Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Reflections of my life – Marmalade

reflections of my life

Flash Back

The changing of sunlight to moonlight
Reflections of my life
Oh how they fill my eyes

[Repeat: x 2]
The greetings of people in trouble
Reflections of my life
Oh how they fill my eyes

[Chorus]
Oh my sorrows
Sad tomorrows
Take me back to my own home

[Chorus: x 2]
Oh my crying (Oh my crying)
Feel I’m dying, dying
Take me back
to my own home

I’m changing, arranging,
I’m changing,
I’m changing everything
Everything around me

The world is
a bad place
A bad place
A terrible place to live
Oh but I don’t want to die …

[Chorus: x 2]

Read more: Marmalade – Reflections Of My Life Lyrics | MetroLyrics

Tradução:

A mudança da luz do sol para a luz do luar
São reflexões da minha vida e como enchem meus olhos
A agitação das pessoas em apuros
São reflexões da minha vida e como enchem minha mente

Todas as minhas tristezas, tristes amanhãs
Levem-me de volta ao meu próprio lar
Todos os meus choros (todos os meus choros), sinto que estou morrendo,morrendo
Levem-me de volta à minha própria casa

Estou mudando, arranjando, estou mudando
Estou mudando tudo,
Tudo à minha volta

O mundo é lugar ruim, um lugar mau
Um lugar terrível para viver, mas eu não quero morrer

Todas as minhas tristezas, tristes amanhãs
Levem-me de volta ao meu próprio lar
Todos os meus choros (todos os meus choros), sinto que estou morrendo,morrendo
Levem-me de volta à minha própria casa (oh estou indo pra casa)

Todas as minhas tristezas, tristes amanhãs
Levem-me de volta ao meu próprio lar
Todos os meus choros (todos os meus choros), sinto que estou morrendo,morrendo
Levem-me de volta à minha própria casa

letras.mus.br

vídeo clip em inglês

vídeo clip legendado

Mais músicas:

Dreams – The Coors

More than this – Roxy Music

 

 

julho 25, 2016 Posted by | Música. | , , , , , , | 1 Comentário

Cinema 2.014 – Life after Beth

Cinema 2.014

A Vida Depois de Beth

Life After Beth – A Vida depois de Beth é um filme americano de comédia e zumbi de 2014. O filme foi escrito e dirigido por Jeff Baena e é estrelado por Aubrey Plaza, Dane DeHaan, Anna Kendrick, Molly Shannon, Cheryl Hines, Paul Reiser, Matthew Gray Gubler, e John C. Reilly. O filme estreou no Sundance Film Festival em 19 de janeiro de 2014. O filme está previsto para ser lançado em 15 de agosto de 2014.

Sinopse:

Após a morte de sua namorada Beth, picada por uma cobra enquanto caminhava, Zach está devastada. Depois do funeral de Beth, Zach começa a passar o tempo com os pais de Beth, como uma forma de se confortar. Um dia, ao jogar xadrez e fumar m****** com o pai de Beth, Zach revela que ele e Beth estavam tendo problemas em seu relacionamento e que ela havia expressado o desejo de ver outras pessoas nos dias antes de morrer. Zach sente remorso e culpa devido ao fato de ele nunca ter ajudado Beth a fazer as coisas que ela queria fazer.

Um dia, os pais de Beth param de atender a porta e bloqueiam seus telefonemas, o que perturba e confunde Zach. Mais tarde, ao olhar pela janela, ele vê Beth. Ele tenta entrar, mas seus pais chamam o irmão mais velho de Zach, que é um agente de segurança e Zach é forçado a sair. No dia seguinte, ele vai até o túmulo de Beth e vê que há um grande buraco. Ele volta para a casa de Beth e, com sucesso, entra e descobre que os pais de Beth estavam escondendo ela. Os pais explicam que, logo após o funeral, Beth apareceu de repente e parecia não ter nenhuma lembrança da semana passada, parecendo que tudo estaria completamente normal.

Beth e Zach vão até o sótão de sua casa, onde eles têm uma conversa emocionante sobre seu relacionamento. Embora ainda confuso com a situação, Zach está feliz por ela estar de volta e promete fazer caminhadas com ela como se ela sempre quis. A ideia seria fazer caminhada, mas os pais de Beth conseguem convencê-los a ficar em casa, uma vez que estão com medo que as pessoas possam vê-la. Zach é capaz de, eventualmente, convencer os pais de Beth para que eles os deixe ir para fora da casa, então, ele e Beth vão a um parque, onde eles fazem s***.

Conforme o tempo passa, Zach percebe que as pessoas em torno da cidade estão agindo estranhamente e estão iguais a Beth, que tem ficado cada vez mais violenta, e com mudanças de humor. Ele começa a ficar cansado de Beth e não consegue lidar com suas tendências violentas, especialmente depois que ela se enfurece e fica com ciúmes, quando ela o vê almoçando com um amigo de infância. Zach diz a Beth que ela morreu e de alguma forma voltou, ela não acredita nele, até que ele a leva até seu túmulo. Enquanto no túmulo, Zach tenta romper com Beth, mas ela fica furiosa e rouba seu carro. Depois, Zach vai para casa e descobre que seu avô morto também ressuscitou, assim como os antigos proprietários de sua casa. O pai de Beth chega para Zach e diz-lhe que Beth está extremamente chateada e que ele deve dizer-lhe que ele mentiu sobre sua morte e prometer ficar com ela para sempre. Zach inicialmente recusa, mas depois aceita. o pai de Beth concorda em chamar sua ex-governanta, que é haitiana, para ver se ela tem alguma informação sobre o que está acontecendo. Zach tenta falar com Beth, mas depois que ela devora um vizinho, ele vai embora com ela no carro.

Ele vai ao apartamento da mulher da limpeza, de Beth, onde ele diz que seria ofensivo dizer que ela sabe alguma coisa sobre zumbis, só porque ela é haitiana, e é mandado embora. O pai de Beth aparece, bate na porta de Zach, e leva Beth. Depois, Zach acorda e vai para a sua casa para procurar sua família mas, em vez disso, vê um estranho em sua casa, juntamente com corpos queimados. Presumindo que toda a sua família esteja morta, Zach faz as malas e se prepara para deixar o estado. Enquanto ele sai, ele lembra do passado, o parque onde ele e Beth estiveram, logo após eles se encontrarem e, ao invés de ir embora, ele vai à casa de Beth. Ele descobre que ela agora é um zumbi e que devorou o próprio pai, sendo amarrada por sua mãe que não consegue controlá-la. Zach convence sua mãe à soltá-la, assegurando-lhe que ele vai cuidar de Beth. Ele acalma Beth, dizendo-lhe que ele vai finalmente fazer caminhada com ela. Enquanto eles estão caminhando para fora da casa, deparam-se com o irmão de Zach, que revela que a família de Zach escapou, estão vivos e estão em uma casa, seguros. O irmão de Zach tenta atirar em Beth, mas Zach a protege. Seu irmão concorda em deixá-los fugir, mas diz a Zach que ele tem de deixar Beth partir e dá-lhe a arma.

Beth e Zach saem para uma caminhada e, quando eles param para olhar a vista, Zach começa a chorar e pede desculpas a Beth por nunca ter ido fazer caminhada com ela ou ter ido dançar como ela, sempre que ela quis. Ele também diz a ela que está muito feliz por ela ter voltado e que ele sempre irá amá-la. Eles dizem “eu te amo” um para o outro e, enquanto Beth está olhando para longe, Zach atira na cabeça dela.

Zach vai para a casa em segurança, onde encontra sua família, junto com o amigo de infância, com quem almoça. Eles começam a fazer planos para escapar, mas vê uma notícia de que as coisas parecem estar lentamente voltando ao normal.

Algum tempo depois, Zach visita as sepulturas de Beth e seu pai pela última vez. Ele deixa o cachecol de Beth, que guardara após sua morte, em sua lápide, junto com a peça de xadrez na lápide de seu pai. O filme termina com Zach pedindo ao seu amigo de infância, se ela gostaria de jantar com ele.

Elenco:

Dane DeHaan como Zach Orfman

Aubrey Plaza como Beth Slocum

Anna Kendrick como Erica Wexler

Matthew Gray Gubler como Kyle Orfman

John C. Reilly como Maury Slocum

Cheryl Hines como Judy Orfman

Molly Shannon como Geenie Slocum

Paul Reiser como Noah Orfman

Paul Weitz como Mr. Levin

Alia Shawkat como Roz

Adam Pally como Diner Sommelier

Jim O’Heir como Chip the Mailman

Ficha técnica:

Directed by Jeff Baena

Produced by:

Michael Zakin

Liz Destro

Written by Jeff Baena

Starring:

Aubrey Plaza

Dane DeHaan

Molly Shannon

Cheryl Hines

Paul Reiser

Matthew Gray Gubler

John C. Reilly

Cinematography:

Jay Hunter

Edited by:

Colin Patton

Production:

American Zoetrope

Abbolita Productions

Starstream Entertainment

XYZ Films

Distributed by A24

Data de lançamento:

January 19, 2014 (Sundance)

August 15, 2014 (United States – USA)

País – United States – EUA

Língua – Inglês

Fonte: Wikipedia

Cinema 2.014

Into the storm

All is by my side

Drácula Untold

Into the Woods

Young Ones

Into the Woods

O Hobbit III – A batalha dos cinco exércitos

O Hobbit III – A batalha dos cinco exércitos
 Tomorrowland
Exodus – Gods and kings
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

agosto 2, 2014 Posted by | Cinema | , , , , , , | 8 Comentários

Reação

mudanças nescessárias

Despertar da Consciência

Wikipedia: “Efeito borboleta é um termo que se refere às condições iniciais dentro da teoria do caos. Este efeito foi analisado pela primeira vez em 1963 por Edward Lorenz. Segundo a cultura popular, a teoria apresentada, o bater de asas de uma simples borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo. Porém isso se mostra apenas como uma interpretação alegórica do fato. O que acontece é que quando movimentos caóticos são analisados através de gráficos, sua representação passa de aleatória para padronizada depois de uma série de marcações onde o gráfico depois de analisado passa a ter o formato de borboleta.

Esse tipo de efeito quando restrito a uma ou duas variáveis, fixando-se as demais, tende a ser simples e aí, somente nesta situação não natural ou limítrofe, é que as leis da ciência clássica podem demonstrar a previsibilidade de um sistema fechado. Neste caso aumenta a rigidez sistêmica e o Efeito Borboleta pode ser mapeado de forma bastante simples. Alguns estudiosos afirmam que deixa de existir, porém, é sabido que a resultante de determinado cálculo quando passa a ser dado numérico de outro (e assim por diante), influi em seu resultado, portanto, atua o Efeito Borboleta. Isto foi descoberto (quase por acaso) por Edward Lorenz quando estava trabalhando com previsões meteorológicas no MIT e verificou a influência ocasionada em sistemas dinâmicos quando são feitas alterações muito pequenas nos dados iniciais inseridos em computadores numéricos programados para fazerem cálculos em série”.

Há um ditado que diz que os iguais se atraem, outros afirmam que são os diferentes que se atraem. Eu não posso precisar quem está certo, o que eu poderia afirmar é que há uma relação muito forte entre as diferenças.

Os mais pragmáticos fazem questão de lembrar que a única certeza da vida é a morte, a partir do nascimento, estaríamos sempre em direção a ela.

Eu diria que não precisamos ser tão radicais,  podemos abandonar o pragmatismo, vendo a vida como suficiente para a nossa missão na terra.

A vida, ao longo do tempo, pode acelerar, ou desacelerar, revelando um segredo da física que só a filosofia conhece. Há também pessoas viciadas em esportes radicais, nunca compreendidas, que não confessam o verdadeiro motivo de tais loucuras.

Uma pessoa que pula de paraquedas, aos oitenta anos, sente, pela primeira vez, que pode ser imortal. Nesse caso, além da física e da filosofia, mais um elemento das ciências se junta ao nosso estudo, a Biologia.

A adrenalina presente no corpo de uma paraquedista é tão alto que, por um breve instante, o tempo parece parar, nesse momento, aquela senhora que via a sua vida se esvaindo em seu final, sente a eternidade da vida penetrando-lhe a alma, como se ela fosse imortal.

Esse tratamento de choque é muito eficaz, mesmo quando a pessoa sente que não há mais nada para viver. É claro que há milhares de formas de tratamentos de choque, tudo depende de quais órgãos vitais da pessoa poderiam suportá-los.

Também já foi verificado que esse sentimento não tem idade, ou seja, um menino pode se sentir desmotivado, caso não leve uma vida infantil normal.

No caso das mudanças climáticas, as pessoas só começaram a se preocupar com as consequências de seus atos,  no momento em que sentiram a força da natureza se manifestando.

Entre os povos antigos, alguns viam o sol como uma divindade, outros temiam a força do trovão. Populações próximas ao mar temiam as profundezas dos oceanos, e ainda haviam outros povos com suas crenças e religiões, de acordo com suas realidades.

Até os próprios físicos, sempre a procura de uma explicação científica para tudo, encontraram a sua versão para a crença. A força do mundo atômico, do eletromagnetismo, conseguiu unir os mundos além do mundo microscópico, aos mundos além da imensidão do universo.

Uma força infinita que cria ondas, onde os corpos celestes passam a girar em órbitas de outros, numa mecânica quase perfeita. De tempos em tempos, essa lógica é quebrada pela aparição de um cometa, ou outros corpos muito menos amigáveis.

A visão constante de mendigos e pessoas problemáticas ao nosso redor, banaliza o respeito que temos pelo ser humano e pela vida de um modo geral. Tudo começa com uma fuga inconsciente na primeira vez que temos essa visão, a partir daí, desenvolvemos uma força (fraqueza) humana (desumana) capaz de fazer com que esses problemas sejam suportados, criando uma doença psíquica crônica.

Passamos a cumprir nossas obrigações sociais, adiando todas as que não forem obrigatórias.

Vamos à igreja, votamos, estudamos, acreditamos em Deus. Parece tudo perfeito, mas o stress insiste em atormentar nossa mente.

Quando dormimos, temos pesadelos de uma realidade a qual não estamos acostumados, acordamos aliviados por continuarmos em nossa ilusão materialista, sem sonhos nem ideologias.

Pessoas com formação superior são encontradas morando sob a ponte, num retorno violento a consciência, infelizmente (ou felizmente) tarde (ou não) demais.

…e o poeta declama: “Havia uma pedra no caminho … no caminho havia uma pedra…”, “…e agora José…José e agora?”

Esses versos do poeta, podem soar melodioso em várias línguas, mesmo sem fazer com que seu principal objetivo, pensar, seja atingido.

Poetas e filósofos tem o dom da utopia, mas talvez a utopia tenha a sua função de fato, justamente abrir a mente daqueles que a negam.

… e o poeta insiste: “Olha-me nesse instante… somente nesse instante…”, simbolizando o último apelo de um ser inanimado? – irracional?

O homem criou o estudo onde separou os seres inanimados dos seres vivos; em seguida separou os seres racionais dos irracionais, isolando-se. Nesse seu mundinho, os irracionais não pensam, mas agem, vivem; enquanto isso os racionais pensam e não conseguem se encontrar, nem ver o óbvio, sua função na cadeia cósmica, criamos uma realidade alternativa.

Criando máquinas para aumentar a precisão de nossa interatividade com a natureza, deixamos de sentir essa natureza, tornando-nos frios como as máquinas.

A vida sedentária e preguiçosa dos antigos romanos, foi  sedutora demais para resistirmos; nossa procura pelo que é mais barato, tornou-nos mais toleráveis a tudo o que não tem qualidade.

Desigualdades sociais obrigaram pessoas da elite da sociedade a se protegerem nos shopings e condomínios, enquanto do lado de fora, pessoas famintas aguardam impacientes a hora do acerto de contas que uma sociedade de fato exige.

Quando pode, a alta burguesia vai passear livremente pelas ruas da Europa ou Estados unidos, fugindo de sua própria culpa, cúmplices dos países ricos dos quais são coniventes.

Enquanto uma parte dos brasileiros, sonham em se mudar para o exterior, onde o dinheiro já foi desviado; no exterior, há pessoas que sonham em fugir para o espaço, por não suportar esses intrusos que compram suas entradas para o admirável mundo novo.

A república romana propiciou o surgimento do socialimo, comunismo, capitalismo e várias outras combinações de sistemas de governo, sistemas quase perfeitos para nos escravizar. Tudo deu muito certo até agora.

Recursos vitais à nossa sobrevivência,  como a água,  começam a faltar, enquanto os grandes capitalistas continuam em sua inconsciente corrida do ouro.

Todos os sistemas de Governo aplicados a sociedade até agora, mostraram-se suficientes para controlar-nos, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença, até a morte, mas a falta de água poderá criar uma nova corrida pelo poder, e, dessa vez, todos nós estaremos nessa guerra: Os pobres, os ricos, crianças e melhor idade, mulheres e homens.

O problema da falta de água, parece estar longe do Brasil, riquíssimo em reservas, mas, como dizia um amigo meu: “É sempre mais fácil destruir que criar.” Criar, ás vezes é impossível, e isso já pode ser notado em algumas cidades, principalmente em regiões metropolitanas.

Algumas cidades sentem-se aliviadas por acharem que estão longe desse problema, mas quando menos esperam, uma seca assola tudo, e deixam-nos em desespero e nas mãos do alheio.

O problema, aqui, não é a total falta da água – não ainda – mas a distância em que estão essas reservas de água. Distâncias que criarão uma desculpa, talvez uma crise econômica, para que todas as empresas se mudem para onde há reservas de água, aí sim, teremos a falta dela.

By Jânio

outubro 1, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , , , , , | 9 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: