Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Como vencer a morte ou salvar o planeta

além da morte

Paradoxo da Vida

Como já falamos há algum tempo, o Planeta Terra não precisa que o homem o salve, o homem é o verdadeiro problema.

Até agora, o planeta apenas emitiu avisos,  para que parem de poluir, desmatar, interferir nas forças naturais do Universo. O homem só sentirá a força do planeta, quando já for tarde demais.

Quando os primeiros maremotos devastarem o primeiro continente, grandes capitalistas farão sua última aposta, sua última especulação financeira. Eles apostarão que o planeta sobreviverá, como sempre, estarão certos, mas eles não sobreviverão.

Ao longo dos tempos, o homem encontrou formas de vencer a morte, essa, sem dúvida é uma de suas maiores realizações, seu maior pecado também.

Acreditar na imortalidade da alma, trouxe paz aos homens, mas, para alguns ambiciosos, possibilitou que eles cometessem excessos constantemente. 

Podemos citar algumas  formas de vencer a morte e acabar de vez com o medo de morrer.

RELIGIÃO – Não se tem registro de quando surgiram as primeiras religiões, mas, considerando-se como a tecnologia evoluía lentamente no mundo antigo, isso quando toda uma civilização não era destruída, eliminando vestígios de sua cultura e tecnologia, deve ter sido há muito tempo.

Através dos primeiros registros, entre 1.500 e 3.500 antes de Cristo, já verificamos que a história ia muito além dessa época, e que as principais bases da sociedade já estavam consolidadas havia muito tempo.

O chamado Berço da Civilização, o poderoso Império Romano, já sentia a falta dessa história, dessa tradição. Para expandir o seu império, Roma precisava não só destruir todas as culturas existentes no mundo, como criar a sua própria história, tradição e cultura.

Observando os registros da história, notamos que a Grécia só foi poupada devido ao fato de Roma necessitar dela para adquirir seus próprios conhecimentos. Foi através dos pensadores Gregos que Roma fundou as bases para estruturar o seu império, bases que até hoje, mais de dois mil anos depois, ainda são respeitados e admirados pelos grandes estadistas sonhadores.

Em todos os governos modernos, há vestígio das idéias de Roma, que na verdade eram gregas, mas foram adotadas pelo império.

Pesquisas minuciosas tem revelado que os chamados povos bárbaros, na realidade não eram tão bárbaros assim, os romanos eram os verdadeiros bárbaros, destruindo tudo por onde passavam. Eles sabiam do poder de sua organização, mas faltava a cultura, a tradição, a religião presente nessas culturas.

Pelas suas crenças e fé, esses povos não temiam a morte, nem viam as riquezas materiais acima do lado espiritual.

Resumindo: César não era mais temido que a força do trovão, nem adorado mais que o brilho do sol ou o misticismo das estrelas. Boa parte das ciências ocultas, astrologia, astronomia e outros conhecimentos, ainda estão ligados a esses elementos.

A religião judaica foi responsável pelo nascimento de outras duas grandes religiões, duas irmãs que nunca se entenderam, o cristianismo e o islamismo. Foi na época em que esteve no Egito que o povo judeu viu a necessidade de registrar a sua história.

Esse evento foi tão importante, que os dez mandamentos passaram a ser protegidos como o que havia de mais sagrado. Através de sua religião, os hebreus eram imortais, acreditavam na imortalidade da alma.

Várias outras religiões tem a sua forma de vida espiritual, com um elemento em comum, a imortalidade. O Hinduísmo, Islamismo, Cristianismo, Espiritismo, cada uma delas crê na importância da imortalidade do espírito.

CIÊNCIA – Os cientistas nunca ficaram muito satisfeitos com a verdade da religião, precisavam de sua própria verdade. Foi com a ajuda de Darwin que criaram a sua versão da história do homem, mas foi com a física e homens como Albert Einstein que finalmente eles venceram a morte, tornando-se imortais.

Segundo Einstein, a morte é apenas uma ilusão, visto de uma galáxia muito distante, nós nem nascemos ainda. O nascimento, vida e morte, seriam apenas elementos aprisionados no tempo e no espaço.

FILOSOFIA – Recentemente minhas preces foram ouvidas, eu que nunca gostei de cálculos matemáticos, sempre fui completamente leigo em física, descobri que a física finalmente encontrou o seu limite.  Depois de se unir a astronomia, a física expandiu tanto que já não consegue provar suas próprias teorias, passando para o ramo da filosofia, como é o caso da teoria das cordas.

Segundo a teoria das cordas, o Universo possui várias dimensões alternativas, onde nós fazemos parte de uma delas. Por essa teoria, haveriam várias realidades alternativas, num Universo amplo de possibilidades.

Eu não fiquei muito satisfeito em fazer parte de um filme, como na teoria de Einstein, mas na filosofia, eu vi a possibilidade de estudar um pouco de filosofia, eu quero dizer, física. Além da possibilidade de o homem voltar as suas raízes, onde era mais inteligente, mais humilde e fazia menos bobagens.

CONCLUSÃO: Com o intuito de ser imortal, o homem vem acelerando o processo do desenvolvimento do conhecimento, o problema é que, nessa corrida contra o tempo, ele se esquece que tudo tem hora certa para acontecer.

Os maiores cientistas do mundo, entre eles Einstein, foram os responsáveis pela criação da bomba atômica.

Recentemente, alguns cientistas loucos tiveram a ideia estúpida de simular o buraco negro. Eu sempre achei que a estupidez da criação da bomba atômica nunca pudesse ser superada, eu estava errado, felizmente, eles fracassaram, fomos salvos pela sua própria estupidez.

O grande problema que enfrentamos agora é o ego de cientistas malucos, cientistas que querem provar a todo custo suas teorias, mesmo que isso cause o fim de nossos tempos.

by Jânio

setembro 7, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , | 7 Comentários

As novas celebridades do Twitter

celebridades do twitter

Celebridades x Anônimos

Desde que o namoradinho de Demi Moore apostou com o dono da CNN quem atingiria um milhão de seguidores primeiro, passando uma imagem muito ruim, a respeito da Twitter, já se passou algum tempo.

Hoje, já são centenas de pessoas com mais de um milhão de seguidores no Twitter, e os followers não param de aumentar. Depois do recente interesse de redes de varejo pelas redes sociais, todas as mídias se voltam para os queridinhos da Twitter, isso porque, nas redes sociais, onde se deveria passar uma imagem de razoável bom senso e inteligência, o que se vê são pessoas vendendo seu prestígio, fazendo do spam um modo de ganhar dinheiro.

Muitos podem imaginar uma ferramenta de controle de spam no Twitter, mas isso não resolveria o problema, porque programas de spam controlam dentro de um certo limite. A mesma coisa acontece com as denúncias, é preciso uma certa quantidade de denúncias, para que a pessoa seja banida do sistema. Esse protocolo serve para evitar que muitos usuários sejam lesados pelo sistema, em falsas denúncias, criando um efeito inverso.

Mesmo assim, um milhão de seguidores é um número considerável. Se a pessoa é apresentador de programa de uma grande rede de televisão, egocêntrica, e usa a rede para melhorar o seu status, é normal atingir um milhão de followers.

No caso de pessoas anônimas, a história é diferente, apesar de que, depois de virarem celebridades, acabam se tornando egocêntricas também.

A rede CNN, a mesma que perdeu a corrida para o namoradinho da Demi Moore, entrevistou cinco celebridades do Twitter. Eles revelaram a CNN que nunca são incomodados pelos paparazzi na rua, não são reconhecidos, apesar da fama na rede.

Veja a Lista:

Heather Amstrong: Conhecida como @dooce, com um milhão e quatrocentos seguidores, até esta semana, @dooce é uma dona de casa comum. Após o parto ela começou a narrar sua vida sob depressão pós parto.

A vida normal de uma dona de casa pode fazer a alegria dos internautas, quando ela compra uma máquina de lavar roupas, a máquina quebra, e a loja não oferece garantia. Como é que a loja poderia saber que a consumidora Heather tinha quase um milhão e meio de Twitterers followers. Adivinha o que ela fez?

Heather foi mais além e ajudou a encontrar um deficiente mental, com a ajuda desse um milhão e meio de seguidores.

Apesar de Heather dizer que no pequeno espaço do Twitter é preciso ser muito engraçado e verdadeiro, ajudar as pessoas e ser um verdadeiro amigo virtual, a verdade é que ela foi ela mesma, essa técnica jamais funcionaria com outras pessoas, diferente dela.

Stefanie Michaels: conhecida como Adventure Girl ou @adventuregirl, com um milhão e duzentos mil seguidores, essa jornalista de viagens descobriu um nicho na Twitter porque, segundo ela, havia poucas pessoas escrevendo sobre viagens. Ela também descobriu, da maneira mais fácil, que com um pequeno texto, no caso do micro-blogging, é preciso ir direto ao ponto.

Ela também acredita que as pessoas, a maioria, não gosta de ler longos textos, daí, o sucesso da Twitter. Segundo ela o fato de, através de celulares, as pessoas serem amigas vinte e quatro horas por dia, isso faz com que aumente mais sua rede, ela usa a rede o tempo todo.

Ela envia mais de 50 mensagens ao dia, enquanto esta viajando.

Brandon Mendelson: Conhecido na rede como @BJMendelson, fazia campanha contra o câncer de mama, junto com sua mulher. Ele ficou surpreso: “A gente passa dez anos sem chegar a lugar algum, aí, coloca o plug na tomada e, pronto, tudo resolvido.”

Segundo Brandom, o sucesso na internet é uma faca de dois gumes, de um lado pessoas interessadas em amizade e fazer o que é bom, de outro pessoas que só pensam em aumentar sua rede de seguidores. Segundo ele, não é preciso um milhão de seguidores para fazer a diferença, apenas dez mil são suficientes, desde que sejam pessoas engajadas, envolvidas como você.

Verônica Belmont: conhecida da rede como @Veronica, utilizou o Twitter para obter feedback de suas pesquisas, ficou desanimada ao saber que a maioria não era seu público alvo, mas ficou feliz ao saber que durante algum tempo foi a mulher mais seguida da Twitter.

John Dickerson: Conhecido como @jdickerson, aumentou muito o número de seguidores durante a campanha de Obama, é um repórter político que não entende porque fez tanto sucesso no Twitter, mas acredita que se o Twitter fosse maior, no espaço de texto, não seria tão bom. Ele tem duas contas uma com apenas 2.300 seguidores e outra com um milhão e duzentas mil.

Como podemos notar, as mensagens no Twitter não diferem muito do blog, quando o assunto é conteúdo, apenas o estilo é diferente, na Twitter fala-se o que se sente na hora. Ao contrário das celebridades brasileiras, as celebridades anônimas precisam ter muito conteúdo, sem falar o que não deve.

No Brasil, as celebridades conseguem, no máximo, discutir e falar besteira, só que as pessoas adoram. Resultado: vai tudo parar nos blogs e tablóides da moda.

Se você não tem nenhuma pretensão de ter um milhão de seguidores, esqueça essa ideia de adicionar todo mundo que encontra, na opinião desses famosos, a maioria dá uma tremenda dor de cabeça.

Não basta ter um milhão de amigos, é preciso que eles sejam verdadeiramente envolvidos com você.

By jânio

dezembro 22, 2009 Posted by | twitter | , , , , , , , , , , | 9 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: