Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

MPF pede a Moro condenação de Claudia Cruz por lavagem e evasão

Daniel Isaia – Correspondente da Agência Brasil

A força-tarefa da Operação Lava Jato no Ministério Público Federal (MPF) pediu ao juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, que condene Claudia Cruz pelos crimes lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Os procuradores da República também manifestaram entendimento de que a mulher do ex-deputado Eduardo Cunha deve cumprir pena em regime fechado.

O documento enviado a Moro afirma que Claudia cometeu três vezes o crime de lavagem de dinheiro e cinco vezes o crime de evasão de divisas. Segundo a força-tarefa, ela utilizava dinheiro de origem sabidamente ilícita para comprar artigos de luxo e pagar despesas no exterior. Além disso, a esposa de Cunha teria mantido uma conta off-shore na Suíça, chamada Köpec, com recursos não declarados à Receita Federal.

Os procuradores também contestaram o padrão de consumo mantido pela família do ex-presidente da Câmara dos Deputados. “As despesas de cartão de crédito no exterior no montante superior a US$ 1 milhão no prazo de sete anos pagas por Claudia Cruz foram totalmente incompatíveis com a renda e o patrimônio declarado de Eduardo Cunha”.

Segundo o documento, a família de Cunha e Cláudia viajou nove vezes ao exterior entre 2013 e 2015, gerando uma despesa que ultrapassa US$ 525 mil.

Além da prisão, o MPF pede que seja fixado o valor de US$ 1.061.650 a ser pago por Claudia para reparar os danos materiais e morais causados pelas condutas da ré.

Respondem ao mesmo processo o ex-diretor da área Internacional da Petrobras Jorge Zelada, o empresário Idalécio Oliveira e o lobista João Henriques. A força-tarefa também pediu a condenação dos três, com pena inicial em regime fechado.

Edição: Maria Claudia
 
 

abril 19, 2017 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

A CPI do Banestado

A história obscura da política brasileira

Crimes Secretos do PSDB

A Comissão Parlamentar (Mista) de Inquérito (CPI) de Evasão de Divisas, ou CPI do Banestado foi criada pela Câmara dos Deputados do Brasil em 26 de Junho de 2003 a fim de investigar as responsabilidades sobre a evasão de divisas do Brasil para paraísos fiscais, entre 1996 e 2002, quando foram retirados indevidamente do país mais de US$ 20 bilhões através de contas CC5 do Banco do Estado do Paraná ou Banestado, segundo estimativas reveladas pela operação Macuco, realizada pela Polícia Federal.

O presidente da CPI foi o senador Antero Paes de Barros (PSDB), o vice-presidente foi o deputado Rodrigo Maia (PFL) e o relator foi o deputado José Mentor (PT).

O desempenho do relator da CPI, o deputado José Mentor, foi bastante criticado, sendo ele acusado por alguns parlamentares de ter sabotado a CPI. Mentor foi autor também de um polêmico projeto que se aprovado daria anistia a todas as pessoas que enviaram ilegalmente para o exterior. Segundo o deputado, tal medida teria como objetivo repatriar recursos no exterior. Após um ano e meio de investigações, Mentor concluiu o relatório sugerindo o indiciamento de 91 pessoas pelo envio irregular de dinheiro a paraísos fiscais através de contas CC5, desvios que chegariam na ordem de US$ 20 bilhões. Entre os indiciados, Gustavo Franco (presidente do Banco Central no governo de Fernando Henrique Cardoso), o ex-prefeito de São PauloCelso Pitta e o dono das Casas Bahia (maior rede varejista do Brasil), Samuel Klein.[1] Por sua vez, o PSDB queria apresentar uma “outra versão da CPI” na qual, por exemplo, as acusações contra Gustavo Franco apareceriam de forma “mais branda”.[2] O presidente da CPI do Banestado, senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), após vários desentendimentos com o relator, resolveu encerrar os trabalhos da comissão sem que o texto apresentado pelo deputado passasse pela votação dos integrantes da CPI. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Roberto Busato, criticou duramente os resultados da CPI: “Fica frustrada a votação de seu relatório em função de pura briga política de políticos que ficaram todo o tempo sob holofotes, me parece tentando apenas captar vantagens eleitorais e não com o objetivo de prestar um serviço à nação”, criticou Busato.[3]

O processo foi julgado pelo ministro Dias Toffoli do Supremo Tribunal Federal, após impedimento de julgamento a partir da 6ª Vara Federal Criminal de São Paulo.[4] [5]

Com a quebra de sigilo em massa determinada pela Justiça, milhares de inquéritos foram abertos em todo o País, mas nunca houve a condenação definitiva de um político importante ou de representantes de grandes grupos econômicos. Empresas citadas conseguiram negociar com a Receita Federal o pagamento dos impostos devidos e assim encerrar os processos contra elas.

O Ministério Público chegou a estranhar mudanças repentinas em dados enviados pelo governo FHC. Em um primeiro relatório encaminhado para os investigadores, as remessas da TV Globo somavam o equivalente a 1,6 bilhão de reais.

Mas um novo documento, corrigido pelo Banco Central, chamou a atenção dos procuradores: o montante passou a ser de 85 milhões, uma redução de 95%. A RBS, afiliada da Globo no Rio Grande do Sul e atualmente envolvida no escândalo da Zelotes, também foi beneficiada pela “correção” do BC: a remessa caiu de 181 milhões para 102 milhões de reais.

A quebra do sigilo demonstrou que o Grupo Abril, dono da revistaVeja, fez uso frequente das contas CC5. A Editora Abril, a TVA e a Abril Vídeos da Amazônia, entre outras, movimentaram um total de 60 milhões no período. O SBT, de Silvio Santos, enviou 37,8 milhões.

As mesmas construtoras acusadas de participar do esquema na Petrobras investigado pela Lava Jato estrelavam as remessas via Banestado. A Odebrecht movimentou 658 milhões de reais. A Andrade Gutierrez, 108 milhões. A OAS, 51,7 milhões. Pelas contas da Queiroz Galvão passaram 27 milhões. Camargo Corrêa, outros 161 milhões.

Ligações externas

Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é umesboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

maio 1, 2016 Posted by | Política | , , , | 2 Comentários

Família Sarney escapa da cadeia

foras da lei

Valor da Ética

As tragédias na justiça brasileira continuam a ocorrer, só que o povo brasileiro já sabe antecipadamente dos resultados e nem se importa mais.

Dessa vez o processo nem chegou ao STF, já no STJ as provas da operação da Polícia Federal “Boi Barrica” foram anuladas. Baseando-se no caso Daniel Dantas, a família Sarney escapou do processo.

O grupo de comunicações Mirante, da família Sarney, estava sob investigação da polícia Federal, mas parece que a lei é mais importante que a ética no Brasil.

Como a quebra de sigilo telefônico, bancário ou na internet é considerado ilegal pelos bilderbergers brasileiros, é natural que o bando do STJ considere a Polícia Federal contrabando.

Agora ficamos sabendo que o STJ, STF, Senado, câmara, todos estão acima da ética, todos conhecem as normas da casa e da família.

Resumindo: A PF efetua operações, como grampo telefônico, e descobre crimes contra o povo, como lavagem, desvio, formação de quadrilha, dinheiro na Suíça, etc., mas não pode prender ninguém porque seus direitos foram feridos.

Será que o “crime” da PF é maior que o crime dos políticos e banqueiros investigados? Por quê insistem tanto na ética, se o que vale são as leis tortas que eles mesmos criam para se proteger?

A família Sarney é especialista em movimentar dinheiro, além dos problemas na Suíça, com Fernando Sarney, Roseana Sarney já vem arrumando encrenca com a PF desde os tempos de FHC, quando era pré-candidata a presidenta. Depois como governadora, mas sempre passando por cima de tudo, até do ficha limpa, o problema é que tudo um dia sempre acaba

Lembrando que o processo contra Gilmar mendes, do STF, também foi arquivado. Gilmar Mendes foi o ex-presidente do STF que deu liberdade ao banqueiro Daniel Dantas, baseado na lei.

Gilmar Mendes era acusado de ter ligações com escritório de advocacia, o que seria proibido por lei. Seus amiguinhos o inocentaram.

By Jânio

setembro 18, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , , , , | 3 Comentários

Tiririca elege o ex-Delegado da Polícia Federal

 

Proibido de assumir

Deputado Cassado

Eu estava curioso para saber quem eram os políticos eleitos por Tiririca, um deles eu descobri na Wikipedia, trata-se de Protógenes Queiróz, ex-Delegado da PF, responsável por várias operações famosas.

Entre as grandes operações deflagradas pela PF, sob o comando de Protógenes Queiróz estão:

O Caso corinthians/MSI, por suposta lavagem de dinheiro e evasão de divisas, fraudes da arbitragem do futebol brasileiro, no ano de 2.005.

Remessas, ilegais, de dinheiro para paraisos fiscais. Nessa operação, estavam envolvidos os ex-prefeitos, Paulo Maluf e Celso Pitta.

Operação contra o contrabandista chinês Law king chong. Além de contrabando, havia denúncias de souborno no processo.

Operação satiagraha, envolvendo Daniel Dantas, Naji Nahas e Salvatore Cacciola, onde foram denunciados: lavagem, corrupção e desvio de dinheiro público. Foi nessa operação que a Justiça brasileira foi colocada em cheque, onde o futuro réu, Daniel Dantas, já havia entrado com pedido de Habeas Corpus antes do início da operação da PF.

A operação da Polícia Federal, depois de denúncias e/ou investigações prévias, executa prisões preventivas e verifica a possibilidade inciar processos contra os prováveis criminosos, sempre acompanhada de um Procurador.

Quem acompanhou esses casos de perto, viu a dificuldade que a justiça enfrenta diante da lei, onde o Ministro do Supremo libertou Daniel dantas, mesmo sem ouvir os outros juíses, provocando uma grande polêmica, inclusive de procuradores  de São Paulo.

Normalmente, o processo teria que passar pelas mãos de outras autoridades, inclusive pelo STJ, antes da soltura do réu, caso essa fosse a decisão da Justiça. O Ministro do Supremo “adiantou” o processo.

“Os senadores Arthur Virgílio (PSDB-AM), e Tasso Jereissati (PSDB-CE) acompanhados por outros quatro senadores, manifestaram desacordo com a marcha das operações e elogiaram as declarações do presidente do STF, Gilmar Mendes que, em entrevista à rede nacional de TV, e mais de uma semana antes de prolatar sua sentença nos autos, classificou de “espetacularização” a atuação de agentes da PF (que qualificou publicamente de “gângsteres”) nas prisões de Dantas, Pitta e Nahas.”

Não é à toa que o homem do jatinho e o defensor dos fracos e oprimidos perderam a eleição, eu até retiro a opinião que eu tinha de “grandes políticos”.

A grande quantidade de pessoas envolvidas a Naji Nahas e Nelson Dandas, era tamanha que o Delegado virou réu, e os réus passaram a acusação, com o apoio da autoridade máxima do judiciário, Gilmar Mendes, Presidente do STF.

Foi nessa época que o então Delegado da PF foi acusado de irregularidades na operação, fraude processual e violação de sigilo, inclusive de escuta ilegal de envolvidos no caso e acusação de ter grampeado o próprio então Presidente do STF.

Apesar da operação ter sido acompanhada por autoridade jurídica federal, o Delegado foi condenado por se utilizar de meios ilícitos, inclusive de atividades típicas de polícia secreta. Protógenes se defendeu alegando que a participação de serviços da inteligência seria normal, em casos como esse.

Com isso, o ex-Delegado foi condenado, impossibilitado de exercer o cargo de Deputado Federal, no qual foi eleito, mesmo tendo obtido apenas 94.906 votos. O Delegado foi eleito com a ajuda de outro candidato que está sendo processado,  depois de obter um milhão e trezendos mil votos, o palhaço Tiririca.

A palhaçada voltou as manchetes, já que a possibilidade de  condenação do ex-Delegado da PF, depois da soltura de Daniel Dantas, seu investigado,  seria difícil de se explicar para a sociedade. Então, nada mais (in)justo do que sentenciá-lo a mesma pena de seu investigado Daniel Dantas.

Salvatore Cacciola, outro famoso mafioso brasileiro, descobriu que não deve sair do Brasil, já que foi preso lá fora.

Protógenes foi eleito pelo PCdoB, depois de obter 94,906 votos, com a ajuda do palhaço Tiririca, do PR, recordista de votos para Deputado Federal.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Opera%C3%A7%C3%A3o_Satiagraha

By Jânio

novembro 13, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , , , | 13 Comentários

Nova invenção permite o controle do cérebro

controle do cerebro

marcapasso do cerebro

As notícias boas, relacionadas a tecnologia, não param de chegar aos nossos olhos e ouvidos, para o deleite de nossa mente que cria as asas da imaginação.

A ficção cientifica nunca esteve tão bem servida de fontes reais para as suas tramas.

Recentemente, tivemos a grata surpresa de testemunhar a notícia do marcapasso do cérebro, mais uma criação com elementos de ficção científica, mas que é real.

Podendo controlar tremedeiras no corpo, principalmente das mãos, o dispositivo deverá também ser desenvolvido para controlar outras doenças do cérebro, como epilepsia, transtorno obsessivo-compulsivo e outras.

A área do cérebro pode ser considerada como a última fronteira, em termos de evolução científica, relacionada ao corpo humano. Ao que tudo indica, não demorará para que a área do cérebro, ligada ao pensamento, sejam codificados.

Vão em várias direções, a criatividade dos novos cientistas; um bom exemplo, pode ser notado na conversão de palavras escritas em palavras faladas, utilizando-se um banco de dados, parece simples, mas decorreu algum tempo até que o processo fosse efetuado.

É claro que o computador e a tecnologia não poderiam ficar fora dessa evolução, no caso da conversão das palavras em sons, era uma questão de tempo, já que a programação é toda executada em codificação escrita.

Poderíamos dizer que a notícia má, para não perdermos o costume, seriam as possíveis lavagens cerebrais com objetivos obscuros, já que é próprio do ser humano transformar tudo o que é belo em bizarro.

By Jânio.

março 28, 2010 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , | 13 Comentários

O poder dos paises emergentes

paises emergentes

Riqueza e corrupção

A previsão de que o mundo acabaria em 2.000 não aconteceu, ao invés disso, o mundo começou a virar de ponta cabeça, e o Brasil sempre está lá, ao lado dos donos da bola.

Me espanta o fato de o Brasil, com mais de 500 anos, nunca ter sido rico, pelo menos o povo,  sendo sempre um dos países mais importantes do mundo.

Segundo o Jornal El Pais, a China está preste a se tornar o maior exportador do mundo. Isso não assusta mais, todos já sabiam do potencial da China. A parceria da BRIC, Brasil, Rússia, India e China, países emergentes, está dando assustadoramente certo.

A China deverá ser o país mais rico do mundo, bem antes do que se esperava, seu perfil é bem diferente do Japão, segunda maior potência do mundo por muitos anos, a única semelhança é que são asiáticos. A China é um país com um mercado interno muito grande, portanto, sua experiência interna acaba sendo muito importante, na hora de exportar.

Vem da Índia, o novo Bill Gates, como está sento chamado Murthy, da Murth Infosys, outro empresário que prima pela experiência e paciência oriental.

A empresa iniciou atividades em 1.981, praticamente, na mesma época da Microsoft, mas foi com o surgimento dos supercomputadores baratos que a empresa resolveu aproveitar a mão de obra barata, para fazer a mesma coisa que a China estava fazendo, desenvolver tecnologia.

A grande vantagem da índia  sobre a China, foi o fato de conhecer muito bem o Inglês, língua oficial do país. Assim a importação, e desenvolvimento, de conhecimentos, baseados em tecnologias, foi muito rápido.

Enquanto a China teve que alfabetizar os chineses no inglês, e se orgulhava disso, a India, por sua vez, saia na frente nesse quesito.

Rússia e Brasil continuam com o velho problema das máfias políticas, provocadas pelo imposto alto, criando uma rede gigantesca de corrupção.

No Brasil, especificamente falando, a ética perde quase o sentido, diante de tanta criminalidade.

Analisando friamente, poderíamos ter estatísticas surpreendentes, onde os criminosos, pessoas marginalizadas, não são responsáveis nem por dez por cento dos roubos do país. E o que assusta mais ainda, é que esses roubos são legais.

Depois que a esquerda assumiu o Governo, a oposição inexiste, ou cria apenas um teatro, no pior sentido da palavra.

Essas crises mundiais, já não assustam mais os emergentes, assim como não se assustam com calamidades ou problemas sociais. Nos países da BRIC, a conta tem sempre um endereço certo, o povo.

O mundo não pode mais chorar, muito menos os pobres desses países, o que será preciso descobrir agora, é como inverter essa situação, que tenderá a ficar cada dia pior.

No Brasil, quase a metade das empresas já são informais, há um movimento, e projeto, de formalização dessas empresas, mas isso só vai funcionar com os camelôs e pessoas que vêem uma real necessidade da previdência no futuro.

No mais, todos continuarão empurrando com a barriga, sabendo da necessidade de formalização, mas adiando o máximo possível. Mesmo com essa tendência de formalização de empresas, tudo poderá voltar ao que era antes, caso a situação se agrave.

Resumindo, quem conseguir acesso e privilégios políticos, diminuindo seus impostos, ou criando outras formas menos nobre de sonegação, terão sucesso, enquanto o resto trabalhará como escravo do governo, até as forças se esvairem.

By Jânio

janeiro 11, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , | 5 Comentários

A história da corrupção brasileira.

corrupção brasileira

A história da corrupção

Daniel Dantas pode ser considerado o maior criminoso a envolver-se  com corrupção política, no Brasil, e talvez do mundo.

Foi constatado por uma pesquisa internacional renomada, como tendo uma fortuna estimada em mais de um bilhão de dólares, antes dos escândalos, mas a revista Forbes, que relaciona os homens mais ricos do mundo, não incluiu seu nome na lista.

Depois de ser preso, iniciou-se um dos maiores processos, que se tem notícia, na história. O caso de Daniel Dantas, lembra muito o saudoso PC Farias, o medroso que ameaçou entregar todo mundo e acabou morrendo por crime passional.

Dantas não é medroso, foi criado em meio a negócios  e política, não necessariamente nessa ordem, mas tudo junto, a política e os negócios. Não há um crime, ligado ao sistema financeiro, que Daniel Dantas não tenha cometido, é um daqueles tipos de processos que seria impossível de ser investigado, sem o uso de um bom computador.

Sua pré-história  começou com seu pai, amigo de infância de Antônio Carlos Magalhães.

Seu primeiro banco, começou com menos de dez pessoas, pouco tempo depois já tinha noventa, e isso era só o começo.

Em sua longa história de empresário,  fez alianças com o maior doleiro do Brasil, passou por todos os Governos do Brasil, inclusive envolvendo muita gente importante, chegou a recusar ministérios importantes no governo, coisa que nem Mário Henrique Simonsen, de quem foi aluno na Fundação Getúlio Vargas, recusou. Dantas sabia que de dentro da política não poderia controlar o jogo, teria que ficar sobre a política.

Geraldo Alckmin irritou seus colegas de partido, quando disse que um político não pode ficar rico, ele estava certo. Dantas já sabia disso há muito tempo.

Além de envolver políticos de todos os Governos, as maiores empresas do Brasil, e de fora do país também, Dantas conseguiu provar que há casos sem solução, na justiça,  seu caso é um deles.

Todos os crimes de suborno e dólar na cueca, vira arte de criança, perto do esquema de Daniel Dantas. Durante a investigação, todos os tipos de escândalos foram identificados, desde o tempo das privatizações, até o escândalo do mensalão, passando por todos os Governos.

Esse deverá ser, sem dúvida, um processo sem fim, quanto mais se mexe, mais se encontra sujeira, mais gente envolvida.

Eu costumava dizer que para ser um bom corrupto, não basta ser um PC Farias, é preciso ser um Daniel Dantas. É um caso em que, se prender alguém, sempre aparecerá mais algum culpado, um processo que nunca acaba.

O mais interessante nesses casos, é que se a polícia não consegue prender o corrupto, quem cai não são os políticos envolvidos, é a polícia.

Foi o que aconteceu com o Delegado da Polícia Federal, acusado de passar dos limites, como grampear  Ministros do STF. Pode-se grampear  qualquer pessoa, mas o Ministro não.

É como se houvesse uma contra-inteligência no governo, encarregada de controlar a Polícia Federal, proibindo que ela investigue a todos, logo a política Federal, um dos únicos órgãos que funcionam no Brasil.

Daniel Dantas foi autorizado a viajar para fora do país, mas ele não é louco. Seu cúmplice, Cacciola, já sentiu na pelo o que é ser preso fora do Brasil. Como Dantas nasceu aqui, sabe que o Brasil é o melhor país do mundo para os corruptos.

Quem poderia fugir do Brasil, são os membros do PCC, do CV…

Esse é o problema, quando se cobram altos impostos, num país como o Brasil: Corrupção.

Dantas se formou em Engenharia, fez pós-graduação em economia, com Sinmonsen, descobrindo logo o que desejava na vida.

No banco Bradesco, chegou a vice-presidente em pouco tempo. Abriu seu próprio banco, sua ambição assustava seus próprios sócios.

Descobriu os homens importantes do Governo, ficando sabendo dos sonhos do Presidente FHC, da mesma maneira com que ficou sabendo que Collor iria confiscar a poupança. foi, inclusive, convidado para participar da reunião onde ficaria decidido o confisco e decretaria o fim do Governo Collor; essa é a vantagem de se estar sobre a política.

Criou várias contas em paraísos fiscais, como as ilhas cayman, e atraiu para si as maiores empresas do mundo, que pretendiam comprar o “Brasil”.

Essa história toda me faz lembrar de uma fortuna que apareceu na conta de um aposentado, recentemente, sem que ele soubesse.

O segredo da lavagem de dinheiro é que o dinheiro só passa a existir, de fato, depois de lavado, para isso leva um tempo. Isso significa que Dantas poderia não estar sozinho nessa, só depois do dinheiro lavado, daria para saber.

Como eu já disse, várias vezes, o bandido brasileiro é corporativo, é unido; no dia em que a pessoa honesta for unida, haverá uma grande mudança no mundo.

Pena que não temos muito tempo.

By Jânio

dezembro 23, 2009 Posted by | Política | , , , , , | 11 Comentários

   

%d blogueiros gostam disto: