Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Amnésia – A zona cega do cérebro

apagão cerebral

Perdido na Escuridão

Quando uma pessoa sofre distúrbio(s) na memória, pode perder a capacidade de reter informações novas ou evocar informações antigas.

Esses distúrbios podem ser provocados por traumas físicos (acidente, queda, pancada, derrames, envelhecimento, etc) ou psicológico (emoções fortes), recebendo o nome de amnésia.

Até há pouco tempo atrás, havia apenas a memória cerebral, hoje temos também a memória digital. Quanto mais analisamos a memória digital, mais ela se parece com a memória cerebral, inclusive na caso da perda de informações; isso nos passa uma ideia prática daquilo que seria apenas teórico.

Tudo o que os médicos estudam e tratam, é baseado nos relatos e informações fornecidas pelos próprios pacientes, dando um caráter teórico a esse processo. Já no caso da memória digital, isso é muito mais prático.

Isso já pôde ser verificado por Freud, ao hipnotizar sua paciente, ela jamais teria revelado espontaneamente suas relações incestuosas. Além disso, mesmo sob hipnose, as experiências podem não ter ocorrido, ficando apenas no imaginário, transe, sonho lúcido.

A perda da memória digital, lembra muito a amnésia, assim como a dificuldade de acesso a “arquivos” de informação.

Muita gente chega a dizer que o ser humano é uma máquina perfeita, devido a sua eficiência, tanto na funcionalidade dos órgãos, quanto no desenvolvimento para a proteção desses órgãos, como é o caso do cérebro.

A região onde está a memória, é uma das partes mais protegidas do cérebro, raramente é afetada totalmente. Quando isso ocorre, pode ocorrer a amnésia permanente ou temporária, mas a memória não deixa de funcionar.

A amnésia pode ser anterógrada, quando a pessoa não lembra de fatos recentes, após o trauma, lembrando dos fatos antigos.

No caso da amnésia retrógrada, a pessoa não consegue lembrar de fatos antigos, antes do trauma, lembrando dos mais recentes.

Há cinquenta anos atrás, um neurocirurgião americano fez uma cirurgia para retirar partes do cérebro de um paciente com convulsões, a cirurgia propiciou a cura que não era obtida pelos remédios, mas provocou uma amnésia anterógrada forte. Recentemente, foi inventado um dispositivo que ajuda a controlar a mente, objetivando o controle de algumas doenças.

Uma amnésia global ou transitória, pode durar de duas a vinte e quatro horas, depois desse tempo, ela se recupera, o indivíduo passa a ter um comportamento normal, permanecendo um espaço em branco nesse período – Isso é o que eu chamaria de desfragmentação do disco, quando o assunto é computação.

Esse tipo de amnésia é de difícil diagnóstico, por apresentar características tanto de amnésia anterógrada, quanto retrógrada. Acredita-se que possa ser ocasionada por baixo fluxo sanguíneo, seu diagnóstico pode ser complexo, mas a cura é simples.

Além da amnésia global transitória, há a amnésia global, esse caso não é tão simples, provoca a demência. Pode ser provocado por traumas graves, ou intoxicações por monóxido de carbono.

A amnésia psicogênica ocorre após traumas psicológicos, volta ao normal após alguns dias, mas pode apresentar falhas. Caso as falhas sejam comprometedoras, pode ser usado terapias cerebrais para a recuperação dessas informações.

Nesse tipo de amnésia, a própria mente pode criar obstáculos subconscientes, devido as emoções serem muito fortes. Sendo retrógrada e anterógrada, exige um tratamento adequado.

Síndrome de Korsakoff – Amnésia anterógrada grave provocada pelo alcoolismo crônico, o que leva a falta de vitamina B1 no cérebro. A pessoa lembra o que já aprendeu, mas tem dificuldade de coordenação e novos aprendizados, não sente os dedos dos pés ou das mãos.

Amnésia alcoólica – Ocorre quando a pessoa bebe demais ou em pessoas que bebem apenas socialmente. Nesse caso a pessoa permanece consciente, mas não se lembra de nada (quando estava alcoólica) depois que o efeito passa.

OBS: Apesar dos dados científicos aqui citados, esse texto não representa necessariamente a opinião do autor. Em casos como amnésia psicogência, por ser demasiadamente teórica, ou no caso do alcoolismo, onde eu tenho notado casos de lembranças claras.

Pessoas bêbadas preferem não se lembrar, mas há uma exceção, no caso de um amigo meu. Ele é um alcoólico assumido, além de ser muito bravo – Mexer com ele bêbado, pode trazer sérias consequências.

Há outros casos, mas esse eu estudei bem de perto.

Fontes:

Wikipedia

Brasil Escola

Texto: By Jânio

abril 21, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , | 7 Comentários

O processo da memória inconsciente

instinto básico

memória inconsciente

Todo o processo mental, em animais racionais e irracionais, é muito complexo. Há muitos elementos que o compõe e o mais estudado, sem sombra de dúvidas, é a memória.

O homem já conseguiu criar artificialmente a memória, no princípio esse processo era muito rudimentar, mas adquiriu qualidade e capacidade, possibilitando ao homem simular fórmulas complexas artificialmente, antes mesmo de testá-las.

A memória, natural e artificial, tem como principais funções adquirir, armazenar e recuperar informações para possíveis estudos e análise. Essas funções são fundamentais para acelerar o processo de aprendizado do homem.

A memória pode ser classificada, segundo psiquiatras, psicólogos e neurologistas, em declarativa e não-declarativa. Na memória declarativa, são armazenadas nomes, fatos, acontecimentos, etc. Essa parte da memória armazena dados fáceis de serem adquiridos, fáceis de serem esquecidos também.

Na memória não-declarativa, implícitas, inclui-se procedimentos como andar de bicicleta, dirigir. Nesse tipo de memória, as informações demoram mais tempo para serem desenvolvidas, mas são muito mais duradouras.

Décadas atrás, a memória não-declarativa era também chamada de involuntária, inconsciente, sendo a primeira informação adquirida, a respiração. A respiração é a primeira ação involuntária que o ser humano adquire, quando nasce.

Com o passar dos anos, a memória declarativa ou consciente, fica mais fraca, nomes e datas começam a se perder. A memória não-declarativa, responsável pelos movimentos e outras habilidades, base de nossa sobrevivência, continua a funcionar perfeitamente, desde que a pessoa tenha saúde, naturalmente.

É por isso que a maioria dos estudiosos e cientistas insistem no método inconsciente de aprendizado, e não são só eles, os orientais desenvolvem seus próprios métodos, através dos quais pretendem aumentar os movimentos de seus alunos, trabalhando a inconsciência, o reflexo.

Alguns professores insistiam no aprendizado inconsciente, como aprender inglês dormindo.

Note que não se trata, aqui, de aprender a falar, trata-se, sim, de um simples processo de tradução, adaptação a uma nova língua, mesmo assim, é um processo involuntário a ser trabalhado.

Quando você estiver assistindo a um filme, em inglês, e dormir, não lamente, você acaba de passar por uma aula grátis e inconsciente.

Conscientemente as pessoas encontram inúmeros obstáculos, inclusive comportamental, no aprendizado. Por isso a necessidade de se desenvolver novos métodos que tornem esse processo mais inconsciente, mais preciso.

Aprender línguas pode até parecer um processo consciente, mas não é. Note que uma pessoa aprende a andar, antes de aprender a falar.

No fim da vida, excluindo as doenças, a fala também será a última informação a se apagar de nossa memória.

Quando alguém disser que gosta de cantar no banheiro, acredite, ela está desenvolvendo uma habilidade de maneira inconsciente.

A zona cega da memória

By Jânio

abril 1, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , , | 14 Comentários

O acesso a páginas bloqueadas ou apagadas é possivel

page cannot be found

Página Bloqueada

Quando uma pessoa dá os seus primeiros passos na internet, os sistemas de buscas são fundamentais para sua utilização.

Dentre todos os sites de buscas, o site que se destaca é o Google, que, ao lado do Yahoo oferece as melhores performances de buscas, além de ser o mais popular.

Para usuários iniciantes, uma busca simples já é suficiente: Digita-se uma palavra;  e clica-se em buscar, Go ou Search, para que  o processo de busca se inicie.

Com o tempo, a internet passa a fazer parte do cotidiano desses usuários, novas possibilidades surgem.

Encontrar um documento específico na internet, é um milhão de vezes mais difícil que encontrar uma agulha num palheiro, ou seja, é impossível se achar com técnicas simples.

Nesses casos, vale mais a experiência do internauta.

Buscas no Diário Oficial da União, por exemplo, é um martírio.

Se temos um texto anterior, no caso de uma lei, por exemplo, fica mais fácil.  Digitamos frase por frase, no buscador, até ele retornar algo aproveitável, a partir daí, é só filtrar pela data atual.

Pronto, encontramos a nova lei, baseado no texto da antiga lei que já tínhamos, em menos de dois ou três minutos.

Apesar de não ser familiarizado com todas as técnicas avançadas de busca – não me interesso muito por técnicas crackers, por exemplo – eu tenho o meu estilo, e aproveito todas as possibilidades de busca que eu considero úteis.

Um dos primeiros artigos que eu escrevi para internet, como não poderia deixar de ser, foi sobre buscas: “1/4 dos usuários mais inteligentes do Google, não sabem utilizar a lógica booleana.”

Muitas vezes não utilizamos a lógica booleana por pura preguiça mesmo, mas eu tenho notado que os sistemas de busca tem dificultado alguns tipos de busca avançadas, justamente para poupar/economizar nos servidores.

Além da lógica booleana, já falamos da importância das buscas avançadas:

Por data: Fundamental para que os usuários acompanhem os fatos disponíveis na internet, em tempo real. Tempo real, aliás, que recebeu a importância que merecia só depois do advento da Twitter.

Pesquisas avançadas por data, são ideais para acompanhar a política, em seus momentos cruciais, ou até a evolução desses fatos, como foi o caso da gripe influenza, caso Isabella nardoni, etc.

Pesquisas por imagens: Quando clicamos em imagens, no Google, iniciamos nossas buscas por imagens, com uma simples configuração de formato/tamanho, podemos encontrar a imagem no tamanho exato que queremos. Podemos ver o “peso” dessa imagem, em nosso bolso, observando sua resolução em kbytes, e também o tipo de arquivo: JPG, GIF, PNG, etc.

Minhas recém descobertas foram na opção “cache”, não que eu não soubesse de sua utilidade. A Polícia Federal utiliza a busca no “cache” para encontrar o que já foi apagado da internet, mas não é só para a Polícia Federal que isso tem utilidade.

Muitos usuários mais espertos, publicam determinado conteúdo, em seguida apagam, mantendo apenas no cache. Seus usuários, evidentemente, só terão acesso se conhecerem essa técnica de busca.

Quando a plataforma WordPress iniciou sua indexação de imagens, de maneira mais otimizada, notei que muitas imagens minhas foram para o topo. Cheguei a escrever um post intitulado “indexação às avessas”.

A razão, é claro, pelo fato de grande parte dos visitantes de meu blog, estarem acessando o site através da busca por imagens. Foi nessa época que eu descobri a primeira forma de acessar sites bloqueados pelos navegadores – Sabe aquela mensagem: “Seu navegador não conseguiu localizar essa página, ela pode ter sido deletada ou encontrar-se em um novo endereço.”

Apesar de acessar sites bloqueados pelos navegadores, através das imagens, algumas vezes isso não funcionava. São raros os casos, mas acontece.

Nesse caso, você pode usar o cache – É isso mesmo! – além de acessar conteúdo que já foi deletado/apagado, podemos acessar sites bloqueados, através do cache.

Eu sempre associava o cache do Google, com a memória do computador, sempre fazemos isso em programação para a internet.

A Google cria todas suas ferramentas online, baseadas em sua busca, isso barateia os custos dos servidores. Isso pode acontecer com o Google Suggest, aquele que complementa a frase buscada, ou utilizando o cache.  

Há vantagens da Google em seu cache on line, onde podemos visitar páginas apagadas ou bloquedadas, mesmo sem nunca termos visitado tal página, o que significa que não está no cache do computador.

Leia mais:

https://icommercepage.wordpress.com/2008/04/06/14-dos-usuarios-mais-inteligentes-do-google-ignoram-a-logica-booleana/

https://icommercepage.wordpress.com/2010/04/28/indexacao-de-paginas-as-avessas/

By Jânio

outubro 22, 2010 Posted by | internet | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 17 Comentários

Aumentando a capacidade da memória.

o submundo da inconciência.

o submundo da inconciência.

Segundo especialistas, para se ter uma boa memória, não há segredos mas algumas dicas sempre ajudam a manter o corpo e a mente sã.
     Os especialistas afirmam e os universitários aprovam: Associações às cores, aos eventos, as pessoas.
     O recordista mundial de memorização, conseguiu memorizar todas as cartas, na ordem decoradas e salteadas, de baralhos diferentes, afirmou que sua técnica era criar um roteiro turístico pela cidade, em seguida, criar uma relação entre cada carta e um ponto turístico. Ele sabia, por exemplo, que o valete de espadas era a décima primeira carta porque no caminho turístico ele correspondia aquele determinado ponto.
     Os não especialistas, por experiência própria, afirmam que o sono pode ser tão benéfico quanto o stress é maléfico, nesse caso, os especialistas também concordam com o fato da memória não poder ser vista como uma área isolada do cérebro, todo o sistema nervoso faz parte deste processo.
     Os mero mortais, podem exercitar sua mente através de atividades que implicam em atenção, a leitura constante pode ajudar. Operações matemáticas, sem o auxílio de equipamentos eletrônicos, também podem ajudar.
     Em cursinhos pré-vestibulares, utiliza-se até música como recurso de memorização, esse recurso não deve ser usado em temas dissertativos, onde o ideal é entender o assunto, apresentado pelo tema.
     Para quem acha que a internet é prejudicial à memória, depende do ponto de vista,  e dos sites também. Um famoso ditado diz: “O livro é como uma escada, se o livro é bom você vai para cima, se o livro não é bom, você vai para baixo”. Isso vale para os sites também.
     Dependendo da quantidade de senhas, assuntos lidos, não é preciso ser nenhum gênio para concluir que a memória é exercitada.

Por Jânio.

maio 2, 2009 Posted by | curiosidades | , , , , | 2 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: