tanto, mas continua em sétimo lugar.

08 – Nokia – US$29,5 Bilhões – A Nokia é a única empresa não americana, ela é da Finlândia,  entre as dez mais valiosas do mundo. Foi também a que mais sofreu com a crise, no setor de eletrônicos.

Enquanto a intel subiu duas posições, a Nokia caiu três.

09 – Disney – US$28.7 Bilhões – Disney é quase uma versão infantil do sonho americano, está há muito tempo no mercado de histórias infantis, e subiu uma posição, apesar de ter se mantido estável na valorização.

10 – HP – US$26,9 Bilhões – A HP fecha a lista das dez empresas mais valorizadas do mercado mundial, com supremacia absoluta dos americanos, que se aproveitaram da lei da patente para estabelecer o seu domínio pelo mundo. Quando o fenômeno china apareceu, a crise…

Depois da supremacia das americanas no top dez, aparecem a Toyota do Japão e a Mercedes da Alemanha. Verificamos aqui uma queda de 16% na valorização da Toyota, que estava em oitavo lugar na última lista, a Mercedes se mantém na mesma posição.

 No décimo terceiro e décimo quarto lugar, os Estados Unidos voltam a marcar presença com mais duas empresas em relativo crescimento, Gillete e Cisco.

A empresa de Steve Jobs aparece em décimo sétimo lugar, com o maior crescimento do ano, subindo mais três posições.

Logo depois da Apple, verificamos uma empresa de tabaco. É meus amigos, os americanos realmente não são perfeitos. Avaliada em mais de 19 bilhões, a empresa de tabaco Marlboro ainda está com um crescimento de cinco por cento.

A partir daqui apresentamos os destaques:

A Suécia aparece em vigésimo primeiro com uma grande empresa, H&M.

Sap e Nescafé – Alemanha e Suíça, aparecem respectivamente em vigésimo sexto e vigésimo sétimo lugares. A Suécia apresenta mais uma empresa em vigésimo oitavo.

Em dois lados da moeda, literamente falando, aparecem a Samsug da Coréia do Sul, décimo nono, contrastando com o banco HSBC da Inglaterra, um dos países mais afetados pela crise atualmente, mesmo assim o banco inglês apresenta uma boa valorização de 10% (????).

Philips, Holanda, está em quadragésimo segundo; Gucci, Itália, quadragésimo quarto; L’oreal, França, quadragésimo quinto.

Zara, Espanha, quadragésimo oitavo; BlackBerry, Canadá, está entre as cinquenta e quatro empresas mais valiosas.

Alguma empresas como Santander e Shell, também estão entre as cem mais valiosas empresas do mundo, eu só não sabia que a Shell era da Holanda.

 A maior surpresa, com certeza, foi a presença do México, no setor de álcool.

Veja a lista completa:

http://www.interbrand.com/en/best-global-brands/best-global-brands-2008/best-global-brands-2010.aspx

Empresas Valiosas

By Jânio

setembro 29, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , , , , , | 17 Comentários

No amor e na guerra

papel e polvora

amor e guerra

A vida é cheia de ambiguidades e controvérsias, negar esse fato significa mergulhar numa viagem sem volta ao mundo dos sonhos e do imponderável.

Para o mundo ocidental, é muito difícil aceitar elementos tão antagônicos quanto o bem e o mal ou o amor e o ódio, a paz e a guerra. Apesar de estarmos convivendo com isso o tempo todo, em nosso dia-a-dia, não aceitamos, nem conseguimos relacionar dois elementos tão antagônicos.

Da forma como o mundo evolui, hoje, ou aceitamos essa condição, ou corremos o risco sermos vitimados de várias novas doenças psicológicas que deverão nos acometer.

A China é a maior nação do mundo, talvez a mais rica, culturalmente, também.

Quando vemos a potência econômica que é a China hoje, nem imaginamos a potência tecnológica que ela foi no passado.

Em que você pensaria, se alguém lhe perguntasse sobre as maiores invenções da China Antiga?

Sem sombra de dúvidas, as duas maiores invenções do passado pela China, são o papel e a pólvora.

Você poderia se perguntar – O que o papel e a pólvora tem a ver um com o outro? – Além de serem duas descobertas da China, na minha opinião as duas maiores invenções da China são o papel e a pólvora, justamente, porque me vem a cabeça.

O papel foi tão importante para o conhecimento, quanto o computador é, nos dias de hoje. O papel acelerou e otimizou o processo de divulgação e popularização das informações de uma forma incrível, mesmo que muitas pessoas tenham se recusado a aceitar tais conhecimentos.

Podemos dizer que as informações e conhecimentos, através do papel, fez com que todas as pessoas pudessem ter acesso a verdade, apesar da manipulação de alguns fatos. O papel pode transmitir o amor, mas também o ódio, não dá para evitar o lado mal da natureza do homem.

A sabedoria não está no fato de se evitar o mal, mas a forma com que se convive com ele, quais são nossos verdadeiros objetivos, ideais. Independente disso, o mal estará presente em nossas vidas, tanto quanto o bem.

Além do papel, que surgiu para resolver nossos problemas, a China inventou também a pólvora, com o mesmo objetivo.

Podemos pensar que sem a pólvora não haveria tanta violência, mas a realidade é que as guerras, antes da pólvora, eram muito mais sangrentas, o ser-humano quase tão selvagem quanto os animais.

A pólvora fez com que o processo da guerra se acelerasse, com isso, o período de paz era maior, propiciando aos homens saborear o doce sabor de se viver em paz. Com isso, as nações começaram a buscar alternativas para seus problemas, antes de se chegar as vias de fato.

Basta-nos imaginar que no maior império da história, no Império Romano, a única certeza era a de que iria ser traído, que alguém iria tomar o poder, não importa os cuidados que se tomasse.

Na idade média, a Igreja se utilizou das Cruzadas, para descarregar a ira que havia em uma parte dos homens, homens violentos que poderiam ser perigosos para a sociedade.

Há formas modernas de se controlar esse mal, dentro da mente do homem, mas só para as pessoas cultas ou que se interessam pela cultura. Pode-se ir da psiquiatria até ao vale-tudo, passando pelo futebol, boxe, artes marciais, etc.

É nas artes marciais onde percebe-se o registro do bem e do mal, claramente, num registro milenar. Curiosamente, o mal sobrepõe-se ao bem, deixando bem claro a necessidade de lutarmos para resolvermos nossos problemas e nossos conflitos, sob o risco de sucumbiremos à inúmeras doenças psicológicas.

Nos EUA, sempre divulgou-se o sonho americano, no suposto novo Império Romano. Poderia até ser considerado, mas se levarmos em conta a velocidade da evolução da tecnologia, nos dias de hoje.

Mas a poderosa potência norte-americana cedeu lugar a poderio gigantesco da China, carregada de ambiguidades, controvérsias e contrastes, culturais, sociais e econômicos. Uma cultura controlada com mãos de ferro, um sistema que não podemos criticar, mas ao qual corremos o risco de sucumbir.

A ditadura da China traz um passado sombrio, pouca história, e algumas certezas absolutas: A pena de morte deixa claro que quem não está no poder, não deve brincar com o sistema.

Assim como o papel surgiu para resolver nossos problemas, a pólvora também, mas de duas maneiras completamente diferentes, deixando claro que tanto uma, quanto a outra, podem propiciar o amor e o ódio, a paz ou a guerra.

By Jânio

maio 21, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comentários

O poder dos paises emergentes

paises emergentes

Riqueza e corrupção

A previsão de que o mundo acabaria em 2.000 não aconteceu, ao invés disso, o mundo começou a virar de ponta cabeça, e o Brasil sempre está lá, ao lado dos donos da bola.

Me espanta o fato de o Brasil, com mais de 500 anos, nunca ter sido rico, pelo menos o povo,  sendo sempre um dos países mais importantes do mundo.

Segundo o Jornal El Pais, a China está preste a se tornar o maior exportador do mundo. Isso não assusta mais, todos já sabiam do potencial da China. A parceria da BRIC, Brasil, Rússia, India e China, países emergentes, está dando assustadoramente certo.

A China deverá ser o país mais rico do mundo, bem antes do que se esperava, seu perfil é bem diferente do Japão, segunda maior potência do mundo por muitos anos, a única semelhança é que são asiáticos. A China é um país com um mercado interno muito grande, portanto, sua experiência interna acaba sendo muito importante, na hora de exportar.

Vem da Índia, o novo Bill Gates, como está sento chamado Murthy, da Murth Infosys, outro empresário que prima pela experiência e paciência oriental.

A empresa iniciou atividades em 1.981, praticamente, na mesma época da Microsoft, mas foi com o surgimento dos supercomputadores baratos que a empresa resolveu aproveitar a mão de obra barata, para fazer a mesma coisa que a China estava fazendo, desenvolver tecnologia.

A grande vantagem da índia  sobre a China, foi o fato de conhecer muito bem o Inglês, língua oficial do país. Assim a importação, e desenvolvimento, de conhecimentos, baseados em tecnologias, foi muito rápido.

Enquanto a China teve que alfabetizar os chineses no inglês, e se orgulhava disso, a India, por sua vez, saia na frente nesse quesito.

Rússia e Brasil continuam com o velho problema das máfias políticas, provocadas pelo imposto alto, criando uma rede gigantesca de corrupção.

No Brasil, especificamente falando, a ética perde quase o sentido, diante de tanta criminalidade.

Analisando friamente, poderíamos ter estatísticas surpreendentes, onde os criminosos, pessoas marginalizadas, não são responsáveis nem por dez por cento dos roubos do país. E o que assusta mais ainda, é que esses roubos são legais.

Depois que a esquerda assumiu o Governo, a oposição inexiste, ou cria apenas um teatro, no pior sentido da palavra.

Essas crises mundiais, já não assustam mais os emergentes, assim como não se assustam com calamidades ou problemas sociais. Nos países da BRIC, a conta tem sempre um endereço certo, o povo.

O mundo não pode mais chorar, muito menos os pobres desses países, o que será preciso descobrir agora, é como inverter essa situação, que tenderá a ficar cada dia pior.

No Brasil, quase a metade das empresas já são informais, há um movimento, e projeto, de formalização dessas empresas, mas isso só vai funcionar com os camelôs e pessoas que vêem uma real necessidade da previdência no futuro.

No mais, todos continuarão empurrando com a barriga, sabendo da necessidade de formalização, mas adiando o máximo possível. Mesmo com essa tendência de formalização de empresas, tudo poderá voltar ao que era antes, caso a situação se agrave.

Resumindo, quem conseguir acesso e privilégios políticos, diminuindo seus impostos, ou criando outras formas menos nobre de sonegação, terão sucesso, enquanto o resto trabalhará como escravo do governo, até as forças se esvairem.

By Jânio

janeiro 11, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , | 5 Comentários

   

%d blogueiros gostam disto: