Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Morre o maior ídolo da música pop aos 50 anos.

o maior cantor de música pop.

o maior cantor de música pop.

Terminou, hoje, a caminhada do maior mito das artes que o mundo já viu, não, ele não morreu, como dizem os políticos brasileiros, agora ele deixa de ser bom ou mal, passa a ser uma lenda.

A cultura Afro tem tudo a ver com o ritmo, com o som, com a música pop, Michael Jackson é um exemplo raro desta mistura. Nasceu de uma família que vive e respira música, não foi o primeiro, nem o último a  beber da fonte, depois dele vieram Janet e a nova geração da família Jackson.

O que aconteceu com o menino Michael, vejo acontecer o tempo todo, com crianças que perdem a infância, ou porque começam sua vida adulta muito cedo, ou porque seus pais são ausentes.

Michael seria como uma cria de laboratório, daqueles que é preparado para ser um astro, sendo controlado pelo próprio pai, a história nos mostra que arte e família não combinam.

O cantor ganhou tanto dinheiro que até ficou difícil para a Imposto de Renda controlá-lo, ele tinha tanto dinheiro que não sabia mais o que fazer, quando isso acontece, o artista vira o que chamam de excêntrico, começa apresentar desvio de personalidade ou seria a própria personalidade, sem nenhum tipo de controle, por parte da sociedade.

Fazendo ou criando maluquices, ou seria criancisse,  como NeverLand, um parque de diversões temático, se não fosse tão rico, diriam que era sua personalidade perturbada pedindo socorro. NeverLand, a terra do nunca, terra de Peter Pan, o menino que nunca cresce, ficando eternamente como uma criança, a criança que Michael nunca foi.

No parque ele vivia assim, como uma criança, e crianças precisam de outras crianças para brincar, ele conseguiu as crianças para brincar com ele. Ele poderia dizer que criou o parque para as crianças, pode até ser, mas para alguém que não teve infância ….

Depois começaram as plásticas, coisa de rico mesmo, pobre consegue, no máximo, fazer uma, parcelada em vinte ou quarenta prestações.  Michael jackson, como todo ícone que se preze, tinha que ser sempre o maior, a mídia cobra isso dele, ainda mais se for a americana.

No auge de sua excentricidade, quando sua pele clareou, seu cabelo alisou, mudou o nariz, lábios, quase todo o corpo, sua aparição chocou o mundo todo, negativamente falando, é claro.

Sua aparição, transfigurado, me lembrou o momento em que Júlio César mostra a estátua de Cleópatra ao povo romano. Assim como César, Michael mostrava que não se importava com o que pensavam dele, estava acima de qualquer coisa que pudessem falar dele.

Entre suas principais excentricidades estão: gravar  com o Beatle Paul McCartney, comprando o direito sobre todas as músicas dos Beatles, casar com a filha do Rei do Rock Élvis Presley, criar o parque temático Neverland, o clip mais caro da história, reunir os artistas mais famosos da música pop americana, em uma única música,  o disco mais vendido da história, fazer plásticas e, no auge das excentricidades, mudar a cor da pele, entre outras.

Seu Império entrou em declínio quando seus amiguinhos começaram as acusações de abuso sexual, pedofilia, como diz um ditado antigo, “Quem brinca com criança, amanhece molhado”. O contrato milionário com os japoneses se revelou um grande fracasso.

Entre um processo e outro, por abuso sexual, Michael já não tinha tempo para a carreira, teve que sair do país para evitar novos processos, com certeza o dinheiro saiu junto, seus empresários não são tão ingênuos assim.

O último show de Michael se revelou um fiasco, mostrando que sua carreira estava perto do fim, mas, ao que parece, o menino da calça curta acreditava em uma mudança, a mudança não veio e o  menino de cinquenta anos havia envelhecido, ao contrário de seu personagem, Peter Pan, o choque deve ter sito grande para ele, pois justamente quando ensaiava uma volta por cima, o coração o abandonou, deixando bem claro que o julgamento final não será nosso.

O homem que sonhava em ser menino para sempre, entrou para a história como aquele que criou o som perfeito, se transformou no ícone da música pop, e nunca será esquecido por isso.

Sua vida, ninguém pode dizer o que terá acontecido, ainda bem que não temos nada com isso, eu cheguei a ficar com nojo dele, no auge do escândalo, tamanho o assédio da imprensa, insistindo no caso. O cantor Michael Jackson entrou no processo que chamamos de o “O crepúsculo dos deuses”.

Agora, finalmente, o menino Michael, que se recusava a crescer, finalmente encontrou a terra de Neverland, nunca mais voltará a envelhecer, e conseguiu o mais importante, liberdade.

By Jânio.

junho 26, 2009 Posted by | Música. | , , , , , | 4 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: