Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Como surgiu o blog

conhecimento e pensamento

Futuro da Informação

Tecnicamente, o blog, contração do termo Web Log, que por sua vez significa diário virtual, é uma evolução dos antigos diários. Em países da Europa, os diários ainda são muito comuns, como na França, onde há muitos “Semanários”.

Na prática, eu vejo muito mais que isso. Vejo toda os sistemas de internet evoluindo constantemente, rumo à “Xanadu”, de Ted Nelson, o grande inspirador da internet.

Essa evolução de todos os sistemas numa só direção, não era exatamente o desejo dos Web Masters, mas é um processo irreversível. Qualquer pessoa pode criar um blog automaticamente, ter seu espaço com direitos autorais, mas seguindo as leis que regem outros meios de comunicação.

Além dos diários virtuais, haviam também os sites prontos, onde a pessoa montava seu site a seu gosto, exatamente como os blogs. Na minha modesta opinião, esse foi o principal motivo da profissionalização dos blogs.

Assim como os blogs, esses sites “pré-montados”, tipo “geocities”, permitiam a criação, usando principalmente o html. Para quem não conhecia o html, havia a possibilidade da utilização de templates prontas, montando automaticamente o site a partir de uma plataforma.

Outro elemento que eu destaco, seria os antigos fóruns, os blogs são muito utilizados com a função dos fóruns, para que se possa discutir temas institucionais.

O sistema de comentários, criado pelos hackers (favor não confundir com crackers, nem lammers) foi um dos grandes motivos do crescimento do uso de blogs, até jornalistas renomados, escritores, analistas e críticos especializados, aderiram a essa ferramenta. Houve um novo passo, via Web 2.0, que pode até indicar novos rumos para o blog, o chamado microblog, mas, ao que tudo indica, o microblog deverá ser mais uma, entre várias ferramentas que interagem com os blogs.

O que me leva a acreditar que o blog veio para ficar, é o fato de estarem ligados a noventa por cento de toda a internet, via web 2.0, além disso, o processo de permalinks, ou urls permanentes, o que transforma cada post em uma página exclusiva, possibilitando o acesso a conteúdos antigos de um blog, apontam para um investimento de conteúdos a longo prazo.

Facilidades de edição e profissionais dispostos a criar inúmeras ferramentas interativas, criando uma verdadeira revolução em termos de comunicação, são outro indicador de que a blogosfera deverá ter vida longa.

O blog, a meu ver, foi a primeira ferramenta para “amadores” em programação a atrair os “profissionais” da área, obrigados a aderir a essa ferramenta devido a facilidades de interação com outros grandes sites.

Em grandes plataformas para blogs, pode-se incluir textos, imagens, vídeos ou músicas, esse conteúdo será de propriedade do autor do blog, mas poderá ser organizado, indexado, agregado e/ou lincado por terceiros, otimizando ainda mais a internet.

WIKIPEDIA: “O termo “weblog” foi criado por Jorn Barger em 17 de Dezembro de 1997. A abreviação “blog”, por sua vez, foi criada por Peter Merholz, que, de brincadeira, desmembrou a palavra weblog para formar a frase we blog (“nós blogamos”) na barra lateral de seu blog Peterme.com, em abril ou maio de 1999. Pouco depois, Evan Williams do Pyra Labs usou “blog” tanto como substantivo quanto verbo (“to blog” ou “blogar”, significando “editar ou postar em um weblog”), aplicando a palavra “blogger” em conjunção com o serviço Blogger, da Pyra Labs, o que levou à popularização dos termos.

No dia 31 de agosto, comemora-se o Dia do Blog (devido a semelhança da data 31.08 com a palavra blog, onde 3 seria um B, o 1 seria um éle, zero seria um o e o oito seria um g), que se propõe a promover a descoberta de novos blogues e de novos blogueiros.

A blogosfera, termo que representa o mundo dos blogs, ou os blogs como uma comunidade ou rede social, cresceu em ritmo espantoso. Em 1999 o número de blogs era estimado em menos de 50; no final de 2000, a estimativa era de poucos milhares. Menos de três anos depois, os números saltaram para algo em torno de 2,5 a 4 milhões. Atualmente existem cerca de 112 milhões de blogs e cerca de 120 mil são criados diariamente, de acordo com o estudo State of Blogosphere.”

Os blogs são, ao lado dos miniblogs e dos sites de compartilhamentos, as maiores fontes de conteúdo da internet.

Como surgiu a internet

Quando surgiu a Google

Como surgiu a twitter

A história da Wikileaks

By Jânio

setembro 25, 2010 Posted by | blogosfera | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 23 Comentários

Pixote – Ficção, realidade e tragédia

vida real

Dura Realidade

Ontem eu assisti pela décima vez, o filme “Pixote”, um dos filmes nacionais que mais fez sucesso fora do Brasil. Talvez seja só impressão, mas cada vez que eu assisto esse filme, eu tenho uma visão diferente.

A única coisa que não muda, é a história de Pixote, o resto do filme sempre me parece mais claro, a medida que o tempo passa, a medida que eu vou envelhecendo.

Uma detalhe que eu já tinha notado há muito tempo, são os exageros dos filmes nacionais, onde os marginais apresentam uma caracterização aparentemente forçada, quase uma caricatura. A minha visão dessa tragédia social era tão inocente que a história me parecia surreal, uma ficção, uma mentira.

Depois de ter assistido ao filme sobre a vida real de Pixote, eu fiquei com uma sensação de estar sendo enganado. Pensei comigo, uma das duas está mentindo, ou a ficção, ou a realidade.

Pixote é uma tragédia da vida real anunciada, eu diria até que o cineasta argentino/brasileiro Hector Babenco conseguiu dar uma visão bem mais realista do que nós brasileiros poderíamos ter, por estarmos perto demais dos fatos, iludidos demais pela mídia.

Babenco foi quase sádico em seu filme, onde um grupo de menores se envolve com a marginalidade, sobrevivendo do tráfico de drogas. Falando assim parece clichê, mas Babenco detalhou os fatos, tanto nos diálogos, quanto nas imagens.

As cenas bizarras, como foi o caso do aborto voluntário da personagem interpretada por Marília Pera, chega a chocar, mesmo mostrando claramente o estado psicológico da personagem, à beira da loucura. A personagem chega a insinuar um aborto de Pixote, numa clara crítica ao aborto e as famílias mal estruturadas.

Enquanto na vida real, o filme é romântico, mostrando um menino extremamente pobre que tira a sorte grande, fazendo um filme com um consagrado diretor que fica famoso no mundo inteiro. A fama de Babenco só pode ser notada quando, num seriado famoso, Lost, um dos personagens lamenta não ter trabalhado com o diretor, lembrando do teste que fizera.

Depois do filme, da fama, o menino “Pixote” vira a “galinha dos ovos de ouro”, é entregue para uma família especializada em carreiras infantis, os pais de Izabella Garcia e sua irmã, ambas ex-atrizes do seriado infantil “Sítio do pica-pau amarelo”.

Só faltou avisarem que o menino tinha família, tinha comunidade, tinha vida própria.

É claro que o menino não se adaptou, não se pode mudar toda a sociedade ajudando apenas um menino; pode ser que ele prefira sua vida real, nem todo mundo consegue interpretar o tempo todo – Quem disse que ele interpretava?

O menino retornou ao mundo real, onde já havia virado lenda, onde nunca mais teria sua realidade de volta.

Todos os “pobres coitados” de sua comunidade viam sua super exposição na mídia, imaginando-o muito rico. Todos queriam uma parte, afinal, Pixote levara sua miséria para as telas, explora toda a podridão da falta de infra-estrutura brasileira.

Pixote, na vida real, não teve a mesma sorte de seu personagem mitológico, a vida real foi muito forte para ele.

Para a sorte de nossa sociedade, ninguém conheceu Pixote na vida real, por isso a imagem que ficará sempre será a imagem das telas, aquele que sobreviveu, pelo menos durante as cerca de duas horas que duraram o filme.

Na vida real Fernando Ramos da Silva, o Pixote, morreu jovem, como sua realidade nada fictícia impõe, apesar de confundida com a ficção, apesar de ter flertado com ela, sua vida real nunca o perdoou.

By Jânio

setembro 1, 2010 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Brasil – Um povo dividido entre o presente e o passado

O que deu errado

Homem Chave

Esse tema já virou clichê, aqui no madeinblog/icommercepage, eu não quero esquecer de como funciona a sociedade brasileira, nem de como somos enganados.

Estamos sempre a procura do maior, ao invés do melhor, esse sentimento tem sido muito utilizado pelos institutos de pesquisas, principalmente no caso de intenção de voto.

Esse é um sentimento que vem do tempo da Monarquia, passando pela Proclamação da República, Regime militar, e até pelo movimento de Diretas Já.

Com sistemas de controle favoráveis para si, a classe média alta se tornou preguiçosa e irresponsável, em relação ao social. Não podemos, de maneira alguma, achar que o sistema é dispensável, isso seria utopia anarquista.

Quando se trata de anarquismo, eu sei do que eu estou falando, de certa forma eu sempre tive uma certa tendência ao anarquismo, nunca segui esses pensamentos porque assim não seria anarquismo.

“Se hay gobierno, yo soy contra” – Você faz ideia de quem disse essa frase? – Além dele, só o Mestre, Jesus, foi mais revolucionário.

A questão básica é: Um povo não pode se prostituir diante de sua própria sociedade ou ideologia, esse povo precisa se dar o valor, através do qual o sistema decidirá o que nós merecemos.

Nós nunca nos mobilizamos para nos dar o valor; quando isso ocorreu, ocorreu de forma errada, ou seja, fomos manipulados pelo sistema elitizado, quando nosso objetivo deveria ser uma mobilização contra o próprio sistema. Essas mobilizações, em prol do sistema,  ao invés de aumentar o nosso valor em relação a ele, diminuiu.

Não é difícil saber onde estão localizadas as principais peças dessa engrenagem, local onde deverá ser feito o ajuste; também não é preciso guerra ou revoluções, as guerras implicam em decisões arbitrárias, portanto elitista.  Mudanças radicais, sem a identificação do povo, nunca poderão se sustentar; a satisfação do povo sempre deverá ser o objetivo final.

Quem matou Jesus? – As instituições  costumam afirmar que quem matou Jesus foi o povo, na realidade, essas instituições transferem para o povo a sua própria responsabilidade. O povo, de fato, eram aquelas pessoas que o seguiam, as pessoas que abandonavam a produção de seu próprio alimento de sobrevivência, para ouvirem as verdades proferidas pela boca daquele homem santo.

A elite tem escolhido o sistema de governo que é melhor para o povo; desde o seu descobrimento, o Brasil nunca mudou, na área política.

Durante muito tempo, foi bom para as classes dominantes, viver como colônias, sob o poder paternal do governo Português. Passados séculos, esse sistema deixou de agradar às classes poderosas da colônia, foi proclamada a Independência.

A independência, de fato, não ocorreu, foi apenas uma forma de acalmar o manipulado povo brasileiro.

O sentimento de independência, criado pela elite, foi vencido pela demagogia da monarquia, assim o poder se sustentou por mais algum tempo.

Não satisfeita com o processo de transferência de poder, dentro da família real, a elite conspirou novamente, criando o sentimento de República. Foi proclamada então a República Federativa “Militar” do Brasil.

Desde então convivemos entre a Democracia e o Regime Militar, entre as mudanças manipuladas e os interesses elitistas.

O último período de Regime Militar, a que fomos submetidos, parecia interminável, e seria se o poder conseguisse se sustentar por mais tempo, atendendo aos interesses das classes médias altas.

As peças a serem ajustadas, dentro do sistema, são as mídias de massa. São essas instituições que criam as suas próprias verdades, são essas instituições que precisam ser controladas, e criticadas, por terem o poder de controlar as massas.

Não confunda o poder de controle e manipulação, com o processo de formação de opinião pública, esse último é inteligente, dinâmico e possui uma capacidade considerável de autocrítica, acompanhando suas doutrinas. Na formação de opinião pública, a lógica e todas as ideias que seguem nessa mesma direção, são agregadas, inclusive com a capacidade de redirecionar a linha matriz desse pensamento.

A partir do momento em que o Regime Militar não conseguiu se sustentar, fez se necessário a criação, através das mídias de massa, de um novo sentimento para o povo, as Diretas Já.

O movimento das Diretas Já, foi um sucesso, mas o seu processo, em si, foi um fracasso.

Articulado por um homem considerado mestre na arte da política, ele conseguiu quase unanimidade, conseguiu até convencer o Governo Militar que o seu partido teria chance. Segundo as más línguas, teria pago para alguns políticos votarem contra, criando um ambiente de competitividade.

Depois da vitória massacrante, esse homem, chamado Tancredo Neves, morreu sem tomar posse. Esse foi apenas o início de um processo, desencadeado por sua morte.

Seu vice, todos nós sabemos, bebeu da fonte da ditatura durante muito tempo, antes disso, e depois disso também, ele mostrou uma habilidade incrível de mudar de lado. Essa capacidade de mudar de lado, dos políticos brasileiros, deixa-me em dúvida sobre a real ideologia deles.

Em todos os países do mundo, a ideologia de esquerda é relacionada com os partidos populares, socialistas, etc.  A ordem dos fatores é clara, são simpatizantes dos democratas americanos, sem necessariamente serem democratas; se houvesse uma disputa entre os democratas e um terceiro partido socialista ou trabalhador, os democratas perderiam a preferência, esse é o conceito de esquerda.

No Brasil, isso até funciona parcialmente, ou hipocritamente. Todos os partidos socialistas e trabalhistas, com exceção do PDT, tendem a apoiar o PT. O PT é o partido de esquerda, e o fato de ele estar no poder não muda isso, sua formação é socialista – ou deveria ser.

Se o PT é um partido de esquerda, o que José Sarney faz no governo. Aqui começa a grande confusão chamada bipartidarismo, em outras palavras, um bolo repartido ao meio, sem a participação do povo.

A lei da governabilidade, em sistemas bipartidários, é cruel.

Quando se especulou que o PSDB poderia se aliar ao PT, em seu fim de mandato, isso se deveu ao fato de o PT ter uma tendência anarquista, ou seja, contra tudo.  FHC ajudou nessa especulação, afinal de contas, ele foi uma peça fundamental, talvez até contra sua própria vontade, ao dizer: “Se Lula ganhar o Brasil não vai quebrar, isso é coisa de estrangeiros que querem mandar no país.”

O que se sabe, é que entre as poucas operações da Polícia Federal, autorizadas pelo Governo FHC, houve uma que chamou a atenção, foi a apreensão de uma fortuna, não declarada, na casa da família Sarney antes da possível candidatura de sua filha. Isso tornou impossível a convivência do PMDB e PSDB do mesmo lado do bolo.

O primeiro Presidente a desafiar o sistema internacional foi o próprio Sarney. Ele tirou das mãos do Regime Militar a dura tarefa de dar o calote na dívida, além da dura missão de realizar algumas mudanças que o desgastado Regime Militar não poderia realizar. Mais uma vez o povo foi enganado, foi o próprio Regime Militar quem apoiou o Governo de Sarney, ninguém poderia dar o calote na dívida externa e criar um congelamento em fase de transição política, sem o apoio militar.

O governo seguinte, de Fernando Collor, tinha tudo para dar certo, tinha até um  perfil presidencialista linha dura. O grande problema é que ele não tinha um grande partido, não tinha apoio; a corrupção foi a alternativa para convencer políticos a aderirem a causa, tudo deu certo, pelo menos por algum tempo.

Quando Collor criou medidas protegendo os pobres, expondo a classe média alta aos efeitos devastadores do sistema, aqui, ele cometeu o primeiro erro. Não se pode atacar a classe média alta, usando uma instituição dominada por ela, como é o caso da política.

A partir daí, todos os crimes do submundo da política estavam prestes a serem expostos. Todos nós sabemos que não é possível resolver todos os problemas de corrupção, num país como o Brasil.

Era preciso um testa de ferro, alguém para responder por todos os corruptos, esse alguém foi PC Farias. Tudo teria se resolvido, se PC tivesse aceitado a dura missão; acho que na confusão, alguém esqueceu de avisá-lo.

“Todos vocês que me acusam são hipócritas”, isso soou como, todos vocês receberam dinheiro. Uma regra básica, no Brasil é: “Não ameace, denuncie!” PC cometeu esse erro, pagou caro.

Quando FHC diz que o mensalão foi pior que o Esquema de PC, isso está certo, até porque foi ele mesmo que não deixou a Polícia Federal trabalhar, durante todo o seu mandato.

Itamar Franco foi o vice  de collor, isso não foi muito bom para a sua carreira política. Durante o seu mandato trocou muitas vezes de Ministro até chegar a FHC, um político com passado socialista e que conhece muito bem os dois lados, esquerda e direita.

FHC controlou a economia, pelo menos até o final de seu mandato, foi aí, que mesmo contra a sua vontade, disse que Lula não quebraria o Brasil; Na verdade quem não quebraria o Brasil era a especulação, caso ele  agisse rápido.

Assim, a classe média alta perdeu uma grande oportunidade de se unir a classe operária, perdendo seu espaço para o clube fechado da política.

Com a vitória do PT, não houve nenhuma novidade, em relação aos governos socialistas, exceto pelo mensalão. Todo mundo ficou surpreso com o mensalão, mas há quem tenha dito: “Vocês não sabiam? – Sempre houve um caixa dois – Como vocês acham que esses megashows são pagos? – nós apenas demos maior transparência a esse processo.” 

Agora, como sempre, o passado e o presente conspiram para que o povo não tenha um futuro. É Bom que se diga: “Sempre haverá um amanhã, o problema é que, no Brasil, isso só ocorre de trinta em trinta anos.”

O brasileiro tem medo de mudanças, mesmo sabendo que elas são inevitáveis. Sabendo disso, os políticos fazem a sua parte, atendendo o desejo do povo, de sempre manter tudo do jeito que está.

By Jânio

julho 19, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 16 Comentários

Poderia ser Nostradamus um farsante

previsões ou profecias

Nostradammus

Eu já pensei em criar uma série de artigos sobre esse homem misterioso chamado Nostradamus, acabei desistindo, sua obra é extremamente complexa.

Nostradamus, a pessoa, não é menos complexo que sua obra, eu diria que é o nome mais falado no underground da literatura.

Há várias formas de se analisar a obra de Nostradamus, mas o seu principal campo era na área de astrologia, justamente a área que acaba desacreditando-o.

Não são poucas, as pessoas que acreditam em horóscopo, mesmo assumindo que isso é um superstição.

Como é possível levar a sério algo ao qual não se acredita? – A resposta é que há um conflito, não se tem certeza de absolutamente nada.

O assunto não é tão simples de ser definido assim, a astrologia faz parte de uma cultura muito complexa e antiga, uma ciência paralela, ou ciências ocultas, podendo ainda ser chamado de ocultismo, envolvendo todo o universo em torno do ser-humano.

O ocultismo, por ser marginalizado, acaba saindo fora de controle. Se na sociedade há suspeita de conspiração, nas ciências ocultas esse é o prato principal a ser digerido, ou engolido, como diz nosso “prezado” senador Fernando Collor.

Veja bem, o fato das ciências ocultas não serem provadas, explicam como elas podem ser numerosas e antigas. Hoje, a física enfrenta o mesmo problema com a filosofia, já que na prática, ninguém tem interesse em criar bombas nucleares ou simular buracos negros, enfim, mudar o que não se compreende.

Grandes nomes passaram pelo ocultismo: Rasputim, na Rússia; Nostradamus, na França; e muitos outros menos célebres. Até na Bíblia há casos registrados de consulta às ciências ocultas.

Falando especificamente de Nostradamus, podemos seguramente afirmar que ele elevou o ocultismo, mas precisamente a astrologia, a um nível nunca antes visto. Não só na importância, mas na própria maneira de ver, praticar e entender essas ciências.

Nostradamus entendia de várias áreas diferentes, além de falar grego, latim e hebraico, de onde vinham suas principais fontes, o que não é muito comum. Tinha facilidade em letras, ao mesmo tempo em que praticava a alquimia. Quando uma professora de química me apresentou uma tabela de elementos químicos, para que eu explicasse, eu disse – Professora, o que é essa lacuna na tabela? – quando ela disse que eram elementos que ainda não haviam sido descobertos, eu afirmei – Pois são esses elementos que despertaram a minha curiosidade; isso não está me parecendo química, parece mais alquimia.

Voltando ao nosso ilustre personagem, seus conhecimentos em várias áreas foram essenciais para a sua sobrevivência. Em plena idade média, ser visto como herege, ou bruxo, seria suficiente para levá-lo a fogueira, ou coisa muito pior.

Aqui começamos a verificar a inteligência de Nostradamus, se a Igreja e o poder do Estado eram muito próximos nessa época, manter a distância era questão de bom senso.

Nostradamus fez mais que isso, com seus conhecimentos de escrita, além de outras habilidades, ele sabia exatamente até que ponto podia chegar. PODERÍAMOS DIZER QUE ELE ERA UM GRANDE CÔNSUL, nos dias de hoje.

É atribuída a Nostradamus a famosa frase “O ouro do tolo”, tudo porque Nostradamus descobriu, já naquela época, uma forma de expandir a massa de diamantes e jóias de ouro, entre outros. Dizia Nostradamus que o ouro de fato não era falso, era verdadeiro, e deveria ser tratado como tal, o problema é que com a expansão da massa, perdia-se a qualidade; até hoje, testar a resistência de uma joia, ou pedra preciosa, é a primeira coisa que um especialista faz, antes de um exame mais detalhado, levando-nos a concluir que o alquimista Nostradamus PODERIA SER UM BOM QUÍMICO.

Que Nostradamus foi o maior astrólogo que o mundo já viu, não há a menor dúvida, se ele fazia realmente previsões ou se era apenas um bom faro, nesse ponto as opiniões divergem.

Nostradamus fez previsões para reis, rainhas, príncipes e princesas, prevendo inclusive suas mortes. No caso da alquimia, Nostradamus teve que ensinar como o processo funcionava ao rei, para escapar de ser visto como um bruxo. PODERÍAMOS DIZER QUE ELE ERA UM BOM POLÍTICO.

Como um bom político que era, Nostradamus conseguiu criar um mapa de domínio do mundo, traçando todas as estratégias: quem teria chance de dominar o mundo; de onde partiriam os ataques, falsas ideologias usadas como pretexto para a dominação.

Numa jogada de mestre, Nostradamus conseguiu combinar todas as suas estratégias, baseadas em sonhos imperialistas de ditadores antigos e atuais, com o livro mais temido da Bíblia, o Apocalípse de João.

Essa combinação de escritas supostamente livrariam Nostradammus de um possível conflito com a Igreja, elevando suas previsões à categoria de profecias na França. Curiosamente, Nostradammus era também grande conhecedor da Bíblia, mantendo relações muito próximas aos padres e bispos. PODERÍAMOS DIZER QUE NOSTRADAMUS ERA UM GRANDE RELIGIOSO.

A astrologia é uma ciência milenar que trabalha mais a psicologia e a filosofia do que propriamente as ciências ocultas, nos dias de hoje, esse talvez seja o maior motivo de as pessoas acompanharem tão atentamente o seu horóscopo.

Evidentemente que restringir a obra de nostradamus apenas à astrologia, seria subestimá-lo. Nostradamus dominava cada palavra que dizia, sabia da força dessas palavras, combinava-as de maneira que alcançassem vários objetivos ao mesmo tempo, convencendo até os mais céticos. PODERÍAMOS DIZER QUE NOSTRADAMMUS DOMINAVA OS CONCEITOS MOTIVACIONAIS.

Além disso, esse fato de a escrita de nostradamus ser aberta a mil interpretações, isso fazia com que ele tivesse total controle da mente de quem lia o que ele escrevia, fazendo com que essas pessoa fossem guiadas, não por ele, mas pela sua própria consciência. Isso poderia levar uma pessoa a fazer algo muito bom, ou muito mal, dependendo de sua natureza. PODERÍAMOS DIZER QUE NOSTRADAMMUS ERA UM BOM TERAPEUTA.

Nostradamus sabia quais palavras usar, a importãncia e a força que cada uma delas representava e qual sua relevãncia. Ele aproveitava essa habilidade com as palavras para enviar, diretamente ao cérebro humano, todas as mensagens e conhecimentos dos quais ele era portador. Mesmo antes da criação da internet, PODERÍAMOS DIZER QUE NOSTRADAMUS ERA UM GRANDE ESPECIALISTA EM OTIMIZAÇÃO DE TEXTO, mais que isso, um otimizador da mente humana.

Em plena época de peste negra, Nostradamus perdeu parte de sua família, vitimada pela praga que assolava a Europa, ele próprio pagou muito caro por se envolver em questões humanitarias, na linha de frente no combate da praga; com seus conhecimento de medicina, ajudou a salvar muitas vidas. PODERÍAMOS DIZER QUE NOSTRADAMUS ERA UM BOM MÉDICO.

Com suas previsões sobre o futuro do mundo, Nostradamus deixava bem claro seu pessimismo em relação ao futuro da humanidade, deixava bem claro também que o homem era senhor de seu destino, não poderia evitá-lo. mas poderia mudá-lo, dentro das possibilidades.

Com a combinação feita por nostradammus, onde suas previsões combinam com o Apocalípse, criei minha própria teoria sobre Nostradamus: Ele não previu os Anti-Cristo, através de suas estratégias minunciosas, acompanhadas de elementos do ocultismo, Nostradammus ajudou a criá-los, mesmo que de maneira involuntária; Nostradammus mostrou que tinha bons conhecimentos de ciências humanas.

Com o conhecimento que tinha sobre a natureza humana, combinado com suas técnicas de astrologias, Nostradammus criou textos precisos sobre o que o homem poderia fazer no futuro, acontecimentos que inevitavelmente viriam a se concretizar e evoluções militares, acompanhadas de guerras mundiais.

enquanto que sua descrição é discreta, moderada, evitando especificar os fatos, Nostradamus deixa bem claro o que o homem faria nos séculos seguintes. PODERIAMOS DIZER QUE NOSTRADAMUS TINHA UMA BOA VISÃO DE FUTURO.

Além das guerras mundiais, morte de John Kennedy e vários outros acontecimentos, como a ascensão de Hitler, a escrita de Nostradammus se encaixa perfeitamente aos acontecimentos, mostrando que o homem não evolui, como nos parece, pelo contrário, nosso futuro está muito distante, em algum lugar do passado.

Ao contrário dos astrólogos, que não gostam de prever seu próprio futuro, ele foi mais além, previu o que aconteceria além de sua morte, quando diz que quem bebesse de dentro da ossada de seu crânio teria o dom do conhecimento, mas morreria em seguida. Reza a lenda que foi o que aconteceu: Durante a guerra, algum curioso resolveu testar a lenda, teria entrado na igreja onde o corpo estava enterrado, bebido de dentro de seu crânio e morrido acidentalmente por uma bala perdida, na data exata em que Nostradamus previu. Serà?

Outro acontecimento ligado a lenda de Nostradamus, foi o fato dele prever quem seria o Papa, quando esse ainda não era sequer cogitado. Ele o chamou de santidade, mas se não era cogitado, essa já é uma outra história que faz parte da lenda, afinal, sua proximidade com reis e rainhas poderia trazer-lhe informações que nem nos dias de hoje, na era da internet, nós não temos.

Na virada do milênio, o nome de Nostradamus nunca fora tão falado, mas pelo menos dessa vez, se equivocou, seus estudiosos afirmam que ele não errou, o problema estaria no calendário diferente do atual.

Informações dos sites Sobrenatural e wikipedia:

www.sobrenatural.org

http://pt.wikipedia.org/wiki/Nostradamus

“Conselheiro de três reis da França – Henrique II, Francisco II e Carlos IX – e homem de confiança da Rainha Catarina de Médicis, Michel de Nostredame, mais conhecido como Nostradamus, foi certamente uma figura excepcional. estudou Medicina, mas dedicou muito de seu tempo à astrologia, à alquimia, à teologia e à literatura.

Teve contatos com três reis de França (Henrique II, Francisco II e Carlos IX), graças à rainha Catarina de Médicis, esposa do primeiro e mãe dos seguintes.

Nasceu na cidade de Saint-Rémy, na França em 14/12/1503″

By Jânio

junho 15, 2010 Posted by | Arquivo X | , , , , , , , , , , , | 23 Comentários

Melhores musicais da história do cinema

historia dos musicais

melhores musicais

Até a década de 60, fazer um musical era muito fácil. Segundo os produtores, até a música era melhor; os atores eram melhores e bem escolhidos.

Naqueles tempos, Fred Astaire, Ginger Rogers e outras dezenas de celebridades e anônimos seguiam os caminhos indicados pelos grandes diretores.

Há muitas histórias, como foi o caso do casamento de Vincent Minelli com Judy Garland, pais de Liza Minelli.

Liza Minelli – Apesar do casamento de seus pais ter sido um fracasso, onde a bebida piorou a situação, passando a herança do vício para sua filha Lisa. Liza sobreviveu e se tornou conhecidíssima, no mesmo gênero que consagrou o encontro de seus pais, em “O Mágico de Oz”

Os tempos mudaram, os atores perderam aquele ar teatral, a cada filme, as pessoas exigem mais realismo, chegando ao ponto de não se saber o que é real e ficção. De certa forma as pessoas, hoje em dia, tem mais dificuldade para sonhar, apesar da vontade; algumas, inclusive, querem mergulhar num sonho para nunca mais voltar, o que acaba transformando o sonho em pesadelo.

Os vendedores de sabonete, pessoas “bonitas” com muito carisma e pouco talento, podem se tornar grandes vendedores, digo, atores e atrizes. Um ingrediente imprescindível na formula de um grande enlatado feito para exportação.

As músicas clássicas, eruditas e de músicos consagrados, deram lugar ao pop e o rock, músicas de contra-cultura, engajadas e políticamente incorretas.

As minorias viraram moda, mostrando nas roupas das pessoas, um mundo que elas se negam a ver ou aceitar.

A seguir, listamos os musicais pop-rock, onde a elite da sociedade e as classes marginalizadas se encontram.

HAIR – Marcou a época do movimento Hippie, uma época em que as ideologias saiam do papel e se tornavam realidade. O filme figura entre os filmes mais polêmicos da história, tratando de temas cotidianos de maneira clara, chamando a sociedade para discutir e abrir seus olhos contra a manipulação das elites.

Pregando a paz e o amor, em forma de “V”, com os dedos, o movimento era radicalmente contra o envolvimento dos EUA, ou de qualquer outro país, nas guerras. Temas tabus, como a virgindade, controle de natalidade, drogas, nudez, tudo era tratado a contra gosto da sociedade.

GREASE – NOS TEMPOS DA BRILHANTINA – 1.977 – Uma grande homenagem do diretor aos grandes músicas, com participação de celebridades daquela época. A dupla, John Travolta e Olívia Newton-John, foi lançada ao estrelato com esse filme.

A história mostra o cotidiano de estudantes de um colégio de uma pequena cidade, onde a australiana Sandy se apaixona pelo bad boy vivido por John Travolta, criando um conflito entre estilos de vida e ideologias diferentes.

SATURDAY NIGHT FEVER – OS EMBALOS DE SÁBADO A NOITE – 1.978 – Esse foi o filme que deveria ter consagrado a carreira de john Travolta, que já havia feito “Carrie – A Estranha” e “Grease”, ao invés disso, sua carreira ficou por aqui. Só voltaria ao estrelato cerca de vinte anos depois.

John Travolta interpreta um jovem cansado de trabalhar quase de graça em um pequeno mercado, enquanto sonha em ganhar um concurso de dança.

Os embalos de sábado a noite deram a John Travolta um estilo que lhe valeram a fama de canastrão, mesmo tendo virado ídolo e sendo copiado por estrelas do porte de Michael Jackson, entre outras. O filme também transformou as músicas dos Bee Gees em grandes hits e deu fama ao diretor John Badham.

ALL THAT JAZZ – O SHOW DEVE CONTINUAR – 1.979 – Talvez um dos últimos grandes diretores de musicais, Bob Fosse morreu cerca de dez anos depois desse filme. A história mostra a vida do próprio diretor que sofre um enfarte e vê todo o seu passado, onde sua vida é disputada por quatro mulheres: sua esposa, namorada, filha e a morte. O filme é comovente, situando um momento de transição do cinema Hollywoodiano, da arte para o pop-rock.

FAMA – 1.980 – A história mostra o cotidiano de vários jovens estudantes de arte, lutando contra seus limites, vivendo seus sonhos e frustrações.

FLASHDANCE – 1.983 – O ex-publicitário Adrian Lyne começava a sua tragetória de filmes para incomodar, mais tarde faria 9 1/2 Semanas de amor. Flashdance tem a cara de propaganda de sabonete, com muita música de sucesso e uma história juvenil para acompanhar.

FOOT LOOSE – Ritmo louco – 1.984 – Esse filme tem o mesmo estilo de Flashdance. Numa cidadezinha de interior, vários jovens se rebelam contra a censura e costumes e se encontram para noitadas com muita dança e bebida. Os destaques são os hits da época.

Dirty Dancing – 1.987 – Esse primeiro sucesso de Patrick Swayze, lembra tando flashdance, que chega a citá-lo em sua música principal. Fora isso, o filme tem muitas música de sucesso, músicas de mambo e muita dança.

A pobre menina rica começa a se envolver com jovens dançarinos de mambo, comtra a vontade da família.

LOVE IS IN THE AIR – 1.992 – A força do cinema australiano volta com a corda toda, mais uma vez mostrando o choque de culturas e a vitória do amor sobre as diferenças.

MOULIN ROUGE – O AMOR EM VERMELHO – 2.001 – Depois de um bom tempo sem produzir grandes músicais, o cinem voltou com força.

Uma dançarina francesa tem que se entregar a um homem rico, para conseguir dinheiro para financiar a peça escrita pelo seu amado, sem que esse saiba o motivo. O que ele não sabe também, é que ela está condenada a morte, doente de tuberculose.

A australiana, Nicole Kidman, ex mulher de Tom Cruise, é a estrela principal, ao lado e Ewan Mcgregory.

Veja a lista dos vinte e cinco melhres músicais da história segundo o pelo American Film Institute .

01 – Cantando na Chuva (BR) – \ Serenata à Chuva (PT) – 1952 – Direção: Stanley Donen – Com: Gene Kelly, Debbie Reynolds, Donald O’Connor.

02 – Amor, Sublime Amor (BR) – \ West Side Story (PT) – 1961 – Direção: Robert Wise – Com Jerome Robbins Natalie Wood, Rita Moreno, George Chakiris.

03 – O Mágico de Oz (BR) – \ O Feiticeiro de Oz (PT) – 1939 – Direção: Victor Fleming Judy Garland.

04 – A Noviça Rebelde (BR) – \ Música no Coração (PT) – 1965 – Direção: Robert Wise – Com: Julie Andrews, Christopher Plummer, Eleanor Parker.

05 – Cabaret (BR) – / Cabaret, Adeus Berlim (PT) – 1972 – Direção: Bob Fosse – Com: Liza Minnelli, Joel Grey, Michael York.

06 – Mary Poppins (BR/PT) – 1964 – Direção: Robert Stevenson – Com: Julie Andrews, Dick Van Dyke.

07 – Nasce uma Estrela (BR) -1954 – Direção: George Cukor Judy Garland, James Mason.

08 – Minha Bela Dama (BR) – \ Minha Linda Senhora (PT) -1964 – Direção: George Cukor – Com: Audrey Hepburn, Rex Harrison.

09 – Sinfonia de Paris (BR) – / Um Americano em Paris (PT) – 1951 – Direção: Vincent Minnelli – Com: Gene Kelly, Leslie Caron.

10 – Agora Seremos Felizes (BR) – 1944 – Direção: Vincent Minnelli – Com: Judy Garland, Margaret O’Brien.

11 – O Rei e Eu (BR) – 1956 – Direção: Walter Lang- Com: Yul Brynner, Deborah Kerr.

12 – Chicago (BR/PT) – 2002 – Direção: Rob Marshall – com: Renée Zellweger, Catherine Zeta-Jones, Richard Gere, Queen Latifah, John C. Reilly.

13 – Rua 42 (BR/PT) – 1933 – Direção: Lloyd Bacon Warner Baxter – Com: Bebe Daniels, George Brent.

14 – O Show Deve Continuar (BR/PT) – 1979 – Direção: Bob Fosse – Com: Roy Scheider, Jessica Lange.

15 – O Picolino (BR) – 1935 – Direção: Mark Sandrich – Com: Fred Astaire, Ginger Rogers.

16 – Uma Garota Genial (BR) – Funny Girl (PT) – 1968 – Direção: William Wyler – Com: Barbra Streisand, Omar Sharif.

17 – A Roda da Fortuna (BR) – 1953 – Direção: Vincente Minnelli – Fred Astaire, Cyd Charisse.

18 – A Canção da Vitória (BR) – Canção Triunfal (PT) – 1942 – Direção: Michael Curtiz – Com: James Cagney.

19 – Um dia em Nova Iorque (BR) – 1949 – Direção: Stanley Donen – Com: Gene Kelly, Frank Sinatra, Ann Miller.

20 – Grease – Nos Tempos da Brilhantina (BR) – / Grease – Brilhantina (PT) – 1978 – Direção: Randal Kleiser – Com: John Travolta, Olivia Newton-John.

21 – Sete Noivas para Sete Irmãos (BR) – 1954 – Direção: Stanley Donen, Com: Howard Keel, Jane Powell, Russ Tamblyn.

22 – A Bela e a Fera (BR) – / A Bela e o Monstro (PT) – 1991 – Direção: Gary Trousdale – Com: Kirk Wise – Vozes de: Angela Lansbury, Jerry Orbach.

23 – Garotos e Garotas (BR) – 1955 – Direção: Joseph L. Mankiewicz – Com: Marlon Brando, Jean Simmons, Frank Sinatra.

24 – Magnólia – O Barco das Ilusões (BR) – 1936 – Direção: James Whale – com: Irene Dunne, Allan Jones, Paul Robeson.

25 – Moulin Rouge – O Amor em Vermelho (BR) – / Moulin Rouge – 2001 – Direção: Baz Luhrmann – Com: Nicole Kidman, Ewan McGregor.
Fonte: Wikipedia

Melhores filmes de ficção científica

Top movies com pessoas paranormais

Filmes de viagens no tempo

Texto: By Jânio

junho 3, 2010 Posted by | Música. | , , , , , , , | 13 Comentários

007 As melhores canções das décadas de 70 e 80

Melhores músicas

Música no Cinema

Como dissemos no artigo de ontem, 007, a série mais longa da história, tem como principal qualidade sua produção. A produção de 007 vai desde recursos técnicos, passando pela escolha cuidadosa dos atores que farão o papel principal.

A música de John Barry divide com as belas canções, ao longo de cinquenta anos, o requinte e o bom gosto do que se vê nas telas. Todos os cantores que tiveram o talento para participar de uma produção de 007, serão lembrados para sempre, nas enciclopédias e publicações especializadas em cinema.

Desde os primeiros filmes, com temas ligados à guerra fria, houve uma evolução, o tema passou pela choque da chegada da AIDs, mas a doença não chocou tanto quanto a saída dos astros famosos. Sem a guerra fria, as histórias perderam a grandiosidade de se ter um maluco comunista querendo dominar o mundo.

Inevitavelmente, as histórias passaram, de vez, para o campo da ficção, James Bond continuará tentando evitar que o mundo se acabe, mas agora não é mais culpa da União Soviética.

A única coisa que não vai mudar nunca, são as belas músicas que continuarão emocionando mais que as próprias histórias. Eu continuo achando a abertura dos filmes a melhor parte.

No artigo passado nós postamos os seguintes video clipes:

https://icommercepage.wordpress.com/2010/05/08/007-a-maior-producao-da-historia-do-cinema/

01 – Moscou contra 007 (From Rússia with love) – Canção cantada por Matt Monro.

02 – 007 contra Goldfinger (Goldfinger) – Shirley Bassey

03 – 007 contra a chantagem atômica (Thunder Ball) – Tom Jones

04 – Com 007 só se vive duas vezes (You only live twice) – Nancy Sinatra

05 – Cassino royale (Cassino Royale) – Herb Alpert and The Tijuana Brass

06 – 007 a serviço de Sua Majestade (On her Majesty Secret Service) – Louis Armstrong
07 – 007 Os diamantes são eternos (Diamonds Are Forever) – Shirley Bassey

08 – Com 007 viva e deixe morrer ( Live and let die) – Paul McCartney and The Wings

09 – 007 Contra o homem da pistola de ouro (Man With the Golden Gun) – Lulu

10 – 007 – O espião que me amava (The Spy Who Loved Me) – Carly Symon

11 – 007 Contra o foguete da morte (Moonraker) – Shirley Bassey

12 – 007 Somente para seus olhos (For Your Eyes Only) – Sheena Easton

13 – 007 contra Octopussy (Octopussy) – Rita Coollidge

14 – Nunca mais outra vez (Never Say Never Again) – Lani Hall

15 – 007 Na mira dos assassinos (A View to a Kill) – Duran Duran

16 – 007 Marcado para a morte (The Living Daylights) – A-Ha

17 – 007 Permissão para matar (Licence to Kill) – Gladys Knight

By Jânio

Músicas de 007 décadas 90 e 2000

maio 9, 2010 Posted by | Música. | , , , , , , , | 20 Comentários

007 – A maior produção da história do cinema

007 - Os filmes

Melhor produção do Cinema

Em quem você pensa, quando o assunto é agente secreto? – Se você respondeu 007, saiba que esse é apenas um número de identificação do nome, ou codinome, do agente mais famoso da história, James Bond.

Parece irônico, o fato de o agente mais famoso do mundo ser ficção, mas a inspiração é real. Curiosamente, a principal característica do personagem também é a ironia.

O criador do personagem, Ian Fleming, conhecia o universo do serviço secreto bem de perto, chegou a trabalhar no serviço secreto da marinha britânica, apesar de, pelo que se especula, nunca ter chegado a ser um agente secreto.

No final das contas, o dom falou mais alto.

Eu sempre digo que o nosso verdadeiro dom vem da infância, do primeiro elogio real, onde você sente que não é apenas um elogio, mas você é realmente melhor no que faz.

Ian Fleming foi ajudante de tipógrafo e redator, antes de embarcar em suas aventuras, rumo a realização de seus sonhos.

No final de sua vida, o filho pródigo retornou onde tinha começado, realizando, finalmente, todos os seus sonhos, antes de morrer. Ian Fleming morreu dois anos depois de ver seu livro virar sucesso de cinema, com três filmes e Sean connery na pele do famoso agente secreto James Bond.

Há muitos detalhes, na trajetória do famoso agente, que são notáveis, um exemplo, é o famoso jargão: “Meu nome é Bond…James Bond” – onde o personagem vacila para se identificar, o mais próximo da verdade sobre ele é o número 007, onde “OO” implica em liberdade total, licença para matar, se a situação exigir, o que também serve como um aviso para se manter afastado.

O personagem é exatamente o inverso da personalidade de Ian Fleming, seu criador: Antipático, sem carisma, reprovava em testes/concursos e não tinha a menor vocação para jogos, onde perdia tudo o que tinha. A boa vida parecia manter-se a distância de Fleming, a astúcia também.

Quando escreveu “Cassino Royale”, em 1953, Fleming finalmente realizava seus sonhos, as mulheres que ele nunca conquistara, pela falta de carisma e astúcia, agora se jogavam aos seus pés. O mundo inteiro queria saber quem era ele, de onde vinha ele, quem era, de fato, James Bond, cuja única certeza era de morte “OO7”.

Apesar do sucesso que teria, Cassino Royale não foi a história que lançou OO7 ao mundo, foi o segundo livro “Live em let die” o responsável por conseguir a vitrine do mundo, EUA, para OO7. A partir daí o sucesso foi rápido.

Quando os produtores Albert R. Broccoli e Harry Saltzman adquiriram os direitos de James Bond/OO7, a maior produção da história do cinema estava para começar, tudo o que se referia à história de 007 se tornaria imortal, inclusive as histórias dos próprios produtores.

Como todas as histórias de super-produções, não dá para ver o filme e dizer que não há nada de seu interesse, sempre vai haver um motivo para que você veja o filme. Um leitor do livro pode querer comparar as obras literária e cinematográfica; os amantes da boa música podem se interessar pelo talento de John Barry, responsável pelas músicas da maioria dos filmes de 007; os convidados mais que especiais fazem papéis de vilões, como são os casos do eterno encrenqueiro Orson Welles, Adolfo Celi e até Louis Jourdan; alguns não tem nada a ver com o gênero, mas quem é que não quer ser imortal?

Certa vez, quando um grande amigo me perguntou qual a parte do filme, de 007, que eu tinha gostado mais, não vacilei – da música – respondi. Meu amigo ficou extremamente decepcionado, eu insisti: “Vai dizer que você não acha uma obra-prima as aberturas dos filmes da série, acompanhadas de um bela e linda canção romântica?

Vendo a cara de frustração de meu amigo, lembrei-lhe das cenas de ação, com dublês, aí ele se animou. Não é para menos, a série 007 é reconhecida pelo arrojo de seus dublês que faziam a festa, na ausência de efeitos especiais, boa parte da história das dublagens de ação pode ser contada através da série 007.

A história do cinema, de certa forma, pode ser contada através da série, não só com os dublês de ação, mas com as belas canções, atrizes que se consagraram com esses filmes como as musas de pintores famosos.

Além de tudo isso, há particularidades ligadas a própria série, como é o caso do estrelismo de Sean Connery. Alegando estar ficando marcado pelo personagem, e com medo de ficar conhecido apenas como 007, como foi o caso de celebridades como Johnny Weissmuller, o tarzã.

Sean Connery abandonou a série a partir do quinto filme “Com OO7 só se vive duas vezes”, deixando os produtores numa bela encrenca, Sean Connery não era apenas um ator, era um bom ator, apesar de não ser o primeiro a ser cotado para interpretar o personagem.

Com a saída de Connery, os dois filmes seguintes foram muito aquém do desejado, Connery chegou a declarar que nunca mais encarnaria o personagem novamente.

Connery só viria a comprovar o velho ditado capitalista: “Todo homem tem seu preço” – mais tarde, mais de dez anos depois.

Depois de dois filmes, os produtores “imploraram” para que Sean Connery voltasse, Cannery pediu uma fortuna e mais condições no contrato. Treze anos depois, logo no título vinha estampado “Never say never Again”, apesar de não ser da mesma produtora, James Bond se vingaria do ator que o personificou pela primeira vez, Sean Connery.

Depois do trauma da saída de Sean connery, a série se estabilizou, OO7 desencarnou-se de Connery, o que foi bom para ele e para Connery também, que pode seguir sua carreira de ator, apesar de uma pequena dor de cotovelo.

Dentro de dois anos OO7 completará 50 anos, como uma das três séries que mais faturam e cativam o público durante várias gerações, ao lado de Tarzã e Guerra nas Estrelas.

A seguir postarei algumas das canções da série que fazem parte da minha vida.

by Jânio

maio 8, 2010 Posted by | Cinema | , , , , , , , , | 11 Comentários

A lenda de Júlio César

Nasce a lenda

Morte de Julius Caesar

Enquanto César lutava na Gália, os romanos, tanto o Senado quanto Pompeu, esperavam que ele fosse derrotado, assim, a ameaça estaria terminada. O líder gaulês, por sua vez, sabia que deveria aguardar o reforço, com isso, Gália teria 200.000 homens, contra 100.000 de César.

Empolgados com algumas vitórias em embates contra os romanos, os valentes gauleses chamaram seu comandante e convenceram-no a atacar os soldados, antes que o reforço chegasse. O erro custou uma grande derrota de seu exército, poupou o exército de César e mudou o destino da humanidade.

Seu líder foi preso e levado para Roma, para ser exibido como troféu e ser esquartejado pelas mãos da sangrenta e aristocrática sociedade romana, o que chateou enormemente o comandante César. O líder Gaulês chegou a dizer: “Pensei que o poder lhe dava mais escolhas.”

Um grande historiador escreveu que os imperadores eram escravos. César era o maior escravo de Roma, pois tinha que ficar vinte e quatro horas a sua disposição, César era adorado pelo povo de Roma, mas o Senado nunca viu com bons olhos sua ambição.

Com a vitória de César contra os gauleses, Pompeu foi alertado que César dobrara seu prestígio e o número de soldados que eram leais a seu comandante. Pompeu foi aconselhado a reunir as tropas que controlavam todo o vasto império romano. Pompeu foi para a Grécia iniciar a reunião de suas legiões.

Com a morte de Júlia, o laço que unia Pompeu a César foi rompido, por isso César enviou Marco Antônio para discursar, em seu nome, junto ao povo.

Marco Antônio fez mais que isso, chamou o povo para apoiar César contra os interesses do Senado.

Pressionado pelo Senado que o fazia crer que César o queria morto, Pompeu procurava reunir seus exércitos, César, por sua vez, tinha como qualidade principal, justamente, prever os atos de grandes comandantes. Antes que Pompeu conseguisse reunir suas legiões, marchou para Roma, quebrando a tradição, onde soldados armados não poderiam entrar na cidade, o que dava a ideia de golpe.

César fez mais, levou seu braço direito, o fiel Marco Antônio, para proteger sua vida. Deixando Marco Antônio em Roma, partiu em busca de Pompeu.

O Senado, temendo a fúria de César, mais uma vez cedeu e entregou o poder à César.

Pompeu havia ido ao Egito, onde o Rei morrera, deixando dois filhos, um menino, Ptolomeu e Cleópatra.

Contrariando o Senado, Brutus convenceu César a fazer as pazes com Pompeu, seu ex-genro, Brutus também queria Roma unida.

Pompeu foi recebido com honras no Egito, sem notar que era uma emboscada. Pompeu foi morto por seus próprios soldados, no Egito, onde o menino Ptolomeu era mantido no poder, controlado pelo chefe do conselho dirigente.

Quando César entrou no Egito, também foi recebido com honras e um presente, a cabeça de Pompeu.

O sonho de união de Roma começava a desmoronar, foi aqui que a mulher mais conhecida da história do poder político entrou na vida do cada vez mais fragilizado César.

A sedução de Cleópatra o levava esquecer os problemas de Roma e das consequências que essa união representava.

César teve um filho, dessa relação com Cleópatra, mesmo assim o povo continuava com ele. O Senado não gostou de ver César com a herdeira do Egito, que não era sua mulher.

Cleópatra, com dezoito anos, seria a rainha do Egito e quarta mulher de César. César se tornou unanimidade no Senado, todos eram contra ele, culpavam-no pela morte de Pompeu e pelo suicídio de Cato, um dos principais líderes do Senado e da família de Brutus.

O assassinato de Pompeu no Egito; o Suicídio de Cato, tio de Brutus, na África; o casamento de César e Cleópatra; deixaram claro para o Senado que César estava fora de seu controle. Ajudaram as lideranças a criar um motivo para matá-lo.

César foi apunhalado várias vezes, por vários senadores, para que todos os principais líderes do senado ficassem comprometidos entre si. Cassius teria sido o primeiro a apunhalar César, já que era o mais importante líder, desde a o suicídio de Cato, da família de Brutus.

O idealista Brutus, que culpava César pela morte de Catos e Pompeu, hesitou em apunhalar César, ele sabia que a união e a paz de Roma dependia de César. O espanto de César foi grande, já que Brutus era o único dos políticos mais importantes que o apoiava no senado.

“Depois da morte de César, o Império Romano foi abalado por quinze anos de guerra civil, nenhum de seus assassinos sobreviveu mais de três anos após sua morte, nenhum deles morreu de morte natural.

Cassius, o primeiro a apunhalá-lo, se matou com a mesma adaga que ele usou para apunhalar César; Brutus seguiu o destino de seu tio Cato e suicidou-se.

Pórtia, mulher de Brutus, perdeu a sanidade, depois de sua morte. Ela se matou engolindo um carvão em brasa.

Marco Antônio se apaixonou por Cleópatra. Suicidaram-se, quando Augustus, sucessor de César, tentou capturá-los.

O filho de César e Cleópatra foi assassinado, por ordem de Augustus.

Calpúrnia, terceira mulher de César, uma típica representante da aristocracia romana, última mulher legítima de César, foi a última a ver César ainda vivo. Nunca mais se casou.

César, o maior nome da história do poder político, foi morto pelo mesmo poder que ajudou a construir, poder grande demais para um único homem se sustentar, grande demais até para um ditador como Caio Július Caesar.

Fontes:

Filme “Július Caesar”, de Uli Edel.

Filme “A lenda de um Guerreiro”, de Jacques Dorfmann.

Wikipedia.

Texto:

by Jânio

abril 22, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , | 6 Comentários

Jùlio César e o Império Romano

imperadores romanos

caio julius caesar

O Império Romano não possuía Reis, sempre que algum comandante tinha um grande exército nas mãos, tomava o poder, qualquer semelhança com a História do Brasil, não é mera coincidência.

Era preciso muito talento para administrar um império tão vasto, com a corda no pescoço. Assassinatos de imperadores era muito comum naqueles tempos.

O nome mais conhecido dessa época, citado em todos os textos da época, foi Július Caesar, ou Júlio César.

O ano era 82 a.c, na cidade de Roma. Silas tomara o poder, com a força de seu exército, eliminaria um a um as pessoas que representassem perigo.

Nesse cenário, surge a figura de César, sobrinho de Mário, inimigo que seria eliminado por Silas. A família da esposa de César também era contra o ditador Silas, por isso Silas pediu que se separasse de sua esposa em troca de seu perdão, César se recusou.

Quando Silas enviou Pompeu para assassiná-lo, Pompeu viu em César um futuro aliado, ajudando-o a escapar.

Júlio César se considerava especial, da casa de Júlio, portanto descendente dos Julianos que por sua vez eram descendentes de Enéas, Filho da deusa Vênus.

Após a morte de Silas, Pompeu restabeleceu o poder do Senado. Pompeu notou também o carisma de César junto ao povo, tornando-se um perigo na luta pelo poder.

Pompeu precisava de César, devido ao seu carisma com o povo, mas precisava também do Senado. Curiosamente, a carreira de César começou ao desafiar o Senado, terminou no mesmo Senado, com sua morte.

Devido à suas brigas com o Senado, César nunca tornou-se um Rei de Roma, mas foi muito mais que isso, seu nome ficaria registrado na história, mais conhecido que os próprios deuses de quem dizia ser descendente.

O problema de Roma se resumia no seguinte:

Roma era afetada em sua economia, toda vez que os piratas atacavam seus navios, interceptando suas mercadorias. O problema é que os piratas eram muito numerosos naquela época.

Para combatê-los, Roma precisaria de um grande exército, o problema é que toda vez que um comandante tinha um grande exército nas mãos, dava um golpe e tomava o poder do Senado, daí o motivo para que o Senado pensasse antes de liberar um grande exército.

César convenceu o Senado a liberar um grande exército para Pompeu, que já o havia defendido antes.

Pompeu recebeu um grande exército para combater os piratas e nomeou César Cônsul de Roma.

A filha de Caio Júlio César se apaixonou por Pompeu, apesar desse ter o dobro de sua idade, César pediu 50.000 homens pela mão de sua filha. César se achava o escolhido, mas precisava provar que merecia o poder, além disso, precisava de um exército.

Com os soldados recebidos, César iniciou uma série de conquistas por Roma, aumentando seu prestígio em Roma e junto aos soldados romanos.

César era um grande líder que estudava a fundo seus adversários, e os respeitava, por isso os vencia, além disso, era um típico soldado romano, muito disciplinado.

A união de Roma, promovida por César, anos mais tarde seria lembrado por Maquiavel. Além de Maquiavel, outros nomes conhecidos da história se inspiraram em César e em Roma para realizarem seus planos de conquistas, entre eles Hitler e Napoleão.

Apesar de Napoleão ter mais os pés no chão, além de incentivar a cultura, Hitler se revelou um louco demente. Não era para menos, com a mistura que fez, unindo ciência, política, ciências ocultas e outras ideologias ainda mais radicais.

Na Alemanha nazista, Ave César se tornaria Heil Hitler, onde um homem dominado pela sua loucura, mancharia para sempre a história, com o sangue de gente inocente.

Com a expansão de Roma, mais tarde o Cristianismo se espalharia pelo mundo, através de seu império. Tanto o cristianismo quanto a república se mantém até hoje, na civilização contemporânea.
Entre as famosas batalhas vencidas por César, está a sangrenta batalha contra os Celtas, onde dezenas de milhares de soldados Celtas foram mortos. César errou ao libertar um homem na Gália, por sua admiração à esse homem, César pagaria com mais uma guerra.

O homem tinha uma história muito parecida a de César, sua história foi contada num filme com Cristopher Lambert “A lenda de um Guerreiro”. Assim como César ele se achava muito ligado aos deuses, quando César lhe deu um cavalo, usou esse mesmo cavalo para mostrar seu poder diante de seu povo, na Gália.

O povo o aceitou como líder e, assim como os romanos, errou ao ouvir o povo, abandonando sua lógica.

Os soldados romanos não gostaram de ver o gaulês, com um cavalo romano, atacando o exército de Roma, por isso César teve que vencê-lo, por questão de honra, frente aos seus soldados.

Para vencê-lo, César construiu um cerco em volta dos muros da cidade, a ideia era matar o povo de fome, caso não se rendessem. Primeiro, os gauleses liberaram os cavalos, depois as mulheres e crianças, tudo no intuito de aguardar o reforço que chegaria em breve.

O reforço que chegaria em breve, era maior que o exército romano, isso interessava a Pompeu e ao Senado. Caso o exército de César fosse derrotado, evitaria que ele chegasse a Roma cheio de glórias e tomasse o poder. Foi durante essa batalha que césar ficou sabendo, através de sua segunda mulher, que sua filha Júlia morrera, junto ao filho, durante o parto.

A morte de sua filha, mulher de Pompeu, provocou duas reações diferentes nos dois comandantes, enquanto Pompeu vagava todo o dia, desolado, próximo ao túmulo de Júlia, César descarregava toda sua dor, na batalha contra os gauleses.

O cerco da cidade de Alesia, ficou famoso na história. Os soldados Gauleses, empolgados com algumas vitórias, em embates contra os romanos, notando o temor que os romanos sentiam ao enfrentá-los, decidiram, contra a vontade de seu líder, enfrentar os romanos, antes que o reforço chegasse.

César disse a Marco Antônio, seu braço direito, essa é a diferença entre o exército romano e o exército gaulês, o romano tem um grande General.

César prendeu o líder Gaulês que se entregou para que César não matasse todos os soldados gauleses.

Com o fim da batalha, César enviou Marco Antônio para discursar no Senado, em seu nome.

Fim da primeira parte:

Continua:

Texto: By Jânio

abril 20, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , | 18 Comentários

Trinta anos de escândalos na política brasileira

abertura política

trinta anos de escândalos

O Brasil é um país riquíssimo, prova disso é que faz parte do G20, o que não significa força do Estado cujo anarquia não permite que isso ocorra. O G20 envolve as vinte maiores potências de interesse dos capitalistas, países de potencial econômico muito grande e que não impõe restrições burocráticas de modo a inviabilizar futuros investimentos.

Apesar do Brasil estar confortavelmente entre os vinte maiores interesses internacionais, sua estrutura é de um pais subdesenvolvido, sua incompetência para gerir projetos importantes ligados à educação, transporte, saúde, saneamento básico, segurança e criação de empregos, deixa os membros do G20 constrangidos, prova disso é a luta do Brasil pela tão sonhada cadeira permanente no conselho de segurança da ONU.

É como se o setor público não tivesse o menor compromisso com a questão administrativa, onde o aumento de gastos é constante, a queda na produtividade é visível. Dessa forma, aumento de impostos que atingem os últimos recursos de sobrevivência dos cidadãos comuns, do setor privado, são uma afronta a dignidade humana, um convite a uma sub-classe informal, invisível ao estado, em comunidades abandonadas das favelas ou regiões distantes desse imenso pais chamado Brasil.

Ser rico, no Brasil, quase sempre implica em ser desonesto, já que o sistema é claramente escravista. Chamar um empresário de rico, significa afrontá-lo, a grande maioria se sente extremamente constrangidos ao serem chamados de ricos.

A ambição é grande. Primeiro criam-se formas que facilitem a corrupção, leis que protejam os políticos, em seguida criam-se projetos e mais projetos, sem a menor competência para geri-los, afinal é dinheiro público, dinheiro fácil.

Há uma inversão clara de números onde oitenta por cento implicam em pagamentos de impostos, de alguns produtos, enquanto vinte por cento refletem o valor real do produto. As referências para tal desrespeito com as pessoas são os países ricos, são dos países ricos que vem a base de cálculo para os salários dos marajás brasileiros.

Enquanto uma dezena de políticos agem em seu próprio benefício, a grande maioria dos politicos não sabe sequer o que fazem ali, a única coisa que tem certeza é que seus salários deverá ser igual ao de seus companheiros. Eles pensam que o seu mal é menor, não sabem que uma pessoa que desvia um centavo daquelas que morrem nas portas dos hospitais, estão condenadas a apodrecer no inferno.

Não tenho a menor vocação para julgá-las, sei que para o Todo-Poderoso com poder absoluto, tudo é possível, inclusive os seu perdão, só a ele cabe o julgamento, mas alguém tem que dizer para onde vão os covardes; esse mundo não teria nenhum sentido, caso esses malditos políticos fossem todos para o céu.

Qualquer político que não sinta vergonha de ser político, que não assuma essa condição perante o seu eleitorado, não é digno de voto, nem de compaixão de seus eleitores, deve ser considerado um traidor do povo, o povo que não vê saída para sua vida a não ser uma vida marginalizada, prostituindo o corpo e a mente para conseguir sobreviver e não enlouquecer em seguida.

A Wikipedia é uma luz na razão de muitos países subdesenvolvidos que, como o Brasil, perderam completamente a noção do certo e errado, aplaudindo velhos políticos em palanques, sem saber que os mesmos estarão para sempre de mãos dadas com o sistema, seja ele militar ou civil, social ou democrático, capitalista ou comunista, sempre estarão do lado certo do lado errado.

A lista que vem a seguir, é um pedido da Wikipedia para que você abra seus olhos, o que significa o oposto do voto em branco. Devemos escolher entre dois candidatos, não com referência entre o honesto e o criminoso, mas de acordo com nossas informação e a nossa consciência. Nós sabemos que, até o dia da eleição, todos os corruptos estarão com sua ficha limpa, vestidos em peles de cordeiro, é nesse momento que seu olhar e sua consciência devera recriminá-lo, mostrar a sua força e o poder de seu voto.

Em nossa cultura, apesar da falta de tradição, é possível identificar muitas famílias através de seus nomes, o corrupto brasileiro não só não acredita na punição perante a justiça, como não acredita na punição perante o povo, aí é o ponto fraco dele.

Podemos obter um raio-x de um político brasileiro, com uma simples pesquisa pela internet, em sites especializados em política ou com a ajuda da Wikipedia que é muito mais que um simples dicionário online, é uma enciclopédia de tudo o que se refere a conteúdo em forma de texto.

Há casos em que o povo pode ajudar a fiscalizar, outros, apenas a Polícia Federal tem os meios necessários e ainda há os casos tão sofisticados que nem a Polícia Federal tem conhecimento, nesses casos, só com denúncia mesmo.

De um modo geral, os crimes são os mesmos, desvio de verba de um setor para atender a outro, enriquecimento (há quem diga que toda forma de enriquecimento, no Brasil, é ilícita, não há como enriquecer com as atuais taxas de impostos. Há também os investimentos em localidades distante do domicílio.

Veja a lista dos escândalos ao longo dos últimos 30 anos e faça uma pesquisa a respeito deles e dos envolvidos nessas corrupções.

Anos 70

Caso Wladimir Herzog (outubro de 1975) – Esse foi o primeiro dos casos de denúncia, após um período negro de ditadura, onde era proibido a cor vermelha, em roupas ou em qualquer tipo objeto. Provocou um grande escândalo, o início da abertura política, quando o regime militar apresentava a cara a tapa.

Caso Lutfalla

Caso Atalla

Caso Abdalla – Parecem até ter algo em comum, os três casos acima, eu me lembro das notícias pelo rádio, ainda havia medo nas denúncias.
Cassações dos Parlamentares no Governo Geisel (1975-1977)

Caso Manuel Fiel Filho (janeiro de 1976)

Primeiro Caso Econômico (Ministro Ângelo Calmon de Sá acusado de passar um gigantesco cheque sem fundos)

Lei Falcão (1976)

Pacote de Abril (1977)

Grandes Mordomias dos Ministros no Governo Geisel

Caso Halles

Caso BUC

Caso Eletrobrás

Caso Áurea

Caso UEB/Rio-Sul

Caso Lume

Caso Ipiranga

Caso Dow Química

Caso Nigeriano

Caso Tama

Caso Cobec

Caso Coscafé

Anos 80

Caso Capemi

Caso do Grupo Delfim

Caso Baumgarten

Escândalo da Mandioca

Escândalo da Proconsult

Escândalo das Polonetas

Escândalo do Instituto Nacional de Assistência Médica do INAMPS

Caso Coroa-Brastel

Escândalo das Jóias

Escândalo do Ministério das Comunicações (grande número de concessões de rádios e TVs para políticos aliados ou não ao Sarney. A concessão é em troca de cargos, votos ou apoio ao presidente)

CPI da Corrupção (1988)

Caso Chiarelli (Dossiê do Antônio Carlos Magalhães contra o senador Carlos Chiarelli ou “Dossiê Chiarelli”) (1988)

Caso Vale

Caso Imbraim Abi-Ackel

Escândalo da Administração de Orestes Quécia

Escândalo do Contrabando das Pedras Preciosas

Escândalo Rabo-de-Palha (Tentativa de fraude eleitoral montada pelo então Governador do Rio Grande do Norte, José Agripino Maia nas Eleições Municipais de 1985.)

Anos 90

Escândalo do INSS (ou Escândalo da Previdência Social)

Escândalo do BCCI (ou caso Sérgio Corrêa da Costa)

Escândalo da Ceme (Central de Medicamentos)

Escândalo da LBA

Caso Georgina de Freitas

Esquema PP

Esquema PC (Caso Collor)

Escândalo da Eletronorte

Escândalo do FGTS

Escândalo da Ação Social

Escândalo do BC

Escândalo da Merenda

Escândalo das Estatais

Escândalo das Comunicações

Escândalo da Vasp

Escândalo da Aeronáutica

Escândalo do Fundo de Participação
Escândalo do BB

Centro Federal de Inteligência (Criação da CFI, primeira Medida Provisória do governo Itamar Franco para combater corrupção em todas as esferas do governo federal) (1992)

Caso Edmundo Pinto (1992)

Escândalo do DNOCS (Departamento Nacional de Obras contra a Seca) (ou caso Inocêncio Oliveira)

Escândalo da IBF (Indústria Brasileira de Formulários)

Escândalo do INAMPS (Instituto Nacional de Assistência Previdência Social)

Caso Nilo Coelho

Caso Eliseu Resende

Caso Queiroz Galvão (em Pernambuco)

Escândalo da Telemig (Minas Gerais)

Jogo do Bicho (ou Caso Castor de Andrade) (no Rio de Janeiro)

Caso Ney Maranhão

Escândalo do Paubrasil (Paubrasil Engenharia e Montagens)

Escândalo da Administração de Roberto Requião

Escândalo da Cruz Vermelha Brasileira

Caso José Carlos da Rocha Lima

Escândalo da Colac (no Rio Grande do Sul)

Escândalo da Fundação Padre Francisco de Assis Castro Monteiro (em Ibicuitinga, Ceará)

Escândalo da Administração de Antônio Carlos Magalhães (Bahia)

Escândalo da Administração de Jaime Campos (Mato Grosso)

Escândalo da Administração de Roberto Requião (Paraná)

Escândalo da Administração de Ottomar Pinto (em Roraima)

Escândalo da Sudene de Pernambuco

Escândalo da Prefeitura de Natal (no Rio Grande do Norte)

CPI do Detran (em Santa Catarina)

Caso Restaurante Gulliver (tentativa do governador Ronaldo Cunha Lima matar o governador antecessor Tarcísio Burity, por causa das denúncias de Irregularidades na Sudene de Paraíba)

CPI do Pó (em Paraíba)

Escândalo da Estacom (em Tocantins)

Escândalo do Orçamento da União (ou Escândalo dos Anões do Orçamento ou CPI do Orçamento)

Compra e Venda dos Mandatos dos Deputados do PSD

CPI da TV Jovem Pan (investigações sobre a compra da emissora que deve ao governo federal) (também conhecido como Caso TV Jovem Pan)

Caso Rubens Ricupero (também conhecido como “Escândalo das Parabólicas”).

Escândalo do Banco Econômico (ou Segundo Caso Econômico)

Escândalo do Sivam (Primeira grave crise do governo FHC)

Escândalo da Pasta Rosa

Escândalo da CONAN

Escândalo dos Gafanhotos (ou Máfia dos Gafanhotos)[1]

Escândalo da Administração de Paulo Maluf (na cidade de São Paulo)

Escândalo do BNDES (verbas para socorrerem ex-estatais privatizadas)

Caso PC Farias

Escândalo da Compra de Votos Para Emenda da Reeleição

Escândalo da Previdência

Escândalo da Administração do PT (primeira denúncia contra o Partido dos Trabalhadores desde a fundação em 1980, feito pelo militante do partido Paulo de Tarso Venceslau)

Escândalo dos Precatórios

Escândalo do Banestado

Escândalo da Encol

Escândalo da Mesbla

Escândalo do Banespa
Escândalo dos Medicamentos (grande número de denúncias de remédios falsificados ou que não curaram pacientes)

Escândalo da Desvalorização do Real

Escândalo dos Fiscais de São Paulo (ou Máfia dos Fiscais)

Escândalo da Mappin

Escândalo do Banco Marka (ou Caso Salvatore Cacciola)

Dossiê Cayman (ou Escândalo do Dossiê Cayman ou Escândalo do Dossiê Caribe)

Escândalo dos Grampos Contra FHC e Aliados

Escândalo do Judiciário (ou CPI do Judiciário)

Escândalo dos Bancos

CPI do Narcotráfico

CPI do Crime Organizado

Escândalo da Banda Podre (no Rio de Janeiro)

Quebra do Monopólio do Petróleo (criação da ANP)

Escândalo da Transbrasil

Escândalo da Pane DDD do Sistema Telefônico Privatizado (o “Caladão”)

Escândalo dos Desvios de Verbas do TRT-SP (Caso Nicolau dos Santos Neto, o “Lalau”)

Escândalo da Administração da Roseana Sarney (no Maranhão, 1995-2002)

Corrupção na Prefeitura de São Paulo (ou Caso Celso Pitta, 1997-2000)

Escândalo da Sudam

Escândalo da Sudene

Escândalo do Banpará

Escândalo da Administração de Mão Santa (no Piauí, 1999-2001)

Acidentes Ambientais da Petrobrás

Abuso de Medidas Provisórias (5.491)

Escândalo do Abafamento das CPIs no Governo do FHC

Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo FHC

CPI do Banestado

Escândalo do Proer

Caso Marka/FonteCindam

Escândalo Ganhe Já (Escândalo fiscal ocorrido no 2o Governo de José Agripino Maia1991-1994.)

Quebras do BANDERN e do BDRN (Quebras e má-gestão de bancos estatais do Rio Grande do Norte ocorridas no 2o Governo de José Agripino Maia1991-1994.)

Década de 2000

Caso Luís Estêvão

Escândalo da Quebra do Sitio do Painel do Senado (envolvendo os presidentes do Senado, Antônio Carlos Magalhães e Jader Barbalho)

Escândalos no Cerrado em 2001 [carece de fontes?]

Caso Toquinho do PT

Caso Celso Daniel

Caso Lunus (ou Caso Roseana Sarney)

Operação Anaconda

Caso José Eduardo Dutra

Escândalo do Propinoduto

Escândalo do Valerioduto

CPI da Pirataria

Escândalo dos Bingos(ou Caso Waldomiro Diniz)

Caso Luiz Augusto Candiota

Caso Cássio Caseb

Caso Kroll

Escândalo dos Vampiros

Irregularidades na Bolsa-Família

Escândalo dos Correios – Também conhecido como Caso Maurício Marinho)

Escândalo do IRB

Escândalo da Novadata

Escândalo da Usina de Itaipu ou Operação Castores

Escândalo das Furnas

Escândalo do Mensalão

Escândalo do Leão & Leão

Escândalo da Secom

Escândalo do Brasil Telecom (Também conhecido como Escândalo do Portugal Telecom ou Escândalo da Itália Telecom)

Escândalo da CPEM

Mensalão Tucano

Escândalo dos Dólares na Cueca

Escândalo do Banco Santos

Escândalo Daniel Dantas – Grupo Opportunity (ou Caso Daniel Dantas)

Escândalo do Banco BMG (Empréstimos para aposentados)

Escândalo dos Fundos de Pensão

Escândalo dos Grampos na Abin

Escândalo do Foro de São Paulo

Escândalo do Mensalinho

Caso Toninho Barcelona

Doação de Roupas da Lu Alckmin (esposa do Geraldo Alckimin)

Escândalo da Nossa Caixa

Escândalo da Quebra do Sigilo Bancário do Caseiro Francenildo (Também conhecido como Caso Francenildo Santos Costa)

Escândalo das Cartilhas do PT

Escândalo dos Gastos de Combustíveis dos Deputados

Escândalo das Sanguessugas (Inicialmente conhecida como Operação Sanguessuga e Escândalo das Ambulâncias)

Operação Confraria

Operação Dominó

Operação Saúva

Escândalo do Vazamento de Informações da Operação Mão-de-Obra

Mensalinho nas Prefeituras do Estado de São Paulo

Escândalo do Dossiê

Escândalo da Renascer em Cristo

Operação Testamento

CPI da Ampla

CPI da Crise Aérea (Senado Federal e Câmara dos Deputados)

Operação Hurricane (também conhecida Operação Furacão)

Operação Octopus

Operação Navalha

Operação Carranca

Operação Xeque-Mate

Operação Moeda Verde

Caso Renan Calheiros

Escândalo das Concessões (Concessões de Emissoras de Rádio e TV no Caso Renan Calheiros}

Operação Sétimo Céu

Operação Hurricane II (também conhecida Operação Furacão II)

Caso Joaquim Roriz

Operação Babilônia

Operação Firula

Escândalo do Corinthians (ou caso MSI)

Caso de Fraudes em Exames da OAB

Operação Águas Profundas (também conhecida como Caso Petrobras)

Caso Cássio Cunha Lima (em Paraíba)

Operação Nove

CPI da Pedofilia

Escândalo dos cartões corporativos

Escândalo da Bancoop

Esquema de desvio de verbas no BNDES

Máfia das CNH’s (Fraudes no DETRAN de São Paulo)

Caso Álvaro Lins, no Rio de Janeiro

Operação Satiagraha Prisão de Daniel Dantas

Dossiê Revista VEJA

Crise Ética da Imprensa Potiguar (Atingiu seu auge nas eleições municipais de 2008)

Operação Selo

Operação Deja Vu

Escândalo das passagens aéreas

Escândalo dos atos secretos

Escândalo dos falsos currículos de Dilma e Mercadante

Escândalo da Receita Federal – Lina Vieira

Censura ao jornal O Estado de São Paulo

Escândalo do BNDES – Paulinho da Força Sindical

Escândalo do conselho do FAT

Escândalo da compra de caças franceses Rafale

Escândalo José Sarney – Compra de apartamentos por empreiteira

Escândalo do filho de Lula – Gamecorp

Escândalo da venda da Brasil Telecom

Escândalo dos Fundos de Pensão – Luiz Gushiken

Escândalo da Petrobras – Refinarias

Escândalo da Petrobras – ONGs

Escândalo da Petrobras – patrocínio de festas juninas

Escândalo do financiamento do MST

Escândalo do INCRA

Escândalo dos gastos dos jogos Panamericanos Rio

Escândalo da ferrovia Norte-Sul

Escândalo da falência da VARIG

Escândalo da VARILOG e Dilma Roussef

Escândalo do Dossiê da Casa Civil – Dilma Roussef

Escândalo das obras do PAC

Escândalo da expropriação de ativos da Petrobras na Bolívia

Escândalo do “Apagão Aéreo”

Escândalo das licitações da INFRAERO

Escândalo dos Correios

Escândalo do IPEA – desestruturação e politização do órgão

Escândalo da IURD – Igreja Universal do Reino de Deus

Escândalo da pane do Speedy – Banda Larga de Internet

Escândalo da SECOM – gastos de publicidade do governo federal

Escândalo da gasolina batizada

desestruturação das agências reguladoras

CPI da Coelce

CPI da Enersul

CPI da Conta de Luz

CPI das ONGs

Escândalo da privatização das rodovias federais

Gripe Suína e os dados oficiais

Escândalo do trem bala Rio – São Paulo – TAV

Operação Boi Barrica

Escândalo da Fundação José Sarney

Vereadores de Cornelio Procopio Utilizam diarias falsas

Datas Desconhecidos (1964-1994)

Escândalos do Regime Militar e pré-era FHC/Lula, a serem ainda analisados e datados aqui:

Ferrovia do Aço

Transamazônica

Projeto Jaíba

Projeto Carajás

Serra do Navio

Doação de terras amazônicas a multinacionais

Projeto Jari

Hidrelétrica de Balbina

Usinas nucleares em Angra – Projeto Nuclebrás

Reserva do Mercado de Informática

Esquema ACM-Globo-NEC

Esquema Globo-Grupo Time Life (1965 ou 1968?)

Hidrelétrica de Tucuruí

Projeto Alcan-Alcoa no Maranhão.
Fonte da lista – Wikipedia

Texto – By Jânio

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

fevereiro 27, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , | 33 Comentários

Lista de políticos que tiveram problemas na justiça

lista de politicos,

Problemas na justiça

Esse post eu encontrei na comunidade Dihitt, gostei muito e pensei em repassar, demorou mais está aqui.

Se acontecer do DNS de meu site ser bloqueado pela telefônica, terei que criar outra conta, mas publicar esse post, para mim, era questão de honra.

A Elaine já tinha publicado no Dihitt, mas devido a importância, eu me vi na obrigação de espalhar essa lista para mais pessoas, através de meu blog também.

Evidentemente, desde a criação dessa lista, muita corrupção já ocorreu no Brasil, o que leva a crer que a lista deva ser atualizada, de qualquer maneira, mais de noventa por cento do que aconteceu de errado está aí.

Tem de tudo, desde dançarina no congresso, mensalão, sanguessugas.

Só falta a turma do Arruda.

ACUSAÇÃO OU CRIME A QUE RESPONDEU

ABELARDO LUPION
Deputado
PFL-PR
Sonegação Fiscal

ADEMIR PRATES
Deputado
PDT-MG
Falsidade Ideológica

AELTON FREITAS
Senador
PL-MG
Crime de Responsabilidade e Estelionato

AIRTON ROVEDA
Deputado
PPS-PR
Peculato

ALBÉRICO FILHO
Deputado
PMDB-MA
Apropriação Indébita

ALCESTE ALMEIDA
Deputado
PTB-RR
Peculato e Formação de Quadrilha, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ALEX CANZIANI
Deputado
PTB-PR
Peculato

ALMEIDA DE JESUS
Deputado
PL-CE
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ALMIR MOURA
Deputado
PFL-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

AMAURI GASQUES
Deputado
PL-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ANDRÉ ZACHAROW
Deputado
PMDB-PR
Improbidade Administrativa

ANÍBAL GOMES
Deputado
PMDB-CE
Improbidade Administrativa

ANTERO PAES DE BARROS
Senador
PSDB-MT
Improbidade Administrativa e Formação de Quadrilha

ANTÔNIO CARLOS PANNUNZIO
Deputado
PSDB-SP
Crime de Responsabilidade

ANTÔNIO JOAQUIM
Deputado
PSDB-MA
Improbidade Administrativa

BENEDITO DE LIRA
Deputado
PP-AL
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

BENEDITO DIAS
Deputado
PP-AP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

BENJAMIN MARANHÃO
Deputado
PMDB-PB
Crime Eleitoral

BISPO WANDERVAL
Deputado
PL-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

CABO JÚLIO
(JÚLIO CÉSAR GOMES DOS SANTOS)
Deputado
PMDB-MG
Crime Militar, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

CARLOS ALBERTO LERÉIA
Deputado
PSDB-GO
Lesão Corporal

CELSO RUSSOMANNO
Deputado
PP-SP
Crime Eleitoral, Peculato e Agressão

CHICO DA PRINCESA
(FRANCISCO OCTÁVIO BECKERT)
Deputado
PL-PR
Crime Eleitoral
CIRO NOGUEIRA
Deputado
PP-PI
Crime Contra a Ordem Tributária e PrevaricaçãoCL

EONÂNCIO FONSECA
Deputado
PP-SE
Sanguessugas (Escândalo das SanAmbulâncias)

CLÓVIS FECURY
Deputado
PFL-MA
Crime Contra a Ordem Tributária

DAVI ALCOLUMBRE
Deputado
PFL-AP
Corrupção Ativa

DILCEU SPERAFICO
Deputado
PP-PR
Apropriação Indébita

DOUTOR HELENO
Deputado
PSC-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

EDSON ANDRINO
Deputado
PMDB-SC
Crime de Responsabilidade

EDUARDO AZEREDO
Senador
PSDB-MG
Improbidade Administrativa

EDUARDO GOMES
Deputado
PSDB-TO
Crime Eleitoral, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

EDUARDO SEABRA
Deputado
PTB-AP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ELIMAR MÁXIMO DAMASCENO
Deputado
PRONA-SP
Falsidade Ideológica

EDIR DE OLIVEIRA
Deputado
PTB-RS
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

EDNA MACEDO
Deputado
PTB-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ELAINE COSTA
Deputada
PTB-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ELISEU PADILHA
Deputado
PMDB-RS
Corrupção Passiva

ENIVALDO RIBEIRO
Deputado
PP-PB
Crime Contra a Ordem Tributária, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ÉRICO RIBEIRO
Deputado
PP-RS
Crime Contra a Ordem Tributária e Apropriação Indébita

FERNANDO ESTIMA
Deputado
PPS-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

FERNANDO GONÇALVES
Deputado
PTB-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

GARIBALDI ALVES
Senador
PMDB-RN
Crime Eleitoral

GIACOBO
(FERNANDO LUCIO GIACOBO)
Deputado
PL-PR
Crime Contra a Ordem Tributária e Seqüestro

GONZAGA PATRIOTA
Deputado
PSDB-PE
Apropriação Indébita

GUILHERME MENEZES
Deputado
PT-BA
Improbidade Administrativa

INALDO LEITÃO
Deputado
PL-PB
Crime Contra

INOCÊNCIO DE OLIVEIRA
Deputado
PMDB-PE
Crime de Escravidão

IRAPUAN TEIXEIRA
Deputado
PP-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

IRIS SIMÕES
Deputado
PTB-PR
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ITAMAR SERPA
Deputado
PSDB-RJ
Crime Contra o Consumidor, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ISAÍAS SILVESTRE
Deputado
PSB-MG
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JACKSON BARRETO
Deputado
PTB-SE
Peculato e Improbidade Administrativa

JADER BARBALHO
Deputado
PMDB-PA
Improbidade Administrativa, Peculato, Crime Contra o Sistema Financeiro e Lavagem de Dinheiro

JAIME MARTINS
Deputado
PL-MG
Crime Eleitoral

JEFERSON CAMPOS
Deputado
PTB-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JOÃO BATISTA
Deputado
PP-SP
Falsidade Ideológica, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JOÃO CALDAS
Deputado
PL-AL
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JOÃO CORREIA
Deputado
PMDB-AC
Declaração Falsa de Imposto de Renda, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JOÃO HERRMANN NETO
Deputado
PDT-SP
Apropriação Indébita

JOÃO MAGNO
Deputado
PT-MG
Lavagem de Dinheiro

JOÃO MENDES DE JESUS
Deputado
PSB-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JOÃO PAULO CUNHA
Deputado
PT-SP
Corrupção Passiva, Lavagem de Dinheiro e Peculato

JOÃO RIBEIRO
Senador
PL-TO
Peculato e Crime de Escravidão

JORGE PINHEIRO
Deputado
PL-DF
Crime Ambiental

JOSÉ DIVINO
Deputado
PRB-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JOSÉ JANENE
Deputado
PP-PR
Estelionato, Improbidade Administrativa, Lavagem de Dinheiro, Corrupção Passiva, Formação de Quadrilha, Apropriação Indébita e Crime Eleitoral

JOSÉ LINHARES
Deputado
PP-CE
Improbidade Administrativa

JOSÉ MENTOR
Deputado
PT-SP
Corrupção Passiva

JOSÉ MILITÃO
Deputado
PTB-MG
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JOSÉ PRIANTE
Deputado
PMDB-PA
Crime Contra o Sistema Financeiro

JOVAIR ARANTES
Deputado
PTB-GO
Improbidade Administrativa

JOVINO CÂNDIDO
Deputado
PV-SP
Improbidade Administrativa

JÚLIO CÉSAR
Deputado
PFL-PI
Peculato, Formação de Quadrilha, Lavagem de Dinheiro
e Falsidade Ideológica

JÚLIO LOPES
Deputado
PP-RJ
Falsidade Ideológica

JÚNIOR BETÃO
Deputado
PL-AC
Declaração Falsa de Imposto de Renda, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

JUVÊNCIO DA FONSECA
Deputado
PSDB-MS
Improbidade Administrativa

LAURA CARNEIRO
Deputada
PFL-RJ
Improbidade Administrativa e Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

LEONEL PAVAN
Senador
PSDB-SC
Contratação de Serviços Públicos Sem Licitação e Concussão

LIDEU ARAÚJO
Deputado
PP-SP
Crime Eleitoral

LINO ROSSI
Deputado
PP-MT
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

LÚCIA VÂNIA
Senadora
PSDB-GO
Peculato

LUIZ ANTÔNIO FLEURY
Deputado
PTB-SP
Improbidade Administrativa

LUPÉRCIO RAMOS
Deputado
PMDB-AM
Crime de Aborto

MÃO SANTA
Senador
PMDB-PI
Improbidade Administrativa

MARCELINO FRAGA
Deputado
PMDB-ES
Crime Eleitoral, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

MARCELO CRIVELA
Senador
PRB-RJ
Crime Contra o Sistema Financeiro e Falsidade Ideológica

MARCELO TEIXEIRA
Deputado
PSDB-CE
Sonegação Fiscal

MÁRCIO REINALDO MOREIRA
Deputado
PP-MG
Crime Ambiental

MARCOS ABRAMO
Deputado
PP-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

MÁRIO NEGROMONTE
Deputado
PP-BA
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

MAURÍCIO RABELO
Deputado
PL-TO
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

NÉLIO DIAS
Deputado
PP-RN
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

NELSON BORNIER
Deputado
PMDB-RJ
Improbidade Administrativa

NEUTON LIMA
Deputado
PTB-SP
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

NEY SUASSUNA
Senador
PMDB-PB
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

NILTON CAPIXABA
Deputado
PTB-RO
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

OSMÂNIO PEREIRA
Deputado
PTB-MG
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

OSVALDO REIS
Deputado
PMDB-TO
Apropriação Indébita

PASTOR AMARILDO
Deputado
PSC-TO
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

PAULO AFONSO
Deputado
PMDB-SC
Peculato, Crime Contra o Sistema Financeiro e Improbidade Administrativa

PAULO BALTAZAR
Deputado
PSB-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

PAULO FEIJÓ
Deputado
PSDB-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

PAULO JOSÉ GOUVEIA
Deputado
PL-RS
Porte Ilegal de Arma

PAULO LIMA
Deputado
PMDB-SP
Extorsão e Sonegação Fiscal

PAULO MAGALHÃES
Deputado
PFL-BA
Lesão Corporal

PEDRO HENRY
Deputado
PP-MT
Formação de Quadrilha, Lavagem de Dinheiro e Corrupção Passiva, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

PROFESSOR IRAPUAN
Deputado
PP-SP
Crime Eleitoral

PROFESSOR LUIZINHO
Deputado
PT-SP
Lavagem de Dinheiro

RAIMUNDO SANTOS
Deputado
PL-PA
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

REGINALDO GERMANO
Deputado
PP-BA
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

REINALDO BETÃO
Deputado
PL-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

REINALDO GRIPP
Deputado
PL-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

REMI TRINTA
Deputado
PL-MA
Estelionato e Crime Ambiental

RIBAMAR ALVES
Deputado
PSB-MA
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

RICARDO BARROS
Deputado
PP-PR
Sonegação Fiscal

RICARTE DE FREITAS
Deputado
PTB-MT
Improbidade Administrativa e Formação de Quadrilha, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

RODOLFO TOURINHO
Senador
PFL-BA
Gestão Fraudulenta de Instituição Financeira

ROMERO JUCÁ
Senador
PMDB-RR
Improbidade Administrativa

ROMEU QUEIROZ
Deputado
PTB-MG
Corrupção Ativa, Corrupção Passiva e Lavagem de Dinheiro

SANDRO MABEL

Deputado

PL-GO
Crime Contra a Ordem Tributária

SUELY CAMPOS
Deputada
PP-RR
Crime Eleitoral

TATICO
(JOSÉ FUSCALDI CESÍLIO)
Deputado
PTB-DF
Crime Contra a Ordem Tributária, Declaração Falsa de Imposto de Renda e Sonegação Fiscal

TETÉ BEZERRA
Deputado
PMDB-MT
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

THELMA DE OLIVEIRA
Deputada
PSDB-MT
Improbidade Administrativa e Formação de Quadrilha

VADÃO GOMES
Deputado
PP-SP
Improbidade Administrativa e Crime Contra a Ordem Tributária

VALDIR RAUPP
Senador
PMDB-RO
Peculato, Uso de Documento Falso, Crime Contra o Sistema Financeiro, Crime Eleitoral e Gestão Fraudulenta de Instituição Financeira

VALMIR AMARAL
Senador
PTB-DF
Apropriação Indébita

VANDERLEI ASSIS
Deputado
PP-SP
Crime Eleitoral, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

VIEIRA REIS
Deputado
PRB-RJ
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

VITTORIO MEDIOLI
Deputado
PV-MG
Sonegação Fiscal

WANDERVAL SANTOS
Deputada
PL-SP
Corrupção Passiva

WELLINGTON FAGUNDES
Deputada
PL-MT
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)

ZÉ GERARDO
Deputado
PMDB-CE
Crime de Responsabilidade

ZELINDA NOVAES
Deputada
PFL-BA
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
Por precaução, aos nomes acima podem ser acrescentados também os seguintes…

Ângela Guadagnin
Deputada
PT-SP
Dançarina do Plenário da Câmara, comemorando absolvição de corrupto

Antônio Palocci
Ex-Ministro
PT-SP
Quebra de Sigilo Bancário

Carlos Rodrigues
Ex-Deputado
PL-RJ
Bispo Rodrigues
Delúbio Soares
Tesoureiro
PT-GO
Ex Tesoureiro do PT
José Dirceu
Ex-Deputado
PT-SP
Mensalão

José Genoíno
Ex-Deputado
PT-SP
Mensalão, Dólares na Cueca

José Nobre Guimarães
Deputado Est.
PT-CE
Dólares na Cueca (Agora Candidato a Dep. Federal)

Josias Gomes
Deputado
PT-BA
Menssalão, CPI dos Correios

Luiz Gushiken
Ex-Ministro
PT-SP
CPI dos Correios

Paulo Salim Maluf
Ex
PPB-SP
Corrupção, Falcatruas, Improbidade Administrativa, Desvio de Dinheiro Público, Lavagem de dinheiro

Paulo Pimenta
Deputado
PT-RS
Compra de Votos, Menssalão, CPI Correios

Pedro Corrêa
Ex-Deputado
PP-PE

Roberto Brant
Deputado
PFL-MG
Crime Eleitoral, Mensalão, CPI Correios

Roberto Jefferson
Ex-Deputado
PTB-RJ
Mensalão

Severino Cavalcanti
Ex-Deputado
PP-PE
Escândalo do Mensalinho (Renuncio para evitar a cassação)

Silvio Pereira
Secretário PT
PT
Mensalão

Valdemar Costa Neto
Exc-Deputado
PL-SP
Mensalão (renunciou para evitar a cassação)

Fontes :
Folha on-line (várias edições) e Revista Veja , 12 de julho, 2006.
Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
UE/PR-SOF – Tel. (0 xx 41) 3595 4423
Al. Dr. Carlos de Carvalho, 552 , Centro
80.430-180 – Curitiba, PR.

Fonte: http://elaineiarah.dihitt.com.br/elaineiarah/noticia/antes-de-votarconsulte-esta-lista

Textos relacionados:

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

fevereiro 18, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , | 72 Comentários

Até o amor tem limites

amor incestuoso

tragédia clássica

O amor não tem idade. Era muito comum um homem mais velho se apaixonar por uma mulher mais jovem, já que o homem detinha o poder, fama e dinheiro.

Com as conquistas da mulher, a história se inverteu, é o homem mais jovem o mais interessado na fama, sucesso e dinheiro da mulher. Apesar dos problemas de falsidade da grande maioria, há casos de amor também, aquele onde há respeito, família, enfim, uma convivência harmoniosa.

Acontece muito, por insegurança, as pessoas procurarem um cantinho seguro, financeiramente falando, é claro.

Há também o complexo de Èdipo/Jocasta, onde há o menino desamparado, de um lado, e uma mãe superprotetora do outro. A mãe  no sentido figurado, o meninão também; algumas vezes o meninão é mais velho que a mãe protetora.

O mito de Jocasta, aliás, já foi mostrado em novela das oito e tudo. Vera Fisher fazia a mãe incestuosa, enquanto Felipe Camargo fazia o filho que mata o pai, para ficar com a mãe.

Fora das telas, os dois atores acabaram se “apaixonando de verdade”, resultado: uma relação muito mais conturbada que na novela, felizmente, não houve mortes, apenas hematomas e cortes de faca, acompanhado de overdoses, nada que a lei Maria da Penha não resolva.

Um homem me disse, outro dia: “Eu não me apaixonaria por uma mulher mais nova, principalmente porque eu já sou casado, as meninas até tentam, mas eu fico pensando, essas meninas tem a idade de meus filhos, amanhã   ou depois pode acontecer uma tragédia incestuosa de a gente cruzar o caminho da própria filha, isso não ficaria bem.”

O incesto é muito bonito nas histórias  fictícias e lendas, mas na vida real é um trauma, aliás, toda relação forçada, onde um dos dois passa dos limites, torna-se um a relação nauseante.

A máxima, vem de um humorista brasileiro famoso:

O Jovem se apaixonara por uma mulher bem mais velha que ele, a mulher tinha uma filha, muito bonita por sinal.

O jovem não via nenhum problema, afinal tinha muito mais maturidade que aparentava. Era religioso, sério, responsável, acabou por se casar com a mulher.

Depois de algum tempo, o jovem perdeu sua mãe, seu pai ficou, portanto, viúvo.

Acontece que seu pai se apaixonou pela jovem enteada de seu filho, filha de uma mulher bem mais velha. Depois de algum tempo, seu pai se casou com a enteada de sua mulher, se tornando genro de seu filho.

Seu filho suportou a história, por algum tempo, mas terminou por suicidar-se, quando descobriu que tornara-se avô de si próprio, já que passou a ser enteado da filha de sua mulher.

Essa história é uma simples piada, mas mostra o quão pode ser complexo o tema de diferença de idade, e os riscos que isso pode acarretar. A mulher pode suportar tudo, por amor, já o homem …

Contudo há casos sutis de amores, onde passam totalmente despercebidos, tamanha a simplicidade do casal.

By Jânio

fevereiro 4, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , | 9 Comentários

Noticiários internacionais já admitem mais de cem mil mortos na tragédia do Haiti

tragédia no haiti

Entre a cruz e a espada

A América central é considerada o paraíso do turismo, todos os países são muito visitados, apesar dos furacões que nascem na região. Todos os países da região são muito conhecidos pelos turistas: Jamaica, Cuba, Haiti e todos os outros países da região.

A beleza natural da região contrasta com os sistemas políticos, dominados por interesses internos e externos. Um exemplo disso é o Haiti, outrora o país mais rico das Américas, hoje é o mais pobre, tentando se recuperar, depois da tragédia do último terremoto.

Durante sua longa história, desde a chegada de Colombo às Américas. O Haiti passou por dominações Francesas, espanholas e americanas.

Apesar de ser um povo guerreiro e forte, formado em sua maioria por descendentes de africanos, conseguiram abolir a escravatura cem anos antes da abolição no Brasil, em 1.794.

Do final do século XIX ao começo do século XX, dezesseis dos vinte governantes foram mortos ou depostos.

Em 1.957 teve início a ditadura sangrenta de Françóis Duvalier, Papa Doc, governando até 1.971. Durante esse período, o ditador cometeu muitos assassinatos e instaurou o terror, como forma de inibir quem se opusesse a ele.

Com a sua morte em 1971, assumiu seu filho Jean-claude Duvalier, conhecido como Baby Doc, pressionado por manifestações populares, o filho do ditador Papa Doc não resistiu e fugiu com a família para a França.

O Haiti viveu sempre assim, entre os interesses externos e internos, até 1.990, quando foi eleito o padre Jean-Bertrand Aristide, seu governo durou apenas um ano, quando foi deposto por um golpe militar. O General Raul Cedras assumiu o poder, iniciando assim uma sanção econômica dos Estados Unidos, um jeito moderno de ditar as regras.

Aristide voltou ao poder, com a ajuda dos americanos, em 1.994, assumindo um país totalmente desestruturado. Em 2.004, sob suspeita de crimes políticos e fraudes, Aristide foi deposto e exilado na África do Sul. O Brasil passou a comandar a força de paz, mantendo o país longe de guerrilhas e ataques terroristas, desde então.

Em 2.003, o país sediou os Jogos Panamericanos de São Domingos, o s Jogos transcorreram sem nenhum incidente, mesmo assim, suspeitas de fraude obrigaram o Presidente Aristide a renunciar.

O terremoto de Janeiro de 2.010, foi o mais duro golpe sofrido pelo Haiti, dessa vez foi a natureza se mostrou instável. O Haiti fica sobre uma falha geológica, onde foi o epicentro do terremoto.

A tragédia exigiu que os países agissem rápido, o socorro as vítimas precisa ser feito imediatamente. O objetivo é resgatar o máximo de pessoas que possam estar sob os escombros ou correndo risco de vida. o grande problema agora, é a falta de estrutura do país mais pobre das Américas, para lidar com uma catástrofe como essa, onde nem as notícias conseguem ser veiculadas, apesar de toda a tecnologia moderna, só a internet se salvou.

Todos os países se mobilizaram na esperança de criar uma logística suficiente desembarcar e transportar dados os medicamentos, voluntários, alimentos e outros produtos necessários à sobrevivência dos afetados pelo terremoto.

By Jânio

janeiro 16, 2010 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , | 5 Comentários

Precisamos de pessoas inteligentes

Falta de inteligência

O valor da inteligência

Eu selecionei vários artigos, sobre física, para ler. Antes de publicar qualquer matéria relacionada a esses artigos, gostaria de expor a minha primeira versão da física, ou seja, uma visão de quem não conhece nada, de quem não leu nada sobre física.

Eu nunca gostei de decorar fórmulas, sempre achei isso uma forma de professores, sem aptidão, mostrarem serviço. Fazer cálculos é uma coisa terrível, quando não se tem uma boa motivação.

A ideia de isolar uma meteria, uma área, identificando a genialidade das pessoas, sempre pareceu-me perigoso. Na minha visão, todas as áreas deveriam trabalhar juntas, obtendo respostas mais rapidamente, evitando muitos perigos de uma mente genial.

Ser inteligente é diferente de ser um gênio. Albert Einstein era um gênio, nunca foi inteligente.

Se Albert Einstein fosse inteligente, ele poderia, por exemplo, perceber que estava sendo manipulado, que suas fórmulas culminariam na criação da bomba atômica. O exército americano reuniu os maiores gênios da física, separando-os, cada um em um local diferente.

Havia uma pessoa encarregada de coordenar os trabalhos de todos esses gênios; esse trabalho foi considerado secreto, até o dia em que foi criado, finalmente, a bomba. O choque, para esses cientistas vaidosos, foi muito grande: “O que foi que nós criamos!”, teria dito um dos cientistas, ao saber da criação e da destruição, provocados pela bomba atômica.

Leonardo da Vinci foi um homem que viveu muito antes dessa época, mas era um homem extremamente inteligente, apesar de afirmarem que ele era um gênio. Notem a diferença: Um homem inteligente, domina várias áreas diferentes, apesar de estar longe do limite do cérebro, enquanto um gênio é insuperável, traça o limite da capacidade do cérebro de um homem, mas só domina uma área, e é através dessa área que ele fica conhecido.

Os grandes gênios da antiguidade eram, na verdade, muito inteligentes, afinal, só a inteligência poderia explicar como um matemático dominaria  áreas tão diferentes como a Filosofia ou a Oratória.

É muito fácil para uma pessoa doutorada em Letras, se apresentar como escritor, filósofo, poeta, etc., mas, para um matemático, dominar essa área, seria muito difícil. Um matemático se daria melhor em física, química, engenharia, ou alguma área parecida.

Quando perguntei para uma pessoa, ligada à física, se a célula possuía átomos, uma perguntinha básica, para qualquer aspirante à espertinho, em fase de adolescência, que deseja se auto-afirmar, essa pessoa se assustou. Ela desconversou dizendo que a biologia não tinha nada a ver com a física.

Eu fiz questão de lembrá-la do fato de um gênio, como Albert Einstein, ser um dos responsáveis pelas fórmulas que levariam  a uma revolução da Física, culminando com a criação da bomba atômica.

Há muito tempo, já se conhecia o poder destrutivo da química, enquanto a física era uma inocente ciência. Com a revolução da física, liderada pelo gênio, nada inteligente, Albert Einstein, a física mostrou ao mundo, uma parte da natureza que não deveria ser manipulada.

Foi irônico, para o homem que disse: “Estudando o fenômeno do big ben pretendo saber, exatamente, o que Deus estava pensando, quando criou o Universo”. Ele descobriu como destruir.

O menino rebelde, expulso da escola, que nunca se adaptou ao ensino regular, se transformar no grande gênio da Física.

O homem é obcecado pelo progresso, pelas descobertas; mesmo não sabendo cuidar de si próprio, de não entender os problemas do Planeta Terra. Procura, pretensiosamente,  descobrir os segredos do Universo.

O bebê de proveta, o clone, parecem mais uma satisfação médio burguesa do que uma real necessidade. Uma pessoa sensata, adotaria um dos milhares de órfãos ou abandonados em orfanatos.

Agora, o homem pretende salvar o planeta, controlando toda a natureza da Terra, mas, até hoje, apesar das clonagens e fecundação in vitro, não consegue sequer entender a natureza e a biologia de uma formiga.

Seus inventos e robôs desajeitados, são de dar dó. Se você olhar para um desses robôs, supostamente, sofisticados, depois olhar para uma formiga, se for sensível, chorará com tamanha pequenez, do homem, não dá formiga.

Se, ao invés de clonar uma ovelha, o homem conseguisse produzir um átomo de oxigênio, estaríamos salvos, mas nem isso conseguimos.

Se já sabemos que há hidrogênio no espaço, só precisamos do oxigênio para criar a molécula básica da vida, a água.

By Jânio

dezembro 24, 2009 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , | 5 Comentários

Versão brasileira – morre Herbert Richers

Pai da dublagem brasileira.

Para ser bem sincero com vocês, eu me lembro mais do dublador que falava a famosa frase, “versão brasileira Herbert Richers”, do que do produtor, citado na frase.

Durante o final da década de 70 e durante toda a década de oitenta, Richers foi quase que exclusividade, em termos de dublagem no Brasil, mas eu só o conhecia de nome.

Hoje, com a morte dele, foi inevitável que eu desse uma passadinha na Wikipedia, para pesquisar esse nome que parece tão familiar, mas no fundo é tão estranho.

Herbert Richers, segundo a Wikipedia, foi amigo de Walt Disney, conheceu seus estúdios e trouxe sua experiência dos estúdios disney. Muitos produtores brasileiros torciam o nariz para as suas dublagens, muitas vezes, o que incomodava mesmo era o sucesso de Richers.

A empresa Hebert Richers tem como seu maior mérito, a capacidade de escolher as melhores vozes. Para Herbert Richers, não bastava ter uma boa voz, uma boa dublagem, a voz tinha que ter personalidade, tanto que até hoje, quando ouvimos uma voz, nos lembramos de determinado ator.

Os melhores dubladores foram descobertos pela Herbert Richers, hoje responsável por cerca de 70% do mercado de dublagem no Brasil, além de ter o maior estúdio da América Latina.

Eu vou continuar me lembrando mais do dublador, quase perfeito que diz: “Versão brasileira, Herpert Richers”, mas o produtor cinematográfico e empresário tem muita história, paralela a TV e ao Cinema brasileiro.

Herbert Richers nasceu em Araraquara, em São Paulo, em 11 de março de 1923, morreu hoje, 20 de Novembro de 2009. Dublava tudo: Filmes, novelas, desenhos, seriados, etc. sempre com o mesmo padrão de qualidade: “versão brasileira, Herbert Richers.”

A voz é do locutor Ricardo Mariano, voz inesquecível, escolhida a dedo, como totos os dublês que Herbert Richers tinha, para ser o seu alter ego: “Versão brasileira, Herbert Richers.”

Vaya con Dios amigo, hasta la vista, como se dizia em alguns de seus tantos seriados.

By Jânio

novembro 21, 2009 Posted by | televisão | , , , , , | 6 Comentários

Ascensão e queda do império inca

território inca

Todas as pessoas que conhecem a China, com suas diversas línguas e dialetos, costumes e tradições, ficam maravilhados com as riquezas culturais propiciadas por suas tradições, entretanto, não é preciso ir tão longe para se maravilhar com tantos conhecimentos históricos e curiosidades da natureza humana.

Um bom exemplo disso, fica na América do Sul, nas ruínas do outrora majestoso Império Inca. Os números reunidos por pesquisadores a respeito desse povo, que viveu entre 1.200 e 1.553 depois de cristo, mostram como uma Nação pode evoluir tão rapidamente, desenvolver tanto, acumulando em tão pouco tempo tantos conhecimentos.

imperador inca

Evidentemente que se pensarmos bem, chegaremos a conclusão de já existir uma cultura razoável na região, afinal, um grande Estado não consegue se desenvolver, se não houver bases tornando isso possível. Daí, concluímos já haver muita cultura e respeito, na região onde nasceria o grande Império Inca, apesar dos conflitos havidos ali, antes de seu nascimento.

Estudos iniciados em 2.004, mostram ter havido ali uma civilização avançada em cerca de 3.000 anos antes de Cristo. O que mostra toda a sabedoria de Sócrates a respeito da natureza humana – “´Só sei que nada sei” – quando mais se aprende, mais se descobre a respeito de nossa própria pequenez.

machu picchu

Levanta uma dúvida, também, sobre a certeza de ser a Ásia os colonizadores da Europa. Eu sempre defendi uma tese de o homem só poder pensar em sima de uma estrutura de pensamento completa, não consegue pensar dentro do hipotético. Surgindo, daí, muitos pensamentos confusos. Sócrates quem o diga.

Nessa região falava-se cerca de 😯 línguas diferentes, a mais falada, no tentanto, era quichua a língua escolhida para ser a língua oficial do império, até por ser também a mais falada.

A vastidão do império pode ser notada com uma breve análise do mapa, onde pode se sentir a grandiosidade desse povo. O Império Inca se estendia pelo Equador, Colômbia, Argentina e Chile, mas eram Peru e Bolívia os países onde, em toda a totalidade de seus territórios, estava localizada parte do império.

Por volta de 1.800 a.c essa civilização extremamente avançada deixou a região do Norte do Peru, espalhando sua cultura por boa parte da América do Sul, dando origem, muito tempo depois ao grande Império Inca.

A civilização inca se destaca, entre tantas outras técnicas e criações, pela suas estradas e irrigação, uma mostra de milhares de anos de evolução, totalmente isolada do resto do mundo.

Quando a Civilização Inca, finalmente atingia seu apogeu, por volta do século quinze, graças a genialidade de seus governos que pregava um sistema de vida se lutas, sem fome e feliz, do outro lado do mundo, o homem vivia em sua mania de expansão, egoísmo e busca de novos territórios. No choque dessas duas vertentes evolucionistas, as consequências trágicas mostram o que a sabedoria popular está cansada de repetir. É mais fácil destruir do que construir, matar a dar a luz, assim terminando com tudo.

Pachacuti, um dos mais brilhantes e poderosos homens da cultura inca, era também um grande diplomata, antes de invadir um território, enviava um mensageiro, com a proposta de se juntar ao império, mantendo o controle local, e tendo em troca educação, passando a se tornar parte da nobreza do império.

Essas téticas lembram muito a Cézar, do império romano, mostrando a evolução do homem de duas formas, dos dois lados do mundo.

Em troca de se aderirem ao império, os povos pagavam impostos, recebiam toda a tecnologia do império, como os eficientes sistemas postais, onde os mensageiros, chasquis, transportavam mensagens em uma forma de escrita, onde uma pequena cortina feita de pequenas cordas, ou barbantes, onde os nós significavam a mensagem.

Os postos postais se localizavam de 20 em 20 km, propiciando um tráfego de informação muito eficiente. Durante um único dia, uma mensagem poderia percorrer centenas de quilômetros, cento e vinte cinco milhas, por esse sistema, útil também para se enviar mensagens oficiais.

Além do eficiente serviço postal, outro sistema muito eficiente, eram as estradas. Eram milhares de quilômetros de estradas, percorrendo todo a vastidão do império.

Por essas estradas, eram transportados, principalmente, alimentos, além de serem úteis para as guerras.

No auge de seu império, os incas chegaram a atingir toda a região andina, cerca de 3,000 km.

O imperador Manco Capac, ou Manku Qhapaq, foi o primeiro imperador do império inca, Tawantinsuyu em quíchua, o último foi Atahualpa, assassinado pelos espanhóis, de pois de pagar toneladas em tesouros pelo seu resgate.

Em seu lugar foi nomeado um imperador fantoche.

Na religião politeísta dos incas, eram construídos templos, em forma de pirâmides, dedicados ao deus Sol. A semelhança, aqui, em relação à civilização egípcia é clara, a diferença é que, enquanto os faraós egípcios eram o próprio deus, e eram enterrados nas pirâmides, na civilização inca, o imperador era divinizado, acreditavam numa força superior, mas as pirâmides eram templos e não túmulos, mesmo assim a cultura egípcia é muito parecida.

O fato dos incas terem o calendário de trinta dias, poderia se explicar o fato de Matuzalem, famoso personagem bíblico ter morrido com mais de 900 anos, poderia ser um erro na tradução, como nós sabemos a tradição cristã exige fidelidade na escrita, o que foi estendido para a tradução dos textos também.

Cada mês tinha o seu festiva, na cultura inca, onde Janeiro, significava pequena colheita, até dezembro, festival magnífico.

Os incas adoravam os deuses e ofereciam sacrifícios humanos, mas os escolhidos se sentiam honrados pois só as corretas eram escolhidas, mulheres belas ou crianças. Eles acreditavam em reencarnação e mumificação seus mortos.

O imperador era chamado de “O Inca”, daí surgiu a expressão civilização inca.

A escrita feita através de um cordão, onde eram amarrados outros, onde ficavam os nós. Cada cordão poderia significar unidade ou dezena.

Atahualpa, o último imperador inca, viveu num momento conturbado, numa guerra civil contra seu próprio irmão, em disputa da vaga de imperador deixada por seu pai.

Foi nesse cenário, com o país abalado pelas guerras, imperador enlouquecido que surgiu Francisco Pizarro, com seu exército de espanhóis.

Os incas praticavam o escambo, mas, com a chegada dos espanhóis, conheceram o valor do ouro, das doenças europeias. Com a mote do imperador por Pizarro, o império entrou em decadência.

O império abalado pela guerra civil, a invasão dos espanhóis, provocando infração, ganância pelo ouro, andes desconhecida pelos incas, e o descontentamento do povo, gerado fome, falta de alimento e crueldade dos invasores, provocou a ruína da civilização inca.

Assim, numa região onde tão montanhosa, onde um homem comum tem dificuldade sequer de sobreviver, os incas criaram um sistema de agricultura quase perfeito, numa altitude de zero a seis mil metros, as plantações eram as mais variadas.

O império acabou, mais os povos sobreviveram, sem organização ou tradição de culturas, coisa que dificilmente será recuperado.

Definitivamente, o império inca, com dez milhões de habitantes, tinha muito a ver com o império egípcio.

Principal fonte: Wikipedia

by Jânio

novembro 10, 2009 Posted by | curiosidades | , , , , , , , | 4 Comentários

A maldição do faraó tutankhamon

A história e a lenda

A história e a lenda

As lendas sobre a maldição que envolvem o Faraó Tutankhamon são extraordinárias. O faraó foi encontrado durante uma exploração arqueológica, em 22 de novembro de 1.922, junto com ele, muito ouro e jóias que ficaram com o homem que financiou a expedição.

O Conde de Carnarvon financiou toda a expedição, não se conteve, foi um dos primeiros a ter contato com as relíquias encontrada na tumba do faraó, foi também a primeira vítima da suposta maldição.

Foram treze mortos, apenas na equipe de Howard Carter, Arqueólogo que descobriu a tumba,  sem falar as outras tantas pessoas que também tiveram contato com a múmia de Tutankhamon e também acabaram mortas,  em menos de sete anos.

Curiosamente, após todas essas mortes, vários estudos foram feitos, nenhuma pessoa mais morreu. Eu diria que se fosse alguma composição química, só uma composição química para durar tanto tempo,  coisa que os egípcios se mostraram conhecedores como ninguém, só fez efeito nos primeiros momentos de contato com essa vítimas fatais.

Os egípcios eram cheios de segredos, mas também havia muito respeito pelos mortos. Em suas tumbas, que permaneceram por tantos séculos invioladas, haviam armadilhas e escritos em hieróglifos, o que aterrorizava até mesmo os mais céticos.

Na tumba de Tutankhamon, haviam palavras que caracterizavam uma maldição: “A morte abaterá com suas asas quem perturbar o sono do faraó”, entre outras citações. A irmã do Conde afirma que ouvia o conde balbuciar, em seu leito de morte: “Já entendi seu chamado … eu o seguirei”.

Veja a lista de alguns mortos:

1 – O Conde de Carnarvon – O homem que financiou a expedição, em abril de 1.923.

2 – O Arqueólogo americano Arthur Mace, convidado de Carter a participar das descobertas, morreu abruptamente, sem causa aparente.

3 – George Jay-Gould – Outro milionário que esteve na tumba a convite de Carnavon, antes de morrer apresentava sinais de febre também.

4 – Archibald Douglas Reed – examinou a múmia e efetuou os primeiros e principais registros. Também morreu com sintomas febre.

5 – Richard Bethell – secretário de Carter morreu em 1.929, apesar de nunca ter tido problemas sérios de saúde.

6 – Lady Almina – Viúva de Carnarvon, morreu também com sintomas febre em 1.929.

Apesar dos escritos na tumba, o que deixou os menos céticos tementes de forças sobrenaturais, foi o fato de as mortes terem ocorrido apenas com proximidade das descobertas arqueológicas, leva a crer que havia alguma coisa na tumba.

Certamente que não era maldição, mas é um segredo que nunca foi desvendado, mesmo com as novas tecnologias.

Sobrenatural ou não, esse fato só nos mostra o quanto o mundo perdeu com destruição dos vestígios da civilização dos faraós, sua ciência,  sua arquitetura, enfim, sua cultura de um modo geral.

Os Egípcios antigos tinham, ao lado dos hebreus, gregos e romanos, a posse das maiores descobertas e estudos que o mundo teve conhecimento, a diferença é que, no caso dos egípcios, só os nobres, sacerdotes e pessoas ligadas a essas, tinham acesso a essas tecnologias.

A cultura egípcia era tão extraordinária, que ainda hoje pouca explicação se tem sobre sua ciência e seus monumentos. Até a poucos séculos atrás, a pirâmide de Quélps ainda era a maior construção do mundo, só perdendo esse posto com a construção da torre Eiffel.

Tutankhamon morreu ainda jovem, com cerca de dezoito anos, de morte misteriosa, numa época muito conflituosa no Egito, na luta pelo poder.

O faraó morreu em 1.346 ac, sem nenhum vestígio de doença, por um acidente em sua carruagem, depois de ter governado o Egito por um curto período de tempo, de 1.333 a 1.323.

Seus sucessores, provavelmente seus algozes, também não tiveram muita sorte e ficaram pouco tempo no poder.

Leia mais:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tutancamon

Influências e tradições egípcias

Profecia dos Incas

A idade das esfinge

By Jânio.

setembro 5, 2009 Posted by | curiosidades | , , , , , | 11 Comentários

Maquiavel – O criador da política moderna.

pensador maldito

pensador maldito

Eu cresci ouvindo uma história, relacionada a uma visão preconceituosa a respeito de Nicolau Maquiavel, ou Niccoló di Bernardo dei Machiavelli, criador do moderno pensamento político.

Em minha infância, a palavra maquiavélico soava como diabólico, algo que é manipulado com segundas intensões, planejado com com interesse, nem sempre satisfatório para a sociedade.

Pesquisando na Wikipédia, encontrei um personagem histórico obstinado, polêmico e sonhador, em busca da unificação da Itália. A unificação da Itália, aliás, foi o único propósito observado, nitidamente, por mim, à primeira vista.

Esta não foi a primeira, nem será a última análise que deverei fazer a respeito desse obstinado pensador renascentista, cuja maior ambição era ver seu país unificado.

Sua história começou e terminou onde todos os renascentistas se concentraram, na velha Florença, de 1469 – 1527. Até seus últimos dias de vida, quando foi convidado a escrever a história de Florença, por quem dedicou toda a sua vida.

Maquiavel viveu toda a sua vida como um grande pensador; como todo grande pensador, estava muito além das aparências.

Sua habilidade de escrever sobre a política, não com aparências, mas a realidade nua e crua, irritou muita gente, como ficou comprovado em suas obras literárias, onde se destaca “O Principe”.

Maquiavel possuía uma forma muito peculiar de ver a política, e a vida, acima de tudo. Sua grande qualidade era, justamente, essa capacidade de ir muito além do que se estava acostumado a chegar, o pensamento da época.

Maquiavel procurava sempre ver o outro lado da moeda, analisar seus adversários, como bom diplomata que era, secretário da segunda Chancelaria, um grande idealista. Muitos críticos de sua obra questionam sua capacidade crítica, pelo fato dele acreditar na origem clássica de Roma, além do fato dele escrever baseado em experiências reais.

A grande verdade é que Nicolau Maquiavel nunca se acomodou em nenhum dos lados, criticava a própria República.

No período do Renascimento, a Península Itálica era muito conturbada, muito dividida. O Ducado de Milão, República de Veneza, República de Florença, Reino de Nápolis e os Estados Pontifícios, além dos estados formados por mercenários, conhecidos como condotiere.

Todos esses Estados da Península viviam em conflitos, permeados por interesses, sujeitos a invasões de interesses europeus, disputados entre a França e Espanha.

Esse era um cenário perfeito para nascer o mestre das articulações políticas, que assustou tanto seus aliados, quanto seus adversários, tamanha habilidade de resolver interesses conflituosos.

Depois da execução e excomunhão de Girolamo Savonarola, pregador muito influente que cometeu o erro de criticar os Padres e o Papa, além de todos que seguiam uma tendência de exaltação pagã, contrária a ala religiosa. Em seu lugar, como secretário de Chancelaria, foi chamado Maquiavel que ali permaneceu por catorze anos, sempre entre a cruz e a espada, mas fiel a seu ideal, muito além das tendências da época.

Sua principal ideia, e a que mais assustava tendência da sociedade reinante, era a de que o Estado deveria ser independente da religião, o que o levou a ser taxado de ateu.

Sob domínio da França, Florença era sempre pressionada por seu aliado a atender as exigências dos Rei da França, o que exigia a habilidade de Maquiavel, enormemente, frente aos outros estados, aliados da Espanha.

Para não deixar que a Itália caísse em mãos estrangeiras, o Papa se aliou a Espanha, por outro lado, os Florentinos, aliados da França, não queriam desagradar ao Papa.

Maquiavel foi enviado para a missão de explicar, ao Imperador Francês, sua situação, aí, foi o Papa, aliado da Espanha que ameaçou excomungar os florentinos. Maquiavel foi então enviado a negociar o afastamento de uma reunião em Pisa, território florentino, para evitar encrenca com o Papa.

Mesmo após tudo isso, o Papa, aliado da Espanha, se aliou a Aragão contra França, como Florença não quis apoiá-lo, já que era aliada da França, que a havia ajudado muito tempo, assim a cidade foi invadida e os Médici reassumiram o governo de Florença.

Maquiavel que outrora vivera sob o Governo dos Médici, foi acusado de anti-Médici, ficou preso 22 dias, foi torturado sob suspeita de ser adepto dos defensores da República.

Depois que saiu da prisão, viveu isolado, inativo. Foi quando escreveu suas principais obras, entre elas, O Príncipe, onde narra a uma história baseada em sua ideia de unificação da Itália, inspirada em fatos reais.

Suas obras chegaram a ser proibidas, acusado de ateu.

Sua ideia, mal interpretada, de que o ser humano tem uma natureza má, só fazendo a coisa certa quando forçado a isso, chocava as pessoas. Na realidade ele queria dizer que as pessoas não mudavam sua natureza, através dos tempos.

Outra ideia, mal interpretada, de que o estado deveria agir de acordo com a situação do momento e não de acordo com o que era certo, surgindo daí o expressão errada “os fins justificam os meios”. Como pensador político que era, Maquiavel queria dizer que o homem vive de acordo com seu conhecimento histórico, surgindo daí suas conclusões, com o tempo o que é certo passa a ter um outro ponto de vista, outra ética.

Não é o que é certo o que conta, é o que é melhor naquele momento, naquela época.

No Século XVI, pelo menos quatrocentas obras mal interpretadas são atribuídas a Maquiavel, relacionando sua obra a maldade e interpretação errônea.

Maquiavel é citado em obras de Willian Shakespeare, Jean-Jacques Rousseau, para o bem ou para o mal, ele é sempre citado.

Rosseau cita: “… é o que Maquiavel fez ver com evidência. Fingindo dar lições aos reis, deu-as, e grandes, aos povos.”

A visão de Maquiavel como Nacionalista surgiu no século XIX, quando a Itália e Alemanha fragmentadas em tendências nacionalistas internas, em plena guerra Napoleônica.

Sua crença de que a natureza do homem não muda, leva a conclusão de que se o homem não se ater a fatos históricos, estará fadado a cometer sempre os mesmos erros.

Além de romper com a ideia de estado e religião governando juntos, Maquiavel é visto como um pensador político que vivenciou tudo na prática, o que vai além de uma simples teoria, todos os fatos são baseados em experiências reais.

Repare a força dessa frase: “Mesmo as leis mais bem ordenadas são impotentes diante dos costumes”.

WIKIPEDIA – Como consequência acha inútil imaginar Estados utópicos, visto que nunca antes postos em prática e prefere pensar no real. Sem querer com isso dizer que os seres humanos ajam sempre de forma má, pois isso causaria o fim da sociedade, baseada em um acordo entre os cidadãos. Ele quer dizer que o governante não pode esperar o melhor dos homens ou que estes ajam segundo o que se espera deles.

By: Jânio.

Principal fonte: Wikipedia

agosto 22, 2009 Posted by | Política | , , , , , , , | 15 Comentários

A história política de José Sarney.

jogo político

jogo político

Nunca se apostou tanto na queda de um político, como se se vê hoje, no caso do Senador José Sarney.

Algumas pessoas acham que ele vai cair, outros que não, mas que seu império entrou em decadência.

A oposição faz sua parte, apesar de suas alianças serem tão comprometedora  quanto as do Governo. O PT, aliás, era um caso raro de política no Brasil, mas para governar é preciso apoio.

Alguns consideram Sarney como o último, entre os grandes, da velha política brasileira, um grande simbolo da velha política.

No Maranhão, seu patrimônio é tão grande, sua família tem um controle tão grande do mando político, da região, que é duvidoso achar que o grande político irá cair agora.

Sarney é muito criticado, pelos brasileiros, pela sua atuação durante o regime militar.

Sarney, que começou sua carreira política  na década de 50, foi eleito Deputado em 1.955, Governador em 1.966, chegando a Presidência em 1.986, quando o Presidente eleito morreu após a eleição.

A história desta eleição, por si só, já é cheia de histórias.

Aquele que seria considerado o maior articulador da história, da política brasileira, tinha medo de retaliação, por parte dos militares, chegou até a pedir que alguns deputados votassem contra, na eleição indireta.

O que se sabe, é que a estratégia de não provocar a ira dos militares, não deu totalmente certo, e o Presidente eleito, Tancredo Neves, não aguentou a “pressão”, morreu, deixando para trás, um gostinho de vitória para os militares, já que Sarney cresceu, politicamente, sob este regime.

Sarney foi membro da UDN, no Regime Militar, Presidente da Arena e do PDS, sempre fiel ao mesmo partido, aliado do Governo, apesar  do partido sempre mudar de nome.

Sarney viu de perto o poder do Governo se esvair aos poucos, foi assim que em 1988 mudou radicalmente de posição, entrando no PMDB, partido tradicionalmente de oposição, durante todo o Regime Militar, de 1964 a 1986.

Note que José Ribamar, nome de registro de José Sarney, sempre esteve ao lado do poder. Ex-aliado de João Goulart, não pensou duas vezes para mudar de lado, a convite dos militares.

Segundo as más-línguas, não há um processo político, no Brasil, que não tenha passado pelas mãos de Sarney, um dos, verdadeiramente, maiores e mais competente políticos de todos os tempos.

Nos bastidores, Sarney sempre foi discreto, o único momento em sua longa carreira política em que se viu em situação desfavorável, foi quando foi Presidente do Brasil.

A era digital, e o rápido acesso a informação tratou de por panos quentes na política brasileira. E, foi assim que o cultuado, respeitado, renomado, com mais de cinquenta anos de política, atual imortal da Academia Brasileira de Letras, enfrenta, agora, um grande desafio, o poder ou a tradição.

Mesmo tendo levado o PMDB, tradicionalmente de oposição, para o lado do governo, não consegue evitar nem a divisão do PT, partido do Governo, nem de seu próprio partido, o PMDB.

O poder da família é tão grande que em frente ao Tribunal da Justiça do Maranhão pode se vislumbrar a grande estátua do patriarca da família, lembrando o grande Júlio César, em Roma.

Seu pai, Sr. Ney, deu seu nome ao filho. Conhecido como Sir Ney, passou, ao filho o nome Sarney.

Hoje Sarney só não detém o monopólio da comunicação, no Maranhão, porque a internet, ela de novo, constitui uma ferramenta capaz de romper qualquer entrave, quando o assunto é comunicação.

by Jânio

Textos Relacionados:

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

julho 15, 2009 Posted by | Política | , , , , , , | 39 Comentários

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: