Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Como justificar ausência na votação

Edgar Matsuki – do Portal EBC*
Brasília - Eleitores que estão fora do domicílio eleitoral justificam ausência de voto em posto no centro da cidade (Pátio Brasil) (Marcello Casal/Agência Brasil)
Brasília – No primeiro turno das eleições municipais, eleitores que estavam fora do domicílio eleitoral justificaram a ausência de voto em posto no centro da cidade (Pátio Brasil) Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Neste domingo (30), milhões de eleitores voltam às urnas para o segundo turno das eleições que vai eleger os chefes dos executivos municipais de 57 cidades. Se você estará fora do seu domicílio eleitoral, no dia da votação, fique atento às orientações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para tirar as suas dúvidas, o Portal EBC fez uma lista de perguntas e resposta sobre o assunto.

Quem precisa fazer a justificativa eleitoral?

Devem justificar a ausência da votação todos os eleitores que estiverem fora dos domicílios eleitorais onde haverá disputa no segundo turno. Se na sua cidade as eleições para prefeito já foram decididas na primeira fase da disputa, o pleito já foi dado como encerrado.

Não estarei na cidade onde voto, o que fazer?

Quem estará fora do seu domicílio eleitoral precisa justificar a ausência do voto no dia da eleição. Nesse caso, o eleitor deve preencher e entregar o Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE) nos locais de justificativa. É necessário levar o título de eleitor e um documento com foto.

Como saber quais são os locais para justificar a ausência do voto?

Os locais de justificativa são definidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de cada estado. Os eleitores podem consultar os locais na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

É possível fazer a justificativa eleitoral na mesma cidade em que você vota?

Não. Só pode justificar a ausência aqueles que estiverem fora do seu domicílio eleitoral no dia das eleições. Caso contrário, o eleitor deve se dirigir para a sua zona eleitoral e exercer o direito do voto.

Onde retiro o Requerimento de Justificativa Eleitoral?

O formulário pode ser obtido gratuitamente nos postos de atendimento ao eleitor, em cartórios eleitorais, na página do TSE ou nas páginas dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). No dia da eleição, os locais de votação ou postos justificativa também disponibilizam o documento.

Posso justificar a ausência do voto depois da eleição?

Sim. O prazo para justificativa eleitoral é de 60 dias após as eleições. Nesse período, o eleitor deve se dirigir a um cartório eleitoral com o título de eleitor e um documento com foto, preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição), que pode ser retirado no próprio local gratuitamente. O cidadão ainda tem a opção de enviar o documento pelos correios ao juiz da sua zona eleitoral.

No caso de justificava após as eleições, além do requerimento, é preciso apresentar um documento que comprove a sua ausência. Por exemplo, bilhete da passagem, atestado médico. Neste ano, quem deixou de votar no primeiro turno tem até 1º de dezembro de 2016 para justificar. No caso do segundo turmo, o prazo vai até o dia 29 de dezembro de 2016.

Perdi todos os prazos para justificar a ausência, o que devo fazer?

O eleitor que não justifica a ausência no pleito dentro do prazo de 60 dias após a eleição, ele fica em débito com a Justiça Eleitoral. Para regularizar sua situação, primeiro ele deve solicitar a Guia de Recolhimento da União (GRU) em qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor. Depois ele deve pagar uma multa, que varia de R$ 1,05 até R$ 3,51, por turno, para obter a certidão de quitação eleitoral.

O que acontece se o eleitor não pagar a multa?

O não pagamento da multa impede que o eleitor solicite a Certidão de Quitação Eleitoral. Em débito com a Justiça Eleitoral, o cidadão fica impedido de solicitar passaporte ou carteira de identidade, pedir empréstimo, participar de concurso público, inscrever-se em instituições públicas de ensino e, se tratando de funcionário público, a pessoa fica impedida de receber o salário.

Não votei no primeiro turno, posso votar no segundo?

Sim, pois de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, cada turno representa uma eleição. Mas é preciso que a sua situação com a Justiça eleitoral esteja regularizada e o título de eleitor não esteja cancelado ou suspenso. Isso porquê quando o eleitor que deixa de votar em três eleições seguidas, sem apresentar justificativa, o título é cancelado e ele fica impedido de votar.

*Colaborou Yuri Moura

Edição: Denise Griesinger

outubro 29, 2016 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Voto errado pode ser pior que voto em branco

hora de votar

Voto Consciente

Vamos começar o post de hoje, dizendo que a ausência de textos políticos, deve-se exclusivamente às eleições.

Depois de ver qual é o perfil das pessoas que acessam a internet, e qual o perfil das pessoas que formam (manipulam) a opinião pública, foi quase irresistível postar um texto com a minha opinião. Eu disse quase, mas eu pensei comigo: “O voto é secreto, não é?”

Postar a minha opinião, seria revelar o meu voto. Se o voto secreto é uma forma inteligente do processo eleitoral, eu não seria inteligente, revelando o meu.

Logo após as eleições, voltaremos a esse tema que é tão fácil de discutir, e realizador também.

No próximo domingo, teremos a maior eleição da história, isso só acontece de quatro em quatro anos. Na outra eleição, para Prefeito e Vereadores, não há tantas opções como essa.

Apesar de só se falar em eleição para Presidente, como é típico de mídia que quer manipular corações e mentes, serão seis opções.

Como disse um amigo meu: “Para Senador é pior, além de a gente ter de escolher dois, eles ficam dois mandatos “aprontando”, ou seja, esses senadores ficam oito anos no poder, podendo escolher entre tentar uma eleição para Governador ou ficar mais quatro anos como Senador.

Como isso é possível? – Para explicar isso, é preciso saber onde está a maior parte dos corruptos, a porcentagem de infratores da política.

No Universo político, os corruptos são organizados pelos “coronéis da política”, políticos que estão há muito tempo no poder, pessoas que trabalham para empreiteiras, empresários e para os próprios políticos.

Os “coronéis” da política são encarregados de organizar todo o jogo de interesses, transformando negociatas em negociação de cargos em distribuição de cargos; nepotismo em cargos de confiança.

Para ser um bom “coronel” da política, é preciso muita dedicação à política, são décadas e décadas, conhecendo o arquivo sujo do poder, decidindo quem estará de mãos amarradas, pronto para agir em benefício do sistema sujo.

Em nosso sistema bipartidário, há duas forças, o bem e o mal, mas na realidade nem se sabe ao certo quem é quem. O que se sabe, é que qualquer um dos dois lados que vencer, pouca coisa mudará.

Os dois lados tem muito mais em comum do que parece, ambos tem oito anos de atos controversos, polêmicos, criminosos.

Quer saber o nome dos “coronéis”? – Há muitos coronéis, para saber quem são, primeiro é preciso buscar no Google quem são: “Os políticos que tiveram problemas com a justiça.”

Calma, eles não estão nessa lista, mas  chegamos muito perto, eles trabalham para os “coronéis”. Depois precisamos descobrir: “A Relação de todos os Presidentes do Brasil”.

Nessa lista, notaremos como eram organizados os golpes de Estado e quem os apoiava, também notaremos que alguns Presidentes, ex-Presidentes, e candidatos a Presidentes, morriam de forma muito misteriosa, antes, durante, ou depois da eleição. Notaremos que há mortes de Jornalistas, artistas, e estudantes militantes da resistência à isso tudo.

Todas essas pessoas  morreram, ou eram consideradas subversivas, ou terroristas, ou inimigas do Estado. Durante todo esse período, é possível notar claramente que haviam alguns políticos que sobreviveram politicamente até os dias de hoje, sempre atuando do lado certo do lado errado da política brasileira, noventa e nove por cento não estão atuando na política, a maioria nem é viva.

É preciso conhecer “A história dos partidos políticos” e seus jogos de interesses, para saber quem está até hoje no poder. Um político corrupto que tenha sobrevivido ao governo militar, não tem medo de mais nada.

Se algum político rezar, lembre-se do que disse Jesus: “à César o que é de César, à Deus o que é de Deus”. Pesquisando a história de “Maquiavel – O criador da política moderna”, verificamos que esse só veio relembrar o que já havia sido dito há mais de mil  anos atrás, ao afirmar que o Estado não deve se misturar à Igreja.

O Estado bipartidário é a cara da sociedade romana, não há lugar para minorias: Indigentes, gays e lésbicas, ateus, pensadores, enfermos, deficientes, comunistas, e até socialistas ficam disfarçados para não serem perseguidos. Todos estarão abandonados a própria sorte.

Não meu amigo, eu não direi o nome dos “coronéis”, esse é um dever de cada eleitor identificar. Só identificando os velhos “coronéis”, você poderá decidir em quem não deve votar.

Está pensado em votar em branco? – Eu também. Estou me lembrando de um menino de dez anos que acreditava que só havia um bandido no mundo, por isso lutava incessantemente contra esse criminoso cruel.

Hoje, eu não sou mais um menino, também sei que não há apenas um bandido no mundo.

Votar em branco seria como voltar aos dez anos, acreditando que só há um bandido no mundo. Seria como voltar a bela e doce inocência de criança – Não seja tão pretencioso.

Não são apenas duas alternativas, são vários candidatos, apesar de não sabermos nada sobre os outros. Deveremos escolher apenas um, com excessão dos candidatos para Senador, estes possuem duas alternativas.

01 – O primeiro número será para Deputado Estadual.

02 – Em seguida, deveremos digitar os números do candidato a Deputado Federal.

03 – Depois do Deputado Federal, haverá a alternativa do primeiro candidato ao Senado.

04 – Nova alternativa para Senador, o segundo candidato ao Senado, igual ao Império Romano.

05 – Aqui poderemos ceder o direito de terra ao Senador do império, ou seja, um Senador poderá passar a ser o Governador.

06 – Finalmente, estaremos preparados para eleger o grande César, Caesar, Csar ou kaiser. Traduzindo: Presidente da República Federativa “Militar” do Brasil.

Muitas pessoas deverão levar uma “cola”, já que são muitos os números, mas não tire essa cola do bolso exceto quando estiver frente à urna. A discriminação pode levá-lo a prisão, por propaganda eleitoral.

Caso alguém ofereça algum “santinho”, coloque-o imediatamente no bolso que não será usado, para não ter problemas com a justiça.

Caso algum policial o veja com um “santinho” na mão, poderá acusá-lo de fazer propaganda. Não converse com ninguém, vá direto para casa, tudo o que fizer no dia da eleição, poderá e será usado contra você no tribunal.

…e não se esqueçam de levar o titulo de eleitor e a carteira de identidade, na hora de votar.

By Jânio

setembro 30, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , , , , , | 6 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: