Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Acidente Nuclear de Fukushina está em nível 7

Perigo no Japão

Acidente Nuclear

Como nossos amigos vinham alertando, o pior aconteceu no Japão. Segundo a rede de TV NHK, autoridades japonesas estariam passando para o nível sete, a gravidade do acidente na usina nuclear de fukushima.

Todos os blogueiros concordaram com a afirmação de que a mão de Deus esteve presente na tragédia do Japão, possibilitando que as pessoas se deslocassem daquele local.

Esse tempo, entre o terremoto até agora, foi suficiente para que o mundo inteiro se mobilizasse, enviando ajuda para os japoneses, assim como as autoridades tivessem tempo para dizer a verdade.

Passando para o grau sete, a tragédia se iguala ao acidente de Chernobil, pior, deixa claro que a energia nuclear não pode ser controlada pelo homem.

A proximidade do acidente nuclear com o maior centro urbano do Japão, serviu de alerta para os outros países em regiões de riscos, sobre falhas geológicas.

Foi suficiente também para que o corajoso povo chileno reagisse à visita de Barack Obama, enterrando de vez a ideia do projeto nuclear chileno. Todos nós temos na lembrança a tragédia do terremoto no Chile.

Fica bem claro que regiões de risco, grandes centros urbanos, energia nuclear e indústrias a base dessa energia, são incompatíveis.

Enquanto isso, celebridades como James Cameron e Arnold Schwarzenegger, saem em defesa das terras dos índios no Amazonas. Só se esquecem de avisar que a pobreza está diretamente ligada ao desmatamento e a colonização dessas áreas.

Preservar o planeta está se tornando um problema cada vez mais difícil de ser solucionado. O homem está entre um dilema: Ou proteger o planeta, ou proteger a si mesmo.

Eu entendo que a colonização das regiões das fronteiras sejam importante para o país, mas a colonização da floresta amazônica deixa claro que há interesses obscuros por trás desse progresso.

Caso as construções das hidrelétricas sejam inevitáveis, descartadas quaisquer outras fontes de energia alternativas, restará saber se o Governo terá competência para cuidar dos povos indígenas.

Como nós sabemos, a República Americana é muito eficiente em fazer justiça fora de seu território. Tudo em nome do Império.

Como tudo começou:
By Jânio

abril 12, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , | 6 Comentários

Total de vítimas no Japão pode chegar a quinhentas mil

Primeira Tragédia

Reator de Chernobyl

Muita gente já consegue avaliar as consequências do acidente nuclear, provocado pelo terremoto do Japão. Somando todas as vítimas, tanto do terremoto, quanto daquelas que deverão se deslocar para evitar a contaminação, o total de vítimas chega a quinhentas mil.

Segundo alguns cientistas, as usinas nucleares seriam a melhor alternativa para uma demanda cada vez maior por energia. Isso evitaria que o meio ambiente tivesse de ser sacrificado, evitaria também que alimentos fossem utilizados para a criação de energias alternativas.

A natureza tem demonstrado que quem dará a última palavra, quando o assunto são recursos naturais, sempre será ela.

A visita de Obama foi oportuna, estratégica, quando se trata da Guerra da Líbia, afinal, o Brasil não votou, preferindo manter-se neutro nesse conflito. Quando o assunto é energia nuclear, a visita do Presidente dos Estados unidos não foi tão oportuna assim.

Pesquisas com energia nuclear vinham sendo feitas no Chile, mas como o Chile teve um terremoto alguns meses antes do terremoto do Japão, a visita de Barack Obama aumentou ainda mais essa polêmica, afinal, os dois países vem acertando acordos em vários campos, entre eles no setor de energia nuclear.

O desastre nuclear do Japão, deixa claro a impossibilidade de instalação de usinas nucleares em regiões de risco. Até o acidente em chenorbyl (veja foto acima) achava-se que o problema era ligado a gestão e infraestrutura, mas o acidente no Japão mostra um perigo muito maior, imposto pelas forças da natureza.

Todos nós sabemos que os terremotos não são as únicas forças da natureza. Sabemos da instabilidade do planeta e dos riscos aos quais estamos submetidos.

Durante os terremotos do Japão, outro acidente acontecia no Brasil, as enchentes provocadas pelas chuvas.

As enchentes mostram um outro perigo, onde o homem se vê incapacitado de controlar o próprio destino.

Até uma hidrelétrica gigante oferece risco de se romper, mas, nesse caso, o homem terá um controle maior.

Decisões ligadas a infraestrutura, são impopulares, anti-democráticas, já que o povo não tem participação direta.

Não é de hoje que manifestações anti-energia nuclear ocorrem pelo mundo, mas as pessoas não se preocupam em se manifestar, pelo menos enquanto isso não oferecer riscos diretamente ligados a elas.

Com o tempo, esses monstros ficarão desgastados, surgindo o perigo de acidentes e de contaminações em grande escala.

Se as pessoas pudessem ler a linguagem de fumaças, poderiam ler as mensagens no Japão, cada vez que ocorre um vazamento e evapora uma nuvem escura.

By Jânio

março 23, 2011 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , | 4 Comentários

Uma mancha escura cobre o Japão

ajuda humanitária

Terremoto Japão

Um problema que parecia local, no Japão, adquiriu proporções planetárias. Bem que eu desconfiei, quando o consulado de Nagoya disse que estava tudo sob controle.

De alguma maneira, as complicações provocadas pelo terremoto, tsunami e catástrofe nuclear, desencadearam um efeito cascata. Um novo terremoto, agora mais forte, como nunca foi visto antes no planeta, começou a acordar o gigantesco vulcão adormecido.

Essa combinação de catástrofes naturais, desastre nuclear e erupção vulcânica, pela primeira vez deixou a Terra no limite.

Acompanhando tudo pela TV, jornais, rádio e internet, comecei a ver que o desastre do Japão atingiu a todos nós. As orações que antes eram apenas direcionadas aos japoneses, passaram a ser um pedido de clemência.

Enquanto eu orava, olhando para o horizonte, o que parecia normal tornou se aterrador. O brilho do sol deu lugar a uma mancha negra.

Já é possível ver a tragédia do Japão da minha cidade, nunca havia pensado que o mundo iria acabar com um acidente no Japão.

Pela tv online, vejo a terra tremer, apenas os cinegrafistas dos helicópteros conseguem captar as imagens, não é possível filmar mais da terra.

Não dá mais para assistir, eu vou para fora de casa, a tragédia já é visível a olho nu, todos nós aguardamos o veredicto final. A mancha no céu começa a aumentar, enquanto começo a ouvir foguetes na cidade.

De alguma maneira, por incrível que possa parecer, as pessoas parecem aceitar o seu destino, talvez influenciadas pela calma dos japoneses, e principalmente pela religião, todos começam a fazer festa. Penso comigo, quem será o pastor que conseguiu tamanha proeza, convencer as pessoas que o “grande dia” chegou, o dia de se encontrar com Deus.

É impressionante como o fim do mundo se parece com aquele eclipse de 1.986, quando eu ainda era apenas uma criança assustada…o mais estranho é que eu ainda sou uma criança; meu irmão falecido continua vivo – Será que eu viajei no tempo, ou apenas estou sonhando?

Penso nos amigos – AMIGOS – vocês são o portal de saída de meu sonho lúcido.

Ontem, eu deveria ter deixado para rezar quando eu acordasse. Rezando para dormir, pensei no Japão e nos brasileiros que lá estão, despertei o meu lado obscuro da mente.

Felizmente, acordei aliviado em saber que a Terra ainda não está acabando.

A minha dor de cabeça, agravada por uma leve gripe crônica, deixaram-me com o sono leve, em estado de transe, levando me a viver mais um de meus sonhos lúcidos.

Ainda dá para mudar o mundo; os japoneses poderão se retirar para um lugar seguro; a Terra não está se partindo ao meio, devido ao efeito cascata do vulcão, terremoto, tsunami e desastre nuclear.

Ainda estamos vivos, meus amigos, e podemos ajudar.

ATENÇÃO BRASILEIROS DO JAPÃO: Favor fornecer o nome e a localização, para que possamos entrar em contato com as autoridades, embaixadas e consulado.

…e não vamos esquecer que o Paraná está atravessando mais um alagamento.

Imagens do terremoto de 2.011 no Japão

Comunicado às famílias de brasileiros no Japão

by Jânio

março 19, 2011 Posted by | Reflexões | , , , , , | 27 Comentários

Comunicado às famílias dos brasileiros do Japão

brasileiros no japão

Notícias do Japão

A solidariedade às vítimas do Japão vem do mundo inteiro, e essa é uma atitude a qual os países tem adotado nos últimos terremotos. Foi assim no caso do terremoto e mineiros soterrados no Chile, terremoto do Haiti, China e Nova Zelândia.

Os Estados Unidos normalmente são os primeiros a aderir às campanhas, enquanto países como o Brasil tiveram uma participação maior aqui no Haiti, e isso é bom já que não havia interesse econômico ou marketing envolvidos.

No caso do terremoto no Japão, a participação do Brasil poderia parecer modesta, mas com a quantidade de famílias que tem parentes trabalhando no Japão, não há dúvidas que a mobilização será maior, Enquanto o governo oferece 80 policiais especializados em resgates, na comunidade de descendentes a mobilização é ainda maior e mais rápida.

O grande problema enfrentado pelas autoridades japonesas no momento, são as usinas nucleares. Os Estados unidos chegaram a enviar especialistas para ajudar a controlar o desastre.

Profissionais, jornalistas e a própria população local estão sendo orientados a manter distância dos locais próximos às usinas nucleares, as distâncias vão de 150 a 200 quilômetros.

A prioridade sempre será a vida dessas pessoas, pessoas cuja história carrega o trauma de tragédias nucleares.

Informativo do Consulado brasileiro em Nagóia:

Devido ao grande número de cidadãos solicitando documentos neste Consulado durante esta semana, solicitamos que tragam o protocolo de pedido de passaporte devidamente preenchido, acompanhado de fotografia e cópia dos documentos necessários.

——————————————————————————–

“AVISO À COMUNIDADE BRASILEIRA

Devido a informações desencontradas veiculadas pela imprensa e por meio de redes sociais, o Consulado-Geral do Brasil em Nagóia esclarece o seguinte:

– Neste momento, as informações disponíveis indicam não haver risco sério de contaminação nuclear das populações fora do perímetro estabelecido pelo governo japonês ao redor da Usina de Fukushima. As informações de que haveria aviões brasileiros a caminho para buscar cidadãos são neste momento falsas. O Governo Federal Brasileiro, o Itamaraty, a Embaixada do Brasil no Japão e os Consulados-Gerais do Brasil em Tóquio, Nagóia e Hamamatsu estão monitorando atentamente os acontecimentos no Japão desde o terremoto e o tsunami de sexta-feira e estudando quais medidas serão tomadas caso a situação da Usina Nuclear de Fukushima venha a representar risco concreto às comunidades brasileiras;

– O Consulado-Geral do Brasil em Tóquio organizou missão para a retirada dos brasileiros que o quiserem das regiões de Sendai e Fukushima, regiões severamente afetadas pelo terremoto e pelo tsunami. Esta missão encontra-se agora em andamento. Não há previsão, neste momento, de missões de retirada de brasileiros de Ibaraki ou outras regiões;

– Sugere-se que os brasileiros mantenham a calma, economizem recursos e energia e mantenham-se informados junto às prefeituras de suas localidades quanto a eventuais medidas emergenciais a serem tomadas.

——————————————————————————–

Nota à Imprensa divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores

(14 de março de 2011)

“Recomendação a viajantes. Face ao estado de emergência e às incertezas decorrentes do terremoto no Japão, roga-se aos brasileiros evitar viagens a este país até que a situação se normalize.”

——————————————————————————–

COMUNICADO DA EMBAIXADA DO BRASIL EM TÓQUIO

A Embaixada encontra-se em contato permanente com as autoridades japonesas, que informam não haver, até o momento, brasileiros entre as vítimas do terremoto e dos tsunamis que atigiram o Japão.

– Ainda há áreas isoladas nas regiões mais diretamente afetadas. Em diversas outras localidades, ainda não foram normalizados os serviços de transporte, energia, comunicações e abastecimento. As autoridades japonesas trabalham para solucionar esses problemas no mais curto prazo de tempo possível.

– Para os brasileiros que se encontram na província de Fukushima:

O governo japonês decretou a evacuação de área de 20km ao redor da usina nuclear de Fukushima Daiichi e de 3km da usina nuclear de Fukushima Daini. Recomenda-se aos brasileiros que sigam as instruções das autoridades japonesas competentes.

– O Comitê Internacional da Cruz Vermelha mantém website “Rede de Laços Familiares”, em português, no endereço

http://www.familylinks.icrc.org/web/doc/siterfl0.nsf/htmlall/familylinks-japon-por

com o objetivo de facilitar o restabelecimento de contato com familiares nas regiões afetadas.

– A empresa Google disponibiliza serviço semelhante no endereço

Serviço da Google para os brasileiros

Consulado brasileiro em Nagoya

Imagens do terremoto de 2.011 no Japão

Mancha escura cobre o Japão

“ESTÁ TUDO SOB CONTROLE!”

março 17, 2011 Posted by | Internacional | , , , , , , , , | 11 Comentários

Baleeiros japoneses enfrentam seu maior inimigo

conflito internacional

Caça as baleias

A Austrália é um dos países onde as associações defensoras da natureza são as mais fortes do mundo. Não seria exagero, dizer que a morte de uma baleia gera mais polêmica que um homicídio.

De certa forma, quando se fala em ecologia, mudanças climáticas ou proteção da natureza, na Austrália, está se falando em proteção do mundo, nesse caso, os direitos da sociedade está sobre o direito individual.

Quando o Presidente Lula falou que o animal que mais corre o risco de extensão no mundo é o homem, ele se esqueceu que o homem é o maior responsável pelas mudanças climáticas no mundo, portanto dono de seu próprio destino.

Devido a demanda comercial no Japão, a baleia tem muito valor comercial, mesmo contrariando as leis de proteção da espécie.

A baleia, um dos animais mais curiosos e primitivos do mundo, costuma nadar em áreas internacionais, não é um animal que frequenta muito as costas marítimas, sob risco de ficar encalhada. Esse fato a coloca na mira da pesca predatória, dos baleeiros.

Assim o Japão e a Austrália se envolvem em um conflito grave de atentado contra a natureza. O primeiro ministro australiano Devin Rudd, atendendo ao apelo popular, deu um ultimato ao Japão para que parem com as caças as baleias, próximo a Austrália.

O ministro japonês de negócios estrangeiros Katsuya Okada defende-se afirmando que as pescas citadas tem por objetivo pesquisas científicas, parece que não está convencendo muito não.

O primeiro ministro da Austrália já alertou para o fato de ter provas suficientes para apresentar a corte, se for o caso. Não é de se duvidar, pela forma como os ambientalistas se atiram na frente dos baleeiros, arriscando a própria vida.

Outro grande obstáculo, nesse conflito, deverá ser no campo econômico, já que  o Japão é um dos maiores parceiros econômicos da Austrália.

A Austrália sempre foi um país muito castigado pela natureza, muito antes de se falar em mudanças climáticas, aquecimento global ou resfriamento, questões ligadas  ao desenvolvimento sustentável é levado muito a sério no país.

O primeiro ministro da Austrália chegou a ameaçar levar a questão da caça as baleias á corte internacional. O resultado desse conflito será muito importante para o resto do mundo, pois de um lado está o interesse econômico, de outro uma das comunidades ecológicas mais fortes do mundo, incluindo a associação Sea Shepherd.

By Jânio

fevereiro 22, 2010 Posted by | Internacional | , , , , , , , , , | 13 Comentários

O melhor país para se trabalhar é o Brasil.

trabalho fora do brasil

trabalho fora do brasil

Eu tenho acompanhado a aventura, ou desventura, de brasileiros pelo mundo. É incrível como o brasileiro se adapta com facilidade em qualquer região ou país.

Todo brasileiro tem, teve ou terá o sonho de trabalhar fora do país, mas, pelos relatos que temos acompanhado, a vida dos brasileiros, lá fora, não é nada fácil.

Tudo o que a gente tem interesse, a gente pesquisa; tudo o que a gente pesquisa, a gente acaba acumulando muitas informações.

Encontrar os endereços de embaixadas, aqui no Brasil e lá fora, não é problema, pela internet é muito fácil. O grande problema é saber o que vai encontrar lá fora.

O pessoal do site mochileiros, não pensam duas vezes para cair na estrada; basta ter um pouco de dinheiro no bolso, um destino na cabeça e lá vão eles. Estão prontos para tudo.

Os mochileiros estão prontos para tudo, são capazes de resolver e enfrentar qualquer problema que apareça pela frente. Além disso, eles tem uma das comunidades mais animadas do Orkut.

No Dihitt, vi um relato da Nakamura, uma pessoa muito simpática, que narrou as aventuras dos descendentes brasileiros que levam uma vida dura no Japão. Além do preconceito, enfrentam jornadas de serviços, até três vezes o tempo que trabalhariam aqui.

Além de trabalharem o triplo, os brasileiros, dormem em locais pequenos, não podem gastar, e, o único sonho, é poder voltar para casa com algum dinheiro.

Não é surpresa para mim,conheci muitos brasileiros que foram para o Japão, todos conseguiram o que queriam. O único requisito é estar preparado para abandonar tudo, lazer, e só trabalhar.

Tenho amigos que foram para a Inglaterra, Estados Unidos, Portugal, etc. A história não muda muito, o sofrimento é quase sempre o mesmo.

Há países que oferecem oportunidades de crescimento maior que a média, chance de ficar rico mesmo, como Angola, que atravessa um período de transição muito grande.

O país oferece oportunidades, principalmente, nas áreas que o país carece de mão-de-obra, ou seja, técnica, especializada. Para os trabalhos mais comuns, o Governo de Angola fechou as portas, para que outros países não tirassem as oportunidades de Angola.

Mesmo assim, com toda essa restrição, as empreiteiras brasileiras, aquelas mesmo que atuam no Iraque e outros países, já estão em atividade em Angola, e costumam levar muita gente do Brasil.

Mas, como eu disse, a vida não é fácil. É aconselhável que a pessoa só viaje para países onde já tem algum amigo muito próximo, ou parentes com os quais possam contar.

Algumas pessoas que já foram preparadas para o pior, ainda assim, se surpreenderam em Angola, um país que acabara de sair de guerra civil, onde as necessidades básicas para o ser humano eram escassas.

Segundo relato dessa pessoa, ele esperava, sim, um país em dificuldade, mas quando viu a fila para comida, seus novos amigos dizendo: “Pegue o máximo que puder, cologue no bloso, por baixo da camisa, onde puder, você não sabe quando poderá comer novamente”.

Nesse momento, ele sentiu o drama; a dureza de viver em um país que está renascendo. Segundo ele, aprendeu muito, graças a sua juventude e a sua boa saúde, mas não indicaria nem para os inimigos.

Algumas pessoas, mais bem informadas, já tem uma nova filosofia sobre trabalhar fora do Brasil: “Se for para você trabalhar três vezes o que você trabalha, passar necessidades, correr riscos a saúde e a sua própria vida, melhor investir toda essa energia aqui mesmo”.

Segundo algumas pessoas que passaram pela experiência, aqui no Brasil, segundo elas, poderiam ficar ricas trabalhando como trabalham fora do Brasil. É como trabalhar em três empregos.

By Jânio

setembro 1, 2009 Posted by | oportunidades | , , , , , , , , | 16 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: