Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Vídeo que fez o mundo inteiro chorar

Se é certo que uma imagem vale mais que mil palavras, então, eu vou deixar só na imagem que é suficiente.

Veja o Video

 

abril 3, 2015 Posted by | Videos | , , | 1 Comentário

Marcas do que se foi

planeta da paz

Esperança e Fé

A década de 70 foi uma década mágica, década do “milagre econômico”, uma época em que as pessoas sonhavam.

Nessa época as pessoas não perdiam dinheiro com a inflação, mas também não tinham dinheiro. O pobre não tinha dinheiro para pagar a faculdade dos filhos, mas era feliz assim mesmo.

Ninguém tinha dinheiro para viajar nos luxuosos boeing da Vasp, Varig, TransBrasil; Na tv, fumar cigarros da Hollywood era como uma viagem ao Havaí; cigarros da Sempre livre era símbolo de liberdade, Arizona era o cigarro da vida pura no campo. Por trás de tudo isso, havia sempre a realidade de uma morte à espreita.

Na tv, os seriados mais famosos eram: Cyborg – O homem de seis milhões de dólares; A mulher maravilha; As panteras; O planeta dos macacos; Jornada nas Estrelas; além dos seriados policiais.

Tvs menores reprisavam seriados da década de sessenta  como: O túnel do tempo; A feiticeira; Jeanie é um gênio e até o maior mito das séries de tv, Tarzan, além dos seriados de faroeste.

Em finais de ano, a maior rede de tv do Brasil reunia seus astros e estrelas, para desejar boas-festas.

A música escolhida era “Marcas do que se foi”, essa era a canção que vendia a ilusão de que morávamos um um paraíso, e que tudo ia bem. A ideia deu tão certo, que essa rede de televisão criou sua própria música, não era seu interesse divulgar música de terceiros.

Apesar dessa música deixar de vender uma imagem utópica e ufanista de uma época, a música é muito boa, sendo cantada até em igrejas.

Sendo considerada uma mensagem de alegria, paz e fé, a música dos Incríveis ficou na memória de todas as pessoas que viveram nessa época. Um hino à esperança e a um recomeço.

MARCAS DO QUE SE FOI

OS INCRÍVEIS

Roberto Pera e Flecha

Este ano quero paz
No meu coração
Quem quiser ter um amigo
Que me dê a mão…

O tempo passa e com ele
Caminhamos todos juntos
Sem parar
Nossos passos pelo chão
Vão ficar…

Marcas do que se foi
Sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce
Novo em cada amanhecer

Este ano quero paz
No meu coração
Quem quiser ter um amigo
Que me dê a mão

O tempo passa e com ele
Caminhamos todos juntos
Sem parar
Nossos passos pelo chão
Vão ficar

Marcas do que se foi
Sonhos que vamos ter
Como todo dia nasce
Novo em cada amanhecer

Música: Roberto Pera e Flecha

Texto Introdutório: Jânio

agosto 29, 2010 Posted by | Música. | , , , , , , , , , | 8 Comentários

A política torta do Brasil

crime passional?

Eu acredito.

Vocês repararam como a política parece uma tragicomédia?

Vendo as últimas notícias,  a gente acaba relembrando antigos acontecimentos, como é o caso de Arruda, governador de Brasília.

Eu achei muito engraçado quando, na época do mensalão, todos os candidatos começaram a renunciar, voltando mais tarde, sem conseguir fazer o povo esquecer os escândalos do passado.

Eu acho engraçado saber que tanto PC Farias, quanto sua mulher, morriam de medo de morrer, PC chegou a viajar o mundo inteiro. Voltou para o Brasil e, apesar de cercado de seguranças, morreu sem que ninguém visse nada; supostamente, foi crime passional.

Tancredo Neves criou uma campanha tão bem organizada, para as eleições diretas, conseguindo convencer os militares que eles tinham chance que, depois de sentir a vitória esmagadora na última eleição indireta, teve que pedir para que alguns deputados votassem para o candidato dos militares. O medo foi grande, depois de eleito, Tancredo morreu após vencer as eleições, assumindo José Sarney, antigo aliado dos militares.

José Dirceu, o todo poderoso do PT, foi cassado por corrupção, sem que fosse provado, valeu a palavra dos corruptos envolvidos no mensalão. O principal denunciante, Roberto Jefferson, foi cassado por não conseguir provar que José Dirceu era o coordenador do esquema.

José Genoíno avaliou um empréstimo para bancar o mensalão, afirmou não ter lido mas teve que renunciar, para não ter os direitos políticos suspensos pelo TRE; voltou ao poder, eleito democraticamente.

Luísa Helena tentou um eleição para Presidente, perdeu, em seu lugar como senador, entrou Fernando Collor de Melo, Presidente cassado; o Senador recebeu de presente o PAC, com um  dos maiores orçamentos que o país já viu.

Marina Silva, uma das brasileiras mais admiradas do mundo, saiu do PT, depois que o partido apoiou o arquivamento do pedido de CPI de Sarney. A ex-ministra foi para o PV e, pelo que se fala em seu estado de origem, pretende apoiar o maior inimigo de Chico Mendes, o homem cujas idéias ela sempre lutou, para ser o que é hoje.

O Presidente Lula viu José Dirceu, seu padrinho político cair, enquanto José Sarney se manteve firme até o fim, mostrando que a ambição de José Dirceu deixou-o sem amigos, ao contrário de Sarney que, segundo as más línguas, tem todos os processos de políticos nas mãos, o que o ajudou a escapar da degola.

Arthur Virgílio perdeu a fama de defensor da moral e bons costumes, ao ser flagrado na investigação dos cartões corporativos, afirmou que estava sem dinheiro.  Seu processo deve ter sido arquivado, com uma cópia para José Sarney, é claro.

Outro adversário forte do Governo, Jefferson Peres, morreu sem que seu nome fosse manchado mas, depois de morto, pagaram seu enterro com dinheiro desviado dos cofres públicos. Parece que a máfia política tinha que deixar um recado.

Curiosamente, Jefferson Peres chegou a dizer: “Enquanto eu for vivo, meu nome não será manchado.” – e não foi, esperaram ele morrer.

Álvaro Dias, Senador do Paraná,  chegou entrevistar bandidos dentro da cadeia, em busca de provas contra o PT, o que constrangeu até os mais rígidos defensores da lei.

Palocci sobreviveu a todos os ataques, inclusive de acusações de farras com garotas de programas para os políticos aliados. A armadilha em que se meteu, ao investigar o caseiro que o denunciou, quando mandou vasculhar sua conta, deu o que falar.

Depois de tirar o Brasil do buraco, se transformar num dos maiores nomes do governo, seu processo também foi para a coleção de Sarney, segundo as más línguas.

O caseiro realmente tinha dinheiro, mas era de seu pai de sangue, ele tinha dado o dinheiro para compensar sua ausência.  nós acreditamos, mas quem levou a pior foi  o Governo.

Eu fico me perguntando, o que José Roberto Arruda e Celso Pita faziam nesse clube de gente grande? – Esses políticos de dólares na cueca, nas meias, na mala, na gaveta, são como trombadinhas, em meio a grandes mafiosos banqueiros e políticos de três gerações, onde a Polícia Federal chega, mas não passa, cujo obstáculo é o Supremo.

A política é uma tragicomédia, as vítimas somos nós, mas as vítimas começam a abandonar a postura de vítimas; sem um bom exemplo, a corrupção vai se espalhando por todos os setores e autoridades do país.

Não podemos desanimar, afinal, o país, cuja reserva de alimentos é o celeiro do mundo, já viu seus cidadãos passando fome. O país com a quarta maior empresa petrolífera do mundo, vez por outra, vê seus cidadãos ultrapassando as fronteiras para abastecer seus carros no exterior.

As notícias que não podíamos ver na tv, hoje vemos nas câmeras de estabelecimentos públicos, comerciais, onde a ineficiência da polícia é flagrada, de maneira explícita, aos olhos da população, que assiste a tudo atônita.

Para quem ficar muito desanimado com toda essa comédia de erros, lembre-se que o Clube de Bilderberg não fica no Brasil, é coisa de países desenvolvidos. A vida  nos diversos estados brasileiros não é igual, alguns são melhores e outros piores, portanto, mesmo com tanta corrupção, podemos melhorar.

Nós não somos piores, nem melhores, que os outros países, o que precisamos é de uma boa educação e boas tradições, menos na política, é claro.

By jânio
A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

janeiro 28, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , | 24 Comentários

Eu gostaria de dizer o quanto eu amo você.

Eu amo você.

Eu amo você.

          Se o amanhã não vier

     Se eu soubesse que essa seria a última vez que eu veria você dormir, eu aconchegaria você mais apertado e rogaria ao senhor que protegesse você.

     Se eu soubesse que essa seria a última vez que eu veria você sair pela porta, eu abraçaria você, beijaria e chamaria você de volta, para abraçar e beijar uma vez mais.

     Se eu soubesse que essa seria a última vez que eu ouviria a sua voz em oração, eu filmaria cada gesto, cada palavra sua, para que eu pudesse ver e ouvir de novo, dia após dia.

     Se eu soubesse que essa seria a última vez, eu gastaria um minuto extra,  ou dois, para parar e dizer: “Eu te amo”, ao invés de assumir que você já sabe disso.

     Se eu soubesse que essa seria a última vez, eu estaria ao seu lado, partilhando do seu dia, ao invés de pensar: “Bem, eu tenho certeza que outras oportunidades virão, então eu posso deixar passar este dia”.

     É claro que haverá um amanhã para se fazer uma revisão; E nós teremos uma segunda chance para fazer as coisas da maneira correta.

     É claro que que haverá um outro dia para dizermos um ao outro: “Eu te amo”, e, certamente, haverá uma nova chance de dizermos, um ao outro, “Posso te ajudar em alguma coisa?”

     Mas no caso de eu estar errado, e hoje ser o último dia que temos, eu gostaria de dizer o quanto eu amo você, e espero que nunca nos esqueçamos disso.

     O dia de amanhã não está prometido para ninguém, jovem ou velho, e hoje pode ser sua última chance de segurar bem apertado a pessoa que você ama.

     Se você está esperando pelo amanhã, porque não fazer hoje?

     Porque se o amanhã não vier, você com certeza se arrependerá pelo resto de sua vida.

     De não ter gasto aquele tempo extra num sorriso, num abraço,  num beijo, porque você estava muito ocupado, para dar para para aquela pessoa aquilo que você acabou sendo o último desejo que ela queria.

     Então, abrace seu amado, a sua amada, hoje, bem apertado.

     Sussurre nos seus ouvidos, dizendo o quanto o(a)  ama e o quanto o(a) quer junto de você.

     Gaste um tempo para dizer: “Me desculpe”, “por favor”, “Me perdoe”, “obrigado”, ou ainda: “Não foi nada, esta tudo bem”.

     Porque se o amanhã jamais chegar, você não terá que se arrepender pelo dia de hoje.

     Muita paz e amor.
     Este texto foi anexado no mural de comunicação interna da United Airlines, um dia após o atentado terrorista de onze de setembro, pelo esposo de uma das aeromoças mortas.

     Fala de coisas que já ouvimos outras vezes, mas devido às atuais circunstâncias, acho que vale a pena relembrar, como também praticar.

     Fonte: Clube amigos da boa nova.

maio 9, 2009 Posted by | Mensagens | , , , , , | 6 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: