Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Trump anuncia cancelamento de acordo e apoia embargo dos EUA a Cuba

Da Agência EFE
Donald Trump anuncia cancelamento do acordo entre Estados Unidos e Cuba
Donald Trump anuncia cancelamento do acordo entre Estados Unidos e CubaEPA/Agência Lusa/Cristobal Herrera

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou hoje (16) o “cancelamento” da política de Barack Obama para Cuba e se mostrou disposto a negociar “um acordo melhor” com a ilha, mas apenas se houver avanços “concretos” para realização de “eleições livres” e a liberdade de “prisioneiros políticos”. As informações são da Agência EFE.

“Não suspenderemos as sanções a Cuba até que todos os prisioneiros políticos sejam livres, todos os partidos políticos estejam legalizados e sejam programadas eleições livres e supervisionadas internacionalmente”, disse Trump durante discurso em Miami.

O presidente também desafiou Cuba “a comparecer à mesa (de negociação) com um novo acordo que esteja no melhor interesse tanto do seu povo como do americano”, e considerou “cancelado” o marco estipulado entre Obama e Raúl Castro para normalizar as relações bilaterais.

Donald Trump advertiu, no entanto, que “qualquer mudança” à sua postura com Cuba dependerá de “avanços concretos” rumo a objetivos como as eleições livres, a liberdade de presos políticos e a entrega à Justiça americana de “criminosos e fugitivos” que encontraram refúgio na ilha.

“Quando os cubanos derem passos concretos, estaremos prontos, preparados e capazes de voltar à mesa para negociar esse acordo, que será muito melhor”, assegurou Trump.

“A nossa embaixada permanece aberta com a esperança de que nossos países possam forjar um caminho muito melhor”, acrescentou Trump, que não tomou nenhuma medida para rebaixar o nível de relações diplomáticas com a ilha.

O governante americano assegurou também que confia em que “logo” chegará o dia em que haja “uma nova geração de líderes” que implemente essas mudanças em Cuba, uma vez que o presidente cubano, Raúl Castro, deixará o poder em fevereiro de 2018.

Trump anunciou ainda que se “restringirá muito robustamente o fluxo de dólares americanos aos serviços militares, de segurança e de inteligência” da ilha, e dará “passos concretos para assegurar-se que os investimentos” de empresas americanas “fluem diretamente ao povo “.

“Implementaremos a proibição do turismo e implementaremos o embargo”, sentenciou Trump.

As mudanças anunciadas pela Casa Branca incluem a proibição das viagens individuais para fazer contatos com o povo cubano, conhecidos em inglês como “people to people travel”, e a possibilidade de auditoria a todos os americanos que visitem Cuba para comprovar que não violam as sanções dos EUA.

Liberdade

Antes da formalização do cancelamento do acordo, Donald Trump, afirmou que é “importante” que haja liberdade tanto em Cuba como na Venezuela. No discurso, o presidente norte-americano disse que Cuba sofre “há décadas” com o regime dos irmãos Castro, mas que isto não deve se repetir na Venezuela.

Trump detacou que os Estados Unidos acompanham de perto as denúncias sobre os crimes do “brutal” regime dos irmãos Castro, e que “é importante que haja liberdade em Cuba e na Venezuela”.

Trump reconheceu que, “às vezes”, na política, as coisas tomam um “pouco mais de tempo” que o desejado, mas prometeu que vai chegar “lá” e que vai conseguir fazer com que Cuba seja livre.

Embargo

A mudança de política para Cuba inclui o apoio de Donald Trump ao embargo comercial e financeiro americano à ilha e, de acordo com a Casa Branca, a oposição aos pedidos internacionais para que o Congresso o suspenda.

“A política reafirma o embargo americano imposto por lei a Cuba e se opõe aos pedidos nas Nações Unidas e outros foros internacionais para acabar com ele”, reiterou comunicado da assessoria do presidente norte-americano, enquanto Trump anunciava a mudança de política em teatro do bairro de Pequena Havana.

A suspensão do embargo só pode ser decidido pelo Congresso dos EUA, controlado agora pelos republicanos em ambas câmaras.

Dissidentes 

Líderes da oposição interna de Cuba receberam com considerações distintas, como “alegria” e pessimismo, o anúncio de Donald Trump, que reverte grande parte da política de normalização de relações com a ilha promovida por seu antecessor Barack Obama.

Berta Soler, uma das fundadoras do grupo dissidente Damas de Branco, disse que a nova mudança na política de normalização das relações dos EUA com a ilha “enche (os dissidentes cubanos) de alegria” e mostra que o governo Trump “conhece bem a oposição interna em Cuba e a repressão que ela sofre”.

O presidente americano desafiou hoje o governo de Cuba a negociar “um acordo melhor”, deu por “cancelado” o pacto estipulado entre Obama e Raúl Castro para normalizar as relações bilaterais e condicionou “qualquer mudança” em sua postura relativa a Cuba a “avanços concretos” para objetivos como eleições livres e a libertação dos presos políticos.

“Esperávamos estas medidas e as novas condições que o governo dos EUA tem de colocar para normalização das relações com o regime cubano, que nos agride e que ninguém consegue conter, porque o que Obama fez foi dar sinal verde e legitimar o regime”, declarou Soler por telefone da sede das Damas de Branco em Havana.

Soler, um dos rostos mais conhecidos da dissidência cubana, informou que as decisões anunciadas por Trump “são uma forma de levar Cuba a uma democratização, que depende dos cubanos”. “Acredito que temos o direito de contar com o apoio do governo dos EUA, que sempre quis a liberdade para o povo de Cuba”, acrescentou a dissidente.

O dissidente Manuel Cuesta Morúa, da organização Arco Progressista, tem opinião diferente sobre a nova política proposta pelo presidente norte-americano para a ilha.

“Parece-me uma notícia ruim para promoção da democracia em Cuba, e também uma notícia ruim para os cubanos em geral o retorno a uma política fracassada para tentar fazer com que os direitos humanos e a democracia sejam respeitados em Cuba”, declarou Cuesta Morúa.

Cuesta Morúa disse acreditar que o “mais sábio” seria “continuar os intercâmbios com a sociedade cubana em uma lógica de vencer, e não voltar à lógica de supostos ganhadores e perdedores reais na qual quem sempre perdeu foi o povo cubano”.

* A matéria foi ampliada às 20h12 para inclusão do posicionamento de dissidentes cubanos

Edição: Armando de Araújo Cardoso
 
Agência Brasil
 

junho 17, 2017 Posted by | Internacional | , , , | Deixe um comentário

Europa perde 90 bilhões em boicote com a Rússia

boicote europeu

Embargo Russo

As perdas da Rússia impostas pelas sanções da UE chegaram a 25 bilhões de euros em 2015, enquanto que as perdas sofridas pela União Europeia no período de 2014-2015 chegaram a 90 bilhões de euros, informou o Ministério do Desenvolvimento Econômico da Rússia.

“Estimamos as perdas  da União Europeia em virtude das sanções  impostas pela Rússia, em  40 bilhões de euros em 2014 e 50 bilhões de euros em 2015 e 25 bilhões de euros em 2015 perdidos pela  Rússia por causas das sanções da UE “, anunciou o primeiro vice-ministro de Desenvolvimento Econômico Alexei Likhachev. O representante russo também previu uma queda de 1,5 por cento devido aos efeitos negativos das medidas contra a Rússia para 2016.

Em uma entrevista concedida ao jornal alemão Bild no início de janeiro, o presidente russo Vladimir Putin ressaltou que as sanções contra a Rússia em 2014 foram “uma decisão estúpida e prejudicial”. “Não é o problema mais complicado que estamos resolvendo”, disse ele. “O maior dano para a economia russa vem da queda nos preços dos produtos tradicionais de exportação. No entanto, a influência desses fatores tem um lado positivo”, disse o presidente russo.

Fonte: RT-TV

Comentários:

A manipulação dos preços do petróleo tem como finalidade principal fragilizar a economia do Irã, já que o Irã decidiu usar o petróleo como moeda de troca e os EUA não tem como controlar economias fortes como a Rússia, China ou Índia, principalmente as economias que não dependem de exportações para os EUA, entretanto, tal medida acerta dois coelhos, já que a Rússia também exporta muito petróleo.

O boicote europeu impede exportação de alimentos pela Rússia, justamente quando a ONU anuncia a falta de alimentos para abastecer o mundo inteiro – alguém vai ficar sem comer nessa história.

Outro dado interessante a ser ressaltado é a força da  indústria bélica russa – as maiores empresas russas são do setor de armas, aviões e outras tecnologias de guerra. Recentemente, a Rússia fez um acordo a longo prazo de fornecimento de produtos derivados do petróleo e gás para a China, além de tecnologia bélica, naturalmente, só a economia chinesa já seria suficiente para manter a economia russa que serve para blindar a economia da China contra retaliações, sanções, embargos, incidentes diplomáticos.

Lembrando que a China mudou a estratégia econômica: enquanto os EUA começam a investir no México, para evitar uma invasão migratória, a China passou a investir  no consumo interno, para evitar a dependência exclusiva de exportação.

Em tempo: A última grande disputa por mercado consumidor entre a Alemanha e a Inglaterra acabou em guerra mundial, duas seguidas.

By Jânio

Atividade que mais da lucro

Rússia pretende ser o maior produtor de alimentos orgânicos

Países com mais recursos naturais

janeiro 13, 2016 Posted by | Internacional | , , , , | Deixe um comentário

Argentina sofre com embargo internacional

sofrimento argentino

Luta Argentina

O ministro das Relações Exteriores argentino, Héctor Timerman, e seu homólogo sul-africano, Maite Nkoana-Mashabane, reuniram-se em Pretória para discutir o caso da tentativa do fundo de investimento NML de embargar La Corbeta Espora, um navio de guerra argentino que atualmente está sendo reparado na cidade do Cabo.

O fundo NML já conseguiu, em outubro, que a justiça bloqueasse a saída da Flagata Libertad por causa de um pedido judicial de uma dívida correspondente a bonos de 2.005 e 2.010.

Timerman chamou o NML de fundo abutre, além de lembrar que esse tipo de navio não pode ser embargado.

Comentário: Como temos acompanhado em alguns países sul-americanos, há um movimento de resistência a ditadura do Clube de Bilderberg, formado por banqueiros, especuladores e pessoas que controlam todo o dinheiro do planeta. Na era do comunismo, para resistir a essa força, foi criada a cortina de ferro, que não resistiu; na era de Hitler, uma receita maldita que misturava de tudo, racismo, facismo, ciências ocultas e até religião, também não deu certo.

Atualmente, a China tem demonstrado tanta força econômica que até já oferece crédito em sua própria moeda, principalmente para os seus parceiros estratégicos. Isso acontece porque a China apresenta uma boa perspectiva de crescimento para os próximos anos e isso faz com que sua produção esteja em alta nos mercados de investimento para futuro.

A Argentina tem se aproximado do mercado chinês, numa tentativa desesperada de manter sua independência em relação a ditadura monetária em vigor no mundo, além da concorrência com o imperialismo brasileiro.

No caso do Brasil, não é tão simples. O Brasil possui tantos parceiros comerciais entre os socialistas, quanto entre os capitalistas, além de não ter coragem suficiente para assumir uma postura clara em relação à economia mundial, isso se reflete em todos os outros setores ligados ao sistemas político e econômico.

Pior para nós, aqui embaixo.

By Jânio

Brasil e Argentina impedem crescimento na AL

FMI corta relações com Argentina

Latino-americanos mais fortes

novembro 6, 2012 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: