Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Masacre en Orlando desde el interior del club

Difunde un video de la masacre en Orlando desde el interior del club minutos antes de ser asesinada

Publicado: 13 jun 2016 14:49 GMT | Última actualización: 13 jun 2016 15:00 GMT
 

Una de las víctimas del tiroteo masivo en EE.UU. compartió las imágenes de la tragedia con sus amigos en Snapchat.

 

Captura de pantallaAmanda Alvear / Facebook
 

Amanda Alvear, una estudiante de enfermería procedente de Davenport, de 25 años, grabó un terrorífico video del momento en que comenzaron los disparos en el club guy Pulse en Orlando, informa ‘The Daily Mail‘.

Durante la noche, la joven publicó varios videos en su perfil en Snapchat. Si bien al principio publicaba imágenes optimistas de bailes con música latina, el último video en su perfil muestra cómo el local se convierte en escenario de la sangrienta masacre perpetrada por Omar Mateen.

En la grabación, Amanda trata de explicar a la cámara lo que está sucediendo mientras se escuchan disparos de fondo. La joven, que se ve asustada, balbucea “tiroteo”, se da vuelta y entonces la grabación se corta.

La grabación fue publicada posteriormente en Facebook por su hermano Brian, quien confirmó la muerte de Amanda. “Sí, ella es Amanda, estuvo creando una historia en Snapchat durante toda la noche y esta es la última vez que alguien la vio. Después, recibió una llamada y respondió”, escribió Brian en su publicación.

La joven finalmente fue una de las víctimas mortales.

Video

Momento do massacre

RT-TV

junho 13, 2016 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

Sistema elitizado

covardia política

Massacre dos Professores

Beto Richa conseguiu demonstrar como a governabilidade pode ser cruel com pessoas desfavorecidas que ganham cerca de 1.900 reais mensais, os professores que participavam das manifestações contra a votação na assembleia dos deputados que pretendia tirar dinheiro dos professores para cobrir o rombo de sua própria administração anterior.

O governador Beto Richa disse haver baderneiros em meio aos manifestantes e lembrou o discurso de Álvaro Dias quando os professores foram massacrados pela polícia do Paraná para cumprir suas ordens. Álvaro Dias acabou com sua carreira no executivo, e não será diferente com Beto Richa.

Enquanto o governador tentava se explicar, a televisão mostrava meio a contragosto as imagens de um cão atacando um cinegrafista da TV. Somado às outras imagens de pessoas feridas, bomba de efeito moral e tiros de borracha com pessoas sangrando por todos os lados, ficou caracterizado uma violência que não se via há muito tempo no Paraná, mais precisamente desde o governo de Álvaro Dias, outro político do PSDB.

É claro que a televisão não tem nenhuma intenção de repetir essas imagens, já que o objetivo da mídia é atacar o PT e trazer de volta o PSDB, esquecendo-se que PT e PSDB são dois lados de um mesmo sistema, o sistema bipartidário. Enquanto o governo opta pelo populismo, voto de cabresto, a direita mostra sua força, passando autoridade de um sistema elitizado que pretende se apoiar na classe média alta, ricos modernos.

Fora isso, vale lembrar que os professores precisam ajudar a informar aos eleitores das responsabilidades do PT e PSDB, já que muita gente acha que a falta de água é culpa do governo federal.

By Jânio

Assembleia dos deputados vira zona de guerra no Paraná

Curitiba – Capital da lavagem de dinheiro

Política anti-democrática do Paraná

Governadores aposentados

maio 2, 2015 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

O massacre do sítio Caldeirão

misterios no ceará

Historia oculta

Sabe esses comentários que ultrapassam o nível de discussão, passando a fazer parte de um tema específico, muito mais próximo de nossa realidade? – Então, esse é o caso do comentário do Doutor Otoniel.

No post do genocídio da Tasmânia, Otoniel nos traz a tona velhos problemas brasileiros, daqueles que estamos familiarizados, massacres do tempo da ditadura, mas nunca conhecemos tudo o que de fato ocorreu.

Eu faço questão de lembrar sempre que Governo militar nunca deve ser confundido com ditadura. A ditadura ocorre quando há excessos, restrição à liberdade, restrição ao direito de imprensa, etc.

É preciso que se respeite os direitos de liberdade, sem os quais não somos cidadãos de pleno direito.

A minha pergunta é: Porquê depois de tantos anos, alguns erros do regime ditatorial ainda são ocultados da população brasileira? – Qual é o real motivo para a ocultação desses crimes tenebrosos que chocam a sociedade?

Será que, ainda nos dias de hoje, há poderes ocultos  que imperam em nossa democracia, sem que tomemos conhecimento?

A denúncia feita pelo Doutor Otoniel presidente da SOS – Direitos Humanos, sobre o massacre no sítio Caldeirão, no estado do Ceará, me deixa a impressão que há sim poderes ocultos que debocham de nossa frágil democracia.

A lei está sob o poder político, logo, ninguém ficará preso desde que tenha acesso a deputados, senadores ou até vereadores.

Uma parte de nossa história está enterrada no Ceará, a forma truculenta como esses poderes ocultos, presentes ainda hoje em nossa política, ditaram as regras como a sociedade deveria ser dominada pelo poder ditatorial.

Veja a denúncia completa:
DENÚNCIA: SÍTIO CALDEIRÃO, O ARAGUAIA DO CEARÁ – UMA HISTÓRIA QUE NINGUÉM CONHECE PORQUE JAMAIS FOI CONTADA…

“As Vítimas do Massacre do Sítio Caldeirão
têm direito inalienável à Verdade, Memória,
História e Justiça!” Otoniel Ajala Dourado

O MASSACRE APAGADO DOS LIVROS DE HISTÓRIA

No município de CRATO, interior do CEARÁ, BRASIL, houve um crime idêntico ao do “Araguaia”, foi o MASSACRE praticado pelo Exército e Polícia Militar do Ceará em 10.05.1937, contra a comunidade de camponeses católicos do SÍTIO DA SANTA CRUZ DO DESERTO ou SÍTIO CALDEIRÃO, cujo líder religioso era o beato “JOSÉ LOURENÇO GOMES DA SILVA”, paraibano de Pilões de Dentro, seguidor do padre CÍCERO ROMÃO BATISTA, encarados como “socialistas periculosos”.

O CRIME DE LESA HUMANIDADE

O crime iniciou-se com um bombardeio aéreo, e depois, no solo, os militares usando armas diversas, como metralhadoras, fuzis, revólveres, pistolas, facas e facões, assassinaram na “MATA CAVALOS”, SERRA DO CRUZEIRO, mulheres, crianças, adolescentes, idosos, doentes e todo o ser vivo que estivesse ao alcance de suas armas, agindo como juízes e algozes. Meses após, JOSÉ GERALDO DA CRUZ, ex-prefeito de Juazeiro do Norte/CE, encontrou num local da Chapada do Araripe, 16 crânios de crianças.

A AÇÃO CIVIL PÚBLICA AJUIZADA PELA SOS DIREITOS HUMANOS

Como o crime praticado pelo Exército e pela Polícia Militar do Ceará é de LESA HUMANIDADE / GENOCÍDIO é considerado IMPRESCRITÍVEL pela legislação brasileira e Acordos e Convenções internacionais, por isto a SOS DIREITOS HUMANOS, ONG com sede em Fortaleza – CE, ajuizou em 2008 uma Ação Civil Pública na Justiça Federal contra a União Federal e o Estado do Ceará, requerendo: a) que seja informada a localização da COVA COLETIVA, b) a exumação dos restos mortais, sua identificação através de DNA e enterro digno para as vítimas, c) liberação dos documentos sobre a chacina e sua inclusão na história oficial brasileira, d) indenização aos descendentes das vítimas e sobreviventes no valor de R$500 mil reais, e) outros pedidos

A EXTINÇÃO SEM JULGAMENTO DE MÉRITO DA AÇÃO

A Ação Civil Pública foi distribuída para o Juiz substituto da 1ª Vara Federal em Fortaleza/CE e depois, para a 16ª Vara Federal em Juazeiro do Norte/CE, e lá em 16.09.2009, extinta sem julgamento do mérito, a pedido do MPF.

AS RAZÕES DO RECURSO DA SOS DIREITOS HUMANOS PERANTE O TRF5

A SOS DIREITOS HUMANOS apelou para o Tribunal Regional da 5ª Região em Recife/PE, argumentando que: a) não há prescrição porque o massacre do SÍTIO CALDEIRÃO é um crime de LESA HUMANIDADE, b) os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO não desapareceram da Chapada do Araripe a exemplo da família do CZAR ROMANOV, que foi morta no ano de 1918 e a ossada encontrada nos anos de 1991 e 2007;

A SOS DIREITOS HUMANOS DENUNCIA O BRASIL PERANTE A OEA

A SOS DIREITOS HUMANOS, igualmente aos familiares das vítimas da GUERRILHA DO ARAGUAIA, denunciou no ano de 2009, o governo brasileiro na Organização dos Estados Americanos – OEA, pelo DESAPARECIMENTO FORÇADO de 1000 pessoas do SÍTIO CALDEIRÃO.

QUEM PODE ENCONTRAR A COVA COLETIVA

A “URCA” e a “UFC” com seu RADAR DE PENETRAÇÃO NO SOLO (GPR) podem localizar a cova coletiva, e por que não a procuram? Serão os fósseis de peixes do “GEOPARK ARARIPE” mais importantes que os restos mortais das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO?

A COMISSÃO DA VERDADE

A SOS DIREITOS HUMANOS busca apoio técnico para encontrar a COVA COLETIVA, e que o internauta divulgue a notícia em seu blog/site, bem como a envie para seus representantes no Legislativo, solicitando um pronunciamento exigindo do Governo Federal a localização da COVA COLETIVA das vítimas do SÍTIO CALDEIRÃO.

Paz e Solidariedade,

Dr. Otoniel Ajala Dourado
OAB/CE 9288 – 55 85 8613.1197
Presidente da SOS – DIREITOS HUMANOS
Membro da CDAA da OAB/CE
http://www.sosdireitoshumanos.org.br
sosdireitoshumanos@ig.com.br

by Jânio

Textos Relacionados:

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

fevereiro 23, 2010 Posted by | Policia | , , , , , , , , | 36 Comentários

Genocídio da Tasmânia – A natureza do homem é má

instinto assassino

instinto selvagem

A Inglaterra, assim como o Brasil em relação a guerra do Paraguai, traz uma história triste em sua história, o extermínio dos aborígenes da Tasmânia.

A Tasmânia é uma ilha e estado australiano, situado a cerca de 240 km da costa sudeste da Austrália, e foi o palco de uma das maiores barbáries que o mundo viu, o genocídio, aniquilação completa, de uma civilização de aproximadamente 10 mil anos de existência.

A ideia de colonização e exploração de novas terras, autorizava a truculência dos invasores britânicos a eliminar quem estivesse em seu caminho. Para isso, havia uma estratégia de conversão religiosa e até o Darwinismo Social, em franca expansão na época.

A ideia de Maquiavel, aqui, se materializam, onde o homem muda de acordo com a situação em que se encontra, mas sua natureza é má. Após a revolução industrial, a Inglaterra passou a condenar esse tipo de comportamento, dando a entender que ela era a dona da verdade.

Duzentos anos depois, fazendo uma boa análise, chegamos a conclusão de que o homem não mudou. Continuamos regidos pelos nossos interesses, sem procurar entender as culturas que nos cercam, com uma argumentação longe de ser a adequada, se é que se pode chamar uma bomba de argumento.

Se, nos dias de hoje, encontrássemos uma civilização perdida, com rituais de sacrifícios humanos, imediatamente, o preconceito falaria mais alto. Esse povo seria amaldiçoados pelas nossas línguas, em nenhum momento haveria o pensamento reflexivo de que o sacrifício humano é uma prova do que eles tem de mais puro, a adoração pelo divino, mesmo sendo diferente do nosso.

Nas expedições colonizadoras não havia lugar para filosofias, a tática usada era usar de todos os meios possíveis, para que essa expedição não se tornasse mais cara do que deveria. Primeiro os pastores foram encarregados de convencer os aborígines para uma aproximação, em seguida, o extermínio foi concluído.

Matar um nativo não era considerado um crime, pelo contrário, pagava-se para que essas pessoas fossem mortas pelos assentados, facilitando o trabalho do exército da coroa.

A carnificina não era divulgada junto aos veículos de comunicação, tudo era visto como uma guerra, onde quem morria eram os inimigos.

Segundo os historiadores, quando os ingleses desembarcaram na Oceania, sua intensão era clara de extermínio, até a ciência avançada de Darwin havia sido adaptada para legitimar essa barbárie.

O Pastor George Augusto Robinson ficou para a história como o homem encarregado de fazer “amizade” com os nativos, atraindo-os para a arapuca dos ingleses, que mataram sem dó nem piedade, nem as crianças foram poupadas.

Cerca de 300 nativos da ilha da Tasmânia, não capturados pelos ingleses, foram convertido ao cristianismo pelo pastor e, consequentemente, condenados a morte por doenças e exploração.

As mulheres dos aborígenes eram capturadas e violentadas, não satisfeitos, seus algozes as torturavam até que não resistissem e morressem, nenhum nativo sobreviveu.

O extermínio foi de 1828 a 1832, foram apena quatro anos para que o o povo da Tasmânia fosse exterminado.

Os ingleses adotaram uma tática de sequestrar as mulheres e crianças, quando os guerreiros nativos tentavam resgatar suas famílias, eram mortos. No final o Pastor foi encarregado de fazer amizade com os 300 sobreviventes, que, infelizmente, acreditaram em suas palavras.

Não podemos ver os colonizadores europeus como seres diabólicos, pois sua natureza é a nossa, acontece que esse mal, presente em nosso corpo, deve ser controlado. Enquanto nos desenvolvemos, devemos ter a consciência que não mudamos, o que há, é um transformação, transformação que será mantida enquanto estivermos cientes de nossas fraquezas.

By Jânio

fevereiro 12, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , | 11 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: