Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Indexação de páginas às avessas

acessando blogs bloqueados

indexação alternativa

O meu grande objetivo na internet, sempre foi as buscas, o sistema mais antigo da internet, mais simples também, pelo menos até surgir o Google.

A maneira como as mensagens são espalhadas pela internet, me interessam muito, pois isso faz com que nossa opinião tenha mais importância, à medida que o site adquire uma maior notoriedade.

A partir dos sistemas de buscas, toda a rede de conteúdo tem início. O processo de linkagem, ligação entre texto, artigos, mensagens etc. Resumindo: a Xanadu de Ted Nelson ganha vida.

Outros sistemas tem chamado a atenção ultimamente, como é o caso do cobiçado ranking do Ocioso, que deixa o Google meio sem função, quando o assunto é referência em conteúdo, tamanha a quantidade de visitas que o sistema do Ocioso oferece.

Eu poderia dizer que dentro do processo de linkagem, duas redes se destacam de todas as outras: A Twitter, apesar de eu não ter emplacado por lá ainda e a WordPress.

A Twitter dispensa comentários, é uma rede onde os usuários, literalmente, pedem para receber spam, para a alegria dos publicitários e grandes redes de comércio. O lado bom é a sua performance, a melhor jamais vista em toda a história de softwares, uma revolução em programação, é esse o motivo de haverem tantas ferramentas e buscas baseados na Twitter.

O gerenciador WordPress é outra rede que chama a atenção, mas pelas suas próprias ferramentas. Eu já tive hospedagem própria e posso afirmar que o painel da WordPress é único. Eu admirava tanto seu painel, que mesmo quando eu tinha meu próprio domínio, eu o usava frequentemente.

Graças a essas facilidades, a WordPress foi facilmente se integrando às ferramentas Web 2.0, como os sistemas RSS. O caso da Delicious, foi uma ferrramenta que se integrou muito bem, tanto com a wordpress, como com o buscador da Google, um dos melhores exemplos de integração de sistemas da internet.

Foi graças a essa integração – WordPress > Delicious > Google – que eu, um amador em internet, descobri uma indexação pelas portas do fundo, a indexação de imagens.

Através da indexação de imagens, eu pude verificar como a otimização das imagens é importante: textos das imagens, rodapé, legendas, etc

Algumas imagens podem se transformar em virais quando menos se espera, foi o que aconteceu com meu site. Assim eu descobri como uma imagem pode fazer a diferença para o site, ou seja, muitas pessoas buscam pelas imagens no buscador da Google, do Yahoo e outros.

Outro fato curioso, é que, com a dificuldade de acesso ao blog, fato verificado por vários amigos, entre eles o Lison, eu fiquei na dúvida se o site era bloqueado por ter assusntos polêmicos, parece que não, pelo menos aparentemente não.

Graças as buscas de imagens, descobri que quando estamos com dificuldade para acessar um blog, podemos acessà-lo através de imagens nele contidas.

Algumas imagens de meu site se encontram bem posicionadas nos buscadores, como as palavras: Ig, cbn, pedro malasartes, milagres existem, bicitaxi, futebol feminino e muitas outras que eu ainda não notei, ou outras que ficaram no topo temporariamente, como foi o caso de Atlantida, Pompéia, hieroglifos, etc.

Assim, acessar o site através das imagens, se tornou uma boa opção, para os leitores de meu blog, quando o site estiver bloqueado, é só buscar por imagens e acessá-lo facilmente. Eu também uso três navegadores, mas isso eu não recomendo, pois não sei se é uma boa ideia, principalmente no caso de gerenciamento de cookies e cachê da memória, reservada ao navegador, até agora, tudo bem.

By jânio

abril 28, 2010 Posted by | blogosfera | , , , , , , , , , | 7 Comentários

Criando divulgação gratis com selos, memes e troca de links.

campanhas online

campanhas online

Não há como falar de indexação sem falar de Ted Nelson, o criador do hipertexto, inspirador da internet, criada mais tarde por Tim Berners-Lee.

Tim tinha uma admiração tão grande por Ted que, ao criar a internet, incluiu o nome hipertexto na nova ferramenta, a internet, fundamentada principalmente no html, hiper text markup language.

Segundo os conceitos originais de Ted, o hipertexto possuiria palavras destacadas, ou links, que levariam para outro texto, de maneira aleatória, como são usados, hoje em dia, pela Wikipedia, por exemplo.

A partir daí, concluímos, logicamente, que antes mesmo da internet surgir, já usávamos o hipertexto, através de cd roons, programas de computador, bibliotecas digitais, etc.

Muito bem, então sabemos que o link serve para nos enviar para um assunto  que tem tudo a ver com o texto que se está lendo. Aqui fico imaginando se o meu querido wordpress não poderia criar um complemento,  de instalação automática, para que as palavras fossem destacadas e fossem diretamente para o Wikipedia.

Quando duas pessoas trocam links, há um link que vai para aquele site parceiro, e outro que vem de volta para o site de origem. Isso não está de todo errado, desde que obedeçam a pelo menos uma de duas situações:

1 – O assunto é relevante, tem tudo a ver com o assunto que está sendo tratado no site parceiro, ou seja, os dois sites tratam do mesmo tema.

2 – Apesar de não tratarem do mesmo tema, o conteúdo é de qualidade inquestionável, o que evitará a rejeição do internauta que está visitando.

A rejeição, pelo que eu pude entender até agora, acontece quando a pessoa, visitando o site pelo link indicado, clica o botão voltar do navegador, caracterizando a rejeição ou saídas.

O buscador da Google registra isso, através de cookies,  o tempo no site, a rejeição, etc. Independente disso, atrapalha a organização de conteúdo da internet.

Os selos são uma forma elegante de homenagear nossos sites/amigos, o selo é enviado para dez pessoas, que passam para outras dez pessoas, criando um meme. Esse assunto já foi tratado, aqui, no madeinblog/icommercepage.

Você pode enviar o selo para quantas pessoas você quiser, mas, por cautela, os blogueiros enviam, geralmente, para dez, para evitar uma possível retaliação por parte dos buscadores.

Resumindo, de homenagens, selos e memes, fora as outras formas, típicas de web 2.0, que serão tratadas oportunamente, são feitas uma bela divulgação, de maneira sensata e ética,  recebendo ou enviando tráfego para sites amigos.

Lembrando sempre que comentar em blogs, além de criar links, podemos criar uma boa imagem, o que valoriza bastante nosso site, não é mesmo?

As redes sociais são um caso a parte, que a gente nunca se cansa de falar.

Apesar de algumas redes apresentarem uma qualidade muito acima da média, nem sempre somos agraciados com resultados satisfatórios, assim é preciso visitar várias até encontrar a rede social ideal.

As redes sociais são ótimas para se criar links de maneira ética, sem ficar mendigando um link, o que é, além de anti-ético, fora de moda, com tantas formas de indexações em época de Web 2.0.

Leia mais

https://icommercepage.wordpress.com/2009/06/29/selos-a-corrente-do-bem/

by Jânio.

agosto 30, 2009 Posted by | divulgação gratis | , , , , , , , , | 15 Comentários

Interatividade e organização de conhecimentos.

O sonho de Ted Nelson

O sonho de Ted Nelson

Tudo o que os blogueiros escrevem, eles(a) pensam, alguns blogueiros administram seus blogs de maneira tão pessoal que pode-se saber o que, de fato, o blogueiro pensa.

O buscador da Google trouxe a capacidade de rastrear qualquer atividade de um internauta pela rede, principalmente o blogueiro que vê na transparência uma forma divulgar seu trabalho, aparecer, atrair mais leitores.

Cada vez que seu link é digitado no formulário, acompanhado de seu nome e comentário, de certa forma, ali vai também a personalidade e o caráter de um internauta.

Apesar disso, a vida vida virtual permite a realização de vários sonhos, entre eles:

Ser Jornalista – de certa forma. todos os blogueiros personificam esta profissão, se não de maneira constante, pelo menos em boa parte de seu tempo.

Ser colunista – quando uma pessoa escreve um artigo sobre determinado assunto, fato, opina sobre acontecimentos, etc.

Ser amigo – quando os pensamentos começam a interagir através de trocas de idéias, conhecimentos e informações, um comportamento muito semelhante ao de amigos estudantes, quando não entenderam tudo o que a professora disse, ou quando estão aprimorando seus conhecimentos entre si.

Ser qualquer profissional – pessoas podem levar mais a sério na vida virtual profissões como: escritor(a), poeta ou poetisa, consultor, assessor, etc., um dom pode fluir naturalmente.

Ser empresa – em casos de o blog dar muito certo, há a possibilidade de se ganhar dinheiro com ele, alguns apostam no Google Adsense, Buscapé, UOL, e há aqueles que vão alem, depois de adquirir um certo status, viram alvos de agências de publicidade, políticos, corporações e até de forças ocultas das quais não sabemos.

Ser meio de exposição de sua própria imagem – Alguns blogueiros preferem falar de si próprios, passar suas experiências, passar seus diários virutuais. Apesar de serem muito criticados, essa é a verdadeira essência do blog, sua origem esta diretamente ligada ao diário virtual, sua forma de ver a vida, de pensar.

A Web 2.0 veio profissionalizar o processo de blogar, a partir daí, a responsabilidade aumentou enormemente, pessoas que atualizam seus blogs constantemente, fazem uso de indexadores,  comentam em outros blogs, cadastram seus links em diretórios, classificados, fóruns e outros meios, inevitalmente, aparecem no topo das buscas, por isso acabam sendo obrigados a ser mais seletivos em seus textos, verificar melhor suas fontes de informações e a consistência de seus dados.

Eu costumo dizer que a Web 2.0 é a maior maravilha que surgiu no mundo da informática, desde a criação do hipertexto, a facilidade com que se encontra a informação é tamanha que não fazer uso desse recurso é ficar fadado ao fracasso.

Não é necessario saber escrever para se ter um blog, quanto menor a capacidade de um blogueiro, menor seu texto, mas textos muito grandes também não são muito populares, isso porque os internautas não gostam de ficar muito tempo em um único site, internautas tem sede de conhecimento, de noícias, novidades, oportunidades, e pouco tempo disponível para procurar.

Talvez isso explique o porquê de blogs de humor  com tanto sucesso, alguns sites de imagens também tem uma aceitação acima da média.

No caso dos textos, os links entre eles são uma realização do sonho de Ted Nelson, uma forma de organizar os pensamentos, de ligar todos os cérebros do mundo todo, formando um só.

By Jânio.

agosto 1, 2009 Posted by | blogosfera | , , , , , | 6 Comentários

Como Surgiu a internet?

O criador da internet

O criador da internet

Depois de alguns anos navegando pela internet, achei que estava na hora de fazer uma retrospectiva da própria, essa ferramenta fantástica através da qual podemos obter ou trocar tantas informações.
A internet foi inspirada, basicamente, no hipertexto criado por Ted Nelson em 1965. Visionário, Ted acreditava na possibilidade de se escrever textos e publicá-los, num formato não linear, para ser lido em qualquer ordem.
Concluímos assim que antes do advento da internet, já utilizávamos esse recurso, através de cds roons e outros programas. Hipertexto consistia, de maneira geral, em links de referências, dentro do próprio texto, que nos levava para outro ponto do texto ou de outra página.
A idéia era tão inovadora e tão simples, ao mesmo tempo, que é usada até hoje, 40 anos depois. Esse projeto de Ted Nelson, recebeu um nome, bem sugestivo, de Xanadu.
Em 1969 surgia a Arpanet (USA), um projeto militar com 4 computadores, interligados à distância, formando uma rede. Sua idéia inicial, era proteger dados sigilosos dos militares.
Quando acessamos um endereço único (URL) de uma Home Page (página), estamos utilizando a interface gráfica da internet, a web, essas páginas são, basicamente, estruturadas em linguagem de marcação, html.
O principal nome, no início da internet, foi o físico e matemático Tim Berners-Lee. Seus pais, também matemáticos, já haviam participado da criação do primeiro computador comercial, MARK I, no início dos anos 50.
Com muita imaginação, assim como Ted, Tim imaginava um protocolo onde todas as coisas estariam conectadas, em todo o mundo. Segundo suas idéias, os neurônios no cérebro, assim como as palavras no dicionário, não possui sentido próprio, são suas conexões entre si que geram o conhecimento.
No princípio, seu projeto chamava-se Enquire, mais tarde passou a se chamar world wide web, uma alusão à espressão matemática (conjunto de nós e links).
O html (Hyper Text Markup Language), foi criado por Tim em homenagem a Ted Nelson, criador do hipertexto, em 1965.
E foi assim em, 1990, Tim criava a base da internet: Web, http, html e url. Assim, em 1990, o projeto militar Arpanet deu lugar ao primeiro provedor, comercial, de conexão discada. Todo o processo funcionava assim: O usuário da rede conectava-se a internet, através de uma conexão via telefone, através dessa conexão, conectava-se a um endereço único (url) para acessar a web (uma homepage qualquer cuja estrutura era constituída, basicamente, por linguagem de marcação, html ),

Como surgiu o Blog

Quando surgiu a Google

Como surgiu a twitter

A história da Wikileaks

fevereiro 17, 2008 Posted by | internet | , , , , | 15 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: