Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Reação a ala radical do rock

mensagem de amor

Eu amo Jesus

Não é bom ignorar as crianças, tão pouco tratá-las como adultos. Subestimar os adolescentes pode se tornar um grande erro.

Adolescentes, assim como as crianças, tem mais energia do que necessitam para viver. Vivendo num mundo de aparências onde nada faz muito sentido, os adolescentes tornam-se carentes e vítimas dos pilantras, traficantes ou outros caçadores de mentes.

Adolescentes são rebeldes sem causa, por isso, estão abertos a tudo o que vêem pela frente.

O rock sempre foi politicamente incorreto e cria falsas imagens que convence mais os jovens que as verdades da vida. A ideia é passar a imagem de bad boy, quanto pior, melhor. Cada tribo se agrupa em torno de seu líder e sente poderoso assim.

Símbolo de Amor

Símbolo de Amor

Um dos símbolos do rock foi paz e amor, aquele com os dedos em “V”. Também surgiu um símbolo da ala mais radical do rock mais pesado, com as mãos fechadas, mas com dois dedos em forma de “U” ou chifre. O que isso significava poderia chocar muita gente, isso se muita gente soubesse o que esse “U” significava.

A igreja católica demorou um pouco para notar a carência dos jovens e criar um símbolo que pudesse conter a outra mensagem obscura.

O símbolo postado aqui significa “eu amo Jesus”, e é antagônica à outra mensagem em “U” que significa exatamente o contrário.

Antes tarde do que nunca: finalmente a igreja resolveu facilmente o problema que poderia levar a outros. Esperamos que a reação seja mais rápida e eficaz diante da próxima ação inconsequente dos jovens.

By Jânio

Você também pode gostar de:

Comunicação com símbolos

Suástica – Símbolo obscuro do nazismo

 

julho 10, 2015 Posted by | Reflexões | , , , , | Deixe um comentário

Linguagens mentais

biotecnologia

Leitura de Pensamentos

Nós sabemos que a comunicação só será identificada como tal, se alguém emitir uma mensagem e outra pessoa responder a tal mensagem. Seguindo por essa regra básica, identificamos várias formas de comunicação, algumas das quais eu lamento nunca ter tido tempo, interesse e material suficiente para o aprendizado.

A leitura dos lábios, combinada com a linguagem dos sinais; o método de Braille; fumaça; tambor; cordas; símbolos; ideograma; tudo isso são formas interessantes de linguagens e, como conhecemos pouco de nosso passado, desconhecemos o grau de conhecimento das civilizações antigas. Resumindo: Se o homem não tivesse aprendido falar, isso talvez não fizesse tanta falta como poderíamos pensar.

Na realidade, quando mais fácil se tornou a vida, pior ficou a criatividade do ser humano.

Eu até concordaria com a ideia de analistas que afirmam que, sem a fala e a escrita, o ser humano ainda estaria nas cavernas, o problema é que eu tenho minhas dúvidas sobre os supostos humanos pré-históricos, na pele de rudes seres humanos selvagens.

A teoria faz sentido, é claro. Se o ser humano escreve palavras, pensa com as palavras, certamente ele se desenvolverá mais rápido…

… mas isso apenas teoricamente, e também no sentido do desenvolvimento das massas (pessoas), individualmente falando, essas teorias caem por terra.

Cada vez que eu penso, escrevo ou falo sobre as linguagens, novas idéias surgem e torna-se inevitável uma reescrita sobre assunto.

Então, nós supomos que a evolução do homem possa ter se dado através da fala e da escrita, mesmo admitindo que individualmente, algumas pessoas poderiam ter evoluído sem o auxílio desses sistemas. De certa forma, os primeiros registros de escrita e fala, ocorreram já com a existência da sociedade.

Além disso, ainda há sociedades vivendo em cavernas, o que torna o termo caverna uma simples metáfora.

Aqui, nós podemos ultrapassar o limite das ciências e entrar no campo das ciências ocultas, onde a paranormalidade registra alguns casos reais e outros não comprovados.

Nostradamus usa a astrologia a Bíblia, seus conhecimentos e o melhor que a ciência oculta apresentava no momento, para eternizar de vez uma parte da cultura que, de outra forma, já estaria esquecida há muito tempo.

Os nomes mais conhecidos da história voltaram no tempo, para encontrar respostas e evoluir seus conhecimentos. Em alguns casos, como o de Hitler, ele se perdeu em meio a tantos sistemas políticos, científicos, religiosos, antropológicos, etc., em outros, como os casos de Copérnico e Maquiavel, foi possível resgatar verdades que seriam aproveitadas mais tarde, para revolucionar o mundo.

Se pelo menos um ser humano pudesse ler pensamentos, isso poderia mudar completamente o nosso modo de pensar, mas, se de fato isso acontecesse e se os humanos não conhecessem a escrita e a fala, qual seria o resultado. Será que o pensamento teria uma comunicação programada, como a escrita e a fala, ou estaria além do tempo e do espaço, como em nossos sonhos?

Nossos sonhos possuem uma linguagem peculiar e desafia o conceito básico de comunicação, onde uma pessoa fala e outra deve entender, para que se estabeleça de fato tal comunicação. Nos sonhos, podemos ser um ou, em alguns casos, dois, o que abre uma possibilidade infinita de existência virtual, onde poderíamos ser vários – por favor, não façam isso em casa.

Nesse momento, meus amigos, vocês já devem ter entendido que, nos sonhos, podemos virtualmente nos comunicar com nós mesmos.

… e, por falar em linguagem virtual, uma nova técnica de informática tem chamado muito a atenção na internet, a linguagem das tags.

Através das tags, os internautas tem abolido palavras menos importantes na escrita e que podem ser entendidas, subentendidas ou simplesmente ignoradas, sem que isso faça tanta falta. Essa informalidade faz um retrocesso no tempo, e pode resultar em novos sistemas de comunicação.

Lembra muito os ideogramas orientais e a escrita cuneiforme, numa época em que a criatividade era fundamental e valorizada. Enquanto os chineses ignoravam as técnicas de guerra, os arcádios/babilônicos combinavam a cultura e a arte da guerra.

Essa segunda forma não teve muito sucesso, já a primeira, sobreviveu até a chegada de Gengis Khan, um dos homens mais (des)importantes na globalização dos costumes através da guerra.

É na internet também que podemos observar as abreviações e o internetês, e isso é só o começo. Para quem já fez cursos online, ou off-line por DVD, sabe como são infinitas as possibilidades de criação, através da informática.

Os ambientes gráficos, 3D e 4D, poderão demonstrar novos gênios da criação e, quem sabe, revelar-nos a nossa própria, obscura e verdadeira face, fazendo nos conhecer os nossos medos mais íntimos, os mesmos que nem sempre é possível se conhecer através de sonhos lúcidos, pesadelos, psicoterapia, hipnose, etc.

… e, se a natureza do homem é má, chegou a hora de todos saberem, antes que cometamos mais erros imperdoáveis.

By Jânio

dezembro 31, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , | Deixe um comentário

A comunicação dos símbolos

linguagem dos símbolos

Comunicação Simbólica

Em artigos anteriores, eu chamei a atenção para as dificuldades que temos em passar os nossos pensamentos para outras pessoas, através da comunicação.

As mulheres tem uma certa facilidade para se comunicar, ler os lábios, prever uma situação e dizem até que elas tem sexto sentido.

Se o homem não tivesse desenvolvido a fala, como forma de se comunicar, certamente as mulheres teriam encontrado uma forma alternativa de comunicação.

Charles Chaplin, inconformado com o cinema falado, dizia que a verdadeira comunicação vinha das mímicas. Como ele é considerado o maior artista desse gênero, a gente até entende.

Pode parecer fácil para um artista como Charles Chaplin, comunicar-se através de mímicas, mas nem todos somos artistas como ele ou temos o seu dom para a mímica. Em outras palavras, é quase impossível nos comunicarmos, sem utilizar a fala ou a escrita – lembrando que a escrita é uma evolução da fala, utiliza também as palavras

Se a comunicação já é tão complexa, da maneira como a utilizamos, transmitir os verdadeiros sentimentos torna-se quase impossível. Naturalmente, eu não estou falando de interpretação para o teatro.

…mas há uma forma de demonstrarmos os nossos sentimentos, filosofia, ideologia, de maneira quase impecável. Ironicamente, nesses casos, submetemo-nos às pessoas que não obedecem esses mesmos códigos de conduta.

Há símbolos que trazem embutidos em si, toda uma tradição e culturas milenares, e nem mesmo depois serem submetidos à testes práticos da sociedade, preconceitos de uns ou interesses políticos de outros, permanecem com sua história intacta.

Um exemplo disso é a suástica, um símbolo milenar que já existia milhares de anos antes do nazismo. Essa foi a forma que Adolf Hitler escolheu para se comunicar com os seus aliados.

Essa comunicação teria sido perfeita, se Adolf Hitler fosse fiel aos seus princípios, assim como era fiel aos seus interesses políticos. Adolf Hitler não precisava dizer uma só palavra, bastava apresentar a suástica e tudo estava dito.

Entretanto, o símbolo mais importante no ocidente é a cruz. A cruz também apresenta o mal e o bem em sua simbologia.

A cruz também já existia antes de Cristo e, assim como na tragédia grega de Homero, foi preciso decidir entre os verdadeiros princípios e o próprio destino.

Homero já dizia: “Você pode ficar vivo e ser esquecido, ou lutar, morrer, e ser lembrado para sempre”. Essa imortalidade fictícia de Homero, parece negar, de maneira sublimar, suas crenças nos mitos.

Jesus Cristo aceitou a sua cruz em forma de destino, foi fiel aos seus princípios, e morreu em nome deles.

Quando uma família perde um filho querido, queima todos os seus pertences, ou os enterra junto a ele. Algumas pessoas são tão afetadas por sua morte que tem dificuldade em aceitar isso, mudando até de residência ou cidade.

A cruz que matou Jesus, poderia ser visto como algo triste e mal, mas acaba tendo outro significado. Acaba significando o bem acima do mal, a aceitação do destino.

Quando alguém carrega uma cruz, traz consigo toda uma ideologia representada por seu símbolo. Não é preciso comunicar o verdadeiro sentimento, apenas apresentar a cruz.

Yin e Yang, o bem e o mal se tornam um único símbolo. Esse é um dos símbolo mais representativos do Oriente. De certa forma, ying e yang representam a essência da tradição oriental.

O Mal está sobre o bem. Esse símbolo parece chamar a atenção das pessoas para a necessidade de resolução de seus próprios conflitos.

Esse símbolo representa, principalmente, que o bem e o mal estão presente na vida, e devemos nos habituar e aceitar isso como fato.

Os ideogramas são outra forma de comunicação oriental, onde, através de um único símbolo, é possível criar várias idéias ou textos.

Estão ligados a filosofia e constituem-se uma forma culta de escrita.

A filosofia ocidental segue o processo tradicional de aprendizado, isso já foi experimentado na religião também, mas o resultado não foi muito satisfatório não.

A grafia dos símbolos é muito interessante e importante, como forma de transmitir informações e comunicar-se. Algumas vezes a imagem pode se tornar uma representação de um grande projeto.

Leonardo da Vinci foi um pintor famoso, mas a arte de pintar não era a sua única qualidade. Um de seus projetos, ligados ao sonho do homem de voar, acabou se realizando.

No desenho de seu projeto, podemos notar que Leonardo da Vinci não via outra forma de manter o homem no ar. Mais tarde, esse mesmo projeto serviu de base para a criação do paraquedas.

Quando o homem voa de avião, não é o homem que voa, é o avião, o homem só vai de carona. Quando um homem pula de para-quedas, ele tem um contato direto com a natureza, e é preciso em seus objetivos.

Como podemos ver, Leonardo da Vinci se comunicava bem através de seus desenhos, afinal ele foi o pintor.

By Jânio

outubro 5, 2011 Posted by | curiosidades | , , , , , | 6 Comentários

Pessoas

pensamentos instáveis

Sentimentos em Palavras

Para se falar em pessoas, estudá-las e entendê-las, primeiro é preciso esquecer tudo o que nós já lemos ou ouvimos sobre nossa origem e natureza. Podemos também aceitar tudo o que já foi dito e estudado, seguindo esse processo de evolução ou robotização.

Conhecendo os fatos de que a civilização egípcia não era inferior a nossa, mas só diferente, chegamos a suposição que o mundo não evoluiu, apenas se modificou.

Durante muito tempo, o homem travou inúmeras batalhas para dominar a Terra, durante essas batalhas, várias civilizações evoluídas foram exterminadas. Eu poderia afirmar, com certa tranquilidade, que durante os últimos dez mil anos não demos um passo sequer, rumo a uma suposta evolução.

Nossa história nunca foi democrática, nunca atenderam o desejo do povo. Os povos que satisfaziam o desejo da população evoluíram, mas foram destruídos pela maioria dos povos que eram bárbaros.

Todas as falsas ideologias, como busca de ar fora da atmosfera, guerras pela paz, prisões em nome da liberdade ou assassinatos em nome da vida, tudo foi tempo perdido.

O homem não pode ficar sem pensar, mas quando pensa, seus semelhantes não estão incluídos em seus planos.

Os maiores filósofos da história são pragmáticos em afirmar que não sabemos nada de nós mesmos. Algumas idéias surgidas em momentos instáveis da sociedade, portanto, invulneráveis à mudanças, são responsáveis pelo controle das populações atuais.

Antes da Segunda Guerra Mundial, por exemplo, havia uma tendência à procura de auto-afirmação do povo alemão, frente aos problemas sociais. Durante essa época, as idéias de Charles Darwin, com insinuações  não assumidas sobre a origem do homem, ganharam força. Tudo isso ocorreu numa época instável da sociedade; seria como uma ideia pensada sob encomenda.

Todas as tentativas de inclusões de sistemas estrangeiros, em um país decadente, foram um fracasso. Não se pode resolver problemas sociais a curto prazo, sem resolver a base do problema, a pobreza.

O homem precisa manter a mente ocupada, para não enlouquecer.

A religião tem sido muito eficiente nesse campo, mas só funciona em tempos de paz, estabilidade. Quando essa harmonia é rompida, o pensamento entra em processo de busca de novos ideais.

O homem tem consciência de sua existência biológica, onde vive e se reconhece, além de conviver com outras pessoas.

Um problema que surgiu com nossa necessidade de nos comunicarmos, através da fala, foi a impossibilidade de transmitir tudo o que sentimos através das palavras. Apesar de toda nossa evolução, somos doentes, usando quase toda nossa mente para manter as aparências.

Nossa mente tem um nome bastante sugestivo, parece controlar nosso comportamento, nossos hábitos, manter nossa aparência, tornando-nos, muitas vezes, incapazes de administrar nossa própria vida.

A comunicação vocal, social, torna-nos escravos de nosso próprio modo de viver, até quando pensamos, pensamos por palavras. Isso não deveria ser normal, deveríamos ser livres, pelo menos em nossos pensamentos.

Em meio a teorias e incertezas, perdemos a nossa capacidade de pensar livremente, para seguir os pensamentos e sonhos de nossas lideranças.

Quando dormimos e sonhamos, vendo-nos em situações incompreensíveis, nosso subconsciente parece mostrar-nos realidades que não são nossas, na realidade deveria ser.

Há conflitos de idéias até sobre Deus ser ou não uma pessoa, as pessoas que discutem, na maioria são ateus. As pessoas que mais creem, ou pensam crer, não tem a mínima ideia de como é o céu, ou o que Deus representa para elas.

Nesse caso, o nascimento de Jesus Cristo ajudou a resolver parte de nosso problema existencial. Quando Jesus diz: “Ninguém vem ao pai, senão por mim”, Jesus soluciona uma parte de nossos problemas.

Com o tempo, o homem criou outras pessoas:

Pessoa Jurídica – A lei separa a pessoa física e a pessoa jurídica, essa é uma boa alternativa de se elitizar a sociedade.

A comandita, uma empresa identificada como “Limitada”, a pessoa empresta dinheiro do banco e, caso a empresa vá a falência, essa pessoa não fica devendo nada. Para uma pessoa que não seja da área, fica difícil aceitar esse processo, separando a empresa (pessoa jurídica) da pessoa física.

Esse é um privilégio para quem consegue pensar como o sistema, promovendo-se através dele, com amigos deputados, governadores, prefeitos e empréstimos com juros baratos.

A pessoa jurídica é apenas uma das várias formas de se esconder da justiça, podendo ser através de multinacionais, fundações, ou as duas juntas.

Recentemente, numa investigação no Banestado, banco estatal do Paraná, foi descoberto um esquema bilionário de lavagem de dinheiro. A prisão de doleiros, dificulta esse tipo de operação, para pessoas comuns.

Pessoas Virtuais – A era da informação trouxe uma nova visão de pessoas, a elite não estava preparada para isso. Pela primeira vez, pessoas comuns puderam  manifestar-se.

Falar o que se pensa, denunciar; por mais que se tente bloquear o poder dessas pessoas virtuais, mas  elas se rebelam contra o sistema. Já há organizações incumbidas da identificação de movimentos rebeldes, anarquistas, mas isso não está surtindo o efeito que se esperava.

As consequências desse fenômeno de comunicação, pode ser notado ao redor do mundo, com vitórias constantes dos movimentos políticos de esquerda. Nem o imbatível capitalismo manteve-se intacto, diante dessas manifestações populares.

Agora tentam censurar a informação na rede, mas o processo iniciado pela internet já está avançado demais para ser interrompido.

Finalizando, a gestão de recursos humanos pode soar meio capitalista, tentando estipular valor ao ser-humano, mas, se isso parece pejorativo e humilhante à primeira vista, na realidade é uma conquista para os cidadãos, antes uma pessoa não tinha nenhum valor para uma empresa.

By Jânio

outubro 23, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , | 7 Comentários

A escrita cuneiforme

antigas escritas

Escrita Cuneiforme

ATUALIZANDO: Recentemente, publicamos um texto com o título de “A primeira forma de escrita”, nele podem ser encontradas algumas informações sobre como foi o início da escrita no mundo, pelo menos na visão dos arqueólogos.

Quanto as datas, eu não considero precisas as técnicas utilizadas pelos arqueólogos, mas elas são úteis, todo estudo precisa partir de um ponto.

Segundo os arqueólogos, as escritas mais antigas são:

A sofisticada escrita da China, onde podemos verificar uma das formas gráficas de comunicação mais interessantes de todos os tempos. Por ser um país tradicional, a china não só preserva suas antigas culturas, como pode nos dar pistas sobre nossas origens e/ou nossas culturas, o ideograma é o melhor exemplo disso.

Segundo as técnicas dos arqueólogos, a escrita chinesa surgiu por volta de 2.000 anos antes de Cristo, mas como eu disse, será difícil mudar essa data, ou verificar uma nova.

Os hieroglifos, ou hieróglifos, são, ao lado da escrita cuneiforme, as formas de escrita mais antigas do mundo. No caso dos hieroglifos, foram descobertos no Egito e, como já dissemos, publicados em outro post.

Segundo os arqueólogos, os hieroglifos datam de 2.500 anos antes de Cristo, não podendo ter ultrapassado os 3.000 anos antes de Cristo, sendo assim, esse será um dos primeiros artigos que será atualizado, nem por isso descartaremos o conteúdo do outro post, considerado bastante relevante, já que boa parte dele refere-se à própria escrita cuneiforme.

Vamos então conhecer a escrita cuneiforme, segundo os arqueólogos, a escrita mais antiga do mundo, datando de 3.500, anos antes de Cristo.

A escrita cuneiforme, pelo que consta, surgiu no sul do Iraque, antiga Suméria. Foi nessa região que se verificou os primeiros registros da história, em cidades como Ur e Uruk.

O povo sumério apresenta características de uma grande civilização, com início e desenvolvimento, respectivamente.

No início, a escrita cuneiforme, que recebe esse nome por ser escrita com a ajuda de cunhas, era representada por formas do mundo, pictogramas ou pictografias,  com o passar dos anos, essas formas foram simplificando.

No Egito, os hieroglifos também apresentam essas características em seu desenvolvimento. No início, a escrita egípcia apresentava formas da natureza, um exemplo disso, foi a ave, que mais tarde deu origem a letra “A”, mostrando a proximidade da língua escrita á lingua falada, assim como sua fluência natural.

Curiosamente, a pedagogia se utiliza de cartilhas até hoje, como ferramenta de aprendizado. O mesmo não acontece no aprendizado de línguas estrangeiras, onde considera-se que os “adultos” tenham mais facilidade de aprendizado sem a necessidade dessas técnicas.

A simplificação da escrita é verificada também no Egito, onde haviam duas formas de escritas: Uma culta, extremamente complexa, e outra simplificada, utilizada pelo povo. Isso pode ser verificado na China também, onde o ideograma caracteriza-se com uma forma culta, sofisticada, enquanto o mandarim e outras línguas regionais tornaram-se línguas do povo.

Apesar das leis serem expostas em praça pública, raríssimas pessoas entendiam o que estava escrito, como era o caso da Babilônia.

Essa escrita passou, com o tempo, a ser mais simples e abstratas.

WIKIPEDIA: “Os primeiros pictogramas eram gravados em tabuletas de argila, em sequências verticais de escrita com um estilete feito de cana que gravava traços verticais, horizontais e oblíquos. Até então duas novidades tornaram o processo mais rápido e fácil: as pessoas começaram a escrever em sequências horizontais (rotacionando os pictogramas no processo), e um novo estilete em cunha inclinada passou a ser usado para empurrar o barro, enquanto produzia sinais em forma de cunha. Ajustando a posição relativa da tabuleta ao estilete, o escritor poderia usar uma única ferramenta para fazer uma grande variedade de signos.

Tabuletas cuneiformes podiam ser tostadas em fornos para prover um registro permanente; ou as tabuletas poderiam ser reaproveitadas se não fosse preciso manter os registros por longo tempo. Muitas das tabuletas achadas por arqueólogos foram preservadas porque foram tostadas durante os ataques incendiários de exércitos inimigos, contra os edifícios no qual as tabuletas eram mantidas.

A escrita cuneiforme foi adotada subsequentemente pelos acadianos, babilônicos, elamitas, hititas e assírios e adaptada para escrever em seus próprios idiomas; foi extensamente usada na Mesopotâmia durante aproximadamente 3 mil anos, apesar da natureza silábica do manuscrito (como foi estabelecido pelos sumérios) não ser intuitiva aos falantes de idiomas semíticos. Antes da descoberta da civilização Suméria, o uso da escrita cuneiforme apesar das dificuldades levou muitos estudiosos a suspeitar da existência de uma civilização precursora à babilônica. A sua invenção ficou a dever-se às necessidades de administração dos palácios e dos templos (cobrança de impostos, registro de cabeças de gado, medidas de cereal, etc.).

O registro mais antigo até agora encontrado data do século XIV a.C. e está escrito em símbolos cuneiformes da língua acadiana. O pedaço de barro escrito foi achado em Jerusalém por arqueólogos israelenses.”

Leia mais:

http://migre.me/1ppTc

http://pt.wikipedia.org/wiki/Escrita_cuneiforme

By Jânio

setembro 26, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , , , , | 19 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: