Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

A história da corrupção brasileira.

corrupção brasileira

A história da corrupção

Daniel Dantas pode ser considerado o maior criminoso a envolver-se  com corrupção política, no Brasil, e talvez do mundo.

Foi constatado por uma pesquisa internacional renomada, como tendo uma fortuna estimada em mais de um bilhão de dólares, antes dos escândalos, mas a revista Forbes, que relaciona os homens mais ricos do mundo, não incluiu seu nome na lista.

Depois de ser preso, iniciou-se um dos maiores processos, que se tem notícia, na história. O caso de Daniel Dantas, lembra muito o saudoso PC Farias, o medroso que ameaçou entregar todo mundo e acabou morrendo por crime passional.

Dantas não é medroso, foi criado em meio a negócios  e política, não necessariamente nessa ordem, mas tudo junto, a política e os negócios. Não há um crime, ligado ao sistema financeiro, que Daniel Dantas não tenha cometido, é um daqueles tipos de processos que seria impossível de ser investigado, sem o uso de um bom computador.

Sua pré-história  começou com seu pai, amigo de infância de Antônio Carlos Magalhães.

Seu primeiro banco, começou com menos de dez pessoas, pouco tempo depois já tinha noventa, e isso era só o começo.

Em sua longa história de empresário,  fez alianças com o maior doleiro do Brasil, passou por todos os Governos do Brasil, inclusive envolvendo muita gente importante, chegou a recusar ministérios importantes no governo, coisa que nem Mário Henrique Simonsen, de quem foi aluno na Fundação Getúlio Vargas, recusou. Dantas sabia que de dentro da política não poderia controlar o jogo, teria que ficar sobre a política.

Geraldo Alckmin irritou seus colegas de partido, quando disse que um político não pode ficar rico, ele estava certo. Dantas já sabia disso há muito tempo.

Além de envolver políticos de todos os Governos, as maiores empresas do Brasil, e de fora do país também, Dantas conseguiu provar que há casos sem solução, na justiça,  seu caso é um deles.

Todos os crimes de suborno e dólar na cueca, vira arte de criança, perto do esquema de Daniel Dantas. Durante a investigação, todos os tipos de escândalos foram identificados, desde o tempo das privatizações, até o escândalo do mensalão, passando por todos os Governos.

Esse deverá ser, sem dúvida, um processo sem fim, quanto mais se mexe, mais se encontra sujeira, mais gente envolvida.

Eu costumava dizer que para ser um bom corrupto, não basta ser um PC Farias, é preciso ser um Daniel Dantas. É um caso em que, se prender alguém, sempre aparecerá mais algum culpado, um processo que nunca acaba.

O mais interessante nesses casos, é que se a polícia não consegue prender o corrupto, quem cai não são os políticos envolvidos, é a polícia.

Foi o que aconteceu com o Delegado da Polícia Federal, acusado de passar dos limites, como grampear  Ministros do STF. Pode-se grampear  qualquer pessoa, mas o Ministro não.

É como se houvesse uma contra-inteligência no governo, encarregada de controlar a Polícia Federal, proibindo que ela investigue a todos, logo a política Federal, um dos únicos órgãos que funcionam no Brasil.

Daniel Dantas foi autorizado a viajar para fora do país, mas ele não é louco. Seu cúmplice, Cacciola, já sentiu na pelo o que é ser preso fora do Brasil. Como Dantas nasceu aqui, sabe que o Brasil é o melhor país do mundo para os corruptos.

Quem poderia fugir do Brasil, são os membros do PCC, do CV…

Esse é o problema, quando se cobram altos impostos, num país como o Brasil: Corrupção.

Dantas se formou em Engenharia, fez pós-graduação em economia, com Sinmonsen, descobrindo logo o que desejava na vida.

No banco Bradesco, chegou a vice-presidente em pouco tempo. Abriu seu próprio banco, sua ambição assustava seus próprios sócios.

Descobriu os homens importantes do Governo, ficando sabendo dos sonhos do Presidente FHC, da mesma maneira com que ficou sabendo que Collor iria confiscar a poupança. foi, inclusive, convidado para participar da reunião onde ficaria decidido o confisco e decretaria o fim do Governo Collor; essa é a vantagem de se estar sobre a política.

Criou várias contas em paraísos fiscais, como as ilhas cayman, e atraiu para si as maiores empresas do mundo, que pretendiam comprar o “Brasil”.

Essa história toda me faz lembrar de uma fortuna que apareceu na conta de um aposentado, recentemente, sem que ele soubesse.

O segredo da lavagem de dinheiro é que o dinheiro só passa a existir, de fato, depois de lavado, para isso leva um tempo. Isso significa que Dantas poderia não estar sozinho nessa, só depois do dinheiro lavado, daria para saber.

Como eu já disse, várias vezes, o bandido brasileiro é corporativo, é unido; no dia em que a pessoa honesta for unida, haverá uma grande mudança no mundo.

Pena que não temos muito tempo.

By Jânio

dezembro 23, 2009 Posted by | Política | , , , , , | 11 Comentários

José Roberto Arruda – Uma vergonha para os corruptos brasileiros

Incompetência corrupta

A política brasileira é uma bola, eu disse bola, repetem-se sempre os mesmos fatos. Pelo menos agora eu seu para que serve a lei da inconstitucionalidade, onde o político só pode ser preso depois de cassado.

No Brasil só tem um político acima de qualquer autoridade, evidentemente, não é o Presidente Lula.

No caso de José Roberto Arruda, houve uma repetição de trapalhada de um político que não sabe ser corrupto, primeiro foi o painel de votação, agora desceu ao ponto mais baixo.

Cada vez que eu vejo essa imagem, lembro-me de Celso Pitta; assim como arruda, que era cúmplice de ACM, Pitta era cúmplice de Maluf. A maneira com que esses políticos são flagrados me deixa em dúvida sobre a sanidade dessas pessoas.

Olhando assim, parece uma feira livre, de patifarias é claro, onde cada um se vende pelo melhor preço.

Assim como Pitta, Arruda parece que não se importa com valores, aceita pechincha, valoriza a fidelidade, o cliente …

Esses peixes pequenos são bem diferentes dos grandes, aqueles que lidam com milhões, manipulam a macro economia, as grandes mídias. Nesses casos, a lavagem é feita de forma tão profissional que até o STJ e o STF recusam-se a prendê-los.

Esses fatos, ressaltam a importância do aprimoramento da política brasileira, do jeito que está não pode ficar; bandido de verdade prefere lavar o dinheiro através de operações financeiras fraudulentas, usa empresas suas, ou de terceiros, para lavar o dinheiro sujo, num verdadeiro processo corporativo.

Essa história de dólares na cueca é uma história que já estamos cansados de ver, até o Presidende declarou: “A imagem, por si só, não diz nada, é preciso apurar os fatos através de um processo.

A investigação está nas mãos da Polícia Federal, não posso dar opiniões.”

O Presidente está certo, pimenta nos olhos dos outros é refresco, partido que já passou por essa vergonha, sabe a dor que se sente.

Por essas e por outras, Ciro Gomes pode vir a ser o adversário de Dilma, inclusive na região de Brasília.

Com tantos filmes de corrupção em Brasília, não vai demorar para se criar uma categoria especial, no Festival de Cinema de Brasília, só para flagrantes de corrupção.

By Jânio

dezembro 2, 2009 Posted by | Política | , , , , , , , , | 14 Comentários

Morre o último dos irmãos Kennedy

o misterio dos Kennedy

Mortes Misteriosas

Já escrevi no Made in Blog sobre a família Kennedy, sobre os dramas e escândalos, no artigo “Mortes misteriosas de celebridades.

Desde os dois irmãos John e Robert, a democracia nunca mais foi a mesma, apesar de que os Kennedy estavam muito além da democracia, morreram em nome dela, mas seu legado ficou para sempre.

John Kennedy se tornou o Presidente mais famoso do mundo, principalmente, pela sua capacidade de encontrar a resposta para tudo e para todos, atitude típica de político popular. A frase “Não se pode agradar a Gregos e Troianos”  pode se aplicar aqui, pois por mais inteligente e corajoso que fosse, havia sempre algumas pessoas insatisfeitas.

Na política, assim como em qualquer outra classe, ligada a sociedade, é preciso cautela para lidar com o povo, a maioria dos políticos não costuma encarar as situações de frente, vale tudo, meias verdades, meias palavras, etc., não era o caso dos Kennedy.

Uma das frases clássicas de John, mostrava toda sua personalidade e visão diante de seu ideal: “Dont ask  what your country can do for you, But what you can do for your country”, “Não pergunte o que seu país pode fazer por você, mas o que você pode fazer por seu país”.

Quando eu digo que a família Kennedy estava acima da democracia, não é força de expressão, eles realmente viam o mundo de uma maneira globalizada, não são conhecidos apenas nos Estados Unidos, mas em todo o mundo.

O grande problema de políticos jovens, na minha opinião, como no caso dos irmãos John e Robert, é que o fator paixão sempre se faz presente, sem escolher homem ou mulher, e o final é quase sempre trágico.

John, assim como toda sua família tinha pontos de vista que geravam  irritação e desconfiança dos americanos, principalmente, em relação a Cuba e ao comunismo.

John foi assassinado, assim como seu irmão, em seguida um suposto assassino foi assassinado também, o que gerou suspeita de queima de arquivo, até porque a suspeita de conspiração, essa ficará para sempre. Seu caso amoroso mais famoso cometeu suicídio, Marilyn Monroe.

Hoje, morreu o último dos irmãos, Ted, o mais velho já havia morrido na guerra com a máfia. Assim os irmãos Kennedy podem finalmente descansar em paz.

Ted nunca foi tão famoso como os irmãos, mas foi responsável por manter o nome dos Kennedy em pauta durante todos esses anos. Apesar de dois acidentes sérios, o Leão, como era conhecido, se manteve firme, só terminando sua luta, na terra, contra um câncer de cérebro.

Assim, a história dos quatro irmãos Kennedy termina na política, mas a tradição Kennedy, essa nunca terminará, um exemplo é o caso de Arnold Schwarzenegger, sua mulher faz parte da família Kennedy.

By: Jânio

agosto 27, 2009 Posted by | Política | , , , , | 8 Comentários

A história política de José Sarney.

jogo político

jogo político

Nunca se apostou tanto na queda de um político, como se se vê hoje, no caso do Senador José Sarney.

Algumas pessoas acham que ele vai cair, outros que não, mas que seu império entrou em decadência.

A oposição faz sua parte, apesar de suas alianças serem tão comprometedora  quanto as do Governo. O PT, aliás, era um caso raro de política no Brasil, mas para governar é preciso apoio.

Alguns consideram Sarney como o último, entre os grandes, da velha política brasileira, um grande simbolo da velha política.

No Maranhão, seu patrimônio é tão grande, sua família tem um controle tão grande do mando político, da região, que é duvidoso achar que o grande político irá cair agora.

Sarney é muito criticado, pelos brasileiros, pela sua atuação durante o regime militar.

Sarney, que começou sua carreira política  na década de 50, foi eleito Deputado em 1.955, Governador em 1.966, chegando a Presidência em 1.986, quando o Presidente eleito morreu após a eleição.

A história desta eleição, por si só, já é cheia de histórias.

Aquele que seria considerado o maior articulador da história, da política brasileira, tinha medo de retaliação, por parte dos militares, chegou até a pedir que alguns deputados votassem contra, na eleição indireta.

O que se sabe, é que a estratégia de não provocar a ira dos militares, não deu totalmente certo, e o Presidente eleito, Tancredo Neves, não aguentou a “pressão”, morreu, deixando para trás, um gostinho de vitória para os militares, já que Sarney cresceu, politicamente, sob este regime.

Sarney foi membro da UDN, no Regime Militar, Presidente da Arena e do PDS, sempre fiel ao mesmo partido, aliado do Governo, apesar  do partido sempre mudar de nome.

Sarney viu de perto o poder do Governo se esvair aos poucos, foi assim que em 1988 mudou radicalmente de posição, entrando no PMDB, partido tradicionalmente de oposição, durante todo o Regime Militar, de 1964 a 1986.

Note que José Ribamar, nome de registro de José Sarney, sempre esteve ao lado do poder. Ex-aliado de João Goulart, não pensou duas vezes para mudar de lado, a convite dos militares.

Segundo as más-línguas, não há um processo político, no Brasil, que não tenha passado pelas mãos de Sarney, um dos, verdadeiramente, maiores e mais competente políticos de todos os tempos.

Nos bastidores, Sarney sempre foi discreto, o único momento em sua longa carreira política em que se viu em situação desfavorável, foi quando foi Presidente do Brasil.

A era digital, e o rápido acesso a informação tratou de por panos quentes na política brasileira. E, foi assim que o cultuado, respeitado, renomado, com mais de cinquenta anos de política, atual imortal da Academia Brasileira de Letras, enfrenta, agora, um grande desafio, o poder ou a tradição.

Mesmo tendo levado o PMDB, tradicionalmente de oposição, para o lado do governo, não consegue evitar nem a divisão do PT, partido do Governo, nem de seu próprio partido, o PMDB.

O poder da família é tão grande que em frente ao Tribunal da Justiça do Maranhão pode se vislumbrar a grande estátua do patriarca da família, lembrando o grande Júlio César, em Roma.

Seu pai, Sr. Ney, deu seu nome ao filho. Conhecido como Sir Ney, passou, ao filho o nome Sarney.

Hoje Sarney só não detém o monopólio da comunicação, no Maranhão, porque a internet, ela de novo, constitui uma ferramenta capaz de romper qualquer entrave, quando o assunto é comunicação.

by Jânio

Textos Relacionados:

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

julho 15, 2009 Posted by | Política | , , , , , , | 39 Comentários

O sonho brasileiro se torna realidade.

o Brasil dos sonhos

o Brasil dos sonhos

O funeral de Michael Jackson foi, como não poderia deixar de ser, o mais divulgado. Durante uma semana, foi o mais divulgado e o mais transmitido pela tv.

Durante as transmissões, ouvi a expressão “american dream came true”, o sonho americano se realizou. Isso fazia parte das várias homenagens recebidas por Michael, ao longo de sua carreira, incluindo celebridades e até Presidente da República.

Pelo menos em uma coisa somos parecidos com os americanos, na hora da morte, devemos ressaltar os bons momentos, as lições de vida, os exemplos que queremos divulgar aos nossos filhos.

Eu fiquei pensando em como a cultura americana é distinta da brasileira, eles sempre se lembram do “american dream”, como o grande objetivo a ser alcançado, a grande meta. Enquanto no Brasil, as pessoas tem vergonha de se assumirem ricas, chamar uma pessoa de rica, no Brasil, constitui uma grande falta de etiqueta. Nos Estados Unidos, é motivo de orgulho ser rico.

Mas, afinal de contas, qual é o sonho do brasileiro? – uma pergunta difícil de responder. Em minha infância, ir para o céu era nosso grande objetivo, até que eu descobri que para ir para o céu tínhamos que morrer primeiro, naquela idade eu morria de medo de morrer (desculpem-me o trocadilho infame), hoje nem tanto.

Na adolescência os sonhos passaram a ser outros, a religião deu lugar a rebeldia, a contestação e a ideologia, que continua até hoje comigo. Quem não tem ideologia, como disse o Antônio Regly, é um vira-lata, não cheira e nem fede. Uma pessoa pode ser má ou ser boa, nunca assumir papel de neutralidade perante a sociedade.

Eu tinha vários amigos que se reuniam em bares, sem minha presença, é claro, cujos sonhos era ver seu time campeão, o que era pouco para mim.

Nos bares, conviviam harmoniosamente: as prostitutas, estudantes, políticos, traficantes, profissionais liberais, comerciantes e todas as outras classes representativas da sociedade em que vivemos.

Era tudo muito harmonioso, com pequenos atritos naturais entre as classes. A vida continuava, enquanto cenas de suas vidas passavam em suas mentes, embriagadas pelo álcool, se esquecendo de seus verdadeiros sonhos.

Fora dali, muitos pensávam, falavam, articulavam, na maioria das vezes voltados para seus próprios interesses. A única certeza é a de que não ficaria nada para seus descendente, nem mesmo o nome, já que não temos muita tradição, manter a tradição nunca fez parte de nossa cultura.

Apesar de não terem muita tradição também, os americanos sempre trabalham e acreditam que podem vencer na vida, acreditam na sua justiça, defendem o seu Presidente e, mesmo em momentos de crise, falam menos em crise do que nós brasileiros, que falamos o tempo todo.

Os americanos gostam de lutar, mesmo que a causa não seja diretamente ligada a sua.

Os americanos acreditam que sempre haverá riqueza suficiente para todos dividirem. No Brasil, tirando o que vai para os políticos, pouco sobra para se dividir; sonhar, no Brasil, só para poucas pessoas, reclusas em manicômios, que perderam a noção da realidades e ainda são felizes.

O único vestígio de esperança  para os brasileiros veio com a internet, por mais que tentem censurar, a palavra é passada, quando a censura chega aos provedores, usam-se provedores estrangeiros de países onde reina a anarquia absoluta; se a censura chega a telefonia, há alternativa do rádio, pensa-se até em rede elétrica; até a China sofre o impacto do avanço da internet.

Os poucos meios de comunicação que dominavam o mercado, aos poucos, vão cedendo  lugar as novas tecnologias, que tem na internet o seu centro de dados.

Os poucos dinossauros que dominam a política, mostram que ainda estão fortes, que tem intenção de passar o reinado adiante, mas os novos tempos insistem em afirmar que isso não acontecerá. Tudo leva a crer que seus descendentes terão uma grande decisão a tomar, ou escondem sua cara, ou escondem seus nomes; havendo até a possibilidade de mudança, negando a própria identidade.

Pelo menos na internet isso já aconteceu, não me lembro de ter visto nenhum figurão da política que fosse reconhecido como tal, no mundo virtual. No Twitter, a febre do momento, duas celebridades se estranharam, depois de ultrapassarem 135 mil e 140 mil seguidores respectivamente.

Na internet, popularidade implica em responsabilidade, como deveria ser lá fora também, isso eles aprendem da pior maneira possível, bem lá no fundo de seus egos.

Eu tenho um sonho, o de um dia poder perguntar qual é o seu sonho, e você me responder: “Eu quero viver honestamente, acredito que o Brasil tem riqueza suficiente para todos, passarei para meu filho a riqueza que acumulei ao longo de toda a minha vida, mas o mais importante, passarei para meus filhos e netos, meu nome, minha cultura e a certeza que eles deverão manter a Justiça, moral e os bons costumes sob pena de quebrar uma longa tradição de seus antepassados”.

by Janio

julho 8, 2009 Posted by | Reflexões | , , , , | 2 Comentários

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: