Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Datafolha – Lula lidera preferência do eleitorado

janeiro 31, 2018 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Pesquisa realizada pela CNT Lula lidera todos os cenários para 2018

novembro 13, 2017 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Macron e Le Pen disputarão segundo turno na França no dia 7 de maio

Das Agências Télam e Lusa

O segundo turno das eleições presidenciais na França será no dia 7 de maio. O liberal Emmanuel Macron e a candidata de extrema-direita Marine Le Pen vão disputar os votos dos eleitores. Segundo levantamento da consultoria Ipsos, Macron obteve 23,7% dos votos e Le Pen 21,7%. As informações são da Agência Telam, com base em pesquisas de boca de urna.

Aos 39 anos, Macron espera tornar-se o presidente mais jovem do país, enquanto Marine, líder da Frente Nacional, tenta ser a primeira mulher  a alcançar o posto de chefe de Estado.

Seis pessoas ficaram feridas, incluindo três agentes das forças de segurança, e 29 foram detidas em protestos contra o resultado do primeiro turno das eleições presidenciais da França neste domingo, em Paris,  anunciou a agência Lusa.

Edição: Amanda Cieglinski/Kleber Sampaio

abril 24, 2017 Posted by | Internacional | , , , | Deixe um comentário

Prefeitos eleitos nas capitais

hora de decisão

eleições 

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

Os resultados do segundo turno já são conhecidos nas 18 capitais do país onde houve votação. Ao todo, segundo turno ocorreu em 57 municípios. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), as eleições envolveram cerca de 32,9 milhões de eleitores.

Aqueles que não puderam comparecer às urnas e não justificaram o voto hoje (30), podem preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição) e entregá-lo em qualquer cartório eleitoral ou enviá-lo, por via postal, ao juiz da zona eleitoral na qual é inscrito até 60 dias após cada turno da votação, acompanhado da documentação comprobatória da impossibilidade de comparecimento ao pleito.

O prazo para que isso seja feito é até 1º de dezembro, com relação ao primeiro turno;e, até 29 de dezembro de 2016, com relação ao segundo turno.

Depois de acompanhar o começo da apuração de votos do segundo turno na sede do TSE, o presidente da corte, Gilmar Mendes, disse que a eleição “transcorreu em clima de paz e normalidade” mesmo nos municípios que precisaram de reforço de segurança, como São Luís, Curitiba, Porto Alegre e Rio de Janeiro.

O TSE registrou mais de 300 ocorrências e mais de 80 prisões durante o período de votação. Na maioria dos casos, a Justiça Eleitoral flagrou cabos eleitorais fazendo propaganda para candidatos, a tradicional boca de urna. De acordo com os dados, nenhum candidato foi preso.

Confira os prefeitos eleitos nas capitais no segundo turno: 

Aracaju: Edvaldo Nogueira (PCdoB)

Belém: Zenaldo Coutinho (PSDB)

Belo Horizonte: Kalil (PHS)

Campo Grande: Marquinhos Trad (PSD)

Cuiabá: Emanuel Pinheiro (PMDB)

Curitiba: Rafael Grega (PMN)

Florianópolis: Gean Loureiro (PMDB)

Fortaleza: Roberto Cláudio (PDT)

Goiânia: Iris Rezende (PMDB)

Macapá: Clécio (Rede)

Maceió: Rui Palmeira (PSDB)

Manaus: Artur Virgilho Neto (PSDB)

Porto Alegre: Nelson Marchezan Junior (PSDB)

Porto Velho: Dr. Hildon (PSDB)

Recife: Geraldo Julio (PSB)

Rio de Janeiro: Crivella (PRB)

São Luís: Edivaldo Holanda Júnior (PDT)

Vitória: Luciano (PPS)

Edição: Carolina Pimentel

Agência Brasil

outubro 30, 2016 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Segundo turno das eleições ao vivo

outubro 30, 2016 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Como justificar ausência na votação

Edgar Matsuki – do Portal EBC*
Brasília - Eleitores que estão fora do domicílio eleitoral justificam ausência de voto em posto no centro da cidade (Pátio Brasil) (Marcello Casal/Agência Brasil)
Brasília – No primeiro turno das eleições municipais, eleitores que estavam fora do domicílio eleitoral justificaram a ausência de voto em posto no centro da cidade (Pátio Brasil) Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Neste domingo (30), milhões de eleitores voltam às urnas para o segundo turno das eleições que vai eleger os chefes dos executivos municipais de 57 cidades. Se você estará fora do seu domicílio eleitoral, no dia da votação, fique atento às orientações do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Para tirar as suas dúvidas, o Portal EBC fez uma lista de perguntas e resposta sobre o assunto.

Quem precisa fazer a justificativa eleitoral?

Devem justificar a ausência da votação todos os eleitores que estiverem fora dos domicílios eleitorais onde haverá disputa no segundo turno. Se na sua cidade as eleições para prefeito já foram decididas na primeira fase da disputa, o pleito já foi dado como encerrado.

Não estarei na cidade onde voto, o que fazer?

Quem estará fora do seu domicílio eleitoral precisa justificar a ausência do voto no dia da eleição. Nesse caso, o eleitor deve preencher e entregar o Requerimento de Justificativa Eleitoral (RJE) nos locais de justificativa. É necessário levar o título de eleitor e um documento com foto.

Como saber quais são os locais para justificar a ausência do voto?

Os locais de justificativa são definidos pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de cada estado. Os eleitores podem consultar os locais na página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

É possível fazer a justificativa eleitoral na mesma cidade em que você vota?

Não. Só pode justificar a ausência aqueles que estiverem fora do seu domicílio eleitoral no dia das eleições. Caso contrário, o eleitor deve se dirigir para a sua zona eleitoral e exercer o direito do voto.

Onde retiro o Requerimento de Justificativa Eleitoral?

O formulário pode ser obtido gratuitamente nos postos de atendimento ao eleitor, em cartórios eleitorais, na página do TSE ou nas páginas dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs). No dia da eleição, os locais de votação ou postos justificativa também disponibilizam o documento.

Posso justificar a ausência do voto depois da eleição?

Sim. O prazo para justificativa eleitoral é de 60 dias após as eleições. Nesse período, o eleitor deve se dirigir a um cartório eleitoral com o título de eleitor e um documento com foto, preencher o Requerimento de Justificativa Eleitoral (pós-eleição), que pode ser retirado no próprio local gratuitamente. O cidadão ainda tem a opção de enviar o documento pelos correios ao juiz da sua zona eleitoral.

No caso de justificava após as eleições, além do requerimento, é preciso apresentar um documento que comprove a sua ausência. Por exemplo, bilhete da passagem, atestado médico. Neste ano, quem deixou de votar no primeiro turno tem até 1º de dezembro de 2016 para justificar. No caso do segundo turmo, o prazo vai até o dia 29 de dezembro de 2016.

Perdi todos os prazos para justificar a ausência, o que devo fazer?

O eleitor que não justifica a ausência no pleito dentro do prazo de 60 dias após a eleição, ele fica em débito com a Justiça Eleitoral. Para regularizar sua situação, primeiro ele deve solicitar a Guia de Recolhimento da União (GRU) em qualquer cartório eleitoral ou posto de atendimento ao eleitor. Depois ele deve pagar uma multa, que varia de R$ 1,05 até R$ 3,51, por turno, para obter a certidão de quitação eleitoral.

O que acontece se o eleitor não pagar a multa?

O não pagamento da multa impede que o eleitor solicite a Certidão de Quitação Eleitoral. Em débito com a Justiça Eleitoral, o cidadão fica impedido de solicitar passaporte ou carteira de identidade, pedir empréstimo, participar de concurso público, inscrever-se em instituições públicas de ensino e, se tratando de funcionário público, a pessoa fica impedida de receber o salário.

Não votei no primeiro turno, posso votar no segundo?

Sim, pois de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral, cada turno representa uma eleição. Mas é preciso que a sua situação com a Justiça eleitoral esteja regularizada e o título de eleitor não esteja cancelado ou suspenso. Isso porquê quando o eleitor que deixa de votar em três eleições seguidas, sem apresentar justificativa, o título é cancelado e ele fica impedido de votar.

*Colaborou Yuri Moura

Edição: Denise Griesinger

outubro 29, 2016 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Eleições 2.016 – Prefeitos já eleitos nas capitais

Mariana Jungmann e Iolando Lourenço

A principal mudança que se observa no primeiro turno das eleições municipais de 2016 em comparação a 2012 foi o desempenho do PT, que desta vez não conseguiu polarizar com o PSDB nas capitais do país. Este ano, entre os candidatos petistas, apenas Marcus Alexandre conseguiu se reeleger em primeiro turno em Rio Branco (AC). O PT também conseguiu enviar João Paulo para o segundo turno no Recife (PE).

eleições municpais 2016
Ao todo, oito capitais tiveram as eleições definidas em primeiro turnoArquivo Agência Brasil

Os tucanos, no entanto, não só conseguiram manter o mesmo número de candidatos disputando o segundo turno, oito nas capitais, como aumentou a quantidade de prefeitos eleitos em primeiro turno. Este ano, além de conquistar a maior capital do país, elegendo João Dória em São Paulo, o PSDB também reelegeu Firmino Filho em Teresina (PI).

Em 2012, os dois partidos rivalizavam. Cada um tinha eleito um prefeito em capital eleito em primeiro turno e obtido resultados próximos no número de candidatos no segundo turno: seis do PT e oito do PSDB. Além disso, há quatro anos petistas e tucanos disputaram a capital paulista, com vitória para Fernando Haddad (PT) no segundo turno contra José Serra (PSDB). Desta vez, o atual prefeito sequer conseguiu levar a disputa contra João Dória para o próximo dia 30 e perdeu para o tucano em primeiro turno.

O PMDB teve queda no desempenho no primeiro turno este ano em relação a 2012 nas capitais. Há quatro anos, o maior partido do país tinha conquistado, em primeiro turno, o segundo maior colégio eleitoral – o Rio de Janeiro, com a reeleição de Eduardo Paes – e eleito Teresa Surita prefeita de Boa Vista (RR). Desta vez, conseguiu apenas reeleger Teresa em primeiro turno. No entanto, seis candidatos do partido vão disputar o segundo turno este ano. Em 2012 foram apenas três peemedebistas no segundo turno das eleições municipais.

Ao todo, oito capitais tiveram as eleições definidas em primeiro turno. Além de PT, PSDB e PMDB, também elegeram candidatos hoje PDT, com Carlos Eduardo em Natal (RN); PSB, com Carlos Amastha em Palmas (TO); DEM, com ACM Neto em Salvador (BA); e PSD, com Luciano Cartaxo em João Pessoa (PB).

O segundo turno vai ser disputado em 18 capitais com candidatos de 16 partidos. Estarão em campanha este mês os candidatos de PT, PMDB, PSDB, PR, PDT, PSB, REDE, PSD, PP, PTB, PCdoB, PMN, PSOL, PHS, PPS, e SD. No segundo turno das eleições, os partidos que mais vão se enfrentar são PMDB e PSDB. Eles disputam em Porto Alegre (RS), Maceió (AL) e Cuiabá (MT).

Mais votada

A única mulher eleita em primeiro turno, Teresa Surita (PMDB), foi também a candidata com a maior votação proporcional do país. Ela teve 79% dos votos válidos em Boa Vista (RR), onde foi reeleita. Para ela, um dos fatores que colaboraram para o seu desempenho foi a redução no custo das campanhas eleitorais proporcionado pela nova lei aprovada no ano passado.Teresa Surita disse que a nova lei eleitoral a ajudou a ser reeleita

“A nova lei eleitoral, que diminui o custo das campanhas, ajudou porque colocou os candidatos em condição igualitária. Por exemplo, nós não tivemos que adesivar carros, ou outros gastos grandes com esta parte”, explicou.

Para a prefeita, a crise econômica que afeta todo o país e a consequente necessidade de fazer corte de gastos na prefeitura não prejudicou seu desempenho eleitoral. Segundo Teresa Surita, o empenho com o ajuste fiscal em Boa Vista aumentou a confiança dos eleitores em suas propostas.

“Tudo que nós suspendemos, ou [obras] que atrasamos a entrega, foi acompanhado pelas pessoas. Um exemplo: fizemos concurso público e não pudemos chamar todas as pessoas porque eu não podia comprometer a folha [de pagamento municipal], mas isso passou credibilidade”, disse. “Não propus coisas que não pudesse cumprir”.

Agência Brasil

outubro 3, 2016 Posted by | Política | , , , , , , | Deixe um comentário

Eleições 2.016 – Quem são os candidatos de Curitiba

Canditados a prefeito

Candidatos de Curitiba

Daniel Isaia – Correspondente da Agência Brasil

A disputa para a prefeitura da capital paranaense envolve nove candidaturas. Seis delas estão coligadas com outros partidos, de modo que 32 siglas estão envolvidas no total. Apenas três partidos não formaram coligações.

Gustavo Fruet

O candidato da situação é Gustavo Fruet, do PDT, que concorre à reeleição apoiado por mais quatro partidos. Filho do ex-prefeito de Curitiba, Maurício Fruet, morto em 1998, Gustavo foi deputado federal por três mandatos consecutivos. Em 2010, tentou disputar uma vaga para senador e ficou em terceiro lugar.

Rafael Greca

Rafael Greca é o candidato do PMN e de outros seis partidos. Foi prefeito da capital paranaense entre 1993 e 1997. No ano seguinte, foi eleito o deputado federal mais votado do Paraná. Greca também atuou como ministro de Esporte e Turismo no segundo governo Fernando Henrique Cardoso.

Requião Filho

O PMDB lançou o advogado Requião Filho como candidato à prefeitura, em coligação com o Rede Sustentabilidade. Filho do senador e ex-governador Roberto Requião, o candidato está licenciado do cargo de deputado estadual do Paraná para disputar o pleito.

Ney Leprevost

O candidato do PSD e de outros seis partidos é o jornalista Ney Leprevost. Licenciado do cargo de deputado estadual para disputar a prefeitura, ele foi eleito em duas oportunidades como vereador de Curitiba. Leprevost também atuou como secretário estadual de Transporte e Turismo.

Maria Victoria

Maria Victoria é a candidata do PP em coligação com outros cinco partidos. Foi eleita deputada estadual em 2014, cargo do qual está licenciada para disputar a prefeitura. Maria é filha dos políticos Ricardo Barros e Cida Borghetti.

Tadeu Veneri

O PT lançou candidatura própria sem coligar com outros partidos na capital paranaense. O deputado estadual Tadeu Veneri, também licenciado, foi vereador de Curitiba entre 1995 e 2002. Atualmente, está no quarto mandato consecutivo na Assembleia Legislativa do Paraná.

Ademar Pereira

O PROS também lançou uma chapa pura para a disputa da prefeitura curitibana. O candidato Ademar Pereira foi presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado do Paraná (Sinepe). Atualmente, ele é vice-presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep).

Afonso Rangel

Afonso Rangel, do PRP, teve a candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), mas recorreu da decisão. O candidato é Pró-Reitor de Planejamento e Avaliação da Universidade Tuiuti do Paraná.

Xênia Mello

A candidata do PSOL, Xênia Mello, também conta com apoio do PCB. Atualmente, é membro do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher em Curitiba. Xênia é advogada formada pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e Mestranda em Sociologia na mesma instituição.

Legislativo

As 38 cadeiras da Câmara de Vereadores estão sendo disputadas por 1.072 candidatos ao legislativo municipal — ou seja, uma proporção de 28,2 candidatos para cada vaga. O número expressivo se explica no fato de que 11 partidos inscreveram 50 ou mais candidaturas. No total, 34 partidos participam da eleição para a Câmara.

Curitiba é a cidade mais populosa da Região Sul, com quase 1,9 milhão de habitantes. Quase 1,3 milhão estão aptos a votar nos candidatos à prefeitura e à Câmara Municipal.

Do total de eleitores, 46% são homens e 54% são mulheres. Estão registrados na capital paranaense 7.559 eleitores analfabetos e 5.565 menores de idade, aos quais o voto é facultativo.

Edição: Carolina Pimentel

setembro 25, 2016 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Eleições 2.016 – pesquisa para prefeito do Rio de Janeiro

crivella

Pesquisa Eleitoral para Prefeitura do Rio de Janeiro

Candidato Intenções de Voto (%)
Marcelo Crivella (PRB) 31%
Marcelo Freixo (PSOL) 9%
Pedro Paulo (PMDB) 9%
Flávio Bolsonaro (PSC) 8%
Jandira Feghali (PCdoB) 8%
Indio da Costa (PSD) 7%
Osorio (PSDB) 3%
Alessandro Molon (Rede) 1%
Cyro Garcia (PSTU) 1%
Carmen Migueles (Novo) 0%
Thelma Bastos (PCO)
Branco/nulo 19%
Não sabe/não respondeu 4%

 

setembro 18, 2016 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Eleições 2.016 – Candidatos à prefeitura de São Paulo

 fernando_haddad_1
Bruno Bocchini – Repórter da Agência Brasil

A convenção municipal do Partido da República (PR) oficializou na noite de hoje (22) que a legenda integrará a coligação PT, PDT e PROS nas eleições municipais para prefeito em São Paulo. O nome do candidato será indicado pelo PT e deverá ser o do atual prefeito Fernando Haddad. A convenção, realizada na Câmara dos Vereadores, decidiu por unanimidade a adesão à coligação.

Outros quatro partidos vão realizar neste domingo (24) convenções municipais para homologação de seus candidatos. O Diretório Municipal do PT deverá homologar a candidatura de Fernando Haddad; o Psol, a de Luiza Erundina; o PRB deverá formalizar o nome de Celso Russomanno; e o Diretório Municipal do PSDB o de João Doria Jr.

De acordo com o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), os partidos têm até o dia 5 de agosto para indicar seus candidatos para as eleições municipais de 2016.

Edição: Armando Cardoso

julho 23, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Primeira prévia para as eleições 2.018

Lula para presidente

Eleições 2.018

Depois de ler sobre as pesquisas do IBOPE para as eleições de 2.018, sabendo que temos uma eleição esse ano, cheguei a conclusão que muito burguês poderá ter um infarto até lá. Essa conclusão tem um motivo, o desespero da mídia para destruir o PT e sua base aliada.

Muita gente nem sabe que vai ter Olimpíadas esse ano, quem sabia já se esqueceu, já que os jornais viraram um diário da Lava a Jato.

Depois de criar um carnaval em torno supostos apartamento e chacrinha de Lula, chegou-se a conclusão que mesmo que isso fosse verdade não seria suficiente para derrubar o seu prestígio no Brasil e exterior, resultado: começaram a fazer pesquisas para saber se a manipulação está dando resultado.

De acordo com os números do IBOPE que ninguém sabe onde está sendo feito e nem qual é o seu objetivo obscuro, que falta faz a GFK, Lula tem a maior rejeição, mas ainda é o segundo na intenção de votos. Além disso, as duas relações abaixo não batem.

também há uma falha grave nessa lista, a falta de outros candidatos com intenção de entrar na disputa, como é o caso do vice-presidente Michel Temer, já que o PMDB já anunciou que quer entrar na disputa.

Na minha opinião essa pesquisa estava interessada principalmente em saber como está o prestígio de Lula, mas ainda se esqueceram de avaliar os fatores externos. Por exemplo: Ao entregar a presidência para Lula, FHC sabia que nenhum outro candidato teria o aval da China para conseguir novos empréstimos junto aos bancos internacionais; o salário que chegara a 100 dólares, foi cortado e voltou aos 60 dólares, valor que estava no início do mandato de FHC; a taxa de juros ultrapassara os 26% e o dólar ultrapassava os 3,80; os especuladores aproveitando-se da fragilidade das reservas do governo, transformaram a bolsa na maior ferramenta de especulação da história do país. O apoio ou imparcialidade dos países importantes como a China terão forte impacto no resultado das eleições.

A situação não está tão alarmante nesse momento, exceto pelo dólar e pela recessão provocada pelo medo dos bancos, magnatas e dos próprios políticos que evitam  fazer suas negociatas enquanto a polícia federal está revirando as contas públicas e áreas econômica e financeira.

Por outro lado, nenhum partido de personalidade deverá ficar fora dessa disputa, aproveitando-se da fragilidade do bipartidarismo. É o caso do PSB e PSOL, por exemplo.

Finalizando, como diria a Carly Simon:

I know nothing stays the same
Eu sei que nada continua continua o mesmo (para sempre)

But if you’re willing to play the game
Mas se você estiver querendo jogar o jogo

It’s coming around again
Está chegando perto de novo

So don’t mind if I fall apart
Então não se preocupe se eu cair em pedaços

There’s more room in a broken heart
Há mais espaço em um coração partido
Rejeição:

Lula (PT) 61%

José Serra (PSDB) 52%

Geraldo Alckmin (PSDB) 47%

Ciro Gomes (PDT) 45%

Aécio Neves (PSDB) 44%

Marina Silva (REDE) 42%

Quem votaria:

Alckmim – 23% votariam + 7% talvez

Lula – 19% votariam + 14% talvez

Marina Silva – 15% votariam + 28% talvez

Aécio – 15% votariam + 25% talvez

Serra – 8% votariam + 24% talvez

Sobre as eleições desse ano ainda não sabemos nada, mas continuamos desinformando rsrsrsr.

By Jânio

Lula quer voltar a presidência

março 1, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Eleições 2.014 – Pesquisas para presidente

Pesquisas Presidente

Pesquisas Presidente

Desde o início todos sabiam que Marina Silva era mais popular que Eduardo Campos, entretanto, Eduardo Campos tinha mais tradição e mesmo sendo uma tradição de esquerda, Miguel Arraes, Eduardo Campos era moderado como a mãe, diretora do TCU. A tragédia de Eduardo Campos transformou-o no nome mais importante do momento e dobrou a expectativa popular de Marina Silva.

Eu não vou dar a minha opinião sobre o que eu acho da política brasileira para não falar besteira mas, considerando o país de m**** em que nós vivemos, houve um pequeno avanço: saímos de uma ditadura da Globo, passamos para o bipartidarismo das mídias de massa, controladas pelos magnatas e banqueiros, e chegamos a uma terceira força, tão temida pelo sistema bipartidário.

O bipartidarismo considera-se suficiente para passar a imagem de democracia e vê nessa terceira força uma ameaça para a ditadura do dinheiro, trazendo a verdadeira democracia para o povo. A verdadeira democracia seria apresentar vários candidatos que realmente tenham capacidade de governar o país.

A saída repentina de Ciro Gomes, alguns anos atrás, justamente quando ele estava mais confiante, assustou-me. Marina Silva desafiou o sistema na última eleição e tinha a esperança do mundo inteiro, menos da maioria do Brasil que teve medo de votar nela. Tudo indicava que ela não teria mais chance, depois de ter seu pedido de criação de um novo partido negado pelo TSE. Marina aceitou ser vice de Eduardo Campos e mesmo tendo mais popularidade, aceitou o desafio do partido que finalmente decidira ter seu candidato.

Marina colhe os frutos de sua decisão de ficar neutra na última eleição, contrariando o partido que a lançara como candidata, isso se chama ideologia.

Ciro Gomes a chamava de candidata sem partido e criticava suas atitudes exageradas, esquecendo-se que são os exageros que formam a personalidade de uma grande candidata, já que haverá um partido de sustentação que força o executivo a ser mais moderado. Marina Silva não irá fazer tudo o que gostaria pois sabe que precisa dos votos dos aliados, mas o seu partido ainda está sem os corruptos, apesar de que para governar, precisaria escolher entre o PT/PMDB e o PSDB/Democrata. Mesmo com apoio de direita, teria também apoio de esquerda, já que essa é a sua ideologia, ideologia de mudanças.

Curiosamente, Marina Silva, a Candidata sem partido, será candidata do próprio partido de Ciro Gomes, que a via assim.

“De acordo com o levantamento, a ex-ministra e a candidata do PT à reeleição têm os mesmos 34%. Com isso, a distância para o candidato do PSDB, Aécio Neves, aumentou. O tucano tem agora 15%. Marina subiu 13 pontos em relação à última pesquisa do mesmo instituto. Em 18 de agosto, ela tinha apenas 21%, enquanto Dilma liderava com 36%. Naquela sondagem, Aécio Neves aparecia com 20%”. DATAFOLHA

E o pior é que os brasileiros acreditam cegamente em pesquisas mas, pelo menos desta vez, talvez um sistema de política torta seja efetivo em um país torto como o Brasil.

Não dá para dizer que Marina não será forçada pela corrupção a mudar algumas de suas atitudes, mas é com certeza quem tem mais atitude entre os três candidatos.

Fonte: Carta Capital

Lista de Presidentes do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Marilyn Monroe e a teoria da conspiração

Teorias da conspiração que foram comprovadas

A sociedade secreta mão negra  

Mortes misteriosas de celebridades

Veneno bipartidário 

Goleada da Alemanha tinha objetivo  político

Perspectiva política 

Morte na política brasileira

 

setembro 1, 2014 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

Nicolas Maduro é o presidente da Venezuela

Presidente da Venezuela

Nicolas Maduro

O Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela já reconhece que Nicolas Maduro é o presidente eleito de 2.013, em seu primeiro boletim.

O candidato socialista venezuelano, Nicolás Maduro, venceu as eleições presidenciais desse domingo, 14 de abril de 2.013, com 50,67% dos votos, contra 49,07% de Henrique Capriles Radonski, segundo o primeiro boletim, quando o resultado já era considerado irreversível.

Nicolas Maduro – 7.505.338 votos

Henrique Capriles Radonski – 7.403.000 votos

O voto na Venezuela não é obrigatório, mesmo assim, mais de 78% compareceram às urnas, atendendo ao pedido de Hugo Chávez em seu último discurso – “Se algo me acontecer, elejam Maduro!”

Para quem esperava um dia conturbado, com muitas manifestações, a Venezuela mostrou porque é considerado um dos países mais democráticos da América Latina. Maduro não é Chávez, é verdade, mas é governo, ex-vice-presidente de Chávez.

Chavez ficou mais tempo que o normal no governo, sendo considerado um ditador pela direita, principalmente depois que estatizou a televisão e a Petrobrás. Entretanto, a Petrobrás não deveria ser considerada como tal, muito menos investir dinheiro público fora do país.

A TV sempre foi o grande problema do Brasil, mas esse problema foi resolvido na Venezuela.

Apesar da decisão contra a televisão, Chávez chegou a ganhar prêmios pelos seus projetos na internet, onde as opiniões verdadeiras do povo são transparentes.

Chávez ficou muito tempo no poder, realizou mudanças sociais reconhecidas no mundo inteiro, mas durante todo esse tempo o elitismo continuou ameaçando.

Países como o Brasil, onde a televisão constitui uma verdadeira praga social, a imagem de Hugo Chávez não é boa, entretanto, intelectuais do mundo inteiro reconhecem a importância do socialismo na Venezuela. Até cuba é destaque quanto ao desenvolvimento humano.

A vitória de Maduro ajudará Cuba por mais alguns anos, assim como seus aliados próximos. Entretanto, essa vitória apertada mostra que a representação democrática continuará forte e conflitante no país, para o bem ou para o mal.

Texto: By Jânio

Fonte: Telesur

Morre Hugo Chávez

abril 15, 2013 Posted by | Internacional | , , , , | Deixe um comentário

José Serra e a Mulher Melância

destino de são paulo

Trapalhadas Bipartidárias

As brigas raciais das últimas eleições, que sobraram para Mayara, parece não ter afetado muito o mando político em São Paulo. Depois de tanta briga e lavagem de roupa suja, eu imaginei que novos partidos ganhariam força mas, não, PT e PSDB continuam firmes e fortes, tanto que disputam o segundo turno na eleição para Prefeito de 2.012.

De um lado, Fernando Haddad carrega a herança do PT (mensalão), além de seus próprios problemas; de outro, José Serra provou do escândalo da privataria, além de algumas fofocas que correram pela internet, onde FHC teria dito que José Serra já foi candidato demais.

Fernando Henrique Cardoso é um grande político, do tipo que critica mas não perde a amizade. Quando o partido vai chamá-lo para discursar, ele está sempre pronto para dar o seu apoio.

Não dá para dizer quem é melhor ou quem é pior, ou menos pior, essa será a decisão dos paulistanos. Caso os aliados ganhem a eleição em São Paulo, terão os dois maiores centros urbanos nas mãos, o RJ já está nas mãos do PMDB.

Para o PSDB é uma questão de honra, essa vitória em São Paulo mas, em caso de algo sair errado, terão de dividir o poder com o PT, já que o governo estadual está com o PSDB há muito tempo.

O grande problema do PSDB, na minha opinião, é que depois de tanto tempo no poder, em São Paulo, o partido vai ficando desgastado. Apesar disso, sempre teve o controle total do seu reduto.

Passar a imagem de políticos perfeitos não ajudou, o escândalo de Brasília, com José Roberto Arruda, a CPI do Cachoeira e a queda de grandes nomes políticos, como a família Maia, tirou todo o prestígio do DEM. Por outro lado, o envolvimento de Arthur Virgílio com os cartões, não ajudou o PSDB.

Quando Kassab criou um novo partido, deu o golpe final que o DEM não esperava mas, mantendo a ideologia de direita, não mudará muita coisa.

Para quem acha que o bipartidarismo é uma boa alternativa, PT e PSDB é tudo o que nós merecemos.

O mais interessante nessa briga entre os eleitores de Serra e do Haddad, é que quanto mais falam mal do PT, mais ele cresce nas pesquisas. Esse é um reflexo do racismo das últimas eleições, onde a chamada opinião pública queimou o filme.

A burguesia critica muita a inclusão digital, com o argumento de que a maioria dos internautas não sabe escrever e nem tem educação, mas foram eles que cometeram as maiores gafes, ao acharem que estavam preparados para serem polêmicos. É o mesmo caso das câmeras digitais, os maiores escândalos não são dos pobres, já que eles nem são conhecidos e já convivem com o mundo marginal, o pior vem de cima, cheirando a perfume barato e vinho de liquidação.

Enquanto isso, o socialismo vai se acostumando a ser popular, mas as forças armadas já começam a receber as verbas que não tinham no tempo do PSDB e resolvendo questões importantes, como a proteção dos juízes do STF e a segurança das favelas do Rio de Janeiro.

Quando não sabemos o que de fato os banqueiros estão pensando, temos que imaginar com as notícias que nos chegam e, por enquanto, essa eleição lembra muito a publicidade da Mulher Melancia: quanto mais as mulheres falam mal dela, mais sua fama aumenta entre os homens.

By Jânio

Prefeitos eleitos no primeiro turno

Pré-candidatos a prefeito de São Paulo

outubro 23, 2012 Posted by | Política | , , , , , , , , , | 3 Comentários

Dilma Rousseff é eleita Presidenta do Brasil

candidata eleita

Presidenta do Brasil

A eleição de Dilma me trouxe a memória o ano de 1.980, naquela época, era muito comum a discussão sobre se uma mulher poderia ser Presidenta.

Eu nunca gostei de discutir assuntos ligado à  política em minha infância, mas a aula era sobre estudos sociais, eu tinha que responder.

A guerra dos sexos era acirrada na sala de aula. Eu disse: “A mulher já é bóia-fria, professora, médica, vendedora, zeladora, porquê não ser mecânica, policial e presidenta.

Insistiram na pergunta – Você não respondeu?

É claro que eu gostaria de ver minha esposa Presidenta do Brasil, quanto às outras mulheres, não é da minha conta – respondi brincando.

Eu insistia: Se a mulher for Presidenta, quem é que vai mandar nela? – Hoje nós sabemos que quem manda no Presidente é a mulher dele ….

O tempo passou, tivemos a Heloisa Helena na eleição passada, e duas candidatas nessa eleição. Marina ressaltou que gostaria de ver duas mulheres disputando o segundo turno.

Eu diria que o Brasil não mudou tanto assim, derrubar o sistema bipartidário, depende de engajamento do povo.

Ironicamente, hoje, a burguesia é contra a eleição de uma mulher para a presidência do Brasil, a mesma classe que levantava essas discussões, mostrou-se acuada.

Hoje, dia trinta e um de Outubro de dois mil e dez, o Brasil elegeu uma mulher como a Presidenta do Brasil. Além de ser eleita Presidenta, Dilma ainda lutou contra o fato de ser ex-comunista, socialista, guerrilheira, esquerda, mulher, etc., tudo o que a elite teme mais que Governo Militar.

Muita gente acha que o brasileiro é covarde, pacífico, mas se olharmos para a lista de presidentes do Brasil, vamos ver que tem morrido muita gente, antes, durante e depois do mandato, além de pessoas ligadas a elas.

O próprio PT já sentiu na pele, que governar é diferente de fazer oposição.

Tanto o PT, quanto o PSDB, são partidos socialistas, com candidatos que fizeram frente a ditadura. Finalmente a guerra acabou.

Poderemos, agora, falar verdades, sem que essas palavras sejam usadas em prol de candidatos, como arma eleitoeira.

Com 55% dos votos de 92% das urnas apuradas, o TSE, Tribunal Superior Eleitoral, declarou a vitória da candidata Dilma Vana Rousseff do PT.

Luis Inácio Lula da silva, Presidente Lula, foi o grande responsável pela sua vitória. Apesar de serem muito diferentes, foi fazendo cara feia que Lula ganhou a vida durante muito tempo, como sindicalista.

Com um dos maiores índices de aprovação da história, o que não apareceu na internet, Lula conseguiu passar para Dilma parte de seu carisma, junto aos eleitores.

Além do PT, PMDB, PSB e PDT apoiaram a candidatura de Dilma, totalizando onze partidos.

A vitória de Dilma foi anunciada às 20:hrs do dia 31 de outubro de 2.010.

Como vice de Dilma, Michel Temer da ala do PMDB que apoiou o PSDB durante muito tempo, deverá unir o PMDB, pelo menos no início do Governo.

Michel Temer fazia oposição a chamada “banda podre”, comandada por Renan Calheiros e José Sarney. Temer também será peça chave para se promover mudanças, desde que não esteja no arquivo do arqui-rival, é claro

Agnelo Queiroz (PT) foi eleito em Brasília com 66% dos votos, mostrando que as mudanças que não aconteceram na justiça, aconteceram nas urnas. Resta saber se ele vai punir os protagonistas do escândalo de Brasília, assim como os policiais que agrediram os manifestantes na ruas.

Joaquim Roriz bem que tentou usar de suas artimanhas, para manter-se  no poder, chegou até ao segundo turno, mas os eleitores preferiram arriscar em mudanças.

Em Alagoas, o governador eleito foi Teotônio Vilela Filho (PSDB), Filho do Ex-Senador de mesmo nome, ele foi, ao lado de seus adversários, collor e Lessa, protagonista da maior disputa do Brasil, onde os três terminaram empatados.

Wilson Martins (PSB) foi reeleito no Piauí. O PSB, aliás é, entre os grandes partidos, o partido com menos corruptos, segundo o Ficha Limpa. O PSB é , também, o partido que mais cresce no país.

A desistência do PSB, em lançar Ciro Gomes à presidência, foi deteminante para a definição do segundo turno. Essa decisão também mostrou sinais claros de um sistema bipartidário ainda forte no Brasil.
 
Simão Jatene (PSDB) foi o grande vencedor no Pará, terra de Jáder Barbalho. Essa vitória foi muito importante para que mudanças venham a acontecer na Amazônia. O Ficha Limpa, que barrou Jáder Barbalho, foi um fator determinante nessa mudança, onde o candidato do PSDB venceu Ana Júlia.

No Estado da Paraíba, o vencedor das eleições foi Ricardo Coutinho (PSB), que venceu José Maranhão do PMDB.

Eu ainda não descobri como o PSB consegue se manter intacto, quanto à corrupção, mesmo estando tão próximo do poder.

Camilo Capiberibe (PSB) é o novo Governador eleito do Amapá. Esse foi mais um candidato beneficiado pela Polícia Federal que investigava no estado (operação mãos limpas).

Deixar a Polícia Federal trabalhar, é fundamental para que o Brasil melhore.

Marconi Perillo (PSDB) é o novo governador de Goiás. Iris Rezende (PMDB) e veterano, vencedor de duas outras eleições, foi o derrotado; suas ligações com Sarney, para quem foi Ministro, pode ter ajudado o eleitor a decidir.

Confúcio Moura (PMDB) será o novo Governador de Rondônia, a partir do próximo ano. Rondônia ainda é um Estado que tem muito para crescer, em questões de política, tudo ainda está muito confuso nesse estado.

Anchieta Júnior (PSDB) é eleito em Roraima. Apesar de já ter sido processado pela procuradoria, quando foi governador, tomou posse depois que o governador de quem era vice, morreu.

Assim como em Rondônia, Roraima apresenta muitos problemas, ainda tem muitas mudanças para promover, foi cenário de um dos últmos escâdalos da política brasileira, antes das eleições.

Conclusão: O segundo turno mostrou boas notícias, já verificadas no primeiro turno. Novos veteranos caíram, governadores não conseguiram se reeleger.

Fora isso, estão fora: Joaquim Roriz, Fernando collor de Mello, Jáder Barbalho, além de vários outros políticos associados a escândalos, ou relacionados ao ficha limpa.

Apesar de Lula ter liberado a PF, o grande beneficiado foi o próprio PSDB, além do PSB, naturalmente.

Governadores eleitos no primeiro turno:

https://icommercepage.wordpress.com/2010/10/05/relacao-de-governadores-eleitos/

By Jânio

novembro 1, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , , | 18 Comentários

A crise da PPP

começo da crise

Briga de Gente Grande

A PPP é a base do marketing, onde são identificadas as áreas onde um empreendedor deve ficar atento, para que seu empreendimento obtenha o sucesso desejado.

Eu criei uma nova PPP, uma versão para os donos do poder, incluindo os políticos, a polícia e os pilantras. Há muito mais elementos que poderiam  ser identificados com o P, mas não seria certo, principalmente porque alguns são mais vítimas que algozes, como é o caso das prostitutas, por exemplo.

É evidente que a política reflete, em parte, o comportamento do povo. Mesmo sendo elitizada, a medida em que o povo assume uma postura mais séria, alguns políticos menos corruptos tendem a aparecer.

Há algum tempo atrás, a compra de votos e os mensalões, bem como megashows de celebridades, durante as grandes campanhas, era uma prática normal, não só tolerada pelo povo, como apoiado por ele.

O povo queria acompanhar a política, mas os velhos discursos eram muito enfadonhos, a saída eram os shows.

No escândalo da assembléia do Paraná, o máximo que eu ouvi foi: “O dinheiro desviado terá de ser devolvido”, eu fiquei pensando, mas, e a cadeia?

Nos últimos meses, acompanhamos vários pequenos escândalos, mostrando que a corrupção está bem mais próxima do povo do que parece.

O escândalo de Brasília deixou a impressão de que não havia a quem apelar, foi preciso a intervenção da terceira instância da “Justiça”. Mais tarde, outro escândalo  em Dourados, mostrou que a corrupção no baixo escalão pode ser muito maior que no topo da hierarquia.

Agora, às vésperas das eleições, estamos às voltas com mais um crime político, em Amapá.

A principal característica desses crimes, é que não há separação entre governo e oposição, não há possibilidade de corrupção sem a participação da oposição.

Uma estátua deveria ser erguida em homenagem à resistência a corrupção, por meia dúzia de heroicos manifestantes em Brasília. Em Dourados, parece que o povo está provando que prender corruptos não é inconstitucional, é questão de vergonha na cara.

Normalmente, para se prender um político criminoso, é preciso cassar seu mandato. Enquanto esse político não é expulso de seu próprio partido, sua cassação fica muito mais difícil.

A prisão de toda a polícia, em Campo Largo, é um sinal de que há uma luz no fim do túnel.

Em minha cidade, quando se faz uma denúncia, essa pessoa é vista como inimigo público número um, supostamente sujou o nome da cidade, mas, na realidade, as mudanças dependem de denúncias. Quando há conivência de autoridades, ou da população,  no crime, a corrupção e a organização criminosa se tornam muito mais fortes.

Cidades onde estão ocorrendo essas pequenas revoluções, no futuro, terão a sua chance de crescer. Tudo o que começou com denúncias, desde que as autoridades não atrapalhem a ação da justiça, iniciarão um processo de cidadania, onde o futuro das próximas gerações estará assegurado.

O grande “pecado” dos políticos, até aqui, para a nossa sorte, foi a vaidade. Foi pela vaidade que Roberto Jefferson entregou todo o esquema de mensalão, uma armadilha que jogou Roberto Jefferson contra José Dirceu.

Durval Barbosa entrou para a história, como o primeiro político digital, derrubando a alta cúpula de Brasília.

Ainda há muitos problemas na justiça brasileira, burocracias que dificultam separar um ladrão de galinhas de um grande mafioso. Quando isso acontece, não é o ladrão de galinhas que é solto, é o mafioso.

Fora isso, o povo está fazendo a sua parte, é em meio a essas pequenas revoluções que deverão surgir grandes políticos do futuro, educados, honestos e conscientes de suas responsabilidades sociais.

By Jânio

Textos relacionados:

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

setembro 15, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , , , , , , | 43 Comentários

Elite brasileira confunde eleitores com militantes

cadê o candidato

Eleições Combinadas

Com a proximidade da eleição,  a falta de ética e de etiqueta vão ficando cada vez mais evidentes.

Levando-se em conta que a política e a justiça são incompatíveis, parece normal também que os interesses sejam colocados acima da lei e da cidadania, a partir de agora, a baixaria toma conta do Brasil.

Nessas horas, lembrar que esses políticos são os nossos representantes, causa-nos calafrios.

Não é só o fato de eles manipularem a justiça a seu favor, o que mais assusta é o fato de eles representarem também nossa sociedade, nossos costumes e a nossa (falta de) tradição.

Matematicamente, se você pega cinco mil prefeitos + oito mil vereadores, acrescenta a esses, todos os deputados, senadores, juízes e demais gestores públicos, sendo noventa por cento envolvidos em falcatruas, fora do alcance da justiça, aí, temos uma noção do tamanho da encrenca.

Com tantos problemas, devido aos interesses que regem  a nossa sociedade elitista, cada um defendendo o seu lado, literalmente, fico imaginando o que podemos esperar de nossos políticos – Quando você vê o jovem de hoje, o que você espera para o amanhã?

Os poucos jovens sérios engajados com a sociedade, aos poucos se cansam dessa luta insólita e acabam abandonando tudo, sem ninguém para dar-lhe o exemplo.

Como sempre dissemos, na política não há santo, apesar de alguns políticos serem tratados como deuses, chegando ao ponto de controlarem até o Presidente da República.

Cada eleitor defende o seu próprio interesse: a elite da sociedade defende a direita conservadora, enquanto os pobres defendem a esquerda, popular e revolucionária.

Até  aqui nada de mais, nossa política se parece com os governos de qualquer parte do mundo.  O problema surge na falta de ética e etiqueta em época de eleições, mostrando que o povo está bem ao nível de nossos políticos, seus legítimos representantes, tanto nas tradições, costumes, como nos seus interesses.

Quando fazemos, ou falamos algo, temos que pensar, e imaginar, o ponto de vista das outras pessoas, é isso que formam nossos valores éticos. Desobedecendo esse princípio fundamental da democracia, passamos também a desobedecer as leis, isso nos torna anti-éticos.

Como você se sentiria se alguém te chamasse de imbecil, porque você é eleitor do PSDB? – Foi esse texto que eu vi algumas pessoas repassando,  onde os eleitores do PT são chamados de idiotas. Isso vale para os eleitores da Marina Silva ou qualquer outro candidato e partido.

O curioso é que os eleitores são confundidos com militantes, os eleitores são chamados de petistas, numa demonstração clara de discriminação e preconceito. Para mim isso é mais que uma falta de etiqueta, é falta de ética, onde a lei é desobedecida  numa clara e desesperada luta pelo poder.

Vamos lembrar um pouquinho de nossa história política e da falta de ética e etiqueta de nossa sociedade?

Tancredo Neves, depois de liderar a melhor articulação política de todos os tempos, precisando pagar para que alguns deputados votassem contra, morreu antes de tomar posse. Toda vez que havia um golpe no governo, eram os militares que assumiam o poder; Tancredo Neves convenceu um dos queridinhos da ditadura, José Sarney, a ser seu vice – Qualquer semelhança com o Império Romano, não é mera coincidência.

O Vice fez tudo o que os militares não podiam fazer, boicote e planos mirabolantes para salvar a economia.

O primeiro sinal de manipulação, falta de ética e etiqueta, surgiu quando uma poderosa rede de tv brasileira entrou na campanha, em prol de Fernando collor, numa parceria de gente grande, financeiramente falando é claro. A esquerda, nessa época, era inexpressiva, mas ganhou notoriedade com Lula.

No jogo da política, é preciso esperar até o último momento para decidir o último ato, ou baixaria. Fernando Collor iniciou então uma campanha, atingindo a vida pessoal do candidato adversário, afirmando que ele tinha uma filha ilegítima, enquanto a mídia fazia sua campanha contra parcial, em favor da direita.

Essa mesma tática funcionou perfeitamente contra Palocci, acusado de quebrar o sigilo bancário de um caseiro. Na realidade, o caseiro foi só uma isca, Palocci, depois de tirar o país do buraco, prejudicando a elite que via na especulação a sua melhor fonte de renda; Palocci  caiu como um peixinho.

O atual Presidente, Lula, foi ridicularizado por ter apenas quatro dedos em uma das mãos, chamado de analfabeto e incompetente pela mídia. Quando ganhou a eleição, curiosamente, essa mesma mídia estava a favor do candidato, até sua prisão foi considerado um ato heroico.

Atualmente, José Serra foi considerado o candidato ideal para enfrentar a candidata do PT, o mesmo Serra  que foi renegado e desacreditado pelo partido, durante muito tempo. Tanto Serra, quanto Aécio, não são os candidatos favoritos do PSDB, Aécio inclusive sempre foi muito próximo do Presidente Lula.

No caso de Marina silva, chegaram a dizer que ela era masculinizada, a mesma visão preconceituosa que tinham em relação a Heloísa Helena.

Em meio a essa bagunça ideológica, confunde-se amizade com política, ponto de vista com opiniões, e o pior de tudo, interesses com cidadania.

Vejam o texto:

“O PT é um partido orientado por intelectuais que estudam e não trabalham; formado por militantes que trabalham e não estudam;  comandado por sindicalistas que não estudam nem trabalham; apoiados por eleitores idiotas que trabalham pra burro e não têm dinheiro pra estudar.”

Esse texto me faz lembrar de um vídeo idiota de um menino gritando e chorando. Dizem que é porquê a seleção brasileira perdeu, mas toda vez que a seleção perde, esse vídeo é postado como se fosse novo.

O texto acima segue a mesma linha, em toda eleição ele sofre uma pequena modificação, podendo mudar de candidato, partido, mas sempre atendendo ao interesse da elite.

Eu sempre estarei disposto a defender aos interesses do povo, sejam eles eleitores do PT, PSDB, PV, ou qualquer outro partido, já no caso dos militantes desses partidos, eu tenho certeza que eles tem condições de se defenderem sozinhos, apesar de não merecerem que os defendamos.

Depois da retirada da candidatura do Ciro Gomes, o que interessa não só ao PT, quanto ao PSDB, manteve-se o bipartidarismo, o que é de interesse da elite capitalista.

Todos nós sabemos que as empresas estão disposta a bancar ambos os lados, com caixa dois ou não, mas seria difícil bancar todos os partidos, em igualdade de condições. Assim, o bipartidarismo atente aos interesses das grandes empresas, atendendo também ao interesse da elite  e pessoas que votam no candidato que tem mais chance, além de responder às pesquisas de intenção de voto, mesmo sabendo que o voto é secreto, a única arma que eles tem contra o sistema.

Pessoas que não seguem os princípios básicos da etiqueta, com o tempo, passam a assumir uma postura anti-ética, deixando de obedecer a lei e mostrando porque nossos políticos são tão ruins – Porque eles nos representam, eles são a nossa cara, todos eles.

Quem são os idiotas, cara pálida?

By Jânio

agosto 5, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , , , | 4 Comentários

Nenhuma novidade no Brasil

ultimas noticias

Noticias novas de sempre

As vezes os sonhos se realizam quando a gente menos espera, apesar de estar envolvido na elaboração de um projeto em minha vida pessoal, eu realizei um grande sonho na internet, o de ver a minha lista de amigos aumentando sem parar.

A média de visitas se manteve alta, meus amigos não se esqueceram de mim,  e até o ocioso promoveu uma notíca minha ontem, depois de vários dias sem postar.

Meu projeto não é grande, mas para mim é novidade, por isso me ocupa o tempo todo, ficando sem tempo para criar novos textos ou fazer pesquisas sobre o que anda acontecendo pelo Brasil e o mundo.

No Brasil, cheguei a ver a notícia de que o Supremo negou Habeas Corpus para JRA, muito sensato da parte deles, principalmente em época de eleição. A eleição é como o Natal, para quem tem sede de justiça; eu sinto um certo prazer de ver essas notícias, mesmo não sendo tão sérias assim.

No Rio, as enchentes provocaram novas vítimas fatais e colocaram as autoridades em alerta. Um motorista de taxi me disse estar preocupado com essas mudanças climáticas: “Não sei até onde vai isso; uma hora, chove demais, outra hora, faz muito calor.”

Se o mundo fosse acabar agora, eu acharia irônico. As Igrejas oferecem o pouco de esperança que as pessoas precisam para manter a sanidade, enquanto outras, que dizem ser ateus, torcem para seu time favorito como se fosse uma religião.

Enquanto as pessoas vão perdendo suas inocências, acostumando-se com tragédias e violências, cada um usando sua própria forma de se proteger, ninguém mais será confiável.

Não se pode abrir a casa para os combatentes da dengue, com medo de assaltos, da mesma forma, não abrimos a casa para o técnico de tv a cabo, eletricista, encanador, etc.

Vi uma outra notícia dos garotinhos, não se pode confiar neles também. Eles agora foram acusados de desviar dinheiro de fundações, até a Débora Secco entrou no meio, seu pai está enrolado até o pescoço.

Eu só não entendo porque os processos dos garotinhos sempre são reativados nessa época, de dois em dois anos, quando tem alguma eleição.

A tv não ajuda em nada, talvez não devesse ficar se repetindo, com essas mesmas notícias. As notícias ficam tão chatas e repetitivas que suas manchetes virão bordão.

Fulano de tal renuncia ao mandato para não ser cassado. Eu fico me perguntando porque ninguém avisou ao Arruda e ao Pita para renunciarem, porque ninguém os defendeu com unhas e dentes, como aconteceu com os outros.

Roberto jefferson sabia que sua carreira estava acabada, quando foi flagrado pelas câmeras escondidas, José Roberto Arruda era quase unanimidade entre os políticos de Brasília, tamanho apoio que tinha, tanto que nem quis renunciar.

O que aconteceu em seguida foi uma amostra de como anda a política no Brasil, arruda virou unanimidade contra o partido que o abandonou para se proteger na eleição. Sem partido, um candidato não é nada, até a justiça passa a funcionar, foi o que aconteceu contra Arruda.

Agora temos que decidir entre Serra e Dilma. Dilma sem nenhum projeto de governo, apostando todas as fichas em Lula, Serra com um partido desunido, primeiro foi contra FHC e Alkmin, o Alkmin se isolou depois que disse que político não podia ficar rico. Agora é a vez de Aécio Neves criar uma situação constrangedora para o partido, quando nem mesmo Serra acredita mais em uma vitória.

O PSDB precisa aprender que eleição para presidência é diferente de eleição para prefeito ou governador. Um Presidente tem que ter liderança, ser confiante, ter capacidade de decisão, precisa ter o apoio de todos; se o PSDB não tem capacidade de escolher um só candidato, para que arriscar-se a ser humilhado na eleição.

FHC vive dizendo que a Dilma não tem liderança, de fato ele tem razão, nem política ela é, na minha opinião. Por outro lado, se o PSDB tem tanta liderança assim, porque em toda eleição eles se atrapalham, sem saber quem apoiar; afinal, quem é o líder do PSDB? Será que estão do lado de quem pode ganhar, porque se for assim, vão acabar fazendo campanha para o PT, enquanto a mídia esquece que há outros possíveis candidatos para a próxima eleição.

Ao invés de se criar comunidades para criar uma imagem de Dilma terrorista, ou se fazer campanha pelo voto nulo, melhor seria que todos fôssemos imparciais, denunciando o que está errado, deixando de responder pesquisas do IBOPE, fazendo o povo pensar de verdade.

Para se saber se um candidato é bom, basta expô-lo a temas polêmicos como Aborto, pena de morte, corrupção, segurança e saúde, para se saber se ele terá capacidade de defender idéias e manter-se firme diante de uma situação adversa.

Um bom candidato tem que ter uma postura firme, não precisa agradar sempre, mas quando sua opinião não for muito popular, não deve ser arrogante. Uma multidão pode ser muito mais fácil de controlar do que um político reacionário ou uma pessoa que caminha com pensamentos próprios.

Quando Lula ganhou a eleição, caminhou entre o povo, enquanto a maioria nem chegava perto, mantendo um grupo de segurança ao seu redor. Mário Covas tomou medidas mais duras para acertar os problemas de São Paulo, virou alvo de críticas, entrou no meio do povo só para sentir o quanto é difícil  ir contra a multidão.

Na época da Olímpiada, até Lula sentiu na pele o que é ser vaiado.

Kassab é outro que está sentido na pele a dura realidade de ser o inimigo do povo.

No Rio de Janeiro, havia uma briga para saber de quem era a culpa na saúde: Prefeito, Governador ou Presidente. Cada um se protegia do seu jeito, tentando enganar o povo alheio a tudo.

Na realidade, o problema de uma cidade é do Prefeito, Governador e Presidente. Todos são solidários com os problemas da cidade, principalmente quando há desvio de verbas e gestões fraudulentas de organizações governamentais, até o povo tem sua parcela de culpa.

É por isso que uma região do país cresce, enquanto outra região mergulha em miséria. O problema é que esse problema , agora, está atingindo todas as regiões de maneira geral. Em outras palavras, a justiça está falhando em todas as regiões, dando margem a todo tipo de crimes, por parte dos políticos e pessoas ligadas ao poder público.

Chegaremos a um ponto em que não teremos mais novidades, nem na internet. Tudo vai ficar muito chato quando tudo começar a se repetir.

By Jânio

março 8, 2010 Posted by | Política | , , , , , , , | 8 Comentários

PSDB erra pela terceira vez

Favorita é a primeira

Pelo que tudo indica, a próxima eleição para presidente da república, deverá ser a eleição mais previsível de todos os tempos.

A popularidade do Presidente Lula, à um ano da eleição, com quase oitenta por cento de aprovação, com a dívida externa em cerca de 60 bilhões de dólares, deixa uma sensação de que o problema é interno.

Nós ainda temos uma dívida pública gigantesca, mas a dívida deixou de ser externa e passou a ser interna.

A maioria das empresas trabalha de graça para o Governo, todos somos empregados, a classe média e os pobres, nem foi preciso comunismo para chegarmos a isso.

Se algum cidadão for um pouco mais ambicioso, deve mudar a maneira como vê a política e começar a eleger José Sarney como seu novo ídolo, não tem outro jeito de subir na vida. A famosa frase de Geraldo Alkmim: “Se você quer ficar rico, esqueça a política”, pode esquecer, tudo é possível quando a classe média perde a capacidade de questionamento.

A candidata de Lula, apesar de nem ser conhecida como política, eu não acreditava em seu potencial, começou a subir. Dilma já tem 21%, contra cerca de 31% de Serra. Eu nunca vi um candidato tão azarado como o Governador Serra. Não é tão azarado quanto quanto Alkimin, mas não fica longe.

O PSDB é um exemplo de como não comandar um partido, parece o PMDB, de onde vem seus dissidentes. Essa deverá ser a terceira eleição em que eles não se decidem pelo candidato definitivo, provocando a terceira vitória consecutiva do PT.

Eu não sei se é estratégia, acredito que não, deixar as pesquisas decidirem quem é o candidato ideal; num país como o Brasil isso não funciona.

Essa demora para se decidir, é tudo o que o povo não quer. A gestão pública não difere muito da gestão privada, quem sai na frente, leva uma grande vantagem.

José Serra já estava muito a frente, com quase o percentual que o Presidente tem hoje, em popularidade, mesmo assim, o PT teve tempo de tirar o seu candidato  do nada e encostar no candidato adversário, sem que estes se decidam qual é o candidato deles.

Para quem não está ambientado com uma corrida presidencial, pode até pensar que tudo é como uma eleição para prefeito, vereador ou síndico de condomínio, tamanha a despreocupação do PSDB.

Pode até parecer que eles não tem um candidato, mas eles tem é um monte de ambiciosos na esperança de conseguir a vaga de candidato.

Se fosse a primeira vez, isso seria compreensível, mais pela terceira vez, não dá para entender.

Até o partido de Ciro Gomes, um partido bem menor que o PSDB, conseguiu uma grande arrancada, já está com 15% nas pesquisas. Marina Silva, num partido, na minha opinião, inviável para presidência, já está com cinco.

Não é de se duvidar que Ciro Gomes entre nessa briga, como o terceiro candidato forte ao cargo de presidente, nesse caso, cada candidato só teria 33% de chances de ganhar.

Isso já aconteceu uma vez, quando a filha de Sarney disparou na terceira posição, sendo parada só pela Polícia Federal, que encontrou uma grande quantia de dinheiro, não declarado, em mãos da família, o que acabou com o sonho da família Sarney.

Eu, particularmente, já estou achando que o Ciro Gomes deverá enfrentar Dilma no segundo turno, isso seria péssimo para o PT, já que Ciro tem uma certa proximidade com o Partido dos Trabalhadores.

Enquanto isso, o PSDB caminha para se afirmar como eterno partido de oposição, como seu pai, o PMDB, até que uma nova divisão os separe.

byJãnio

novembro 28, 2009 Posted by | Política | , , , , , , , , , , | 6 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: