Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Espanha – Crescimento brasileiro causa polêmica entre os latinos

crescimento polêmico

O crescimento econômico pelo qual passa o Brasil, tornou o país mais atrativo para aqueles que buscam melhores oportunidades para a crise. Assim, o “sonho americano” aos poucos vai dando lugar ao “sonho brasileiro”.

O Brasil é atualmente uma das economias mais promissoras da América Latina e até do mundo, atraindo cada vez mais empreendedores de diferentes partes do planeta. O crescimento da classe média em cidades como Rio de Janeiro e São Paulo faz com que as pessoas possam gastar mais dinheiro, propiciando a criação de pequenas e micro empresas.

Entretanto, para triunfar é preciso considerar vários problemas quem implicam a criação de empresas, a burocracia.

Se você estuda o Brasil como seu mercado-alvo, as chances de sucesso são enormes, mesmo que para isso seja preciso lutar contra todos os problemas criados pela burocracia, em todas as fases do estabelecimento do empreendimento. Há até uma expressão que define esses obstáculos: o “Custo Brasil” como explica um correspondente internacional Pepe Escobar.

Ainda que haja um longo caminho de obstáculos, inconvenientes, o número de empresas privadas está crescendo a cada ano, nas grandes cidades do país, e o “sonho brasileiro” está se tornando realidade para muitos.

A história de Ana e Henry, um casal que vivia na França, é um exemplo de empreendedorismo. O casal iniciou há cinco anos, vendendo pães caseiros em uma bicicleta, agora eles possuem dois cafés no Rio de Janeiro, com 36 empregados sob comando do marido.

“Nós cansamos de ensinar e decidimos fazer algo diferente, e como eu sou francês, você já deve saber que pão é muito importante para mim”, disse Henry.

Fonte: RT-TV

julho 15, 2012 Posted by | Política | , , , , , , , , , | 2 Comentários

Autodidata – Faça você mesmo

Descobertas e necessidade

Aprendizado Natural

É curioso como em pessoas, com um certo grau de formação, são verificados interesses pelo tema autodidática, também conhecido como autodidaticismo. Talvez por necessidade de continuar aprendendo, mas com liberdade de pensamento.

Esse tema, como tantos outros, apresenta muita contradição quanto a sua essência e filosofia.

Uma pessoa autoditada é aquela que aprende algo sozinha, sem formação específica na área, curiosamente, é muito mais comum do que parece.

Através da autodidática, podemos ver como as pessoas escolhem mal suas profissões, formando-se em uma área, mas atuando em outra.

Vejam bem: Em grandes centros urbanos, é possível fazer um curso técnico no colegial, isso poderia indicar a vocação de uma pessoa, mesmo antes do vestibular; em pequenas cidades isso já não é possível.

Apesar disso, mesmo em grandes centros urbanos, não é o que acontece. A busca por profissões de acordo com o mercado acaba prevalecendo.

Para se saber qual a nossa vocação, é preciso voltar no tempo: Ver quais foram os professores que mais nos elogiaram; quais foram nossas melhores notas na escola; quais foram os nossos melhores trabalhos; maior interesse, etc.

Apesar dessas regrinhas básicas, ainda tem o problema financeiro. Em algumas profissões, é quase impossível ter um rendimento satisfatório.

Por esse e por outros motivos, a lei da oferta e da procura, as pessoas não escolhem a profissão em que mais se adaptam e dominam, escolhem aquelas que tem mais retorno.

Qualquer profissão poderia ser a ideal, desde que sua educação  tornasse o processo de ensino prazerosa, compensando a baixa remuneração, o que raramente acontece.

Assim, temos fazendeiros formados em medicina, cientistas trabalhando no serviço público, políticos trabalhando no comércio, etc.

É fácil  observar notícias de pessoas que inventaram algo simples, fora de suas áreas, mas que será tão desenvolvido que dificilmente alguém notara seu princípio básico e o seu inventor.

A área de informática, por ser muito dinâmica, passou por essa fase. No início não haviam faculdades, tudo era criado por profissionais autodidatas, até hoje isso pode ser observado.

Hoje, encontramos mais informações em blogs ou pequenos portais que em sites das grandes corporações. Fica evidente que a profissionalização da informação manipulou sua essência, a de informar e mostrar a verdade.

A autodidática tem influenciado muito a própria didática, pela sua liberdade de criação, ausência de métodos e técnicas rígidos, levando a descobertas de novos rumos para o conhecimento. Se por um lado o autoconhecimento pode encontrar um limite para o seu autodesenvolvimento, por outro lado é extremamente criativo, útil e empreendedor.

O empreendedorismo possui uma relação muito direta com a autodidática, assim como possui uma certa relação com o pioneirismo também. Se o processo do pioneirismo aumenta os riscos no empreendedorismo, a autodidática diminui.

É sabido que quanto mais conhecimentos em áreas diversas o empreendedor possua, maior será a facilidade com que resolverá problemas essenciais para o seu crescimento.

Estudiosos afirmam que o autodidata deveria concluir sua formação, com a qual teria as portas abertas no mercado tradicional, onde é fundamental um título.

No mercado tradicional, os títulos são mais importantes que a ideologia, a filosofia e a capacidade de cumprir metas de um bom autodidata. Poderíamos dizer que as faculdades são centros preparatórios de empregados, profissionais que não pensam, apenas obedecem e executam suas funções com as tecnologias que lhe são passadas.

A autodidatica não deve ser confundida com ensino alternativo, também não pode ser visto como um aprendizado isolado. O autodidata se vale de livros e pessoas com sabedorias suficientes para passar algum conhecimento,  as bibliotecas são seu lugar favorito.

Um autodidata pode aprender sozinho, por tentativas e erros, mas a consulta e acompanhamento por conhecimentos externos são constantes. Autodidatas são responsáveis por esclarecer muitas teorias, ou partes delas, que não foram totalmente entendidas.

Aqui notamos, novamente, a presença do autodidata na informática. O hacker, que não deve ser confundido com lammers ou crackers, são pessoas que desafiam constantemente as estruturas de programação de sistemas, sendo responsáveis pelo sucesso da web 2.0 e a criação de vários softwares, além de sua presença frequente em fundações de tecnologia.

A autodidática promove o desenvolvimento natural do autodidata, propiciando o aprendizado natural em várias áreas diferentes.

Mesmo na informática, podemos notar que em alguns setores há profissionais que controlam suas funções, mas não dominam totalmente, muitas vezes sendo vítimas de suas próprias ferramentas. Isso acontece porque as escolas ensinaram a fazer, mas não explicaram totalmente a funcionalidade do processo aprendido.

A internet foi um passo importante na evolução dos autodidatas, informações que poderiam levar dias, semanas ou meses para serem acessadas, hoje podem ser acessados à distância de um clique. Todas as pessoas que usam a internet, devem dar o máximo de importância a otimização.

A lincagem através dos sites, acelera muito o acesso às informações. Não se deve ter medo de incluir links de sites e portais, nem subestimar a real importância deles.

A maioria dos internautas aprende rápido; aprende a aprender rápido; desenvolve uma aptidão autoditática muito grande. Eu considero a interação uma filosofia de vida, a melhor forma de encontrar respostas que poderiam levar anos para serem encontradas.

Cada processo na rede, interativo ou não, leva a busca de autoconhecimento, força a memória. Assim como é difícil para uma pessoa adaptar-se ao computador, é difícil adaptar-se a internet, mas no fim todos aprendem, sem exceção; a dificuldade de se adaptar não implica em dificuldade de aprender.

Assim como a autoditática não contradiz a ditática, a didática não contradiz a autodidática; um Doutor pode se tornar um autodidata, tanto quanto um autodidata pode se tornar um Doutor. Qualquer forma de pensamento contrária a esse preceito, tende a retardar a evolução do conhecimento.

Motivados por descobertas constantes, os autodidatas seguem uma linha de pensamento paralela ao pensamento acadêmico, mas por incrível que possa parecer, ele sempre será muito mais crítico, não aceitará respostas fáceis, terá em seu caminho das pedras,  palavras interrogativas: Como?; por que?; onde?; quando?; quem?…

Muitas perguntas são respondidas ainda na infância de um autodidata. Experiências da descoberta do fogo, densidade da água, presença do ar e a importância da Terra, são inevitavelmente descobertas na prática.

Quando a pessoa se torna autodidata na vida adulta, a sensação pode ser como se finalmente tivesse encontrado vida inteligente na Terra, onde a vida e o aprendizado estão lado a lado, sem nenhuma regra, movidos pela necessidade de fazer, ter, viver, sentir e ser feliz.  

Dizer que um gênio da música, como Bethoven, Bach, Mozart, Vivaldi, aprenderam a tocar com quatro anos, criaram sua primeira sinfonia aos sete anos, tornando-se conhecidos mundialmente aos dez, contraria qualquer método conhecido de didática, está mais próxima da autodidática, mas também não pode ser confundida com essa.

A genialidade e a inteligência são diferentes. Ainda não foram descobertos os princípios da genialidade, só o que se sabe é que não há explicação para tamanha facilidade de aprendizado, ou assimilação de conhecimentos.

Um gênio possui conhecimentos infinitos em uma determinada área, é como se o seu cérebro encontrasse respostas imediatas para todas as perguntas cabíveis, relevantes, com o acompanhamento de um tutor. A princípio, esse tutor também encontrará suas respostas, através de seu pupilo, mas, com o tempo, o gênio estará só em busca de seu próprio aprendizado.

Naturalmente, em algumas áreas, a sociedade não vê com bons olhos esses gênios. A partir do momento em que o raciocínio de um gênio evolui acima  do conhecimento de sua época, passa a ser uma ameça ao poder, passa a representar uma espécime de animal racional superior, quase um mutante.

Contrariamente ao gênio, a inteligência segue por dois caminhos diferentes, didática e autodidática, onde ambas deverão ter controle do que fazem, não necessariamente o domínio que está presente apenas na autodidática.

Grandes nomes, como Albert  Einstein, devem ser vistos como gênios, apesar de serem também autodidatas. Autodidata no aprendizado da matemática e da física, capaz de encontrar explicações convincentes para outras áreas, mesmo sem dominá-las completamente. A bomba atômica foi consequência dessa falta de domínio.

Nostradammus pode ser considerado um homem inteligente, tanto pelas várias áreas que ele conhecia, quanto pelo domínio dessas áreas até certo ponto, suficiente para não ser desacreditado e criar sua própria lenda. Também não há evidências sobre seu aprendizado autodidata.

Mecânicos desenhistas, carpinteiros, músicos, são apenas algumas áreas onde se pode verificar a autodidática. A maioria das faculdades surgiu da autodidática, da oferta e procura.

Bill Gates é considerado um autodidata, pelo menos no aprendizado, não na filosofia, contrastando diretamente com seus inimigos mortais, os hackers.

Autodidatas famosos:

Gottfried Wilhelm Leibniz – Matemático e Filósofo alemão – Criador da Arte combinatória, precursora da computação.

Jack London – Escritor americano autor de Chamado selvagem.

Bill Gates –  Americano fundador da Microsoft.

Alexander Grahan Bell –  Inventor escocês.

Stanley Kubrick – Cineasta americano.

Woody Allen – Cineasta americano.

Henry Ford  – Americano fundador da Ford,

Charles Dickens – Romancista Inglês.

Walt Disney – Cineasta americano.

Albert Einstein – Fisico alemão.

Jimi Hendrix – Músico americano.

José Saramago – Escritor português.

Machado de Assis – Escritor brasileiro.

Como podemos ver, pelo menos a metade dessa lista de celebridades, não seguia a filosofia autodidata, era sangue “ruim mesmo”.

Podemos notar os egocêntricos: Como Einstein, que queria saber o que Deus pensava; Walt Disney, que deu seu próprio nome a empresa; Grahan Bell, empresário e inventor envolvido em brigas por patentes, etc.

Fora esses, não dá para negar que há nomes consagrados, bons exemplos a serem seguidos.

Fonte: Wikipedia

By Jânio

outubro 12, 2010 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 17 Comentários

A crise vira a economia dos EUA de ponta cabeça.

A crise de lá

A crise de lá

A economia dos Estados Unidos vira de ponta cabeça, o Brasil escapa por pouco.

como o Brasil escapou, simples, aqui a democracia funciona pelo contrário também.

Com altas taxas de juros, por mais que se baixe, continua sempre a maior do mundo, ainda tem os impostos exorbitantes, onde sonega quem pode, não quem quer.

Segundo a última pesquisa que eu vi, não confirmada, trinta e cinco por cento dos 140 milhões de brasileiros, tem carteira assinada. Não é para menos que criaram desesperadamente programas como o simples, para ajudar a formalizar as empresas.

Do pouco que é formal, ainda tem o problema da corrupção da previdência, onde até médicos está pedindo demissão, pior para a qualidade da saúde pública.

Nos Estados Unidos nunca se viu uma situação similar a essa, desde 1945, segundo pesquisa Rockefeller.

Alguns setores que crescem muito no Brasil, nos Estados Unidos são preenchidos por mulheres: Enfermagem, varejo e atendimento ao cliente.

Quarenta por cento das famílias passam a ser sustentadas por mulheres, aumentando também seu poder de compra. Setores que até 1.972 não havia mulheres, começam a se tornar comum sua presença: Polícia, âncoras de telejornais, FBI, etc.

Em 1.972, o corpo docente de Harvard era de 421, sendo apenas seis mulheres, esse ano cinco prêmios nobéis foram dados a mulheres, entre eles: Medicina, Química, Economia e Literatura.

Assim como Na primeira crise dos EUA, no início do século vinte, as mulheres foram as maiores beneficiadas; no Brasil, apesar de estar fora da crise, a mulher ganha cada vez mais espaço no mercado, mas é por causa dos baixos salários, como é o caso dos professores.

O déficit nos Estados Unidos, este ano, está em 1,4 trilhão, com previsão de 1,58 trilhão, dada pelo próprio Presidente Obama. Essa dívida está muito maior do que o ano passado, cerca de 900 bilhões a mais, mesmo com os cortes e ajustes feito pela nova gestão presidencial, mesmo assim representa 11 por cento do PIB.

Os estados Unidos já passaram por momentos piores, em 1.945 quando o déficit, corrigido e atualizado pela inflação, chegaria a cerca de 2,7 trilhões de dólares, muito maior do que está. A diferença é que esse rombo aconteceu tudo em um único ano, piorou com as fraudes, quando o Governo teve que sanar a falência de empresas e bancos, à beira da falência.

O Brasil escapou por pouco, enquanto os Estados Unidos mergulhavam em guerras contra o terrorismo e ameaças fantasmas, o Brasil preparava alguns dos maiores economistas do mundo, alguns deles participando diretamente de conselhos de grandes empresas, e, até do próprio governo.

Assim, enquanto os EUA priorizavam as guerras, o Brasil mergulhara nas teorias da globalização, fechando acordos com a China, alguns desastrosos, por sinal.

Os EUA, que eram o maior parceiro econômico do Brasil, em termos de exportação e captação de recursos, principalmente, começou a ceder espaço a China e outros novos parceiros, principalmente da BRIC.

O Brasil, como as mulheres americanas, em épocas de crise, foi beneficiado, mas as mulheres daqui não, ironicamente pelo fato de a crise não ter seus efeitos devastadores por aqui.

Todos nós sabemos que a crise é um momento ideal para empreendedores que tem visão de mercado, mas, aqui, os impostos e juros ofuscam o brilho dessa luz no fim do túnel, para as micro, pequenas e as grandes empresas.

By Jânio

outubro 19, 2009 Posted by | Internacional | , , , , , , | 4 Comentários

Daslu – Histórias de sucesso

Paraíso dos ricos

Paraíso dos ricos

Lúcia Piva de Albuquerque e Lourdes Aranha dos Santos iniciaram suas vendas de grifes importadas na década de 50, de seus nomes surgiu o nome da pequena butique Daslu, com o passar dos tempos a butique cresceu, atraiu marcas internacionais exclusivas da alta moda, virando referência de luxo e qualidade no Brasil.

Recentemente a empresa foi flagrada pela Receita Federal, por tentar burlar o fisco, o que causou constrangimento em sua proprietária, já que seus clientes não dão a mínima para os preços, comprando tudo o lhes agradam, muitas vezes até por impulso.

Suas funcionárias são todas de famílias ricas, ou que já foram ricas no passado. Vendedora que nem em sonho poderia se imaginar, pode se encontrar na Daslu.

Eliana Piva de Albuquerque Franchesi passou a administrar a Daslu a partir da década de 70, a butique foi fundada em 1.958, a filha de Lúcia foi a grande responsável pela expansão da Butique, que não tem nada que seja comparável no Brasil, crescendo sua importância de acordo com o crescimento da moda.

A primeira grande empreendedora a se inspirar na pioneira Daslu, foi Gabriela Leite. Gabriela já vinha de uma experiência bem sucedida, a ONG Dávida.

A socióloga ficou muito conhecida por seus trabalhos na área de combate contra a AIDS, criou também a Daspu, nome inspirado nas duas grandes empreendedoras da década de cinquenta, entre elas a mãe de Eliana.

A última inspiração, menos polêmica, à Daslu, foi a Dasdoida, oficina que cria as roupas, principalmente, como terapia ocupacional, para doentes mentais.

A ideia deu tão certo que já é conhecida no Brasil inteiro, com direito a participação em novela das oito e tudo.

É muito bom ver o Brasil criando tradição em empreendedorismo e sucesso empresarial.

A luta contra as altas taxas de impostos é tão grande que os empresários já desistiram de lutar contra ela, preferiram lutar contra as altas taxas de juros, não é a toa que os brasileiros são os maiores empreendedores do mundo.

Entre muambas, prostitutas e doidas, o Brasil continua crescendo.

By Jânio.

outubro 16, 2009 Posted by | Empreendedorismo | , , , , , , , | 6 Comentários

Dicas para se criar uma boa rede de contados.

rede de contatos

rede de contatos

A aplicabilidade de um networking são muito variadas, na internet são muito conhecidas as redes sociais, onde as pessoas trocam informações e batem papo, de maneira suas idéias e pensamentos. Na vida real não é diferente, agências de matrimônio são coisas do passado,  afinal, nem todo mundo que quer um relacionamento, está a fim de casar ou namorar.

Muitos especialistas nem gostam muito de utilizar o termo networking, preferindo mais a palavra relacionamentos. A ideia de networking é criar contatos, trocar idéias e, principalmente, resolver problemas, como a falta de emprego por exemplo.

Alguns empresários, vêem no networking uma forma de acelerar seu processo de aprimoramento, buscando conhecimentos, formas práticas de experiência vivenciadas pelo grupo.

Em São Paulo alguma empresas começam a se destacar no segmento de relacionamentos, uma delas é a Table for six, agência especializada em relacionamentos.

A rede de contatos ou networking é uma espécie de parceria onde as pessoas que fazem parte deste círculo de contatos trocam informações, influência e aprendizado profissional, e se ajudam mutuamente em ocasiões como: indicação para um novo emprego ou realização de um negócio.
Construir uma rede de relacionamentos é tão importante que já estão surgindo no mercado as agências de networking. Elas fazem agendamento de happy hour para executivos que querem ampliar sua rede de contatos. Um exemplo, é a Table for Six, de São Paulo, citada pela revista VOCÊ S.A (edição 101, novembro 2006) como uma agência de networking.

Veja as 16 dicas mais importantes para se criar um networking.

Dica 1 – desenvolva interesse genuíno pelas pessoas que pretende incluir em sua networking. Não procure as pessoas apenas quando estiver precisando de favor.
Dica 2 – esteja sempre disponível para ajudar as pessoas de sua rede na medida de suas possibilidades, e sempre retribua um favor na mesma “moeda”.
Dica 3 – tornar-se palestrante ou professor ajuda a criar um ciclo de contatos.
Dica 4 – frequentar cursos, palestras e convenções coloca o profissional em contato com pessoas de diversos setores.
Dica 5 – participar de associações, comitês e entidades gera muitos contatos profissionais.
Dica 6 – procure fazer contatos com pessoas de áreas diversas de seu setor de atividade.
Dica 7 – turbine a utilização de seu cartão de visita, utilize-o de maneira dinâmica.
Dica 8 – faça contatos personalizados, evite mandar e-mails para diversas pessoas ao mesmo tempo.
Dica 9 – quando indicar uma pessoa para outra de sua networking, avise antes, apresente-as.
Dica 10 – faça contatos freqüentes, uma boa dica é criar um networking no MSN e, sempre que possível, esteja presente trocando idéias com este grupo.
Dica 11 – evite falar muito nas conversas, procure ouvir mais e obter informações e conhecimento sobre as pessoas.
Dica 12 – procure mostrar sempre que você pode ser útil à sua rede de contatos.
Dica 13 – avise sempre o que está fazendo profissionalmente, seja trocando de emprego, realizando um novo empreendimento, escrevendo artigos, dando entrevistas, etc.
Dica 14 – tenha um blog e convide todos de sua rede de relacionamento para visitá-lo e contribuir com artigos e notícias.
Dica 15 – esteja sempre disponível para sua networking.
Dica 16 – lembre-se do nome das pessoas e data de aniversário.
Estas são algumas dicas de como construir e manter uma networking. Elas devem ser adaptadas a sua realidade, ao seu estilo profissional e ao seu perfil. Algumas combinarão melhor com você, outras não, mas é fundamental analisar todas elas e escolher as mais úteis para desenvolver sua rede de contatos.

Portanto, procure priorizar em sua vida profissional este importante meio de promoção pessoal, sempre com uma visão de médio e longo prazo, pois, como diz a sabedoria popular “o mundo dá muitas voltas”, e numa destas voltas uma pessoa de sua networking poderá desempenhar um papel fundamental em sua carreira.

outubro 5, 2009 Posted by | Redes Sociais | , , , , , , | 2 Comentários

Perfil do Empreendedor brasileiro.

caracteristicas de empreendedor

caracteristicas de empreendedor

Eu nunca botei muita fé nas agências do Sebrae, apesar de serem útil,   por outro lado, as informações, cursos e assessoria, obtidos no site desta instituição são de grande qualidade.

     Suas pesquisas e suas abordagens sobre o tema empreendedorismo são sempre oportunas para quem está começando.

     Algumas características do empreendedor brasileiro, segundo pesquisa são:

     1 – Ter iniciativa

     2 – Capacidade de realização

     3 – Organização

     4 – Coragem de lutar

     5 – Curiosidade

     6 – Confiança em si

     7 – Sonhador (a)

     8 – Capacidade de convencimento
     Evidentemente, apesar de todas as características do empreendedor, relacionadas pelo Sebrae, fica claro que algumas dessas características são fundamentais, enquanto outras podem ser desenvolvidas, assessoradas ou terceirizadas.

     O momento de hoje também não é como o momento de outrora, nem será o mesmo no futuro. O mercado se desenvolveu muito rápido, ficou mais sofisticado, criando mais oportunidades e ficando mais exigente também.

     Com a abertura da economia, houve um processo de evolução onde o avanço da tecnologia diminuiu a quantidade de empregos.

     Entre as ferramentas fundamentais do empreendedor moderno, devemos destacar: Telefone, fax, correio, fotocópias, reuniões, mensagens gravadas, e-mail, msn, videoconferência e cursos a distância.

     Usar as novas tecnologias, hoje, é essencial para que o empreendedor moderno não fique em desvantagem, em relação aos concorrentes.

     O registro das idéias, quando se começa um projeto, podem ajudar a resolver problemas no futuro do negócio.

     Além disso o empreendedor moderno deve ser:

     1 – Inovador 

     2 – Dinâmico

     3 – Ousado

     4 – Corajoso

     5 – Criativo

     6 – Enérgico

     7 – Transformador

     8 – Proativo 

     9 – Visão de mercado
     O Empreendedor não pode ser:

     1 – Medroso

     2 – Tradicional

     3 – Pessimista

     São elementos transformadores do empreendedorismo:

     1 – Democracia

     2 – reforma política e constitucional

     3 – Economia moderna 

     4 – Conquistas da mulher

     Todas as características acima devem ser desenvolvidas, não se esquecendo que algumas qualidades são fundamentais, outras podem ser adquiridas com mais tempo.

     Fonte: SEBRAE http://www.sebrae.com.br

     BY Jânio

junho 17, 2009 Posted by | Empreendedorismo | , , , | 4 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: