Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Globo de Ouro 2.017 – lista dos vencedores

la-la-land_1

Melhor Ator Coadjuvante
Aaron Taylor Johnson (Animais Noturnos)

Melhor Ator de Série Drama
Billy Bob Thornton (Goliath)

Melhor Atriz em Série de Comédia
Tracee Ellis Ross (Black-ish)

Melhor Série de Comédia
Atlanta

Melhor Atriz em Série Limitada
Sarah Paulson (The People v O.J. Simpson: American Crime Story)

Melhor Série Limitada ou Telefilme
The People v O.J. Simpson: American Crime Story

Melhor Ator Coadjuvante em Série Drama, Série Limitada ou Telefilme
Hugh Laurie (The Night Manager)

Melhor Trilha Original
La La Land – Cantando Estações

Melhor Canção Original
“City of Stars” (La La Land – Cantando Estações)

Melhor Atriz Coadjuvante
Viola Davis (Fences)

Melhor Ator – Comédia ou Musical
Ryan Gosling (La La Land – Cantando Estações)

Melhor Roteiro
Damien Chazelle (La La Land – Cantando Estações)

Melhor Filme Animado
Zootopia: Essa Cidade é o Bicho

Melhor Filme Estrangeiro
Elle

Melhor Ator em Série Limitada ou Telefilme
Tom Hiddleston (The Night Manager)

Melhor Atriz em Série Drama
Claire Foy (The Crown)

Melhor Diretor
Damien Chazelle (La La Land – Cantando Estações)

Melhor Ator em Série de Comédia ou Musical
Donald Glover (Atlanta)

Melhor Atriz – Comédia ou Musical
Emma Stone (La La Land – Cantando Estações)

Melhor Comédia ou Musical
La La Land – Cantando Estações

Melhor Ator – Drama
Casey Affleck (Manchester à Beira-Mar)

Melhor Atriz – Drama
Isabelle Huppert (Elle)

Melhor Drama
Moonlight

Adoro Cinema
 

janeiro 9, 2017 Posted by | Cinema | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Globo de Ouro dá sete prêmios ao filme La La Land: Cantando Estações

la-la-land_1
José Romildo – Correspondente da Agência Brasil

O filme La La Land: Cantando Estações foi o grande vencedor do 74º Globo de Ouro, evento realizado ontem (8) à noite em Beverly Hills, no estado da Califórnia. O destaque da cerimônia foi a entrega de um prêmio a Meryl Streep. Ao receber o prêmio pelo conjunto de sua obra, a atriz fez críticas a Donald Trump e às forças culturais que levaram o bilionário à vitória nas eleições para presidente dos Estados Unidos.

O comediante Jimmy Fallon foi o anfitrião da cerimônia. O filme, um jazz musical sobre um pianista e uma aspirante a atriz que buscam o sucesso em Hollywood, ganhou nas sete categorias em que foi indicado, incluindo melhor roteiro, melhor diretor, melhor partitura original e melhor canção original.

As estrelas do filme, Emma Stone e Ryan Gosling, levaram os prêmios de melhor atriz e melhor ator por seus papéis.

La La Land: Cantando Estações superou, em número de prêmios, os clássicos Um Estranho no Ninho e O Expresso da Meia-Noite, que receberam seis prêmios cada.

Mesmo assim, o prêmio principal – melhor filme – foi para Moonlight. Dirigido por Barry Jenkins, o filme é uma história da luta de um jovem negro gay criado por uma mãe solteira drogada.

A francesa Isabelle Huppert foi a vencedora na categoria melhor atriz em filme de drama, pelo trabalho em Elle. A produção, dirigida por Paul Verhoeven, foi escolhida ainda o melhor filme estrangeiro. Isabelle superou Amy Adams (A chegada), Jessica Chastain (Miss Sloane), Ruth Negga (Loving) e Natalie Portman (Jackie).

Meryl Streep

A homenageada do Globo de Ouro 2017 foi Meryl Streep. A atriz recebeu o Cecil B. DeMille Award, prêmio pelo conjunto da obra. Ela fez um discurso emocionado, celebrando a presença de estrangeiros nos Estados Unidos e especialmente em Hollywood.

A cerimônia ainda contou com uma homenagem especial às atrizes Carrie Fisher e Debbie Reynolds, mãe e filha, que morreram no fim de dezembro, com apenas um dia de diferença. Elas foram lembradas em um clipe com cenas de seus filmes, ao som da canção You Made Me Love You, do musical Irene, cantada por Reynolds.

Edição: Graça Adjuto

janeiro 9, 2017 Posted by | Cinema | , , , , | Deixe um comentário

Globo paga para invadir privacidade das pessoas

novembro 29, 2016 Posted by | televisão | , , | Deixe um comentário

Monopólio audiovisual da Globo

novembro 29, 2016 Posted by | televisão | , | Deixe um comentário

Manipulação da Globo

novembro 29, 2016 Posted by | televisão | , | Deixe um comentário

O governo de Temer é unanimidade

protestas de artistas

Fuera Temer!

Os planos da mídia golpista, principalmente da Rede Globo, para derrubar o governo, já tem data marcada, 02 de agosto. Eu nem vou dizer que Getúlio Vargas morreu nesse mês porque isso já é de conhecimento de todos. Entretanto, os interesses que envolvem esse golpe é inspirador.

Michel Temer já começou seu pseudo-governo muito mal, antes dele dar o golpe já havia uma grande polêmica, principalmente no TRE, sobre o fato de a Dilma ser julgada separadamente e não junto com temer, o Senado fingiu que deveria seguir o pedido da câmara que era controlada pelo próprio PMDB. que depois caiu, Eduardo Cunha. Então, para clarear as ideias dos idiotas que achavam que Michel Temer cairia depois, vamos lembrá-los que o PMDB continua controlando o Senado e a presidência da república, corremos o risco de termos Eduardo Cunha de volta, para fechar o cerco aos sonhadores que não entendem nada de política.

Eduardo Cunha foi suspenso mas continua controlando tudo. Cunha foi suspenso porque as petições superaram as marcas previstas em lei, no número de assinatura, forçando o acovardado STF a fingir que iria investigá-lo.

Os novos áudios vazados são quase provocação, incitando o STF e as forças armadas a entrarem no jogo sujo da política. O STF nem é surpresa, mas quando Jucá diz que já controla o exército… ele deve ter sujado as calças com o vazamento do áudio. Aliás, quem não notou que os vazamentos tem objetivo certo, derrubar o PMDB. A diferença é que a liderança do PMDB não nasceu ontem, eles sabem que se um cair, Michel Temer, logo outros caem juntos, Cunha e Calheiros, além dos trezentos deputados federais e outros tantos senadores.

Só Renan Calheiros sabe como foi “duro” ter de aguentar Temer para garantir a governabilidade do PT. No início o PT até tentou controlar o congresso, mas a prisão de políticos importantes do partido, como João Paulo Cunha, Genuíno e Dirceu, além da queda de Palocci, homem forte do governo, deixou bem claro quem governava o PT, o mesmo PMDB que controlou o PMDB,

Se o Lula estivesse no governo, certamente não teria ocorrido esse desastre, mas acontece que a Dilma não leva desaforo para casa. Veja os exemplos.

01 – No primeiro mandato de Lula, por aconselhamento de Paloci, o governo não gastou nada, em consequência disso, acumulou cerca de 250 bilhões de dólares de reservas, matando a especulação do dólar que derrubou o governo do PSDB, que era controlado pelo câmbio.

02 – No segundo mandato, o PT saiu as compras, ou seriam vendas, ou sabe-se lá o que. O fato era que o partido achava que já merecia ser um governo popular e ajudar o povo, mesmo assim aumentou as reservas para 370 bilhões de dólares, tornando-se uma das maiores potências do mundo em plena crise dos outros países.

03 – Lula conseguiu matar a especulação do dólar, aumentar os míseros 60 dólares que era o salário mínimo herdado pelo PSDB, além de criar dezenas de projetos sociais, o que chamou a atenção do mundo todo. Por outro lado, o PT não conseguiu fazer o que Dilma queria, construir várias obras de grande porte, entre elas as usinas que foram barradas pela Marina Silva em terras indígenas, sofrendo as primeiras interferências dos países estrangeiros.

04 – Apesar do mensalão ter sido mais escandaloso que o atual lava a jato, já que envolvia principalmente o PT, na época isso não era suficiente para derrubar um presidente popular, Lula, além disso, empresas como a Globo ainda bebiam no balde de investimentos para a Fundação Roberto Marinho, museu do futuro, sonegação de impostos e corrupção generalizada, como na CBF e FIFA. O PMDB cuidava de toda a estratégia política do governo. Na medida em que a polícia federal atingiu o PMDB e a presidente não fez nada para impedir, segundo eles, a situação se complicou.

05 – Durante o governo Dilma, o PMDB foi se complicando e levando o governo Dilma junto. Apesar da corrupção de mais de meio século da Globo, o único escândalo que de fato afetou o império dos Marinhos veio de fora, uma denúncia que parecia que iria derrubar a todos, mas depois que a investigação foi transferida para os EUA, tudo esfriou, afinal, a Rede Globo é quem gerencia o setor de golpes no Brasil para o império.

06 – Apesar de tudo parecer muito previsível, analisando a história da política brasileira, nem tudo são flores no caminho do golpe, na qual a Globo é especialista.

07 – A história leva a crer que a Globo e o PMDB sejam aliados inseparáveis, e de fato são, mas a política é um jogo muito sujo e tudo muda de acordo com o vento.

08 – Fernando Collor, dono da Rede Globo de Alagoas foi o escolhido para ser promovido e tornar-se o primeiro presidente eleito, depois de Sarney, que não fora eleito, mas era dono da Rede Globo do Maranhão. Collor não foi um menino comportado, não aceitava o fato de que quem mandava era a Globo.

09 – Muita gente não aceita o fato de que o impeachment de Collor tenha sido um golpe, mas o assassinato premeditado de PC Farias deixa bem claro que havia muitas histórias que não foram contadas. Todos os principais envolvidos morreram, PC Farias, sua mulher, sua amante, Pedro Collor, irmão do presidente, que fez a denúncia depois de fofocas sugerindo que sua mulher pulava a cerca. Além das pessoas próximas de Collor, as pessoas ligadas ao fim do governo militar não tiveram destino melhor: Tancredo Neves morreu no momento em que iria ser presidente, Ulisses Guimarães desapareceu de helicóptero em meio a um suposto temporal – eu até entendo o fato de Ulisses não ter medo de temporais quando viajava de helicóptero, mas ele não era o piloto, nem era o chefe do piloto. Aliás, quem engoliu a morte de Eduardo Campos?

A mídia sempre coloca a culpa no PT, inclusive pela morte de prefeitos da região do ABC e campinas. É claro que eu acho engraçado, afinal, não disseram que o PT matou o Jango, PC farias e tantos outros políticos importantes que morreram de mortes misteriosas ao longo de nossa história suja. Dá o maior trabalho para eleger um prefeito e depois matá-los por causa de uma máfia que já existe há 500 anos, é de uma insensatez medonha.

Em primeiro lugar, é preciso que se diga que se o PT controlasse o polícia, não teria tantos políticos preso. Renan Calheiros, Jader Barbalho, Antônio Belinati, Jaime Lerner. Sílvio Santos, ACM. são apenas alguns exemplos de políticos que se envolveram em escândalos bilionários e saíram ilesos – eu nem vou falar da família Sarney.

O fato é que o sistema elitizado segue as regras das organizações secretas e obscuras, ou seja, se o PMDB sair dessa, terá o apoio de magnatas e banqueiros corruptos, por outro lado, se não conseguir, o novo parceiro da Globo e seus asseclas será o PSDB.

Tudo depende dos atores desse cenário de terror político. veja bem:

a) A classe política tenta a todo custo acelerar o processo de impeachment, contrariando Renan Calheiros que está incomodado com seu maior rival na presidência da república. É claro que Renan nunca teve tanta ambição, a praia dele é o PMDB e sempre será, deve estar se divertindo com a encrenca que a ala direita do partido arrumou para seu maior rival. Os vazamentos deixaram claro que se cai um, caem todos, mas Calheiros, assim como Cunha, é puta velha, sabe como funciona a política, sabe como funciona a justiça tupiniquim. Se Dilma fosse julgada em três meses, seria um alívio para temer que vem sendo protegido pelo STF, já que a queda de Temer deixaria o país sem rumo, ou voltaria par o PT. A queda de Dilma daria mais forças para Temer que livraria a cara de mais de trezentos deputados federais, além dos senadores.

b) Mas, como eu disse, nem tudo são flores na vida do PMDB, Os vazamentos contínuos, diários e planejados que estão ocorrendo no Jornal Nacional, que finge que vem da Folha, tem um objetivo certo, derrubar o PMDB, Falando especificamente no áudio que tenta colocar Calheiros contra Temer, forçando um racha no único partido que representa risco ao monopólio de poder da Globo. Isso já aconteceu nos vazamentos que motivaram Temer a dar um golpe, contrariando a ala de esquerda do PMDB, liderada por Calheiros. Também aconteceu nos áudios que jogaram o PT contra o STF, o que foi mortal para o partido dos trabalhadores.

C) Concluindo: A Globo tem apenas dois meses para conspirar contra a permanência de Temer, induzindo a criação de petições que forcem a câmara dos deputados a entrar com pedido de impeachment de Temer. Isso poderá ocorrer também caso Temer não consiga negociar com os corruptos, para livrá-los dos processos durante o governo da presidente Dilma, isso faria com que os deputados derrubassem o governo Temer e sugerissem novas eleições.

O mais provável é que Temer livre a cara dos corruptos do PMDB e dos mais de trezentos deputados que estão processados, assim, tanto ele, Calheiros e os outros senadores também se beneficiariam.

Aí, entra novamente a Globo, que antes usava a Veja, depois a Istoé e agora a Folha de São Paulo, para dar aulas de política para seus telespectadores estúpidos que não conseguem fazer isso sozinhos, sempre usando vazamentos seletivos, tomando cuidado para não comprometer o PSDB com esses áudios.

O STF já deixou bem claro que deverá colaborar com a Globo, prova disso são os escândalos pelos quais o PSDB passou ileso: Privataria tucana, mensalinho de Minas, mensalinho de Brasília, escândalo de Carlinhos Cachoeira, máfia do asfalto, máfia do metrô, aeroporto do Aécio, isso sem falar dos escândalos do governo de FHC, PC Farias, escândalos dos Bancos, vazamentos de informações privilegiadas, etc.

No caso da máfia da merenda, o caso só não foi arquivado porque as crianças do secundário encararam a polícia, forçando uma CPI que nem vai dar em nada, mas, enfim, as crianças fizeram sua parte, para a vergonha de nós os adultos.

By Jânio

Interesses nos protestos do Brasil

Passo-a-passo no golpe do impeachment

Votação do impeachment ao vivo do Senado

MPL – Movimento Passe Livre

MBL – Movimento Brasil Livre

A maior lavagem de dinheiro da história

A história da Rede Globo

A CPI do Banestado

Políticos que apoiaram o golpe de 64

Trinta anos de escândalos

Panamá Papers

Lavagem de dinheiro no HSBC

Máfia do metrô

Máfia do asfalto

Políticos com problemas na justiça

maio 30, 2016 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Impeachment – A Globo conseguiu mas não garantiu

máfia televisiva

Globo Golpista

Apesar das vitórias esmagadoras na Câmara dos Deputados e agora no Senado por 55 a 22, essas vitórias não dão garantias de que o impeachment tenha sucesso no término do processo de investigação, até porque não há muita coisa para se investigar. A manobra do impeachment foi a mesma usada nas eleições e no pedido de afastamento da Presidente. Os golpistas precisam de 54 votos e, apesar de dizerem que agora será mais fácil, a realidade não é bem assim.

Os mesmos erros cometidos na campanha por Aécio Neves foram cometidos durante o pedido de impeachment, as consequências também foram as mesmas, ou seja, o tiro saiu pela culatra.

Apesar do sistema judiciário não condenar ninguém que esteja ligado a direita política, já que eles controlam todas as instituições, os nomes já estão sujos e as pessoas notarão isso. A direita tem suas bases nas elites e sempre posam de santos, mas as elites sabem quando não devem apoiar seus candidatos, são bem informados e se o candidato for importante para a direita, pode complicar suas estratégias.

Eu fiquei impressionado como os golpistas controlaram as redes sociais, controlando corações e mentes dos internautas que passaram a ocultar os podres da direita. Fingem que não estão satisfeitos com o novo presidente, mas defendem o mesmo até a morte – morte é maneira de dizer, burguês é muito covarde e vive de aparências.

As estratégias políticas foram tão bizarras e desesperadas que virou piada no mundo inteiro, esqueceram até que tinham o teto de vidro.

Foi muito fácil criar armadilhas e derrubar os políticos estratégicos do governo, todos caíram como patos: Paloci, Dirceu, Genoíno e vários outros, mas erraram feio ao pegar Delcídio. Delcídio do Amaral pode entrar para a história como o símbolo do bipartidarismo, ou seja, conhecia muito bem os dois lados. Sua delação premiada já está registrada pelo jornalismo mas ainda não sabemos quais serão suas consequências: se for verdadeira, muita gente importante cai e, como diria um mafioso famoso, cai a República. Por outro lado, se as suas denúncias não forem comprovadas, ele apodrecerá sozinho na cadeia.

Como num jogo de xadrez, os políticos mexeram suas peças mas ousaram demasiadamente, essa é a melhor forma de serem derrotados.

01 – O afastamento de Cunha

O afastamento de Cunha tinha um objetivo bem claro, dar legitimidade ao processo de impeachment. Ele não foi para a cadeia, apesar de vários processos dos quais, segundo especialistas em ciências políticas e código penal, ele jamais escapará, nem foi cassado. Alguns políticos já alertaram que esse é um peixe grande, um peixe que conhece bem o mar de lama que se esconde nos submundos da política federal.

02 – Valdr Maranhão – Um político discreto nada discreto

Todos sabiam da opinião de Valdir Maranhão quanto ao impeachment, ele deixou isso bem claro. Entretanto, ninguém esperava que ele chegaria tão longe em suas decisões, tanto que o partido disse que iria cassá-lo, mas se esqueceram que teriam de tirar ele da presidência da câmara antes disso. Isso é muito curioso, já que Maranhão entrou no lugar de Cunha justamente para evitar que este se tornasse presidente da república no futuro.

Se Cunha caiu para não se tornar presidente, então, pensei, Michel Temer já teria destino certo, exceto pelo fato de que, como falei, não se pode brincar com três nomes que estão na mira da operação lava a jato: Renan Calheiros, Michel Temer e Eduardo Cunha. Temer controla a ala da direita do PMDB, presidente do partido, vice e agora presidente interino; Calheiros controla a ala da esquerda do partido e está muito quieto para quem é considerado o maior adversário de Temer no PMDB,

Eu confesso que eu não sei nada sobre Cunha, só passei a acompanhá-lo depois que assumiu a presidência da câmara. A presidência da câmara dos deputados, aliás, está se tornando a maldição dos políticos, muito desejada mas perigosa, quem passa por lá, ou vai preso ou é cassado. No senado isso não é tão comum, Delcídio caiu, é verdade, mas ninguém sabe o que ele pode provocar.

03 – A cassação de Delcídio do Amaral

Quando começou o escândalo do cartão corporativo, Delcídio deixou bem claro a sua personalidade de matogrossense rico: “Eu usei o cartão sim, mas se alguém disser que eu roubei eu meto uma bala na cara”. Nunca pensei que um dia ele cairia assim, como um pato.

Delcídio perdeu a pose mas não perdeu a majestade, chega a lembrar Roberto Jefferson filosofando em meio ao mar de m**** em que ele se encontrava antes de ser preso. Ele saiu da cadeia para voltar à presidência do PTB, do qual se afastou quando foi preso. Jeffeson não esqueceu quem o prendeu e colocou o partido a favor do impeachment. Com Delcídio a história foi um pouco diferente: Depois de ter uma escuta telefônica gravada, tentando impedir uma delação premiada, tornou-se o primeiro senador preso no exercício do mandato e, apesar de ser do PT, para variar, não deixou barato, sua delação premiada é tão bombástica que corre o risco de ser esquecida, já que atinge em cheio o presidente do PSDB Aécio Neves, considerado o político mais importante do golpe. Aliás, Azeredo, presidente do PSDB de Minas, foi preso pelo mensalão do PSDB em Minas, mas a mídia não se importou. A máfia da merenda também pegou políticos da direita, mas a pressão dos estudantes não quer deixar o processo parar. Depois que os diretores da Odebrecht declararam que as propinas já duram décadas, os juízes desistiram de pegar a tal listinha de beneficiados
pelas propinas.

04 – Os presidentes fichas sujas

Foi fácil tirar a Dilma, a proposta do PSDB foi irrecusável, afinal o PMDB poderia conseguir a presidência e ainda o apoio para a governabilidade, mas Michel Temer poderá pagar muito caro pela ambição. Janaína chegou a dizer que Temer assinou decretos por delegação da Dilma, como se ele, sendo especialista na área jurídica, tivesse se tornado uma criança de dez anos. O depoimento de Janaína inspirou Delcídio que, agora, diz a mesma coisa, ou seja, cometeu o crime a mando de outrem.

Michel Temer foi citado pela delação premiada de Delcídio, então, já é esperado que ele caia, essa é uma das delações mais importantes da lava a jato, aí, entra Maranhão que também é investigado.

Renan Calheiros não enfrenta apenas uma investigação, mas outras tantas, por isso, também poderia ser afastado pelo STF para que seja investigado, já que é presidente do Senado. Valdir Maranhão, atual presidente da câmara dos deputados, também é investigado.

Qualquer um desses políticos que caia, poderá dar início a uma guerra entre partidos que poderia abalar as estruturas da máfia política de direita. Por exemplo: O PT volta a ser oposição e como antes, volta a ser contra todos, ou seja, ajudará a qualquer um dos lados que deseje cassar algum político corrupto, assim como o PSOL, PDT, REDE, PC do B, etc.

05 – Toda a máfia política

Mais de 300 dos mais de 500 deputados estão sendo investigados pela polícia, no senado a situação não é diferente, as pessoas estão vendo isso, haverá consequências. Isso também poderá ser um fator determinante no resultado do impeachment. A máfia tirou o governo porque o governo não tem nenhum interesse em defender investigados pela polícia, prova disso é que o próprio PT tem vários políticos presos. Isso pode ser visto como uma vergonha pela oposição, mas deixa a ideia de imparcialidade jurídica da polícia.

Resumindo: Se Aécio Neves cair, Temer e Calheiros passam a ser alvo do PSDB e outros partidos de oposição. Caso Temer e Calheiros não consigam se livrar dos processos, aí, será Aécio Neves o alvo do PMDB e da oposição ao governo, ao mesmo tempo. Quem tem mais a perder é Aécio Neves.

A solução à moda antiga seria queimar toda a investigação e parar a polícia federal, como a Globo fez com seus processos, assim todo mundo ficaria feliz.

06 – Globo – A maior interessada no impeachment

A Globo, assim como todas as redes de TVs, estão passando por uma crise terrível, principalmente depois que o governo concluiu que as propagandas não iam ajudar muita coisa. A Globo é especializada em golpes e arriscou tudo nesse, sonhando com uma entrada das forças armadas, caso o Brasil vire uma praça de guerra contra a corrupção.

Mas o golpe ainda não está garantido, muitos senadores tiraram o governo para parar a lava a jato, se a polícia não parar eles mudam o voto. Outros acreditaram nos argumentos da Janaína, mas podem mudar o voto dependendo dos rumos das investigações em relação a presidente e o futuro dos fichas sujas que estão sendo investigados.

A Globo deverá continuar incendiando o povo para que eles gritem o suficiente para acordar as forças armadas e trazer de volta os bons tempos em que a Globo monopolizava o mercado publicitário e trabalhava para os militares.

Lembrando que São Paulo tem mais policiais militares que o exército inteiro.

By Jânio

A história da Rede Globo

PMDB e Globo tudo a ver

Passo-a-passo do impeachment

A TV está podre

 

 

 

maio 13, 2016 Posted by | Política | , , | 1 Comentário

Passo-a-passo do golpe do impeachment

PMDB controla o poder

Golpe do PMDB

Não há muito para se falar sobre o passo-a-passo do golpe e, com ou sem os militares, as ditaduras das elites já mostraram as caras.

01 – Defesa do afogamento dos nordestinos

Não falo só da Mayara Petruso mas de toda a burguesia que humilhava os eleitores do PT com piadas de quinta categoria, sem o menor constrangimento diante do racismo e discriminação pregado por eles. Não acredito que seja coincidência que Janaína Paschoal tenha defendido justamente a Mayara Petruso, antes de receber a missão de ser mais uma defensora do golpe. A defesa de Mayara possibilitou a sua entrada no grupo de extrema direita.

02 – Do MPL ao MBL

O Movimento Passe Livre foi muito ingênuo ao achar que milhões de pessoas iriam às ruas para defender o transporte coletivo gratuito, se assim fosse, todos eles estariam mortos a essa hora. Acontece que a máfia dos transportes urbanos é uma das mais sanguinárias do país e não costumam mandar recados.

O Movimento Brasil Livre roubou a sigla do Movimento Passe Livre para fazer a mesma coisa, só que de maneira muito mais objetiva. Eu diria que eles estiveram camuflados no MPL e só mostraram a cara do golpe quando viram o sucesso e o inconformismo com a corrupção. Podemos dizer também que a justiça parcial das instituições públicas foi fatal para a democracia, já que a direita ganhou coragem ao notar que ninguém iria preso desse lado da política.

Como podemos notar nos textos anteriores, o MBL constitui um antagonismo ao MPL, mesmo assim, utiliza uma sigla quase igual. Enquanto o Passe Livre defende o subsídio do governo, o MBL defende o banimento desse. Além disso, o suposto Brasil Livre ou Inferno Livre, defende descaradamente a privatização, e até a globalização volta a ser o foco central da política de extrema direita.

O objetivo do golpe e o ataque ao governo é claro, pior, a imprensa internacional já denunciava esse movimento mesmo antes dele surgir, já que a manifestação seguia o Passe Livre e as sub-celebridades do MBL que ainda nem eram conhecidas.

Lembrando que o golpe de 64 começou com uma jornalista que criticava o governo, suas críticas foram usadas para arquitetar o golpe. Ela tentou impedir, mas já era tarde. Dessa vez começou com o MPL, a UNE ainda tenta resistir, mas a história se repete.

03 – A volta da Rede Globo

O MBL fez o serviço sujo que os políticos de direita não poderiam, mas o elemento mais perigoso durante todo esse processo foi o monopólio de informação pela Globo. A Globo já tem experiência em golpe, já que nasceu através de um, e pretende renascer sem que ninguém perceba o que está acontecendo. Talvez o caso Panamericano tenha dado um novo ânimo à Rede Globo.

O museu bilionário demonstra como a Globo jogou sujo e ajudou a roubar dinheiro durante esse tempo todo, isso sem falar de suas ligações com a CBF, FIFA e o maior de seus crimes, sonegação de impostos e lavagem de dinheiro. A Rede Globo possui uma empresa controlada por laranja em cada setor das organizações Globo, inclusive a Fundação Roberto Marinho.

Apenas os telespectadores ignorantes da Globo acreditam que essa seja uma empresa de entretenimento ou informação. Os maiores negócios dessa empresa estão diretamente relacionados com políticos, roubo de propriedade intelectual e conspiração. Foi assim que a Globo eliminou sua concorrência e monopolizou a informação e o mercado publicitário controlado pela ditadura que está prestes a voltar, pior, sem os militares.

04 – Conspirações e vazamentos

Com os supostos vazamentos seletivos que tem forjado a recente história política do Brasil, a Rede Globo conseguiu arquitetar o golpe político que já havia se consolidado nas ruas com o MBL. Primeiro jogou o PT contra o PMDB e, depois, jogou o PT contra o STF.

05 – Eduardo Cunha nas mãos da máfia

Eduardo Cunha nem de longe foi um dos maiores líderes do PMDB. Renam Calheiros digeriu seu maior adversário, Temer, em nome da governabilidade do PT mas, de fato, sempre foi o PMDB quem teve o poder nas mãos.

A frágil aliança PMDB/PT começou a se fragmentar com os supostos vazamentos do ambicioso vice-presidente Temer, primeiro foi a carta, depois foi o discurso. Tudo isso comparado com a encrenca do presidente da câmara, Eduardo Cunha, foi o estopim da crise política do governo.

06 – Curitiba – A capital do Golpe

O PT teve vários políticos presos por corrupção, mas nenhum partido de direita teve político preso, ou pelo menos não na mídia golpista. Se Janaína Paschoal era a advogada extremista que defendia o afogamento de nordestinos, o estado ideal para a gestação do golpe seria o Paraná, onde o PSDB chegou a 75% dos votos e, antes disso, a assembleia de deputados do Paraná foi considerada a maior máfia política do mundo, 95% dos deputados paranaenses estiveram envolvidos com corrupção.

Tanto dos escândalos de Beto Richa, quanto nos escândalos da assembleia de deputados, o sistema jurídico do Paraná sempre esteve nas mãos da máfia, por isso seria inevitável que o golpe começasse pelo Paraná.

07 – O escândalo do Banestado

Durante o escândalo do Banestado, as maiores empresas do Brasil que faziam lavagem de dinheiro com a ajuda do Governo Jaime Lerner e do Banco do Estado do Paraná, inclusive a Globo, fizeram lavagem de mais de 600 bilhões. O processo desapareceu ou ficou nas mãos de chantagistas, mais de 120 bilhões já haviam sido rastreados.

08 – Sergio Moro – O juiz da máfia

Sérgio Moro foi o advogado que livrou Beto Richa da polícia, também foi Sérgio Moro o responsável pelo fim do processo da máfia dos bancos, HSBC e Banestado. Seria inevitável que um juiz experiente da máfia fosse escolhido para conduzir a operação que demonstrou a justiça caolha do Brasil.

Durante a operação lava a jato, Sérgio Moro e a Globo formaram parceria para grampear telefones e vazar informações que comprometessem o governo do PT, ou que comprometessem todas as estratégias políticas desse governo, inclusive suas relações com os maiores aliados do PMDB. O desinteresse do PT em defender Eduardo Cunha foi um erro fatal para o partido, se bem que o PT já estava com toda a mídia contra.

09 – O envolvimento do STF

Há muito tempo o STF tem sido visto como uma instituição falida, seu mártir, Joaquim Barbosa, ameaçou fazer uma limpeza na política brasileira, pouco depois foi aposentado e o escândalo de Carlinhos Cachoeira nunca mais foi falado. Os corruptos do escândalo de cachoeira seriam os próximos a serem caçados pelo STF.

Recentemente os jornalistas falaram dos bens de Joaquim Barbosa em Miami e ele se esforçou para explicar, como se ele ainda fosse um juiz. Outra celebridade política, FHC, finalmente contou a história da amante que foi enviada para o exterior para salvar o governo de direita, a privataria e a globalização made in Brasil do governo de FHC. A amante revelou suas empresas nos paraísos fiscais que não era apenas uma, comportamento de quem precisa enconder suas transações, assim com a Rede Globo que abriu uma empresa fantasma em nome de um laranja, só para fazer o pagamento da FIFA e CBF. A mulher que queimou o processo da Globo tinha uma conta no mesmo prédio da empresa dos Marinhos, mas ela jura que ninguém mandou – “Eu fiz porque eu quis!”.

10 – Vazamentos internacionais

Os escândalos do HSBC e Panamá Papers tinham endereço certo, todos sabemos que o Panamá não é o país preferido das lavagens corporativas. A direita teria um preço a pagar, já que aliados também foram citados, entretanto, os mais importantes foram poupados pela mídia: sobrou mais uma vez para Eduardo Cunha.

Eduardo Cunha já não tinha como escapar da justiça, por isso, faria tudo o que fosse ordenado.

11 – O golpe na Câmara dos Deputados

Os deputados votaram pressionados pelos seus eleitores que por sua vez foram manipulados pela mídia. Só um detalhe, Eduardo Cunha foi um dos políticos mais xingados da história, tanto pela esquerda quanto pela direita. Para evitar que o fato se repetisse no Senado, Eduardo Cunha foi afastado até que o processo de impeachment fosse concluído.

12 – A farsa do presidencialismo

A aprovação do impeachment pela Câmara dos deputados demonstrou como a mídia brasileira é um problema para a democracia: num sistema presidencialista, a presidente cai pelas mãos de mafiosos que estavam nas mãos da oposição, enquanto outros mafiosos entram na fila para assumir o governo.

Comentários finais:

Eu sinceramente não acredito que o PSDB esteja fazendo tudo isso apenas para deixar o PMDB no governo, entretanto, a Rede Globo já vem fazendo parceria com governos do PMDB há muito tempo, isso quer dizer que quando Temer assumisse – Temer lidera a ala de direita do PMDB – a mídia silenciaria e haveria uma trégua até a próxima eleição.

… ou não …

Caso o PSDB decidisse por uma nova eleição, o PT votaria contra o PMDB, assim como votaria também contra o PSDB. Temer cairia, Calheiros cairia, Maranhão cairia e haveria uma nova eleição, já que o PMDB não teria aliados suficientes para a governabilidade.

Depois do apocalípse…

Novos partidos passariam a liderar a política brasileira, como o PSB, Rede, PV, todos ligados a Marina Silva, enquanto outros partidos poderiam apoiar Marina Silva, como PDT, PC do B, PSOL e o próprio PT, etc.

Mesmo assim, a votação do impeachment no Senado será histórica, mais uma vez a história do Brasil será escrita com o estrume de políticos corruptos e de nossa justiça caolha. E, para não dizer que não será interessante, alguns políticos poderão ser expulsos de seus partidos, assim como Valdir Maranhão.

A sede do golpe, o estado do Paraná, não terá muita força no Senado. Álvaro Dias será a favor do impeachment, Requião e Gleisi serão contra.

Lembrando que, apesar de eu não ter acompanhado o golpe de 64, o golpe tem a cara da Globo novamente, enquanto o impeachment lembra muito o impeachment de Collor, apesar de, dessa vez, nenhum político corrupto ter sido poupado.

PC Farias foi vingado.

By Jânio

Votação do impeachment ao vivo do Senado

MPL – Movimento Passe Livre

MBL – Movimento Brasil Livre

A maior lavagem de dinheiro da história

A história da Rede Globo

A CPI do Banestado

Políticos que apoiaram o golpe de 64

Trinta anos de escândalos

Panamá Papers

Lavagem de dinheiro no HSBC

Máfia do metrô

Máfia do asfalto

Políticos com problemas na justiça
 

maio 10, 2016 Posted by | Política | , , , , | 4 Comentários

O bordel de Sérgio Moro

O crepúsculo da máfia

Políticos Prostituídos

Não é coincidência que Curitiba tenha sido escolhida para ser a capital do golpe de estado no Brasil, além de capital do golpe de estado, Curitiba também é a capital da lavagem de dinheiro.

Durante o governo de Jaime Lerner, o estado financiou empresas estrangeiras através do Banestado, Banco do Estado do Paraná. As montadoras entravam apenas para montar seus carros e ainda recebiam todo o dinheiro necessário para sua infra-estrutura, em seguida, abandonavam a fábrica que não tinha financiamento próprio.

O esquema da máfia de Jaime Lerner era quase perfeita e seguia a filosofia de Paulo Maluf, rouba mas faz. Além das fábricas, também privatizaram os pedágios para os amigos e parentes, um grupo que também usava dinheiro público para financiar seus próprios investimentos, ou seja, o roubo das rodovias públicas que eles não construíram.

Os desvios de recursos públicos foram todos efetuados na gestão de globalização e privatização de FHC.

Depois de fraudar os financiamentos do Banestado, começaram a enviar dólares para o exterior, todos os bancos do Brasil participaram desse processo de lavagem. os bancos de todo o país utilizavam o Banestado para enviar dinheiro de seus clientes para os paraísos fiscais.

As consequências das atividades dessa máfia logo começaram a aparecer, os bancos entraram em concordata e pediram ao governo federal, FHC, que apoiassem o processo de privatização, onde as despesas ficariam com o Banco Central e as instituições seriam repassadas para os seus novos donos, em sua maioria, grupos estrangeiros.

Por que escolheram o Paraná para essas atividades ilícitas? Porque o Paraná possui uma das máfias mais bem constituídas do mundo. Atualmente, o Paraná passa por um de seus piores momentos, cerca de noventa por cento dos deputados estaduais fazem parte de um esquema criminoso usado para receber propina e dar suporte aos crimes de Beto Richa. Os criminosos atuais não são tão eficientes como seus pais, por isso, parte de seus crimes acabam sendo descobertos. Entretanto, como a máfia controla praticamente todas as instituições burocráticas do estado, assim como as autoridades jurídicas delegadas para promover a justiça, a maioria dos processos são arquivados através de decisões políticas.

Foi por isso que o pequeno estado do Paraná foi o escolhido para deflagrar o golpe de estado, utilizando como ferramenta a operação Lava a Jato. As autoridades do Paraná possuem informações suficientes para prender mais de noventa por cento dos sonegadores de impostos do Brasil, empresários que fizeram lavagem de dinheiro durante os escândalos dos bancos, época em que FHC promoveu a privatização de praticamente todos os maiores bancos do país.

O golpe também poderá parar os processos que atingem cerca de 350 deputados federais do país, como se os estaduais fossem todos honestos.

Com tantas informações sobre crimes não seria possível prender nenhum político, já que a maioria dos partidos está envolvida com corrupção, então foi preciso promover o vazamento seletivo de informações para prender apenas políticos ligados ao PT e blindar os demais partidos de direita, principalmento o PSDB que seria preservado para reassumir o governo, depois da eventual cassação de Temer e Eduardo Cunha. O PSDB teria então cerca de 350 bilhões de dólares que a Presidente Dilma não consegue usar para dar suporte a crise financeira pela qual passa o governo, PSDB voltaria a ter como parceiro o DEM e acabaria com o eterno reinado do PMDB.

Como podemos ver, tudo foi planejado nos mínimos detalhes à prova de erros.

Acontece que nem todos somos idiotas, a mesma trama que está sendo forjada como pretexto para o golpe, já foi utilizada antes, durante e depois da eleição da Presidente. A direita tinha tudo para manipular os eleitores: agências de pesquisas, as redes de televisão e, contrariando o bom senso e subestimando a inteligência da população, usaram de todos os recursos na véspera da eleição e, mesmo assim, perderam. A partir daí, só havia uma chance de tomar o poder, promovendo um golpe.

A imprensa nacional está acovardada, seguindo a cartilha da Globo, emissora que volta ser manchete no mundo inteiro como a principal protagonista desse golpe, essa já é a terceira vez que a Rede Globo derruba um governo descaradamente, com o objetivo de usar a máquina do estado para atender os seus objetivos corporativos.

Dessa vez temos duas situações interessantes a serem observadas: de um lado a Rede Globo que se tornou a segunda maior emissora do mundo, graças ao uso do poder político no país, onde cada organização do governo tem a participação da fundação Roberto Marinho, ONG da Rede Globo. De outro lado está a internet, com a capacidade de informar em tempo real tudo o que vem sendo tramado pela extrema direita. Cada vez que a direita faz um movimento em seu tabuleiro, seus peões são expostos na internet, seu passado, presente e futuro, assim como seus interesses e ligações com o golpe.

Outro fato bastante interessante é a forma como a imprensa internacional tem alertado o mundo inteiro para o perigo que está se formando na sétima maior economia do mundo, economia que já esteve em sexto e quase atingiu o quinto lugar entre as maiores do mundo. Certamente que o mundo inteiro já vê com preocupação a forma como a Rede Globo começa a se espalhar pelos quatros cantos do planeta, levando também a sua forma de controlar o poder, antes de executar a atividade de informar e entreter.

Vale observar também que os paraísos fiscais estão no limite e isso coincide com a ascensão da Rede Globo no mercado internacional, já que nem todos os paraísos fiscais reagem da mesma forma em relação a crise mundial.

A morte de Eduardo Campos foi um recado das organizações secretas obscuras, eu já falei duas ou três vezes sobre isso por aqui. O segundo recado das organizações secretas já foi dado e está em curso, entretanto, eu só vou falar sobre isso quando o fato estiver consumado.

By Jânio

Globo e PMDB tudo a ver

Marina Silva escapa da morte

A morte de PC Farias

Presidentes do Brasil

Trinta anos de escândalos no Brasil

A história da Rede Globo
 

maio 1, 2016 Posted by | Política | , , , | 1 Comentário

Globo e PMDB tudo a ver

Chegou a Hora

CPI da Globo

O impeachment é um processo político, segue normas jurídicas, mas continua sendo um processo político. Começou como uma vingança de Eduardo cunha que não gostou de ser processado e decidiu devolver na mesma moeda. A questão é polêmica e foi decidida por vingança, Cunha chegou a dizer que se o PT não parasse os ataques, ele aprovaria outros pedidos de impeachment que estão sendo analisados.

A situação polêmica nos leva de volta aos tempos de Collor e, pior, aos tempos dos “Golpe de 64”, Nos tempos de 64 eu nem vou detalhar, eu não vivi naquele tempo, mas a Globo começou nesse tempo e irritou muita gente. Criou-se o mito do perigo comunista e pagamos um preço muito alto.

Durante décadas perguntou-se: “Onde está o dinheiro do país mais rico do mundo?”, enquanto isso, a Rede Globo começava a destruir os seus inimigos, concorrentes, TVs, e a administrar suas próprias verdades para atender seus interesses. A Globo derrubou seus concorrentes e iniciou seu império que, durante décadas, foi influenciado por suas conspirações. A Globo tem jogado partidos contra partidos, partidos contra instituições, na intenção de conseguir diminuir a influência da base do governo e, até agora, tem funcionado.

A Globo deixa de ser uma ameaça para o Brasil e passa a ser uma ameaça mundial, isso porque os paraísos fiscais chegaram ao limite, chegando até a ameaçar os EUA, Inglaterra e outros países ricos, isso fez com que a Globo retirasse seu dinheiro dos paraísos fiscais e mostrasse sua cara, assustando as maiores redes de TVs do mundo.

Collor foi cassado porque o povo foi às ruas; o povo foi às ruas porque a Globo utilizou o monopólio de informação para levar as pessoas às ruas. Sem internet e sem como ver o país sob visão da mídia internacional, os políticos votaram influenciados pelo povo nas ruas. Por isso o interesse no voto aberto e sendo transmitido pela TV. Isso demonstra como a aristocracia passa por cima da lei, promovendo vazamentos, conspirando, fingindo que a injustiça está de um lado só. A mídia internacional mostra uma visão muito diferende, mostra verdades que estão sendo omitidas pela Globo, já que não interessa a ela, por isso, eu acho importante assistir o documentário “Muito além de um cidadão Kane”.

Lembrando que vários pedidos de impeachment foram recusados por Eduardo Cunha mas, ironicamente, o primeiro aceito foi o pedido da extremista que defendeu o afogamento de nordestinos, Janaína. Eduardo Cunha já avisou que poderia aprovar outros pedidos de impeachment e terá a ajuda dos corruptos delatores.

A mídia internacional já deixou bem claro a semelhança da crise brasileira com a crise forjada nos Estados Unidos pela extrema direita, a diferença é que os criminosos da direita não estão sendo presos no Brasil, nunca foram: privataria, máfia do metrô, máfia do asfalto, Carlinhos Cachoeira, mensalinho de Brasilia e recentemente a máfia da merenda, ninguém foi preso e nem será, deixando uma dúvida sobre a força do bipartidarismo. Lembrando que só existe um sistema pior que o bipartidarismo, justamente sistema aristocrático controlado pela extrema direita, onde ninguém nunca será preso.

Lembrando também que é tudo uma questão de maioria política, foi por isso que José Sarney arquivou o próprio pedido de CPI, Renan escapou do maior escândalo da história, depois de PC Farias e mensalão, lembrando como a direita e a esquerda resolvem seus problemas. PC foi assassinado e ninguém foi preso, já no caso do mensalão foi diferente. Agora temos dois escândalos prestes a serem ignorados pela justiça, Cunha e Temer, tudo porque o PMDB é maioria. O impeachment exige dois terços da câmara e depois do senado para a aprovação, isso não é fácil. Se depender da cúpula dos líderes, isso não seria possível. A votação para aprovar o parecer do impeachment foi boa para a oposição, mas não o suficiente. Todos os estados estão fazendo pedaladas fiscais, FHC fez isso. Mudou-se a lei, mas ninguém conseguiu cumprir.

O perigo será os deputados votarem baseados em magnatas que são seus financiadores e estão ganhando pouco com taxa de juros, ou baseados nos povos das ruas que são manipulados pela Globo.

The real news

Le monde

Roda Viva TV Cultura

Documentário proibido no Brasil:

Muito além de um cidadão Kane 01

Muito além de um cidadão Kane 02

Muito além de um cidadão Kane 03

 

abril 13, 2016 Posted by | Política, Videos | , , , , , | 5 Comentários

A política do PMDB

operação lava-jato

Amigos do PT

Durante o governo militar, Sarney era visto como um político genial que sabia a hora de mudar de lado. Por causa desse faro, Sarney foi escolhido para ser o “Coronel” do Maranhão, ou seja, controlador da Rede Globo daquele estado – a Globo, por sinal, esteve o tempo todo ao lado dos militares, conspirando para que não deixassem o poder, a Globo quase conseguiu. Atualmente a Globo sonha em voltar aos velhos tempos de ditadura, inclusive, já ganhou alguns adeptos.

O governo militar que deveria ser um governo de transição, ficou algumas décadas, com direito a serviço de inteligência e tudo. É claro que o termo inteligência não deixa de ser meio obscuro.

Depois que os militares decidiram abandonar a política definitivamente, a Globo contratou os humoristas mais temidos pelos militares, na tentativa de boicotar a abertura política, até Renato Aragão foi recrutado para fazer o famoso “Alô, João”, crítica direcionada a João Figueiredo, feita por humoristas como Chico Anísio e Jô Soares.

O articulador das eleições, o quase santo, Tancredo Neves, não era tão útil para Roberto Marinho, morreu sem assumir a presidência. No Lugar de Tancredo entrou o “político perfeito”, José Sarney.

Depois do Vice de Tancredo, o verdadeiro teste da democracia elegeu Fernando Collor de Mello em eleições populares, já que Tancredo havia sido eleito em eleições indiretas. Collor parecia um político importante para a Globo, afinal era dono da Rede Globo de Alagoas. Entretanto, ao assumir, Collor adotou a linha dura, típica da família Collor. Collor foi tão durão que até Pedro Collor, seu irmão acabou entregando todo o esquema PC Farias. Segundo as más línguas, a mulher de Pedro Collor teria sido o motivo para sua fúria contra o irmão. Pedro não tinha nada a perder e estava condenado a morte, segundo seu médico.

Depois do escândalo, seu vice, Itamar Franco assumiu o poder. Falou-se em maldição do vice e disseram que a morte de PC havia sido crime passional, apenas os estúpidos acreditaram, principalmente porque PC viajou pelo mundo todo fugindo da morte decretada pela extrema direita, sua mulher procurou todas as redes mas não adiantou. PC Farias morreu cercado de dezenas de guardas costas armados até os dentes, sua mulher morreria pouco tempo depois.

Segundo o laudo contestado por outro perito, PC teria sido assassinado pela amante que teria cometido suicídio logo depois. Pedro Collor morreu, a mulher de PC morreu, enfim, ficou tudo nas mãos do PMDB e da Globo.

O ministro de Itamar chutou o balde e saiu candidato a presidente e venceu a eleição pelo PSDB. FHC era o ministro de Itamar e, na época, aproveitou o sucesso do Plano Real para se eleger, mesmo não sendo o criador do Plano, o que irritou profundamente Itamar.

Em todas as eleições sempre havia um coadjuvante famoso chamado Lula. Lula que era considerado agressivo em seus discursos, era ingênuo demais para fugir das inúmeras armadilhas que lhe forram armadas. Collor usou um filho fora do casamento para desmontar sua campanha. Mesmo depois de ganhar sua primeira eleição, Lula só ganhou porque havia um mercado gigantesco surgindo no oriente, e foi justamente a China que garantiu o seu governo e os futuros financiamentos para uma economia quebrada. Lula nunca precisou dos financiamentos, graças ao seu ministro Palocci, outro político que, apesar de experiente, era ingênuo.

Durante o escândalo com o caseiro, que na realidade era uma arapuca para pegá-lo, Palocci decidiu descobrir porque o caseiro estava tão determinado a provocar o escândalo. A polícia descobriu muito dinheiro na conta do caseiro, mas havia uma história muito bonita sobre um pai que o havia abandonado e que depois, arrependido, decidira fazer uma doação generosa justamente no momento do escândalo – notem como a direita tem muita sorte.

Olhem a lista:

Tancredo morreu sem tomar posse para entrar Sarney

Fernando Collor de Mello foi deposto porque “alguém” teria dito para seu irmão que “alguém 2” estaria “brincando” com sua mulher.

PMDB continuou no poder com Itamar, pelo menos até FHC chutar o balde e passar-lhe a perna.

FHC não era do PMDB mas era útil para a máfia, privatizou quase todas as empresas, defendeu a globalização da economia e quebrou o governo.

Lula assumiu depois de dois mandatos de FHC, o salário mínimo era de 60 dólares, a taxa de juros passava de 26% e o dólar chegava a 3.80.

Palocci conseguiu uma reserva de 250 bilhões de dólares no primeiro mandato de Lula e convenceu o presidente de que não deveria gastar no primeiro ano. Conseguiu criar um planejamento de baixar os impostos e tornar a economia mais competitiva. A queda dos impostos deveria ser gradativa.

O sucesso do governo foi tão grande que os especuladores abandonaram o dólar, forçando o governo a intervir para não atrapalhar as exportações que dependiam de dólar alto. As reservas aumentaram ainda mais.

O sucesso de Palocci o colocou na mira das conspirações da direita. Sua saída foi uma perda muito grande para o governo.

Apesar disso, Lula manteve-se forte e elevou as reservas até 350 bilhões de dólares, apesar de não agradar Dilma, pessoa mais forte depois da queda de José Dirceu.

O mensalão levou muitos líderes petistas para a cadeia. A privataria não foi nem investigada. O escândalo de Carlinhos Cachoeira foi esquecido, assim como a máfia do asfalto, máfia do metrô, mensalinho de Brasília etc.

O líder do PSDB do Ceará disse que comprou o jatinho com o dinheiro dele; Aécio Neves construiu o aeroporto com o dinheiro dele; o juíz moro inocentou os mafiosos que enviaram mais de 600 bilhões para o exterior, através do Banestado; defendeu a máfia de Beto Richa e decidiu que deve prender só petista, inclusive com quebra de sigilo; Palocci perdeu o cargo porque a polícia invadiu a privacidade do caseiro; ninguém disse para quem Moro trabalha, até porque seria impossível cassar todo mundo, mas só idiota não nota o que está acontecendo.

A política brasileira é estranha:

Ciro Gomes era um dos candidatos mais fortes nas prévias das eleições, abandonou a candidatura a pedido do partido que não lhe deu sustentação. Na época eu disse que ele morreria se fosse candidato.

Marina Silva foi candidata pela segunda vez, depois que Eduardo Campos morreu em acidente de avião no mesmo dia da morte de Miguel Arraes, seu avô, um recado claro da extrema direita, assustada com a possibilidade de um neto de Arraes no poder. Eu avisei que se Marina viajasse no mesmo avião ela poderia ser morta, felizmente ela não estava no mesmo avião, Marina Silva está acostumada a escapar da morte mas, no Brasi, ninguém está garantido.

Janaína, a louca, advogada de acusação de Dilma, também é, segundo as fofocas, advogada da mulher que queria afogar os nordestinos, Mayara Petruso. Os vídeos deixam bem claro que a louca é extremista de direita, se bem que eu ache que a direita extremista escolheu muito mal sua representante.

Marina tem assumido uma postura de anti-bipartidarismo, isso é bom, mas há quem não goste nada da ideia.

Política do dia:

Marco Aurélia decidiu que Temer deve ser processado, assim com a presidente. Seu pedido foi arquivado.

A presidente decidiu que Cunha deve ser processado. O PMDB tem maioria.

Cunha decidiu que a presidente deve ser processada. A democracia acaba aqui.

Movimento Brasil Livre, MBL, quer cassar Marco Aurélio. Quem???

Ao jogar o PT contra o STF e contra o PMDB, com a ajuda das escutas ilegais, a Globo conseguiu o que queria. O PT continua muito ingênuo.

A política brasileira dá nojo, mas é engraçada. Não leia sobre política se estiver se alimentando no momento ou se seu estômago for fraco.

By Jânio

Panamá papers – E os magnatas americanos

A historia da Rede Globo

A história política de Sarney

abril 7, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Globo vira vergonha internacional novamente

março 23, 2016 Posted by | Política, Videos | , , , | 1 Comentário

Globo e a força do PT

 

dinheiro do brasil

Brasil no Museu

O jornal nacional se transformou em um diário do Lava a Jato, isso não vai resolver nada, mas também não importa. Isso é muito importante porque a direita não faz nada errado, afinal, a direita não recebe propina, fazer aeroportos particulares é legal, máfias do metro, asfalto, etc., isso tudo é normal, sem falar do cachoeira, Arruda… mas, tudo bem.

Na reta final das últimas eleições, a Rede Globo desceu do muro e atacou a candidata do governo, que era a própria presidente, mesmo assim a presidente ganhou novamente. Como a Dilma é bem diferente do Lula, quando o assunto é acertar as contas. cortou as verbas bilionárias em publicidade da televisão e provocou uma das maiores crises da história financeira da Globo.

Passar por uma crise é diferente de falir, a Rede Globo é uma das maiores máfias da história do Brasil e, apesar de já ter elegido e derrubado presidentes, já não tem mais essa força, continua impondo a sua ditadura, ou tentando impor, criando empresas laranjas para negociar músicas roubadas, negociatas com a CBF e com os próprios políticos, o museu do futuro é uma dessas incoerências que ninguém entende e quem entende não aceita. Afinal de contas, o museu do futuro foi feito para quem? Talvez devesse ter sido feito na região da cracolândia. A Rede Globo também tornou-se a segunda maior rede de TV do mundo, deixando claro que enviar dinheiro para os paraísos ficais deixou de ser um bom negócio, pelo menos enquanto os democratas estiverem no poder nos EUA.

Quando a Rede Globo decidiu transformar o jornal nacional em diário da lava a jato, deve ter apostado que seria possível derrubar o Governo do PT em pouco tempo. A situação piorou, afinal de contas, sem a verba da publicidade, o governo não é tão viável para o corporativismo midiático, por outro lado, com a imagem tão desgastada, o governo já não precisa de publicidade, vai ter de fazer acontecer. Quando eu digo fazer acontecer, não estou falando de uma gestão primorosa, falo de agradar o povão, e isso o PT sabe fazer muito bem.

Quando a Globo tenta derrubar o governo do PT, certamente, pretende repetir a história da geração Collor, Itamar, FHC, ou seja, tira o presidente e coloca o vice, que por sinal é do PMDB. Eu até poderia dizer que eles se esquecem que quem manda no governo é o PMDB mas a realidade é que a Globo é “puta velha” nessa história.

A internet também fala da sonegação de impostos da Globo todo dia, além de suas empresas laranjas que negociam com a CBF e criam monopólio pelo país, mas isso não adianta muita coisa, a justiça é elitizada.

Durante muito tempo a esquerda sofreu nas mãos da direita, aprendeu apanhando e, hoje, consegue manter relações amigáveis com as forças armadas, evitando um golpe durante 13 anos, consegue manter boa parte da burguesia na dúvida, já que foi FHC quem acabou com a força dos aposentados ricos, inclusive das forças armadas. Se fosse outro partido, talvez tivesse alguma chance, mas o PSDB está muito queimado. O PSDB tentou criar um Brasil de primeiro mundo com a ajuda da pobreza, globalização, privatização e corte de custos, muitos burgueses não esqueceram isso, pior, não existe mais partido de direita no Brasil, a direita veste pele de cordeiro, Democratas, PSDB, só tem o nome da esquerda.

O PT conseguiu blindar os presidentes, ministros e agora desistiu das presidências do senado e câmara dos deputados, já que esses são os alvos principais de ataque da direita. Como o PMDB é o partido mais forte do país, ninguém consegue cassar um político desse partido de acordo com a constituição. Ser membro do PMDB é ser intocável, prova disso é que ninguém conseguiu derrubar o Renan Calheiros em um dos piores escândalos envolvendo um senador, atualmente, Cunha demonstra a força do partido. Muita gente sonha em ter Michel Temer na presidência, o que tornaria o partido quase absoluto, mas as lideranças do partido sabem que isso não é necessário.

By Jânio

Corporativismo midiático

PT atira no próprio pé

Rede Globo 50 anos

A história da Rede Globo

 

janeiro 27, 2016 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Globo de Ouro 2.016 – Vencedores da noite

 

revenant

Cinema

Melhor Filme de Drama

Carol
Mad Max – Estrada da Fúria
O Regresso – VENCEDOR
Room
Spotlight – Segredos Revelados

Melhor Filme de Comédia ou Musical

A Grande Aposta
Joy – O Nome do Sucesso
Perdido em Marte – vENCEDOR
A Espiã Que Sabia de Menos
Descompensada

Melhor Atriz Drama

Cate Blanchett – Carol
Brie Larson – Room – VENCEDORA
Rooney Mara – Carol
Saoirse Ronan – Brooklyn
Alicia Vikander – A Garota Dinamarquesa

Melhor Ator em Filme Drama

Bryan Cranston – Trumbo
Leonardo DiCaprio – O Regresso – VENCEDOR
Michael Fassbender – Steve Jobs
Eddie Redmayne – A Garota Dinamarquesa
Will Smith – Concussion – Um Homem Entre Gigantes

Melhor Atriz em Comédia ou Musical

Jennifer Lawrence – Joy – o Nome do Sucesso – VENCEDORA
Melissa McCarthy – A Espiã Que Sabia de Menos
Amy Schumer – Descompensada
Maggie Smith – A Senhora da Van
Lily Tomlin – Grandma

Melhor Ator em Comédia ou Musical

Christian Bale – A Grande Aposta
Steve Carell – A Grande Aposta
Matt Damon – Perdido em Marte – VENCEDOR
Al Pacino – Não Olhe Para Trás
Mark Ruffalo – Sentimentos Que Curam

Melhor Atriz Coadjuvante

Jane Fonda – Youth
Jennifer Jason Leight – Os 8 Odiados
Helen Mirren – Trumbo
Alicia Vikander – Ex Machina
Kate Winslet – Steve Jobs – VENCEDORA

Melhor Ator Coadjuvante

Paul Dano – Love & Mercy
Idris Elba – Beasts Of No Nation
Mark Ruffalo – Spotlight – Segredos Revelados
Michael Shannon – 99 Homes
Sylvester Stallone – Creed – Nascido para Lutar – VENCEDOR

Melhor Diretor

Todd Haynes – Carol
Alejandro Gonzales Inarritu – O Regresso – VENCEDOR
Tom McCarthy – Spotlight – Segredos Revelados
George Miller – Mad Max: Estrada da Fúria
Ridley Scott – Perdido em Marte

Melhor Roteiro

Emma Donaghue – Room
Tom McCarthy, Josh Singer – Spotlight – Segredos Revelados
Charles Randolph, Adam McKay – A Grande Aposta
Aaron Sorkin – Steve Jobs – VENCEDOR
Quentin Tarantino – Os 8 Odiados

Melhor Longa em Animação

Anomalisa
O Bom Dinossauro
Divertida Mente – VENCEDOR
Snoopy & Charlie Brown: Peanuts – o Filme
Shaun, o Carneiro

Melhor Filme em Língua Estrangeira

Le Tout Nouveau Testament (The Brand New Testament) – Bélgica, França
El Club (The Club) – Chile
Miekkailija (The Fencer) – Finlândia, Estônia, Alemanha
Mustang – França
Saul Fia (Son Of Saul) – Hungria – VENCEDOR

Melhor Trilha Sonora Original

Carter Burwell – Carol
Alexandre Desplat – A Garota Dinamarquesa
Ennio Morricone – Os 8 Odiados – VENCEDOR
Daniel Pemberton – Steve Jobs
Ryuichi Sakamoto, Alva Noto – O Regresso

Melhor Canção Original

“Love Me Like You Do” – Cinquenta Tons de Cinza
“See You Again” – Velozes e Furiosos 7
“One Kind Of Love” – Love & Mercy
“Simple Song #3” – Youth
“Writing’s On The Wall” – 007 Contra Spectre – VENCEDOR

TV

Melhor Série Dramática

Empire
Game Of Thrones
Mr. Robot – VENCEDOR
Narcos
Outlander

Melhor Série de Comédia ou Musical

Casual
Mozart in the Jungle – VENCEDOR
Orange Is The New Black
Silicon Valley
Transparent
Veep

Melhor Minissérie ou Filme para TV

American Crime
American Horror Story: Hotel
Fargo
Flesh & Bone
Wolf Hall – VENCEDOR

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme para TV

Lady Gaga – American Horror Story: Hotel – VENCEDOR
Sarah Hay – Flesh & Bone
Felicity Huffman – American Crime
Queen Latifah – Bessie
Kristen Dunst – Fargo

Melhor Ator em Minissérie ou Filme para TV

Idris Elba – Luther
Oscar Isaac – Show Me A Hero – VENCEDOR
David Oyelowo – Nightingale
Mark Rylance – Wolf Hall
Patrick Wilson – Fargo

Melhor Atriz em Série Dramática

Caitriona Balfe – Outlander
Viola Davis – How To Get Away With Murder
Eva Green – Penny Dreadful
Taraji P. Henson – Empire – VENCEDOR
Robin Wright – House Of Cards

Melhor Ator em Série Dramática

Jon Hamm – Mad Men – VENCEDOR
Rami Malek – Mr. Robot
Wagner Moura – Narcos
Bob Odenkirk – Better Call Saul
Liev Schreiber – Ray Donovan

Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical

Rachel Bloom – Crazy Ex-Girlfriend – VENCEDOR
Jamie Lee Curtis – Scream Queens
Julia Louis-Dreyfus – Veep
Gina Rodriguez – Jane, the Virgin
Lily Tomlin – Grace And Frankie
Melhor Ator em Série de Comédia ou Musical

Aziz Ansari – Master Of None
Gael Garcia Bernal – Mozart In The Jungle – VENCEDOR
Rob Lowe – The Grinder
Patrick Stewart – Blunt
Jeffrey Tambor – Transparent

Melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie ou Filme para TV

Uzo Aduba – Orange Is The New Black
Joanne Froggat – Downton Abbey
Regina King – American Crime
Judith Light – Transparent
Maura Tierney – The Affair – VENCEDOR

Melhor Ator Coadjuvante em Série, Minissérie ou Filme para TV

Alan Cumming – The Good Wife
Damien Lewis – Wolf Hall
Ben Mendelson – Bloodline
Tobias Menzies – Outlander
Christian Slater – Mr. Robot – VENCEDOR

Textos relacionados:

Oscar 2.015

Globo de ouro 2.015

 

janeiro 11, 2016 Posted by | Cinema | , , , , , , | 1 Comentário

Ditadura da Rede Globo à vista

Golpe_Militar_2

Eu estou me perguntando quem está manipulando e quem está sendo manipulado, eu fiquei impressionado como um militar pode fazer um discurso pseudo-democrático, chegando a confessar que fez parte do golpe de 64. Naturalmente, não é dos militares que eu tenho medo, mas dos interesses da mídia golpista que manipula pessoas que se acham politizadas mas que nem tem essa função.

Nem é preciso dizer que os políticos são populista, mas ser populista não basta, isso ficou comprovado na Venezuela onde o governo perdeu a maioria nas eleições no legislativo. Um discurso militar político brasileiro lembra os discursos dos próprios  comunistas, ou seja, demagogos que falam muito mas não dizem nada, isso é atitude de político e não de militar.

Os militares politizados estão próximos a cometer um novo erro, transformando a população em marionetes, fazendo-nos pensar que depois de quinhentos anos o povo terá alguma representação em um golpe militar.

O golpe de 64 foi um grande erro e criou um monopólio das informações, o que trouxe vários outros monopólios. Os militares oportunistas querem passar a ideia de que o país vai mudar através do golpe e que a democracia dispensa eleição.

golpe_Militar

O que está acontecendo é que muita gente importante está sendo presa pela polícia federal, muitos banqueiros, magnatas e donos de redes de TVs estão ficando expostos.

Eu fico me perguntando o que eles pretendem fazer para evitar que as pessoas tenham acesso a internet, eu fico me perguntando o que eles pretendem fazer para proibir que as pessoas falem o que pensam.

O momento em que eles escolhem para o golpe é compreensível, eles poderiam ter feito isso antes, mas não havia crise para fazer isso.

Eu nunca defenderei os governo do PT, nem acho que eles sejam inocentes, mas me enoja ver militares usando a política para legitimar um golpe.

A mídia tentou fazer isso nas vésperas das eleições e falhou, a elite é maioria contra a esquerda, foram racistas, preconceituosos e covardes e, mesmo assim, falharam.

Se a Dilma suportar mais seis meses, a democracia sobrevive com ela, caso contrário, voltaremos a ditadura obscura da Rede Globo. As Redes de TVs estão passando pela sua pior crise da história, isso porque o governo fez o que eles sempre criticaram, cortou os custos dos patrocínios.

“O ufanismo é o último refúgio dos canalhas”.

By Jânio

Assista o discurso da extrema direita

A história da Rede Globo

A privataria tucana

A TV está podre

dezembro 26, 2015 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

A batalha dos Dez Mandamentos

Novela que venceu a Globo

Dez Mandamentos

Terça-feira, 10 de novembro, 2.015, o dia em que a novela das oito voltou a ser a maior audiência do Brasil. Até aqui parece uma notícia normal, acontece
que estamos falando de “Os Dez Mandamentos”, novela da Rede Record, e foi uma vitória inédita, onze pontos acima da poderosa Rede Globo e vinte pontos acima do remake do SBT, Cúmplices de Um Resgate.

Depois de uma semana à frente do Jornal Nacional, a novela da Rede Record conseguiu bater um recorde e bater a Globo por mais de dez pontos, números que
ninguém imaginava que aconteceria. O que eu achei muito interessante na terça feira, dia onze, foi a quantidade de celebridades da Globo durante os
intervalos da novela concorrente, desde Suzana Vieira até Fátima Bernardes, o que deixa bem claro o lucro que essa produção deve estar dando.

Vale lembrar que “Os Dez Mandamentos” foi uma aposta ambiciosa da “emissora dos bispos”, a história já fora consagrada no cinema de Hollywood mais de uma vez, e é uma marca internacional, o que criou fofocas em torno de possíveis conflitos em direitos internacionais. O investimento não ficou devendo nada às produções de Hollywood, mais de cem milhões, além de possíveis gastos adicionais que não foram computados no início da produção. Levando-se em conta que a emissora ainda estava brigando com o SBT, no início da novela, eu poderia calcular que o investimento poderia ter dobrado na medida em que a audiência aumentava. No início estava em dez ponto, o que cria especulação para uma possível reprise, já que a maioria dos telespectadores não assistiu o início, mas, devido ao potencial indiscutível da produção, a novela poderia, no futuro, ser reprisada no mesmo horário em que está sendo exibida, assim como faz Sílvio Santos com suas novelas. Entretanto, levando se em conta que a
disputa agora é com a Globo, a reprise ainda é uma estratégia descartada para os próximos anos.

A ideia de escolher as mini séries bíblicas para ocupar a faixa reservada para produções bíblicas foi perfeita, essa estratégia pode não segurar toda a
audiência da novela, mas vai manter boa parte dela, já que muitos telespectadores estão chegando agora e não conhecem esses trabalhos, e eu falo dos 31% de telespectadores que assistiram a vitória inédita contra a concorrência.

Muita gente achou que a fase ruim da Globo era passageira, mas essa já é a terceira novela seguida no horário nobre que tem problemas com a concorrência forte que vem de fora. É importante ressaltar que o horário nobre é o coração
da audiência na TV, mas não é fácil consolidar a audiência, eu diria até que a concorrência ao IBOPE, por parte da GFK, e a ideia inteligente da Endemol de
não permitir o monopólio no país, ajudou. A Endemol chegou a criar uma nova empresa só para expandir sua clientela. Mesmo com tanto dinheiro, a Globo não poderia competir com sua parceria que é dona da franquia Big Brother; a única chance de a Globo conseguir vencer a Endemol, seria a volta da ditadura.

A Record conseguiu fazer o dever de casa e já tem uma novela de época pronta, e com tecnologia avançada, o que quer dizer que as mini séries são apenas estratégias e que a rede dos bispos ainda tem um plano B. Como o tempo para preparar os primeiros capítulos da continuação de “Os Dez Mandamentos” é curto, não tem como dar errado.

O sucesso da novela bíblica não era esperado pelos bispos que não tiveram tanta fé na Bíblia, tanto que decidiram pela faixa de produções bíblicas já no
meio da novela, quando o sucesso passou a chamar a atenção e audiência já estava consolidada. A novela “Escrava mãe” estava sendo preparada para
concorrer com o SBT e não com a Globo. Mas tudo deu certo, já que a próxima novela será continuação da primeira, sem nenhum problema para a produção.

Os boatos sobre a mini série da vida dos Mamonas Assassinas é uma péssima ideia e poderia levar a Record de volta ao início, quando brigava com o SBT, já que todas as músicas dos Mamonas Assassinas foram roubadas e isso vai contra um dos “Dez Mandamentos” – Não Roubar.

Os Mamonas Assassinas pagaram caro pelos roubos das músicas, e a Record vai ter de pensar muito sobre isso. A cópia de Lost é outra ideia idiota, seria
melhor chamar o autor da novela Mutantes de volta e ver se ele ainda é um bom negócio, através de mini séries de heróis, foi assim que os Dez Mandamentos
começou, mini séries.

By Jânio

O fim do império da Rede Globo

Rede Globo – 50 anos

A história suja da Rede Globo

Caso raro na ditadura da Globo

Jornalismo sob encomenda

Vendedoras de sonhos e pesadelos

novembro 12, 2015 Posted by | televisão | , , , , , | Deixe um comentário

A queda do império da Rede Globo

monopólio da informação

Mídias de Massa

Primeiro foi a novela “Império”, depois foi a novela “Babilônia” e, finalmente, a Globo descobriu que não pode mais ditar “A Regra do Jogo”. Se a aristocracia brasileira estava acostumada com os ares europeus, descobriu que o país mais roubado do mundo continua o mesmo. O curioso é que Sílvio de Abreu costumava dizer que novela não apresenta conteúdo sério e inteligente, novela é apenas entretenimento –

“Se você procura algo sério, leia um livro” – dizia Abreu. Só se esqueceram de falar para ele que polêmica é para pessoas inteligentes e, não, não é popular, aliás nunca foi popular em países subdesenvolvidos. Polêmica no horário nobre constitui alto risco.

Isso quer dizer que discutir sexualidade, só depois das onze. E não basta esticar a novela das oito para as onze, isso não funciona. A novela das oito virou novela das nove e as pessoas aceitaram, aumentou a violência, as polêmicas, e ninguém notou que estava passando dos limites, quando descobriram já era tarde. Pelo menos Sílvio de Abreu parece ter conseguido o que queria, trazer a novela das sete para o horário nobre.

É verdade que em meio a esse processo, muita coisa aconteceu: A TV paga descobriu que tudo o que é popular deve começar de graça até alcançar o preço mercado; a mídia mais revolucionária desde a descoberta da escrita, a internet, acertou justamente no coração desse nosso sistema caótico, o entretenimento gratuito da TV e, como todos nós sabemos, tudo o que é gratuito tem um preço alto demais, até na internet eles procuram alguma forma de controlar, elitizar, cobrar e até roubar, mas é justamente na internet onde o sistema trava sua principal batalha.

Vamos relembrar o caso do Youtube, um sistema que se tornou popular com a desculpa de que era só para compartilhar conteúdo privado. A empresa foi comprada pela Google justamente quando iniciava a sua ascensão. Assim como as outras aquisições da Google, parecia que tudo ia dar certo, ou seja, a internet seria totalmente dominada pela Google, mas não foi isso o que aconteceu.

A Google foi processada várias vezes, mas manteve sua independência, deixando claro que a justiça depende do dinheiro que você tem no bolso, a mesma coisa que acontece com a Globo no Brasil, observadas as devidas proporções.

A maior vítima da Google, a princípio, foi a MTV, principalmente em países pobres como o Brasil. Depois de descobrir a força do dinheiro por aqui, a Google liberou espaço maior, suficiente para filmes high definition, agora eram os estúdios de Hollywood que passavam a pressionar o governo, inclusive invadindo a privacidade da burguesia, o que provocou uma reação no mundo inteiro.

É claro que isso afetou diretamente a Globo, já que a Globo achava que poderia comprar os direitos autorais e, em seguida, processar todo mundo. O Grupo Silvio Santos seguiu o mesmo caminho, com quatro bilhões e meio, fez uma parceria misteriosa com a telefônica e passou a aterrorizar a burguesia paulista que reagiu imediatamente, a população paulista promoveu um dos maiores boicotes telefônicos da história.

Durante os vinte e cinco anos do governo militar, a Globo monopolizou o mercado publicitário e reuniu as maiores celebridades do país em seu cast. A chegada dos partidos socialistas ao poder causou uma grande mudança, mas o governo ainda é um dos grandes promotores do governo, principalmente porque a Globo, assim como a maioria das grandes empresas brasileiras, não paga impostos. O poder é tão grande que a mulher que deveria ser responsável pelo processo de sonegação da Globo, queimou os papeis e assumiu o crime bilionário da queima dos papeis, sem que ninguém pudesse fazer nada contra
ela.

A TV aberta já não tem mais onde se apoiar, seu conteúdo está disponível na internet, principalmente para quem não tem tempo de assistir durante a semana. A TV paga poderia seguir o mesmo caminho, mas a internet só se interessa por conteúdos populares ou polêmicos, como o conteúdo da TV aberta, ou seja, a TV aberta vai provar do próprio remédio, ou veneno, quem viver verá.

A TV paga não concentra tanta audiência, portanto, não possui potencial para tanta polêmica, como é o caso da TV aberta, e a maior vítima ( ou culpada, dependendo do ponto de vista) é a Globo que sentiu um golpe da concorrência que não sentia há muito tempo. Pela primeira vez a Globo perdeu no horário nobre e teve de fugir da concorrência, a autora da façanha foi a novela bíblica “Os Dez Mandamentos”, novela que já começa a alavancar a programação restante da Rede Record.

A crise que parecia incomodar todas as emissoras, enganou pouca gente. Os três filhos da jararaca Roberto Marinho estão entre os mais ricos do mundo, o pastor Edir Macedo que diziam os fofoqueiros, gastara tudo na construção de uma obra faraônica, nem chorou para investir mais de 100 milhões em uma novela bíblica que entra para a história da televisão brasileira, além de tirar a rainha dos baixinhos da concorrente.

A Globo tem muita sorte de a Rede Record não colocar duas novelas bíblicas seguidas no novo horário das oito, já que a novela das oito mudou de Rede há muito tempo.

Mas nem tudo são flores na Record: Cada vez que o Sílvio Santos sente que vai perder o jogo, ele começa com seus projetos mirabolantes para enrolar a concorrência, como criar uma empresa conjunta para enfrentar a TV paga que seria a maior ameaça ao público idiota que gosta de TV aberta.

O conteúdo de entretenimento passou a ser globalizado, enquanto as agências de notícias manipulam as verdades mundiais: A Endemol é dona dos programas mais populares da TV mundial e, também, brasileira.

E parece que a Endemol não tem interesse em monopólio onde, teoricamente, a Globo seria absoluta, a Endemol distribui o conteúdo como na lista abaixo:
…apesar da Endemol ser controlada pela Mediaset, do grupo de Sílvio Berluscone.

Lista dos programas da Endemol:

01 – Big Brother – Globo

02 – Jogo Duro – Globo

03 – Hipertensão

04 – The Voice – Globo

05 – Fama – Globo

06 – Dança dos Famosos – Globo

07 – Circo do Faustão- Globo

08 – Maratona do Faustão – Globo

09 – Master Chef – Band

10 – Na Pressão – Band

11 – É o Amor – Band

12 – Busão do Brasil – Band

13 – Rola ou Enrola – SBT

14 – Um Milhão Na Mesa – SBT

15 – Um Contra Cem – SBT

16 – Passa ou Repassa – SBT

17 – Esse Artista Sou Eu – SBT

18 – Receita Pop – RedeTV

19 – Saturday Night live – RedeTV

20 – O Último Passageiro – RedeTV

21 – Extreme Makeover Social – Record

22 – Se Vira na Cozinha – Record

23 – Amazônia – Record

24 – Além do Peso – Record

25 – The Cake Show – Record

Vale observar que a Cuatro cabezas tem se revelado uma produtora menor, mais barato, mas extremamente rentável, apesar de produzir exclusivamente para a Band no Brasil.

O golpe final deve ser da GFK. Muito inteligente da parte dela atrasar, dando tempo para o IBOPE regularizar sua situação, revelando o caos na Globo, uma situação que enganou muita gente durante décadas, inclusive empresários, políticos, etc.

Só para terminar, as duas redes mais fortes e com maior fonte de renda, Globo e Record, também produzem o principal conteúdo do mercado nacional, as novelas, chave para o sucesso de uma TV no Brasil, as outras estão inseguras entre comprar pronto ou produzir. A Bandeirantes achou uma nova opção, trocar.

By Jânio

Você também pode gostar de:

Rede Globo – 50 anos

A história suja da Rede Globo

Caso raro na ditadura da Globo

Jornalismo sob encomenda

Vendedoras de sonhos e pesadelos

setembro 19, 2015 Posted by | televisão | , , , , , | 1 Comentário

Rede globo – 50 anos

 

Globo - 50 anos

Globo – 50 anos

50 anos da TV Globo: Vamos descomemorar!

A TV Globo festejará os seus 50 anos de existência no dia 26 de abril. Serão promovidos megaeventos e lançados vários produtos comemorativos. No mesmo período, porém, muita gente está disposta a promover a “descomemoração” do aniversário do império global, um ato de repúdio ao papel nocivo desse grupo de mídia na história do país. Uma palavra-de-ordem que se destaca em todo o Brasil em manifestações recentes é: “O povo não é bobo. Fora Rede Globo”. E motivos não faltam para esta revolta.

A emissora é filha bastarda do golpe militar de 1964. O então diretor do jornal O Globo Roberto Marinho foi um dos principais incentivadores da deposição do presidente João Goulart, dando sustentação ideológica à ação das Forças Armadas. Um ano depois, foi fundada a sua emissora de televisão, que ganhou as graças dos ditadores. O império foi construído com incentivos públicos, isenções fiscais e outras mutretas. Os concorrentes no setor foram alijados, apesar do falso discurso global sobre o livre mercado.

Nascida da costela da ditadura, a TV Globo tem um DNA golpista. Apoiou abertamente as prisões, torturas e assassinatos de inúmeros lutadores patriotas e democratas que combateram o regime autoritário. Fez de tudo para salvar o regime dos ditadores, inclusive omitindo a jornada das Diretas Já na década de 1980. Com a democratização do país, ela atuou para eleger seus candidatos – os falsos “caçadores de marajás” e os convertidos “príncipes neoliberais”. Na fase recente, a TV Globo militou contra toda e qualquer avanço mais progressista, atuando na desestabilização dos governos que não rezam integralmente a sua cartilha. Nas marchas de março desse ano, ela ajudou a mobilizar o anseio golpista e garantiu a ele todos seus holofotes.

A revolta contra a Globo que ganha corpo está ligada também à postura sempre autoritária diante dos movimentos sociais brasileiros. As lutas dos trabalhadores ou não são notícia na telinha ou são duramente criminalizadas. A emissora nunca escondeu o seu ódio ao sindicalismo, às lutas da juventude, aos movimentos dos sem-terra e dos sem-teto. Através da sua programação, não é nada raro ver a naturalização e o reforço ao ódio e ao preconceito. Esse clima de controle e censura oprime jornalistas, radialistas e demais trabalhadores da empresa, que são subjugados por uma linha editorial que impede, na prática, o exercício do bom jornalismo, servidor do interesse público, em vez da submissão à ânsia de poder de grupos privados.

Além da sua linha editorial golpista e autoritária, a Rede Globo – que adora criminalizar a política e posar de paladina da ética – está envolvida em inúmeros casos suspeitos. Até hoje, ela não mostrou o Darf (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) do pagamento dos seus impostos, o que só reforça a suspeita da bilionária sonegação da empresa na compra dos direitos de transmissão da Copa do Mundo de 2002. A falta de transparência do império em inúmeros negócios é total. Ela prega o chamado “Estado mínimo”, mas vive mamando nos cofres públicos, seja através dos recursos milionários da publicidade oficial ou de outros expedientes mais sinistros.

Essas e outras razões explicam o forte desejo de manifestar o repúdio à TV Globo em seu aniversário de 50 anos. Assim, vamos realizar em torno do dia 26 de abril uma série de manifestações, em todo o país, para denunciar a emissora como golpista ontem e hoje; exigir a comprovação do pagamento de seus impostos; e reforçar a luta por uma mídia democrática no Brasil.

Sem enfrentar o poder e colocar limites à maior emissora do Brasil – e uma das cinco maiores do mundo – não será possível garantir a regulamentação dos artigos da Constituição que proíbem o monopólio para levar a cabo a democratização do país. Por isso, vamos às ruas contra a Globo e convidamos todos os brasileiros comprometidos com a democracia, a liberdade de expressão, a cultura nacional, o jornalismo livre e a soberania popular a participar das manifestações em todo o país.

A história suja da Rede Globo

Caso raro na ditadura da Globo

Jornalismo sob encomenda

Vendedoras de sonhos e pesadelos

abril 18, 2015 Posted by | Utilidade Pública | , , , , | 3 Comentários

A história da Rede Globo

Chegou a Hora

CPI da Globo

As críticas à Rede Globo referem-se ao extenso histórico de controvérsias nas relações desta rede de televisão brasileira com a sociedade do país. A emissora possui uma capacidade sem paralelo de influenciar a cultura e a opinião pública.
A principal polêmica histórica da estação televisiva e das Organizações Globo está ligada ao apoio dado à ditadura militar e a censura dos movimentos pró-democracia nos noticiários do canal. O regime, segundo os opostos à emissora, teria rendido benefícios ao grupo midiático da família Marinho, em especial para o canal de televisão que, em 1984, fez uma cobertura omissa das Diretas Já.  A própria Globo reconheceu em editorial lido no Jornal Nacional, 49 anos depois e pressionada pelas manifestações de junho de 2013, que o apoio ao golpe militar de 1964 e ao regime subsequente foi um “erro”.
No final da década de 1980, a emissora novamente foi alvo de críticas devido à edição que promoveu do último debate entre os candidatos a presidente na eleição de 1989, o que teria favorecido Fernando Collor de Mello. No final da década de 1990, as Organizações Globo enfrentaram diversos problemas financeiros que teriam sido aliviados pelo Estado, apesar de se tratar de uma empresa privada. Durante o período, a emissora utilizou-se de sua influência entre os políticos para conseguir mudar um artigo da Constituição Federal, no qual permitia a entrada de 30% de capital estrangeiro nas empresas de mídia.
Em 2002, o governo federal ofereceu ajuda de 280 milhões de reais à Globocabo através de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).  A emissora voltou novamente a ser alvo de críticas pela cobertura supostamente tendenciosa das eleições de 2006 e 2010. Mais recentemente, foi revelado que as Organizações Globo possuem irregularidades junto à Receita Federal. Entre 2010 e 2012, o conglomerado foi notificado 776 vezes por sonegação fiscal.
“Participamos da Revolução de 1964, identificados com os anseios nacionais de preservação das instituições democráticas, ameaçadas pela radicalização ideológica, greves, desordem social e corrupção generalizada. Quando a nossa redação foi invadida por tropas anti-revolucionárias, mantivemo-nos firmes em nossa posição. Prosseguimos apoiando o movimento vitorioso desde os primeiros momentos de correção de rumos até o atual processo de abertura, que se deverá consolidar com a posse do novo presidente.”
— Roberto Marinho, no jornal O Globo, edição n° 1.596, 7 de outubro de 1984.
A Rede Globo foi fundada em 1965, um ano após o golpe de estado de 1964 e se consolidou como maior rede de televisão do país durante a década de 1970. Neste período, o regime militar implementou uma política de modernização das telecomunicações. Em 1965, criou a Embratel, ao passo em que o Brasil se associou à Intelsat.12 Em 1968, foi criado o Ministério das Comunicações e, no mesmo ano, surgiram as primeiras emissoras de rádio FM e foi criada a AERP (Assessoria Especial de Relações Públicas), que reforçava a necessidade de propagar ideais ufanistas e nacionalistas. Em 1969, o país se integra ao sistema mundial de comunicação por satélite. A intenção do regime era se opôr à hegemonia cultural caracteristicamente de esquerda da época. Uma de suas armas para isso teria sido a televisão, tendo o regime feito vistas grossas à parceria, vetada por lei, entre Roberto Marinho e a multinacional Time-Life, o que contribuiu para o salto tecnológico da Rede Globo.12
Segundo as Organizações Globo, O Globo apoiou o golpe militar de 1964 fazendo parte de um “posicionamento amplamente majoritário” contra o governo do presidente João Goulart.13 Afirma também que Roberto Marinho acreditava na vocação democrática do presidente Castello Branco e na eficácia da política econômica desenvolvida por Roberto Campos e Octavio Gouvêa de Bulhões. No entanto, o grupo nega que o crescimento da Rede Globo se deu graças à estreita ligação de Roberto Marinho com o regime implantado em março de 1964, citando como exemplos disso a dificuldade em obter concessões para canais de televisão em João Pessoa e Curitiba em 1978, alguns casos de censura a sua programação, além do fato de que alguns de seus profissionais eram membros do Partido Comunista Brasileiro.13 No entanto, como apontou Renato Ortiz, a censura não era generalizada, uma vez que “sua principal função era impedir a emergência de determinadas ideias, notícias, publicações que estivessem contrárias à lógica ditatorial de difundir ideais de progresso, harmonia e desenvolvimento”.
Em sua autobiografia, no entanto, Walter Clark, diretor-geral da Rede Globo, confessou ter cancelado os programas de Carlos Heitor Cony e Roberto Campos para satisfazer o coronel Gustavo Borges, chefe de polícia no estado do Rio de Janeiro. Além disso, Clark afirmou ter contratado um ex-diretor da censura para “ler tudo que ia para o ar” e uma “assessoria especial” formada pelo general Paiva Chaves, pelo civil linha-dura Edgardo Manoel Erickson (“pelego dos milicos”, conforme disse) e mais “uns cinco ou seis funcionários”. Além disso, relatou receber o presidente Emílio Garrastazu Médici em seu gabinete na Globo, onde assistiam aos jogos de futebol exibidos pela emissora aos domingos. Segundo ele, o denominado “padrão Globo de qualidade” acabou “passando por vitrine de um regime com o qual os profissionais da TV Globo jamais concordaram”.
Em entrevista ao documentário britânico Beyond Citizen Kane, o ex-ministro da Justiça (1974-1979) Armando Falcão afirmou que “o doutor Roberto Marinho nunca me criou qualquer tipo de dificuldade. Eu, ministro-censor, ele diretor do Globo, da televisão Globo, da Rede Globo, da Rádio Globo, da Rádio Mundial, da Rádio Eldorado, ele nunca me criou dificuldade”.  O próprio Médici chegou a afirmar, sobre o Jornal Nacional, em entrevista: “Sinto-me feliz todas as noites quando ligo a televisão para assistir ao jornal. Enquanto as notícias dão conta de greves, agitações, atentados e conflitos em várias partes do mundo, o Brasil marcha em paz, rumo ao desenvolvimento. É como se eu tomasse um tranqüilizante após um dia de trabalho”. Em 2012, um ex-delegado do Dops relatou a proximidade entre o regime e a Globo.
Em 2013, as Organizações Globo reconheceram e desculparam-se publicamente, através de um editorial publicado no jornal O Globo e que também foi lido por William Bonner durante o Jornal Nacional, por terem apoiado a ditadura militar instaurada no país depois do golpe militar de 1964. No texto do editorial, o jornal afirma: “À luz da História, contudo, não há por que não reconhecer, hoje, explicitamente, que o apoio [ao golpe de 1964] foi um erro, assim como equivocadas foram outras decisões editoriais do período que decorreram desse desacerto original. A democracia é um valor absoluto. E, quando em risco, ela só pode ser salva por si mesma.”

Diretas Já

Comício das Diretas Já em 16 de abril de 1984 em São Paulo.
No dia 25 de janeiro de 1984, foi ao ar, pela primeira vez em rede, aquele que é considerado o primeiro grande comício das Diretas Já, realizado na praça da Sé, em São Paulo. Naquele dia, o telejornal exibiu reportagem de dois minutos e dezessete segundos sobre o tema. No entanto, ocorreu um equívoco durante a escalada do Jornal Nacional; 25 de janeiro é também o dia do aniversário da cidade de São Paulo, e por conta de um suposto erro técnico, o apresentador do telejornal acabou anunciando o comício como parte das comemorações dos 430 anos da cidade. A emissora recebeu críticas que diziam que não havia sido uma falha técnica, mas sim uma manipulação de dados.
José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ex-vice-presidente das Organizações Globo afirmou, em entrevista a Roberto D’Ávila em 2005, que foi Roberto Marinho quem determinou a censura do primeiro grande comício das Diretas Já.  Segundo Boni, “o doutor Roberto não queria que se falasse em Diretas Já” e decidiu que o evento da praça da Sé fosse transmitido “sem nenhuma participação de nenhum dos discursantes”.  O que teria ocorrido no episódio, ainda de acordo com ele, foi uma “censura dupla” (por parte do regime e da emissora). A versão oficial da Globo, relatada no livro Jornal Nacional – A Notícia Faz História, porém, é de que a emissora não omitiu que o comício fizesse parte das Diretas e que é falsa a versão de que emissora noticiou o evento como parte das comemorações pelo aniversário da cidade de São Paulo.

 Caso Proconsult
Em 1982, a Globo teria tido participação no chamado caso Proconsult, uma tentativa de fraudar as eleições para o governo do Rio de Janeiro, impossibilitando a vitória de Leonel Brizola, candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT). A empresa Proconsult, contratada pela Justiça Eleitoral para apurar os votos do pleito, desenvolveu um sistema informatizado de apuração dos votos que, no entanto, não batia com a apuração paralela divulgada pelo Jornal do Brasil e comandada pelo jornalista Paulo Henrique Amorim. A Globo, que havia publicado editorial favorável ao candidato Moreira Franco na véspera da votação, se ateve à apuração oficial divulgada pelo Proconslt.
Segundo o jornalista Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa, a fraude só não se concretizou devido à participação do delegado da Polícia Civil Manoel Vidal, escalado para fiscalizar a apuração. Vidal percebeu que havia algo de errado na apuração tendo, em seguida, contatado o também delegado Arnaldo Campana, ligado a Brizola.  O candidato do PDT, censurado nos veículos das Organizações Globo, concedeu uma entrevista aos correspondentes estrangeiros explicando a situação que ocorria. A fraude foi exposta e os jornalistas do conglomerado foram hostilizados nas ruas do Rio de Janeiro. Por outro lado, a emissora respondeu que “nunca contratou a Proconsult” e “se baseava nos números de O Globo, responsável por uma totalização própria, realizada a partir dos mapas oficiais apurados pelo TRE”.

Caso NEC

Durante o regime militar, a NEC Brasil foi obrigada a nacionalizar seu capital. Por isso, cedeu o controle acionário da empresa ao grupo Brasilinvest de Mário Garnero. À época da redemocratização, a NEC Brasil havia se tornado a maior fornecedora de equipamentos de telecomunicação para o governo brasileiro. Em 1986, o então ministro das Comunicações Antônio Carlos Magalhães criou dificuldades econômicas para a NEC Brasil ao suspender os contratos do governo com a empresa, cujo principal cliente era o governo federal. Com o grupo em crise, a NEC do Japão recomprou as ações da NEC Brasil e as vendeu para as Organizações Globo por um milhão de dólares. Logo em seguida, ACM restabeleceu os contratos e a empresa passou a valer 350 milhões de dólares.
Em dezembro de 1986, depois de ACM ter ajudado as Organizações Globo a comprar as ações da NEC Brasil, a Globo concedeu a ACM o direito de tornar sua emissora de televisão na Bahia uma afiliada da Globo, o que ocorreu em janeiro de 1987, um mês após o acordo NEC-Globo. O acordo NEC-Globo foi noticiado na época pela imprensa brasileira (até na própria Globo e na TV Bahia) inicialmente como legal. Porém o acordo ficou sob suspeita quando a TV Bahia deixou inesperadamente de retransmitir o sinal da Rede Manchete para retransmitir o da Globo em janeiro de 1987. A situação gerou um processo dos proprietários da TV Aratu, retransmissora da Globo na Bahia por 18 anos, contra os donos da TV Bahia, mas a contenda judicial terminou três dias depois, quando ficou acordado que a TV Bahia retransmitiria a Globo e, a TV Aratu, a Manchete. A quebra de contrato unilateral por Roberto Marinho ocasionou uma queda de 80% na arrecadação da TV Aratu.
As suspeitas contra o acordo NEC-Globo só vieram a tona nacionalmente com as primeiras denúncias de corrupção do Governo Collor em 1992. Com o fim das empresas do Grupo Telebrás, as Organizações Globo venderam suas ações na NEC Brasil, que teve seu apogeu durante o monopólio estatal das telecomunicações. As operadoras europeias e norte-americanas que compraram as empresas telefônicas estatais optaram por manter seus parceiros ocidentais na área de tecnologia, e a NEC teve sua presença no mercado reduzida. Atualmente, o capital da NEC Brasil pertence 100% à NEC do Japão.

Eleições de 1989 e Impeachment

Fernando Collor de Mello teria sido favorecido pela Rede Globo em detrimento de Luiz Inácio Lula da Silva.

A emissora é acusada de ter ajudado a eleger o candidato a presidente Fernando Collor de Mello (dono da TV Gazeta de Alagoas, retransmissora da Globo) nas eleições de 1989, através da manipulação de trechos do último debate entre Collor e o candidato petista Luiz Inácio Lula da Silva. Na época do debate, já no segundo turno, as pesquisas apontavam um empate técnico entre os dois candidatos; logo, o confronto na televisão seria decisivo para definir a disputa. Lula se saiu mal no debate, fato reconhecido pelo seu próprio partido.
A Rede Globo, que procurou a isenção na cobertura do processo eleitoral, parece ter assumido um lado na reta final da disputa. Foram exibidas duas reportagens sobre o debate no dia de dezembro de 1989, antevéspera do segundo turno das eleições. Uma delas foi ao ar no Jornal Hoje e, a outra, no Jornal Nacional, sendo essa a mais polêmica. A primeira reportagem mostrou as melhores intervenções de cada candidato e a segunda teria favorecido Collor, pois teria mostrado os melhores momentos dele e os piores de Lula. O PT moveu uma ação no Supremo Tribunal Federal contra a Globo. O partido queria que novos trechos do debate fossem exibidos, a título de direito de resposta, mas o pedido foi negado.
A Globo sempre negou que agiu de má-fé no episódio, mas admite que a edição não foi equilibrada. Segundo Boni, a Central Globo de Jornalismo fez uma edição favorável a Collor, não seguindo a orientação da direção da empresa para que o tratamento fosse imparcial. Já Roberto Marinho, diante da declaração de Boni, afirmou que o então vice-presidente das Organizações Globo não entendia de eleições e que o Jornal Nacional tinha sintetizado de maneira correta o debate, visto que Collor havia se saído melhor. Em 2009, Collor admitiu que foi favorecido pela Globo na disputa.
Grande parte da mídia apoiou abertamente a campanha de Collor à presidência. No entanto, de acordo com o historiador Gilberto Maringoni, doutor em História pela USP, por incapacidade de manter maioria no Congresso e por entrar em confronto com uma parte expressiva do empresariado nacional, Collor acabou por influenciar por si só a mudança de postura da imprensa. A crise econômica com a volta da inflação, uma das consequências do confisco da poupança, e a intensa cobertura investigativa da imprensa ajudaram a impulsionar as manifestações sociais que culminaram no impeachment.

Direito de resposta de Leonel Brizola

Leonel Brizola recebeu direito de resposta a ser veiculado pelo Jornal Nacional após dois anos de disputa judicial.
Em 15 de março de 1994, a Rede Globo colocou no ar, durante o Jornal Nacional, o direito de resposta obtido pelo então governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, após dois anos de disputa judicial.32 Brizola havia entrado na Justiça contra a Globo em 1992, depois que o jornalístico de 6 de fevereiro daquele ano divulgou trechos do editorial que seria publicado no dia seguinte pelo jornal O Globo, intitulado “Para entender a fúria de Brizola”. O governador do Rio, que queria impedir a emissora de transmitir o desfile das escolas de samba daquele ano, era acusado pelo editorial do jornal carioca de sofrer “declínio da saúde mental” e de “deprimente inaptidão administrativa”.
Na resposta que foi ao ar, lida pelo locutor Cid Moreira, Brizola dizia não reconhecer na Globo “autoridade em matéria de liberdade de imprensa” e que a emissora teve “longa e cordial convivência com os regimes autoritários e com a ditadura de 20 anos que dominou nosso país”. Brizola dizia ter sido “apontado como alguém de mente senil”. Na sequência, argumentava: “Ora, tenho 70 anos, 16 a menos que meu difamador, Roberto Marinho, que tem 86 anos. Se é este o conceito que tem sobre os homens de cabelos brancos, que os use para si”. O portal Observatório da Imprensa avaliou que “a contribuição de Brizola ao país, no campo da política e do avanço social, nunca foi grande coisa […] mas esse célebre episódio foi uma espécie de divisor de águas no capítulo da liberdade de imprensa. Soou como uma senha para a multiplicação de ações e para a escalada de condenações de jornais e jornalistas que se seguiu”.

Eleições de 2006

De acordo com a revista CartaCapital, o Jornal Nacional não informou sobre a tragédia do Voo Gol 1907, mas focou toda a sua edição no “Escândalo do Dossiê”.

Houve várias críticas à forma como a Globo fez a cobertura das eleições gerais de 2006. A emissora teria atuado para prejudicar a campanha do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva à reeleição, dando atenção exagerada a fatos negativos envolvendo o PT. Luiz Carlos Azenha, o repórter destacado para cobrir a campanha presidencial do candidato tucano Geraldo Alckmin, confirma que houve a intenção de prejudicar o PT na cobertura. Segundo ele, “tinha sido determinado desde o Rio que as reportagens de economia deveriam ser esquecidas porque supostamente poderiam beneficiar a reeleição de Lula”. Além disso, Azenha afirma que uma reportagem de sua autoria potencialmente danosa para o então candidato a governador de São Paulo, José Serra, foi censurada pela Globo. As críticas à forma como estava cobrindo as eleições levaram a emissora a fazer, internamente, um frustrado abaixo-assinado em apoio a sua linha editorial.

O evento mais comentado pelos críticos foi quando, na véspera da votação do primeiro turno, a Rede Globo deu enorme destaque à imagem do dinheiro que havia sido apreendido no contexto do Escândalo do Dossiê.

Hoje é sabido que o delegado da PF que havia comandado a operação convidou quatro jornalistas para uma conversa reservada e repassou os CDs com as fotos. A conversa foi inteiramente gravada e nela se pode ouvir os apelos do delegado para que as imagens fossem parar na edição do Jornal Nacional do mesmo dia, 29 de setembro. No caso da Rede Globo, ressalta-se que, na mesma noite em que exibiu as fotos, o telejornal se absteve de informar sobre a tragédia do Voo Gol 1907, em que morreram 154 pessoas. Assim, ao mesmo tempo em que a notícia já repercutia no mundo inteiro, a edição ao vivo do jornal se dedicava somente a dar destaque à divulgação do escândalo político. Por outro lado, segundo publicado pela emissora no Memória Globo, era “impossível dar a notícia durante a exibição do jornal, já que não haviam informações concretas sobre o acidente”:
“ Os rumores de que um avião da Gol não pousara no horário certo em Brasília chegaram à redação do Jornal Nacional por volta de 20h10, quando o telejornal já estava no ar. A partir desses rumores, iniciou-se uma corrida frenética para verificar o que houve com o avião, com exatidão, para que não se criasse pânico na população. A primeira confirmação era de que, de fato, um avião da Gol estava desaparecido desde as 18h10, mas a Infraero não confirmava a rota nem o número do voo. Sem essas informações, era impossível divulgar uma informação sobre o avião desaparecido, sem provocar grande angústia em todos aqueles que tinham parentes ou amigos voando Gol. Não eram poucos: no dia 29 de setembro de 2006, 54 aviões da Gol levantaram voo. Cada um deles podia levar até 144 passageiros; a ocupação média era de 80% dos assentos. A Gol calcula que transportou naquele dia 6.200 pessoas. Não divulgar o número do voo ou a rota seria colocar sob suspeição todos os 54 voos, um procedimento que um telejornal líder de audiência, visto por milhões, não pode fazer. Enquanto esteve no ar, até as 20h45, o Jornal Nacional, e nenhum outro telejornal de outra emissora, conseguiu esses dados. ”
Algumas semanas após o fim das eleições, Rodrigo Vianna, repórter que estava se desligando da emissora, divulgou uma carta aberta onde critica várias das posturas da emissora durante o período eleitoral, dando sua visão de como os processos se davam internamente. Na carta, Vianna diz, assim como Azenha, que a direção da emissora barrou reportagens e investigações que envolvessem o PSDB e o então candidato ao governo de São Paulo, José Serra. Segundo ele, alguns jornalistas questionaram as opções editoriais da Globo, mas não receberam respostas convincentes de seus superiores. Logo após as eleições, Vianna foi afastado da cobertura política e destacado para atuar nos jornais locais. O comentarista político Franklin Martins, que mais tarde se tornaria Secretário de Comunicação Social de Lula, também foi afastado. Segundo Vianna, “Do Bom dia Brasil ao Jornal da Globo, temos um desfile de gente que está do mesmo lado”.

Jingle de aniversário
Em 18 de abril de 2010, a emissora lançou, no Fantástico, uma campanha em comemoração aos seus 45 anos de rede, que aconteceria em 26 de abril daquele ano. O logotipo da emissora aparecia ao lado do número quarenta e cinco e de frases de atores da emissora, falando frases do jingle como “todos queremos mais”. Em determinado trecho da peça, os atores falam: “Todos queremos mais. Educação, saúde e, claro, amor e paz. Brasil? Muito mais”. Segundo o deputado federal do Paraná e secretário de Comunicação do PT, André Vargas, o jingle embutiria, de forma disfarçada, propaganda favorável à José Serra, candidato a presidente pelo PSDB, concorrente do PT. Na mensagem estavam embutidas o “45”, o número de registro do PSDB no Tribunal Superior Eleitoral, e frases do jingle como “todos queremos mais”, o que, de acordo com os petistas, seria uma referência ao slogan de Serra, “o Brasil pode mais”.
Logo no primeiro dia de veiculação da campanha institucional dos 45 anos, a TV Globo tirou do ar a campanha. A emissora afirma que o filme foi criado em novembro de 2009, quando “não existiam nem candidaturas muito menos slogans, mas a Rede Globo não pretende dar pretexto para ser acusada de ser tendenciosa e está suspendendo a veiculação do filme.” O colunista Luís Nassif, no entanto, contestou a justificativa da emissora, afirmando que a campanha teria sido gravada em 14 de abril, três dias depois que Serra lançou sua pré-candidatura, apontando para isso notícias do próprio portal da Globo.com.

Agressão a José Serra

Uma reportagem apresentada pela Globo no segundo turno da campanha apontava que José Serra havia sido agredido com um rolo de fita por militantes petistas durante um ato da campanha no Rio de Janeiro, passando mal em seguida e dirigindo-se a um hospital onde foi examinado. Ele teria cancelado os demais compromissos do dia por ordem médica. Entretanto, uma reportagem do SBT mostrou que Serra havia sido atingido por uma bolinha de papel, continuou caminhando até receber um telefonema, e então, 20 minutos depois, é que levou a mão à cabeça para se queixar do “golpe”. Serra teria, então, feito uma tomografia, mas não foi encontrado nenhum ferimento. O ocorrido gerou uma onda de críticas no Twitter à cobertura promovida pela Rede Globo do episódio, fazendo com que as hashtags #serrarojas (uma referência ao jogador de futebol chileno Roberto Rojas, que bolou uma suposta agressão para cancelar uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo de 1990 e evitar que a seleção brasileira vencesse a chilena) e #BolinhadePapelFacts se popularizassem.
No dia 21 de outubro de 2010, a Folha de S. Paulo publicou uma reportagem na qual revelava que Serra havia sido atingido por um rolo de fita adesiva depois da bola de papel. No mesmo dia, o Jornal Nacional levou ao ar uma reportagem completa sobre o assunto. Em 22 de outubro, ambos Folha e O Estado de S. Paulo confirmaram que Serra fora atingido em dois momentos: primeiro por uma bola de papel, e dois por um rolo de fita. O SBT também confirmou em seu telejornal SBT Brasil que as imagens da bolinha de papel eram anteriores ao ataque com o rolo. Cinco dias depois, a revista Veja publicou uma reportagem intitulada “Pau na democracia”, cuja possuía trechos na qual o jornalista Fábio Portela acusava o SBT de omitir o rolo de fita que fora jogado à cabeça de Serra. O canal, por sua vez, respondeu que “o telejornal SBT Brasil veiculado no dia do episódio, quarta-feira 20, exibiu apenas as imagens captadas por nossas câmeras, que registraram o incidente com a bolinha de papel. Até aquele momento não tínhamos conhecimento de outro vídeo captado por um jornalista da Folha de S. Paulo, por celular, que mostrava o episódio posterior, em que um rolo de fita crepe atinge a cabeça do candidato Serra. Quando tomou conhecimento desse novo fato, o SBT tratou de registrá-lo no mesmo dia em seu telejornal da meia-noite. No SBT Brasil do dia seguinte, quinta-feira, o apresentador Carlos Nascimento voltou ao assunto, ressaltando que o segundo incidente não fora captado por nossa equipe, mas frisou que o candidato José Serra fora atingido duas vezes em um intervalo de poucos minutos.”
Não houve, portanto, nenhuma disputa entre SBT e Globo sobre bolinha de papel. Em todo o episódio, o mérito, a bem da verdade, foi da Folha de S. Paulo. Foi o jornal quem noticiou primeiro a agressão a Serra com um rolo de fita adesiva. Foi o jornal quem pôs na internet um vídeo do momento da agressão. O Jornal Nacional, num trabalho independente, confirmou os achados da Folha. 
 Eleições municipais no Brasil em 2012
Houve várias críticas à forma como a Rede Globo fez a cobertura do julgamento do caso conhecido como Mensalão, que coincidiu com as eleições municipais no Brasil em 2012. No mês de outubro de 2012, às vésperas do segundo turno das eleições municipais, o Jornal Nacional dedicou 18 dos seus 32 minutos de duração para abordar o julgamento, tendo ainda como agravante o fato da matéria ter ido ao ar imediatamente após o fim do horário eleitoral, que, em São Paulo, foi encerrado com o programa de Fernando Haddad, candidato do PT. Durante todo o segundo turno o noticiário do mensalão foi apresentado pelo telejornal sempre logo após ao fim do horário eleitoral.

Manifestações de 2013

Durante a série de manifestações populares que ocorreram em várias cidades brasileiras em 2013, protestos em frente às sedes da emissora aconteceram por todo o país. A sede da empresa em São Paulo teve estrume lançado sobre a sua fachada, além dos muros terem sido pichados. 5 No protesto na sede da emissora no Rio de Janeiro, os manifestantes entraram em confronto com a polícia.
A emissora foi alvo de várias críticas pelas redes sociais durante os protestos. No dia 19 de junho, durante o Jornal Nacional, a apresentadora Patrícia Poeta leu um editorial feito pela própria emissora, falando sobre os atos contra a rede. No dia seguinte, a emissora exibiu flashes sobre as manifestações em todo o país. Estava marcado, para o mesmo dia, uma cobertura de um jogo da Copa das Confederações FIFA de 2013, mas a cobertura foi cancelada e a emissora decidiu priorizar a cobertura dos protestos; duas novelas não foram levadas ao ar naquele mesmo dia: Flor do Caribe e Sangue Bom. Por tal razão, a emissora perdeu audiência, mas sua atitude foi bem-recebida na internet.

 Eleição presidencial brasileira de 2014

Em 8 de agosto de 2014, pouco antes do início do horário eleitoral, matérias veiculadas em O Globo e nos telejornais da emissora acusaram o Palácio do Planalto de alterar informações nas páginas de Miriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia, com o objetivo de difamá-los. As edições, feitas em maio de 2013 por um dispositivo conectado à rede de internet do Palácio, qualificam as análises de Leitão como “desastrosas” e a acusa de ter defendido “apaixonadamente” o banqueiro Daniel Dantas quando este foi preso pela Polícia Federal, citando como prova um comentário de Leitão na Rádio CBN onde ela defendia a inocência de Dantas. Já Sardenberg é acusado de ser crítico à política de juros do governo por ter um irmão que trabalha na Febraban.
O Palácio do Planalto, em nota, explicou que não possui maneiras de identificar o autor das críticas, uma vez que o IP usado para a alteração servia tanto à rede interna quanto à rede sem fio, o que possibilitaria a qualquer visitante fazer tal alteração. As Organizações Globo foram criticadas por divulgar alterações nas biografias de seus contratados na Wikipédia, ferramenta de caráter colaborativo e aberta à edição de todos e que, segundo seu próprio criador, Jimmy Wales, não deve ser usada como fonte primária de informação. Também foi criticada por só noticiar a alteração mais de um ano depois e em período de campanha eleitoral. O jornalista Miguel do Rosário relatou caso semelhante que ocorreu na rede sem fio da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo e disse que já visitou o Palácio do Planalto, onde obteve acesso à senha da rede sem fio do gabinete presidencial. A Globo, segundo seus críticos, estaria descontente com a possibilidade de disseminação de informações produzidas de maneira não-linear pela internet.

Luta do UFC gravada

Em 27 de maio de 2012, houve uma luta do UFC transmitida pela Globo, que dizia ser “ao vivo”, mas o Combate, pertencente à Globosat, exibiu a luta 30 minutos antes da Globo.65 Ou seja, a Globo gravou a luta, mas pôs “ao vivo” em cima do seu logotipo na marca d’água, o que gerou críticas contra a emissora, principalmente nas redes sociais.
Monopólio de transmissão em eventos esportivos
Críticas à Rede Globo Acho que a CBF não tem uma interferência dentro do futebol tão grande. A CBF cuida apenas da Seleção Brasileira. Quem realmente cuida do futebol brasileiro é a Globo. A gente sabe que a Globo trabalha na dependência da novela. A gente brinca aqui no Coritiba que os jogos de quarta-feira só rolam depois do último beijo da novela. Críticas à Rede Globo
— Alexsandro de Souza, jogador do Coritiba

A Rede Globo é frequentemente acusada de deter o monopólio das transmissões esportivas, principalmente do Campeonato Brasileiro de Futebol. Esse monopólio, que começou aos poucos no início dos anos 90, só foi facilitado graças ao lançamento das primeiras operadoras de TV por assinaturas no Brasil, coincidindo também com a desistência das principais redes concorrentes em exibir tais eventos esportivos, sob alegação de que possuíam altos custos de transmissões e baixa audiência. Depois disso, com esses direitos oferecidos às Organizações Globo, configurou-se a prática de cartel, que impedia outras redes transmitir as partidas, já que até então os canais das Organizações Globo eram os únicos a transmitir, dividindo as transmissões com a Bandeirantes.
Em 20 de outubro de 2010, depois de 10 anos de tentativas, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) emitiu orientação ao Clube dos 13 (grupo que reúne 20 grandes times do futebol brasileiro, mas é chamado Clube dos 13) para que não desse preferência à Globo na transmissão das partidas de futebol do Campeonato Brasileiro e que se comprometesse a oferecer pacotes diferentes de divulgação para cada tipo de mídia (TV aberta, TV fechada, pay per view, internet e celular) a partir dos campeonatos de 2012 a 2014.69 Apesar disso, o Clube dos 13 desrespeitou a orientação do CADE e firmou contrato com a Rede Globo para todas as mídias. Dessa maneira, a Globo manterá seu monopólio sobre a transmissão do Campeonato Brasileiro, pelo menos até 2015.
Segundo matéria do Esporte Fantástico da Rede Record, exibida em 17 de agosto de 2013, a Globo seria a principal responsável pelo baixo público presente nas partidas do Campeonato Brasileiro de Futebol daquele ano. Segundo a reportagem, a prática da emissora carioca de forçar a exibição das partidas após o final da novela das nove, com início por volta das 22 horas, inibe a presença do público nos estádios. Poucos dias antes, em entrevista ao portal LanceNet, Alexsandro de Souza, artilheiro do Coritiba, declarou que a prática da emissora é desumana para com os torcedores. Recentemente, a Record conseguiu quebrar o monopólio da Globo ao adquirir os direitos de transmissão de grandes eventos esportivos como Olimpíadas de Inverno de 2010, Jogos Pan-americanos de 2011, Olimpíadas de 2012, Olimpíadas de Inverno de 2014, Jogos Pan-americanos de 2015 e Olimpíadas de 2016 (essa última em parceria com a Globo e a Band). Apesar disso, a Globo manteve o direito de transmissão da Copa do Mundo FIFA de 2018 e de 2022, num processo de concorrência criticado pela Record por sua falta de transparência.

Receita Federal e Criança Esperança

As Organizações Globo possuem problemas com a Receita Federal. Entre 2010 e 2012, o conglomerado foi notificado 776 vezes por sonegação fiscal. A maior parte das autuações envolve a apreensão de equipamentos, sem o recolhimento de impostos, no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.10 Ainda segundo a Receita, a empresa praticou fraude contábil ao negociar um perdão de R$ 158 milhões em dívidas com o banco JP Morgan em 2005.3 A emissora, multada em 730 milhões de reais, contesta a cobrança, mas foi derrotada em uma das instâncias do Ministério da Fazenda, o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais, em setembro de 2013. Além disso, o conglomerado teria sonegado o Imposto de Renda ao usar um paraíso fiscal para comprar os direitos de transmissão da Copa do Mundo FIFA de 2002.3 Após o término das investigações, em outubro de 2006, a Receita Federal quis cobrar multa de R$ 615 milhões da emissora.3 No entanto, semanas depois o processo desapareceu da sede da Receita no Rio de Janeiro.3 Em janeiro de 2013, a funcionária da Receita, Cristina Maris Meinick Ribeiro, foi condenada pela Justiça a quatro anos de prisão como responsável pelo sumiço. No processo, ela afirmou ter agido por livre e espontânea vontade.
Um documento datado de 15 de setembro de 2006, liberado pelo site WikiLeaks em 2013, cita que a Rede Globo repassou à UNESCO apenas 10% do valor arrecadado desde 1986 com a campanha filantrópica Criança Esperança, promovida em parceria com a agência das Nações Unidas (à época 94,8 milhões de reais).72 73 A emissora afirmou “desconhecer” essa informação e afirmou que “todo o dinheiro arrecadado pela campanha é depositado diretamente na conta da Unesco”.
Beyond Citizen Kane

Chico Buarque participou de Beyond Citizen Kane, concedendo um depoimento para a equipe de produção.

Em 1993, o Channel Four, uma grande cadeia de TV britânica, produziu um filme, criado por Simon Hartog e intitulado Beyond Citizen Kane, que conta a história da Rede Globo de Televisão e suas “ações sombrias” no país até o ano de 1990. O documentário foi proibido no Brasil desde 1994, graças a uma ação judicial movida por Roberto Marinho. Atualmente existem poucas cópias em circulação no Brasil, além de versões piratas circulando pela internet, como no YouTube. O filme conta com a participação de alguns artistas, políticos, e especialistas como Luiz Inácio Lula da Silva, Chico Buarque, Leonel Brizola e Washington Olivetto. O documentário jamais esteve no circuito de cinemas brasileiros e a exibição que ocorreria no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro foi proibida pelo então presidente da República, Itamar Franco.
No país, o documentário recebeu o título de Muito Além do Cidadão Kane. O título teve origem no personagem Charles Foster Kane, criado em 1941 por Orson Welles para o filme Citizen Kane, que por sua vez, tratava-se de um um drama de ficção baseado na trajetória de William Randolph Hearst, magnata da comunicação nos Estados Unidos. Segundo o documentário, a Globo empregaria a mesma manipulação grosseira de notícias para influenciar a opinião pública como fazia Kane no filme. De acordo com matéria veiculada na Folha Online em 28 de agosto de 2009, a produtora que montou a filmagem é independente e a televisão pública britânica não teve qualquer relação com seu desenvolvimento. Já a Record sustenta que a BBC, outra emissora pública do Reino Unido, estaria relacionada com sua produção.
O documentário é dividido em 4 partes:
na primeira parte é mostrada a relação entre a Rede Globo de Televisão e o período militar, em que se veem fatos sociais que ocorreram no país em decorrência do governo;
na segunda parte apresenta-se o acordo firmado entre a Globo e o grupo Time-Life;
na terceira parte evidencia-se o poder do proprietário da emissora, Roberto Marinho. Mostra-se também o suposto apoio da mesma à saída dos militares do poder, na figura do candidato à presidência da República Tancredo Neves;
na quarta parte, tida como a mais importante e reveladora do filme, mostram-se às claras “os envolvimentos ilegais e mecanismos manipulativos utilizados pelas Organizações Globo em suas obscuras parcerias para com o poder em Brasília”. Contudo, o documentário não apresenta fontes primárias, apenas entrevistas.
A Globo tentou comprar os direitos de exibição do filme. Entretanto, antes de morrer, Hartog formou um acordo com organizações brasileiras para que os direitos de exibição do documentário não caíssem nas mãos da emissora, a fim de que este pudesse ser amplamente conhecido tanto por organizações políticas quanto culturais. O canal perdeu o interesse em comprar o filme quando os advogados da emissora descobriram tal acordo, mas até hoje uma decisão judicial proíbe a exibição de Beyond Citizen Kane no Brasil. De acordo com a Folha de S. Paulo, na década de 1990, a direção da Record havia tentado comprar os direitos de exibição do documentário, mas “percebeu que haveria uma disputa judicial com a TV Globo a respeito das muitas imagens retiradas da programação deles. Então decidiu não comprá-lo”. No entanto, em agosto de 2009, no auge de uma troca de acusações mútuas entre as emissoras, provocadas por acusações de lavagem de dinheiro da Igreja Universal do Reino de Deus, a Record comprou os direitos de transmissão do documentário por aproximadamente 20 mil dólares, e espera a autorização da justiça para transmiti-lo.

Escândalo do Papa-Tudo

“E assim, usando uma grande rede de televisão, […] uma grande vendedora agindo diretamente junto ao público infantil induzindo a que crianças pedissem aos pais para comprarem, […] associados ao insuspeito ‘titio’ Artur Falk, foi dado um dos maiores golpes – conto do vigário – na população tola, que acredita na Rede Globo, que compra os produtos que ela anuncia que doa para as “instituições de caridade”, abençoadas pela Globo. Pobre população ludibriada que se comove com os trambiques glamourizados da televisão”.
—Antônio Paiva Rodrigues, Observatório da Imprensa.
No início da década de 1990, com a finalidade de concorrer com a Tele Sena, pertencente à Silvio Santos e seu conglomerado,79 a Globo lançou em parceria com o então banqueiro Artur Falk um título de capitalização intitulado Papa-Tudo, que tinha César Filho e Fausto Silva como apresentadores e Xuxa Meneghel como garota-propaganda. A venda era semelhante à da concorrente supracitada: o título era adquirido em casas lotéricas e unidades da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, e, caso o comprador não fosse contemplado, poderia resgatar metade do valor pago após um ano ou comprar um novo título pela metade do preço. Antes mesmo do lançamento, o jornalista Hélio Fernandes, da Tribuna da Imprensa, disse que “aquilo cheirava a um grande golpe e que não tinha uma chance em um milhão de dar certo um empreendimento entre Artur Falk e Roberto Marinho”.
Consoante o Observatório da Imprensa, “prometiam que, além da recompra garantida, os futuros compradores ainda concorreriam a grandes prêmios milionários e parte da arrecadação ainda seria destinada a instituições de caridade. E numa colossal e obscena ‘pirâmide’, infestaram o Brasil inteiro com promessas milagrosas de enriquecimento fácil, sempre tendo à frente a exclusividade da Globo, a insuspeita Xuxa e a benemerência de instituições de caridade. Embalado pelos heróis da Globo e pelos “embaixadores” da Unicef, o país inteiro comprou, muitas e muitas vezes, os bilhetinhos do ‘titio’ Artur Falk, veiculados pela Rede Globo e apresentado pela irrepreensível Xuxa”.80 Entretanto, chegou uma época que a ECT e as lotéricas pararam de resgatar os bilhetes, pois não recebiam os prêmios do Papa-Tudo. O título anunciou que indenizaria os compradores, mas tal ato não ocorreu. Todo o escândalo culminou na prisão de Artur sob a acusação de estelionato. Por outro lado, ninguém da emissora foi responsabilizado.
Compra da TV Paulista
Em 1955, Oswaldo Ortiz Monteiro decidiu vender a TV Paulista, a qual era proprietário, às Organizações Victor Costa, devido às dificuldades enfrentadas pela emissora. 55% do capital da concessão, formada por 15.099 ações, foi entregue ao conglomerado. Victor Costa morreu enquanto aguardava a transferência da TV Paulista para seu nome ser aprovada pelo então Departamento Nacional de Telecomunicações (DENTEL). O filho de Costa ficou no comando, embora as ações de controle ainda ficassem em nome dos ex-acionistas. Nove anos depois, ele vendeu o canal à Roberto Marinho, mesmo sem os documentos de transferência, mas as ações originais de controle continuaram em nome da família Ortiz Monteiro por mais 13 anos. Em 1977, o Dentel aprovou a transferência das ações dos Ortiz Monteiro para Roberto Marinho, com base nos recibos e procurações apresentados pela Globo. Então, a emissora foi transformada em TV Globo São Paulo.
Após a morte de Monteiro, em 1990, sua família começou a investigar uma possível fraude na compra da TV Paulista pela Rede Globo. Uma perícia realizada no ano de 2003 pelo instituto paulista Del Picchia revelou que as assinaturas foram falsificadas e incluíram desde nomes de pessoas falecidas antes da transferência até o uso de máquinas de escrever que ainda não existiam na época do ato. Os advogados da cadeia carioca, por outro lado, apresentaram parecer técnico do perito Antonio Nunes da Silva atestando que os recibos e procurações em poder da família Marinho eram autênticos. Em 2010, foi confirmado pelo Superior Tribunal de Justiça que os documentos eram verdadeiros. Em contrapartida, quatro anos depois, o senador Roberto Requião, do PMDB do Paraná, protocolou no Senado um requerimento ao Ministério das Comunicações com informações sobre os supostos atos administrativos irregulares que aprovaram a transferência da concessão do canal 5 à Marinho.
TV Diário fora das parabólicas

No dia 25 de fevereiro de 2009, a TV Diário, emissora pertencente ao Sistema Verdes Mares, também proprietário da TV Verdes Mares, afiliada da Globo em Fortaleza, deixou de ser transmitida pelo satélite de antenas parabólicas, pela qual alcançava toda a América do Sul e parte do Caribe, e pelas afiliadas que possuía pelo território brasileiro, deixando os telespectadores surpresos. Os que tentaram assistir à programação da Diário pelas afiliadas passaram a acompanhar outras redes a partir daquele dia.86 Consoante informações anteriores e posteriores à saída da rede, a saída da programação da TV Diário do satélite deveu-se a pressões das Organizações Globo ao Sistema Verdes Mares, que era responsável pela TV Verdes Mares, “por conta do excessivo crescimento da audiência da TV Diário em muitos locais do país, inclusive no eixo Rio-São Paulo, o que ameaçava os nichos de mercado da Rede Globo”.

Ao sair do satélite, a emissora passou a restringir sua cobertura apenas ao estado do Ceará, além dos estados vizinhos e algumas cidades do interior do estado de São Paulo pela TV aberta e sistemas de televisão por assinatura, entre elas a Você TV, através da DTHi, a partir de agosto de 2009. Com a saída da Diário do satélite, a Rede União tornou-se a única rede instalada no Ceará exibir satélite em todo o Brasil e todas as Américas (do Sul, Central, Norte e ilhas do Caribe) partes da Europa e África. A Rede Globo respondeu que “a TV Globo, como cabeça da Rede Globo, formada por 121 emissoras, procura harmonizar os sinais de VHF e UHF de forma que estes fiquem circunscritos a seus territórios de cobertura. Desta forma, em busca de uma harmonia entre todos e pelo respeito recíproco aos interesses, a atuação da TV Diário estará restrita a seu território de cobertura, não sendo mais captada em territórios de outras afiliadas. Seu sinal permanecerá no satélite, cobrindo o estado do Ceará, porém, codificado”. A atitude da Globo foi amplamente criticada; moradores da região Nordeste promoveram um boicote ao canal de TV no dia 13 de março de 2009, mas o movimento não repercutiu. Um acontecimento semelhante ocorreu com a Amazon Sat, de propriedade da Rede Amazônica, que entre os anos de 1998 e 2004 podia ser assistida pelas parabólicas, entretanto a partir daí o sinal foi codificado e somente pode ser captado por parabólicas com receptor digital através da aquisição de cartão com o código para decodificação. A partir de 2014, a emissora voltará a ser transmitida nacionalmente, através do satélite SES-6, utilizado pela Oi TV.

Discriminação

No dia 16 de setembro de 2008, o humorístico Casseta & Planeta, Urgente! levou ao ar um quadro chamado Otário Eleitoral Gratuito, onde um dos candidatos, o personagem “Tinoco, o homem toco”, que não tinha braços nem pernas, declarava: “Você me conhece: eu sou o Tinoco, o homem toco. Vote em mim, que eu não vou meter a mão; e se eu roubar não vou conseguir fugir”, de modo a “debochar genericamente dos políticos e dos deficientes físicos”. Tal conteúdo levou o Grupo de Ação pela Cidadania de Lésbicas, Gays, Travestis e Transexuais a abrir um processo na Procuradoria Regional dos Diretos dos Cidadãos de São Paulo contra a TV Globo de São Paulo por discriminação às pessoas deficientes.
Troca de nomes
Em 2011, a rede foi processada pelo bartender Igor Pachi, que teve sua imagem confundida com a do BBB Igor Gramani. De acordo com sua advogada, Shirley Klouri, “a Globo, sites do Grupo e o canal Multishow exibiram fotos e vídeos de seu cliente na divulgação do programa e causaram problemas a ele”. O rapaz conseguiu uma liminar pedindo a retratação da cadeia e indenização mínima de 150 salários mínimos.
Edições na Wikipédia
Em 8 de agosto de 2014, uma matéria do portal de O Globo96 afirmou que um dispositivo conectado à internet através da rede sem fio do Palácio do Planalto alterou, em maio de 2013, informações das páginas de Miriam e Carlos Alberto Sardenberg na Wikipédia, com o objetivo de difamá-los. As informações inseridas no artigo de Miriam qualificavam suas análises e previsões econômicas como “desastrosas”, além de acusá-la de ter defendido “apaixonadamente” o banqueiro Daniel Dantas quando este foi preso pela Polícia Federal.61 Esta última acusação ocorreu em razão de comentário de Miriam na Rádio CBN onde ela defendia a inocência de Dantas.
O Palácio do Planalto, em nota, explicou que o endereço IP usado na alteração era utilizado tanto pela sua rede interna quanto pela rede sem fio do Palácio. Isso possibilitaria a qualquer visitante do Planalto realizar tal alteração. No entanto, o Planalto identificou o autor das alterações como sendo um servidor da Secretaria de Relações Institucionais e o funcionário foi exonerado.
As Organizações Globo foram criticadas por divulgar alterações das biografias de seus contratados na Wikipédia, ferramenta de caráter colaborativo e aberta à edição de todos e que, segundo seu próprio criador, Jimmy Wales, não deve ser usada como fonte primária de informação.61 Também foram criticadas por só terem noticiado as alterações em plena campanha eleitoral de 2014. O jornalista Miguel do Rosário divulgou que um usuário que navegava através da rede da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo inseriu uma calúnia na biografia do músico Raul Seixas. Ele também relatou que já visitou o Palácio do Planalto e que teve acesso à senha da rede sem fio do gabinete presidencial.

Fonte: Wikipedia

Obs: Para saber mais, clique na palavra Globo abaixo

março 13, 2015 Posted by | televisão | , , , , | 14 Comentários

Equipe da Globo é detida na Indonésia

Globo tem problemas na Indonésia

Equipe da Globo

Equipe de reportagem da Globo foi detida no porto de Cilacap, na Ilha de Java, Indonésia. A equipe que foi a Indonésia para cobrir o drama do brasileiro que seria executado na manhã de domingo por tráfico de drogas. O brasileiro foi flagrado com 13,4 kg de cocaína quando estava entrando na Indonésia.

A equipe da Globo foi liberada, mas seus passaportes ficaram apreendidos, já que os funcionários da rede entraram com visto de turista, o que não permite o trabalho de reportagem.

O ex-instrutor de vôo estava preso desde 2.004, quando a cocaína foi encontrada em tubos de uma asa delta. Marco Archer foi executado na manhã deste domingo, quando ainda era sábado no Brasil.

A execução do brasileiro chamou a atenção da imprensa mundial, já que, apesar da rigidêz do sistema judiciário da Indonésia e, talvez até por isso, não ocorram tantos casos como esse, daí o motivo de ter chamado a atenção da imprensa mundial.

Texto: By Jânio

Imagem: Portal Forum

 

 

janeiro 18, 2015 Posted by | Internacional | , , , , , | Deixe um comentário

Caso raro na ditadura da Globo

Caso raro na justiça brasileira

Brizola x Globo

A política brasileira já teve bons oradores políticos, mas isso não quer dizer absolutamente que sejam bons ou honestos. Eu diria até que houve um momento na história da política brasileira em que falar bonito era mais importante que ser honesto. Alguns mega-empresários também tentaram a vaga de presidente, mas desistiram logo.

Eu assisti um debate clássico com a presença de Maluf, Lula e Brizola, donos das torcidas mais fanáticas dos últimos trinta ou quarenta anos – só faltou o representante dos janistas, fanáticos de Junho quadros. Antes destes, apenas JK e Getúlio Vargas tinham tanto apelo popular.

Brizola ficou famoso por vestir em Cid Moreira, uma saia justa que a Globo nunca conhecera em seus trinta anos de ditadura da comunicação.

Depois desse dia, a carreira de Cid Moreira nunca mais foi o mesma.

Veja o vídeo no Youtube:

janeiro 9, 2015 Posted by | Videos | , , , | 3 Comentários

Jornalismo por encomenda

48 Hrs de opinião

Jornalismo X Interesse

Antes:

A grande maioria dos manifestantes são filhos da classe média, isso é visível, ali não havia pobres que precisassem daqueles vinténs, não, os mais pobres ali eram os policiais apedrejados.

Depois:

Os jovens despertaram porque ninguém aguenta mais ver a República paralizada por interesses partidários e privados.

Antes:

No fundo é tudo uma imensa ignorância política, é burrice misturada a um rancor sem rumo…

Depois:

De repente reapareceu o povo, de repente o Brasil virou um mar, uma juventude que estava calada desde 92, uma juventude que nascia quando o Collor caía, acordou, abriram os olhos e viram que temos democracia mas uma república inoperante,,,

Antes:

Mas, aqui, queixam-se de quê? Esses caras vivem num passado de uma ilusão, eles são a caricatura violenta de uma caricatura de um socialismo dos anos 50, que a velha esquerda ainda defende aqui. Realmente, esses revoltosos de classe média não valem 20 centavos.

Depois:

Se tudo correr bem, estamos vivendo um comento histórico, lindo e novo.Os jovens terão nos dado uma lição. Democracia já temos, agora temos que formar uma república.

Veja o video: Youtube

novembro 25, 2014 Posted by | Política | , , | 3 Comentários

Premiação do Globo de Ouro 2.014

vencedores do prêmio

Globo de Ouro

TV

Melhor Série de Drama: Breaking Bad

Melhor Série de Comédia ou Musical: Brooklyn Nine-Nine

Melhor Minissérie ou Filme feito para a TV: Behind the Candelabra

Melhor Atriz de Série Dramática: Robin Wright – House of Cards

Melhor Ator em Série Dramática: Bryan Cranston – Breaking Bad

Melhor Atriz em Série de Comédia ou Musical: Amy Poehler – Parks and Recreation

Melhor Ator em Série de Comédia ou Musical: Andy Samberg – Brooklyn Nine Nine

Melhor Atriz em Minissérie ou Filme feito para a TV: Elisabeth Moss – Top of the Lake

Melhor Ator em Minissérie ou Filme feito para a TV: Michael Douglas – Behind the Candelabra

Melhor Atriz Coadjuvante em Série, Minissérie, ou Filme para a TV: Jacqueline Bisset – Dancing on the Edge

Melhor Ator Coadjuvante em Série, Minissérie, ou Filme para TV: Jon Voight – Ray Donovan

Cinema:

Melhor Filme de Drama: 12 Anos de Escravidão

Melhor Filme de Comédia/Musical: Trapaça

Melhor Direção: Alfonso Cuarón, por Gravidade

Melhor Roteiro: Spike Jonze, por Ela

Melhor Atriz de Drama: Cate Blanchett, por Blue Jasmine

Melhor Atriz de Comédia/Musical: Amy Adams, por Trapaça

Melhor Ator de Drama: Matthew McConaughey, por Dallas Buyers Club

Melhor Ator de Comédia/Musical: Leonardo DiCaprio, por O Lobo de Wall Street

Melhor Atriz Coadjuvante: Jennifer Lawrence, por Trapaça

Melhor Ator Coadjuvante: Jared Leto, por Dallas Buyers Club

Melhor Animação: Frozen – Uma Aventura Congelante

Melhor Filme Estrangeiro: A Grande Beleza (Itália)

Melhor Trilha Sonora: Até o Fim

Melhor Canção Original: Ordinary Love, de U2 (Mandela)

Fonte: Terra

Top loiras do cinema

Games que viraram filmes

Filmes com pessoas paranormais

janeiro 14, 2014 Posted by | Cinema | , , , , | 1 Comentário

Quem roubar primeiro

Poder do Dinheiro

Poder do Dinheiro

Eu tenho lido muitas críticas ao capitalismo, sistema mais forte entre todos os que foram implantados nas últimas décadas. Sempre me vem uma pergunta perturbadora à cabeça: Capitalismo é um sistema político, social, econômico, ou seria uma mistura de tudo isso?

A terceira opção é a mais adequada mas não ajuda muito, ao invés disso, traz uma nova pergunta: Qual é o setor predominante no capitalismo?

A resposta é óbvia e está no próprio nome desse dito sistema econômico, portanto, a economia prevalece. É através desse sistema que os magnatas capitalistas conseguem privilégios, lucros, e poder, muito poder.

Entretanto, nem todos os países são iguais. Em países elitizados como o Brasil, os magnatas capitalistas decidem quem deve ser pobre, ser preso ou morrer.

Para protegê-los, um subsistema tem sido elaborado a perfeição, o sistema burocrático.

A burguesia também tem sido privilegiada por esse sistema burocrático, afinal, a maior parte do trabalho/crime, burocrático é executado por burgueses da Idade Contemporânea. É através desses trabalhos criminosos que o errado é visto como certo, sem que ninguém consiga provar o contrário.

Recentemente, houve muitas manifestações contra a censura na internet, a mídia com maior audiência do mundo. Apesar de ter a maior audiência, a internet não é considerada mídia de massa, já que é uma ferramenta pessoal, dividida por canais.

Muitos grupos financeiros tem se mobilizado em torno das principais ferramentas, com o intuito de transformar a internet em mídia de massa, mas ainda não conseguiram. A maioria das ferramentas são compradas, mas sempre tem uma que foge ao controle do dinheiro, já que é muito difícil saber qual vai se destacar.

No fundo, não são os direitos autorais que preocupam mais os capitalistas, é o monopólio da informação que encontrou um adversário a altura, apesar de a maioria dos internautas repetirem informações prontas.

Entretanto, o direito autoral é uma das vítimas da burocracia. É através da burocracia que o autor perde seus direitos para as empresas capitalistas, as mesmas que lutam para censurar a internet.

Essa prática não é nova, há muito tempo que autores consagrados da pintura, escultura, letras, músicas e outras áreas, tem morrido na miséria. Os próprios banqueiros Rothschilds, idealizadores do poder pelo capital, tem investido muito em obras de arte.

A maioria dessas práticas criminosas são legais e dificilmente um ladrão de composição musical irá para a cadeia, isso porque a arte é uma área extremamente lucrativa, não para o autor, mas para as empresas que se apropriam, adquirem dessas obras. Assim, ou o autor faz um acordo e aceita as migalhas, ou ficará sem nada.

Nesse mundo criminoso, tem surgido empreendedores especialistas em crimes burocráticos, como é o caso de Sílvio Santos, um empresário dono de uma das maiores redes de televisão do país e que conseguiu a façanha de dar um golpe de quatro bilhões e meio de reais nos cofres públicos.

Algumas pessoas se espantaram com o golpe do Grupo Sílvio Santos, mas não o suficiente para afetar a sua audiência.

O Caráter do empresário já poderia ser avaliado pela sua história. Começou como um camelô, tornou-se um apresentador de programas, dono de TV, rede e criou um sorteio/concurso para disfarçar o jogo que é ilegal no país, e que era monopolizado pela máfia dos políticos.

Entre seus famosos golpes, estava a extinta Rede Manchete que ousou desafiar o poderio da Rede Globo e pagou por isso. Muitas histórias em torno da transação foram veiculadas pela imprensa, numa época em que a Rede Globo praticamente detinha o monopólio da informação.

Segundo tais informações, a negociação da falência da Rede Manchete envolvia até presidente da república, mostrando a força da Rede Globo que, por sinal, foi responsável pela queda desse presidente.

A transação foi impugnada, a fumaça baixou e logo surgiram os boatos que um grupo estrangeiro havia comprado a Rede de TV. O conteúdo da TV, entretanto, estava nas mãos do empresário Sílvio Santos, que se faz de dissimulado quando a questão dos direitos autorais vem à tona.

A Rede Globo que via seu monopólio em risco, nem imaginava que uma nova ferramenta surgiria depois disso e que seria incontrolável, a internet.

A Rede Globo começou de forma obscura, cresceu, eliminou os concorrentes, com a ajuda de capital internacional, o que era proibido e fez alianças com políticos como Collor e Sarney, afiliados da rede, e com Ricardo Teixeira e família, com direito a João Havelange, FIFA e outros golpes.

No Paraná, uma pequena ideia se tornou um grande negócio, a lavagem de dinheiro.

A rede de bancos públicos do governo do estado do Paraná criou uma máfia de lavagem de dinheiro jamais vista no Brasil, talvez no mundo.

Jaime Lerner era o governador que atraía as empresas do mundo inteiro e tornava-se celebridade conhecida, o crime de lavagem de dinheiro era perfeito, já que envolvia toda a alta burguesia brasileira, desde políticos e empresários, até apresentadores de TV e jogadores de futebol, enviando dinheiro para infernos fiscais.

Uma coisa que nunca pode ocorrer em grandes organizações mafiosas é um erro, cálculo, logística, etc. Erros inevitavelmente atraem a atenção da polícia.

Foi isso o que aconteceu no Paraná, onde dois erros se destacaram. Um apresentador de sorteios que chamou até a atenção de Sílvio Santos, que deu o golpe nos sorteados e desapareceu, e as relações obscuras do governador Jaime Lerner e do presidente da Câmara dos Deputados, Aníbal Cury, com um empresário de desmanche de carros.

Esses dois erros atraíram a polícia que descobriu um gigantesco esquema de lavagem internacional, com direito a bancos no Paraguai e Nova Iorque.

Felizmente, para eles, não há justiça no país, ninguém foi preso e todos viveram felizes para sempre.

… menos o apresentador do sorteio que desapareceu e só PC Farias sabe onde foi parar.

By Jânio

Filosofia anti-democrática

Vendedoras de sonhos e pesadelos

Mapa dos ricos

maio 3, 2013 Posted by | Política | , , , , , , | Deixe um comentário

As grandes redes de tv em ônibus vão iniciar atividades.

tv em ônibus

tv em ônibus

As grandes redes de tv aderiram de vez as transmissões em ônibus.

Depois da Rede Globo, que já tem  contrato com a operadora de tv Bus Media, agora foi a vez da Rede Bandeirantes fechar com a TVO.

A TVO, além da parceria com a Rede Bandeirantes, mantém a TV Minuto, no Metrô, com 3,3 milhões de usuários, o mesmo número que espera alcançar com os ônibus.

A parceria da Globo e a Bus Media, possui 300 ônibus, onde serão transmitidos resumos de novelas e prestação de serviços. Haverá, ainda, trinta tvs da Bus Media com programação em tempo real, da globo.

Enquanto a Rede Globo encara o projeto como experimental, a Rede Bandeirantes investe pesado, não serão divulgados programas da tv, ao invés disso, a Band pretende criar uma programação exclusiva para a operadora TVO. São 500 ônibus, com previsão de atingir 4000.

A Rede Bandeirantes deverá veicular jornalismo, área onde já lançou um site o E-Band, curiosidades, horóscopo e tempo, entre outras atrações, todo o conteúdo será exclusivo da TVO.

A Rede Record demonstrou um certo interesse, não se sabe porque, acabou desistindo do contrato com a TVO, operadora que fechou com a Rede Bandeirantes.

Ainda resta uma operadora de tv para ônibus, a Bus tv, até agora ela se mantém independente, mas o mercado deverá aquecer nos próximos meses e deverá ser difícil a Bus TV não fechar com alguma grande rede de televisão.

Como é proibido o som em ônibus, o áudio das operadoras deverá ser via fone de ouvido ou outro meio compatível com a lei. Até o final do ano, ou começo de 2010, a Bandeirantes iniciará sua programação.

O mercado de tv para ônibus tem um potencial de 14 mil veículos, e, os investimentos estão apenas começando.

By Jânio.

setembro 18, 2009 Posted by | televisão | , , , , , , | 6 Comentários

   

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Marca Livro

A arte de criar histórias em prosa ou verso

bastet - protetora dos gatos

todos os animais merecem o céu e os gatos principalmente

Blog CIN 5018

Informatização de Unidades de Informação

The Promise Carrier

Ebrael's official website in English.

detudosobretudoblog

Este site vai aborda todos os temas voltado para as mulheres

Letícia Giacometti Ribeiro

O diário de uma estudante de Jornalismo

Caminho Alternativo

Geopolítica, atualidades e opinião

Escrita em Foto

Colunas, textos, fotografias; a vida de alguém que busca mais do que apenas viver.

%d blogueiros gostam disto: