Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Trabalhadores preparam greve geral

janeiro 27, 2018 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Bancários do Santander protestam contra perdas de direitos

dezembro 20, 2017 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Greve de fome da previdência chega ao sétimo dia

dezembro 12, 2017 Posted by | Policia | , | Deixe um comentário

Capitais registram greve de categorias e protestos nesta sexta-feira

Da Agência Brasil*

Em várias cidades do país, trabalhadores de diversas categorias participam hoje (28) da greve geral convocada pelas centrais sindicais, em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência. Na maioria das cidades, o transporte público – metrô e ônibus – não funcionou e as escolas e agências bancárias estão fechadas. Os manifestantes protestam com bloqueios de vias e rodovias.

São Paulo

Ônibus, trens e a maioria das linhas de metrô estão paradas. Apenas um pequeno trecho da malha metroviária paulistana, a Linha 4 Amarela, que liga a Luz, na área central, até o Butantã, na zona oeste, funcionou durante a manhã. Os serviços do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) voltaram a funcionar parcialmente na capital paulista no início da tarde,

O comércio está funcionando na cidade. E algumas das principais vias da cidade estão bloqueadas por atos de protestos.

As linhas de ônibus urbanos também estão paralisadas e apenas pequenos ônibus coletivos fazem percursos curtos dentro dos bairros periféricos. Na zona sul da capital paulista, diversos passageiros se reuniram no terminal do Grajaú, que não tem ônibus. O mesmo ocorreu na estação Corinthians Itaquera onde os trens do metrô não circularam.

Grupos de manifestantes bloquearam vias da capital paulista, formando barricadas com pneus, que foram queimados. Policiais da tropa de choque da Polícia Militar e bombeiros apagaram focos de incêndio. Alguns pontos da cidade que ficaram bloqueados foram a Avenida 23 de Maio, uma das principais ligações entre o centro e a zona sul, a Avenida Tiradentes, que une a área central à zona norte, e também a Marginal do Tietê na altura do Terminal Rodoviário, além da Avenida Ipiranga, no centro.

Houve bloqueio também no Km 15 da Rodovia Anhanguera e o trânsito foi interrompido. Houve confronto entre policiais e manifestantes. A PM usou bombas de efeito moral e balas de borracha para dispersar a manifestação.  Os aeroportos de Congonhas e de Guarulhos funcionaram normalmente e não houve interrupção dos voos.

Pelo menos 16 pessoas foram presas até as 10h na capital paulista, segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP) por vários motivos – desde agressão a policiais a atos de vandalismo nas manifestações.

Rio de Janeiro

Manifestantes bloqueiam várias vias da cidade. Segundo o Centro de Operações da prefeitura, há bloqueios na Avenida Radial Oeste, Linha Vermelha, Avenida Dom João VI, Avenida Abelardo Bueno, Via Expressa do Porto e Túnel Marcello Alencar. A cidade do Rio de Janeiro entrou em estágio de atenção às 6h50 por causa dos bloqueios no tráfego.

 

Rio de Janeiro - Terminal rodoviário Américo Fontenelle, na Central do Brasil, funciona parcialmente devido protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência Social ( Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Terminal rodoviário Américo Fontenelle, na Central do Brasil, funciona parcialmenteTânia Rêgo

Manifestantes saíram do Largo do Machado em direção ao Palácio Guanabara, em Laranjeiras, sede do governo estadual, para participar de um ato liderado pelo Movimento Unificado dos Servidores Públicos do Rio (Muspe). Eles protestam contra a crise financeira no estado, que tem reflexos na prestação dos serviços essenciais à população e atraso no pagamento do salário dos servidores públicos.

Trens e metrô operam normalmente. Os ônibus urbanos funcionam parcialmente, mas segundo a concessionária Rio Ônibus, o sindicato das empresas de ônibus, a maior parte da frota está nas ruas. Os serviços de BRT de ônibus expressos, como a Transcarioca, a Transoeste e a Transolímpica, também estão funcionando. A concessionária informou que a operação ficou irregular em alguns momentos devido às manifestações.

Sobre o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), a circulação na Linha 1, que faz ligação entre a Rodoviária Novo Rio e o Aeroporto Santos Dumont, está parcialmente interrompida e os bondes circulam apenas entre a rodoviária e a parada dos museus, na Praça Mauá, zona portuária da cidade.  A Linha 2, que faz o trajeto Saara – Praça Quinze, não está operando.

As barcas que fazem a travessia da Baía de Guanabara funcionam parcialmente, devido à um protesto na estação Praça Araribóia, em Niterói. Com isso, o serviço de barcas tradicional, que faz a ligação entre Rio e Niterói, não está operando. Já o serviço expresso feito com os catamarãs, que circulam mais rápido na travessia da Baía de Guanabara, com um preço mais alto, estão funcionando.

A situação na Ponte Rio-Niterói já está normalizada. Mais cedo, manifestantes bloquearam a pista no sentido Rio, pouco depois das 6h. A via ficou totalmente interditada por cerca de uma hora e meia e o tráfego foi normalizado por volta das 8h. No momento, o trânsito é intenso na via. A travessia no sentido Rio é feita em 40 minutos, três vezes mais que o normal, devido a bloqueios em vias da zona portuária da capital.

Na Rodoviária Novo Rio, houve enfrentamento entre a tropa de choque da Polícia Militar e manifestantes, que bloquearam a via expressa do Porto do Rio. Para dispersar os manifestantes, a Polícia Militar usou bombas de efeito moral. Os manifestantes reagiram, atirando pedras e quebraram o vidro traseiro de uma patrulha da PM. Em seguida, a manifestação fechou o acesso junto ao antigo Gasômetro, evitando a passagem dos motoristas em direção à Avenida Francisco Bicalho. O bloqueio foi rápido e a tropa de choque da Polícia Militar dispersou os manifestantes.

As agências bancárias no centro da cidade do Rio de Janeiro estão com as portas fechadas nesta sexta-feira (28). Na Avenida Rio Branco, que tem a maior concentração de agências bancárias na cidade, todas as 27 agências visitadas pela reportagem estavam fechadas.

Cerca de um terço dessas agências estava aberto apenas para uso dos caixas eletrônicos. A maioria estava fechada com grades ou com tapumes e, muitas delas, com grevistas parados em frente às agências.

Segundo o Sindicato dos Bancários, no centro da cidade a adesão à greve é total.

Brasília

Na capital federal, as vias de acesso ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek chegaram a ficar bloqueadas por manifestantes, mas já estão liberadas e o tráfego flui sem problemas. As pistas foram bloqueadas nos dois sentidos por volta das 5h30. Os manifestantes fizeram barreiras, com pneus em chamas. A Polícia Militar chegou a interditar os acessos às pistas até que os bloqueios fossem retirados.

Brasília - A Rodoviária do Plano Piloto amanhece sem ônibus devido ao ato de protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência Social promovido pelas centrais sindicais e redes sociais (Marcello Casal Jr/Agê
A Rodoviária do Plano Piloto está sem ônibus devido ao ato de protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A Inframerica, empresa concessionária que administra o terminal, informou, por meio de comunicado publicado na internet, que, apesar da paralisação, o terminal está operando, mas que podem ocorrer atrasos nos voos. A empresa aconselha aos passageiros consultarem a situação de seus voos com as companhias aéreas antes de se deslocar para o aeroporto. A Inframerica informa ainda que dos 26 voos previstos para o período da 0h às 6h, quatro voos sofreram atrasos acima de 30 minutos e dois foram cancelados.

Os ônibus e o metrô continuam parados. Os rodoviários e metroviários aderiram à greve e vão paralisar por 24 horas. Passageiros estão usando o transporte alternativo, como vans, táxis e veículos particulares para ir ao trabalho.

No Congresso Nacional, a segurança foi reforçada. As visitas guiadas à dependências da Câmara e do Senado estão suspensas há uma semana e continuam proibidas por tempo indeterminado. Desde à meia-noite, o acesso de carro à Esplanada dos Ministérios está fechado. Sé é possível chegar à região a pé ou por vias auxiliares.

Além do gramado em frente ao Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal (STF) e o Ministério das Relações Exteriores foram cercados por grades. Muitos ministérios estão com parte das fachadas coberta por tapumes. A Secretaria de Cultura do Distrito Federal informou que a Biblioteca Nacional, o Museu da República, o Centro Cultural Três Poderes e o Memorial dos Povos Indígenas, que ficam na Esplanada, também não abrirão hoje por causa dos protestos.

O governo do Distrito Federal não informou quantos policiais militares atuarão no reforço da segurança, mas muitos do serviço administrativo podem ser acionados para atuar nas principais vias do DF, juntamente com o Batalhão de Choque, a Cavalaria e a Rotam (Rondas Ostensivas Táticas Motorizadas). A expectativa é de que ainda hoje, pelo menos 10 mil passem pelo local. Para evitar tumulto, dois cordões de revista pessoal serão montados pela PM nos acessos à Esplanada pela rodoviária do Plano Piloto e pelos anexos dos ministérios. Não será permitido chegar ao local com cabos de bandeiras, sprays, objetos perfurantes ou cortantes, flechas e garrafas de vidro.

O esquema montado para hoje prevê ainda equipes do Batalhão de Trânsito e do Corpo de Bombeiros na área central da capital federal para atender a emergências.

As vias de acesso ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek já estão liberadas e o tráfego flui sem problemas. As pistas foram bloqueadas nos dois sentidos por volta das 5h30. Os manifestantes fizeram barreiras, com pneus em chamas. A Polícia Militar chegou a interditar os acessos às pistas até que os bloqueios fossem retirados.

Paraná

Manifestantes bloquearam rodovias federais no estado. Segundo a Polícia Federal (PRF), na BR 277, em São José dos Pinhais, um grupo de pessoas fez um bloqueio, no km 69, nas imediações da fábrica da Renault, prejudicando o tráfego de veículos.

 

Manifestantes bloqueiam a BR-277, na altura do quilômetro 69, em São José dos Pinhais, no Paraná
Manifestantes bloqueiam a BR-277, na altura do quilômetro 69, em São José dos Pinhais, no ParanáEric Zardo/Divulgação PRF

Em Araucária, a BR 476 foi bloqueada por volta das 8h30 na altura do km 150, em frente à refinaria da Petrobras, causando um engarrafamento de dois quilômetros. Em Mauá da Serra, na BR-376, o bloqueio ocorre no km 295, em frente ao Posto Bambu. Outra interdição ocorre no km 406 da BR-158, em Laranjeiras do Sul. Segundo a PRF, cerca de 200 manifestantes sem terra estão no local.

O transporte público foi interrompido nas maiores cidades do Paraná. Em Curitiba, exames e consultas no Hospital de Clínicas foram cancelados.

Manifestantes marcharam para em direção ao centro cívico, onde fica a sede dos três Poderes. De acordo com a PM, 5 mil pessoas participam do ato. A Força Sindical no estado estima em 20 mil participantes.

Santa Catarina

A BR-116 está com o tráfego interrompido no Km 184, na junção com a BR-470, no município de São Cristóvão do Sul.

De acordo com a concessionária que administra a rodovia, cerca de 500 pessoas, que chegaram em 12 ônibus, bloqueiam a pista.

A previsão dos manifestantes é desobstruir a rodovia por volta das 15h. As equipes da concessionária e a Polícia Rodoviária Federal estão no local orientando o fluxo de veículos.

Porto Velho

Porto Velho está sem ônibus e com escolas e bancos fechados por causa da greve geral. Os manifestantes vão se concentrar na Praça das Três Caixas D’água.

Recife

Na capital pernambucana e na região metropolitana, os ônibus não estão circulando desde o início da manhã.

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou que 30% da frote circule. Os sindicatos dos rodoviários podem ser multados em R$ 100 mil caso a decisão não seja cumprida.

Foram registrados protestos nas BR 232 e 101, que fecharam parte das rodovias. Escolas, agências bancárias, comércio e mercados públicos não abriram.

O aeroporto e as delegacias de plantão da Polícia Civil estão funcionando.

*Com informações das sucursais do Rio de Janeiro, de São Paulo e da Radioagência Nacional

Edição: Carolina Pimentel
 

abril 28, 2017 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

STF veta greve de servidores de todas as carreiras policiais

STF

Felipe Pontes – Repórter da Agência Brasil

O plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (5), por 7 votos a 3, que todos os servidores que atuam diretamente na área de segurança pública não podem exercer o direito de greve, sob qualquer forma ou modalidade, por desempenharem atividade essencial à manutenção da ordem pública.

Pela tese aprovada, fica vetado o direito de greve de policiais civis, federais, rodoviários federais e integrantes do Corpo de Bombeiros, entre outras carreiras ligadas diretamente à segurança pública. Essas carreiras, no entanto, mantêm o direito de se associar a sindicatos.

A decisão, que teve repercussão geral reconhecida e serve para balizar julgamentos em todas as instâncias, foi tomada no julgamento de um recurso extraordinário do estado de Goiás, que questionou a legalidade de uma greve de policiais civis.

No julgamento, prevaleceu o entendimento do ministro Alexandre de Moraes, para quem o interesse público na manutenção da segurança e da paz social deve estar acima do interesse de determinadas categorias de servidores públicos. Para Moraes, os policiais civis integram o braço armado do Estado, o que impede que façam greve.

“O Estado não faz greve. O Estado em greve é um Estado anárquico, e a Constituição não permite isso”, afirmou Moraes.

A maior parte dos ministros considerou ainda ser impraticável, por questões de sua própria segurança e pela obrigação de fazer prisões em flagrante mesmo fora de seu horário de trabalho, que o policial civil deixe de carregar sua arma 24 horas por dia.

Isso impediria a realização de manifestações por movimentos grevistas de policiais civis, uma vez que a Constituição veda reuniões de pessoas armadas. “Greve de sujeitos armados não é greve”, afirmou Gilmar Mendes.

Também votaram a favor da proibição da greve a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, e os ministros Luís Roberto Barroso, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Gilmar Mendes e Luiz Fux, que destacou o que considerou consequências nefastas de greves anteriores de policiais civis e militares, como o aumento do número de homicídios. “O direito não pode viver apartado da realidade”, afirmou.

A Advocacia-Geral da União (AGU) e a Procuradoria-Geral da República (PGR) manifestaram-se pela impossibilidade de greve de policiais civis, contra o Sindicato dos Policiais Civis de Goiás (Sindipol-GO).

Relator

O relator do caso, ministro Edson Fachin, votou para que fosse garantido o direito de greve dos policiais civis, embora com restrições. “No confronto entre o interesse público de restringir a paralisação de uma atividade essencial e o direito à manifestação e à liberdade de expressão, deve-se reconhecer o peso maior ao direito de greve”, disse.

Para conciliar o direito fundamental à greve e o direito fundamental à segurança pública, Fachin propôs como saída que paralisações de policiais civis fossem autorizadas previamente pelo Judiciário, estabelecendo-se um porcentual mínimo de servidores a serem mantidos em suas funções.

Acompanharam o relator os ministros Rosa Weber e Marco Aurélio Mello, para quem, com a decisão, o STF ” afasta-se da Constituição cidadã de 1988″.

Edição: Juliana Andrade
 
 

abril 5, 2017 Posted by | Política, Policia | , , | Deixe um comentário

Greve geral

fazendo a coisa certa

Parar de Fazer

Não dá para falar só mal do Brasil, por isso eu vou admitir que o país tem melhorado.

Nossos políticos são incompetentes para roubar todo o dinheiro, por isso o país tem de crescer. Pouco mas cresce.

Enquanto isso, ficam todos querendo saber onde está o problema.

Um velho ditado da terrinha diz: “Quando a água chegar ao pescoço, nós aprenderemos a nadar.”

O ditado deve ser verdade, porque eu vejo os professores reclamando e com um salário de fome.

Os professores conhecem os seus direitos e sabem lutar por eles, mas e o resto dos miseráveis, será que eles sabem?

Quem vai ensinar aos miseráveis como lutar? Será que é melhor que eles não saibam?

Se todos os pobres aprenderem a lutar, não sobrará migalhas para todos.

A solução para o problema a curto prazo é a justiça, acontece que justiça é coisa de primeiro mundo ou de países organizados. Nem mesmo a China, com tanta tradição, consegue resolver os seus problemas.

No caso da China, com centenas de milhões de pessoas, sempre haverá algum problema. Já deveriam ter desmembrado esse país há muito tempo.

Voltando ao Brasil, se não dá para resolvermos o problema da justiça, então é melhor pensarmos a longo prazo, através da educação. A questão é o que ensinar, como ensinar e para quê ensinar.

Para termos uma boa educação, dependemos da política e para termos uma boa política dependemos da justiça que dependerá dá educação. Para evitarmos esse ciclo sem fim só há uma saída, parar tudo.

O admirável mundo novo é muito bonito na ficção e a nova Idade Média só virá se ninguém fizer nada, mas a melhor arma contra isso tudo é a coragem.

Não adianta olhar sempre para o próprio umbigo e lutar apenas pela própria classe, é preciso ser solidário com as outras classes também.

Precisamos vencer essa conspiração das minorias e fazer com que todas as classes estejam juntas, por si e também pelas outras.

Está na hora de fazermos uma greve geral e seguirmos a velha filosofia do vagabundo de não fazer nada até que tudo se resolva.

Chamar os políticos de vagabundos é ofender o único grupo coerente desse país, o único grupo que tem coragem de parar, o vagabundo.

By Jânio

novembro 5, 2011 Posted by | Política | , , , , , , , , | 2 Comentários

Morre Franklin Brito, venezuelano que fazia greve de fome

Limite do Homem

Greve de Fome

A morte de Franklin Brito, agricultor que teve suas terras expropriadas pelo Governo de Hugo Chavez, reacende uma discussão: “Até que ponto um homem deve lutar pelos seus direitos, pela democracia de seu país?

O agricultor fez oito greves de fome em seis anos, fato que o levou a morte, num processo irreversível de seu estado de saúde. Em 2.009, a justiça revogou a decisão de expropriação de suas terras, mas ele reiniciou novamente.

Sua vida foi o preço pago por 290 hectares de terra. seus problemas começaram em 2.003.

Em 2.005 o fazendeiro chegou a costurar a boca, chegando até a cortar um dedo em  frente as câmeras de televisão.

A família recuperou as terras em 2.009, mas o fazendeiro recomeçou seus protestos por achar que a indenização não pagava suas perdas, além disso ele afirmava não ter recebido nenhum papel legalizando sua posse.

Hugo Chavez promove uma política a qual o Brasil sempre temeu, antes do golpe de 64. Naquela época, haviam idéias de reforma agrária e outras idéias mais populistas que assombravam a elite brasileira, já que o governo não tinha dinheiro para bancar essa política.

Mais tarde, os mesmos políticos, a mesma sociedade que apoiou a derrubada do poder, passou  a opor-se ao regime ao qual tinham apoiado.

A pergunta que eu faço é: Será que o homem deve usar seu próprio corpo para protestar, em defesa de bens materiais?

Há um ditado popular que diz: “Não devemos ser avarentos, pois dessa vida nada se leva.”

Sabemos que devemos lutar pelo nossos direitos, mas tudo tem um limite. Muitas vezes, é preciso pensar no que é mais importante para nossa família, nossa riqueza ou a vida de um pai de família.

Hugo Chavez é esperto e sabe como jogar com a política, já arrumou uma tremenda encrenca para o governo brasileiro e não pensa duas vezes em mudar sua postura, quando a situação fica-lhe desfavorável. Sua vítima preferida era a Colômbia, mas não era nada pessoal não, acontece que a presença dos americanos sempre o incomodava.

O fato de as terras terem sido devolvidas ao agricultor, deveram-se exclusivamente ao fato da possibilidade desse agricultor vir a morrer, o que era bem possível, visto seus atos frente a tv. 

Em Direito há um princípio que, para o bem ou para  o mal, é constantemente confundido e abre inúmeros precedentes, a supremacia do direito público sobre o direito privado.   O que possibilita à um governo a desapropriação de terras em nome de projetos que beneficiem a um número bem maior de pessoas; é claro que, nesse caso, somente o proprietário da terra irá protestar.

Outro detalhe curioso nessa situação, é que as pessoas que condenam o ato, só temem por elas mesmas, para que não venham a sentir na própria pele.

Durante muitos anos, a elite dominou o país mais rico da América do Sul, apoiada pelos Estados unidos. Nessa época, a Venezuela era o símbolo do sonho americano, um sonho que virou pesadelo quando com a chegada de Hugo Chavez ao poder.

Hoje, a bandeira que divulga o modo americano de ser é o Chile, por isso é o país sul-americano mais rico.

O agricultor estava em um hospital militar, contra sua vontade, quando morreu, no dia 30 de agosto de 2.010.

Uma coisa que os brasileiros aprenderam há muito tempo, nunca lutar contra o poder, pelo menos não de frente, sozinho. Aqui, todos nós sabemos quem são os coronéis da política que trabalham para os grandes capitalistas, isso quando os grandes capitalistas não são os próprios políticos.

Mensagem de Franklin Brito

By Jânio

setembro 6, 2010 Posted by | Internacional | , , , , , , , , | 20 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: