Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Efeitos inesperados do cérebro

De ponta cabeça

Upside down

Enquanto lia um meme no Facebook, eu lembrei-me dos tempos de criança, quando a galera se matava para resolver as palavras cruzadas do corujão. Eu demorei algum tempo até elaborar uma estratégia para encontrar as palavras. Em níveis mais baixos, eu sempre encontrava palavras que eu não estava procurando, no corujão não foi diferente.

Quando eu comecei a tentar ler a mensagem do Face, eu notei que havia algo estranho, como eu ainda não havia lido a mensagem, não sabia do que se tratava. Pensei comigo, deve estar de traz para frente – Bingo! – comecei a ler as palavras. Foi, aí, que eu notei que as palavras também não faziam sentido mas, lendo de traz para frente, consegui ler a primeira linha. Aí, fui até o final do texto e li a mensagem inteira.

Foi só depois de ler a mensagem inteira que eu descobri o que eu havia conseguido, ler um texto de cabeça para baixo, até aí tudo bem, acontece que eu não sabia que o texto estava de cabeça para baixo. Eu já havia visto outros exercícios mentais, a diferença era que eu sabia do que se tratava.

Já há algum tempo, eu leio sobre exercícios mentais que qualquer pessoa pode fazer, o que demonstra claramente o poder mental de uma pessoa. A partir dessas leituras, eu comparei com outros estudos que eu elaborei na adolescência, época em que sobra tempo e falta o que fazer, ou seja, momento em que se pode fazer ensaios completos sobre quase tudo.

Em um desses ensaios eu observei a simbologia e as formas de educação oriental e ocidental, principalmente na pré-história e ensino primário. Quando se executa muitas formas de atividades mentais, como completar o texto/palavras, relacionar palavras da coluna direita com as palavras da coluna esquerda, etc.

Nas artes, aprende-se que os corpos são formados pelas sombras, ou seja, não são os corpos que formam as sombras, são as sombras que formam os corpos. Tudo bem que os corpos tentam criar sombras, mas as sombras ficam distorcidas, irreais.

Quando nos assustamos, nossa mente emite um alerta, inclusive quando observamos nossa própria sombra. Nossa própria sombra é obscura, bem diferente da imagem do espelho, por isso é mais fácil de assustar com ela.

Levamos uma vida sedentária, controlados por argumentos preconceituosos, por isso, qualquer coisa pode nos assustar, se bem que sempre encontramos pessoas que preferem encontrar uma explicação científica, ao invés de fugir, como as pessoas normais.

O circo sempre demonstrou talentos na arte de manipulação de corações e mentes, os truques e o ilusionismo foram muito bem aproveitados em efeitos especiais do cinema, apesar da demanda não ser tão forte nessa área.

De um modo geral, nossa percepção é muito limitada, por isso, sempre haverão pessoas ou grupos dispostos a nos manipular. Quando um governador começa a fechar escolas, ele evita que muitas pessoas melhorem a sua percepção política, social, econômica, etc. No Nordeste, alguns professores compram cadernos e lápis para os alunos com a intenção de evitar que a percepção do povo seja afetada. Apesar disso, as escolas não impedem que pessoas graduadas tenham uma visão distorcida da sociedade, em alguns casos. Quando isso acontece, certamente, essas pessoas estão sendo controladas de outras formas. Quanto maior a informação, maior a possibilidade de ser controlado, por isso é preciso ter auto-crítica. Assim, surge um conceito ainda mais intrigante: Não se pode acreditar em tudo o que se vê, porém não podemos ver tudo, e acreditamos no que não vemos.

Nossa mente é exercitada o tempo todo, mas poderia ser ainda mais, se soubéssemos o que devemos fazer com ela. Na internet, por exemplo, guardamos senhas em nossa memória, aprendemos a usar milhares de sistemas diferentes, fazer uma busca é um desafio. Algumas pessoas já descobriram há muito tempo que utilizar palavras-chaves para fazer buscas é muito importante, difícil é conhecer essas palavras chaves, já que cada pessoa domina uma área diferente, pior, as pessoas entram na internet apenas como passatempo, fazendo buscas em áreas as quais não dominam.

Nem é preciso dizer que o pensamento humano é dividido em ocidental e oriental e, quando a China conseguir dominar Oriente, poderá dizer também que o Oriente é socialista.

A educação é tão padronizada que até a cultura fica limitada, apesar da cultura não estar submissa à educação. Corremos o risco de um mundo falando uma única língua no futuro, o que seria uma tragédia, já que cada língua apresenta suas particularidades culturais. O preconceito idealizado pelas elites e a miséria dos pobres faz com que cada vez mais estejamos distantes do diferente, longe das descobertas. A ciência não ajuda muito, na medida em que passa a exigir uma prova e apresentar explicações sem sentido para o inexplicável.

Apesar de nosso cérebro estar se expandindo consideravelmente, a quantidade de distúrbios provocados por agressões físicas ou psicológicas é chocante. A alimentação tóxica a qual estamos submetendo nossos filhos, completa o estrago mental, mas as consequências disso ainda não estão bem claras em toda a sua extensão.

A degradação do meio ambiente, alimentação e poluição do ar, começam a criar mutantes, isso causa efeitos inesperados, pode ser bom, mas pode não ser tão bom assim, poderá gerar uma geração difícil de ser controlada.

By Jânio

Pregando peças no cérebro

A obscura natureza da mente humana

Realidade além da vida real

Ciência social insensível

Verdades proibidas

Mensagens subliminares

Prisioneiros da quarta dimensão

Principais causas de morte

outubro 29, 2015 Posted by | Reflexões | , , , | Deixe um comentário

O poder da subconsciência

subconsciente_1

Subconsciência

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 
 O termo subconsciência ou subconsciente (lit. abaixo da consciência), é utilizado em psicologia muitas vezes para descrever “qualquer tipo de conteúdo da menteexistente ou operante fora da consciência[1] .

Apesar de ser um termo pouco usado na terminologia científica, é muito difundido nacultura popular (cf. o livro O Poder do Subconsciente), onde é utilizado ora como sinônimo de “inconsciente” ou de “pré-consciente” (termos da teoria psicanalítica), ora, quando não se deseja fazer referência à obra de Sigmund Freud, para indicar de maneira geral todo o conteúdo da mente que não é acessível à consciência. Neste sentido mais amplo o subconsciente é, assim, a parte da mente não diretamente acessível ao indivíduo, mas alcançável através de técnicas diversas como a hipnose, a psicoterapia, as mensagens subliminares etc.

Subconsciente foi utilizado pela primeira vez pelo psiquiatra francês Pierre Janet, contemporâneo de Freud, para indicar os conteúdos da mente que se encontram em um nível inferior de consciência. Janet desenvolveu uma complexa teoria da mente, baseada nos conceitos de subconsciente e de dissociação, e foi o primeiro a propor que os conteúdos subconscientes dissociados (ou reprimidos) estejam na origem de alguns sintomas de tipo neurótico[2] O mesmo termo foi utilizado por Sigmund Freudem seus primeiros trabalhos, mas foi logo abandonado por causa da sua ambiguidade e substituído por “inconsciente.

Referências

outubro 14, 2015 Posted by | Ciências | , , | Deixe um comentário

Dez formas de manipular o cérebro

experiencias com o cérebro

Manipulação Cerebral

Conheça os 10 experimentos científicos que mostram que a mente pode ser facilmente controlada por fatores externos, sem o seu consentimento.

Há muitos anos os cientistas tentam estudar e compreender como funciona o cérebro humano, bem como as formas de manipulá-lo. Essas pesquisas podem ajudar na luta contra várias doenças mas, por outro lado, pode também provocar controvérsia, já que seus resultados  ajudariam a desenvolver mecanismos para controlar o comportamento das pessoas. A revista “Popular Mechanics” destacou dez experimentos surpreendentes que mostram que o cérebro humano pode ser facilmente manipulado por fatores externos.

O Decifrador do cérebro

Quando lemos para nós mesmos, ouvimos a voz na nossa cabeça.  Baseado nisso, os cientistas da Universidade da Califórnia, EUA, tentando decifrar a atividade neuronal para criar um implante e traduzir sinais cerebrais da fala através de um sintetizador de voz. Assim, será possível “falar” para as pessoas com deficiência e até mesmo pacientes em coma.

A ilusão da  mão de mármore

Durante esse experimento, os cientistas pediram aos voluntários que colocassem suas mãos sobre a mesa e suavemente golpeassem a mão direita com um pequeno martelo. Ao mesmo tempo, os voluntários ouviam o som de um martelo contra o mármore. Dentro de alguns minutos, eles começaram a sentir que sua mão estava ficando pesada e duro, como um pedaço de mármore.  Concluiu-se assim que o cérebro combina constantemente informações de diferentes sentidos, alterando a percepção do corpo embora estes permaneçam os mesmosa.

Leia também: E É assim que manipulam  nosso subconsciente para nos fazer comprar

A temperatura pode influenciar o nível de confiança entre as pessoas. Durante o experimento “dilema do prisioneiro”  dois supostos criminosos  ‘foram separados em diferentes celas e  receberam propostas para testemunhar um contra o outro em troca de uma sentença mais leve. Ao mesmo tempo, um deles estava segurando um objeto quente, enquanto o outro tinha que manter um pedaço de gelo em sua mão. Depois de várias experiências com pessoas diferentes, descobriu-se que os primeiros eram mais determinados a confiar em seu parceiro e não caluniar contra ele.

Teletransporte

Pesquisadores do Instituto Karolinska, na Suécia, conseguiram impor aos voluntários  a ilusão de uma experiência extra corpórea. Os participantes foram colocados em um scanner cerebral capaz de criar ilusões e ficção. Em segundos, as pessoas tinham a sensação de estar em outro lugar, em outro corpo.

O efeito McGurk

O experimento mostra como o que vemos influencia  o que ouvimos. Desta forma, se vemos no vídeo uma pessoa mover os lábios, como se dissesse “ga”, mas no áudio ouvimos “ba”, o cérebro converte para “da “provando assim que as coisas nem sempre são o que parecem ou o que se ouve.

Veja o video

Leia também:   Qual é a verdadeira função da serotonina no cérebro?

Gravador de cérebro

Este dispositivo, atualmente em desenvolvimento, permitirá que as pessoas que sofrem de paralisia expressem seus pensamentos. O capacete de eletrodos é uma tecnologia que permite seguir o movimento dos olhos, e um ‘software’ possibilita que uma pessoa com paralisia possa retransmitir suas palavras e idéias na tela do computador, movendo o “mouse” com o olhar.

Isolamento muito longo

Para a maioria das pessoas um isolamento muito longo irá causar graves perturbações mentais: alucinações e percepção alterada do tempo, entre outros. Foi demonstrado que, para um isolamento longo no escuro, o ciclo diário pode ser aumentada em até 48 horas para 36 horas de atividade,  seguidas de 12 horas de sono.

A ilusão do corpo invisível

Outro experimento no Instituto Karolinska mostra como uma pessoa pode pensar que vive em outro corpo. Os voluntários usavam óculos que projetava a imagem de um manequim. Os pesquisadores então começaram a tocar várias  partes dos corpos dos voluntários, enquanto faziam o mesmo com os manequins, ao mesmo tempo. Assim, os voluntários se sentiram  como se fossem esses manequins. Ao fazer o mesmo, mas no espaço vazio, sem os manequins, os voluntários sentiram como se seu corpo fosse invisível.

Leia também: Descoberta uma proteína que aumenta ou anula nossa memória

A estimulação elétrica da criatividade

Cientistas da Universidade da Carolina do Norte demonstraram que a eletricidade pode aumentar a criatividade humana. Os voluntários com idades  entre 19 a 30 anos de idade foram submetidas a uma estimulação eléctrica para gerar as chamadas ondas cerebrais alfa, que estão associados com o pensamento criativo. Sua criatividade aumentou em média 7,4% após o experimento.

A pílula da compaixão

Pesquisadores da Universidade da Califórnia, Estados Unidos, descobriram que podem manipular o “nível” de compaixão das pessoas ao mudar sua bioquímica cerebral. Um grupo de pessoas recebeu pílulas de placebo, enquanto outros, medicamentos de tolcapone, o que acelera a ação da dopamina, o “hormônio da felicidade”.  Ao ser pedido  aos voluntários para que compartilhassem o seu dinheiro entre estranhos, o segundo grupo foi mais generoso.

Leia também: Desenvolvido um método que permite controlar  a genes com a mente

Fonte: Wikipedia

Palinopsia cria “efeito matrix” no cérebro

Percepção do nada

Seis efeitos matrix já comprovados

Ciência social insensível

Ciência cega

As partes do cérebro são independentes

 

maio 27, 2015 Posted by | Ciências | , , , , , , | 2 Comentários

Realidade além da vida real

imagem em 4D

Realidade Virtual

Realidade no cinema

Assistindo o filme Vice e resolvi fazer uma releitura de um dos meus temas favoritos, percepção. Isso aconteceu porque eu fiquei refletindo sobre a violência explicita mostrada e criticada pelo filme. Eu fiquei imaginando se no lugar dos robôs, vítimas da violência, estivessem clones.

Aqueles robôs eram cópias perfeitas dos seres humanos, mesmo assim eram apresentados como robôs e fica muito mais fácil usar a violência em se tratando de robôs.

Robôs perfeitos assim são considerados ficção de um tempo muito distante, longe da realidade. Entretanto, serve muito bem para testar o grau de tolerância da sociedade em relação aos clones, manipulação genética. A manipulação genética seria, nesse caso, uma mensagem subliminar do filme. Vários filmes tem apresentado críticas sociais em forma de ficção, alguns exemplos são: Maze Runner – Correr ou morrer, Given – O doador de memórias, Before I go to sleep – Antes de dormir, Visões de um crime, Mindscape – Regressão, e o mais comentado de todos, A origem.

Todos esses filmes não deixam nada a dever aos clássicos, Matrix, Vanila Sky ou Terceiro Olho. Tudo isso era visto apenas como A hora do Pesadelo, mas tem se tornado bem mais crítico atualmente. A crítica até que é construtiva, já a manipulação está inevitavelmente relacionada aos meios de comunicação.

Realidades dos meios de comunicação

Durante muitos anos, séculos, milênios, enfim, desde que o ser humano passou a pensar de maneira mais complexa e a própria natureza se tornou mais complexa, o ser humano passou a valorizar mais a liberdade, ironicamente, quanto mais valor dava a sua liberdade, mais preso se tornava de sua dependência social. Assim, as pessoas estão sempre dependentes das instituições ao seu redor, poucas pessoas escapam a esse controle.

Quando os meios de comunicação se tornaram menos confiáveis, fez-se necessário que novos mecanismos fossem criados para que o controle fosse restabelecido. Antes, as notícias eram veiculadas por interesses, sem nenhuma opinião agregada, agora é preciso realismo e violência explícita.

Os realities shows tem surgido com essa finalidade, suprir as mentiras e manipulações que as novelas e noticiários não conseguem.

Muitas pessoas assistem a esses programas sem a menor noção do que está acontecendo. O filme 1984 criou o Big Brother e não há muito charme nessa idéias. A NASA criou um experimento científico para simular o que aconteceria com as pessoas presas e limitadas fora da Terra. Filmes como Admirável Mundo Novo até tentaram mostrar os perigos de uma sociedade controlada, manipulada, alienada, mas o destino demonstraria que as novas tecnologias tornariam isso muito mais perigoso para a sociedade.

Realidades mentais

A manipulação e o controle do ser humano, privando-o de sua liberdade, fez com que surgissem milhares de distúrbios mentais, alguns considerados normais pela sociedade, enquanto outros são considerados doença.

Isso tem acontecido porque nem todas as pessoas tem a natureza propícia ao controle, em algumas pessoas a mente reage a falta de liberdade e a manipulação, surgindo assim os distúrbios mentais.

A mente pode até criar realidades subconsciente ou semiconscientes. No caso da realidade semiconsciente, surgem os sonhos lúcidos que são realidades quase reais mas com um potencial ilimitado, além de ser controlado e interativo em relação a mente, já no caso da realidade subconsciente isso pode ficar restrito aos sonhos e pesadelos, mas também pode se tornar um problema real, afetando a personalidade do indivíduo, causando transtornos mentais.

É muito difícil dizer quem é louco ou quem é normal. A boa notícia é que a maioria das pessoas não perde o controle da própria mente, diante do controle exercido pela minoria opressora, a má notícia é que todos somos doentes mentais em menor grau.

Realidades tecnológicas

As novas tecnologias seguem as novas tendências e a demanda promove a busca de novos dispositivos para demonstrar a realidade ou a ficção, dependendo da área em que são aplicados. Quanto mais a nossa vida se torna tecnológica, maior a demanda pelo controle dessas tecnologias ou pela resolução dos problemas causados por elas.

Eu sempre via as possibilidades da tecnologia 4D quando o mundo ainda procurava desenvolver a tecnologia 3D, hoje, a tecnologia 4D já é uma realidade, mais que isso, abriu de vez a nossa visão para os limites entre a física real e a física filosófica ou, melhor dizendo, teoria das cordas, o portal para o multiverso.

Essas novas tecnologias abrem um leque de novas possibilidades, por exemplo, na ficção já surgem as memórias em hologramas, imagens em 3D, o que impossibilitaria a diferenciação entre os fantasmas e as memórias gravadas, isso para quem tem essa percepção, naturalmente. A tecnologia em 3d apresenta a possibilidade da transformação de todo o interior de uma casa em ambiente virtual e interativo, transformando essa casa num gigantesco dispositivo de realidade virtual.

Realidade virtual real

O computador possibilitou a interação entre vários recursos de comunicação e entretenimento: biblioteca, educação, vendas, correio, rádio, imprensa, tv, cinema, diário, manifestação ideológica, discussão, notícia em tempo real, atendimento personalizado, relacionamento, denúncia, etc., surgindo daí conceitos como multimídia e internet e realidade virtual.

A internet despertou o sentimento de individualidade de cada pessoa, mas demorou muito até que os poderosos descobrissem que isso seria uma ameaça ao poder elitizado e a verdade única, indiscutível, o fim dos argumentos preconceituados.

Através da internet a esquerda ganhou força, fortalecendo ainda mais o sistema bipartidário, o que não é bom, apesar de ser melhor que apenas a direita no poder. Por outro lado, a educação ganhou muito com isso, a quantidade de informação é tão grande que é preciso aprender a ver o que realmente deve ser visto. Contrariando o pensamento elitista de exclusão digital dos semi-analfabetos, a internet possibilita a  inclusão de imagens, e algumas valem por milhões de palavras, uma verdadeira revolução no universo da comunicação.

By Jânio

Primeiro protesto holográfico da história

Quase real

Cientistas querem provar o multiverso

Imagens em 4D

Sonhos lúcidos

Ciência social insensível

abril 17, 2015 Posted by | Ciências, Reflexões | , , , , , | 1 Comentário

Sociedade programada

Mundo Controlado

Mundo Controlado

Se opinião é igual a ponto de vista, naturalmente, não pode haver opinião pública, já que não existem pontos de vista públicos. Entretanto, admitindo-se a possibilidade da formação da opinião pública, opinião e ponto de vista não poderiam ser a mesma coisa – eu, particularmente, acho que quem segue a opinião pública, de fato, não pensa, não tem ponto de vista.

Pode até parecer exagero, mas é a partir dessa e de outras ideias que eu sou contra as opiniões públicas. Se uma pessoa forma opinião pública, de fato ela não pensa, afinal, cada um de nós tem uma cabeça, e não é só para enfeitar o corpo.

A sociedade não é muito criativa de um modo geral, a maior parte das pessoas estudam as mesmas coisas, aprendem as mesmas coisas. Um curso superior pode ser importante para o ego de uma pessoa, mas não ajuda tanto assim.

Pausa: Eu me lembro do diálogo entre um médico e um engenheiro recém formado – notem a diferença entre as visões, a partir das ciências humanas e ciências exatas.

– Você já terminou o curso? – médico.

– Sim. Agora só falta pegar a carteira – engenheiro.

– Por que você quer a carteira? – médico

– Sem a carteira, o meu curso não teria nenhum valor – engenheiro.

– Que nada, nenhuma empresa séria está interessada na sua carteira – médico.

– Eu sei, mas se acontecer de uma autoridade me parar… – engenheiro.

– O que você vai fazer? – médico.

– Eu apresento a minha carteira, mostrando que sou uma pessoa de boa reputação – engenheiro.

– Se você se atrever a mostrar a carteira para um policial, você vai cometer um crime e estará em uma grande encrenca – médico.

A questão do dom é muito importante, mas não se pode confundir profissão com entretenimento.

Nos dias de hoje, há falta de profissionais nas áreas de ciências exatas e a culpa disso é a falta de filosofia, educação adequada e informação sobre mercado de trabalho.

Só por aí, já dá para se ter uma ideia dos problemas que podem ser gerados em uma sociedade, caso não estejamos atentos.

Como sociedade, não somos muito criativos e dá para contar nos dedos a quantidade de físicos que se destacaram ao longo da história, entretanto, a física quântica deu mais importância às ciências exatas e deverá torná-la mais popular entre os acadêmicos.

Ironicamente, depois de se tornar maldita, depois do apocalipse da bomba nuclear, a física poderá nos mostrar um caminho de sabedoria, conhecimento e muita informação.

Não há dúvidas que a sociedade é programada desde o seu limiar, quando passou a se utilizar da fala para se comunicar e trocar informações, mas isso apenas se considerarmos a evolução do ser humano.

A fala é um tipo de comunicação que pretende transmitir todo o nosso pensamento, desde que estejamos a fim de compartilhá-lo – funciona de maneira programada.

A sociedade tem forçado as pessoas a acelerarem o aprendizado de seus filhos, para que tenham vantagens em um mundo tão competitivo.

O importante para a sociedade não é ter um filho precoce, mas fazer com que ele seja o melhor da turma ou, no mínimo, um dos três melhores, para que tenha privilégios em relação aos seus professores.

Mas há um grande grupo de pessoas que são muito difíceis de serem programados. Eles não são diferentes, mas tem o cérebro resistente a programação social.

Alguns são canhotos e relativamente ambidestros, outros são epilépticos, autodidatas ou apresentam algum tipo de distúrbio que acelera ou retarda o cérebro em relação aos cérebros programados.

Um autodidata assume essa postura para conseguir sobreviver, mas eu não estou falando só de alguém que aprende a tocar um violão, jogar futebol, marcenaria, mecânica, química, etc., eu estou falando de alguém que aprende tudo isso de maneira genial, com um domínio completo sobre o que cria ou manipula.

Os empreendedores não são necessariamente geniais, mas possuem a maior quantidade de habilidades possíveis em um ser humano, ou capacidade de aprender sem muita ajuda. Enquanto os empreendedores tornam-se grandes gestores de pequenos grandes negócios, as pessoas geniais se transformam em grandes consultores ou conselheiros.

Essas pessoas geniais já existiam há milhares de anos, se não considerarmos a evolução do ser humano mas, sim, da sociedade e, mesmo antes de falar, participando da primeira atividade social programada, já eram criativos e inteligentes.

É possível notar, na Idade média, o que poderia ter ocorrido na antiguidade, ou ainda nos primórdios dos tempos, se é que a humanidade surgiu aqui na Terra. Onde pessoas que não dependiam tanto da sociedade, e com uma capacidade de raciocínio maior, tornavam-se magos, bruxos ou semi-deuses.

Estamos numa nova era extremamente teórica, obscura e perigosa para os manipuladores de mentes, onde os poderosos pressentem uma grande transformação da humanidade, onde o que poderia ser o despertar da superconsciência para nós, poderia ser definitivamente o apocalipse para eles.

By Jânio

Profissões com falta de pessoas qualificadas

Duvidosa filosofia da vida moderna

Física quântica vai revolucionar a internet

Comunicação por símbolos

Com os dois lados do corpo

Despertar para a superconsciência

Rebeldes que desafiam o sistema

O mistério do sonambulismo

A obscura natureza da mente humana

O que uma pessoa com epilepsia sente

Epilepsia – Quando a mente tem um ataque

O despertar para a superconsciência

Faça você mesmo

dezembro 12, 2012 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , | 3 Comentários

As partes do cérebro são independentes

desenvolvimento mental

Independência Cerebral

Uma equipe de biólogos publicou os resultados de um estudo de 15 anos mostrando que o cérebro não evolui em conjunto.

O estudo de uma equipe internacional de biólogos, liderada pelo Dr. Reinmar Hager (Manchester University (EUA)) encontrou evidências de que as partes do cérebro podem desenvolver-se independentemente uma da outra.

O objetivo da investigação, que já dura quinze anos, foi descobrir se as distintas partes do cérebro podem responder separadamente ao estímulo ou se o cérebro responde como um todo, segundo um artigo publicado na revista “Nature”.

Os investigadores dizem ter contrastado sua hipótese, usando uma abordagem de genética quantitativa graças a um estudo de mais de 10.000 camundongos. Ao contrário de estudos anteriores, os pesquisadores compararam as medições cerebrais de uma única espécie.

Os cientistas tentaram examinar se as diferentes partes do cérebro-cerebelo, hipocampo, bolbo olfactivo, cortex ou o corpo estriado, tem um desenvolvimento independente ou se o cérebro se desenvolve como um todo.

Sete amostras de cada cérebro foram medidas segundo seu peso e volume. Além disso, Hager comparou as medições para cada rato com tamanho das partes do cérebro, encontrando correlação muito pequena entre o tamanho das partes do cérebro e o tamanho total deste.

“Se todas as partes do cérebro se desenvolveram como um todo, teríamos esperado encontrar o mesmo conjunto de influências genéticas em todas as partes. No entanto, encontramos muitas variações do gene para cada parte do cérebro”. disse o cientista.

Fonte: RT-TV

Esse artigo é muito interessante, principalmente porque já tratamos de assuntos relacionados ao cérebro, seguindo vários pontos de vistas diferentes.

A visão de que o cérebro funcione com partes separadas, não é nova, pelo menos que eu me lembre: pensamento, memória, raciocínio, sentidos vitais do corpo, sentimentos, etc., cada um funcionando em uma região específica do cérebro – Mas será que é isso mesmo?

Eu diria que independente não deve ser visto como separado. Isso já pôde ser comprovado em caso de derrames cerebrais, durante as terapias, onde uma parte do cérebro passou a assumir as funções da outra, incapacitada.

Já ficou comprovado que um hemisfério do cérebro trata de algumas funções, enquanto a outra metade cuida de outra, mas isso não é necessariamente uma regra. O cérebro consegue não só se adaptar, com a ajuda de terapias, como pode funcionar de maneira inversa.

Isso também pode ser comprovado em cirurgia de epilepsia grave e avançada, onde um hemisfério ficou isolado de outro. Apesar da capacidade de adaptação do cérebro, essas experiências mostraram que o cérebro funciona melhor junto e naturalmente, independente de uma pessoa ser canhota ou destra, aliás, o ambidestro tem mais habilidade que uma pessoa comum.

Aqui, é preciso separar também a inteligência do genial. A inteligência domina várias áreas e tem um controle melhor sobre todo o ambiente que o cerca, entretanto, o genial para ser superior, mas apenas em uma área, sem conseguir controlar o que acontece a sua volta e muito menos prever as consequências de seus atos e criações.

Há vários estudos a respeito do controle da mente, inclusive um desses estudos é desenvolvido por um brasileiro, tratando da interação entre o cérebro e a máquina.

Esse brasileiro foi um dos primeiros cientistas a ver o cérebro com um todo e não em partes separadas, e foi assim que ele conseguiu ligar as máquinas ao cérebro mas, como eu disse no texto acima, é mais provável que ambos estejam corretos, ou seja, o cérebro funciona de maneira independente e não separado.

Comentário: By Jânio

Quando a mente tem um ataque

Com os dois lados do cérebro

Dispositivo permite controlar as máquinas com o cérebro

O controle do cérebro

A zona cega do cérebro

A memória inconsciente

setembro 30, 2012 Posted by | Ciências | , , , , , | 2 Comentários

Linguagens mentais

biotecnologia

Leitura de Pensamentos

Nós sabemos que a comunicação só será identificada como tal, se alguém emitir uma mensagem e outra pessoa responder a tal mensagem. Seguindo por essa regra básica, identificamos várias formas de comunicação, algumas das quais eu lamento nunca ter tido tempo, interesse e material suficiente para o aprendizado.

A leitura dos lábios, combinada com a linguagem dos sinais; o método de Braille; fumaça; tambor; cordas; símbolos; ideograma; tudo isso são formas interessantes de linguagens e, como conhecemos pouco de nosso passado, desconhecemos o grau de conhecimento das civilizações antigas. Resumindo: Se o homem não tivesse aprendido falar, isso talvez não fizesse tanta falta como poderíamos pensar.

Na realidade, quando mais fácil se tornou a vida, pior ficou a criatividade do ser humano.

Eu até concordaria com a ideia de analistas que afirmam que, sem a fala e a escrita, o ser humano ainda estaria nas cavernas, o problema é que eu tenho minhas dúvidas sobre os supostos humanos pré-históricos, na pele de rudes seres humanos selvagens.

A teoria faz sentido, é claro. Se o ser humano escreve palavras, pensa com as palavras, certamente ele se desenvolverá mais rápido…

… mas isso apenas teoricamente, e também no sentido do desenvolvimento das massas (pessoas), individualmente falando, essas teorias caem por terra.

Cada vez que eu penso, escrevo ou falo sobre as linguagens, novas idéias surgem e torna-se inevitável uma reescrita sobre assunto.

Então, nós supomos que a evolução do homem possa ter se dado através da fala e da escrita, mesmo admitindo que individualmente, algumas pessoas poderiam ter evoluído sem o auxílio desses sistemas. De certa forma, os primeiros registros de escrita e fala, ocorreram já com a existência da sociedade.

Além disso, ainda há sociedades vivendo em cavernas, o que torna o termo caverna uma simples metáfora.

Aqui, nós podemos ultrapassar o limite das ciências e entrar no campo das ciências ocultas, onde a paranormalidade registra alguns casos reais e outros não comprovados.

Nostradamus usa a astrologia a Bíblia, seus conhecimentos e o melhor que a ciência oculta apresentava no momento, para eternizar de vez uma parte da cultura que, de outra forma, já estaria esquecida há muito tempo.

Os nomes mais conhecidos da história voltaram no tempo, para encontrar respostas e evoluir seus conhecimentos. Em alguns casos, como o de Hitler, ele se perdeu em meio a tantos sistemas políticos, científicos, religiosos, antropológicos, etc., em outros, como os casos de Copérnico e Maquiavel, foi possível resgatar verdades que seriam aproveitadas mais tarde, para revolucionar o mundo.

Se pelo menos um ser humano pudesse ler pensamentos, isso poderia mudar completamente o nosso modo de pensar, mas, se de fato isso acontecesse e se os humanos não conhecessem a escrita e a fala, qual seria o resultado. Será que o pensamento teria uma comunicação programada, como a escrita e a fala, ou estaria além do tempo e do espaço, como em nossos sonhos?

Nossos sonhos possuem uma linguagem peculiar e desafia o conceito básico de comunicação, onde uma pessoa fala e outra deve entender, para que se estabeleça de fato tal comunicação. Nos sonhos, podemos ser um ou, em alguns casos, dois, o que abre uma possibilidade infinita de existência virtual, onde poderíamos ser vários – por favor, não façam isso em casa.

Nesse momento, meus amigos, vocês já devem ter entendido que, nos sonhos, podemos virtualmente nos comunicar com nós mesmos.

… e, por falar em linguagem virtual, uma nova técnica de informática tem chamado muito a atenção na internet, a linguagem das tags.

Através das tags, os internautas tem abolido palavras menos importantes na escrita e que podem ser entendidas, subentendidas ou simplesmente ignoradas, sem que isso faça tanta falta. Essa informalidade faz um retrocesso no tempo, e pode resultar em novos sistemas de comunicação.

Lembra muito os ideogramas orientais e a escrita cuneiforme, numa época em que a criatividade era fundamental e valorizada. Enquanto os chineses ignoravam as técnicas de guerra, os arcádios/babilônicos combinavam a cultura e a arte da guerra.

Essa segunda forma não teve muito sucesso, já a primeira, sobreviveu até a chegada de Gengis Khan, um dos homens mais (des)importantes na globalização dos costumes através da guerra.

É na internet também que podemos observar as abreviações e o internetês, e isso é só o começo. Para quem já fez cursos online, ou off-line por DVD, sabe como são infinitas as possibilidades de criação, através da informática.

Os ambientes gráficos, 3D e 4D, poderão demonstrar novos gênios da criação e, quem sabe, revelar-nos a nossa própria, obscura e verdadeira face, fazendo nos conhecer os nossos medos mais íntimos, os mesmos que nem sempre é possível se conhecer através de sonhos lúcidos, pesadelos, psicoterapia, hipnose, etc.

… e, se a natureza do homem é má, chegou a hora de todos saberem, antes que cometamos mais erros imperdoáveis.

By Jânio

dezembro 31, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O que uma pessoa com epilepsia sente

Adaptação Mental

Posição Correta


Conviver com pessoas com epilepsia, deixa-nos com a sensação de peixes dentro d’água, quando o tema é relacionado a esse transtorno.

A família inteira era epiléptica, então, a minha pergunta era: Quando isso vai acontecer comigo?

Sendo o mais velho, eu me perguntava porque eu não era epiléptico, todos os meus irmãos mais novos eram.

Eu sentia uma necessidade muito grande de entender esse distúrbio, e deu trabalho para convencer o caçula a me revelar alguns detalhes de suas convulsões.

Claro que eu andava observando ele bem de perto, eu imaginava que esses ataques fossem uma forma de desabafo do cérebro.

Eu notei que antes de ter um ataque epiléptico, ele ficava completamente “aéreo”, introspectivo. Seus olhos ficavam fixos em um ponto e sua consciência o abandonava aos poucos.

Observando a epilepsia, é difícil não lembrarmos do transe, superconsciência, sono e até de uma pessoa descontrolada, histérica, mas, nesse caso, é um processo inverso. Enquanto uma pessoa histérica explode, uma pessoa epiléptica torna-se introspectiva, ausente.

Enquanto o meu irmão tinha uma crise epiléptica, eu observava a sua agitação. Na minha idade, entre dez e onze anos, seria difícil não imaginar que aquele menino de apenas quatro anos, não estivesse em uma espécie de desabafo, descarregando um sentimento, uma emoção gerada por um conflito, antes presa no inconsciente.

Não foi difícil também imaginar porque as mulheres tem menos ataques epilépticos.

Quando uma mulher tem um ataque histérico, ela consegue se livrar desse sentimento negativo que tanto atormenta o homem.

Não demorou muito para que eu tivesse os mesmo sintomas, olhar fixo e ausência. Como eu estudava numa das piores classes da escola, carinhosamente falando, eles sempre me livravam do transe, com suas bagunças.

– Acorda dorminhoco! Vá dormir em casa! Como você consegue dormir acordado?

A sensação de alívio, durante a ausência, durante o transe, era indescritível, mas eu não tinha um ataque, meus amigos não deixavam.

Nessa época, eu descobri, na prática, a possibilidade de abortar uma convulsão, em seu estágio inicial. Era como tirar uma pessoa de uma hipnose, difícil era descobrir uma maneira adequada, aos dez anos de idade.

Eu não tinha nenhuma dúvida, enquanto eu estivesse junto aquele bando de loucos, meus amigos, não haveria a menor chance de eu ter uma convulsão.

Eu passei, então, a acompanhar o meu irmão de perto. Quando ele ficava com o olho parado, eu tratava de acordá-lo do transe, só não sei se isso era bom ou mal.

Para mim, estava claro que a epilepsia era um mal necessário, uma forma de descarregar todos os conflitos psicológicos que atormentavam minha mente.

Uma mulher pode ter um ataque de histeria, mas um homem fica sempre com os conflitos mal resolvidos. Pelo fato de eu ser tão explosivo, eu havia sido poupado da epilepsia, pelo menos até aos nove ou dez anos.

Eu tentei passar isso para o meu irmão, mas não era fácil. Fugir de um transe, exigia concentração constante, coisa que nós não tínhamos.

A saída era dar alguns tapinhas no rosto, tentar despertar do transe. Junto aos amigos era fácil, mas quando eu estava só era difícil; se fosse hoje, certamente eu teria usado água fria.

Eu me lembro de um dia em que o meu amigo começou a me bater no rosto, foi o meu transe mais forte. Quando eu estava quase acordando, a professora pediu que ele parasse de bater no meu rosto, justamente quando eu estava acordando.

Enquanto as lágrimas desciam no meu rosto, eu consegui vencer o transe, mesmo sem os tapinhas.

A professora me perguntou se estava doendo muito, respondi que não – Por que as lágrimas? – perguntou-me ela.

– Por um momento, eu achei que seria vencido pelo transe e eu ainda não aprendi a perder – respondi.

Depois de algumas semanas, eu me livrei totalmente daquela falta de concentração, eu nunca mais dormi acordado. Acho que meus irmãos também não, pelo menos em casa, na escola eu não tinha muita certeza.

O tempo passou e, dez anos depois, meu irmão morreu.

Durante a guarda do corpo, todo tipo de gente apareceu. Até as pessoas mais velhas pareciam dispostas a atormentar minha alma. Alguns contavam piadas, outros tentavam chamar a minha atenção.

Na madrugada, a baixaria tomou conta da noite, piadas sujas, meninas que pareciam prostitutas. Muita gente achava que o velório era uma festa, enquanto o meu primo me dizia que estava vendo uma mulher muito “boa” perto da porta.

Foram duas noites sem dormir, na noite anterior eu havia tido um pressentimento, quando me avisaram que ele estava na UTI.

Quando o corpo saiu, eu me recusei a ir até o cemitério, seria preciso muito tempo para eu assimilar a morte dele.

Tranquei a porta do quarto, e senti a minha consciência se esvaindo, enquanto eu estava deitado. Debruçado na cama, eu não conhecia as técnicas de pessoas epilépticas, comecei a me afogar na saliva, mas eu não me importava mais.

Foi quando começaram a arrombar a porta.

– Ele está tendo um AVC – gritava a minha tia.

– Já não basta uma morte nessa noite – gritava a vizinha.

Talvez pela capacidade de controle que eu tinha sobre a epilepsia, mesmo me entregando a ela, ela não me dominou totalmente, daí o motivo de acharem que eu estava com um AVC, na realidade era um princípio de epilepcia parcial e voluntária.

Existem vários tipos de convulsões, minha família tinha convulsão parcial. Eu havia vencido a epilepsia a minha vida toda, mas naquela noite eu não fugi dela, eu precisava sair dali, ir para muito longe.

Depois de passado a crise, alguém me avisou para ir a igreja e ajudar a levar o caixão ao cemitério.

Algumas pessoas, sob pressão, matam, outras se entregam e morrem, mas há também um tipo de pessoa que entra em conflito profundo, sem se decidir, há pessoas que, sob pressão, tem um ataque.

By Jânio

Epilepsia – Quando a mente tem um ataque

agosto 9, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , | 88 Comentários

A obscura natureza da mente humana

passado do homem

Busca da Verdade

Há controvérsias sobre o nosso real controle do cérebro, o controle do cérebro, aliás, é uma ambição de muitas pessoas. Um mestre de artes marciais pode quebrar vinte tijolos com a cabeça, um hipnotizador pode fazer uma pessoa dormir, ou controlar sua mente;  o real e o ilusório caminham juntos, aqui.

Pelo fato do homem viver em sociedade, ser obrigado a seguir milhares de protocolos, isso criou uma limitação muito grande no controle sobre o cérebro. O cérebro passou a ser uma parte isolada do corpo, esse paradoxo – dependência/independência – tornou o inconsciente muito mais obscuro, tornando toda a sociedade doente, em maior ou menor intensidade.

Para manter o controle e não enlouquecer, diante de um mundo insano que o próprio homem criou, surgiram as religiões. Desde os primórdios dos tempos, o homem viu nas religiões uma forma de explicar o inexplicável, mantendo sua sanidade mental sob controle.

A ciência e a filosofia fazem parte da evolução do homem, portanto, não aceitam as respostas apresentadas pelas religiões, de maneira tão satisfatória.

Enquanto a filosofia, desde a antiguidade – Ela não é tão nova assim – busca suas próprias respostas, num esforço descomunal de pensamento, a ciência não só busca suas verdades, mas procura prová-las.

No caso da ciência, fica tudo muito mais trabalhoso. Apesar da ciência ser muito mais sensata, negando suas próprias origens, as ciências ocultas – alquimia, astrologia, curandeirismo, etc. – e a própria filosofia.

Nos últimos anos, temos visto uma verdadeira integração dos vários campos das ciências, inclusive sua volta às origens – a filosofia – contudo, as ciências ocultas nunca serão aceitas pela sociedade, pior, não se consegue uma explicação plausível para seus processos.

Podemos verificar muitas formas curiosas de se enganar a mente, como o ilusionismo, hipnose, mágicas e truques. Ultimamente tem sido desvendados vários desses truques, revelados para os donos do poder, já há muito tempo.

Nostradammus sabia dos perigos de se ter muitos conhecimentos, sem conseguir explicá-los, por isso, apesar de praticar as ciências ocultas, só mostrava o que poderia ser explicado ou aceito pela sociedade. A alquimia e outras ciências ocultas, foram muito importante, durante épocas em que as pragas, pestes, assolaram o mundo “civilizado”.

Só se aceita o óbvio em nossa sociedade, qualquer outra forma de conhecimento,  seu possuidor deverá prestar contas junto a autoridade máxima do poder.

Já houve uma época em que as bruxas eram queimadas na fogueira, inclusive cometendo-se grandes injustiças, como foi o caso de Joana D’arc, a santa que teve sua história contada e recontada pelo cinema e livros, inspirando até uma lenda do folclore americano, Billie Jean.

Na idade moderna, Rasputin foi o místico que governou a Rússia,  onde o Czar Nicolau II não passava de uma marionete, essa foi uma das causas da Revolução Russa.

Apesar da sociedade insistir em querer resposta para tudo – isso é impossível – como dizia Sócrates: “Só sei que nada sei”, “Conhece-te como a ti mesmo”. Jesus cristo também tem uma verdade, muitas vezes ignorada pela sociedade, algo como: “Uma árvore boa não dá mals frutos” – Infelizmente, em casos de pessoas polêmicas, essa verdade de Jesus fica restrita a ele e alguns poucos iluminados.

Organizações secretas milenares, teoricamente, poderiam ter a capacidade de manter conhecimentos antigos, desde os tempos do Antigo Egito, mas isso é apenas especulação de alguém que não tem o menor interesse em qualquer tipo de organização secreta, exceto minha própria mente.

Artistas de circo poderiam, eventualmente, apresentar números baseados em conhecimentos ocultos, secretos, mas, aqui, também é apenas especulação. As comunidades de circos são fechadas, sem nenhum interesse com o poder, por isso poderiam ser tolerados, quanto a seus conhecimentos – Hoje acontece com os efeitos de computador: “Acredite! Foi tudo feito por computador.”.

A idade média foi o ambiente ideal para as ciências ocultas, já que os grandes reinos ficavam fechados entre paredes. Nessa época, os bruxos não eram vistos com bons olhos, mas ficavam escondidos em locais inacessíveis, com raras exceções, como Nostradammus e Rasputim.

Naturalmente, uma pessoa super dotada com grande controle sobre a mente, e os elementos da natureza, poderia ser taxada como bruxo(a), isso acontece pelo fato de as “bruxas”, além de possuírem conhecimentos milenares, viverem longe da sociedade, o que as tornavam muito “estranhas”, assustadoras – note que estamos falando, aqui, da Idade Média.

Uma pessoa que vivesse em contado com a sociedade poderia,  e pode, ser visto de três maneiras: Como Santos – não bruxos – bruxos ou nem santos nem bruxos. No caso dos “Neutros”, nem santos nem bruxos, escaparam milagrosamente da fogueira pelo simples fato de conhecerem muito bem a sociedade, adaptando-se a ela.

Como já dissemos, nostradammus era inteligente o suficiente para escapar das duas “cruzes”, tanto a cruz do santo – apesar de sua proximidade aos padres e bispos da época – escapou também da “cruz” de bruxo, já que ele explicava o que mostrava, esse foi o motivo de ele não ser nem santo, nem bruxo.

Outro fato interessante é que, apesar de todos os conhecimentos de Nostradammus, ele não possuía nenhum sinal de mente super dotada, no sentido de poder da mente, eram puros conhecimentos mesmo.

Nostradammus foi um caso bem distinto de Jesus Cristo, tanto Jesus Cristo, quanto seus discípulos, não só possuíam muitos conhecimentos sobre religião, filosofia, história, leis – Tudo estava intimamente ligado – como possuíam poderes, dons, para fazer milagres, contrariando todas as ciências da época, tanto a medicina, quanto a física, etc.

Jesus Cristo pediu para seu discípulo Pedro andar sobre as águas. Apesar de sua capacidade –  foi escolhido para ser seu braço direito –  Jesus sabia que ele poderia andar sobre as águas, sabia da capacidade de sua escolha, também sabia que se seu discípulo número um afundasse nas águas, poderia salvá-lo. Jesus deu duas lições em seu discípulo favorito, primeiro a mais importante, humildade,  segundo, o poder da fé – Andar sobre as águas não tinha nenhum objetivo específico além de mostrar poder da fé.

O tempo passou, não vemos mais os santos, nem os bruxos, as novas profecias só se concretizam no cinema. Na vida real tudo soa muito falso, como charlatanismo e sensacionalismo, nem as possibilidades de anti-cristos e apocalipses são levadas mais a sério.

…mas ainda nos restam os loucos que nos fazem lembrar de tempos muito distantes, tempos mágicos, abençoados, onde o impossível podia acontecer. Naqueles tempos, as brumas escondiam, não os efeitos especiais do cinema, mas os mistérios de nossa própria mente obscura, que, ainda hoje, parece negar-nos todas as explicações, desafiando a sensatez da ciência, os protocolos da sociedade, trazendo em sua própria grafia, o conceito máximo de sua natureza obscura de negação: “MENTE”.     

By Jânio

fevereiro 5, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 43 Comentários

Sinais de que algo pode dar errado

Algumas pessoas tem uma imaginação fértil, bastam pequenos detalhes para que sua mente fique aguçada.

Nós podemos nos assustar com reflexos no espelho, com uma sombra ou até um barulho. Pouquíssimas  pessoas são totalmente imunes a sensibilidade dos cinco sentidos, criando, a partir daí, um sexto.

Apesar de não serem supersticiosas, outras pessoas não deixam de notar que algumas situações e imagens são, no mínimo, sugestivas.

Como você se sentiria se estivesse viajando por uma região inóspita, num país estrangeiro, de repente passasse por um túnel desse? – é como se a imagem dissesse “CUIDADO”.

bonita e perigosa

Tome cuidado

Apesar de essa ser apenas uma montagem, as nuvens criam formações muito mais intrigantes que essa, o pior é que só você vê o enquadramento certo da imagem bizarra.

fotos de nuvens

Nuvens bizarras

O medo é um sentimento que nos deixa muito mais atentos, mas algumas imagens passam a sensação de que vai acontecer alguma coisa errada.

premonição ou acaso

Conspiração do universo

By Jânio

fevereiro 15, 2010 Posted by | Piadas | , , , , , , , , , | 9 Comentários

O processo de funcionamento do cérebro.

desenvolvimento precoce

estranha forma de pensar

O cérebro do homem é uma das regiões menos conhecidas do corpo humano.

Um evangélico questionou-me sobre os vários santos existentes em igrejas católicas, eu disse para ele que os santos eram como um cenário de um lugar que deve ser respeitado pelos fiéis.

Dentro de um salão, completamente vazio, qualquer pessoa perde a noção de espaço e pode até perder a concentração.

Dizem os especialistas, em etiqueta, que um brinde tem por finalidade aguçar todos os sentidos de uma pessoa, aumentando a concentração, portanto, proporcionando uma melhor degustação pelo paladar requintado de uma pessoa.

O processo é relativamente simples:

Primeiro – A pessoa faz um brinde, tocando as taças, ouvindo um ruído.

Segundo – A pessoa sente o aroma.

Terceiro – Olha fixamente para a bebida, aumentando a concentração.

Quarto – Sente a gustação ao beber o vinho.

Seguindo criteriosamente esse ritual, a pessoa terá então aguçado todos os sentidos do cérebro, aproveitando cem por cento do cérebro na degustação do vinho.

No caso de amuletos, não é diferente. Por estarem há muito tempo na Terra, nem sabemos nossas origens, o homem desenvolveu várias crenças, inclusive em amuletos.

Há amuletos para todos os gostos: Figa, cruz de Davi, sino-saimão “sansolimão”, chaves, elefantes, trevo, treze, ferradura, corcunda, quarto de lua, porco, pata, cornos, buda, olhos, pirâmide.

Além dos amuletos, há os costumes: Acordar com o pé direito, não passar em baixo das escadas, não cruzar com gato preto, fazer o sinal da cruz, bater na madeira, cruzar os dedos, e por aí vai.

E funciona, na pior das hipóteses, o cérebro aumentará tanto a concentração que, dificilmente, a pessoa sofrerá um acidente.

O problema é que a crença cega nesses objetos, leva a pessoa a esquecer de seus deveres básicos: Não consumir bebidas alcoólicas, não fumar, manter um bom plano de saúde, ficar atento em relação ao bem estar de sua família, parentes e amigos.

Um cérebro aguçado pode ainda aumentar sua capacidade de processamento, desde que a pessoa leve uma vida saudável, pratique esportes, tenha momentos de lazer, tire férias e durma bem.

Nos adultos já foi comprovado, nas crianças também. Uma criança diminui as chances de sobrevivência, sem contato direto com sua mãe.

E tem que ser a mãe. O cérebro da criança não consegue acompanhar mais de uma personalidade, o que pode tornar sua mente confusa e insegura. Em seu início de desenvolvimento, se apega mais a uma pessoa somente.

Preocupações, como a saúde e a morte, devem se manter afastados da mente das crianças, até em adultos esses pensamentos costumam fazer um efeito catastrófico.

A mente deve ser usada no momento certo, evitando uma sobrecarga desnecessária, a não ser que seja feito de maneira natural e espontânea, nesse caso passa a ser quase um passatempo, desde que sem exagero, o que pode constituir-se em fuga a um problema maior.

o aquecimento do corpo e da mente, antes de qualquer atividade, é fundamental para a sua melhor performance, assim como o apoio e incentivo.

As técnicas de exercícios são variadas, os resultados ilimitados.

Leia mais:

https://icommercepage.wordpress.com/2009/05/27/pregando-pecas-no-cerebro/

By Jânio

fevereiro 5, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: