Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Cidade móvel que recupera o deserto

projeto de biotecnologia

Cidade Móvel

Converter as paisagens áridas do deserto em um oásis verdejante poderia ser possível no futuro, com o desenvolvimento do projeto da pequena cidade móvel “Máquina Verde”, destinada a reduzir a devastação ambiental.

O projeto futurista do arquiteto francês Stephane Malka prevê a construção de uma cidade “nômade” energeticamente autônoma que poderia se mover a uma velocidade de 34 quilômetros por hora e produzir energia suficiente, além de recursos para se manter continuamente em funcionamento, enquanto revitaliza as áreas afetadas pela seca, principalmente o deserto do Sahara.

Inspiração pós-apocalíptica

Tecnologia do Futuro

A “Máquina Verde” é projetada para tirar o máximo de proveito das inóspitas condições do deserto. Assim, para aproveitar a intensa luz do deserto a máquina possui torres de geração de eletricidade, assim como nove globos capazes de produzir 450 metros cúbicos de água por dia através da condensação do ar.

A “fábrica ambulante” é sustentada por quatro pilares montados sobre o móvel desenvolvido pela NASA para o transporte de naves espaciais. É por isso que a cidade móvel pode se deslocar sobre qualquer terreno, carregando uma carga considerável. Além disso o móvel (orugas) pode arar o solo para que seja apto para a agricultura, aguá-lo e semear as sementes.

quando tudo estiver perdido

Projeto Experimental

Na parte urbana da Máquina Verde há casas, escolas, restaurantes, locais de recreação e jardins, assim como grandes plantações: cerca de 24.500 metros quadrados de campos de cereais e 4.500 metros quadrados de estufas. Embora a realização imediata deste projeto pareça difícil, a Máquina Verde poderia inspirar o desenvolvimento de tecnologias similares, orientadas para a salvação do meio ambiente.

Comentários:

Olhando bem essa máquina nos lembramos dos filmes pós-apocalípticos, como Mad Max, por exemplo.

Como em uma situação pós-apocalíptica, as medidas são desesperadoras e não medem consequências, por isso, é difícil prever o sucesso de uma máquina como essa. A ideia é boa, claro, mas eu sinto falta de filosofia nisso tudo.

Pode ser útil no deserto a curto prazo, mas a logo prazo eu não estou certo. A condensação do ar para conseguir água poderia ser um boa ideia, o problema é que o ar ficaria ainda mais seco. Será que isso não piora a situação do deserto?

Eu me lembro, há algum tempo atrás, de um projeto de biotecnologia que permitia que as plantas ficassem úmidas por muito tempo no deserto. A umidade era mantida com a ajuda de um material artificial pastoso que nunca secava.

A ideia era eficiente mas assustou as pessoas da região que por fanatismo, acharam que era algo do mal, diabólico. Foi uma pena pois o projeto pretendia revitalizar toda uma região semi-árida.

Esse projeto poderá inspirar outros, mas poderá provocar polêmicas também. É preciso respeitar a vontade, costumes e tradições locais e direcionar o projeto para pessoas que acreditem na ideia de maneira voluntária.

Além disso, não adianta recuperar o deserto do Sahara, enquanto a Amazônia vai sendo destruída.

comentário By Jânio

Fonte: wikipedia

Primeiras casas em marte

Top produtos de nanotecnologia

Top 20 tecnologias do futuro

Quando tudo estiver perdido

Cidade subterrânea do futuro

março 31, 2014 Posted by | Ciências | , , , | Deixe um comentário

Macaco com sexto sentido

Sexto Sentido do Macaco

Interface Animal Máquina

A força mental de uma macaca da Universidade Duke (Carolina do Norte, EUA) é suficiente para controlar mecanismos robóticos virtuais. Ela nem precisa das mãos, faz isso com o pensamento.

Há uma década atrás, o neurofisiologista Miguel Nicolelis ensinou Aurora a brincar com um videogame, usando um joystick. Enquanto estava ocupada com isso, amarrada a uma cadeira, dispositivos especiais registravam os sinais enviados por seu cérebro esquerdo, com as instruções para manejá-lo.

Os sinais foram processados por um computador, para que pudesse reconhecer também as instruções que Aurora enviava para o braço robótico. Na fase seguinte do experimento, Aurora teria os braços livres e a tela diante dela oferecia uma oportunidade para desenvolver seu “sexto sentido”. Na ausência do joystick, pouco a pouco ela começou a mover um membro virtual que via na tela e começou a jogar com a ajuda desse membro virtual.

“O modelo em si, que aurora tinha em sua mente, expandiu para se tornar um braço a mais”, disse Nicolelis em uma conferência transmitida pelo portal científico ted ponto com. Aurora, disse ele, perdeu o uso de seus outros dois braços, que poderia usar para arranhar ou fazer sucos.

Mas o objetivo principal do experimento era capacitar o animal até um nível em que poderia controlar completamente um robô bípede. Isso também foi conseguido, embora não tenha sido possível evitar esforço físico. Para que a macaca pudesse se concentrar nos movimentos do humanoide metálico que via diante de seus olhos, através de uma tela, foi necessário que ela corresse sobre uma esteira.

Vale ressaltar que os movimentos do robô se encontravam a milhares de quilômetros do animal, na Universidade de Kyoto, Japão. Os cientistas de lá conseguiram preparar o robô para que pudesse processar as instruções que recebia do cérebro do macaco, equilibrando-o o suficiente para que não caísse devido a movimentos bruscos de pensamento.

fonte: RT-TV

Lanterna de raio-x

Controle das máquinas com o cérebro

Super-herói real

fevereiro 25, 2013 Posted by | curiosidades | , , , , , | 4 Comentários

O Robô do futuro

máquina de guerra

Soldado Futuro

O desarmamento é uma boa forma de promover a paz, a melhor forma sempre será a erradicação da pobreza e da fome.

A indústria bélica e o capitalismo se sustentam com a guerra, mas as perdas de vidas tem dificultado cada vez mais sua argumentação pagã.

Há um planejamento minucioso, possibilitando guerras rápidas.

Guerras rápidas evitam que os meios de comunicação dos inimigos possam articular, mostrar a sua versão do conflito.

Entre os problemas que surgem durante a guerra, o maior deles é relacionado ao próprio ponto de vista.

Como explicar que a guerra é uma boa opção, promovendo a paz, com tantas mortes e pessoas mutiladas, mesmo entre vitoriosos.

Os países que vencem uma guerra, podem causar um milhão de mortes de inimigos, mas bastam mil mortos em seu próprio exército para criar um conflito burocrático e ideológico.

A Rússia desenvolveu um robô no intuito de evitar perdas de vidas e mutilações, pelo menos no seu lado. Criaram um robô que pode ser controlado por controle remoto, parece coisa de ficção científica.

MRK-27 BT, não me perguntem o motivo desse nome, pode reduzir o número de mortes durante uma guerra.

Uma pessoa pode controlá-lo a um quilômetro de distância, através de um computador. O robô possui lançador de granadas e metralhadora com 600 balas.

Essa máquina de guerra foi desenvolvida nos laboratórios da universidade estatal de Moscou, e não é o único projeto de soldado/robô.

O robô MRK-27 BT pode elevar a plataforma de armas até dois metros de altura, movimentar-se até setenta e cinco graus, possibilitando ataques aéreos.

Junto ao robô maior, haverá um robô menor, com informações de áudio e vídeo, facilitando as ações de combate do robô maior que tem canhões capazes de abater até tanques de guerra.

Num futuro não muito distante, os especialistas em robótica russos acreditam que os soldados poderão ser substituídos pelos robôs, quando então teremos as guerras das máquinas.

Ao contrário da ficção, o homem não enfrentará as máquinas, estará no controle. As máquinas terão o duro trabalho de desarmar o inimigo que, desarmado, não terá nenhuma opção a não ser se entregar.

O desarmamento é, portanto, uma das formas de parar com as guerras, restando uma única opção para a solução dos conflitos, a erradicação da miséria e da pobreza.

A tecnologia Russa tem despertado a atenção de estrangeiros do mundo todo, principalmente porque os robôs poderão ser desenvolvidos para tarefas onde o homem teria dificuldade, como é o caso da manipulação de materiais radioativos.

A tecnologia para paz ainda precisa de incentivos dos governos,

Fonte: RT-TV

By Jânio

junho 18, 2011 Posted by | curiosidades | , , , , , | 8 Comentários

Os melhores filmes de viagem no tempo

viagem no tempo

A Quarta Dimensão

A quarta dimensão, a dimensão do tempo, há muito tempo fascina a humanidade. A ideia de se viajar no tempo, vem sendo imaginada muito antes de Einstein nascer.

Herbert George Wells, ou simplesmente H. G. Wells, foi o primeiro escritor a se aventurar pelo tema de viagem no tempo. Em sua história, um homem cria uma máquina que possibilita ao seu criador viajar no tempo, até o ano de 802,701.

Nesse admirável mundo novo, há duas raças de criaturas, uma pacífica e outra selvagem.

A história foi filmada em 1.960 pelo genial George Paul, o diretor ganhou o Oscar de efeitos especiais.

Curiosidade: O personagem do filme recebeu o nome de George em homenagem a H. G. Wells, além do diretor também se chamar George.

Em 2.002, foi a vez de Simon Wells, bisneto de H. G. Wells filmar a história do viajante do tempo, na pele de Guy Pearce.

Com uma história bem mais dramática, o cientista perde a noiva em um acidente e cria uma máquina para tentar salvá-la, mudando seu destino. Quando se vê diante da impossibilidade de mudar o que aconteceu, viaja acidentalmente para o futuro.

Num mundo totalmente alterado, duas raças disputam o domínio da Terra. A raça pacífica serve como animais de estimação para as criaturas selvagens.

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Time_Machine

O Planeta dos macacos – Essa história lembra de alguma forma “A máquina do tempo”, principalmente no seu formato épico e na forma como as mudanças se transformam tão radicalmente.

Baseado no livro “La Planète des singes” do Francês Pierre Boulle, em 1.963, mais de um século desde a publicação do livro de H. G. wells, mesmo assim com uma grande originalidade e irreverência.

No livro, um casal fazendo um cruzeiro no espaço, encontram uma garrafa com o diário de bordo de Ulysse Mérou, um astronauta que conta sua história.

No diário, encontrado dentro da garrafa, o astronauta conta que viajaram em uma espaçonave, criada por um gênio, a qual viajava a velocidade da luz. Por alguma razão, algo saiu errado e eles se viram num planeta onde os homens teriam evoluído para os macacos.

Na versão cinematográfica de 1968, não fica muito claro se os astronautas romperam a barreira do tempo, ou se estão em uma dimensão paralela. Durante toda a história os cientistas acreditam que atingiram o seu objetivo, chegar a uma galáxia distante, onde haveria vida.

É a tradução do título em Portugal que dá uma pista – “O homem que veio do futuro” – mas  o suspense é mantido até o final, numa das cenas mais antológicas da ficção científica, de todos os tempos.

Na versão de Tim Burton, onde o Mark Wahlberg assume o papel de Charlton Heston. Nessa segunda versão cinematográfica do planeta dos macacos, há mudanças consideráveis, mas mantém a base do original, sem nunca obter o mesmo êxito.

Desta vez, um chimpanzé usado para verificar uma tempestade eletromagnética, desaparece. Mark Wahlberg segue em sua busca e cai em um planeta, habitado por macacos que falam e humanos selvagens. As principais cenas foram modificadas por Burton, criando uma grande surpresa até para os fãs do filme original.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Planet_of_the_Apes_(filme_de_1968)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Planet_of_the_Apes_(filme_de_2001)
O Mistério do Triângulo das Bermudas – Esse é um filme fascinante, indicado para quem é leigo em física mais gostaria de saber as teorias do que acontece na região do triângulo das bermudas, ou triângulo do diabo, uma região que desafia os conceitos da física e os conhecimentos humanos.

O filme pode ser analisado em duas partes: A primeira, onde tem se a impressão que vamos ver um super filme; a segunda, onde o fime mostra o que Hollywood faz de melhor, um final constragedor e falta de controle do roteiro.

Apesar de tudo, ainda é um filme bem acima da média, mas poderia ser melhor trabalhado.  Os mistérios do triângulo das bermudas merecia uma história melhor.

Os atores não são brilhantes mas são conecidos do público e fazem o que podem.

Cansado de ver seus barcos desaparecerem sem motivos aparente, um bilionário reúne um grupo de especialistas para resolver o mistério. O resto do filme tenta explicar o que acontece numa região misteriosa e com uma alta concentração de energia eletro-magnética.

Fatos inexplicáveis desafiam o conhecimento, a ciência e expõe os fantasmas adormecidos há muito tempo.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tri%C3%A2ngulo_das_Bermudas

O exterminador do Futuro – O filme de baixo orçamento que apresentou ao mundo toda a genialidade de James Cameron, um dos maiores nomes no cinema atual.

Ao contrário de Tim Burton que fazia sequências contra a vontade, James Cameron é um especialista em sequências. Seus filmes de ação estão entre os melhores de Hollywood, seus filmes trazem a sua marca registrada, um talento incrível para administrar a produção de efeitos especiais e cenas de ação.

A história de viagens no tempo já não era novidade, quando “The Terminator” foi desenvolvido.

Com um orçamento baixo, entrou para a história das produções com o melhor custo/benefício, lançando ao estrelato todos os envolvidos no projeto.

Arnold Schwarzenegger é o terrível ciborg que é enviado ao passado para matar John Connor, um homem que se torna o líder da resistência dos humanos às máquinas, depois que essas dominam o planeta.

O Ciborg viaja no tempo em busca de Sarah Connor, para matá-la antes de o  bebê nascer.

Kyle Reese é enviado para proteger Sara Connor, curiosamente, eles tem um relacionamento de onde vem a nascer John connor, o salvador da humanidade.

A série deu muito lucro aos produtores, mas perdeu sua originalidade. Sua popularidade não, essa continua intacta.

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Terminator

Matrix – Um dos filmes mais originais dos últimos tempos, criado para ser uma trilogia, tornou-se uma das trilogias mais rentáveis de todos os tempos.

Keanu Reeves leva uma vida normal típica do século vinte, onde as aparências enganam. A verdade só vem à tona quando ele é identificado como o escolhido.

Os rebeldes então o resgatam de um cultivo, onde as máquinas usam os humanos para produção, como se fossem máquinas. Em suas mentes é implantado um programa, a matrix, criando uma realidade virtual do século vinte.

Os humanos rebeldes que entram nos programas, conspirando contra as máquinas, são considerados vírus a serem combatidos pelos homens de preto e óculos escuros, os anti-vírus; a batalha é travada na realidade virtual, mas a realidade também sofre o ataque real das máquinas.

A história não é fácil de entender, coisa de era eletrônica, mas vale a pena um pequeno esforço, devido a riqueza de elementos, que vão da filosofia grega ao cyberpunk, dos filmes de ação aos filmes de ficção científica, com muita maestria; uma grande crítica ao jogo de aparências dos dias de hoje.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Matrix

Abre los ojos – ou Open your eyes – Preso na Escuridão – Com o pretexto de refilmar a história do filme de Alejandro Amenábar, Tom Cruise criou uma verdadeira cópia do original, levando até a atriz principal, Penélope Cruz.

Ele devia saber que isso não daria certo, as mocinhas não estão acostumadas a ver o galã desfigurado por um acidente.

No filme original, César é o herdeiro de uma fortuna, tem tudo: Dinheiro, mulheres, beleza, saúde. Não tem nenhuma sensibilidade, até o dia em que sofre um acidente e tem o rosto deformado.

O filme não segue uma cronologia, isso faz com que os expectadores se envolvam na história, sem saber o que está acontecendo.

Uma grande qualidade, é mostrar o que a maioria dos filmes atuais não consegue, um final totalmente original.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Abre_los_ojos

Camisa de Força – The Jacket – A viagem no tempo ganhou um novo ingrediente, os mistérios da mente. Tanto em Matrix, como vários outros filmes da primeira década do século XXI, apresentam essa indagação – Quem são os loucos?

Um jovem acusado injustamente por um assassinato, é abandonado à própria sorte em um manicômio.

As drogas e o tratamento pouco ortodoxo, acabam por levá-lo a um estado de transe, rompendo com a barreira da realidade – ou seria do tempo?

Através dessas viagens, ele descobre que vai morrer, além de outras pessoas as quais passa ajudar.

Num recurso totalmente inédito, os personagens de tempos diferentes, se encontram, rompendo o conceito da física, mudando os seus destinos.

Atores famosos, aqui são meros coadjuvantes, totalmente irreconhecíveis. Jennifer Jason Leigh está completamente fora de seus papéis habituais, Kelly Lynch também; até Kris Kristofferson surpreende no papel de vilão, o médico louco.

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Jacket

O terceiro olho – Esse filme é mais um no estilo “parece mas não é”, onde o personagem não lembra, e não sabe, o que está acontecendo. Quando começa a lembrar, tenta mudar o que aconteceu a todo custo, mas não consegue.

Há até uma famosa frase no final do filme, mas ele não desiste e continua tentando, afinal, não tem nada a perder.

O clima de suspense é constante, mas o final é fraco, talvez o pior dessa safra de filmes de amnésia, mesmo assim merece ser visto.

http://cinesequencia.blogspot.com/2006/05/o-terceiro-olho.html

Efeito Borboleta – Inspirado na teoria do caos/efeito borboleta, essa história segue uma tendência sobre os mistérios do cérebro, onde a amnésia esconde uma capacidade que a mente apresenta de viajar no tempo e tentar mudar seu destino.

Além da viagem do tempo, através da mente, o que virou moda na primeira década do século XXI, há a questão da loucura, aparência, medo de morrer e o desejo de apagar  os próprios erros.

Nesse filme, curiosamente, o personagem principal insiste em apagar cada erro de sua vida, mesmo que a tentativa de mudar o que tenha acontecido, implique em consequências ainda piores.

Time After Time – Um século em 43 minutos – Estrelado pelo “maluco” Malcolm McDowell, ele tem cara de quem parece viver no mundo da lua.

Aqui ele viaja no tempo atrás do homem que entrou por engano na máquina, supostamente, esse seria Jack “o estripador”.

A crítica não deixa de se fazer presente. Segundo os críticos, o suposto Jack se sentiria muito bem nos dias de hoje, já que os crimes viraram rotina.

Em algum lugar do passado – Essa é uma versão romântica da viagem no tempo através do pensamento.

Um homem recebe um beijo de uma senhora de idade avançada, ela diz: “volte para mim.”

Mais tarde pesquisando a vida daquela mulher, ele descobre uma foto, e é através da foto que ele consegue voltar no tempo e viver o amor.

Peggy Sue – Seu passado a espera – inspirado em um grande sucesso da época, Francis For Coppola desenvolveu essa história.

Durante uma festa de confraternização, Peggy Sue desmaia e volta no tempo, onde decide se vive uma história de amor que não vai dar certo, ou muda seu destino.

Kathleen Turner  está muito bem no papel, embora eu tenha achado ela muito velha para o papel.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Peggy_Sue_Got_Married

Melhores filmes de ficção

Top Musicais

Melhores filmes com pessoas paranormais

Textos: by Jânio

agosto 1, 2010 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , , | 33 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: