Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

A mulher que tinha pinto

Senhora Pinto

Problemas de Mulheres

Quando eu descobri que minha amiga tinha um nome muito comum no Brasil, Pinto, mas que não deixava de constranger as crianças daquela idade, chamou-me a atenção o fato de todos estarem humilhando-na. Eu sei o que é passar por uma humilhação e senti na pele.

Decidi ir consolá-la, mas isso também não deu certo, estávamos na fase dos clubes da Luluzinha e do Bolinha, menino não pode chegar perto de menina. Ela não gostou da intimidade, olhou para mim e me intimou – Você vai ter de namorar comigo!

Nessas alturas eu já me via envolvido na bagunça da molecada e respondi – Tudo bem, eu namoro, mas se você quiser casar, vai ter de tirar o pinto do seu pai fora.

Ela respondeu furiosa – O pinto do meu pai eu não tiro, não. Se eu tiver de tirar o pinto do meu pai fora, eu não caso!

Uma outra menina, muito encrenqueira, lembrou-me que um dos professores também se chamava Pinto.

– Eu quero ver se você é homem de perguntar o nome para ele – disse ela.

Naquela idade, desafio público era sempre um problema difícil de evitar. Assim, quando o professor chegou, eu fiz a pergunta que quase acabou com a minha carreira de estudante.

– Professor, o senhor é da família dos Pintos?

– Vai se f****! – respondeu ele.

Ninguém acreditou que um professor fosse falar um palavrão daqueles, numa sala repleta de crianças. Eu senti até um frio na barriga.

Pouco tempo depois, o professor veio se desculpar. Ele disse que o nome era o seu ponto fraco.

Eu lembrei-lhe que uma menina também tinha esse nome e que para homem não tinha problema, era mais fácil.

Eu também lembrei-lhe – O nome daquele escritor pode ser mais fácil para as mulheres, mas par os homens, nem tanto.

– Qual escritor? – perguntou-me ele.

– José Lins do Rego, professor, autor de “Menino de Engenho”.

Anos antes, Chico Buarque tinha causado furor com a frase musical: “Joga pedra na Geni; joga b**** na Geni…

A música foi censurada e lembrou a todos que a liberdade no Brasil não era questão de ditadura mas, sim, da própria sociedade.

Vinte anos mais tarde, foi o próprio Governo Federal que teve problemas quando, durante a campanha contra AIDS, houve uma campanha paralela para descobrir como seria chamado o p****, e dessa vez não era um nome, era o próprio caminhãozinho.

O nome escolhido foi Bráulio, mas não demorou para que os Bráulios ricos do país inteiro processassem o Governo. Resultado: toda a campanha teve de ser reiniciada, dessa vez com outro nome.

Também teve aquela vez que a professora perguntou se era justo que a mulher fosse chamada de sexo frágil, mas essa fica para a próxima.

By Jânio

O problema das galinhas são os pintos

Dia bom do ladrão bão

As piadas mais racistas do mundo

outubro 9, 2013 Posted by | Piadas | , , , , , | 1 Comentário

As piadas mais racistas do mundo

piadas racistas

Quando a professora me perguntou se poderia contar uma piada polêmica, eu fiquei logo imaginando o que ela estaria pensando – Desde que não seja racista – respondi.

Eu estudava numa classe em que não haviam afrodescendentes, mas haviam três descendentes de japoneses. Mais tarde, uma desistiu e ficaram dois.

– Durante a guerra – começou a professora – haviam três astronautas no espaço, mas um acidente fez com que eles ficassem sem ar suficiente para chegar a Terra. Um deles teria de sair da nave e ficar no espaço.

Acharam justo que fizessem um teste e quem errasse a resposta, teria de deixar a nave. As perguntas foram feitas pelo controle, na Terra.

Para o Russo foi perguntado: Qual foi o presidente que ordenou a bomba atômica no Japão e qual o nome do piloto? – A resposta foi correta.

Para o americano foi perguntado o número de vítimas afetadas pela bomba – Mais uma vez a resposta foi correta.

Para o astronauta brasileiro foi perguntado: Quais eram os nomes e os endereços das vítimas?

Naturalmente, o brasileiro teve de deixar a nave, já que o ar só seria suficiente para dois.

Eu pensei durante algum tempo, e depois respondi – Sabe, professora, por um momento eu pensei que você fosse contar uma piada racista.

A professora me chamou para um canto e respondeu – Quando eu disse brasileiro, na realidade, era negro.

Aí, eu contei uma piada racista também, era uma espécie de contra-ataque.

– Professora, dois homens estavam viajando em um avião, quando o avião começou a apresentar problemas. O piloto avisou que o problema era grave mas que mantivessem a calma – Um dos passageiros era afrodescendente e o outro era caucasiano.

E o piloto gritou – Segurem-se! – enquanto o avião começava a balançar, o motor ameaçava parar, e os dois passageiros ficavam desesperados.

Depois de muito tempo, o piloto olhou para o afrodescendente e desabafou – Calma homem, você é medroso mesmo, héim? Faça como o polaco lá do canto e seja corajoso, enquanto você treme e grita, o outro passageiro está dormindo tranquilamente. Eu não sabia que os negros eram tão medrosos.

Foi aí que o passageiro olhou para o homem do canto, tentou acordá-lo e descobriu que ele estava morto. Havia morrido de medo.

By Jânio

Ensinando a deixar de ser racista

maio 12, 2012 Posted by | Piadas | , , , , , , , , | 11 Comentários

Para que serve o Dia do Beijo

histórias dos beijos

Imagens de Beijos

Vocês já repararam que sempre no Dia dos Namorados, ou no Dia do Beijo, estamos sozinhos? – Não? – Então é porque você está namorando – Não? – Então você é casado? – Não importa, eu não vou perder esse texto.

Quem não está namorando, ou não é casado, passa por um conflito psicológico – “Está vendo, você foi terminar tudo, agora está sozinho. Você poderia estar comemorando esta data, ao invés disso, está curtindo a fossa”.

Não é todo mundo que passa por esse conflito – Eu sei – algumas pessoas nem se importam em demorar para ter o(a) primeiro(a) namorado(a) – a a a – e eu até acredito nisso. É sério, algumas pessoas chegam aos 17, 19 anos, e não estão nem aí para a vida amorosa.

Algumas pessoas não dizem que o chocolate é o substituto natural para o amor? – Então! – Tem o substituto natural para o chocolate, o substituto para o chocolate.

Isso me lembra daquela piada do Maurício de Souza, quando o fumante depois de um longo e exaustivo tratamento, finalmente, ouve do médico. “Meu amigo, você está curado!”

O que ele fez em seguida? – Não, ele não chorou e agradeceu a Deus. Ele reuniu os amigos e deu uma festa, a festa começou na segunda, terça, quarta, quinta e sexta-feira, no sábado eles não tinham o que fazer, continuaram a festa, sábado e domingo. Na segunda-feira ele procurou o médico e disse: “Doutor, eu acho que eu me tornei alcoólico…”

Eu sei que é filosofia infantil, mas a vida é assim mesmo.

Eu creio que o Dia dos Namorados e o Dia do Beijo, foram criados somente para motivar as pessoas a procurarem seus parceiros, portanto uma forma diferenciada do cupido acertar o alvo.

…aí veio o cupido do mal, é, aquele que tem chifrinho, e criou o dia do sexo – Não! – Não me perguntem para que foi criado esse dia, isso é coisa de pervertido…

Os Melhores filmes de beijos de todos os tempos

As melhores cenas de beijos

Melhores Beijos Clássicos

Os Melhores Beijos Lésbicos

By Jânio

abril 14, 2011 Posted by | Piadas | , , , , , , , , , , , | 4 Comentários

Marcas do que se foi

planeta da paz

Esperança e Fé

A década de 70 foi uma década mágica, década do “milagre econômico”, uma época em que as pessoas sonhavam.

Nessa época as pessoas não perdiam dinheiro com a inflação, mas também não tinham dinheiro. O pobre não tinha dinheiro para pagar a faculdade dos filhos, mas era feliz assim mesmo.

Ninguém tinha dinheiro para viajar nos luxuosos boeing da Vasp, Varig, TransBrasil; Na tv, fumar cigarros da Hollywood era como uma viagem ao Havaí; cigarros da Sempre livre era símbolo de liberdade, Arizona era o cigarro da vida pura no campo. Por trás de tudo isso, havia sempre a realidade de uma morte à espreita.

Na tv, os seriados mais famosos eram: Cyborg – O homem de seis milhões de dólares; A mulher maravilha; As panteras; O planeta dos macacos; Jornada nas Estrelas; além dos seriados policiais.

Tvs menores reprisavam seriados da década de sessenta  como: O túnel do tempo; A feiticeira; Jeanie é um gênio e até o maior mito das séries de tv, Tarzan, além dos seriados de faroeste.

Em finais de ano, a maior rede de tv do Brasil reunia seus astros e estrelas, para desejar boas-festas.

A música escolhida era “Marcas do que se foi”, essa era a canção que vendia a ilusão de que morávamos um um paraíso, e que tudo ia bem. A ideia deu tão certo, que essa rede de televisão criou sua própria música, não era seu interesse divulgar música de terceiros.

Apesar dessa música deixar de vender uma imagem utópica e ufanista de uma época, a música é muito boa, sendo cantada até em igrejas.

Sendo considerada uma mensagem de alegria, paz e fé, a música dos Incríveis ficou na memória de todas as pessoas que viveram nessa época. Um hino à esperança e a um recomeço.

MARCAS DO QUE SE FOI

OS INCRÍVEIS

Roberto Pera e Flecha

Este ano quero paz
No meu coração
Quem quiser ter um amigo
Que me dê a mão…

O tempo passa e com ele
Caminhamos todos juntos
Sem parar
Nossos passos pelo chão
Vão ficar…

Marcas do que se foi
Sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce
Novo em cada amanhecer

Este ano quero paz
No meu coração
Quem quiser ter um amigo
Que me dê a mão

O tempo passa e com ele
Caminhamos todos juntos
Sem parar
Nossos passos pelo chão
Vão ficar

Marcas do que se foi
Sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce
Novo em cada amanhecer

Música: Roberto Pera e Flecha

Texto Introdutório: Jânio

agosto 29, 2010 Posted by | Música. | , , , , , , , , , | 8 Comentários

Confrontos das oitavas de final já decididos da Copa

american dream

Sonho Americano

As emoções continuam no segundo dia de decisões nos grupos da Copa da África, sempre com o melhor ficando para o fim da partida.

Esse foi o caso do jogo onde os EUA insistiram em escrever a sua história. Suas últimas participações nas copas, tem criado um certo respeito em relação às outras seleções.

A medida em que o futebol se espalha pelo mundo, vai se tornando mais duro. Times como os EUA, criaram suas técnicas de marcação forte, com isso, o resultado de seus jogos depende sempre de seus ataques, pelo menos é isso o que podemos comprovar, analisando o resultado de suas apresentações.

Só no jogo contra a Eslovênia, foram quatros gols marcados. A Eslovênia saiu e marcou dois, os EUA também.

Essa tática nem sempre funciona, principalmente quando o time não tem um boa estrutura. Veja o caso de Portugal e Coréia do norte: Portugal saiu; marcou sete gols; a Coréia poderia ter marcado também – eu disse poderia – porque o time se desestabilizou e não conseguiu marcar nem um, isso acontece quando o time não tem estrutura, acontece também quando o adversário se convence que “a melhor defesa é o ataque” – Portugal se defendeu muito.

Não adianta as pessoas esperarem por goleadas – pode até acontecer – pessoas estressadas, e que amam o futebol, devem começar a fazer terapias ou se adaptar aos novos tempos. Nessa partida dos americanos, além de exigir uma paciência muito grande, é preciso um coração muito forte. O gol saiu aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo, fazendo justiça ao gol anulado anteriormente, o resto é história.

A Argélia lutou muito, mas pagou caro por não ter obtido bons resultados em outros jogos anteriores a esse; nos novos tempos do futebol, vencem quem tem mais regularidade em suas partidas de futebol. Nas fase eliminatória, é preciso muita atenção, concentração.

As semelhanças com um jogo de xadrez ficam cada vez mais evidentes: é preciso ter paciência num torneio muito curto, onde as emoções são muito fortes e o sucesso depende de atenção, liderança, disciplina, técnica, tradição e o mais importante de tudo, talento.

Talento não vem do berço, se desenvolve, mas é preciso persistência e dom, para estar entre os melhores.

A Alemanha está fazendo uma campanha bem abaixo do esperado, sua campanha fica ainda pior, se comparada com a época em que a gloriosa seleção da Alemanha conseguiu seus três títulos, impondo um respeito ao mundo inteiro. Ao contrário de equipes como a Argentina, que se dá ao luxo de colocar reservas em seu último jogo, a Alemanha parece estar adiando o inevitável, uma derrota na fase eliminatória.

Na partida contra Gana, o jogo seguiu frio e terminou como começou, num fraco um a zero, classificando as duas equipes. Se o jogo fraco e truncado se explica porque envolveu as duas equipes mais fortes do grupo, a história pode ficar bem mais deprimente, se lembrarmos da derrota da Alemanha para a Sérvia, quase foi eliminada na primeira fase.

Gana conseguiu a maior torcida de sua história, enquanto estiver na Copa, toda a torcida da África do Sul, anfitriã dessa edição, estará ao seu lado. A equipe de Gana representa todo o continente africano, e sabe de sua importância.

Como podemos ver, essa partida envolveu duas equipes e duas histórias diferentes: Gana, uma equipe em ascensão, representando todo o continente africano, e a Alemanha, trazendo consigo o retrato da crise econômica européia, e a emigração de jogadores de volta para os seus países. Pode parecer que não, mas todo o futebol europeu está em franca decadência, apesar de quase todos terem se classificado.

A própria imprensa dos países europeus, participantes da Copa da África do Sul, passavam essa imagem negativa em relação as equipes europeias, o caso mais curioso era o da França, diziam que o time não passaria da primeira fase – Adivinha o que aconteceu?

No Brasil, pode-se até insinuar uma performance negativa do time, mas dizer as palavras literalmente, isso nem pensar. No Brasil, o futebol ainda está na época da Monarquia, não se pode ter essas liberdades.

O grupo dos eliminados de hoje pode até lembrar o jogo da África do Sul e França, onde o time da casa se despediu com uma vitória, levando a França a digerir tudo o que plantou durante sua preparação para a copa, mas a vitória da Austrália sobre a Sérvia mostra muito mais, mostra o equilíbrio de todos os times da desse grupo: A Austrália venceu a Sérvia por 2 x 1; a Sérvia foi a principal responsável pela situação da Alemanha, ao derrotá-la por 1 x 0; e a sofrida Alemanha venceu Gana por um placar apertado de 1 x 0; … e Gana foi com a galera …

Curiosamente, o retrato dessa Copa ficou estampado nos confrontos estabelecidos hoje: Por terem feito péssimas campanhas, Alemanha e Inglaterra, duas ex-campeãs, decidem seu futuro na próxima fase, somente uma poderá seguir em frente; isso não teria acontecido, caso as duas se classificassem em primeiro lugar, em seus respectivos grupos.

Fazendo um jogo inverso, duas equipes sem muita tradição, firmando-se entre as principais equipes do futebol mundial, EUA e Gana farão a outra partida, onde uma delas seguirá em frente, tornando-se uma das oito maiores seleções do mundo – Qual será? – eu também quero saber.

Veja os confrontos das oitavas de final, já decididos:

Uruguai 2  x Coréia do Sul 1

Argentina 3  x 1 México

EUA 1  x Gana 2

Alemanha 4 x 1 Inglaterra

Holanda 2  x  1 Eslováquia

Paraguai x Japão

Brasil 3 x  0 Chile

Espanha  x Portugal

By Jânio

junho 24, 2010 Posted by | esportes | , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comentários

Braddock ganha eleição e quer ser Presidente.

presidente braddock

Vereador Bradock

Havia, numa pequena cidade, um policial com fama de violento, haviam pessoas que o taxavam de antipático e anti-social, outros o consideravam como o “Dirty Harry” da cidade, aquele que limpa a sujeira e conserta os erros.

Muita gente dizia que ele não usava o cérebro e que era um bruto, ganhou o apelido de “Coronel Braddock”.

Ele não se importou muito com o apelido não, até tinha uma certa simpatia pelo personagem do cinema.

O que ninguém sabia, era que Bradock estava para revolucionar o conceito de marketing político do país.

Aproveitando-se do apelido de Bradock, o policial iniciou uma campanha para vereador. Criou uma caricatura perfeita do personagem cinematográfico.

Colocou pendurado ao seu corpo, várias armas, cinturão de balas, punhais e até granadas. Agora ele era o verdadeiro Bradock, o personagem de cinema é que era a sua caricatura.

Bradock ganhou fama por toda a região – promessas? – nem precisava, ele era a materialização do sonho de quem queria guerra contra os criminosos.

Bradock ganhou a eleição, sua fama de violento e processos intermináveis na justiça, devido ao seu temperamento de “pavio curto” continuou, mesmo depois de ganhar a eleição.

Quando estava conversando com meu amigo, perguntei-lhe se Bradock existia mesmo, ou se era apenas uma lenda.

– Ele existe sim, saiu até na tv. Você não viu?

– Sim, eu vi – respondi – mas ainda não sei se acredito, naquele homem com uma granada presa ao pescoço.

Outro amigo nosso entrou na conversa:

– O que leva um homem, em sã consciência, pendurar uma granada ao próprio pescoço e sair por aí? – E se a granada explode?

– Quem foi que falou-lhe que a granada é de verdade? – perguntei-lhe.

– Então é pior que eu pensei, ou seja, andar com uma granada de plástico pendurada ao pescoço …sinceramente – insistiu meu amigo.

Perguntei-lhe – Como acha que ele ganhou a eleição para vereador?

– Com a granada de plástico? – especulou.

Respondi-lhe – Isso mesmo, se fosse uma granada de verdade, hoje, ele seria o Presidente da República.

By Jânio

maio 18, 2010 Posted by | Piadas | , , , , , , | 6 Comentários

Cães inteligentes – Uma dessas histórias é real.

cães espertos

cães engraçados

Nos textos abaixo, você encontrará duas histórias muito parecidas, porém uma é real, o que mostra como a vida é muito parecida com nossos contos.

Eu, particularmente, não acredito que o homem seja tão criativo, a ponto de criar uma história que não seja inspirada em fatos reais.

Platão é um exemplo de escritor que, de tão criativa sua história, foi levado muito a sério, até hoje Atlântida é considerada uma história real, ou baseada em fatos reais.

Veja os textos:

1 – Um cachorro entrou em uma banca de revista, preso em seu corpo, havia uma mensagem: “Por favor, venda-me um jornal, o dinheiro se encontra na bolsa presa à esse cachorro.”

O Jornaleiro curioso, seguiu o cão até sua casa, notou que o cão apertou a campainha, ninguém atendeu; latiu bastante, em seguida, deu a volta e latiu na janela, pegou a chave e abriu a porta.

Quando ele entrou, o jornaleiro entrou junto. Nesse momento, o jornaleiro viu o dono dano uma grande bronca em seu cão.

O jornaleiro perguntou: “O que é isso meu senhor? – O cão foi comprar o jornal, trouxe aqui e o senhor ainda dá uma bronca dessas.”

O Homem respondeu: “Acontece que já é a terceira vez que ele esquece de levar a chave.”

Obs: Se eu não me engano, esse texto eu vi no blog mensagens para nós dois.
2 – O nome do mais novo herói norte americano é Buddy, um pastor alemão de cinco anos que salvou a casa e a vida de um morador de uma área isolada do Alasca.

Depois do acidente na oficina, o cão conseguiu escapar e encontrou a polícia, com muitos latidos, conseguiu chamar a atenção da polícia que o seguiu e encontrou seu dono a tempo de salvar a residência e a vida de seu dono.

Comparando os dois textos, não há a menor dúvida: “A vida imita a piada.”

maio 1, 2010 Posted by | Piadas | , , , , , , | 2 Comentários

A piada mais antiga do Brasil

historias cômicas

Piadas antigas

Atenção!

Antes de iniciar essa piada, gostaria de alertá-los para o conteúdo adulto e escatológico. A piada não é tão boa assim, vale apenas para efeito histórico, por ser considerada a piada mais antiga do mundo.

Essa piada me foi contada pelo meu avô, que por sua vez disse ter ouvido de sua avó, portanto, deverei eu contar também para meu neto, seguindo a tradição.

Essa piada se passa na época em que o Brasil foi descoberto, portanto, acredito que deva ter cerca de quinhentos anos. Como podem notar é uma piada muito velha.

Logo após o Brasil ser descoberto, começou a corrupção, a mesma que vemos até os dias de hoje, e olha que naquele tempo dava pena de morte.

O rei de Portugal, indignado com os boatos de que estaria sendo roubado pelos assentados portugueses, enviados ao Brasil, enviou um homem de confiança, considerado o mais antigo nobre de toda a nobreza portuguesa.

Disse-lhe o rei: “A missão designada a ti é da mais alta importância, de ti depende os rumos que deverei tomar em relação a administração do Brasil, portanto, teu relatório deverá ser minucioso, deves anotar tudo.”

Seu enviado embarcou no navio. Dizem as más línguas que, de tão fino e educado, o homem era até afeminado, não que isso seja defeito, mas os rústicos colonos não estavam acostumados com tanto requinte.

Logo chegando ao Brasil, exigiu a melhor hospedagem – Não importa o preço – adiantou o nobre hóspede.

Ficou no Brasil apenas um dia, foi suficiente para que fizesse o relatório, o que despertou desconfiança em todos que com ele tiveram contato.

O funcionário do hotel estranhou quando o homem lhe pediu para embalar a latrina, com suas fezes, em um pacote, como se fosse um pacote de presentes, de tão fino que era o Fidalgo. Pediu que o pacote estivesse pronto até a hora de seu embarque.

Lembrava muito bem da ordem dada pelo rei – Não deves deixar nada que seja teu, nem o pó de seu sapato. Não queremos vestígios de sua estadia por lá – assim fez o elegante cavalheiro.

No Dia do embarque, seguiu com toda a sua comitiva para o porto. Os soldados começaram a revista, o que era normal, numa época em que tanto ouro era extraviado do envio a Portugal.

Quando o soldado verificou o elegante embrulho de presente, seu faro profissional foi mais forte, literalmente falando – O que haveria naquele pacote tão fino – pensou o comandante.

Não era muito comum pacotes assim serem enviados para Portugal, pacotes dessa natureza vinham de Portugal para o Brasil, nunca o contrário.

Nesse momento, o Comandante olhou fixamente o nobre, com um olhar capaz de congelar até o mais corajoso dos soldados, mas o nobre nem se tocou, continuou impassível.

Foi então que o comandante perdeu a paciência e disse para o nobre, em tom de desafio – Muito bonito, héim? – o nobre, com seu jeito afeminado e elegante respondeu – Como? não compreendo o que o senhor está falando – respondeu, elegantemente, colocando levemente sua mão esquerda junto ao peito, enquanto a direita ficava sobre a barriga.

O comandante entendeu como um desafio, o comportamento calmo daquele homem. Chamou seu imediato e pediu-lhe que providenciasse imediatamente uma balança. Depois de olhar e examinar o pacote durante algum tempo, pediu que seu imediato colocasse o pacote sobre a balança.

Quando isso foi feito, o comandante sorriu com um ar vitorioso, como se, finalmente, tivesse conseguido alcançar o seu objetivo.

Disse em tom sério – Prenda esse homem imediatamente – sendo obedecido pelo seu imediato.

O fino homem se desesperou, retirou um lenço, colocou sobre a face e começou a chorar como uma criança. balbuciava – O que eu fiz, Senhor comandante, nunca me aconteceu uma situação dessas por toda a Europa, deve estar havendo um engano.

O comandante respondeu – Está na cara que tem alguma sujeira nesse pacote, ele só pesa 900 gramas, se pesasse 1 Kg, como é  mais comum no comércio, local, tudo bem, mas 900 gramas é inadmissível.

O Senhor tem direito a escrever uma carta – disse o comandante.

O homem escreveu, ainda trêmulo – Majestade, é com muita tristeza que lhe escrevo para dizer que o senhor tinha toda a razão, o Brasil é um pais desgovernado, entregue ao caos e intransigente; imagine Vossa Majestade que até para se fazer cocô, aqui no Brasil, é preciso se completar um Kg, se não der um Kg, eles nos batem e nos mandam prender.

Completou – lamento muito mais estou preso.

By Jânio

fevereiro 14, 2010 Posted by | Piadas | , , , , , , , | 14 Comentários

A política torta do Brasil

crime passional?

Eu acredito.

Vocês repararam como a política parece uma tragicomédia?

Vendo as últimas notícias,  a gente acaba relembrando antigos acontecimentos, como é o caso de Arruda, governador de Brasília.

Eu achei muito engraçado quando, na época do mensalão, todos os candidatos começaram a renunciar, voltando mais tarde, sem conseguir fazer o povo esquecer os escândalos do passado.

Eu acho engraçado saber que tanto PC Farias, quanto sua mulher, morriam de medo de morrer, PC chegou a viajar o mundo inteiro. Voltou para o Brasil e, apesar de cercado de seguranças, morreu sem que ninguém visse nada; supostamente, foi crime passional.

Tancredo Neves criou uma campanha tão bem organizada, para as eleições diretas, conseguindo convencer os militares que eles tinham chance que, depois de sentir a vitória esmagadora na última eleição indireta, teve que pedir para que alguns deputados votassem para o candidato dos militares. O medo foi grande, depois de eleito, Tancredo morreu após vencer as eleições, assumindo José Sarney, antigo aliado dos militares.

José Dirceu, o todo poderoso do PT, foi cassado por corrupção, sem que fosse provado, valeu a palavra dos corruptos envolvidos no mensalão. O principal denunciante, Roberto Jefferson, foi cassado por não conseguir provar que José Dirceu era o coordenador do esquema.

José Genoíno avaliou um empréstimo para bancar o mensalão, afirmou não ter lido mas teve que renunciar, para não ter os direitos políticos suspensos pelo TRE; voltou ao poder, eleito democraticamente.

Luísa Helena tentou um eleição para Presidente, perdeu, em seu lugar como senador, entrou Fernando Collor de Melo, Presidente cassado; o Senador recebeu de presente o PAC, com um  dos maiores orçamentos que o país já viu.

Marina Silva, uma das brasileiras mais admiradas do mundo, saiu do PT, depois que o partido apoiou o arquivamento do pedido de CPI de Sarney. A ex-ministra foi para o PV e, pelo que se fala em seu estado de origem, pretende apoiar o maior inimigo de Chico Mendes, o homem cujas idéias ela sempre lutou, para ser o que é hoje.

O Presidente Lula viu José Dirceu, seu padrinho político cair, enquanto José Sarney se manteve firme até o fim, mostrando que a ambição de José Dirceu deixou-o sem amigos, ao contrário de Sarney que, segundo as más línguas, tem todos os processos de políticos nas mãos, o que o ajudou a escapar da degola.

Arthur Virgílio perdeu a fama de defensor da moral e bons costumes, ao ser flagrado na investigação dos cartões corporativos, afirmou que estava sem dinheiro.  Seu processo deve ter sido arquivado, com uma cópia para José Sarney, é claro.

Outro adversário forte do Governo, Jefferson Peres, morreu sem que seu nome fosse manchado mas, depois de morto, pagaram seu enterro com dinheiro desviado dos cofres públicos. Parece que a máfia política tinha que deixar um recado.

Curiosamente, Jefferson Peres chegou a dizer: “Enquanto eu for vivo, meu nome não será manchado.” – e não foi, esperaram ele morrer.

Álvaro Dias, Senador do Paraná,  chegou entrevistar bandidos dentro da cadeia, em busca de provas contra o PT, o que constrangeu até os mais rígidos defensores da lei.

Palocci sobreviveu a todos os ataques, inclusive de acusações de farras com garotas de programas para os políticos aliados. A armadilha em que se meteu, ao investigar o caseiro que o denunciou, quando mandou vasculhar sua conta, deu o que falar.

Depois de tirar o Brasil do buraco, se transformar num dos maiores nomes do governo, seu processo também foi para a coleção de Sarney, segundo as más línguas.

O caseiro realmente tinha dinheiro, mas era de seu pai de sangue, ele tinha dado o dinheiro para compensar sua ausência.  nós acreditamos, mas quem levou a pior foi  o Governo.

Eu fico me perguntando, o que José Roberto Arruda e Celso Pita faziam nesse clube de gente grande? – Esses políticos de dólares na cueca, nas meias, na mala, na gaveta, são como trombadinhas, em meio a grandes mafiosos banqueiros e políticos de três gerações, onde a Polícia Federal chega, mas não passa, cujo obstáculo é o Supremo.

A política é uma tragicomédia, as vítimas somos nós, mas as vítimas começam a abandonar a postura de vítimas; sem um bom exemplo, a corrupção vai se espalhando por todos os setores e autoridades do país.

Não podemos desanimar, afinal, o país, cuja reserva de alimentos é o celeiro do mundo, já viu seus cidadãos passando fome. O país com a quarta maior empresa petrolífera do mundo, vez por outra, vê seus cidadãos ultrapassando as fronteiras para abastecer seus carros no exterior.

As notícias que não podíamos ver na tv, hoje vemos nas câmeras de estabelecimentos públicos, comerciais, onde a ineficiência da polícia é flagrada, de maneira explícita, aos olhos da população, que assiste a tudo atônita.

Para quem ficar muito desanimado com toda essa comédia de erros, lembre-se que o Clube de Bilderberg não fica no Brasil, é coisa de países desenvolvidos. A vida  nos diversos estados brasileiros não é igual, alguns são melhores e outros piores, portanto, mesmo com tanta corrupção, podemos melhorar.

Nós não somos piores, nem melhores, que os outros países, o que precisamos é de uma boa educação e boas tradições, menos na política, é claro.

By jânio
A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

janeiro 28, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , | 24 Comentários

Atlântida – O continente perdido

A civilização perdida

A história da humanidade vai até onde restam vestígios identificados pela arqueologia, curiosamente, é a partir daí que o homem se torna mais evoluído e enigmático.

Os mais antigos vestígios de nossa história, são, ou eram, a civilização egípcia, os escritos dos hebreus e a civilização da Grécia, sendo as descobertas no Egito as mais conservadas, devido ao clima seco, também pelo fato de as areias terem mantido esses registros da história intactos por milhares de anos.

Saindo dos registros, além da história, começam as lendas. A lenda mais famosa, ligada a quase todas as culturas do mundo antigo, mostrando a raiz de nossas culturas, sendo lendas ou não, é a história de Atlantis, filha do deus grego Atlas.

Atlantis, ou Atlanta, possui milhares de teorias e alusões, é uma história pouco conhecida na idade média, uma época pouco tolerante com histórias fantasiosas. A intolerância, aliás, é uma bela forma de destruir vestígios culturais e históricos.

O relato mais citado a respeito de Atlantis, foi através de Platão:

Veja a tradução do texto de Platão, feita no século quinze, encontrada na Wikipedia.

“A menção conhecida mais antiga é a feita pelo filósofo grego Platão (428-347 a.C.) em dois dos seus diálogos (Timeu e Crítias).[3] Platão conta-nos que Sólon, no curso das suas viagens pelo Egito, questiona um sacerdote que vivia em Sais, no delta do Nilo e que este lhe fala de umas tradições ancestrais relacionadas com uma guerra perdida nos anais dos tempos entre os atenienses e o povo atlante. Segundo o sacerdote, o povo de Atlantis viveria numa ilha localizada para além dos pilares de Heracles, onde o Mediterrâneo terminava e o Oceano começava.

Quando os deuses helênicos partilhavam a terra, conta o sacerdote, a cidade de Atenas pertencia à deusa Atena e Hefesto, mas Atlântida tornou-se parte do reino de Poseidon, deus dos mares.

Em Atlântida, nas montanhas ao centro da ilha, vivia uma jovem órfã de nome Clito. Conta a lenda que Poseidon ter-se-ia apaixonado por ela e, de maneira a poder coabitar com o objeto da sua paixão, teria erguido uma barreira constituída por uma série de muralhas de água e fossos aquíferos em volta da morada da sua amada. Desta maneira viveram por muitos anos e desta relação nasceram cinco pares de gêmeos. Ao mais velho o deus dos mares batizou de Atlas. Após dividir a ilha em dez áreas circulares, o deus dos mares concedeu supremacia a Atlas, dedicando-lhe a montanha de onde Atlas espalhava o seu poder sobre o resto da ilha.

Nos textos de Diodoro da Sicília, Atlântida ficava próximo da Líbia, teriam sido destruídos pelas amazonas.

Os estudos nem sempre batem entre si, mas fazendo uma investigação através desses textos, as conclusões a que chegamos fazem muito sentido e acabam até a indo de encontro às nossas velhas teorias.

Segundo algumas teorias, Atlantida ficava na Antártida, antes da era glacial e segundo velhos mapas. Com as modernas tecnologias, chegou-se a conclusão que esses antigos mapas não eram tão precisos assim, portanto, o continente perdido ficaria no Atlântico, entre a Argentina e a África, comparando os antigos mapas com os modernos, via satélite.

Isso explica porque o povo de Atlantis teria sido atacado pelas amazonas. Outras teorias afirmam que esses povos teriam habitado a região da Bolívia e Peru, mais tarde emigrando para a África, onde os antigos egípcios seriam seus descendentes diretos.

Notem que segundo as lendas, relatos e pesquisas, esses povos seriam bem diferentes dos povos de hoje, habitavam regiões difíceis de se viver, mas não para eles, era justamente aí que eles mostravam toda a sua superioridade.

Esse povo era considerado extremamente evoluído, uma potência em tecnologia, mas, não desenvolviam a tecnologia da guerra. Segundo Platão eles teriam sucumbido diante de uma tentativa frustrada de invasão a Atenas, em outra versão, eles teriam sidos destruído pelas Amazonas; o que se sabe é que suas armas não era de morte, ou, pelo menos, não morte em massa, visto que eram uma civilização muito evoluída,  por isso eles teriam sido sucumbido.

Estudiosos afirmam que Platão poderia ter escrito esses textos, de maneira fictícia, baseado na guerra de Troia, ou outros acontecimentos, terremotos ou maremotos, onde cidades foram submersas, como foi o caso de Creta.

Platão, em seus textos, afirma que Atlantida teria sido destruída 9.000 anos antes de sua era, por uma catástrofe natural, maremoto ou terremoto.

Para alguns autores, Atlântida está associada a cidade perdida de Tântalis, derivado do deus Tântalo, associado também a Lídia de Atlas, assim, Atlantida seria a capital da Lídia, Tântalis, destruída por um terremoto, afundando nas águas do lago Saloe.

Seriam os deuses astronautas? – Veja a teoria fictícia de Atlantida.

Wikipedia:

“Partindo do desenho de cidade circular descrito por Platão, Floid propõe que Atlântida se tratava de uma gigantesca nave espacial, um disco-voador movido à hidrogênio, hidromagnetismo, com uma usina central de Hidro-Forças, chamada de Templo de Poseidon: um imenso OVNI descrito por muitas culturas como “A Ilha Voadora” (citada em Viagens de Gulliver), relacionada com a Jerusalém Celestial descrita na Bíblia, à Purana Hindu que desce do Céu, o Disco Solar dos Astecas, Maias, Incas e Egípcios. Sendo Atlântida uma missão colonizadora, ela teria estado em muitos pontos da Terra, pois se locomovia e se instalava em regiões; este teria sido o motivo pelo qual sua presença ora é imaginada no Mediterrâneo, ora na Indonésia, ora no Atlântico, nos Pólos e nos Andes: Atlântida seria a mesma nave descrita na epopeia dos Sumérios. Segundo esta teoria inovadora do professor Ezra Floid, Atlântida não teria submergido catastroficamente, mas intencionalmente, como parte do projeto colonizador que seu povo realizava no planeta

Após permanecer algum tempo no fundo do mar como cidade submarina, o disco-voador atlante teria usado também a hidroenergia de emersão para lançar-se diretamente no espaço sideral, provocando com sua massa e seu arranque poderoso uma enorme onda circular de tsunami no oceano onde estaria oculta. Os sobreviventes deste tsunami, após a tragédia, teriam julgado que Atlântida havia afundado. No entanto, os atlantes apenas teriam voltado para seu sistema natal.”

Essa mania dos gregos, de misturar ficção e realidade, era uma boa maneira de fazer com que suas histórias permanecessem eternizadas, de onde vinham suas inspirações, essa riqueza de detalhes?

A maior parte dos relatos eram inspirados em fatos reais, outra parte em ficção; poderíamos dizer até que a realidade era vista sob o ponto de vista fictício, onde a história virava lenda.

Essa lendas acabam aguçando as mentes dos mais curiosos, como eu, por exemplo.

Fica evidente, em todos os estudos de civilizações antigas, essas características de povos evoluídos, onde há desenvolvimento tecnológicos inesplicáveis, dignos de um futuro muito distante.

Frente a tudo isso, restam-nos apenas duas hipóteses, sobre o passado sombrio do homem:

1 – O homem teria evoluído de várias raças como: Homo-sapiens, Homo-erectus, etc.

2 – O homem não teria evoluído, o processo teria sido inverso, onde o homem teria sido muito evoluído no passado, onde não havia a ganância e a cobiça, num mundo que não conheceu nenhum tipo de governo, onde as pessoas eram livres. Nesse mundo não se impunha, era voluntário; não havia o direito autoral mas a transmição de informações e tecnologias na maior quantidade possível; um mundo onde os mestres escolhiam os seus discípulos e os seus discípulos os seus mestres; onde não se pagava para ensinar, recebia-se doações; onde os discípulos não pagavam para aprender, ao invés disso, recebiam vultuosos prêmios para aprender.

Num mundo assim tão utópico, o povo escolhia a tecnologia que queria para si, não criando armas para matar, mas sim armas para se defender; um mundo onde os homens perigosos não ficavam presos, ficavam em seu habitat natural, na selva ou fora da cidade. Se saíssem de seu habitat, seriam tratados como estranhos a sociedade.

Infelizmente, esses mundos utópicos  estão cada vez mais distantes. As diferenças gritantes entre as culturas antigas, mostram quem estava certo e quem estava errado.

Num mundo quase perfeito, bastava um erro para que tudo viesse a se perder; como um cavalo de troia, que na verdade era dos gregos, suficiente para destruir toda uma geração de pessoas.

As civilizações mais evoluídas da antiguidade, eram também as mais ingênuas, como a do Egito que bastava que se colocassem gatos a frente do exército para que o povo ficasse totalmente a sua mercê.

O choque entre culturas sempre foi desastroso para as civilizações, tanto que quando um povo era conquistado, tudo era logo destruído, para evitar a instabilidade do pensamento.

Porque esses povos tão evoluídos eram tão ingênuos, não sabemos; seriam preciso muitos dados a respeitos de suas culturas para desvendar esses mistérios.

Só para efeito de curiosidade – Atlantis é citada em vinte mil léguas submarinas, de Júlio Verne, e Stargate, entre tantas outras histórias.

Base do estudo: Wikipédia

By Jânio

dezembro 4, 2009 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , , , , | 19 Comentários

Homero ou Troia – Quem é a lenda?

Presente de Grego

Homero, ou Hómeros, é um dos poetas, e filósofo, mais antigos da história. Viveu na Grécia antiga e é atribuída a ele duas das mais famosas obras literárias da história.

Através das obras literárias de Homero, Ilíada e Odisseia, pode se ter uma clara ideia do que era a Grécia Antiga, conhecer um pouco da história do mundo.

Segundo a opinião de um grupo separatista, Homero nunca teria existido, seriam apenas uma compilação de vários texto atribuídos a ele. Por outro lado, os historiadores clássicos vêem nas obras literárias, Ilíada e Odisseia, um relato da história da Grécia antiga.

O Poeta Homero, segundo relatos, seria um velho cantor, pobre e cego, que peregrinava pelas cidades; em troca da ajuda do povo, declamava sua poesia.

Homero teria vivido na região de Jônio, onde hoje fica a Turquia,

Segundo os separatistas, Homero nunca teria existido, as obras atribuídas a ele, seriam compilações contadas pelo povo, através dos tempos, dando a idéia de que a verdadeira epopeia deve ser contada pelo povo.

Essa teoria já foi atribuída a Nostradammus, até a Bíblia apresenta conflitos de opiniões, sobre quem realmente escreveu a sagrada escritura; é evidente que foram vários autores.

Enquanto Homero viveu no século VIII a.c, a história da guerra de Troia se passa cerca de 1.300 a 1.200 a.c, no final da idade do bronze,

A guerra começou quando Páris, príncipe de Troia sequestrou a rainha de Esparta, mulher de Menelau.

A guerra durou dez anos, só terminou depois que Odisseu (Ulisses) teve a ideia de deixar um “presente” para os troianos, um enorme cavalo de madeira; em seu interior, soldados gregos desceram, enquanto os espartanos dormiam, e abriram os portões para que os soldados espartanos atacassem e massacrassem o povo de Troia.

A história, lendária para alguns, assim como o autor das obras, Homero, deixou de ser tão lendária assim, quando o alemão Henrich-Schliemann descobriu as ruínas de Troia e Micenas, além de outras cidades, na região citada por Homero.

Os historiadores clássicos consideram as obras de Homero, obras históricas, apesar dos exageros e narrativa em tom mitológico.

A ideia de transformar os heróis, tornados mitos, em seres próximos aos deuses; enquanto os deuses, seres humanizados, foi uma ideia genial.

Graças a esse artifício, as histórias foram contadas e recontadas, através de teatros, livros ou histórias contadas boca-a-boca, até nossos dias.

Os escritos egípcios e hititas, da época citada nas obras de homero, reforçam a veracidade da existência da lendária cidade de Troia.

Apesar de terem sido encontrados as ruínas de Troia, na região de anatólia, a forma como é contada a história, por Homero, ainda divide opiniões.

Texto da Wikipedia:

A lenda conta que a deusa (ninfa) do mar Tétis era desejada como esposa por Zeus e por Poseidon. Porém Prometeu fez uma profecia que o filho da deusa seria maior que seu pai, então os deuses resolveram dá-la como esposa a Peleu, um mortal já idoso, intencionando enfraquecer o filho, que seria apenas um humano. O filho de ambos foi Aquiles, e sua mãe, visando fortalecer sua natureza mortal, o mergulhou quando ainda bebê nas águas do mitológico rio Estige. As águas tornaram o herói invulnerável, exceto no calcanhar, por onde a mãe o segurou para mergulhá-lo no rio (daí a expressão “calcanhar de Aquiles”, significando ponto vulnerável). Aquiles se torna o mais poderoso dos guerreiros, porém, ainda é mortal. Mais tarde, sua mãe profetisa que ele poderá escolher entre dois destinos: lutar em Troia e alcançar a glória eterna, mas morrer jovem, ou permanecer em sua terra natal e ter uma longa vida, porém ser logo esquecido. Aquiles escolhe a glória.

Para o casamento de Peleu e Tétis todos os deuses foram convidados, menos Éris (ou Discórdia). Ofendida, a deusa compareceu invisível e deixou à mesa um pomo de ouro com a inscrição “À mais bela”. As deusas Hera, Atena e Afrodite disputaram o título de mais bela e o pomo. Zeus não quis ser o juiz, para não descontentar duas das deusas, então ordenou que o príncipe troiano Páris, à época sendo criado como um pastor ali perto, resolvesse a disputa. Para ganhar o título de “mais bela”, Atena ofereceu a Páris poder na batalha e sabedoria, Hera ofereceu riqueza e poder e Afrodite, o amor da mulher mais bela do mundo. Páris deu o pomo à Afrodite, ganhando sua proteção e o ódio das outras duas deusas contra si e contra Troia.

A mulher mais bela do mundo era Helena, filha de Zeus e de Leda, esposa de Menelau, rei de Esparta, que a conquistara disputando contra vários outros reis pretendentes, tendo todos jurado protegê-la, qualquer que fosse o vencedor da disputa.

Quando Páris foi a Esparta em missão diplomática, apaixonou-se por Helena e ambos fugiram para Troia, enfurecendo Menelau. Este apelou aos antigos pretendentes de Helena, lembrando o juramento que haviam feito. Agamenon então assumiu o comando de um exército de mil naus e atravessou o mar Egeu para atacar Troia. As naus gregas desembarcaram na praia próxima a Troia e iniciaram um cerco que iria durar dez anos e custaria a vida a muitos heróis de ambos os lados. Dois dos mais notáveis heróis a perderem a vida na guerra de Troia foram Heitor e Aquiles.

A pessoa de Homero está para sempre imersa nas trevas impenetráveis da lenda. Ignoramos quando viveu; não sabemos que terra privilegiada lhe ouviu os primeiros vagidos (…) Venerandas tradições representavam-no como um velho cantor, pobre e cego que, peregrinando de terra em terra, recompensava a quem o agasalhava com a declamação de seus poemas”. (Augusto Magne)

Homero viveu na pré-historia da filosofia, seus pensamentos e poemas, são de uma qualidade brilhante, dizer que essas obras eram do povo, torna tudo ainda mais bonito, uma essência do que é o conteúdo da internet hoje.

Sua forma de narrativa, mostra uma realidade nua e crua, onde nota-se o ponto de vista do autor, mas em nenhum momento ele interfere no evento, a história apresenta protagonista, antagonista, anti-herói, dramas e conflitos. Mostra uma história que começa e não pode ser interrompida, com dores, amores, glórias e final dramático; mostrando um aprendizado de uma época em que nós não vivemos, mas que podemos aprender e pensar sobre esses fatos e mudar a história, não a história de Troia, mas a nossa.

Fonte: Wikipedia.

By Jânio.

novembro 14, 2009 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , , | 14 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: