Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Vítimas de quem?

vítimas do WTC

Vítimas Inocentes

Não sei se o dia onze de setembro tinha algum significado antes do ataque às torres gêmeas, mas se não tinha, agora tem.

Todo ano, essa data será lembrada como o dia em que os americanos foram derrotados pela segunda vez, a primeira derrota foi no Vietnã. Foram enganados e tiveram que chorar por suas mortes.

Antes desse dia fatídico, uma outra tentativa de atentado já havia sido registrada. Se era para testar a opinião pública, sobre a conspiração que seria tramada, ou se fora realmente obra de Osama Bin Laden, ninguém sabe, nem vai saber.

O que se sabe é que o atentado serviu a muitos interesses, portanto, as suspeitas são pertinentes.

Outro fato importante a ser destacado, é que o símbolo do capitalismo, transformado em símbolo de morte, será para sempre lembrado como o símbolo da transformação de pensamentos. A grande maioria dos americanos chegou ao limite, em relação ao preconceito, capitalismo, guerras, etc., prova disso foi a vitória de um presidente afro, com nome árabe.

A maior parte da população americana, educada por Hollywood, através dos filmes de ação, teve de parar para pensar. Novas lembranças sobre o Vietnã voltaram a atormentar a “América”.

Osama Bin Laden, dado como morto, virou um fantasma para aumentar o tormento, através de vídeos frequentes na mídia. Se isso era suficiente para provar que, de fato, ele estava vivo, ninguém sabe, o que se sabe é que as regras do jogo eram as mesmas dos dois lados, uma faca de dois gumes.

A suposta morte de Osama Bin Laden em território “amigo”, Paquistão, mostrou que a reputação dos EUA, em território árabe, já não era mais a mesma. Assim, sem o apoio americano, as ditaduras dos aliados começaram a cair, enquanto os americanos paravam de combater as guerrilhas/rebeldes, abrindo caminho para uma possível liberdade.

Muitas perguntas ficaram no ar, como o fato do avião que supostamente atacaria a casa branca, ter sido o único a cair, entre os quatro que deveriam atingir o alvo.

A farsa das supostas armas nucleares, o que levaria a guerra contra Saddan Hussein, além de precipitada, transformaram Bush num presidente incompetente e mal visto.

O ataque ao World Trade Center, foi um ataque ao capitalismo, mas muitas pessoas morreram. Quem efetuou o ataque, manipulado ou não, conhecia a miséria e a morte bem de perto, portanto, além de não ter remorsos, não tinha medo de morrer.

Depois do ataque às torres gêmeas, foi criado o conceito da guerra tecnológica iraquiana, onde supostamente ninguém morreria. As mortes não pararam até hoje, até um brasileiro do alto escalão da ONU, encerrou a sua carreira nesse processo de transição.

Diante da crise econômica, os americanos descobriram que as guerras são uma maneira de ganhar/desviar dinheiro, descobriram que os homens mais ricos do mundo ganharam dinheiro assim.

Assim como no Vietnã, os EUA perderam a guerra. Descobriram que nem todas as guerras são iguais e que nem todos os povos pensam de maneira semelhante.

…mas agora é tarde, e todos os anos os americanos chorarão por suas mortes, enquanto no Iraque todos já se acostumaram com elas.

Essa é uma guerra suja que não quer parar, mas que deu uma trégua.

Eu gostaria de dizer o quanto eu amo você

By Jânio

setembro 9, 2011 Posted by | Internacional | , , , , , , , , | 4 Comentários

Qual é o preço de uma Guerra Mundial

guerra economica

Preço da Guerra

São muitos os fatores que podem levar a uma guerra, mas apenas um que pode levar a extinção total dessas guerras.

No auge de seu poderio militar – criação da bomba atômica – os EUA cometeram um exagero. Já com a guerra vencida, apenas o Japão dava sinais de resistência, os americanos cometeriam um excesso.

As explosões das bombas atômicas tinham como objetivo principal, acabar com uma guerra que se tornava dispendiosa demais para os seus financiadores, além de mostrar seu potencial militar.

Se a principal causa de uma guerra é o poder econômico, o final dela também é.

A intolerância à novas guerras não se deve a consciência do povo, mas a consciência dos gastos que ela implica aos seus financiadores.

O poder de destruição do homem cresceu muito, é quase infinito, já o seu poder de criação é quase nulo.

Felizmente, a história das guerras, com seus custos elevados, faz com que essa alternativa ao poder econômico, seja coisa do passado.

Hoje, ainda há focos de guerras, terrorismos e conspirações pelo mundo todo, mas as guerrilhas espalhadas pelo planeta, começam a se tornar um fardo muito pesado.

Guerras regionais já se tornaram um problema para a economia americana, a principal financiadora da indústria bélica.

A Segunda Guerra Mundial foi uma farsa, na realidade era a segunda parte da Primeira Guerra Mundial, que também era uma farsa, ou seja, tudo não passou de uma estratégia para encobrir os gastos astronômicos de uma única Grande Guerra Mundial.

A internet tem feito um trabalho muito melhor e mais pacífico, nas atuais revoluções, com sua forma viral de espalhar mensagens e criar campanhas.

Veja os gastos de uma guerra regionalizada, como foi a Guerra do Iraque, depois compare com a segunda parte da Grande Guerra Mundial.

GASTOS DA SEGUNDA PARTE DA GUERRA MUNDIAL

Segundo o historiador/sociólogo Edward M. Burns, os custos da segunda metade da Grande Guerra dariam para:

01 – Comprar uma boa casa para cada família dos EUA, Grã-Bretanha, França, Bélgica, Espanha e Portugal.

02 – Uma grande biblioteca para cada cidade de 200.000 habitantes ou mais dos EUA, Grã-Bretanha e Rússia.

03 – Uma boa universidade em cada uma dessas cidades.

04 – Um carro zero para cada família dos EUA, Grã-Bretanha, França, Holanda, Bélgica, Luxemburgo, Dinamarca e Noruega.

05 – Os salários de 100.000 professores e 100.000 enfermeiras, durante 100 anos.

06 – Educação universitária para cada moça e rapaz, entre 17 e 21 anos, nos EUA.

GASTOS COM A GUERRA DO IRAQUE

Só em tanques e aviões, já que a vida humana não tem preço, a Guerra do Iraque gastou.

EUA – 378.000 homens – 2.000 tanques – 1.100 aviões

Egito – 35.500 homens – 600 tanques – 20 aviões

Grã-Bretanha – 25.000 homens – 168 tanques – 55 aviões

Síria – 20.000 homens – 300 tanques – 0000

Arábia Saudita – 20.000 homens – 200 tanques – 130 aviões

França – 12.000 homens – 200 tanques – 75 aviões

Total dos aliados dos EUA – 700.000 homens – 4.000 tanques – 1.800 aviões

Iraque – 450.000 homens – 3.600 tanques – 450 aviões

Total dos aliados do Iraque – 1.000.000 homens – 5.000 tanques – 750 aviões

Os países mais ricos (G-7) na época da Guerra do Iraque eram: EUA. Inglaterra, Japão, Canadá, Alemanha, França e Itália.

A China ainda era um país de economia fechada, sem números oficiais.

By Jânio

fevereiro 23, 2011 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , , , | 8 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: