Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Polêmico e contraditório – Não foi irônica a vitória de Dourado?

vitória irônica

programa irônico

O fim do Big Brother 10 foi deprimente, essa foi uma edição que eu não assisti sequer um episódio, e não gostei de nem um.

Poderia ser pior, olha o exemplo de Farm, ou A fazenda, da Record. O reality da Record, que só emocionou a própria emissora, e pretendia afetar o BBB, foi um fracasso tão notável que até agora eu não sei quem ganhou.

A ideia de apresentar um reality, simultâneamente ao  outro, foi péssima. Reality é trash, lixo, as pessoas assistem porque querem ver os seus camundongos dentro de suas gaiolas, querem decidir seus destinos; como os camundongos são de classe média baixa, metáfora melhor para a manipulação, pela classe média alta, não há.

Na sua maioria, a classe média baixa que se apresenta para um programa desses, deve ter carisma, bom senso para coisas inúteis e uma certa interpretação, sorrir nos momentos mais bizarros. A fórmula está no seu limite, mas resiste; se levarmos em conta que muita gente tem serpentes de estimação, outros jacarés, onças, etc, então o BBB, na tv, é ser normal.

Como digitar sobre uma coisa que não se acompanha? – Simples, pela imprensa. Dificuldade é encontrar alguém disposto a comentar sobre o tema reality show, mas vamos lá.

Eu diria que tudo nesse mundo pode ser motivo de análise e reflexão, no caso do Big Brother 10, não foi diferente. Difícil é imaginar que tudo é feito de propósito, como um fetiche de filmes eróticos, onde se encontra sempre uma fantasia para os tarados de plantão.

Nesse BBB 10, quem mais chamou a atenção foi Ana Mara, a PM que foi exonerada do cargo enquanto participava do reality, deixando seus companheiros de profissão irritados. Nem mesmo os dois gays, incluídos, propositadamente, para provocar polêmica, parece ter dado resultado, ou talvez o resultado tenha sido inverso.

Acontece que Dourado, acusado de ser homofóbico, uma das raras citações na mídia online, acabou ganhando o jogo. Além dos escândalos e das cenas de nudez, que são comuns, a homofobia foi um dos poucos assuntos abordados online.

Parece que o fato de ter dois gays, no mesmo programa, inflacionou o mercado. A produção já desistiu de incluir pessoas pobres, há muito tempo, por serem imprevisíveis, o que prejudica a manipulação e o roteiro.

Pelo que parece, até análise  psicológica está sendo feita, pois já não se vê falar de nenhum ato de loucura, ou claustrofobia, no programa.

Ex-BBBs também não tem bons cachês, depois de dez edições, são tantos BBBs no mercado que até perderam o charme, são estrelas demais.

Resta agora só uma pergunta: Será que a Record vai insistir na estratégia? – Se a Globo continuar, seu clone também, a debandada para internet pode ser grande, a cultura brasileira pode melhorar.

By Jânio

março 31, 2010 Posted by | televisão | , , , , , , , , , , | 6 Comentários

Dado Dolabella vence em A Fazenda

quase real

quase real

Contrariando todas as expectativas, Dado Dolabella vence a final do reality da record.

Esse foi o primeiro reality “A Fazenda” no Brasil, pelo jeito a TV Record começou muito mal, contrariando todas as expectativas em relação ao vencedor, não o IBOPE.

Como eu disse na final do Big Brother Brasil, os realities surgiram como uma forma de trazer mais realismo as tvs, no mundo inteiro.

Atualmente há reality show para todos os gostos, inclusive plágios dos próprios reality. Temos Ídolos, Astros, Troca de Famílias, O aprendiz, A fazenda, No Limite, o mais conhecido de todos Big Brother Brasil, e mais uma infinidades deles.

Para quem acha os realities de muito mal gosto, é bom saber que o programa surgiu de experiências sérias de cientistas da NASA, numa simulação de vida fora da Terra,

Não, a experiência não deu certo, foi uma frustração muito grande, e o melhor que se pode tirar dessa experiência, foi o comportamento bizarro que o homem adquire fora de seu habitat natural, quando submetido a situações adversas.

A única maneira aceitável de ver um reality show, é como uma comédia, uma sátira da sociedade, principalmente da classe média, os únicos capazes de manter as aparências, evitando que o show fique real, acima do recomendado para o horário nobre.

Na final do Big Brother Brasil, a ideia de que teria havido um empate, foi contestada por especialista, aumentando ainda mais as suspeitas e descontentamento com o resultado.

A primeira vista, tem-se a impressão de que há interesses na manipulação de resultados, para que se possa aproveitar esses futuros ex-integrantes na própria emissora, o que depende muito da aceitação do público.

Na fazenda, o favorito era “O Mendigo” do programa Pânico, não exatamente porque era do programa, mas porque tinha uma história dramática de morador de rua e FEBEM. Caiu nas graças do público.

Pela primeira vez, na história dos realities, os famosos e anônimos, não só opinaram, como concordaram que “O Mendigo”, ou Carlinhos, tinha que ganhar, ele não chegou nem na final.

Quem venceu foi o bad-boy Dado Dollabela. como um dos coordenadores do reality, homens por trás das câmeras, era Alexandre Frota, o eterno bad-boy brasileiro, isso começa a fazer sentido.

A verdade é que o reality show, apesar de uma bela sátira da sociedade, nunca satisfaz o público plenamente.

Já havia, a exemplo do último Big Brother Brasil, uma suspeita de quem seria o vencedor, mas o povão continuava votando contra. É preciso entender que o reality, para dar certo, não pode ser muito real, para ganhar, a pessoa, além de não poder ser muito verdadeira, tem que suportar a pressão.

O jogo é meio psicológico, o prêmio em dinheiro é grande, motivo suficiente para as pessoas jogarem de acordo com o jogo.

O SBT, depois de ver “A Fazenda” vencendo a Globo no Ibope, chegou a admitir a possibilidade de reativar “A Casa dos Artistas”, um reality que não deu muito certo, assim como “A Fazenda” era um plágio do Big Brother, apesar de “A Fazenda” ser uma franquia de “The Farm”, sucesso mundial.

Se nem os cientistas conseguiram tirar bom proveito da exposição, pessoas normais, além de tempo, terão que ter muita paciência para ficar sem fazer nada, assistindo várias pessoas a não fazer nada o tempo todo.

Tem que ser psicologicamente muito forte.

By Jânio.

agosto 25, 2009 Posted by | televisão | , , , , , | 14 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: