Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Estratégias para gerar tráfego

Buscando parceiros

Rede de Amigos

A primeira vez que eu vi um indexador de notícias, eu fiquei imaginando no objetivo de um indexador, sob o ponto de vista do administrador dessa ferramenta.

Um indexador representa um processo oposto às atividades de um blogueiro, ou seja, indicar conteúdo de outros sites. O indexador faz divulgação gratuita de textos que se encontram na blogosfera afora.

Esse conceito de web 2.0 me pareceu estranho, afinal, um indexador não apresenta conteúdo, ele indica, mostrando apenas um pequeno resumo.

Falando em resumo, aqui verificamos o primeiro problema, alguns blogueiros sequer fazem resumos, pior, alguns criam verdadeiros hypes, na tentativa de seduzir o leitor.

Felizmente, em indexadores com mais tempo de estrada já não apresentam esse tipo de usuário.

Podemos fazer uso de técnicas hypers no título, atiçando a curiosidade do leitor, mas um resumo do que o leitor vai encontrar, ameniza o descontentamento com o texto. O resumo é, e deve, ser uma amostra da qualidade e do conteúdo do texto indicado.

Os primeiros indexadores de textos eram criteriosos, exigiam até vinte e cinco linhas no resumo da indicação, o que logo se mostrou inviável. Alguns indexadores ainda  exigem um número mínimo de linhas nesse resumo.

Cada indexador tem um perfil diferente, alguns já descobriram as vantagens de se agregar ferramentas de rede social, o que aumenta sua popularidade, além de apresentar maior transparência do perfil de seus autores.

Nem precisa dizer que aqui começamos a notar as vantagens de um bom indexador, não é mesmo?

Quando acessamos a página inicial de um indexador, temos a visualização das notícias mais populares. Junto com as notícias mais populares, um outro problema, além do perfil do indexador seguir para um tipo de notícia, ou artigo, há indexadores onde os usuários combinam quem vai ficar na primeira página.

O indexador mais popular da internet, o Ocioso, seleciona as indicações de posts populares através de cliques, ou visitas ao site; o Dihitt, o indexador que reúne os usuários mais interativos da internet, seleciona por votos. Uma grande vantagem do dihitt é mostrar as últimas notícias, o que alguns outros indexadores, inteligentemente, também fazem.

A vantagem de combinar indexação com rede social, é muito interessante, mas oferece o risco de problemas na manutenção e ataque de crackers, já que quanto maior a quantidade de ferramentas para entrada de dados, maior o risco de invasão.

Pode-se indicar notícias em massa no Dihitt, o mesmo acontece com as mensagens, uma espécie de correio eletrônico interno. Essas facilidades fazem a alegria dos blogueiros que querem divulgar seus blogs, mas criam também um comportamento spammer nos usuários; curiosamente, há ferramentas para bloqueio de spam.

Tente imaginar um perfil com milhares de seguidores, agora imagine o potencial de spam – um perigo, não é mesmo?

O primeiro indexador a apresentar indicação de notícias foi o Digg. Devido a sua enorme quantidade de usuários, estabeleceu-se regras rígidas.

A ferramenta era tão simples, e eficiente, que se espalhou; até os blogs já indexam notícias.

Verificamos um problema no Dihitt, votar é muito mais fácil que clicar, isso faz com que a combinação de votos seja mais fácil.

Outro problema é que, por serem mais educados, os usuários do Dihitt aceitam o spam e são vítimas de manipulação, por parte de alguns usuários.

Se houvesse um ranking por cliques, haveria mais tráfego real aos sites, além de se criar uma nova medida de qualidade das notícias.

Outra mania que nós temos é não separar os usuários por grupos, assim corremos o risco de misturar ideologias de perfis diferentes, o que cria intrigas constantemente.

Outro comportamento que eu nunca entendi é: Porque, quando há atrito, o usuário simplesmente não deleta seu desafeto, ao invés de abandonar a rede, provocando uma grande queda de qualidade de usuários?

Hoje, eu vejo os indexadores como verdadeiros portais de notícias, onde as indicações são as manchetes, com uma grande vantagem em relação aos buscadores, seus textos podem ser bem maiores. Essa possibilidade de textos maiores, além de ferramentas rss, faz com que outros sites possam agregar o conteúdo dos principais indexadores, como o Dihitt.

Assim surgiram os buscadores, através de rss, que trazem conteúdos segmentados e bem mais abrangentes que os buscadores tradicionais.

Os gerenciadores de blogs também oferecem as ferramentas rss, para se agregar conteúdo. É assim que a Web 2.0 se espalha pela internet, com os indexadores gerenciando as atividades dos usuários, possibilitando uma melhor avaliação dos melhores autores.

Recentemente, tomei uma decisão radical. Depois de muito tempo com o meu perfil inativo, na Twitter, decidi fazer uma campanha naquela rede.

A decisão foi tomada depois que alguns leitores do made in blog/icommercepage me perguntaram porquê não estou postando as melhores notícias no twitter. A resposta é que não tenho um perfil forte por lá, não dá para empatar o pouco tempo que eu tenho, num perfil fraco.

A mesma coisa acontece na Facebook, a quantidade de vampiros daquela rede é tão grande, que desmotivam seus usuários a investirem seu tempo. Lá também é radical, A Facebook exagera nas campanhas e ferramentas, enquanto a facebook Lite inverte esse processo; recentemente recebi reclamações de usuários que migravam para a Facebook Lite, sem conseguir retornar para a versão original – é mole?

Na Orkut, eu ainda não vi solução, mas na twitter, eu encontrei finalmente uma maneira de escolher os melhores perfis para adicionar.

Através das ferramentas blogueiras, como Topsy e do Backtweets, entre outras ferramentas que mostram o potencial de perfis que mais retwitam; poderemos finalmente escapar dos chamados vampiros de rede, escolhendo os formadores de opinião, em oposição aos manipuladores dessa.

Dessa forma, espero conseguir criar um bom perfil na twitter, com valor e inteligência agregados.

Só completanto: No início as redes sociais eram totalmente contra o envio de notícias que fossem só do próprio site, podemos verificar que é impossível que se indique mais de uma notícia ao dia, o resultado nunca será o mesmo, nem de acessos, nem de votos. O Ocioso nem aceita mais de uma notícia ao dia, isso evita que a rede seja usada por spammers.

By Jânio

agosto 3, 2010 Posted by | Redes Sociais | , , , , , , , , , , | 17 Comentários

As grandes redes de comércio invadem a internet

rede de vendedores

O ano de 2.009 deverá ser um ano chave para o comércio eletrônico, pelo menos 12 grandes redes do comércio eletrônico dos EUA deverão criar algum tipo de serviço ligado ao comércio, via celular.

O que já se tem de concreto, é que as grandes redes, como a Walmart, trocou estrategicamente os jornais tradicionais em papel, pelas mídias eletrônicas. As redes sociais passaram a ser o foco principal de lançamento de promoções na internet.

As redes principais são a Twitter e a Facebook, as redes que mais crescem, além de ser as mais procuradas atualmente. No caso do Facebook, já se nota esse comportamento de usuários populares que não fazem outra coisa senão fazer propaganda de alguma coisa.

Para a sorte dos usuários, a Facebook lançou o Facebook Lite, o que deverá aliviar uma parte de seus usuários, mas a maioria, a exemplo do que se pode ser notado na Twitter, prefere receber os Spams e fazer parte dos contatos de gente famosa, nesse caso, não há como mudar isso.

Casos de redes sociais inteligentes, como o Dihitt, se tornam cada vez mais raras. Em Portugal, há casos de redes sociais com esses perfis, mas essas redes não crescem muito.

Isso pode até ser bom, assim, cada grupo de usuários escolherá uma rede, fará parte de um determinado grupo, ficando protegido de novas ondas Orkutianas. Por falar em Orkut, uma rede que foi comprada por dois motivos, primeiro os donos originais da rede não seriam capazes de manter uma rede gratuita tão grande, segundo porque a oferta da Google foi muito alta para se recusar, estratégia para evitar o surgimento de novos gigantes na rede.

Enquanto o Orkut, comprado estrategicamente, não oferecia publicidade, a Facebook, logo de cara criou uma forma criativa de se beneficiar, analisando os gostos do usuário.

Não é à toa que tantos usuários imploram para serem adicionados em suas redes de contatos, uma verdadeira batalha de vampiros sociais está para se iniciar na internet, vampiros que podem ser vencidos facilmente, com um click para se apagar, desde que suas vítimas já não estejam possuídas pelo seu poder de atração de seguidores.

By Jânio

novembro 29, 2009 Posted by | Redes Sociais | , , , , , | 2 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: