Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

O dia em que Jesus nasceu

 

Jesus Cristo

Natal Verdadeiro

Durante as férias do blog, as reformas causaram muitos transtornos.

Vendo parte dos móveis na garagem, e em outras cômodos da casa, e com a chegada do Natal, pensei na possibilidade de as reformas não ficarem prontas.

Lembrei-me do verdadeiro Natal, não aquele do bom velhinho – o bom velhinho faz a alegria dos comerciantes – mas o natal do Menino Jesus, aquele que lutava para sobreviver – todos os bebês foram assassinados naquele ano.

Uma parte dos judeus esperava um grande rei, um homem poderoso, capaz de aniquilar seus inimigos romanos – os romanos tinham o hábito de acabar com a cultura, por onde passavam.

Ao contrário do que todos pensam, Jesus foi um dos homens mais nobres da história de Israel, em todos os sentidos. Jesus era descendente dos Reis, por parte de José, e dos grandes profetas, por parte de Maria.

Numa coisa os judeus acertaram, ele era poderoso, poderoso a ponto de desafiar todas as leis da natureza: Lei da gravidade, biologia, sentimentos e religião.

Mesmo analisando a vida de Jesus, sob aspectos específicos, ele acaba sendo único, muito inteligente.

É muita estupidez achar que ele deveria estar vivo, como nós queremos, para atender nossos interesses mesquinhos. Ele está vivo sim, mas é a sua palavra que deve ter a força, não é tão fácil como gostaríamos que fosse.

O pobre menino judeu nasceu num lugar inesperado, dando início a um povo muito maior que o de Israel. Assim como ele não era descendente legítimo de José, não somos descendente dele, mas o povo cristão foi adotado.

Todos que fazem a vontade de nosso Pai, mantém sua palavra viva, são descententes direto de Jesus, filhos de Deus.

A brincadeira do amigo secreto, parece-me muito divertida, é uma tradição muito interessante e curiosa, principalmente pelo suspense com que as pessoas esperam descobrir seu amigo secreto.

Um texto que circulou pela internet, a corrente do bem secreta, eu achei muito interessante, principalmente porque as pessoas não se revelam. Através desse “Amigo Secreto”, você pode dar o presente para o melhor amigo, ou para o pior inimigo.

Certamente o inímigo, pessoa amarga, ficaria muito surpresa, faria uma boa reflexão sobre o seu comportamento, sua filosofia.

No caso da pessoa presentear seus amigos, não precisaria ser apenas uma pessoa, nem ser um presente caro, bastaria que fosse de coração. Todos os presentes poderiam ser secretos, menos o abraço, esse seria revelado.

A idéia da não revelação, torna a brincadeira muito mais séria, muito mais legítima, já que a pessoa ficará para sempre com várias possibilidades, portanto, vários amigos secretos, sendo um deles aquele que teria dado o presente.

Mudanças não são fáceis, então para que facilitar a descoberta do verdadeiro amigo. Por que não deixar a pessoa eternamente com o espírito de Natal.

O verdadeiro presente,  não é aquele que se troca, mas aquele que é dado sem interesse. Nem sempre é ofertado só para os amigos reais, mas para os amigos virtuais, anônimos …

Portanto, FELIZ NATAL  para todos os amigos, que de alguma forma passaram pelo blog;

FELIZ NATAL para todos os amigos da redes sociais;

FELIZ NATAL àquelas  pessoas que me conhecem bem antes do início da internet, anônimas ou não.

FELIZ NATAL às pessoas que não precisavam de presente. mas apenas de carinho.

FELIZ NATAL ás pessoas que acreditam em milagres, e às pessoas que não acreditam também.

Um abraço virtual a todos as pessoas que lerem esse post, e para as pessoas que não lerem, para essas, peço que você repasse essa corrente do bem.

FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO A TODOS, e que todas as pessoas encontrem o verdadeiro sentido do Natal, o sentido da vida.

dezembro 25, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , | 1 Comentário

Como vencer a morte ou salvar o planeta

além da morte

Paradoxo da Vida

Como já falamos há algum tempo, o Planeta Terra não precisa que o homem o salve, o homem é o verdadeiro problema.

Até agora, o planeta apenas emitiu avisos,  para que parem de poluir, desmatar, interferir nas forças naturais do Universo. O homem só sentirá a força do planeta, quando já for tarde demais.

Quando os primeiros maremotos devastarem o primeiro continente, grandes capitalistas farão sua última aposta, sua última especulação financeira. Eles apostarão que o planeta sobreviverá, como sempre, estarão certos, mas eles não sobreviverão.

Ao longo dos tempos, o homem encontrou formas de vencer a morte, essa, sem dúvida é uma de suas maiores realizações, seu maior pecado também.

Acreditar na imortalidade da alma, trouxe paz aos homens, mas, para alguns ambiciosos, possibilitou que eles cometessem excessos constantemente. 

Podemos citar algumas  formas de vencer a morte e acabar de vez com o medo de morrer.

RELIGIÃO – Não se tem registro de quando surgiram as primeiras religiões, mas, considerando-se como a tecnologia evoluía lentamente no mundo antigo, isso quando toda uma civilização não era destruída, eliminando vestígios de sua cultura e tecnologia, deve ter sido há muito tempo.

Através dos primeiros registros, entre 1.500 e 3.500 antes de Cristo, já verificamos que a história ia muito além dessa época, e que as principais bases da sociedade já estavam consolidadas havia muito tempo.

O chamado Berço da Civilização, o poderoso Império Romano, já sentia a falta dessa história, dessa tradição. Para expandir o seu império, Roma precisava não só destruir todas as culturas existentes no mundo, como criar a sua própria história, tradição e cultura.

Observando os registros da história, notamos que a Grécia só foi poupada devido ao fato de Roma necessitar dela para adquirir seus próprios conhecimentos. Foi através dos pensadores Gregos que Roma fundou as bases para estruturar o seu império, bases que até hoje, mais de dois mil anos depois, ainda são respeitados e admirados pelos grandes estadistas sonhadores.

Em todos os governos modernos, há vestígio das idéias de Roma, que na verdade eram gregas, mas foram adotadas pelo império.

Pesquisas minuciosas tem revelado que os chamados povos bárbaros, na realidade não eram tão bárbaros assim, os romanos eram os verdadeiros bárbaros, destruindo tudo por onde passavam. Eles sabiam do poder de sua organização, mas faltava a cultura, a tradição, a religião presente nessas culturas.

Pelas suas crenças e fé, esses povos não temiam a morte, nem viam as riquezas materiais acima do lado espiritual.

Resumindo: César não era mais temido que a força do trovão, nem adorado mais que o brilho do sol ou o misticismo das estrelas. Boa parte das ciências ocultas, astrologia, astronomia e outros conhecimentos, ainda estão ligados a esses elementos.

A religião judaica foi responsável pelo nascimento de outras duas grandes religiões, duas irmãs que nunca se entenderam, o cristianismo e o islamismo. Foi na época em que esteve no Egito que o povo judeu viu a necessidade de registrar a sua história.

Esse evento foi tão importante, que os dez mandamentos passaram a ser protegidos como o que havia de mais sagrado. Através de sua religião, os hebreus eram imortais, acreditavam na imortalidade da alma.

Várias outras religiões tem a sua forma de vida espiritual, com um elemento em comum, a imortalidade. O Hinduísmo, Islamismo, Cristianismo, Espiritismo, cada uma delas crê na importância da imortalidade do espírito.

CIÊNCIA – Os cientistas nunca ficaram muito satisfeitos com a verdade da religião, precisavam de sua própria verdade. Foi com a ajuda de Darwin que criaram a sua versão da história do homem, mas foi com a física e homens como Albert Einstein que finalmente eles venceram a morte, tornando-se imortais.

Segundo Einstein, a morte é apenas uma ilusão, visto de uma galáxia muito distante, nós nem nascemos ainda. O nascimento, vida e morte, seriam apenas elementos aprisionados no tempo e no espaço.

FILOSOFIA – Recentemente minhas preces foram ouvidas, eu que nunca gostei de cálculos matemáticos, sempre fui completamente leigo em física, descobri que a física finalmente encontrou o seu limite.  Depois de se unir a astronomia, a física expandiu tanto que já não consegue provar suas próprias teorias, passando para o ramo da filosofia, como é o caso da teoria das cordas.

Segundo a teoria das cordas, o Universo possui várias dimensões alternativas, onde nós fazemos parte de uma delas. Por essa teoria, haveriam várias realidades alternativas, num Universo amplo de possibilidades.

Eu não fiquei muito satisfeito em fazer parte de um filme, como na teoria de Einstein, mas na filosofia, eu vi a possibilidade de estudar um pouco de filosofia, eu quero dizer, física. Além da possibilidade de o homem voltar as suas raízes, onde era mais inteligente, mais humilde e fazia menos bobagens.

CONCLUSÃO: Com o intuito de ser imortal, o homem vem acelerando o processo do desenvolvimento do conhecimento, o problema é que, nessa corrida contra o tempo, ele se esquece que tudo tem hora certa para acontecer.

Os maiores cientistas do mundo, entre eles Einstein, foram os responsáveis pela criação da bomba atômica.

Recentemente, alguns cientistas loucos tiveram a ideia estúpida de simular o buraco negro. Eu sempre achei que a estupidez da criação da bomba atômica nunca pudesse ser superada, eu estava errado, felizmente, eles fracassaram, fomos salvos pela sua própria estupidez.

O grande problema que enfrentamos agora é o ego de cientistas malucos, cientistas que querem provar a todo custo suas teorias, mesmo que isso cause o fim de nossos tempos.

by Jânio

setembro 7, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , | 7 Comentários

Onde está a felicidade?

quem é feliz?

quem é feliz?

Há quem diga que o futuro de uma pessoa é decidido antes de seu nascimento, quando uma família é bem estruturada e planeja bem sua vida, onde tudo acontece na hora certa.

Quando tudo é bem planejado, os problemas são menores, sem problemas a a pessoa é mais feliz. Parece bem simples, mas na realidade não é bem assim, é preciso amor, paz de espírito.

Não há uma regra básica para a felicidade, a única coisa que sabemos é que o amor não pode faltar. O amor a que nos referimos, aqui, não é aquele passional, carnal, de vaidades, é o amor espiritual mesmo, quando você encontra a resposta no olhar, nos gestos, nas atitudes de outras pessoas.

Por questões de sangue, genética, os filhos tendem a ser mais felizes com seus pais verdadeiros, se entendem melhor, se aceitam melhor.

Um filho que venha a nascer sem que um dos dois queira, ou que nenhum dos dois estejam esperando, pode crescer num ambiente negativo, o que será extremamente prejudicial para seu estado psicológico.

O ator Kirk Douglas, um dos maiores astros de Hollywood, quando perguntado sobre o sucesso de seus filhos, foi categórico, eles são bons, tem talento e são felizes, só não tem a sorte que eu tive, de nascer pobre.

Na visão de Douglas, o fato de ter nascido pobre propiciou-lhe muitas aprendizados, os quais ele não teria, se tivesse nascido rico.

A felicidade pode apresentar algumas sutilezas, e pode variar de pessoa para pessoa. Uma pessoa que nasce no campo,  pode ter grandes dificuldades de adaptação em uma cidade grande.

Se a pessoa nasceu na cidade, quando vai para o campo se sente  mal e infeliz. Nesse caso, o fator de adaptação ao ambiente que se vive pode ser determinante para a felicidade de uma pessoa.

A mudança de ambiente,   as pessoas, a maneira de pensar , a cultura, os valores, tudo acaba sendo um problema, alguns podem se adaptar mais facilmente, outras não.

A qualidade de vida varia muito no conceito de pessoa para pessoa, a vida no campo é bela, é como uma viagem no tempo, mas não tem a mesma estrutura, hospitais, escolas, centros de compras como nos grandes centros urbanos.

Ao contrário do que se pensa, o verdadeiro amor não nasce no coração, como a paixão, nasce no cérebro, na alma, mesmo assim é mais fácil buscar a felicidade do que entender o que é a alma, como ela se forma e de onde ela veio.

Para se ter felicidade é preciso sentir o amor, para sentir o amor é preciso encontrar seus verdadeiros valores, não os do corpo do coração, mas os da alma, do espírito. Não é exagero dizer que uma pessoa pode vencer a própria morte quando se ama.

Outro fato interessante é que a alegria não é sinônimo de felicidade, uma pessoa pode estar triste por não sentir a felicidade da outra pessoa, fazer o melhor que pode, dentro do meio em que  se vive, mesmo assim viver na tristeza.

Sociólogos, Missionários, Médicos sem fronteiras, vivem uma vida de certa forma triste, mas são felizes por fazerem o que gostam, seguiram o seu dom e conheceram bem a sua natureza.

Para ser feliz é preciso sentir, não com o coração, mas com a alma. Para ser feliz, o homem precisa buscar a sua própria natureza, os seus verdadeiros valores,  fazendo isso ele encontrará também os valores das outras pessoas e entenderá melhor a sua natureza, será feliz.

by Jânio

agosto 19, 2009 Posted by | Reflexões | , , , , , , | 4 Comentários

Entre o amor e a paixão.

amor verdadeiro

amor verdadeiro

Pensar sempre foi um dom do Homem, aqui começa o eterno conflito, ser homem é ser mulher e homem ao mesmo tempo.

Nem os maiores pensadores da história conseguiram facilitar nossa forma de pensar, Charles Darwin mergulhou sua mente rumo as nossas origens. Sem medo das consequências de suas conclusões, o cientista conseguiu reunir muitas provas, sobre o passado, que revolucionaram  nossa maneira de ver nossas origens.

A Bíblia já tinha uma resposta para nossa origem, mas não agradava a todos, daí a necessidade de preencher esse espaço, onde Darwin dedicou boa parte de sua vida.

Parece-nos mais fácil sempre procurar uma forma de ver a vida de uma maneira simples, sem precisar pensar muito, tudo que é ligado a tecnologia, imediatamente, relacionamos ao computador; tudo que se refere a nossa existência, pensamos em Deus, religião, agora em Darwin também.

É mais fácil aceitar à Deus, sob o ponto de vista da religião, ao invés de Deus, sob o ponto de vista da Filosofia. Na religião toda a forma de pensar vem pronta, interpretada, na maioria das vezes de forma errônea, mas está tudo pronto para ser digerido.

O amor envolve o espírito, o pensamento, a Filosofia, é muito mais complexo do que a paixão. Para que nos preocuparmos com o que a outra pessoa está pensando, se não entendemos nem a nós mesmo.

Segundo a Filosofia,  e a Psicologia, entre outras áreas, é preciso se encontrar, resolver nossos problemas interiores, pessoais, antes de se exteriorizar nossas emoções. Não dá para se ter um relacionamento saudável, sem antes estar bem resolvido consigo mesmo.

Assim procuramos a paixão, achando que é amor, pedindo que as pessoas nos entendam, quando nós é que deveríamos fazer isso.

É fácil se confundir uma paixão com o amor, quando se está carente, sem a menor vontade de se pensar. O pior de tudo, é que a paixão não tem prazo para se expirar, é como uma doença, uma febre, pode se tornar crônica, paralisando todos os sentidos.

A paixão está, diretamente, ligada ao corpo, ao coração. Se uma pessoa está carente, não tem dinheiro, procurará por isso, desde que esteja mal resolvida, estará sempre em busca de uma pessoa com estabilidade financeira, de uma pessoa com muito amor para dar, e, em alguns casos, de uma pessoa bonita que disfarce o seu complexo de se achar feia.

É muito comum, uma pessoa mais velha, procurar a paixão em uma pessoa mais nova, em busca de uma energia que ele não tem, disfarçando o fato de que ela está bem mais velho do que outrora, decisão muitas vezes fatal para a pessoa.

O verdadeiro amor pode ser de parente, de amigo, de marido ou mulher e até a religião prega esse amor, um amor puro, onde é preciso aceitar a Filosofia para entendê-lo sem problemas de interpretações.

No verdadeiro amor, devemos dar sem receber, dar o amor, a ajuda, a palavra amiga, o carinho, qualquer pessoa que reclame que seu próximo, ou marido, ou esposa, não está lhe dando atenção que merece, não ama essa pessoa, é ela quem deve dar a atenção que a outra pessoa precisa. Essa pessoa deverá conquistar a outra, usando de todos os meios sensatos, como uma convivência sadia, com carinho, para se conquista a outra.

É preciso dar-lhe muita atenção, conversar, saber o que se passa na vida dela, saber o que ela pensa, o  que ela sente. Se a pessoa está doente de espírito, não está descartada a possibilidade de um tratamento a ser oferecido, com psicanálise, psicoterapia, psicologia, enfim, há vários meios de se tratar a mente, a partir do momento em que fique constatada a impossibilidade de se resolver essa situação.

São raros os casos em que se chega a dependência de um profissional da área de saúde, aqui vale a velha frase, presente em todos os artigos da seção de saúde desse blog, no caso da saúde espiritual, também, “É melhor prevenir do que remediar”, ou seja, não deveria ter chegado a esse ponto, o ambiente em que essa pessoa vive, de certa forma foi responsável, incompatível com a personalidade dessa pessoa.

A doença psicológica é, na maioria das vezes, social e a maioria das pessoas da sociedade moderna são doentes psicológicos, sem amor, e é somente com o amor que isso pode se resolver, a paixão é como um remédio sem receita médica, pode mascarar a doença, os sintomas, mas, a longo prazo, os efeitos podem ser devastadores.

By Jânio.

agosto 12, 2009 Posted by | Saúde | , , , , , | 2 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: