Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

O problema dos pintos

Filhotes Precoces

Filhotes Precoces

Algumas freiras do interior do Paraná desenvolveram um projeto de psicologia infantil muito interessante, na década de oitenta. Acontece que algumas crianças, hiper ativas, estavam apresentando um comportamento um tanto quanto precoce para a sua idade.

Seu interesse por temas adultos preocupava tanto as famílias, quanto a escola e a igreja. Uma das alternativas encontradas, foi mostrar para as crianças a responsabilidade de se criar uma família.

As famílias compraram pintinhos nas agropecuárias, em seguida deixaram com as crianças a responsabilidade de cuidar daquelas pequenas aves.

No início parecia que tudo daria certo, mas não demorou para que o primeiro pinto morresse – cada criança era responsável por um dos pintinhos.

Os pintos restantes resistiram mais e, quando parecia que sobreviveriam, outros começaram a morrer, até não restar mais nenhum.

A mãe das crianças chegou para elas e disse: Viram a responsabilidade de cuidar de uma família? Vocês não foram competentes para cuidar de nenhum dos pintos.

Um dos meninos pensou um pouco e respondeu – Eu logo imaginei que isso não daria certo, não é fácil cuidar de uma ave, principalmente sendo filhote. Se a galinha estivesse aqui, ele teria sobrevivido.

O problema dos pintos foi a falta de galinhas – concluiu.

By Jânio

dezembro 7, 2012 Posted by | Piadas | , , , , , , , | 1 Comentário

A magia infantil

brincadeiras adultas

Aprendizes de Feiticeiros

Há uma época na vida em que tudo é possível, tudo é permitido. Nessa época que o tempo não pode apagar, há vestígios de nossa história obscura, fontes para uma investigação sobre o passado mágico do homem.

Eu concordo no fato de não vivermos no passado, olharmos sempre para o futuro. No caso de um passado recente, isso pode ser mais traumatizante, optamos por esquecer.

A maturidade social, assim como a formação de opinião, só é possível se analisarmos e avaliarmos o presente e o passado.

Nessas avaliações, é muito importante não mantermos o foco na ponta de nosso próprio nariz, quanto mais abrangente a nossa visão, melhores os resultados.

O império romano, por exemplo, só será citado por políticos, aristocratas ou pessoas com pensamentos imperialistas muito atrasados em relação ao nosso tempo.

Precisamos de idéias inteligentes, desenvolvidas e dinâmicas, pois no nosso tempo tudo muda rapidamente.

Em meio a esse maremoto de informações, conhecimentos, técnicas e teorias, há um grupo de pessoas alheias a tudo isso, pessoas com uma visão ingênua dos fatos, mas nem por isso menos importantes ou inteligentes, as crianças.

Para as crianças tudo será permitido, menos a convivência com temas mais adultos, como a violência e a vida sexual. Temas como esses, só deverão ser tratados na presença de pessoas preparadas e responsáveis pela sua educação.

Nem por isso devemos considerar as crianças menos corajosas e capazes de enfrentar conflitos e filosofias necessários a nossa vida.

Há casos em que a maioria dos adultos não estão preparados para enfrentar, visto que são temas os quais deveriam ter sido desenvolvidos na infância. Se a pessoa não teve uma boa infância, também não terá condições de resolver esses conflitos.

É correta também a necessidade de as pessoas estarem atentas aos vários pontos de vista, inclusive ao ponto de vista de uma criança, sem os quais muitos de nossos conflitos jamais poderão ser resolvidos.

Recentemente, houve uma polêmica em torno do filme “Fantasia” da Walt Disney, onde Mickey Mouse era um aprendiz de feiticeiro.

Na época, eu não me interessei muito. Idéias de conspiração, mensagens subliminares, normalmente são mostradas de forma sensacionalista pelas mídias de massa, o que ironicamente não deixa de ser uma forma de conspiração.

De certo, o que eu sei é que temas infantis devem ser tratados por crianças, ou por adultos, mas sob uma ótica infantil.

A mitologia está sempre muito presente na vida das crianças. A vida do Rei Arthur, reino de Camelot, cavaleiros da távola redonda, dragões e princesas, nada escapa ao olhar “crítico” dos pequenos.

Entre os contos de fadas, a história de Chapéuzinho Vermelho, lobo mau e os três porquinhos, branca de neve e os sete anões e até a bizarra história da bela adormecida, estão entre os contos favoritos das crianças. Das estórias infantis, ainda podemos destacar o saci pererê, curupira e tantos outros.

Algumas dessas histórias são da idade média, outras são ainda mais antigas. Para serem publicadas, tiveram de ser adaptadas, já que os tempos mudaram, mas a sua essência obscura continua presente, sendo muito bem resolvida e aceita pelas crianças.

Tudo acaba sendo uma questão de adaptação e estilo, não é mesmo?

Histórias de vampiros, lobisomens e assombrações, são muito procuradas por adolescentes, usá-las para assustar as criancinhas, para torná-las carentes, tímidas e inseguras, é uma tremenda covardia.

Durante nossa infância, podemos ser heróis e bandidos, e devemos ser orientados a decidir o lado certo.

O termo brincar, curiosamente é utilizado também para designar “interpretar” (play), na língua inglesa, portanto, devemos deixar a imaginação dos pequenos fluir e estar atentos a ela.

A magia das crianças é pura ficção, não tem um tempo determinado. Pode ser na idade média, antiga, pré-história, podendo até negar a pré-história.

Uma história infantil também pode apresentar falhas, erros, como nas super-produções de Hollywood.

Crianças tem uma visão além do pré-conceito de certo e errado, podem ser excelentes atores e atrizes da vida real, sem contudo tomar decisões incorretas, desde que bem orientadas.

Crianças poderão ser excelentes adultos, desde que os adultos tenham as respostas certas para as suas perguntas.

Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? Por quê? Porquê? Por quê? Por quê? Por quê? Por quê?…

By Jânio

abril 25, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , , | 8 Comentários

Entre o amor e a paixão.

amor verdadeiro

amor verdadeiro

Pensar sempre foi um dom do Homem, aqui começa o eterno conflito, ser homem é ser mulher e homem ao mesmo tempo.

Nem os maiores pensadores da história conseguiram facilitar nossa forma de pensar, Charles Darwin mergulhou sua mente rumo as nossas origens. Sem medo das consequências de suas conclusões, o cientista conseguiu reunir muitas provas, sobre o passado, que revolucionaram  nossa maneira de ver nossas origens.

A Bíblia já tinha uma resposta para nossa origem, mas não agradava a todos, daí a necessidade de preencher esse espaço, onde Darwin dedicou boa parte de sua vida.

Parece-nos mais fácil sempre procurar uma forma de ver a vida de uma maneira simples, sem precisar pensar muito, tudo que é ligado a tecnologia, imediatamente, relacionamos ao computador; tudo que se refere a nossa existência, pensamos em Deus, religião, agora em Darwin também.

É mais fácil aceitar à Deus, sob o ponto de vista da religião, ao invés de Deus, sob o ponto de vista da Filosofia. Na religião toda a forma de pensar vem pronta, interpretada, na maioria das vezes de forma errônea, mas está tudo pronto para ser digerido.

O amor envolve o espírito, o pensamento, a Filosofia, é muito mais complexo do que a paixão. Para que nos preocuparmos com o que a outra pessoa está pensando, se não entendemos nem a nós mesmo.

Segundo a Filosofia,  e a Psicologia, entre outras áreas, é preciso se encontrar, resolver nossos problemas interiores, pessoais, antes de se exteriorizar nossas emoções. Não dá para se ter um relacionamento saudável, sem antes estar bem resolvido consigo mesmo.

Assim procuramos a paixão, achando que é amor, pedindo que as pessoas nos entendam, quando nós é que deveríamos fazer isso.

É fácil se confundir uma paixão com o amor, quando se está carente, sem a menor vontade de se pensar. O pior de tudo, é que a paixão não tem prazo para se expirar, é como uma doença, uma febre, pode se tornar crônica, paralisando todos os sentidos.

A paixão está, diretamente, ligada ao corpo, ao coração. Se uma pessoa está carente, não tem dinheiro, procurará por isso, desde que esteja mal resolvida, estará sempre em busca de uma pessoa com estabilidade financeira, de uma pessoa com muito amor para dar, e, em alguns casos, de uma pessoa bonita que disfarce o seu complexo de se achar feia.

É muito comum, uma pessoa mais velha, procurar a paixão em uma pessoa mais nova, em busca de uma energia que ele não tem, disfarçando o fato de que ela está bem mais velho do que outrora, decisão muitas vezes fatal para a pessoa.

O verdadeiro amor pode ser de parente, de amigo, de marido ou mulher e até a religião prega esse amor, um amor puro, onde é preciso aceitar a Filosofia para entendê-lo sem problemas de interpretações.

No verdadeiro amor, devemos dar sem receber, dar o amor, a ajuda, a palavra amiga, o carinho, qualquer pessoa que reclame que seu próximo, ou marido, ou esposa, não está lhe dando atenção que merece, não ama essa pessoa, é ela quem deve dar a atenção que a outra pessoa precisa. Essa pessoa deverá conquistar a outra, usando de todos os meios sensatos, como uma convivência sadia, com carinho, para se conquista a outra.

É preciso dar-lhe muita atenção, conversar, saber o que se passa na vida dela, saber o que ela pensa, o  que ela sente. Se a pessoa está doente de espírito, não está descartada a possibilidade de um tratamento a ser oferecido, com psicanálise, psicoterapia, psicologia, enfim, há vários meios de se tratar a mente, a partir do momento em que fique constatada a impossibilidade de se resolver essa situação.

São raros os casos em que se chega a dependência de um profissional da área de saúde, aqui vale a velha frase, presente em todos os artigos da seção de saúde desse blog, no caso da saúde espiritual, também, “É melhor prevenir do que remediar”, ou seja, não deveria ter chegado a esse ponto, o ambiente em que essa pessoa vive, de certa forma foi responsável, incompatível com a personalidade dessa pessoa.

A doença psicológica é, na maioria das vezes, social e a maioria das pessoas da sociedade moderna são doentes psicológicos, sem amor, e é somente com o amor que isso pode se resolver, a paixão é como um remédio sem receita médica, pode mascarar a doença, os sintomas, mas, a longo prazo, os efeitos podem ser devastadores.

By Jânio.

agosto 12, 2009 Posted by | Saúde | , , , , , | 2 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: