Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Coisas de políticos do Brasil

Maldição Política

Tradição Política

Já na reta final do processo em terceira instância, os réus do mensalão nunca se sentiram tão felizes em morar num paizinho de m**** como o Brasil. Estão falando até em devolver o processo para o plenário – nada mais oportuno, já que o governo tem maioria e poderia livrar a cara de João Paulo Cunha.

PC Farias ficou com o processo na gaveta, depois de morto, durante décadas e nenhuma autoridade foi processada por fazer o povo acreditar em suicídio; Garotinho, Maluf e tantos outros corruptos, também estão nos arquivos do Sarney. Resta saber o que vai ser dos réus do mensalão, principalmente porque a maioria não é política, eles são executivos, lobistas e burocratas.

… e por falar em executivos, todos nós sabemos que os executivos trabalham para alguém. Por exemplo: Os executivos do Panamericano trabalhavam para SS, assim como os executivos do Banco Rural, Delta e Dnit, trabalham para alguém.

Esse novo escândalo, envolvendo vários funcionários fantasmas, com vários políticos sendo investigados, entre eles Sandro Mabel, mostram como os funcionários públicos aprovados em concursos, são úteis para os governos, inclusive para contratar fantasmas sem concursos.

Já que o Brasil é um paizinho de m**** e ninguém vai preso, bem que eles poderiam deixar de ser cínicos e dizer a verdade, como fez Roberto Jefferson, político que entrou para o seleto grupo de filósofos políticos à brasileira.

a) “A república vai cair”, “você vai fazer do presidente uma vítima inocente”, “ele sentiu como se tivesse levado uma facada nas costas e caíram lágrimas de seus olhos”.

b) “Vocês são todos hipócritas!”

c) “Se uma pessoa quer ficar rica, deve escolher qualquer outra profissão, menos a de político. Político não pode ficar rico.”

d) “Nós precisamos sentar na mesa para conversar com esses traficantes.”

e) “Eu sei como a senhora votou”.

f) “Eu não tenho dinheiro no exterior! Quem foi que disse que eu tenho dinheiro no exterior? Se eu tiver dinheiro no exterior, você pode pegar tudo para você.”

Estas não são as palavras exatas, mas lembram de nossos filósofos políticos, a maioria corrupta.

A CPI do canhoeira entra em recesso e só continuará depois do primeiro turno das eleições, mostrando os reais interesses do nossos políticos.

Enquanto um dos ministros do STF é obrigado a se aposentar porque já tem setenta anos, José Serra, com setenta anos, prova que governador não precisa de aposentadoria.

Coisas de políticos do Brasil.

By Jânio

setembro 5, 2012 Posted by | Política | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Jovens homens velhos

falta de passado

Velha Sociedade

É natural que a responsabilidade dos mais velhos passe para os mais jovens e isso deveria ocorrer gradativamente, sem traumas. O homem mais velho não precisa necessariamente ser velho para ceder o seu lugar no trabalho, nem deveria abandonar suas funções definitivamente.

Ao ler notícias políticas nos jornais, podemos notar o quanto as velhas raposas desprezam a ética, dando um bom mau exemplo de como não se deve comportar. Graças a esses velhinhos malditos, os jovens homens velhos não tem uma boa aposentadoria e acham certo continuar trabalhando, enquanto jovens de trinta anos ainda procuram o seu primeiro emprego.

Eu já pude comprovar que muitas pessoas, principalmente aquelas que trabalham à noite e plantonistas, costumam acumular cargos, para conseguir pagar a faculdade e a saúde dos filhos. Também há pessoas que trabalham até vinte horas por dia, num único emprego, e isso não é muito comum entre os escravos brasileiros.

Algumas profissões permitem que as pessoas trabalhem acima de seu limite físico, mas o seu limite psicológico nem sempre suporta essa jornada tão desgastante. Quando a saúde acaba, o jovem homem velho descobre que não planejou sua vida como deveria, e nem educou os filhos.

Jornadas dobradas de trabalho ajudam a aumentar ainda mais a desigualdade social, eu já pude ver até onde vai a degradação humana.

Cada vez que surge um novo conjunto habitacional, financiado pelo governo, eu noto como a especulação imobiliária atrai aventureiros dispostos a tudo para conseguir sua casa. Enquanto isso, pessoas sem influência políticas tem de mendigar ou se prostituir para conseguir sua vaga.

Alguns grupos de pessoas se organizam e invadem propriedades abandonadas, financiadas com dinheiro público, para em seguida sofrerem as consequências de seu ato impensado, ou mal pensado. Já surgiu até um modo de ganhar dinheiro com essas invasões, onde as supostas vítimas negociam suas terras com o governo, pelo dobro do preço, para supostamente ajudar as pessoas necessitadas.

No interior do Brasil também há pessoas que invadem as terras, nativas ou de povos indígenas, com a intenção de vender, passar para seus patrões, proporcionando um grande lucro. Essas práticas dão uma ideia de como a reforma agrária é um processo complexo.

Os seringueiros sabem como funciona essa legislação seletiva e a libertação de um dos homens presos por matar uma freira americana, mostra a política cruel do STF, além de ajudar a explicar a discriminação dos brasileiros lá fora.

A injustiça brasileira, combinada com o sistema elitizado, deixam uma pergunta: Há tanta gente importante assim no Brasil, ou será que é o crime organizado que chegou ao seu limite? Afinal, quando é que vamos todos começar roubar e matar, para conseguirmos sobreviver?

Você acredita que o Brasil está melhorando? Eu também acredito, assim como eu acredito que a inexperiência de um partido político no governo, mostrou como nosso sistema político é sujo e desprezível – Esse “crescimento” do Brasil tem provocado polêmicas lá fora.

A maioria dos meus leitores tem opiniões parecidas, relacionadas com o crescimento do Brasil: “Não foi o Brasil que cresceu, foram os outros que caíram.”

Enquanto os estrangeiros chegam para empreender e ocupar as vagas que a nossa infra-estrutura não teve competência para suprir, brasileiros embarcam rumo ao seu destino desconhecido, provavelmente para limpar privadas em países de primeiro mundo.

O crescimento brasileiro tem sido motivo de polêmicas pelo mundo inteiro, afinal, nosso país sempre foi muito rico, com um povo muito pobre, mas nunca tivemos tanta atenção das comunidades internacionais.

Essa responsabilidade com o desenvolvimento sustentável e com a economia mundial, poderá nos trazer problemas. Haverá uma exigência muito grande por parte do novo mundo globalizado – não confundir com economia globalizada.

Resta saber qual será a maior preocupação do governo, satisfazer as exigências de um desenvolvimento sustentável, economicamente e ecologicamente, ou o nosso desenvolvimento social?

Certamente, deveríamos nos preocupar com tudo o que é certo e correto, mas isso será impossível, enquanto a máfia estiver no comando.

By Jânio

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

agosto 29, 2012 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

O futuro decadente da raça humana

insegurança e medo

Fim da Tradição

Recentemente, em uma pesquisa feita na América latina, constatou-se um assustador aumento de jovens em idades bem avançadas e que nunca haviam trabalhado. Esses números poderiam ocultar um grande problema, o número de desempregados, já que quem nunca trabalhou não poderia ser considerado desempregado.

O Boston Consulting Group publicou o resultado de um estudo que mostra números sob outro ponto de vista e muito mais assustadores, ou seja, as empresas estão contratando cada vez menos pessoas com idade um pouco mais avançada, entre 50 e 64 anos.

Avanços tecnológicos, como automação e informática, tem contribuído para essa diminuição de mestres empregados. Isso poderá se tornar um grande problema, já que uma situação nova começa a se apresentar, onde as tecnologias não passam de geração para geração.

O problema começa a ficar sério, como mostram os números: No setor da educação, apenas 38% estão nessa faixa e, na Itália e EUA, apenas 36% estão nessa faixa de idade.

Enquanto isso, a tendência de aumento de pessoas mais velhas, dentro do grupo economicamente ativo, deverá aumentar.

Até há algumas décadas atrás, ser mais velho significava sabedoria, sensatez, qualidade, segurança, o oposto da juventude, que não se preocupava com nada disso. O problema é que estamos caminhando para um mundo controlado por jovens geniais, capazes de controlar redes de computadores, destravar um equipamento sofisticado, como um tablet, invadi-lo, enfim demonstrar a arte hacker.

Basta lembrarmos como foi feito o primeiro download da história, para termos uma idéia do que poderá acontecer no futuro. O homem que possibilitou a transferência do primeiro arquivo, não ganhou nada com isso, mas demonstrou uma criatividade incrível.

Nesse processo de evolução, poderemos ter a combinação quase perfeita do “Planeta dos Macacos” e dos humanoides da “Máquina do Tempo”, ou seja, não precisaremos construir um robô, pois seremos como eles. Estaremos rejuvenescendo a sociedade e, nesse processo, estaremos mais despreocupados e menos humanos.

Isso ocorrerá depois dos conselhos serem extintos, depois de banirmos os mais velhos para fora da sociedade, só aí nos lembraremos que eles não queriam nada de nós, pelo contrário, nós é que precisávamos dele.

Texto de introdução: RT-TV

By Jânio

fevereiro 17, 2012 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , | 1 Comentário

Nome de santo

santo_batismo

Nome Santo

Em cidades pequenas, mesmo no Brasil, onde as tradições não prevalecem por muito tempo, há uma cultura muito forte aos santos.

As culturas latinas de em modo geral são muito passionais, mas um santo deve ser alguém que dê o exemplo, alguém que tenha se destacado, alguém que tenha sido um mártir, defendido uma causa nobre, tenha sido convincente com a sua fé ou tenha passado a vida sem cometer erros ou pecados graves.

O respeito por essas pessoas é tão grande que de alguma forma, milagres acontecem, mesmo depois dessas pessoas terem deixado as suas vidas terrena.

Não dá para duvidar que os milagres venham da fé.

Quando os milagres são relacionados às pessoas que conheceram esses santos, podemos notar o reconhecimento à vida daquelas pessoas, mas quando já se passaram séculos, nota-se que às pessoas pedem uma benção em nome de alguém que julgam dignos da compaixão de Deus.

Há muitas controvérsias doutrinárias sobre essa forma indireta de se ter fé, em santos, antes de Deus, mas a humildade e a fé dessas pessoas certamente nunca será contestada.

Quando vão batizar os bebês, os padres alertam para a importância do nome de um santo. Antes de batizar a criança no registro civil, a criança é batizada na igreja, para que não corra o risco de morrer sem passar por esse momento considerado tão importante.

Não é só a fé indireta em Deus que chama a atenção aqui, eu noto também os valores tradicionais indiretos.

Ao invés de seguir a tradição familiar de condes, duques ou princesas, o que seria impossível em famílias humildes, segue-se a tradição dos santos.

Desde os dez anos, eu sempre fui consultor em minha cidade. Antes disso eu já dava conselhos, mas foi depois dos dez anos que esse costume aumentou.

Quando alguém me perguntava sobre o nome de uma empresa, eu nunca tinha dúvidas, deveria ser o nome de um santo, de preferência do santo protetor da família desse empresário.

Em cidades pequenas a religião é muito importante, e sendo essa a única tradição existente no Brasil, torna-se mais importante ainda.

O nome do santo certamente não será suficiente para manter a imagem do estabelecimento, mas acaba demonstrando boas intenções e a vontade de alguém que está começando e que deverá ter muita fé em tudo: fé no homem, fé no santo, fé em Deus, fé em si mesmo.

By Jânio

setembro 2, 2011 Posted by | Empreendedorismo | , , , , , , , , | 6 Comentários

Renato Teixeira – O compositor de Carga Pesada

musica caipira

Carga Pesada

Renato Teixeira é considerado um dos maiores compositores da história da música brasileira. Sendo um grande defensor da música caipira, apesar de nunca ter morado no campo, aqui começam as contradições.

Sua ligação com o Universo Caipira seria mais através da música, e a música é coisa de família, é sagrada.

Para quem acha que ele não tem contato com a vida de interior, é justamente daí que vem suas inspirações. O caso mais recente, sua parceria com outro grande nome da música, Almir Sáter, mostra onde ele busca suas inspirações, suas influências.

Se de um lado ele faz parte de um movimento contra a banalização da música caipira, com objetivos comerciais; ele próprio já compôs jingles, por outro lado, ele não se prende às fronteiras nacionais, vai mais além.

Vendo suas músicas, parece que esse compositor tem mais de duzentos anos, mas sua carreira ainda é recente. O compositor não é tão antigo assim, apesar de suas façanhas.

Por exemplo:

Romaria foi tema de estudos em escolas, na década de setenta. A música foi gravada por Elis Regina e se tornou um dos maiores clássicos da história da música.

O Rio de Piracicaba é uma da músicas mais tocadas da história do rádio, mas pouca gente sabe quem é o autor. Na realidade, nem eu sei quais são suas músicas; para conhecer toda a sua obra, só pela internet.

Como cantor, já gravou com os maiores cantores do Brasil, isso aumenta ainda mais a confusão, fica muito difícil saber qual música é dele e qual não é.

Caso queira descobrir quais das músicas são suas, é só ver quais são as melhores.

Suas músicas não são exatamente aquelas das novelas das oito, por isso suas músicas são mais conhecidas que o próprio autor. Esse é o caso de Frete, do seriado Carga Pesada, onde o melhor era a música.

O tema do programa “Som Brasil” também era dele, cantada por Rolando Boldrin. Rolando Boldrin, inclusive, segundo fofocas da época, era um grande crítico da música sertaneja, em oposição a música regional (caipira) – Entendeu? – nem eu.

Recentemente, Renato Teixeira gravou com uma dupla muito criticada pelo movimento de música regional, contrariando as expectativas.

Sua grande parceria com Almir Sater, rendeu a eles, ou para nós, dois dos maiores clássicos da música brasileira, imortalizadas por uma novela da antiga TV Manchete, Pantanal.

A composição mais curiosa de sua carreira, além dos jingles para publicidade, foi a música feita para Joana, onde seu alter ego (personagem) era feminino. A música foi feita sob encomenda, pela própria cantora,  e deu muito certo.

Veja sua poesia …digo … suas músicas.

ROMARIA

Renato Teixeira

É de sonho e de pó, o destino de um só
Feito eu perdido em pensamentos
Sobre o meu cavalo
É de laço e de nó, de gibeira o jiló,
dessa vida cumprida a só

Refrão
Sou caipira, Pirapora Nossa
Senhora de Aparecida
Ilumina a mina escura e funda
O trem da minha vida

O meu pai foi peão, minha mãe solidão
Meus irmãos perderam-se na vida
Em busca de aventuras
Descasei, joguei, investi, desisti
Se há sorte eu não sei, nunca vi

Me disseram porém que eu viesse aqui
Pra pedir de romaria e prece
Paz nos desaventos
Como eu não sei rezar, só queria mostrar
Meu olhar, meu olhar, meu olhar
TOCANDO EM FRENTE

Almir Sater e Renato Teixeira

Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte,
Mais feliz, quem sabe,
Eu só levo a certeza
De que muito pouco sei,
Ou nada sei

Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs

É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder seguir
É preciso chuva para florir

Sinto que seguir a vida
Seja simplesmente
Conhecer a marcha
E ir tocando em frente

Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou

Cada um de nós compõe
A sua própria história
E cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
De ser feliz

Todo mundo ama um dia,
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora

RIO DE LÁGRIMAS

Renato Teixeira

O rio de Piracicaba
Vai jogar água pra fora
Quando chegar a água
Dos olhos de alguém que chora

Lá no bairro onde eu moro
Só existe uma nascente
A nascente dos meus olhos
Já formou água corrente

Pertinho da minha casa
Já formou uma lagoa
Com lágrimas dos meus olhos
Por causa de uma pessoa

Eu quero apanhar uma rosa
Minha mão já não alcança
Eu choro desesperado
Igualzinho a uma criança

Duvido alguém que não chore
Pela dor de uma saudade
Eu quero ver quem não chora
Quando ama de verdade

O VIOLEIRO TOCA

Almir Sater e Renato Teixeira

Quando uma estrela cai
No escurão da noite
E um violeiro toca suas mágoas
Então os olhos dos bichos
Vão ficando iluminados
Rebrilham neles estrelas
De um sertão enluarado

Quando um amor termina
Perdido numa esquina
E um violeiro toca sua sina
Então os olhos dos bichos
Vão ficando entristecidos
Rebrilham neles lembranças
Dos amores esquecidos

Tudo é sertão, tudo é paixão
Se um violeiro toca
A viola e o violeiro
E o amor se tocam

Quando um amor começa
Nossa alegria chama
E um violeiro toca em nossa cama
Então os olhos dos bichos
São os olhos de quem ama
Pois a natureza é isso
Sem medo, nem dó, nem drama…

AMANHECEU, PEGUEI A VIOLA

Renato Teixeira

Amanheceu eu peguei a viola
Botei na sacola e fui viajar

Sou cantador e tudo nesse mundo
Vale prá que eu cante e possa praticar
A minha arte sapateia as cordas
E esse povo gosta de me ouvir cantar

Amanheceu…

Ao meio dia eu tava em Mato Grosso
Do Sul ou do Norte, não sei explicar
Só sei dizer que foi de tardezinha
Eu já tava cantando em Belém do Pará

Amanheceu…

Em Porto Alegre um tal de coronel
Pediu que eu musicasse uns versos que ele fez
Para uma china, que pela poesia
Nem lá de Pequim se vê tanta altivez

Amanheceu…

Parei em Minas prá tocar as cordas
E segui direto para o Ceará
E no caminho fui pensando, é lindo
Essa grande aventura de poder cantar

Amanheceu…

Chegou a noite e me pegou cantando
Num bailão, lá no norte do Paraná
Daí prá frente ninguém mais se espanta
E o resto da noitada eu não posso contar

Anoiteceu e eu voltei prá casa
Que o dia foi longo e o sol quer descansar

FRETE

Renato Teixeira

Eu conheço cada palmo desse chão
É só me mostrar qual é a direção
Quantas idas e vindas meu deus quantas voltas
viajar é preciso é preciso
Com a carroceria sobre as costas
vou fazendo frete cortando o estradão

Eu conheço todos os sotaques
Desse povo todas as paisagens
Dessa terra todas as cidades
Das mulheres todas as vontades
Eu conheço as minhas liberdades
Pois a vida não me cobra o frete

Por onde eu passei deixei saudades
a poeira é minha vitamina
Nunca misturei mulher com parafuso
mas não nego a elas meus apertos
Coisas do destino e do meu jeito
sou irmão de estrada e acho muito bom

Eu conheço todos os sotaques
desse povo todas as paisagens
Dessa terra todas as cidades
das mulheres todas as vontades
Eu conheço as minhas liberdades
pois a vida não me cobra o frete

Mas quando eu me lembro lá de casa
a mulher e os filhos esperando
Sinto que me morde a boca da saudade
e a lembrança me agarra e profana
o meu tino forte de homem
e é quando a estrada me acode

Eu conheço todos os sotaques
desse povo todas as paisagens
Dessa terra todas as cidades
das mulheres todas as vontades
Eu conheço as minhas liberdades
pois a vida não me cobra o frete

RECADO (MEU NAMORADO)

Renato Teixeira

Mandei um recado
Pro meu namorado
Nos classificados
De um grande jornal
Pedindo pra ele
Que um dia apareça
Antes que eu mE esqueça
E melhore
O astral
Meu namorado é um sujeito ocupado
Não manda notícias
Nem dá um sinal
Eu ando meio com medo
Que um dia ainda ache
A tristeza normal

Pensei num caminho
Que fosse seguro
Num bom casamento
Na vida do lar
Eu sou do subúrbio
E sei que o destino prá nós é bem simples
Não vai variar

Meu namorado…

O tempo me dado
Pra andar nessa terra
É um tempo de guerra
Um tempo cruel
Até os amores
São tão mal cuidados
Que acabam virando
Uma coisa banal

Meu namorado…

Texto de introdução: By Jânio

outubro 10, 2010 Posted by | Música. | , , , , , , , , , , , , , | 6 Comentários

Brasil – Um povo dividido entre o presente e o passado

O que deu errado

Homem Chave

Esse tema já virou clichê, aqui no madeinblog/icommercepage, eu não quero esquecer de como funciona a sociedade brasileira, nem de como somos enganados.

Estamos sempre a procura do maior, ao invés do melhor, esse sentimento tem sido muito utilizado pelos institutos de pesquisas, principalmente no caso de intenção de voto.

Esse é um sentimento que vem do tempo da Monarquia, passando pela Proclamação da República, Regime militar, e até pelo movimento de Diretas Já.

Com sistemas de controle favoráveis para si, a classe média alta se tornou preguiçosa e irresponsável, em relação ao social. Não podemos, de maneira alguma, achar que o sistema é dispensável, isso seria utopia anarquista.

Quando se trata de anarquismo, eu sei do que eu estou falando, de certa forma eu sempre tive uma certa tendência ao anarquismo, nunca segui esses pensamentos porque assim não seria anarquismo.

“Se hay gobierno, yo soy contra” – Você faz ideia de quem disse essa frase? – Além dele, só o Mestre, Jesus, foi mais revolucionário.

A questão básica é: Um povo não pode se prostituir diante de sua própria sociedade ou ideologia, esse povo precisa se dar o valor, através do qual o sistema decidirá o que nós merecemos.

Nós nunca nos mobilizamos para nos dar o valor; quando isso ocorreu, ocorreu de forma errada, ou seja, fomos manipulados pelo sistema elitizado, quando nosso objetivo deveria ser uma mobilização contra o próprio sistema. Essas mobilizações, em prol do sistema,  ao invés de aumentar o nosso valor em relação a ele, diminuiu.

Não é difícil saber onde estão localizadas as principais peças dessa engrenagem, local onde deverá ser feito o ajuste; também não é preciso guerra ou revoluções, as guerras implicam em decisões arbitrárias, portanto elitista.  Mudanças radicais, sem a identificação do povo, nunca poderão se sustentar; a satisfação do povo sempre deverá ser o objetivo final.

Quem matou Jesus? – As instituições  costumam afirmar que quem matou Jesus foi o povo, na realidade, essas instituições transferem para o povo a sua própria responsabilidade. O povo, de fato, eram aquelas pessoas que o seguiam, as pessoas que abandonavam a produção de seu próprio alimento de sobrevivência, para ouvirem as verdades proferidas pela boca daquele homem santo.

A elite tem escolhido o sistema de governo que é melhor para o povo; desde o seu descobrimento, o Brasil nunca mudou, na área política.

Durante muito tempo, foi bom para as classes dominantes, viver como colônias, sob o poder paternal do governo Português. Passados séculos, esse sistema deixou de agradar às classes poderosas da colônia, foi proclamada a Independência.

A independência, de fato, não ocorreu, foi apenas uma forma de acalmar o manipulado povo brasileiro.

O sentimento de independência, criado pela elite, foi vencido pela demagogia da monarquia, assim o poder se sustentou por mais algum tempo.

Não satisfeita com o processo de transferência de poder, dentro da família real, a elite conspirou novamente, criando o sentimento de República. Foi proclamada então a República Federativa “Militar” do Brasil.

Desde então convivemos entre a Democracia e o Regime Militar, entre as mudanças manipuladas e os interesses elitistas.

O último período de Regime Militar, a que fomos submetidos, parecia interminável, e seria se o poder conseguisse se sustentar por mais tempo, atendendo aos interesses das classes médias altas.

As peças a serem ajustadas, dentro do sistema, são as mídias de massa. São essas instituições que criam as suas próprias verdades, são essas instituições que precisam ser controladas, e criticadas, por terem o poder de controlar as massas.

Não confunda o poder de controle e manipulação, com o processo de formação de opinião pública, esse último é inteligente, dinâmico e possui uma capacidade considerável de autocrítica, acompanhando suas doutrinas. Na formação de opinião pública, a lógica e todas as ideias que seguem nessa mesma direção, são agregadas, inclusive com a capacidade de redirecionar a linha matriz desse pensamento.

A partir do momento em que o Regime Militar não conseguiu se sustentar, fez se necessário a criação, através das mídias de massa, de um novo sentimento para o povo, as Diretas Já.

O movimento das Diretas Já, foi um sucesso, mas o seu processo, em si, foi um fracasso.

Articulado por um homem considerado mestre na arte da política, ele conseguiu quase unanimidade, conseguiu até convencer o Governo Militar que o seu partido teria chance. Segundo as más línguas, teria pago para alguns políticos votarem contra, criando um ambiente de competitividade.

Depois da vitória massacrante, esse homem, chamado Tancredo Neves, morreu sem tomar posse. Esse foi apenas o início de um processo, desencadeado por sua morte.

Seu vice, todos nós sabemos, bebeu da fonte da ditatura durante muito tempo, antes disso, e depois disso também, ele mostrou uma habilidade incrível de mudar de lado. Essa capacidade de mudar de lado, dos políticos brasileiros, deixa-me em dúvida sobre a real ideologia deles.

Em todos os países do mundo, a ideologia de esquerda é relacionada com os partidos populares, socialistas, etc.  A ordem dos fatores é clara, são simpatizantes dos democratas americanos, sem necessariamente serem democratas; se houvesse uma disputa entre os democratas e um terceiro partido socialista ou trabalhador, os democratas perderiam a preferência, esse é o conceito de esquerda.

No Brasil, isso até funciona parcialmente, ou hipocritamente. Todos os partidos socialistas e trabalhistas, com exceção do PDT, tendem a apoiar o PT. O PT é o partido de esquerda, e o fato de ele estar no poder não muda isso, sua formação é socialista – ou deveria ser.

Se o PT é um partido de esquerda, o que José Sarney faz no governo. Aqui começa a grande confusão chamada bipartidarismo, em outras palavras, um bolo repartido ao meio, sem a participação do povo.

A lei da governabilidade, em sistemas bipartidários, é cruel.

Quando se especulou que o PSDB poderia se aliar ao PT, em seu fim de mandato, isso se deveu ao fato de o PT ter uma tendência anarquista, ou seja, contra tudo.  FHC ajudou nessa especulação, afinal de contas, ele foi uma peça fundamental, talvez até contra sua própria vontade, ao dizer: “Se Lula ganhar o Brasil não vai quebrar, isso é coisa de estrangeiros que querem mandar no país.”

O que se sabe, é que entre as poucas operações da Polícia Federal, autorizadas pelo Governo FHC, houve uma que chamou a atenção, foi a apreensão de uma fortuna, não declarada, na casa da família Sarney antes da possível candidatura de sua filha. Isso tornou impossível a convivência do PMDB e PSDB do mesmo lado do bolo.

O primeiro Presidente a desafiar o sistema internacional foi o próprio Sarney. Ele tirou das mãos do Regime Militar a dura tarefa de dar o calote na dívida, além da dura missão de realizar algumas mudanças que o desgastado Regime Militar não poderia realizar. Mais uma vez o povo foi enganado, foi o próprio Regime Militar quem apoiou o Governo de Sarney, ninguém poderia dar o calote na dívida externa e criar um congelamento em fase de transição política, sem o apoio militar.

O governo seguinte, de Fernando Collor, tinha tudo para dar certo, tinha até um  perfil presidencialista linha dura. O grande problema é que ele não tinha um grande partido, não tinha apoio; a corrupção foi a alternativa para convencer políticos a aderirem a causa, tudo deu certo, pelo menos por algum tempo.

Quando Collor criou medidas protegendo os pobres, expondo a classe média alta aos efeitos devastadores do sistema, aqui, ele cometeu o primeiro erro. Não se pode atacar a classe média alta, usando uma instituição dominada por ela, como é o caso da política.

A partir daí, todos os crimes do submundo da política estavam prestes a serem expostos. Todos nós sabemos que não é possível resolver todos os problemas de corrupção, num país como o Brasil.

Era preciso um testa de ferro, alguém para responder por todos os corruptos, esse alguém foi PC Farias. Tudo teria se resolvido, se PC tivesse aceitado a dura missão; acho que na confusão, alguém esqueceu de avisá-lo.

“Todos vocês que me acusam são hipócritas”, isso soou como, todos vocês receberam dinheiro. Uma regra básica, no Brasil é: “Não ameace, denuncie!” PC cometeu esse erro, pagou caro.

Quando FHC diz que o mensalão foi pior que o Esquema de PC, isso está certo, até porque foi ele mesmo que não deixou a Polícia Federal trabalhar, durante todo o seu mandato.

Itamar Franco foi o vice  de collor, isso não foi muito bom para a sua carreira política. Durante o seu mandato trocou muitas vezes de Ministro até chegar a FHC, um político com passado socialista e que conhece muito bem os dois lados, esquerda e direita.

FHC controlou a economia, pelo menos até o final de seu mandato, foi aí, que mesmo contra a sua vontade, disse que Lula não quebraria o Brasil; Na verdade quem não quebraria o Brasil era a especulação, caso ele  agisse rápido.

Assim, a classe média alta perdeu uma grande oportunidade de se unir a classe operária, perdendo seu espaço para o clube fechado da política.

Com a vitória do PT, não houve nenhuma novidade, em relação aos governos socialistas, exceto pelo mensalão. Todo mundo ficou surpreso com o mensalão, mas há quem tenha dito: “Vocês não sabiam? – Sempre houve um caixa dois – Como vocês acham que esses megashows são pagos? – nós apenas demos maior transparência a esse processo.” 

Agora, como sempre, o passado e o presente conspiram para que o povo não tenha um futuro. É Bom que se diga: “Sempre haverá um amanhã, o problema é que, no Brasil, isso só ocorre de trinta em trinta anos.”

O brasileiro tem medo de mudanças, mesmo sabendo que elas são inevitáveis. Sabendo disso, os políticos fazem a sua parte, atendendo o desejo do povo, de sempre manter tudo do jeito que está.

By Jânio

julho 19, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 16 Comentários

As chacinas de Filhos da lua

traídos pelas crenças

Massacre dos albinos

Um caso curioso e interessante, para reflexão, está acontecendo na Tanzânia. Uma chacina, com elementos de crueldade, onde a religião, preconceito, discriminação e tradição se misturam.

Para variar, a política está no meio, com sua incompetência de sempre. A polícia ineficiente é suspeita de receber propinas para fazer vistas grossas, deixando as vítimas em pânico e isoladas.

As vítimas, nesse caso, são os filhos da lua, ou albinos, conhecidos assim por não poder viver bem de dia, devido a sua pele despigmentada.

Os albinos são pessoas que nascem com distúrbios no organismo, provocado pela falta de reações enzimáticas, responsáveis por dar cor a pele, olhos e pelos. Nâo são específicos do ser humano, as plantas e os animais possuem essa pequena distorção também; curiosamente, nas plantas, o albinismo parcial, provocando manchas, transformam essas mesmas plantas em plantas exóticas e raras, contrariamente ao que acontece com os seres humanos, onde a distorção se torna uma maldição.

Eu tenho dito que as palavras escritas, nem sempre exprimem o que falamos, muito menos o que pensamos, por isso é preciso pensar muito naquilo que vamos escrever e que será dito por outras pessoas. Até hoje, teorias, doutrinas, e ideologias tem sofrido o impacto das consequências, ou inconsequências, nesse processo, é assim que surgem as laranjas mecãnicas.

A questão da comunicação padronizada é polêmica, não se pode padronizar o pensamento, a fala e muito menos a escrita, também não se pode estipular uma comunicação social, quando cada ser é individual, surgindo desse conjunto o conceito de sociedade. Como poderiam evoluir, pessoas que pensam exatamente da mesma maneira? – A informação, por sua vez, deve ser de forma mais direta possível.

Alguns ursos são exibidos como raridade, portanto albinos, quando, na realidade, tem apenas os pelos brancos. Uma raça de gorilas raríssima, e que vive aproximadamente quarenta anos, realmente é albina, e é exibida nos zoológicos como atração.

Os seres humanos se escondem, vivendo na marginalidade. As estatísticas são falhas, o que se sabe é que a concentração de albinos, na Tanzânia, é muito maior do que o número verificado em outros países.

Segundo alguns dados levantados, o número de albinos não passavam de cerca de quatro mil, quando na realidade o número era muito maior, mais de cento e setenta mil, segundo estimativa da associação dos albinos da Tanzânia.

Há relatos comoventes, como o de uma família onde nasceu uma menina albina, para não sofrer discriminação, o pai e os filhos maiores abandonaram a família, permanecendo apenas a mãe junto a menina.

Pode parecer surpreendente, mas para quem conhece o drama de perto, sabe que a fuga é uma constância, nas vidas dessas pessoas e seus familiares. A culpa nesse caso é das tradições e costumes, onde acredita-se que partes dos albinos pode servir de preparo para poções mágicas, resultando em ataques, mortes ou mutilações, de pessoas portadoras do albinismo.

Os albinos são atacados e mutilados, sem cirurgias nem anestésicos, a golpes de machados. Há, nesse caso, o comércio de partes do corpo do albino, onde o receptador chega a pagar uma soma em dinheiro, pela dita “matéria prima” de suas poções milagrosas (diabólicas).

Os albinos que deveriam ser especiais, como de fato são, acabam pagando caro pela suas características particulares.

A boa notícia é que os albinos, conscientes de seu elevado número, criaram a primeira associação de portadores de albinismo, assim, com uma estimativa de portadores, com isso o governo se viu pressionado, tanto pelas pessoas, quanto pelos veículos de comunicação e pessoas do mundo todo.

Os albinos tem uma expectativa de vida menor que a média da população, além de não poderem se expor ao sol.

É preciso parar de ver o albinismo como uma doença ou como um problema, assumindo de vez que essa é sua condição de vida, vamos deixar eles viverem.

Hoje, já se encontram em melhor situação, devido as informações e educação que a sociedade vem tendo, mas o perigo continua.

Fontes: BBC e Wikipedia.

Texto: By Jânio.

abril 9, 2010 Posted by | Internacional | , , , , , , , , | 8 Comentários

Família Arns – Um exemplo a ser seguido

Exemplo de família

A força da tradição

O Brasil é carente de bons exemplos na área social, apesar de já ter eleito vários reis e rainhas do futebol, da música e vários outros mais.

Temos muitos heróis, mas só depois de mortos, herói depois de morto causa uma certa desconfiança.

 Depois que Getúlio Vargas se matou e disse a famosa frase “Saio da vida para entrar na história”, virou herói, até José Sarney usou essa frase, e olha que ele nem tinha morrido, apenas deixava o mandato de Presidente da República.

O que nós precisamos muito no Brasil, é de tradição, mas tem que ser de bons exemplos, não precisamos de tradições de burgueses, relembrando um passado de sofrimento, o que o Brasil sempre teve.

A catástrofe do Haiti, onde é estimado cerca de cem mil mortes, com milhões de pessoas afetadas pelo terremoto que arrasou o país, nos trouxe várias notícias de mortes de brasileiros que trabalhavam no força de paz.

Um notícia que ninguém esperava era da morte de Zilda Arns, a pessoa mais importante do Brasil, na área social, criadora da Pastoral da Criança.

 A tradição da família Arns continua, mas a perda para o Brasil foi muito grande. Evidentemente que a obra de Zilda está pronta, ela terminou o projeto da Pastoral, iniciado em 1.985, na minha opinião, o maior e mais bem sucedido projeto social da história do país.

Zilda recebeu vários prêmios nacionais e internacionais, inclusive nos Estados Unidos, suas lições foram bem assimiladas e permanecerão eternamente dando frutos.

Quando ela disse que um real era suficiente para atender a uma criança, com a ajuda do voluntariado, eu pensei, esta aí, um bom projeto social. O fome zero, do Betinho, era um bom projeto, enquanto não havia tanto dinheiro envolvido, quando entrou dinheiro da política, o projeto se perdeu.

Gabriel Arns e Helena Steiner, tiveram mais de dez filhos. Imigrantes alemães, passaram para seus filhos uma educação rara de se ver nos dias de hoje.

Dom Paulo Eraristo Arns, Cardeal, Arcebispo de São Paulo, que lutou pela volta da democracia no Brasil, responsável por várias mudanças no Brasil, o país com o maior número de católicos no mundo.

Dom Paulo, o membro da família Arns mais conhecido até então, viu em sua irmã Zilda, convidada pela CNBB para criar a Pastoral da criança, o projeto social mais bem sucedido do Brasil, até hoje, exportado para vários países, uma nova força solidária da família Arns.

Zilda Arns era médica sanitarista, não demorou muito para que ela se destacasse na saúde pública, ficando conhecida do Brasil inteiro.

Flávio Arns é sobrinho de Zilda e é senador pelo Paraná, deverá fazer parte da nova geração de Arns, em prol da sociedade, uma família que deverá ser um exemplo para o Brasil, espalhando sua família em todas as áreas sociais, política e religiosa.

Essa é a tradição que o Brasil precisa, talvez a primeira família onde pode se identificar, claramente, o compromisso social, sem interesse, e, o melhor de tudo, criando projetos que funcionem.

Durante muito tempo, a Igreja evitou entrar na política, quando entrou, Padre Roque se destacou ao lado de Roberto Requião, na CPI que denunciava a rede de corrupção no Paraná e no Brasil. Hoje temos também vários pastores, eleitos democraticamente.

Aos poucos, o Brasil vai se tornando de fato democrático, com a participação de toda a sociedade. A melhor classe de cidadãos começa a se encorajar a entrar para a política, um lugar sujo onde poucas pessoas se aventuram.

A família Arns está na política também, esperamos que, no futuro, muitas outras famílias tradicionais se formem no Brasil, para que exemplos possam ser seguidos e a educação melhorada, criando um país melhor para todos.

By Jânio

janeiro 15, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , | 11 Comentários

Pedro Malazartes vai para o céu

sertão

imagens sertanejas

Depois de muito perambular pelo mundo, Pedro Malasartes morre. O eterno caipira, tão falado e comentado, nos três cantos do Brasil, vai para o céu.

Pedro sentia que alguma coisa não estava certa, tudo estava calmo demais, chegou até a pensar que estava dormindo, mas era o branco, havia branco por toda parte. Pedro sempre foi informal, sempre andou todo mal trapilho, exceto em um alguns bons momentos, onde o malandro se deu muito bem.

Será que alguém estava casando, afinal de contas, porque havia tanto branco naquele lugar.

Ao avistar um senhor idoso, numa velha porteira, finíssima por sinal, Perguntou.

– Sim siôr, será que tem argum trabaio preu fazê por aqui?

O homem respondeu:

– Aqui não, aqui todos descansam em paz.

Pedro pensou que esse era o lugar dos sonhos, só poderia estar sonhando, não pode haver um lugar desse.

– Se o Siôr me permite, eu vô entrá pra dá umas proza com o dono da fazenda.

O homem se alterou na hora:

– Está ficando louco? – aqui o senhor não entra não, ainda mais com a sua fama, Senhor Pedro Ma-la-zar-tes.

Pedro não gostava muito de sua fama de malandro ter se espalhado por todo o Brasil.

– Por gentileza, em que parte do Brasil nóis tâmu.

– Aqui não é o Brasil não, senhor Pedro – falou o homem.

Pedro começou a ficar curioso, será que sua fama já tinha ultrapassado fronteiras – pensou ele.

– O Siôr pode me dizer que lugar é esse, que eu não estou reconhecendo?

– O Senhor está no céu – tornou a falar o homem.

Pedro teve uma sensação a qual nunca havia experimentado antes.

– Eh! Diacho! eu acho que eu tõ te conhecendo xará, o Siôr é São Pedro?

– Isso mesmo – respondeu o homem – e o senhor não pode entrar no céu, é uma má influência.

Pedro pensou, pensou e perguntou.

– Intão o Siôr não vai querer saber a notíça boa que eu tenho pro Siôr?

– Que notícia?

– Dispois que o Siôr saiu da Terra, ela mudou muito. O Siôr tá muito bem lá.

– O Senhor pode me dizer como eu estou lá?

– Só se o Siôr deixar eu entrar.

– Está bem entra logo, mas se a notícia não for boa vai se dar muito mal.

Depois que entrou, Pedro olhou todo feliz, para São pedro e disse.

– Dispois que o Siôr deixou a Terra, sua fama se ispaiô pelo mundo todo, o Siôr se tornô um dos hôme mais rico da Terra.

Sem pôder acreditar, São Pedro disse:

– O Senhor pode me explicar melhor isso?

_ ixplicá não, mas o siôr é muito rico. Por toda parte há fazendas São Pedro, sítios São Pedro, lojas São pedro, e outra infinidades de bens, impossível de se contar.

São pedro ficou todo feliz e procurou Jesus, finalmente seu valor havia sido reconhecido. Sabendo disso, Jesus procurou Pedro, e perguntou.

– Senhor Pedro, fiquei sabendo que o meu melhor discípulo ficou rico na Terra, gostaria de saber como está meu nome, poderia me dizer?

Pedro coçou a cabeça, fez uma cara de dar dó, uma careta que ele sabia fazer muito bem, e respondeu.

– É mió o Siôr não vortá lá na Terra não?

Jesus perguntou:

– Porque não?

Pedro malazartes respondeu quase chorando.

– Não é certo o que tão fazeno com o Siôr não. O Siôr tem a maió dívida do mundo, maió que todas as dívidas externas de todos os países juntos.

– Como assim Senhor Pedro?

– Tudo o que fazem, ou compram, deixam para o Siôr pagar, até favô. Argumas pessoas falam, Deus lhe pague, outras, Deus te ajude, Deus te dará em dobro. O Siôr está com uma dívida enorme.

By Jânio

Foto Wikipedia

dezembro 27, 2009 Posted by | Piadas | , , , , , , , , | 10 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: