Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Rogue one – The star wars story

Star Wars

Roque One

Rogue One: A Star Wars Story is an upcoming American epic space opera film directed by Gareth Edwards and written by Chris Weitz, Tony Gilroy, and Gary Whitta, from a story idea by visual effects supervisor John Knoll.[1] It will be the first stand-alone Star Wars Anthologyfilm. Set in the Star Wars universe some time after the events of Star Wars: Episode III – Revenge of the Sithand shortly before the events of the original Star Wars, the story will center on a group of Rebel spies on a mission to steal the plans for the Galactic Empire‘s new weapon, the Death Star. It will star Felicity Jones, Diego Luna, Ben Mendelsohn, Donnie Yen, Mads Mikkelsen, Alan Tudyk, Jiang Wenand Forest Whitaker.

The film is produced by Lucasfilm and will be distributed by Walt Disney Studios Motion Pictures. Principal photography began at Elstree Studios, near London during early August 2015. After a rough cut of the film failed to impress the Disney executives, the film went back for lengthy reshoots in the summer of 2016. This saw veteran filmmaker Tony Gilroy joining the project.

Rogue One will be released on December 15, 2016 in the UK before preview screenings in the US start that night before going nationwide on December 16, 2016.

Premise

After the formation of the Galactic Empire, the Rebel Alliance recruits Jyn Erso (Felicity Jones) to work with Cassian Andor (Diego Luna) and a team to steal the Death Star plans.[2]

Cast

  • Felicity Jones as Jyn Erso:[3] Putting behind a checkered past by lending her skills to a greater cause, Jyn is impetuous, defiant, and eager to bring the battle to the Empire. Used to operating alone, she finds higher purpose by taking on a desperate mission for the Rebel Alliance.[4] In preparation for her role, Jones made a scrapbook of “pictures that I see that remind me of the person I’m playing, little bits of writing” which she often does for her different roles in films, although she couldn’t find any true inspiration—in pictures or writing—for Jyn. She spent hours watching music videos, particularly those of Florence + the Machine and compares the lead singer Florence Welch to Jyn as “an ethereal figure who floats and contorts on the stage” much like Jyn.[5]
  • Diego Luna as Cassian Andor: An accomplished Rebel Alliance Intelligence Officer,[6][7] with combat field experience, Captain Andor commands respect from his Rebel troops with his ability to keep a cool head under fire and complete his missions with minimal resources.[8]
  • Ben Mendelsohn as Orson Krennic: The Director of Advanced Weapons Research for the Imperial Military,[6][9][10] who is obsessed with the completion of the long-delayed Death Starproject. A cruel but brilliant man, Krennic has staked his reputation on the delivery of the functional battle station to the Emperor.[11]
  • Donnie Yen as Chirrut Îmwe: A deeply spiritual warrior,[6][10] Chirrut believes all living things are connected through the Force. His sightless eyes do not prevent him from being a highly skilled fighter. Though he lacks Force abilities, Îmwe has rigorously honed his body through intense physical and mental discipline.[12]
  • Mads Mikkelsen as Galen Erso: Jyn’s distant father,[10][13][14] who sent the Rebels a transmission about the testing of the Death Star.[15]
  • Alan Tudyk as K-2SO, a Rebel-owned Imperial enforcer droid whose memory is wiped by Andor.[6][16][17][18]
  • Jiang Wen as Baze Malbus: A freelance assassin[6][10] who, with the harsh reality of his Imperial-occupied home world, has hardened into a pragmatic soldier and a crack shot with his heavy repeater cannon. Baze has a bravado that provides a marked contrast to the spiritual centeredness of his best friend and moral compass, Chirrut.[19]
  • Forest Whitaker as Saw Gerrera: A veteran of the Clone Wars.[10]The character previously appeared in the animated series Star Wars: The Clone Wars[6][20] and was mentioned in the Star Wars Rebels episode “The Honorable Ones” and the novel Star Wars: Bloodline.

Additionally, Riz Ahmed plays Bodhi Rook, a former Imperial pilot with strong piloting and technical skills now working with Rebel squad,[21][22] and Jonathan Aris plays Senator Jebel.[23] Genevieve O’Reilly and Jimmy Smits will reprise their roles from previous films as Mon Mothma and Bail Organa, respectively.[24][25] James Earl Joneswill also reprise his role as the voice of Darth Vader,[26] while Vader is reportedly physically played by a “variety of large framed performers”,[27] including Spencer Wilding.[28] Valene Kane will play the role of Jyn Erso’s mother, Lyra Erso.[29] Nick Kellington appears as Bistan, an alien creature and member of the Rebel Alliance, nicknamed “Space Monkey”.[30] Alistair Petrie as General Draven.[7]Eunice Olumide,[31] and Warwick Davis have been cast in unspecified roles.[32] Several Scandinavian newspapers are reporting that Swedish actor Fares Fares has been cast in an unnamed role.[33][34] Rian Johnson and Ram Bergman, director and producer of Star Wars: Episode VIII, respectively, cameo as two Death Star technicians.[35]

Production

Development

In February 2013, The Walt Disney Company CEO Bob Iger confirmed the development of two stand-alone films, each individually written by Lawrence Kasdan and Simon Kinberg.[36] On February 6, Entertainment Weekly reported that Lucasfilm is working on two films featuring Han Solo and Boba Fett.[37] Disney CFO Jay Rasulo has described the stand-alone films as origin stories.[38] Kathleen Kennedyexplained that the stand-alone films will not crossover with the films of the sequel trilogy, stating:

George [Lucas] was so clear as to how that works. The canon that he created was the Star Wars saga. Right now, Episode VII falls within that canon. The spin-off movies, or we may come up with some other way to call those films, they exist within that vast universe that he created. There is no attempt being made to carry characters (from the stand-alone films) in and out of the saga episodes. Consequently, from the creative standpoint, it’s a roadmap that George made pretty clear.[39]

John Knoll, visual effects supervisor for the prequel trilogy, pitched the idea for the film 10 years before the film’s development; after the Disney acquisition he felt as if he had to pitch it again or forever wonder “what might’ve happened if I had.”[40] In May 2014, it was announced that Gareth Edwards would direct the first stand-alone feature, to be released on December 16, 2016, with Gary Whittawriting the film.[41] In October 2014, cinematographer Greig Fraserrevealed that he would be working on the film and the film had a working title.[42] In January 2015, it was revealed that Whitta had completed his work on the film and would no longer be with the project.[43] Kinberg was considered as a replacement.[44] Later in the month, it was announced that Chris Weitz had signed to write the script for the film.[45] In March 2015, the title of the film was revealed to be Rogue One.[46] Also in the month, Alexandre Desplat stated that he would compose the music for the film.[47]

In April 2015, at Star Wars Celebration, it was revealed that the stand-alone films would be released under the umbrella of Star Wars Anthology. It was also confirmed that Rogue One takes place between Episodes III and IV, being closer to IV in the timeline.[2] At Disney’s biannual D23 Expo in August 2015, it was announced that the film’s title was amended to Rogue One: A Star Wars Story.[48] In July 2016, discussing if the film would feature an opening crawl, Kennedy said, “we’re in the midst of talking about it, but I don’t think these [Anthology] films will have an opening crawl.” Edwards added, “The idea is this film is supposed to be different than the saga films… [however,] this film is born out of a crawl. The thing that inspired this movie was a crawl and what was written in that. There’s this feeling that if we did a crawl, then it’ll create another movie. And so the honest answer is you’ll have to wait and see.”[49] That same month, at the 2016 Star WarsCelebration, when asked about the title’s meaning, director Gareth Edwards gave three different meanings: “a military sign”, referring to the Red Squadron from A New Hope; “the ‘rogue’ one” of the franchise, given that it’s the first film to not be part of the main saga; and a description of Jyn Erso’s personality.[50]

Edwards stated that the style of the film will be similar to that of a war film, stating, “It’s the reality of war. Good guys are bad. Bad guys are good. It’s complicated, layered; a very rich scenario in which to set a movie.”[51][52]

Casting

 

The cast of Rogue One

In January 2015, The Hollywood Reporter stated that numerous actresses, including Tatiana Maslany, Rooney Mara and Felicity Jones, were being tested for the film’s lead.[53] Mara’s sister Kate also screentested for the role.[54] In February 2015, it was announced that Jones was in final talks to star in the film, while Aaron Paul and Édgar Ramírez were also being eyed for the male lead role.[55] In March 2015, Jones was announced as a part of the cast.[46] In March 2015, Deadline.comreported a rumor that Ben Mendelsohn was being considered for the lead role.[56] The next month, TheWrap reported that Sam Claflin was being eyed for a role, while Riz Ahmed was in negotiations to join the film.[57] In May, Mendelsohn, Ahmed, and Diego Luna were added to the cast of the film to play the lead roles.[58] Forest Whitaker was added to the cast of the film in June 2015.[59] In July 2015, Jonathan Aris was cast to play Senator Jebel in the film.[60] In February 2016, model Eunice Olumide revealed she had a part in the film.[31]Genevieve O’Reilly was cast as Mon Mothma, reprising her role from Star Wars: Episode III – Revenge of the Sith.[24] James Earl Jones was confirmed to return as the voice of Darth Vader in June 2016.[61]

Filming

 

Laamu Atoll in the Maldives, used as a filming location for the planet Scarif

Principal photography on the film began at Elstree Studios in Hertfordshire on August 8, 2015.[62][63][64] The film was shot using Ultra Panavision 70 lenses with Arri Alexa 65 cameras.[65]

A number of filming locations were used around the world, including Laamu Atoll in the Maldives,[66] as well as Iceland and Jordan.[67]Following the release of the first trailer, Star Wars fans using Twittercommented that the London Underground station Canary Wharfhad apparently been used for one scene.[68][69] It was later confirmed that Gareth Edwards had selected Canary Wharf tube station as a location for a chase scene in an Imperial base; the location shoot took place between midnight and 4am, when the station was closed to the public.[70]

 

Canary Wharf tube station, used as a location for interior shots of an Imperial base

Post-production

On February 11, 2016, Disney executives stated that the film was “virtually completed”.[71]Several weeks of pre-scheduled reshoots began in mid-June 2016.[72] In August 2016, The Hollywood Reporter confirmed that Tony Gilroy had spearheaded the reshoots, in lieu of Edwards, and that Gilroy would have just as much say in the final cut of the film as Edwards. Gilroy was initially brought on in order to retool the ending of the film, which was not coming together as hoped, under Edwards’ direction. During the development of Edwards’ 2014 Godzilla reboot, Gilroy was commissioned to do extensive re-writes on the script. He was also present on set during filming of crucial scenes.[73]

Music

In March 2015, it was reported that Alexandre Desplat would compose the score for Rogue One.[74] Despite rumors that a contract had not been initially set in place by Lucasfilm, Desplat confirmed in an April 2016 interview that he would serve as composer for the film.[75]Concerning the film, Desplat commented that “[Edwards and I] had a great partnership on Godzilla, and I can’t wait to be starting with him. It will be in a few weeks from now, and it is very exciting and frightening at the same time because it’s such a legendary project. To be called to come after John Williams… it’s a great challenge for me.”[75] However, in September 2016, it was announced that Michael Giacchino would be replacing Desplat as composer, after the film’s reshoots altered the post-production schedule leaving Desplat no longer available.[76]

Marketing

Promotion of Rogue One was initially delayed due to the release of the film Mission: Impossible – Rogue Nation in July 2015. Paramount Pictures registered and cleared the title with the Motion Picture Association of America in January 2015, well before Disney announced the title of its forthcoming Star Wars spinoff. Due to the similarities between the titles of Rogue One and Rogue Nation, Disney and Lucasfilm had to reach an agreement with Paramount over promotion in order to avoid any confusion in the public mind. Disney agreed to an embargo promotion on Rogue One until after mid-2015, with the exception of a very short teaser which was screened at Star Wars Celebration in Anaheim that year.[77]

A teaser trailer for Rogue One released by Lucasfilm on April 7, 2016, was praised by reviewers for its portrayal of strong female characters. The Daily Telegraph described Jyn Erso’s character as “a roguish, Han Solo-style heroine”, calling the film “progressive” while noting its painstaking faithfulness to the production design style of the original Star Wars trilogy.[78] The Hollywood Reporter also noted the visual nods to the original trilogy and examined the film’s possible narrative direction, considering that the outcome is to some extent already revealed in the opening crawl of A New Hope.[79] The Atlantic writer David Sims stated that the trailer brought “back some memorable pieces of architecture, from the lumbering AT-AT walkers to the Death Star itself, not to mention the glorious 70s costuming of Star Wars.” He added that the trailer has “the look”, blending the old with the new.[80]The trailer was viewed close to 30 million times in its first 29 hours at a rate of 800,000 views per hour from Facebook and YouTube, which is 200,000 views shy of what the first teaser trailer for Star Wars: The Force Awakens was receiving in November 2014.[81]

In June 2016, Rogue One was promoted at the Star Wars Celebration Europe III event in London. During the event, a new official poster was unveiled, which depicts a battle taking place on the tropical planet Scarif and the Death Star looming large in a blue sky, above which is printed the tagline “A Rebellion Built on Hope”. A second teaser trailer was also unveiled, screened exclusively for the Celebration audience and not streamed online. This new trailer was reviewed favorably by critics; The Daily Telegraph noted that the trailer revealed new locations such as the planets Jedha and Scarif, and that its most significant revelation came in the final seconds of the teaser with the appearance of Darth Vader, reflected in a computer screen and accompanied by the classic breathing sound effect.[70] Variety also hailed the Vader reveal, and noted that the emphasis of the production was much more on the kinetic depiction of large battle sequences and full-on warfare, comparing it to Francis Ford Coppola‘s 1979 Vietnam War epic Apocalypse Now. A showreel was also shown during the event, which featured footage from the film cut with behind-the-scenes shots and interviews with the director and cast members.[82] The second trailer was shown publicly during a broadcast of the 2016 Summer Olympics and received favourable media reviews; Wiredstated that the trailer was “littered with nostalgic throwbacks to the original trilogy”, while Rolling Stone described the CGI landscape shots seen in the footage as “eye-poppingly gorgeous”.[83][84]

A further trailer released in October 2016 prompted the Hollywood Reporter to comment that the newly-revealed footage looked like “a trailer to a different movie than the one advertised earlier”, remarking that Jyn Erso appeared to be portrayed as a more vulnerable character, and highlighting the appearance of Galen Erso as a protective father figure.[85] Vanity Fair also commented on the emphasis given to Jyn’s relationship with her father; in a humorous reference to psychology, it remarked that Rogue One, like many of the previous films, was apparently drawing on “the Star Wars franchise’s greatest natural resource: daddy issues“.[86]

Tie-in novel

A tie-in novel to the film, Catalyst: A Rogue One Story, is set for release in November 2016.[87] Written by veteran Star Wars novelist James Luceno, the story is set some years before the events of Rogue One and provides a backstory to the 2016 film.[88]

Reception

Box office prediction

Early industry estimates at Box Office Pro have pegged the film to open up to $150M in its opening weekend and end its domestic run with a total gross of $500M.

See also

Wikipedia

Portuguese language

Trailer 01

Trailer 02

 

Anúncios

novembro 3, 2016 Posted by | Inglês | , , , , , , , , | Deixe um comentário

Rogue one – Uma história de guerra nas estrelas

Star Wars

Roque One

Rogue One: A Star Wars Story (no Brasil, Rogue One: Uma História Star Wars) é um futuro filme norte-americano de ação ficção científica aventura e fantasia, baseado na franquia de filmes de space opera épica Star Wars de George Lucas, que está previsto para ser lançado 16 de dezembro de 2016,[1]com a direção de Gareth Edwards e escrito por Chris Weitz. O filme, que faz parte de uma nova série de spin-offsproduzidos pela Disney com base na série Star Wars, teve seus efeitos especiais produzidos pela Industrial Light & Magic e será distribuída mundialmente pela Walt Disney Studios Motion Pictures.

No elenco do filme estão os atores Felicity Jones, Diego Luna, Forest Whitaker, Ben Mendelsohn, Alan Tudyk e Mads Mikkelsen.[2]

A história do filme se baseia em um grupo de combatentes da Aliança Rebelde se unindo para uma missão de roubar os planos da Estrela da Morte e trazer uma nova esperança para a galáxia[3]. A história vai se passar antes dos acontecimentos de Uma Nova Esperança e depois da A Vingança dos Sith.

Sinopse

2 anos após os acontecimentos de A Vingança de Sith e 17 anos antes de Uma Nova Esperança,em uma época de conflito, um grupo de heróis inesperados se unem na missão de roubar os planos da Estrela da Morte, a arma de destruição definitiva do Império. Esse evento-chave na linha temporal de Star Wars une pessoa normais que escolhem fazer coisas extraordinárias e assim, se tornam parte de algo maior que eles mesmos.

Elenco

  • Felicity Jones como Jyn Erso: Uma jovem das ruas que está por conta própria desde os 15 anos de idade. Dona de grandes habilidades de luta e conhecimento sobre a Galáxia, ela é detida pela Aliança Rebelde e tem a chance de fazer algo útil. A produtora e presidente da Lucasfilm Kathleen Kennedy a compara com Joana d’Arc. [carece de fontes]
  • Diego Luna como Cassian Andor: Um homem “estável e prático, que tem muita experiência em combate”. Ele sabe como é enfrentar o Império, todos os dias, de forma efetiva e inteligente.[carece de fontes]
  • Riz Ahmed como Bohdi Rook:[4] O piloto desse grupo da Aliança. Apesar de sua personalidade impulsiva e volátil, todos de sua equipe confiam em suas habilidades técnicas.[carece de fontes]
  • Ben Mendelsohn como Almirante Orson Krennic: Do lado oposto da guerra, este vilão é um ambicioso e inteligente diretor imperial que pretende usar seu esquadrão de Deathtroopers para pulverizar a Aliança e cair nas graças do Imperador – enquanto tenta evitar a ira de Darth Vader.[carece de fontes]
  • Forest Whitaker como Saw Guerrera: Com um passado conturbado, ele tenta fazer a coisa certa usando medidas extremas e questionáveis. Saw está do lado da Aliança, porém Kathleen Kennedy deixa bem claro que ele não faz parte do grupo: é um aliado independente. [carece de fontes]
  • Jonathan Aris como Senador Jebel
  • Mads Mikkelsen como Galen Erso: O pai distante de Jyn é dono de um conhecimento muito vasto, algo cobiçado tanto pela Aliança, como pelo Império.[carece de fontes]
  • Alan Tudyk como K-2SO: Um dróide completamente oposto ao C-3PO: confiante e durão, tem uma personalidade parecida com a de Chewbacca. Em busca de redenção, ele não se importa com a opinião alheia e diz sempre a verdade.[carece de fontes]
  • Spencer Wilding (corpo) e James Earl Jones (voz) como Darth Vader: Um lorde Sith impiedoso, usuário do Lado Negro da Força, comanda a galáxia e a Estrela da Morte com mão de ferro.
  • Donnie Yen como Chirrut Imwe: Um guerreiro espiritual dotado de habilidades que compensam sua cegueira. Ele não é um Jedi, mas acredita puramente na mitologia ao redor dos guardiões da Força.[carece de fontes]
  • Jiang Wen como Baze Malbus: Grande amigo de Chirrut, ele não compartilha dessas mesmas crenças, confiando sempre em suas armas. Essa dupla é comparada com Dom Quixote e Sancho Pança.[carece de fontes]
  • Genevieve O’Reilly como Mom Mothma
  • Jimmy Smits como Bail Prestor Organa

Produção

Em 30 de outubro de 2012, a Walt Disney Pictures anunciou a aquisição da LucasFilm para o preço de de 4,05 bilhões de euros. Mais tarde, Robert Iger, CEO da Disney, anunciou que pretendia fazer três novos episódios da saga de Star Wars. Em 3 de setembro de 2013 foi anunciado que, em paralelo com o filme, vários spin-offs seriam filmados para a série e seriam centrados em determinados personagens.

Em maio de 2014, The Hollywood Reporter informou que Gareth Edwards iria dirigir o primeiro filme spin-off e que escreveria o roteiro com Gary Whitta. Após a seleção, a Lucasfilm divulgou um comunicado confirmando Edwards. Um segundo artigo do website do filme relatou que Chris Weitz foi contratado para escrever um cenário alternativo, que foi rejeitado por Whitta.

A Disney decidiu anunciar a 12 de março de 2015, informações sobre o título do filme, bem como confirmar a participação de Chris Weitz e Felicity Jones nele. Ele também informou que o enredo do filme foi baseado em uma ideia original por John Knoll, diretor de criação da Industrial Light & Magic. Ele foi eleito como produtor executivo, juntamente com Simon e Jason Emanuel McGatlin. Kathleen Kennedy e Tony To são os produtores e John Swartz, co-produtor.

Formação do Elenco

 O elenco de Rogue One

Em janeiro de 2015, The Hollywood Reporterafirmou que inúmeras atrizes, incluindo Tatiana Maslany, Rooney Mara e Felicity Jones, estavam sendo testados para participar do filme. A irmã de Mara, Katetambém fez testes para o papel.[5] Em fevereiro de 2015, foi anunciado que Jones estava em negociações finais para estrelar o filme, enquanto Aaron Paul e Édgar Ramírez também estavam sendo olhados para o papel principal masculino.[6] Em março de 2015, Jones foi anunciado como parte do elenco.[7] Em 25 de março, 2015, a Deadline disse que Ben Mendelsohn estava sendo observado para o papel.[8] Em 23 de abril, 2015, TheWrap disse que Sam Claflin estava sendo olhado para um papel, enquanto Riz Ahmed estava em negociações para se juntar ao filme.[9] Em 13 de maio de 2015, Mendelsohn, Ahmed e Diego Luna foram adicionados ao elenco do filme para estrelar os papéis principais.[10] Forest Whitaker foi adicionado ao elenco do filme em 15 de junho de 2015.[11] Em julho de 2015, havia rumores de que Darth Vader iria aparecer no filme, mas ele não seria o principal antagonista.[12] Em 27 de julho, 2015, Jonathan Aris foi escalado para interpretar o senador Jebel no filme.[13] Em agosto de 2015, foi relatado que o ator falecido, Peter Cushing, que interpretou Grand Moff Tarkin no Star Wars (1977) original, pode ser ressuscitado em versão digital para Rogue One. [14]

Filmagens

A fotografia principal do filme começou em North London no início de agosto de 2015. [15] Algumas cenas foram filmadas em Laamu Atoll nas Maldivas, [16] como também na Islândia e Jordânia[17]. Após o lançamento do primeiro trailer, fãs usaram o Twitter para comentar que o Canary Wharf em Londres foi aparentemente utilizado para uma cena.[18][19]

O filme foi filmando utilizando lentes Ultra Panavision 70 para um número de sequências não reveladas.[20][17]

Lançamento

O primeiro teaser trailer foi divulgado no dia 07 de abril no Good Morning America, que colocou o filme num dos assuntos mais comentados do Twitter ao longo do dia.[21]O trailer foi visto quase 30 milhões de vezes em suas primeiras 29 horas, com uma taxa de 800.000 visualizações por hora no Facebook e YouTube.[22] Os críticos fizeram comentários positivos sobre o teaser trailer. O The Daily Telegraphdescreveu a personagem de Jyn Erso como “uma malandra, Han Solo estilo de heroína”, chamando o filme de “progressista”, enquanto observando sua fidelidade meticulosa ao design de produção da trilogia original de Star Wars.[23] The Hollywood Reporter também notou os acenos visuais da trilogia original e questionou qual será a possível orientação narrativa do filme, considerando que o resultado é, em certa medida já revelado na abertura de Uma Nova Esperança.[24] David Sims do The Atlantic afirmou que o trailer trouxe “de volta alguns peças memoráveis da arquitetura, AT-AT e a Estrela da Morte em si, para não mencionar os gloriosos figurino dos anos 70 de Star Wars“. Ele acrescentou que o trailer tem um visual que mistura o antigo com o novo.[25]

 Estados Unidos
2016 •  cor •  133 min
Direção Gareth Edwards
Produção Kathleen Kennedy
Allison Shearmur
Simon Emanuel
Roteiro Chris Weitz
Tony Gilroy
História John Knoll
Gary Whitta
Baseado em Personagens por
George Lucas
Elenco Felicity Jones
Diego Luna
Ben Mendelsohn
Donnie Yen
Mads Mikkelsen
Alan Tudyk
Riz Ahmed
Jiang Wen
Forest Whitaker
Gênero Aventura
Fantasia
Ficção científica
Épico
Space opera
Música Michael Giacchino
Cinematografia Greig Fraser
Edição Jabez Olssen
Companhia(s) produtora(s) Lucasfilm
Distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures
Lançamento Estados Unidos 16 de Dezembro de 2016Brasil 15 de Dezembro de 2016
Cronologia
Último

Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith
Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança
Próximo

Página no IMDb (em inglês)

Wikipedia

trailer legendado

Trailer legendado 02

Cinema 2.016

A lei da noite

Ouro e cobiça

Divergente: convergente

O silêncio

Tinha que ser ele?

Presságios de um crime

Rogue one – Uma história de Guerra nas estrelas

Sequestro

As regras não se aplicam

Animais noturnos

Arrival – A chegada

Pastoral americana

O contador

A garota do trem

Gênios do crime

Os sete magníficos

O bebê de Bridget Jones

Sully – O herói do Rio Hudson

Morgan: A evolução

Assassino a preço fixo

O homem nas trevas

O espaço entre nós

As caça-fantasmas

O esquadrão suicida

Bad moms

O jogo do dinheiro

Alice através do espelho

Popstar – Nunca desista de nunca desistir

O bom gigante amigo

Conexão Escobar

O jogo do dinheiro

Mente criminosa

Demolição

Uma noite com a família blacks

A escolha perfeita

O cavaleiro de copas

Voando alto

Deadpool

Horas decisivas

Tirando o atraso

Capitão América – Guerra civil

O regresso

Master mind – Gênios do crime

Salve cesar!

Ben-Hur

A quinta onda

X-men – Apocalipse

Estrelas ocultas

La La land

Cinquenta tons de negro

Doutor estranho

Jason Bourne

A lenda de Tarzan

Snowden

Passageiros

Um espião e meio

Como ser solteira

Deuses do Egito

Seguestro

Cinema 2.015

novembro 3, 2016 Posted by | Cinema | , , , , , , , | Deixe um comentário

Star Wars – Threads of destiny

fan film

Star Wars

Star Wars: Conspirações do Destino é um fan film, criado por fãs da saga Star Wars de George Lucas. O filme ocorre depois de Star Wars Episódio VI: O Retorno de Jedi , e explora novas aventuras em uma galáxia familiar.

Em comparação com as películas médias, conspirações do destino é bem mais longo, com uma duração de 110 minutos, e foi relativamente barato, com um orçamento final entre $ 5,500 e US $ 6.000 dólares. O filme foi lançado online em 23 de fevereiro de 2014.

A partir de fevereiro de 2015, já havia superado quase 6 milhões de visualizações no YouTube, juntamente com dezenas de milhares de visitas em outros locais.

Resumo:

Noventa e quatro anos após a Batalha de Endor e da morte do Imperador Palpatine, a Nova República ressurge, e mais uma vez a democracia reina na galáxia. A ordem Jedi foi reestabelecida no planeta Yavin 4, e continua a treinar novos Jedi na arte da paz e da justiça. Mas nem tudo é pacífico neste mundo novo. Com a queda do Império Galáctico, o antigo Império Skenvi sai das sombras.

Skenvi agora se opõe a Nova República para o controle sobre a galáxia com seu império crescente. Skenvi procura assumir o controle de todos os recursos mais valiosos da galáxia para paralisar seus inimigos. E se um planeta se recusa a se juntar a eles, eles tomam medidas muito agressivas.

Presa no meio dessa luta pelo destino da galáxia está o pequeno planeta de Coreign. O planeta possui um poderoso recurso que favoreceria muito o lado que tiver acesso a ele, caso uma guerra galáctica venha a ocorrer.

Em sua ânsia de obter acesso a recursos de Coreign, o Império Skenvi envia seu negociador mais infame, Senhor Siege. Ele é um homem conhecido por toda a galáxia por demonstrar que o Império Skenvi consegue o que quer por todos os meios necessários. A Nova República envia dois de seus embaixadores Jedi, o Mestre Soran Darr e seu padawan, Raven Darkham.

Continuidade:

Esse fan film não segue a sequência da saga Star Wars:. Threads of Destiny foi escrita e produzida antes da estréia de Star Wars: The Force Awaken e, inevitavelmente, existem discrepâncias entre o que os cineastas planejaram depois de Return of the Jedi, e que, eventualmente, é representado no filme acabado de JJ Abram.

Produção:

O filme começou a pré-produção em abril de 2005, e foi rodado tanto em estúdio, quanto locações ao redor de Estocolmo, na Suécia, em Outono de 2005, por um período de 22 dias. A seleção de atores começou em 2006. Um cuidado especial foi reservado para a escolha do elenco. Encontrar a atriz protagonista feminina seria um processo rigoroso. Os testes foram realizados em 2006, 2007 e 2008, acrescentando-se mais 10 dias de produção. Threads of Destiny custaria cerca de 5,5 mil dólares e 6000 dólares para fazer, principalmente gastos em matérias-primas para conjuntos, adereços, figurinos, restauração e aluguel de equipamento para fazer o filme. O filme foi feito inteiramente com um elenco e equipe de voluntários.

Som:

O VFX foram feitas por um grupo disperso de artistas de todo o mundo, trabalhando em diferentes plataformas e agrupados em pós-produção.

O roteiro foi escrito primeiro por Michael Beano, um segundo projecto foi feito por Jeff Longo e o terceiro projeto de filmagem foi feito por Mathew Davis. Steven RR Parker fez uma edição extensa e escreveu uma série de cenas após a fotografia principal ter sido terminado.

Star Wars: Threads of Destiny ganhou aclamação da crítica pela qualidade de seus gráficos de computador e o alto valor de produção de um fan film.

Apesar de ter sido considerado um excelente fan film, não poderia participar do Star Wars Fan Film Awards porque era muito mais longo do que o limite de tempo do concurso.

Efeitos especiais:

O filme tem cerca de 2.000 tomadas com efeitos, com centenas de artistas de todo o mundo participando como voluntários. artista VFX Andreas Feix criou cerca de 800 tomadas com efeitos.

Soundtrack:

Justin R. ”Dustbin” Durban compôs uma trilha sonora original para o filme que utiliza determinados temas de Star Wars. A trilha sonora, juntamente com CD, está disponível para download em formato mp3 de Star Wars estão disponível no site oficial do filme e também a partir do site do compositor:

Lançamento:

Embora o filme acabado tenha sido disponibilizado no YouTube e BitTorrent em 23 de fevereiro de 2014, uma estréia de gala ocorreu no dia anterior, na Suécia, para o elenco, equipe, amigos e famílias, e vários pequenos teatros têm mostrado o seu interesse na triagem do filme, incluindo um teatro no Brasil.

Em 08 de fevereiro de 2014, uma história em quadrinhos foi lançada com a introdução de alguns dos principais personagens e histórias que citam eventos do filme.

Página do filme:

Elenco:

  • Patrik Hont – Jedi Raven Darkham
  • Carolina Neurath – Princess Arianna Ad’lah
  • Karl Lindqvist – Jedi Master Soran Darr
  • Andreas Rylander – Lord Siege
  • Karl Windén – Karus Kahn
  • Pale Olofsson – King Juster
  • Sabinje von Gaffke – Queen Erin
  • Anders Menzinsky – Jedi Master Joran Korn

Ficha completa:

Star Wars: Threads of Destiny
Directed by Rasmus Tirzitis
Produced by Henric Brandt
Written by Michael Bano
Jeff Long
Matt Davis
Steven RR Parkers
Starring Patrik Hont
Carolina Neurath
Karl Lindqvist
Andreas Rylander
Karl Winden
Pale Olofsson
Sabinje von Gaffke
Anders Menzinsky
Music by Justin R. Durban
Edited by Rasmus Tirzitis
Data de lançamento
February 23, 2014
Duração
110 min.
País Sweden
Língua English
Orçamento $5,500 – $6,000+

References

  1. ^ Jump up to:a b Nästa Star Wars-film kommer från Sverige (The next Star Wars film comes from Sweden), Metro.se, March 11, 2009, retrievedAugust 31, 2013
  2. ^ Jump up to:a b STAR WARS THREADS OF DESTINY : Interview exclusive SWU du réalisateur!, Star Wars Universe.com, February 2, 2010, retrievedAugust 31, 2013
  3. Jump up^ I en galax väldigt nära (In a galaxy very close) (PDF), Mitt i Haninge, March 31, 2009, retrieved August 31, 2013
  4. ^ Jump up to:a b Svensk Star Wars, Filmcafe.se, August 21, 2008, retrievedAugust 31, 2013
  5. Jump up^ – Andreas Feix – Eclipse FX – STAR WARS: Threads of Destiny, May 2012, retrieved August 31, 2013
  6. Jump up^ Star Wars: Threads of Destiny (2014) – Justin R. Durban
  7. Jump up^ GALAPREMIÄR AV STAR WARS HYLLNING (Gala premiere of Star Wars celebration), Scenbloggen, February 24, 2014, retrievedFebruary 26, 2014
  8. ^ Jump up to:a b Star Wars: Threads of Destiny Interview, CrossedSabers Reviews, October 8, 2013, retrieved December 23, 2013
  9. Jump up^ Threads of Destiny Prologue Comic, RebellRadion – Svensk Star Wars Podcast, February 8, 2014, retrieved February 16, 2014

External links

Fonte: Wikipedia

junho 3, 2015 Posted by | Cinema | , , , | 5 Comentários

Star Wars – O despertar da força

o despertar da força

Star Wars VII

 

Star Wars VII

Star Wars: The Force Awakens(também chamado de Star Wars: Episode VII – The Force Awakens) (noBrasil e em Portugal, Star Wars: O Despertar da Força)1 ) é um filme americano a ser lançado, é o sétimo filme da série Star Wars,  ocorre aproximadamente 30 anos após O Retorno (Regresso) do Jedi. O elenco principal inclui John Boyega, Daisy Ridley, Adam Driver, Oscar Isaac, Andy Serkis, Domhnall Gleeson, e Max von Sydow, com Harrison Ford, Carrie Fisher, Mark Hamill, Anthony Daniels,Peter Mayhew e Kenny Baker reprisando seus papéis dos filmes anteriores.

É o primeiro filme de Star Wars produzido após a venda da LucasFilmpor George Lucas para a Walt Disney Pictures, que agora distribuirá os lançamentos da franquia. Será também o primeiro da nova trilogia de Star Wars. Os episódios seguintes estão agendados para lançamentos com dois ou três anos de diferença entre si.2 O criador de Star Wars, George Lucas, serviu como  consultor criativo do filme. A direção é deJ.J. Abrams que escreveu o roteiro com Lawrence Kasdan, roteirista de O Império Contra-Ataca (1980) e O Retorno de Jedi. Abrams e Kasdan rescreveram o roteiro inicial de Michael Arndt, que fez o tratamento original para a história.

A sinopse do filme ainda não foi divulgada, porém se sabe que o filme falará sobre a luta da Resistência (antiga Aliança Rebelde) contra a Primeira Ordem (antigo Império Galáctico) e será protagonizado por Daisy Ridley, John Boyega e Oscar Isaac, que interpretarão, respectivamente, Rey, Finn e Poe.

Trailer 01

Trailer 02

O filme tem a data de estreia agendada para 17 Dezembro de 2015 no Brasil e 18 de Dezembro em Portugal.3

Elenco

Enredo

A trama do Episódio VII deverá ser original, sem se basear diretamente em nenhum dos vários livros, histórias em quadrinhos e outros materiais que foram lançados na franquia Star Wars.69 Como parte da aquisição, a Disney recebeu uma “extensiva explanação do enredo” por Lucas. Em uma entrevista em vídeo que foi parte do anúncio da compra, Kennedy explicou que ela e Lucas já se reuniram com os roteiristas para discutir o roteiro do filme.70

Dale Pollock, o biógrafo de Lucas que já leu as doze histórias originais escritas por ele, observou que os novos episódios devem mostrar o personagem Luke Skywalkerem seus 30 ou 40 anos de idade. Em uma entrevista, Pollock declarou: “As três histórias mais interessantes eram as 7, 8 e 9. Elas tinham uma ação propulsiva, mundos novos realmente interessantes e novos personagens. Eu lembro que pensei que queria ver aqueles 3 filmes.”71 Pollock espera que os roteiros dos novos filmes sigam o texto escrito por Lucas.71

 Estados Unidos
2015 •  Cor
Direção J. J. Abrams
Produção Kathleen Kennedy
J. J. Abrams
Bryan Burk
Roteiro Michael Arndt
Lawrence Kasdan
J. J. Abrams
Baseado em Star Wars, de George Lucas
Elenco Harrison Ford
Carrie Fisher
Mark Hamill
Peter Mayhew
Anthony Daniels
Kenny Baker
Lupita Nyong’o
Andy Serkis
Max von Sydow
Música John Williams
Companhia(s) produtora(s) Lucasfilm
Bad Robot Productions
Distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures
Lançamento Brasil 18 de dezembro de 2015
Estados Unidos 18 de dezembro de 2015
Portugal 18 de dezembro de 2015
Idioma Inglês

Fonte: Wikipedia

Cienma 2.015

007 contra Spectre

O livro da selva

A costureira

O estagiário

Sicário

Regressão

Quarteto fantástico

Cidades de papel

Infini

Homem Formiga

A espiã que sabia demais

Terminator – Genisys

Os vingadores 2 – A era de ultron

Selfless – O homem que inventou a imortalidade

Além do Alcance

Effie Gray

Superfast

Effie Gray

Dead rising watchtower

Get Hard

A Girl like her

Insurgent

Kidnaping Freddy Heineken

Transporter legacy

The Cobbler

Jogo duplo

McFarland USA

Cinquenta tons de cinza

Child 44

True Story

Boychoir

Danny Collins

Cinderela

The coup

Song one

Ex machina

Grace de Mônaco

Blackhat

Vice

Mortdecai

 

maio 31, 2015 Posted by | Cinema | , , , , , , , | 33 Comentários

Criado campo de força como Star Wars

Star Wars

Campo de Fuerza

A corporação Boeing obteve uma patente para “campos de força” projetado para proteger veículos e edifícios como no filme ‘Star Wars’.

O sistema futurista é projetado para proteger um objeto desviando as ondas de choque produzidas por explosões próximas, relata o site CNet.

O projeto é chamado de “Método e sistema para atenuar a onda de choque através de um arco eletromagnético’ e utiliza energia de plasma para desviar a onda.

O sistema patenteado pela Boeing é constituído por uma série de sensores que detectam as ondas geradas por uma explosão nas proximidades e envia um sinal para o sistema de proteção para gerar um arco de energia que desvia a onda de choque, de acordo com o site do Escritório de patentes USPTO.

No entanto, dada a natureza particular de ar ionizado, o campo de proteção não pode operar continuamente. Além disso, a Boeing ainda não desenvolveu o sistema para proteção dos veículos em impacto direto de projéteis, em vez disso, pode reduzir os danos associados a energia da onda expansiva de choque que ocorre perto do objetivo que se proteja.

Fonte: RT-TV

Laser acúsico

Capa da invisibilidade

março 24, 2015 Posted by | curiosidades | , , , , | Deixe um comentário

Campo de fuerza como Star Wars

 

Star Wars

Campo de Fuerza

La corporación Boeing ha obtenido una patente para ‘campos de fuerza’ destinados a proteger vehículos y edificios como en la película ‘Star Wars’.

El futurista sistema está diseñado para proteger un objetodesviando las ondas de choque producidas por explosiones cercanas, informa el portal CNet.

El diseño se llama ‘Método y sistema para atenuar la onda de choque a través de un arco electromagnético’ y utiliza energía de plasma para desviar la onda.

El sistema patentado por Boeing se compone de una serie de sensores que detectan las ondas generadas por una explosión cercana y que envían al sistema protector una señal para generar un arco de energía que desvíe la onda de la explosión, según el sitio web de laoficina de patentes USPTO.

Fonte: Wikipedia

Laser acústico

Capa da invisibilidade

março 24, 2015 Posted by | Espanhol | , , , , | Deixe um comentário

Phaser – Laser acústico de Star Trek

Laser Acústico

Star Trek

Engenheiros da NTT Laboratories, Kyoto, Japão, criaram um laser que utiliza exclusivamente fônons acústicos, por isso não é exagero chamá-lo de “Phaser”, como a arma da famosa série “Star Trek”.

Os fãs da série tem motivo para estarem em festa, já que esta é a primeira vez que se desenvolve uma “Phaser” na vida real.

Em 2.010, científicos norte-americanos do Laboratório de Física Aplicada John Hopkins apresentaram modelos parecidos aos desenvolvidos pelo NTT mas, naquela ocasião, apesar de terem chamado de “Phaser”, era, na verdade, um modelo híbrido que usava a luz do laser tradicional para criar uma emissão de som.

“Em nosso projeto, conseguimos eliminar a parte óptica”, disse para a revista de tecnologia, Wired, Imran Mahboob, co-autor da pesquisa japonesa.

Mahboob acrescentou que seu “Phaser” é muito mais fácil de ser integrado a outras aplicações e dispositivos. “No futuro o Phaser não seria uma arma, mas pode ser usado em medicina para escanear pacientes, ou em eletrônica para executar atividades de elevado grau de precisão, assim como nos campos da engenharia e da informática.

A pesquisa foi publicada pela revista “Phisical Review Letters”.

Fonte: RT-TV

Robô inseto

Top 10 ficção real

Tecnologia da invisibilidade

Jetpack – o Foguete pessoal

Teletransporte de dados

Controle mental das máquinas

março 24, 2013 Posted by | Inglês | , , , , , | 2 Comentários

O cachorro de um milhão

cão cantor

Cachorro que Canta

Quando surgiu a história de que músicas de rock, cantadas ao contrário, resultavam em palavras diabólicas, eu fiquei muito curioso.

Como eu não curtia rock pesado, nem poderia tocar um som desses em casa, peguei uma fita cassete e  inverti músicas pop, para ver o resultado.

Dobrando um fita cassete, seu verso mostra todo o áudio da música ao contrário.

A primeira versão de King Kong, filme da década de vinte, usou esse recurso, invertendo o rugido de um leão. O resultado dessa experiência chocou os espectadores, forçando a produção a revelar o segredo.

No auge dessa discussão, como todo garoto peralta que adora provocar, contei uma experiência que tive com animais.

Além de ter sido um razoável treinador de cães, em minha infância, por volta dos seis anos, eu era um excelente observador.

Eu sempre usava minhas observações para fazer perguntas pouco ortodoxas aos professores, sempre na hora certa. Por exemplo: Como é que os cães se comunicam?

Todos nós sabemos que os animais tem muito mais que os cinco sentidos vitais, uma teoria ultrapassada, já que o tato vai muito além da pele, além do lado inconsciente da mente – nos humanos.

No caso do cachorro, dizer que ele se comunica apenas com “au au”, seria subestimá-lo. Experiências ciêntíficas já comprovaram que, o que nos humanos são poderes paranormais, para os cães, poderes paranormais não são tão paranormais assim.

No calor da discussão do tal rock, lembrei-me de uma ocasião em que observava dois gatos se comunicando, seus miados tornavam-se mais longos, parecendo bebês chorando, em seguida começavam a surgir algumas palavras. Lembrando que eram duas horas da madrugada, essa fluência de linguagem de gatos chegava a arrepiar.

Com o tempo, notei que não eram só os gatos, todos os animais possuíam gestos e sons que foram desenvolvidos durante centenas de milhares de anos. Graças a isso, e a suas habilidades naturais,  eles estavam mais preparados para sobreviver, melhor que os humanos.

Uma espécie muito parecida com os gatos, os cães, tem até o som de suas palavras parecido.

Por serem os melhores amigos do homem, não é possível notar, mas basta ver um grupo de vira-latas cantando para termos uma ideia de sua performance linguistica.

Aliás, os cães costumam combinar rosnados com gestos, indicando direções, chamando a atenção, pedindo para que sejam seguidos, carinho, etc.

Se não fosse o aparecimento do homem na Terra, eu não tenho a menor dúvida que os animais acabariam falando. Eles já tem uma vida social muito produtiva, com seu curto processo cerebral.

Vários animais já foram treinados para falar a nossa língua, mas essa língua não significa nada para eles.

Um Husky Siberiano chamado Mishka tem chamado a atenção da mídia mundial. Com o auxílio da tecnologia, mais a capacidade de pronunciar algumas palavras, o cão conseguiu gravar uma música que já teve pelo menos um milhão de acessos, pelo menos até a reportagem.

A música também já era vendida pela internet, tornando o cão a primeira estrela da música pop, pelo menos entre os cães.

Para aumentar sua popularidade, todo um projeto digital foi montado. O cão ganhou até página na Twitter e na Facebook.

A tecnologia usada por ele, para melhorar sua voz, já foi usada por Cher, Lady Gaga e Christina Aguilhera, para criar efeitos, e corrigir defeitos,  vocais.

Suas músicas já são vendidas nas lojas i-tunes à 99 centavos.

Veja o vídeo:

http://actualidad.rt.com/ciencia_y_tecnica/electronica_tecnologia/issue_14998.html

By Jânio

outubro 9, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comentários

   

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Marca Livro

A arte de criar histórias em prosa ou verso

bastet - protetora dos gatos

todos os animais merecem o céu e os gatos principalmente

Blog CIN 5018

Informatização de Unidades de Informação

The Promise Carrier

Ebrael's official website in English.

detudosobretudoblog

Este site vai aborda todos os temas voltado para as mulheres

Letícia Giacometti Ribeiro

O diário de uma estudante de Jornalismo

Caminho Alternativo

Geopolítica, atualidades e opinião

Escrita em Foto

Colunas, textos, fotografias; a vida de alguém que busca mais do que apenas viver.

%d blogueiros gostam disto: