Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Ciência cega

Milagres Científicos

Milagres Científicos

“A ciência sem religião é imperfeita, a religião sem ciência é cega” – Albert Einstein.

Eu entendo que Einstein defendia as ciências, afinal ele era um cientista, mas quem disse que não é a ciência que é cega?

As ciências tiveram origem em experiências feitas pelo ser humano e sua origem é tão remota quanto a nossa. Hoje, rejeitamos as experiências da alquimia e os fundamentos milenares da religião.

Nossas tecnologias mais avançadas são baseadas em pura teoria, e catástrofes surgiram desse nosso conhecimento limitado. Atualmente há equipamentos capazes de adentrar o universo obscuro do átomo, na minha infância isso não era possível.

Foi por isso que eu sempre critiquei a ideia de se levar tão a sério as teorias, forçando um avanço tecnológico ao qual não estamos preparados para controlar, manipular, como é o caso da energia nuclear. Foi assim que as primeiras bombas atômicas explodiram, foi assim que o mundo quase acabou.

É preciso muita sensibilidade para acreditar na religião, em Deus e em muitos mistérios entre o Céu e a Terra. Também é preciso muita sensibilidade para amar, entender as pessoas e receber os dons divinos dos milagres, fazer e receber.

Uma pessoa que não tem uma religião e não acredita em nada, naturalmente também não poderá escrever uma poesia, revelar seus sonhos em forma de texto.

Ninguém está pedindo para que as pessoas se emocionem, chorem diante das belezas desse mundo, parece até que o mundo parou de dar valor a isso. O problema é que essa falta de sensibilidade está trazendo consequências muito graves.

A sociedade está se tornando fria, egoísta. As pessoas estão abandonadas e só sente suas próprias emoções, pior, acostumam-se com a violência e a falta de sensibilidade.

Agora dependemos da fé na religião para sobreviver, e religião é como amigo, quando mais se precisa é que sabemos quem são os verdadeiros.

Milagres existem

Ciência social insensível

Deus existe

Fantasmas existem

Espírito da alma

Profissões em baixa em Portugal

Obscuro universo do átomo

janeiro 15, 2013 Posted by | Cinema | , , , , , | 7 Comentários

Melhores filmes com pessoas paranormais

pessoas estranhas

Pessoas Paranormais

O que você faria se encontrasse alguém dizendo que veio do planeta Krypton, alguém que voasse e fosse à prova de balas? – Certamente sairia correndo, não é mesmo? – Pelo menos é o que eu faria.

De certo modo, todos os super-heróis das revistas em quadrinhos são estranhos. Ninguém tem medo deles, pelo menos nas revistas, mas fora delas, mesmo esses seres que admiramos na infância, são criaturas muito estranhas.

O sobrenatural e o desconhecido causam medo, mesmo assim, criamos formas de separar o que nos parece normal do que não seria.

Bruxas são personificadas naquelas que invertem os conceitos da sociedade, são asquerosas, estranhas, malignas e possuem uma filosofia contrária ao que acreditamos.

Até Edgar Rice Burroughs pode assustar, pelo menos na versão cinematográfica de Tarzã, em Greystoke.

Acredito que o cinema mostra uma versão mais próxima da realidade, se comparada aos quadrinhos, mas ainda fica longe da qualidade dos livros.

Por isso imaginar Stephen King escrevendo o roteiro de X-Men, para Brian de Palma dirigir, é pedir demais…mas não se preocupe, você pode ver isso no cinema, não os X-Men, mas “Carrie – A estranha.”

A seguir, listamos vários filmes com pessoas superdotadas. Nesta lista, poderemos notar que as inspirações podem variar muito, desde as inocentes revistas em quadrinhos até os mais terríveis filmes de horror; das comédias aos dramas, com suspense bizarro; até ficção ciêntífica poderá ser encontrada nessa lista.

Nos anos 70, a revista Cripta mostrava o que havia de melhor no gênero fantástico, terror/ficção.

Vejam a lista:

01 – Corpo Fechado – Bruce Willis pode ser um homem imune a tudo – ou seria apenas sorte? – até encontrar seu arqui-inimigo Samuel L. Jackson, um homem frágil, que se considera azarado.

O desenhista de histórias em quadrinhos provoca acidentes, na esperança de promover o herói, mesmo que pessoas tenham que morrer para isso – O que seria dos heróis sem os vilões? – Ironiza.

02 – A fúria – Kirk Douglas é um agente do governo que perde a cabeça, quando seu filho paranormal é sequestrado. O agente descobre uma conspiração do próprio governo para treinar superdotados.

O diretor Brian de Palma mostra seu estilo, a câmera lenta, além do talento para lidar com personalidades estranhas. No elenco, Kirk Douglas, Amy Irving,  …

03 – X-Men – A revista X-Men se destacava das outras, por mostrar o lado obscuro dos superdotados. Um grupo de super-heróis e anti-heróis quase bizarros, representando uma ameaça aos donos do poder.

No cinema, foi uma das melhores adaptações, ficando bem próxima das histórias originais em quadrinhos.

04 – Carrie – A estranha – Uma menina atormentada pelo fanatismo da mãe, possuindo uma força mental descomunal, começa a perder o controle e a ficar instável. O que parecia apenas uma pessoa estranha, indefesa, começa a se tornar um perigo a todos, mas principalmente para ela mesma.

No Elenco: John Travolta, Nancy Allen, Sissi Spacek, Ami irving….

Brian de Palma criava seu melhor filme até então, seguindo a linha de “A Fúria”, com um final surpreendente.

05 – Scanners – Um grupo de pessoas com grande poder da mente é caçado pela polícia, revelando mais um mestre do cinema fantástico para o mundo, David Cronenberg.

06 – A hora da Zona Morta – Depois de ficar em coma muito tempo, por causa de um acidente de carro, um homem adquire a capacidade de ver o passado e o futuro das pessoas, mas isso não agrada algumas pessoas.

Eu já disse que a dupla king e de Palma era insuperável? – Pois é, além de Brian de Palma, David conenberg e Stanley Kubrick aproveitaram os livros de Stephen king.

07 – Abra los Ojos – Refilmado como Vanila Sky, a história mostra um homem que sofre um grave acidente, fica com o corpo deformado. o playboy que não dava a mínima para a vida, torna-se um homem amargurado, enlouquecendo aos poucos.

08 – Efeito Borboleta – Um homem tem a capacidade de viajar no tempo, com a força da mente, podendo mudar a realidade, o problema é que cada vez que ele tenta mudar alguma coisa, compromete o futuro.

09 – Camisa de Força – Segue a mesma linha de Efeito borboleta, mas com um roteiro ainda melhor trabalhado, a ponto de o personagem parecer estar em uma dimensão alternativa. O resultado é surpreendente, como o fato de o personagem principal confrontar-se com ele mesmo.

10 – A Montanha Enfeitiçada – Filme simpático, como todos os filmes feitos pela Disney.

Um casal de gêmeos superdotados, separados na infância, consegue se encontrar, mas isso é só o começo para um mistério maior ainda.

11 – Doutor DoLitle – Edie Murph faz um médico que consegue literalmente falar com os animais. Numa ideia que parece totalmente idiota, Edie murph parece se dar muito bem.

Mais uma história em quadrinhos, aproveitada para o cinema. No cinema brasileiro, essa ideia ainda não trouxe resultados.

12 – Do que as mulheres gostam – Mel Gibson consegue ler a mente das mulheres, literalmente falando – ou pensando – podendo tirar vantagens dessa situação.

É claro que isso vai dar encrenca, mas nem a história, nem o final, vão além do regular.

Obs: Bruce Willis, ex-Demi Moore, gostou tanto desse estilo de filme que fez  três, além de “Corpo Fechado”, “Sexto Sentido”, “Mercury rising”, “Os doze macacos”.

O atual namorado de Demi Moore, Ashton Kutcher, também gosta desse estilo, como podemos comprovar no insuperável “Efeito Borboleta”. Isso me leva a crer que Demi Moore gosta muito de estórias em quadrinhos… ou de jovenzitos…

Melhores filmes de ficção

Melhores filmes de viagem no tempo

Top Musicais

By Jânio

março 12, 2011 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , | 12 Comentários

A obscura natureza da mente humana

passado do homem

Busca da Verdade

Há controvérsias sobre o nosso real controle do cérebro, o controle do cérebro, aliás, é uma ambição de muitas pessoas. Um mestre de artes marciais pode quebrar vinte tijolos com a cabeça, um hipnotizador pode fazer uma pessoa dormir, ou controlar sua mente;  o real e o ilusório caminham juntos, aqui.

Pelo fato do homem viver em sociedade, ser obrigado a seguir milhares de protocolos, isso criou uma limitação muito grande no controle sobre o cérebro. O cérebro passou a ser uma parte isolada do corpo, esse paradoxo – dependência/independência – tornou o inconsciente muito mais obscuro, tornando toda a sociedade doente, em maior ou menor intensidade.

Para manter o controle e não enlouquecer, diante de um mundo insano que o próprio homem criou, surgiram as religiões. Desde os primórdios dos tempos, o homem viu nas religiões uma forma de explicar o inexplicável, mantendo sua sanidade mental sob controle.

A ciência e a filosofia fazem parte da evolução do homem, portanto, não aceitam as respostas apresentadas pelas religiões, de maneira tão satisfatória.

Enquanto a filosofia, desde a antiguidade – Ela não é tão nova assim – busca suas próprias respostas, num esforço descomunal de pensamento, a ciência não só busca suas verdades, mas procura prová-las.

No caso da ciência, fica tudo muito mais trabalhoso. Apesar da ciência ser muito mais sensata, negando suas próprias origens, as ciências ocultas – alquimia, astrologia, curandeirismo, etc. – e a própria filosofia.

Nos últimos anos, temos visto uma verdadeira integração dos vários campos das ciências, inclusive sua volta às origens – a filosofia – contudo, as ciências ocultas nunca serão aceitas pela sociedade, pior, não se consegue uma explicação plausível para seus processos.

Podemos verificar muitas formas curiosas de se enganar a mente, como o ilusionismo, hipnose, mágicas e truques. Ultimamente tem sido desvendados vários desses truques, revelados para os donos do poder, já há muito tempo.

Nostradammus sabia dos perigos de se ter muitos conhecimentos, sem conseguir explicá-los, por isso, apesar de praticar as ciências ocultas, só mostrava o que poderia ser explicado ou aceito pela sociedade. A alquimia e outras ciências ocultas, foram muito importante, durante épocas em que as pragas, pestes, assolaram o mundo “civilizado”.

Só se aceita o óbvio em nossa sociedade, qualquer outra forma de conhecimento,  seu possuidor deverá prestar contas junto a autoridade máxima do poder.

Já houve uma época em que as bruxas eram queimadas na fogueira, inclusive cometendo-se grandes injustiças, como foi o caso de Joana D’arc, a santa que teve sua história contada e recontada pelo cinema e livros, inspirando até uma lenda do folclore americano, Billie Jean.

Na idade moderna, Rasputin foi o místico que governou a Rússia,  onde o Czar Nicolau II não passava de uma marionete, essa foi uma das causas da Revolução Russa.

Apesar da sociedade insistir em querer resposta para tudo – isso é impossível – como dizia Sócrates: “Só sei que nada sei”, “Conhece-te como a ti mesmo”. Jesus cristo também tem uma verdade, muitas vezes ignorada pela sociedade, algo como: “Uma árvore boa não dá mals frutos” – Infelizmente, em casos de pessoas polêmicas, essa verdade de Jesus fica restrita a ele e alguns poucos iluminados.

Organizações secretas milenares, teoricamente, poderiam ter a capacidade de manter conhecimentos antigos, desde os tempos do Antigo Egito, mas isso é apenas especulação de alguém que não tem o menor interesse em qualquer tipo de organização secreta, exceto minha própria mente.

Artistas de circo poderiam, eventualmente, apresentar números baseados em conhecimentos ocultos, secretos, mas, aqui, também é apenas especulação. As comunidades de circos são fechadas, sem nenhum interesse com o poder, por isso poderiam ser tolerados, quanto a seus conhecimentos – Hoje acontece com os efeitos de computador: “Acredite! Foi tudo feito por computador.”.

A idade média foi o ambiente ideal para as ciências ocultas, já que os grandes reinos ficavam fechados entre paredes. Nessa época, os bruxos não eram vistos com bons olhos, mas ficavam escondidos em locais inacessíveis, com raras exceções, como Nostradammus e Rasputim.

Naturalmente, uma pessoa super dotada com grande controle sobre a mente, e os elementos da natureza, poderia ser taxada como bruxo(a), isso acontece pelo fato de as “bruxas”, além de possuírem conhecimentos milenares, viverem longe da sociedade, o que as tornavam muito “estranhas”, assustadoras – note que estamos falando, aqui, da Idade Média.

Uma pessoa que vivesse em contado com a sociedade poderia,  e pode, ser visto de três maneiras: Como Santos – não bruxos – bruxos ou nem santos nem bruxos. No caso dos “Neutros”, nem santos nem bruxos, escaparam milagrosamente da fogueira pelo simples fato de conhecerem muito bem a sociedade, adaptando-se a ela.

Como já dissemos, nostradammus era inteligente o suficiente para escapar das duas “cruzes”, tanto a cruz do santo – apesar de sua proximidade aos padres e bispos da época – escapou também da “cruz” de bruxo, já que ele explicava o que mostrava, esse foi o motivo de ele não ser nem santo, nem bruxo.

Outro fato interessante é que, apesar de todos os conhecimentos de Nostradammus, ele não possuía nenhum sinal de mente super dotada, no sentido de poder da mente, eram puros conhecimentos mesmo.

Nostradammus foi um caso bem distinto de Jesus Cristo, tanto Jesus Cristo, quanto seus discípulos, não só possuíam muitos conhecimentos sobre religião, filosofia, história, leis – Tudo estava intimamente ligado – como possuíam poderes, dons, para fazer milagres, contrariando todas as ciências da época, tanto a medicina, quanto a física, etc.

Jesus Cristo pediu para seu discípulo Pedro andar sobre as águas. Apesar de sua capacidade –  foi escolhido para ser seu braço direito –  Jesus sabia que ele poderia andar sobre as águas, sabia da capacidade de sua escolha, também sabia que se seu discípulo número um afundasse nas águas, poderia salvá-lo. Jesus deu duas lições em seu discípulo favorito, primeiro a mais importante, humildade,  segundo, o poder da fé – Andar sobre as águas não tinha nenhum objetivo específico além de mostrar poder da fé.

O tempo passou, não vemos mais os santos, nem os bruxos, as novas profecias só se concretizam no cinema. Na vida real tudo soa muito falso, como charlatanismo e sensacionalismo, nem as possibilidades de anti-cristos e apocalipses são levadas mais a sério.

…mas ainda nos restam os loucos que nos fazem lembrar de tempos muito distantes, tempos mágicos, abençoados, onde o impossível podia acontecer. Naqueles tempos, as brumas escondiam, não os efeitos especiais do cinema, mas os mistérios de nossa própria mente obscura, que, ainda hoje, parece negar-nos todas as explicações, desafiando a sensatez da ciência, os protocolos da sociedade, trazendo em sua própria grafia, o conceito máximo de sua natureza obscura de negação: “MENTE”.     

By Jânio

fevereiro 5, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 43 Comentários

O tempo das sombras

tempo sombrio

Muito além dos sonhos

Entre a queda do império romano até os dias de hoje, houve uma época sombria, onde o lado obscuro da mente humana reinava absoluto. Na época da renascença, por exemplo, havia, de um lado, reinos remanescente do, outrora, poderoso império, como Florença, de onde surgiram alguns dos maiores gênios, pensadores e filósofos da história; por outro lado, fora dessas ilhas de prosperidade, haviam povos abandonados à sua própria sorte.

Podemos dizer que os tempos de hoje, nosso sistema, é inspirado no iluminismo, o iluminismo, por sua vez, tem uma forte influência do renascentismo, herdeiros do império romano. E é, justamente, após a queda de Roma que iniciou um período de trevas, onde os alquimistas eram tratados como bruxos, enquanto as ciências ocultas proliferavam pela Europa.

A história do chapeuzinho vermelho, por exemplo, era bem diferente dos dias de hoje. A história era contada como forma de alertar os aldeões para a proteção de suas filhas virgens, para proteger as crianças de estranhos.

Na história original, o lobo mau mata a vovozinha doente, fatia seu corpo, enche a garrafa com o sangue e serve para chapeuzinho vermelho, acompanhado de sua carne.

Como podemos notar, essa foi uma época onde a tradição era tudo o que separava os aldeões do caos total.

A história de Branca de Neve e os Sete anões, foi outra história que teve versões bem mais adultas, onde os sete anões eram substituídos por sete bandidos.

Com o passar dos tempos, as histórias viraram contos de fadas infantis, o paganismo foi proibido, as bruxas queimadas e as ciências ocultas ficaram literalmente ocultas. Algumas ciências ainda são praticadas em forma de sociedades secretas.

Até técnicas mais comuns, como a hipnose, passaram a ser tratadas de maneira infantil, em números circenses. Talvez por isso tenha perdido a credibilidade.

By Jânio

janeiro 2, 2010 Posted by | Web 2.0 | , , , , , , , | 32 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: