Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Seis logotipos mais polêmicos da história

Londres 2.012

Logotipos Polêmicos

Quando uma empresa cria seu logotipo tem como objetivo chamar a atenção de seu possível cliente ao representar seus objetivos. No entanto,  esses logos podem causar indignação e críticas entre alguns consumidores que podem ter uma percepção  inesperada do design.  Apresentamos a seguir  seis logos que causaram esses problemas para seus criadores.

Cara feliz de um “psicopata”

Quando, em junho de 2015, a IHOP, uma rede de restaurantes americana especializada em café da manhã, comunicou através das redes sociais que atualizara seu logotipo, o qual consistia em adicionar um sorriso abaixo das letras, desencadeou uma onda de críticas de clientes , que acusaram a empresa de adicionar uma expressão sinistra a sua imagem corporativa. Assim, o editor da revista ‘Fast Co Design’, Mark Wilson, disse que, em vez de um sorriso, via no novo emblema “o azul e vermelho de um circo e dois olhos esbugalhados com uma combinação de cafeína e anfetaminas .. . Este é um palhaço no limite de uma total psicopatia “, disse a jornalista da BBC.

Psyco Smile

Cara de psicopata

Símbolos satânicos

A  multinacional americana Procter & Gamble teve que mudar seu logotipo ‘Man on the Moon “, criado em 1851, depois de ser acusada ​​de ligações com o culto satânico nos anos 80 do século 20,. Críticos afirmam que os cachos de cabelo e barba do homem escondiam os chifres de Satanás e o número 666 invertido, representando a “marca da besta”.  Além disso, surgiram rumores de que a multinacional doara muito dinheiro para um culto satânico. Diante dessas acusações, a P & G decidiu retirar os cachos de seu logotipo em 1991. Vale ressaltar que, em 2007,  a  Procter & Gamble ganhou um processo multimilionário contra uma empresa rival que espalhava  falsos rumores relacionando a P & G aos cultos satânicos.

culto ao satanismo

Logotipo Satânico

Velas para piratas

Em setembro de 2014, a empresa de tecnologia Corsair revelou seu novo logotipo, semelhante a dois sabres cruzados e alguns usuários compararam com tatuagens que algumas mulheres fazem na parte inferior das costas. Os usuários do videojogo ainda recolheram assinaturas exigindo que o logotipo fosse alterado. A Corsair reagiu às críticas e em Junho de 2015 retornou ao design anterior.

 velas

Sionismo em todas as partes?

Ao contrário dos exemplos acima, a indignação pelo logotipo dos Jogos Olímpicos de Londres 2012 foi registrada a nível internacional. O emblema, desenhado pela agência Wolff Olins, provocou um protesto formal por parte do Irã, que viu nos números 2012, as letras ‘Zion’ (‘Sion’ em Inglês, que em alguns casos está associada com Israel e ao sionismo) . Teerã disse, em uma carta ao Comitê Olímpico Internacional (COI), que não iria participar das competições se o logotipo não fosse alterado.  As alegações iranianas não foram aceites e, eventualmente, o país não boicotou os Jogos.

olimpíadas polêmica

Londres 2.012

Um assassino no logotipo?

A diretora-executiva de uma instituição local dedicada a ajudar as mulheres vítimas de abuso, desencadeou a polêmica sobre o novo logotipo e mascote do time de beisebol canadense  London Rippers  em 2.012.  Para muitos parecia que  a imagem representava o assassino em série do século XIX, Jack, o Estripador. A equipe foi desmantelada alguns meses após o escândalo.

Marca do Assassino

Jack o estripador

Pessoas contra mascotes

A equipe de futebol Washington Redskins continuam usando a  imagem de um nativo americano, apesar de ter sido repetidamente acusada de insensibilidade racial. Outro logotipo controverso, Chief Wahoo da equipe de beisebol dos Cleveland Indians,, se por um lado ele foi removido em 2014, como o símbolo principal,  ainda está presente no uniforme.

Mascotes

Insensibilidade Racial

Fonte: RT-TV

setembro 17, 2015 Posted by | Arquivo X | , , | 1 Comentário

Casos políciais mais comentados e polêmicos

crimes polêmicos

Assassinato de Mércia

Quando a justiça deixa de funcionar num país, as pessoas também deixam de acreditar nela.

Há um ditado popular que diz: “A ocasião faz o ladrão”. Quando as pessoas ficam indefesas, numa terra sem lei, num regime de canibalismo, onde noventa por cento da renda vai para os dez por cento mais ricos, hipoteticamente falando, fatos bizarros começam a acontecer.

As classes mais pobres vivem como crianças indefesas, diante da criminalidade. Os jovens ricos e sem nenhum escrúpulo, são os maiores beneficiados pela sociedade que protege os ricos.

Nos últimos anos, as famílias ricas  tem sentido na pele a violência gerada em seu próprio meio, em alguns casos tem sido feita a justiça.

Dizem que um bandido de classe privilegiada só será condenado, exclusivamente, quando atentar contra sua própria classe, essa é a única lei que não atinge os pobres. Assim, o bandido que mata outro bandido, será condenado, mesmo que ninguém denuncie; filhos que matam pais, ou o contrário; políticos que roubam dos próprios políticos, etc.

A cultura latina, apesar de grandes líderes populares ou revolucinários, como Simon Bolívar, San Martin, Che Guevara, não conseguem se adaptar a um sistema satisfatório de distribuição de renda. Fazer política, distribuindo cesta básica, é diferente de se criar leis que valorizem as classes operárias.

Para nossos ricos, não importam o que seus filhos façam, eles podem.

Recentemente, tem ocorrido crimes que tem origem nessa falta de noção de nossos ricos. Eles tem sido vítimas em seu próprio meio, uma realidade que começa a ser desvendada pelas novas tecnologias.

Na maioria dos casos, o dinheiro resolve o problema mas, vez por outra, uma tragédia acontece.

Os casos mais curiosos são aqueles que acontecem na instituição mais forte da sociedade, a família.

A seguir, vamos relacionar os casos que mais repercutiram na mídia:

Caso Suzane von Richthofen: Acompanhada dos irmãos Daniel e Christian Cravinhos, namorado e irmão dele, antagonizaram um dos maiores escândalos da alta sociedade brasileira, a mídia tentou inutilmente associá-los ao famoso Barão Vermelho, oficial nazista responsável por abater vários aviões aliados, na época da segunda guerra.

A velha estratégia de transformar pessoas normais e mal educadas em monstros, não deu certo, a própria família do antigo oficial negou o parentesco.

O motivo de Suzane ter planejado o assassinato de seus próprios pais, teria sido a impossibilidade de continuar o namoro, além da herança que fecharia o romance com chave de ouro.

Diz o ditado que o diabo manda cometer o pecado, mas não diz como, há até quem diga que Deus e o Diabo estão em nós mesmos. em nossa própria consciência, cabe a nós decidirmos o destino a ser traçado. Ninguém pode afirmar ao certo o que acontece, em crimes como esse, o que se sabe é que há o envolvimento e há consequências.

Tudo fica na mão do  promotor e advogado de defesa: Como os assassinos entraram, quem abriu a porta, como foi o planejamento, etc. É um caso clássico de paixão violenta, onde a falta de estrutura familiar é responsável para que essa paixão realize o que outros apenas pensam ou falam.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Suzane_von_Richthofen

Isabella de Oliveira Nardoni – Outro caso clássico de falta de estrutura familiar. A gravidez indesejada de Ana Carolina, a separação prematura, quando Isabella ainda era bebê.

O que aconteceu naquele apartamento, só a própria Isabella soube, mas levou a verdade junto com ela.

Ao contrário do caso anterior, nesse o réu não confessou, continuou uma família unida. Segundo uma opinião, no post mais comentado da história do madeinblog/icommercepage, havia uma pressão provocada pelo atrito entre o casal Nardoni e a ex-mulher.

O casal não mostrou arrependimento, isso explica a frieza com que enfrentaram o julgamento, do início ao fim.

No processo, conclui-se que Isabella teria sido jogada do sexto andar do prédio London, todo o processo foi baseado no horário do telefonema, horário registrado pela câmera, etc. A justiça dos homens se tornou a justiça das máquinas, nada mais irônico e compatível com os novos tempos, numa sociedade fria e desumana.

O casal foi sentenciado de acordo com suas idades, não se sabe se foi involuntário ou de propósito, o fato é que se tiraram uma vida, toda sua vida também ficou perdida. Ficarão na cadeia por um período igual ao que tinham vivido, antes de tirar a vida de Isabela – A pergunta continua – Quem matou? – Seria preciso um casal para matar a menina?

Segundo o processo, a menina teria sido agredida no carro, então levada para cima e sido atirada. Se a menina estava inconsciente e o pai pensou que ela estava morta, atirando-a; se a rede já havia sido cortada; se houve participação da madrasta; se foi a madrasta quem matou; nada disso nunca será exclarecido. A única certeza é que o casal não confessou e foram ambos presos, revelando-se um caso atípico: De um lado uma família que deveria viver de acordo com a lei, educada; De outro, o próprio símbolo que deveria representar a justiça na sociedade, dominada por essa classe social, a Lei.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Isabella_Nardoni

Caso Mércia – Esse caso ainda não foi solucionado, mas as semelhanças com os outros é evidente.

A mídia dificilmente deixará de acompanhar o caso escolhido para ser o reality da vez.

Mércia era sócia de seu namorado Mizael Bispo de Souza, que também era ex-policial – Todo mundo sabe que amor e negócios não combinam.

Na época do desaparecimento de Mércia, ela teria recebido um telefonema do ex-namorado, ex-sócio e ex policial, quando seu carro foi visto jogado no lago, a história ficou mais misteriosa – ou menos.

Agora, o ex-namorado é o principal acusado pela morte da advogada. Toda a polícia e a mídia ficará mobilizada para esse caso, especulando e julgando, enquanto o resto do mundo ficará esquecido.

Todos as pessoas que tiverem paciência para assistir televisão, enquanto esse caso é investigado, serão envolvidos e convidados a acompanhar esse reality até o seu fim, podendo inclusive votar pelo seu desfecho.

 http://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_M%C3%A9rcia_Nakashima
Caso Eliza – Quis o destino que outro caso surgisse, antes mesmo que o caso Mércia fosse desvendado. Teria sido um caso comum, sem repercussão, se um dos principais envolvidos no assassinato não fosse goleiro do time de futebol do Flamengo, segundo time mais popular do Brasil, um dos maiores do mundo.

Eliza teria engravidado do goleiro, que não teria gostado nada – mais um caso de gravidez indesejada – Eliza teria, inclusive.  dado entrevista afirmando que seria morta.

Um terceiro elemento, não menos importante no caso, era o amigo de Bruno. Segundo Bruno, era seu amigo que cuidava de seus assuntos pessoais, seu mais que secretário, tendo até tatuagens de seu nome no corpo.

O caso ainda não foi desvendado, mas deverá ser o principal concorrente  do caso Mércia.

Pelo visto, tão cedo, será difícil de assistir aos telejornais.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Eliza_Samudio
Caso Daniela Perez – Esse foi um caso raríssimo, onde a novela estava em horário nobre, literalmente falando.

Daniela Perez desapareceu, sendo seu parceiro na trama, o principal acusado. Pelo visto, foi o último a ver a vítima.

Também nesse caso, a namorada do acusado estava envolvida.

Uma realidade poucas vezes visto na TV, o processo de investigação revelou que a vítima foi submetida a práticas de magia negra, tortura, seguida de morte.

A autora da novela iniciou então uma campanha, não para que ele fosse condenado, mas para que se instituísse  a lei do crime hediondo.

O réu era primário, foi tratado como qualquer condenado da justiça. A lei do crime hediondo foi discutida amplamente, mas pouco se pode fazer.

Pelo que parece, não há tanto interesse em se alterar as leis no país, se bem que as alterações só valeriam para as pessoas da alta sociedade.

Os pobres sequer tem dinheiro para contratar um advogado, ficam anos na cadeia por roubar um pacote de leite.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Caso_Daniela_Perez

Altos impostos => corrupção => desvio de verbas => falta de infra-estrutura => falta de justiça => falta de educação => alta criminalidade.

… e a história se repete

By Jânio

julho 24, 2010 Posted by | Policia | , , , , , , , , , , , , , , , | 17 Comentários

Textos proibidos de autores brasileiros

anjo pornográfico

Nelson Rodrigues

A maioria dos intelectuais tem, entre as suas principais características, o fato de não terem limites, além, é claro, de uma habilidade incrível com as palavras.

Ao longo dos tempos, foram criadas várias formas de disfarçar seus sentimentos e o que eles pensam.

Essas maneiras de falar e de se expressar apavorava  a burguesia, aristocracia, ou seja lá como se chame a classe média alta, esses intelectuais sempre foram uma grande ameaça ao jeito hipócrita de ser.

Normalmente as pessoas de sociedade não expressam o que verdadeiramente pensam, todas as palavras são elaboradas minuciosamente para que haja o equilíbrio.

A política sempre foi a área mais sensível, onde essa técnica foi elaborada ao limite, para explicar os crimes e falta de respeito, e justiça,  para com as pessoas.

Do outro lado estão as classes marginalizadas como artistas de underground, traficantes, prostitutas, moradores de rua,favelados, etc.

Durante muito tempo pensou-se que marginalidade era sinônimo de falta de cultura, mesmo sem saber o que de fato era cultura, mas isso tem mudado. Hoje, sabemos que há muitas mentes brilhantes do lado de lá, muita gente que tem muito o que ensinar e a mostrar.

Na história do mundo, o conceito sexual sempre foi o mais polêmico e marginal, muitos plebeus e nobres se destacaram pela sua postura pouco ortodoxa de viver e pensar. Nostradamus, Copérnico, Casanova, Marquês de Sade, são vários nomes que desafiaram os conceitos pré-estabelecidos pelo sistema.

No Vaticano, segundo as más línguas haveria uma infinidade de livros proibidos, que não se encaixam aos novos tempos, proibidos de serem vistos. Até os contos populares da idade média, como Branca de Neve e Chapeuzinho Vermelho foram adaptadas, há entretanto uma história que eu diria que vazou pelas garras da censura, a história de Joãozinho e Maria.

Nenhuma área está livre desse controle: artes, educação, cultura, política, religião, tudo está sob a guarda da moral e dos bons costumes.

No Brasil, temos alguns exemplos clássicos de intelectuais que não conseguem toda a liberdade de expressão que gostariam, alguns, ficam no anonimato até a sua morte, outros seguem lutando contra o sistema até se destruírem por completo.

A seguir apresentamos alguns textos que são considerados “malditos” pelo sistemas. Seus autores nunca foram reconhecidos em vida, curiosamente, depois de mortos, seus nomes começaram a figurar entre as maiores celebridades nacionais de todos os tempos.

Raul Seixas, o maluco beleza, nunca se encaixou no sistema, mesmo com a chegada da maturidade ele mostrava uma certa insatisfação com o sistema, mesmo deixando claro que não pagaria o preço exigido pela sua postura.

“Se esse amor

Ficar entre nós dois
Vai ser tão pobre amor
Vai se gastar…

Se eu te amo e tu me amas

Um amor a dois profana

O amor de todos os mortais

Porque quem gosta de maçã

Irá gostar de todas

Porque todas são iguais…

Se eu te amo e tu me amas

E outro vem quando tu chamas

Como poderei te condenar

Infinita tua beleza

Como podes ficar presa

Que nem santa num altar…

Quando eu te escolhi

Para morar junto de mim

Eu quis ser tua alma

Ter seu corpo, tudo enfim

Mas compreendi

Que além de dois existem mais…
Amor só dura em liberdade

O ciúme é só vaidade

Sofro, mas eu vou te libertar

O que é que eu quero

Se eu te privo

Do que eu mais venero

Que é a beleza de deitar…

Quando eu te escolhi

Para morar junto de mim

Eu quis ser tua alma

Ter seu corpo, tudo enfim

Mas compreendi

Que além de dois existem mais…

Amor só dura em liberdade

O ciúme é só vaidade

Sofro, mas eu vou te libertar

O que é que eu quero

Se eu te privo

Do que eu mais venero

Que é a beleza de deitar”

Raul Seixas

Podemos dizer que Chico Buarque é uma exceção entre os chamados malditos. Politicamente engajado, Chico Buarque era atuante e inteligente suficiente para lidar com sua condição e seu modo de se expressar.

Isso não quer dizer que não tenha enfrentado problemas com isso, mas entre suas obras estão verdadeiros clássicos.

Chico sempre enfrentou o sistema com muita ironia. O sistema mudou, ele não

“Agora eu era o herói

E o meu cavalo só falava inglês

A noiva do cowboy

Era você além das outras três

Eu enfrentava os batalhões

Os alemães e seus canhões

Guardava o meu bodoque

E ensaiava o rock para as matinês

Agora eu era o rei

Era o bedel e era também juiz

E pela minha lei

A gente era obrigado a ser feliz

E você era a princesa que eu fiz coroar

E era tão linda de se admirar

Que andava nua pelo meu país

Não, não fuja não

Finja que agora eu era o seu brinquedo

Eu era o seu pião

O seu bicho preferido

Vem, me dê a mão

A gente agora já não tinha medo

No tempo da maldade acho que a gente nem tinha nascido

Agora era fatal

Que o faz-de-conta terminasse assim

Pra lá deste quintal

Era uma noite que não tem mais fim

Pois você sumiu no mundo sem me avisar

E agora eu era um louco a perguntar

O que é que a vida vai fazer de mim?

Chico Buarque

Nélson Rodrigues sempre teve habilidade para escrever, e foi assim que criou suas obras clássicas.

Aparentemente inspiradas em casos reais, criava crônicas explicando as personalidades doentias de pessoas ditas normais, mas que na verdade eram estranhas até pelo ponto de vista dos marginalizados.

“Sou um menino que vê o amor pelo buraco da fechadura. Nunca fui outra coisa. Nasci menino, hei de morrer menino. E o buraco da fechadura é, realmente, a minha ótica de ficcionista. Sou (e sempre fui) um anjo pornográfico(desde menino).”

O filme e o livro contam a história da família Noronha e, em especial, de Silene. Ela é a caçula das cinco filhas de Aracy e Seu Noronha. Seu Noronha, um contínuo da Câmara de Deputados, mora no Grajaú com a mulher, D. Aracy, e suas filhas Aurora, Hilda, Débora, Arlete e Silene, de apenas 16 anos. Esta, a caçula, é a mais mimada de todas e, por ser a única “pura”, tem o direito a uma boa educação em um colégio interno. Mas logo a vida deles toma um rumo diferente, quando a garota é acusada, no colégio, de matar a pauladas uma gata grávida. A família Noronha parece tão normal quanto qualquer outra, mas, por trás das aparências, esconde segredos inconfessáveis. As quatro filhas mais velhas se prostituem para garantir a castidade e a boa educação de Silene. A partir do incidente ocorrido na escola, descobre-se a jovem não é pura como todos pensam.

– Num adultério, há homens que preferem ser o marido, não o amante. Os homens adoram ser traídos.

– Todo amor é eterno e, se acaba, não era amor.

– Toda mulher bonita é um pouco a namorada lésbica de si mesma.

– No Brasil, quem não é canalha na véspera é canalha no dia seguinte.

– O Sábado é uma ilusão.

– Aos dezoito anos, o homem não sabe nem como se diz bom-dia a uma mulher. O homem devia nascer com trinta anos feitos.

– O amigo trai na primeira esquina. Ao passo que o inimigo não trai nunca. O inimigo é fiel. O inimigo é o que vai cuspir na cova da gente.

– Toda mulher gosta de apanhar.

– O Natal já foi festa, já foi um profundo gesto de amor. Hoje, o Natal é um orçamento.

– Qualquer menino parece, hoje, um experimentado e perverso anão de 47 anos.

– Se cada um conhecesse a intimidade sexual dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém.

– Toda unanimidade é burra.

Nelson Rodrigues

Cassandra rios é um caso raro na literatura brasileira, escrevia sobre uma temática pouco convencional, a homossexualidade feminina. Nunca esteve entre os grandes nomes da literatura nacional, nem foi membro da Academia Brasileira de Letras, apesar disso, alguns de seus livros foram adaptados para o, também. marginalizado cinema nacional.

O filme Ariella, além de ser uma obra de arte de Cassandra, também inspirou a carreira de alguns artistas brasileiros.

“Mãos dadas!

Tu e eu!

Sempre de mãos dadas!

Fizemos amor assim!

Sentimos o gozo percorrer nossos corpos

entre arrepios que surgiam

da palma das nossas mãos unidas,

dedos entrelaçados!

Viste, amor! Isso é a eletrostática da

alma!

Aquele arrepio que sentimos,

quando nos olhamos

e quando estremecemos de emoção

só no simples gesto de mãos dadas!

Que extraordinária força

descobrimos em nós

quando vibramos simultaneamente

a esse simples contato.

É a eletricidade da vida que explode em amor!”

Cassandra Rios

Fontes:

Wikipedia

Portal Terra

Crítica e texto: By Jânio

julho 16, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , | 11 Comentários

Filmes polêmicos que deram muito o que falar

polêmica bíblica

Filme mais polêmico

1 -The Passion Of The Christ – A Paixão de Cristo –

A vida de Jesus Cristo já é, por si só, muito polêmica, ninguém poderia imaginar que Mister Gibson fosse provocar tanta controvérsia, concentrando apenas nas últimas horas de vida de jesus Cristo, mas ele conseguiu.

Talvez Mel Gibson seja o católico mais famoso do mundo, depois do Papa naturalmente, isso influenciou muito no ponto de vista do filme, na questão de quem matou Jesus, quem foram os verdadeiros culpados.

A sociedade não muda, sempre haverá uma elite, com seus interesses obscuros, sempre haverá um grande rebanho abandonado à própria sorte, onde um pastor decidirá seus rumos, a Bíblia poderia disciplinar isso, mas ela já foi separada do estado para evitar o pior.

Mel Gibson arriscou toda sua reputação, já que grande parte dos produtores e profissionais de Holywood é judeu. ao iniciar esse filme, acusado inclusive de ser anti-semita. O filme é extremamente violento, talvez não tanto quanto a realidade daqueles tempos, mas, com certeza, bem menos que o suportável para as mentes de hoje. Evidentemente que eu estou falando da violência física, e certos setores, como as comunidades das favelas não estão incluídas.

2. A CLOCKWORK ORANGE (1971) – A Laranja Mecânica – Stanley Kubrick sempre esteve entre os maiores diretores da história, o que não é pouco, mas ele tem uma vantagem sobre a maioria, ele conseguiu se aventurar em todos os Gêneros, e, em todos eles, manteve seu estilo incomparável, tornando-se referência inclusive.

Em 2.001 – Uma Odisseia no Espaço, aproveitou um best seller que, supostamente, seria profético, mostrando o homem viajando pelo espaço, a falta de gravidade e de tempo, fora do planeta.

Assistindo ao filme, temos uma ideia do porque algumas pessoas não acreditarem que o homem tenha ido a lua; através do filme de Kubrick, tem-se a certeza que uma montagem seria perfeitamente possível, tamanha perfeição das imagens fictícias; só ficou um problema, como explicar um livro, tão complexo, em duas ou três horas de filme? – nem mesmo a consultoria do autor do livro resolveu o problema, resultado: surgiram muitos sites especializados para explicar o filme e interpretar o livro.

Kubrick dirigiu lolita, sobre a história de um pedófilo (drama); Spartacus, sobre um gladiador romano, ex-escravo, que desafiou o poder de Roma (épico); O Iluminado, mostrando uma visão assustadora da obra de Stephen King (terror).

Até seu último filme “De Olhos bem fechados”, mostra um momento em que Kubrick prevê seu final, o momento em que as cortinas se fecham, deixando claro que deveria aproveitar cada minuto. No caso de inteligência artificial, fica claro que Spielberg exorcizou Kubrick.

Para quem conhece a obra de Stanley Kubrick, e tem um mínimo de bom senso, fica a pergunta: “Porque Laranja Mecânica foi considerado um filme proibido, censurado até o final da década de 80?”.

O filme narra a história de um psicopata que comanda uma gangue perversa, até ser preso e submetido a uma lavagem cerebral, mas algo sai errado, é impossível sobreviver no mundo de hoje, sendo bonzinho.

Numa coisa os censores tem razão, Stanley Kubrick provoca: em cada cena, mostra os erros, como podemos ser normais num mundo tão caótico. Ele chega a insinuar que os psicopatas é que são naturais, por agirem exatamente como o sistema os transforma, sendo nós os loucos (talvez seja uma interpretação minha, mas tudo bem).

3. FAHRENHEIT 9/11 (2004)

Estrelado e dirigido por Michael Moore, esse documentário é polêmico ao referir-se ao atentado do dia 11 de setembro (11/9 ou 911), polêmico para os americanos; também chama a atenção para os verdadeiros motivos da invasão do Afeganistão e Iraque, o que, na verdade, não teria nada a ver com o atentado. Aqui, começou a ruína da família Bush, história que começou com o garoto propaganda de Hollywood, Ronald Reagan.
DEEP THROAT (1972)

Eu não entendi o motivo de um filme adulto ser considerado polêmico, mesmo a temática sendo um pouco forte. Melhor nem entrar em detalhes.

5. JFK (1991)

Ninguém, em sã consciência, poderia duvidar de uma conspiração, conhecendo a história do assassinato de John Kennedy, principalmente depois que seu irmão teve o mesmo destino. A questão, para os americanos, é: “Havia, realmente, uma conspiração dentro da suposta sociedade perfeita, ou esses assassinos seriam apenas psicopatas, casos isolados?” – Oliver Stone responde.

Oliver Stone não é polêmico para nós, é polêmico para o próprio povo americano que não consegue ver o óbvio. Se tivessem um mínimo de senso crítico, hoje não estariam nessa situação.
6. THE LAST TEMPTATION OF CHRIST (1988) – A última tentação de Cristo

Estava na cara que a ideia de mostrar Jesus Cristo como uma pessoa comum, não ia dar certo, só mesmo a França, a capital do cinema polêmico, para imaginar isso. Uma pessoa comum tem muito erros, muitos acertos; difícil é mostrar os erros.

7. THE BIRTH OF A NATION (1915) O Nascimento de uma Nação

Bom, primeiro, vamos ver a data do filme; Agora, vamos imaginar que os Estados Unidos tenham sido o primeiro país a aprovar uma lei eugênica, de segregação racial, sendo proibido o casamento entre raças no Alabama até a década de 80, sem se esquecer que o racismo americano é especificamente contra os negros; agora imagine um filme mostrando, em 1.915, todo o contexto cultural da segregação racial e a importância da Ku Klux Klan para a cultura racista americana.

Eu vou ficando por aqui, para não me complicar ainda mais: Bom dia! Boa tarde! Boa noite!
8. NATURAL BORN KILLERS (1994) Assassinos por natureza

Se você sempre imaginou o que aconteceria quando a mente insana de Quentin Tarantino se encontrasse com o polêmico diretor Oliver Stone, eis a resposta.

A história começa com um casal de apaixonados que adoram matar, mas sempre deixam um vivo, para contar a história – a semelhança com Bonnie e Clyde começa e termina aqui, até porque Bonnie e Clyde é uma história real. Quando a mídia entra na história, eles vão parar na tv, transformando tudo num grande espetáculo.

9. LAST TANGO IN PARIS (1972) – O último tango em Paris

Eu nunca descobri se o filme se tornou polêmico pela sua temática, ou se foi a presença de Marlon Brando no elenco. Todos nós sabemos da importância de Marlon Brando. A idéia de ver o mito em um filme erótico, chamou a atenção do público e da censura também.

10. BABY DOLL (1956) – A voz do Desejo

A história de Tennesse Williams, dirigido por Elia Kazan, o filme foi premiado no Oscar, com quatro prêmios, e no globo de ouro, apesar disso, a comunidade católica não se sensibilizou com a história de uma menina que se casa com um homem, sendo que o casal se envolve com um empresário que explora a ambos. Será que eu notei uma pitadinha de underground aqui?

11. THE MESSAGE (1977) A menssagem

Anthony Quinn é Maomé um homem devoto a Deus, segue os ensinamentos como reza a tradição, por isso é banido, junto com seus seguidores de Meca para Medina. A polêmica do filme, começa no fato de o Profeta Maomé não poder ser imaginado e nem descrito, sob pena de cometer-se um grande pecado.

Ah! Eu ia me esquecendo, se há um homem que gera mais polêmica que Jesus Cristo, esse homem é Maomé.

12. THE DEER HUNTER (1978) – O Franco Atirador

Essa foi uma das primeiras história a mergulhar fundo nas questões envolvendo a Guerra do Vietnã. Uma guerra que nunca deixou muito claro o papel dos americanos; uma guerra que mostrou tudo, menos a verdade que o povo cobra até hoje, mas que insiste em aparecer nos filmes e na ficção.

13. THE DA VINCI CODE (2006)

O Código da Vinci seria, na minha opinião, o inverso do “A Paixão de Cristo”. Tentar mudar a história da Bíblia, supor que o vaticano oculta segredos em suas salas, em seus antigos livros sagrados, pode ser perigoso. Além de querer insinuar e ver Jesus Cristo como uma pessoa humana, o filme não esperou o ataque do vaticano, partiu logo para a ofensiva.

14. THE WARRIORS (1979) – Os Selvagens da Noite

Esse filme foi o primeiro a mostrar a realidade das ruas, como vivem as gangues. A idéia de abandonar a ficção e mostrar a realidade, gerou uma reação violenta entre as próprias gangues, coisa que nem o diretor do filme imaginava.

15. TRIUMPH OF THE WILL (1935) – O Triunfo da vontade

“Filme feito por Nazistas, para nazistas e sobre nazistas”. Seria tudo muito simples, se não fosse o filme/propaganda, ser feito à imagem e a pedido de Adolf Hitler, com participação do próprio nos créditos do filme. O filme mostra o começo de tudo, o desenvolvimento do congresso do Partido Nacional Socialista, na Alemanha.

16. UNITED 93 (2006) – O Vôo United Airlines 93

A história é referente ao dia 11 de setembro de 2001, o dia do atentado às torres gêmeas. É bom não se esquecer que eram quatro aviões, sendo que três atingiram seus alvos, deixando os americanos com uma certeza, os EUA já não são mais os mesmos, a ficção se tornou realidade; um espetáculo aterrador que foi assistido ao vivo, principalmente o segundo avião a se chocar.

Foi quase uma visão do apocalipse, deixando muitas dúvidas sobre possíveis interesses obscuros nos ataques.

17. FREAKS (1932)

Em um circo, a trapezista Cleópatra tem um caso com Hércules, o homem forte, mas se casa com um anão, herdeiro de uma grande fortuna, o que gera uma série de situações posteriormente.

Eu não vi nada de polêmico, mas o filme foi proibido até os anos 60, e era considerado o filme de terror bizarro, para pessoas anormais, pelo menos para os padrões sociais americanos.

18. I AM CURIOUS (YELLOW) (1969) – Amarelo

O filme sueco mostra muita violência e cenas de sexo, acompanhado do drama da personagem principal, contracenando com ideias filosóficas.
19. BASIC INSTINCT (1992) Instinto Selvagem

Esse filme coincide com o início da decadência americana, Hollywood já não era mais a mesma. O filme, em si, tirando as cenas explicitas de Sharon Stone, seria apenas mais um bom e descartável filme polícial, no estilo psicopata, mas o diretor preferiu fazer o que mais gosta, provocar.

20. CANNIBAL HOLOCAUST (1985)

Sabe aqueles filmes de terror que dizem que é assustador, e você não assiste, porque sabe muito bem o que vai encontrar? – Esqueça! – esse filme passa dos limites, não é terror, é mais no estilo reality show. O problema é que o realismo foi tão forte que gerou desconfiança, o resultado você já imagina, não é mesmo? – todo mundo na cadeia.

Quando mostrei o filme para um conhecido meu, um grande maluco, avisei, é por sua conta e risco. Ele entendeu o recado e não assistiu, eu fiquei me perguntando porque uma pessoa normal, como eu, teria assistido – Seria curiosidade?

21. BONNIE AND CLYDE (1967)

Eu não entendi o porque da polêmica desse filme, tudo bem que é violento para a época e que mostrar pessoas da classe média se aventurando no mundo do crime, não ficava bem para os americanos. Eu vi nesse filme, uma versão do nosso bom e velho “Lampião”. Em época de crise, dois jovens se tornam assaltantes e desafiam a polícia – Seria porque eles eram dois jovens apaixonados, normais demais? – nas comunidades das favelas tem muito casos assim.

22. DO THE RIGHT THING (1989) – Faça a coisa certa

O filme é de Spike Lee, e Spike Lee é uma das pessoas mais engajadas do mundo, portanto, a questão racial será o tema principal.
23. KIDS (1995)

O filme mais polêmico de Gus Van Sant, em plena época de AIDS. A bela Chloe Sevign faz uma das jovens que desafia o perigo, em busca de sexo, drogas e rock and roll.

A sociedade odeia que se mostre essas realidades ocultas nas telas, não dá para acreditar que jovens assim habitem a nossa sociedade, sociedade americana, evidentemente.

24. CALIGULA (1980)

Essa foi a primeira super produção pornô da história, mas só isso não basta para ser um filme polêmico, é preciso incluir no elenco estrelas do cinema como: Richard Harris, Malcom Mcdowell, Peter O’Toole e Helen Mirren.

Esse filme foi dirigito por Tinto Brass, diretor de arte, mas que gosta de bancar o diretor pornô também. O filme também foi acrescido de cenas produzidas pela produtora Penthouse (Alguém foi enrolado aqui)

Podemos dizer que esse filme mostra o lado pessoal do homem que botou fogo em Roma, não literalmente, como o imperador Nero fez, mas sim metaforicamente. Se o polêmico imperador era cruel e perverso, isso nós já sabemos, mas o pouco de sanidade que poderia haver naquela mente doentia, acabou aqui.

25 Aladdin (1992)

A clássica história do gênio da lâmpada, que não se chama Aladdin, dessa vez imitando celebridades e políticos. A cena dos políticos foi cortada.

Se o filme foi polêmico, antes de 11 de setembro de 2001, imagine depois. Vamos dizer que depois de 11 de setembro, seria preciso pensar um pouco, antes de falar certas coisas.

Melhores filmes de ficção

Melhores filmes de viagem no tempo

Top Musicais

by Jãnio

maio 26, 2010 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , , , | 21 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: