Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Vencedores do Globo de Ouro e indicados ao Oscar

Luxo Extraordinário

Historia da Facebook

Muita gente, assim como eu, não vê o OSCAR como o melhor cinema do mundo, nem poderia. O OSCAR é a visão do cinema, segundo os americanos, só tem filme dos EUA, além de alguns de outros paises que falam a língua inglesa, como Inglaterra, Austrália, etc.

Quando o Brasil já achava que estaria fora da competição, eis que surge um documentário para salvar a pátria, mesmo sendo co-produção com a Inglaterra, não é menos importante para o Brasil.

Quem não gosta nada disso é a burguesia brasileira, que já havia torcido a cara para “Cidade de Deus”, um filme que mostrava a miséria de maneira tão explicita e íntima que chegava a irritar os mais tradicionais.

Nunca foi fácil para a elite brasileira, viajar pelo mundo, carregando esse fardo nas costas.

Logo agora, quando eles torciam para o ufanista “Lula do Brasil”, eis que surge o tal de “Lixo Extraordinário”, mostrando a intimidade que o Brasil tem com a miséria.

Lixo extraordinário não concorre naqueles prêmios badalados, muito melhor, concorre na categoria de documentário, melhor, um longa metragem. Eu me surpreendi pelo fato de “Dançando com o Diabo” não ter feito o sucesso que deveria.

Esse longa, assim como “Cidade de Deus”, chega ao OSCAR  já com muitos prêmios internacionais, portanto não depende desse prêmio, já é sucesso no mundo inteiro. “Cidade de Deus” concorria em categorias badaladas, cobiçadas pelas estrelas de Hollywood, prêmios que eles não abrem mão, por isso o documentário brasileiro tem mais chance.

Outra boa surpresa, é a presença do filme mexicano “Biutiful”, concorrendo em duas categorias, ator e filme estrangeiro. A segunda maior população estrangeira, dentro dos EUA, vem mostrando sua força, primeiro com atrizes e diretores, agora são os próprios filmes que mostram que os EUA terão que aceitá-los.

As surpresas não são muitas, nem dá para se esperar muita coisa na premiação deste anos, mesmo assim, será um grande ano para a internet, o ano de  “A Rede Social”.

O filme sobre a Facebook, que já fez sucesso no Globo de ouro, a prévia do OSCAR, não vem apenas como uma surpresa para essa premiação, vem com uma grande produção para concorrer em várias categorias.

A internet nunca esteve tão bem representada nessa premiação, a rede sempre foi mostrada como vilã, perigosa, essa é a primeira vez que é mostrada com toda a sua força.

A Facebook, como nós sabemos, é a cara do capitalismo americano, e as empresas estão de olho nessa rede. Primeiro a Facebook tentou a Facebook Lite, para evitar tornar a rede muito chata, mas como prevíamos, os internautas carentes adoram um spam, adoram fazer uma amizade, mesmo que esse amigo tenha nome de empresa, e não me olhem com essa cara rsrsrs.

Nem mesmo a Orkut resistiu as ferramenta e campanhas – Para quem estava preocupada com a Twitter, a Facebook surpreendeu, não é mesmo?

Parece que Hollywood tinha uma certa mágoa da Google, isso não acontece com a Facebook, que não tem o objetivo de ferir os seus “Direitos autorais”, além de ser uma verdadeira rede social, eficiente, prática e capitalista.

Apesar de não ter visto nenhum filme de grandes qualidades, os EUA tem voltado suas atenções para os seriados de TV, tanto que até finais de novela já são inseridos, para prender o telespectador. No Brasil, a parceria entre o cinema e a tv não surtiu o efeito esperado, ao invés da TV se tornar cinematográfica, aconteceu o inverso, o cinema se tornou televisivo, perdendo totalmente sua qualidade, sua arte.

Para quem gostar de assistir novelas na telona, é só assistir um filme nacional. Cinema foi feito para mostrar verdades, mas para isso é preciso coragem, o que está faltando nos novos diretores.
GANHADORES DOS PRÊMIOS GLOBO DE OURO:

MELHOR ATOR COADJUVANTE

Indicados:

Andrew Garfield – A rede social

Geoffrey Rush – O discurso do rei

Jeremy Renner – Atração perigosa

Michael Douglas – Wall Street: o dinheiro nunca dorme

Ganhador do Prêmio:

Christian Bale – O vencedor

CANÇÃO ORIGINAL

Indicadas:

Bound to you – Burlesque

You haven’t seen the last of me – Burlesque – VENCEDORA

There’s a place for us – As crônicas de Narnia: a viagem do peregrino da alvorada

Coming home – Country strong

I see the light – Enrolados

Ganhadora do Prêmio:

You haven’t seen the last of me – Burlesque

TRILHA SONORA ORIGINAL

Indicadas:

127 horas

O discurso do rei

Alice no país das maravilhas

A origem

Ganhadora do Prêmio:

A rede social

MELHOR ANIMAÇÃO

Indicadas:

Meu malvado favorito

Enrolados

Como treinar o seu dragão

O mágico

Ganhadora do Prêmio:

Toy story 3

MELHOR ATRIZ DE MUSICAL OU COMÉDIA

Indicadas:

Anne Hathaway – O amor e outras drogas

Angelina Jolie – O turista

Julianne Moore – Minhas mães e meu pai

Emma Stone – A mentira

Ganhadora do Prêmio:

Annette Bening – Minhas mães e meu pai

MELHOR ROTEIRO

Indicados:

Danny Boyle e Simon Beaufoy – 127 hours

Stuart Blumberg e Lisa Cholodenko – Minhas mães e meu pai

Christopher Nolan – A origem

David Seidler – O discurso do rei

Ganhador do Prêmio:

Aaron Sorkin – A rede social

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

Indicados:

Biutiful  – México

The concert – França

The edge – Rússia

I am love  – Itália

Ganhador do Prêmio:

In a better world  – Dinamarca

MELHOR ATRIZ COADJUVANTE

Indicadas:

Amy Adams – O vencedor

Helena Boham Carter – O discurso do rei

Mila Kunis – Cisne negro

Jacki Weaver – Animal kingdom

Ganhadora do Prêmio:

Melissa Leo – O vencedor

MELHOR DIRETOR

Indicados:

Darren Arronofsky – Cisne negro

Tom Hooper – O discurso do rei

Christopher Nolan – A origem

David O. Russell – O vencedor

Ganhador do Prêmio:

David Fincher – A rede social

MELHOR ATOR MUSICAL OU COMÉDIA

Indicados:

Johnny Depp – O turista

Johnny Depp – Alice no País das Maravilhas

Jake Gyllenhaal – O amor e outras drogas

Kevin Spacey – Casino Jack

Ganhador do Prêmio:

Paul Giamatti – Barney’s version

MELHOR ATRIZ DE DRAMA

Indicadas:

Halle Berry – Frankie and Alice

Nicole Kidman – Rabbit hole

Michelle Williams – Blue valentine

Jennifer Lawrence – Inverno da alma

Ganhadora do Prêmio:

Natalie Portman – Cisne negro

MELHOR FILME MUSICAL OU COMÉDIA

Indicados:

Burlesque

O turista

Red – Aposentados e perigosos

Alice no País das Maravilhas

Ganhador do Prêmio:

Minhas mães e meu pai

MELHOR ATOR DE DRAMA

Indicados:

Jesse eisenberg – A rede social

Jame Franco – 127 horas

Ryan Gosling – Blue Valentine

Mark Wahlberg – O vencedor

Ganhador do Prêmio:

Colin Firth – O discurso do rei

MELHOR FILME DE DRAMA

Indicados:

O cisne negro

O vencedor

O discurso do rei

A origem

Ganhador do Prêmio:

A rede social

__________________________

INDICADOS AO OSCAR 2.011

FILME:

A rede social

O discurso do rei

Cisne negro

O vencedor

A origem

Toy Story 3

Bravura indômita

Minhas mães e meu pai

127 horas

Inverno da alma

DIREÇÃO:

David Fincher – A rede social

Tom Hooper – O discurso do rei

Darren Aronofsky – Cisne negro

Joel e Ethan Coen – Bravura indômita

 David O. Russell – O vencedor

ATOR:

Jesse Eisenberg – A rede social

Colin Firth – O discurso do rei

James Franco – 127 horas

Jeff Bridges – Bravura indômita

Javier Bardem – Biutiful

ATRIZ:

Annette Bening – Minhas mães e meu pai

Natalie Portman – Cisne negro

Nicole Kidman – Rabbit hole

Michelle Williams – Blue valentine

Jennifer Lawrence – Inverno da alma

ATOR COADJUVANTE:

Mark Ruffalo – Minhas mães e meu pai

Geoffrey Rush – O discurso do rei

Christian Bale – O vencedor

Jeremy Renner – Atração perigosa

John Hawkes – Inverno da alma

ATRIZ COADJUVANTE:

Helena Bonham Carter – O discurso do rei

Melissa Leo – O vencedor

Amy Adams – O vencedor

Hailee Steinfeld – Bravura indômita

Jacki Weaver – Reino animal

ROTEIRO ORIGINAL:

Minhas mães e meu pai

O vencedor

A origem

O discurso do rei

Another year

ROTEIRO ADAPTADO:

A rede social

127 horas

Bravura indômita

Toy Story 3

Inverno da alma

DIREÇÃO DE ARTE:

Alice no País das Maravilhas

Harry Potter e as relíquias da morte – Parte 1

A origem

O discurso do rei

Bravura indômita

FOTOGRAFIA

Cisne negro

A origem

O discurso do rei

A rede social

Bravura indômita

FIGURINO:

Alice no País das Maravilhas

I am love

O discurso do rei

Bravura indômita

The tempest

DOCUMENTÁRIO LONGAMETRAGEM

Exit through the gift shop

Gasland

Inside job

Restrepo

Lixo extraordinário
EDIÇÃO

Cisne negro

O vencedor

O discurso do rei

127 horas

A rede social
FILME ESTRANGEIRO

Biutiful  – México

Dogtooth – Grécia

In a better world – Dinamarca

Incendies – canadá

Outside the law – Argélia
TRILHA SONORA ORIGINAL

Como treinar seu dragão –  John Powell

A origem – Hans Zimmer

O discurso do rei – Alexandre Desplat

127 horas – A.R. Rahman

A rede social – Trent Reznor e Atticus Ross

CANÇÃO ORIGINAL

Coming home – Country Strong

I see the light – Enrolados

If I rise – 127 horas

We belong together – Toy Story 3
EFEITOS ESPECIAIS

Alice no País das Maravilhas

Harry Potter e as relíquias da morte – Parte 1

Além da vida

A origem

O Homem de Ferro 2
MAQUIAGEM

Minha versão para o amor

Caminho da liberdade

O lobisomem

By Jânio

janeiro 28, 2011 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , , , , | 7 Comentários

Melhores musicais da história do cinema

historia dos musicais

melhores musicais

Até a década de 60, fazer um musical era muito fácil. Segundo os produtores, até a música era melhor; os atores eram melhores e bem escolhidos.

Naqueles tempos, Fred Astaire, Ginger Rogers e outras dezenas de celebridades e anônimos seguiam os caminhos indicados pelos grandes diretores.

Há muitas histórias, como foi o caso do casamento de Vincent Minelli com Judy Garland, pais de Liza Minelli.

Liza Minelli – Apesar do casamento de seus pais ter sido um fracasso, onde a bebida piorou a situação, passando a herança do vício para sua filha Lisa. Liza sobreviveu e se tornou conhecidíssima, no mesmo gênero que consagrou o encontro de seus pais, em “O Mágico de Oz”

Os tempos mudaram, os atores perderam aquele ar teatral, a cada filme, as pessoas exigem mais realismo, chegando ao ponto de não se saber o que é real e ficção. De certa forma as pessoas, hoje em dia, tem mais dificuldade para sonhar, apesar da vontade; algumas, inclusive, querem mergulhar num sonho para nunca mais voltar, o que acaba transformando o sonho em pesadelo.

Os vendedores de sabonete, pessoas “bonitas” com muito carisma e pouco talento, podem se tornar grandes vendedores, digo, atores e atrizes. Um ingrediente imprescindível na formula de um grande enlatado feito para exportação.

As músicas clássicas, eruditas e de músicos consagrados, deram lugar ao pop e o rock, músicas de contra-cultura, engajadas e políticamente incorretas.

As minorias viraram moda, mostrando nas roupas das pessoas, um mundo que elas se negam a ver ou aceitar.

A seguir, listamos os musicais pop-rock, onde a elite da sociedade e as classes marginalizadas se encontram.

HAIR – Marcou a época do movimento Hippie, uma época em que as ideologias saiam do papel e se tornavam realidade. O filme figura entre os filmes mais polêmicos da história, tratando de temas cotidianos de maneira clara, chamando a sociedade para discutir e abrir seus olhos contra a manipulação das elites.

Pregando a paz e o amor, em forma de “V”, com os dedos, o movimento era radicalmente contra o envolvimento dos EUA, ou de qualquer outro país, nas guerras. Temas tabus, como a virgindade, controle de natalidade, drogas, nudez, tudo era tratado a contra gosto da sociedade.

GREASE – NOS TEMPOS DA BRILHANTINA – 1.977 – Uma grande homenagem do diretor aos grandes músicas, com participação de celebridades daquela época. A dupla, John Travolta e Olívia Newton-John, foi lançada ao estrelato com esse filme.

A história mostra o cotidiano de estudantes de um colégio de uma pequena cidade, onde a australiana Sandy se apaixona pelo bad boy vivido por John Travolta, criando um conflito entre estilos de vida e ideologias diferentes.

SATURDAY NIGHT FEVER – OS EMBALOS DE SÁBADO A NOITE – 1.978 – Esse foi o filme que deveria ter consagrado a carreira de john Travolta, que já havia feito “Carrie – A Estranha” e “Grease”, ao invés disso, sua carreira ficou por aqui. Só voltaria ao estrelato cerca de vinte anos depois.

John Travolta interpreta um jovem cansado de trabalhar quase de graça em um pequeno mercado, enquanto sonha em ganhar um concurso de dança.

Os embalos de sábado a noite deram a John Travolta um estilo que lhe valeram a fama de canastrão, mesmo tendo virado ídolo e sendo copiado por estrelas do porte de Michael Jackson, entre outras. O filme também transformou as músicas dos Bee Gees em grandes hits e deu fama ao diretor John Badham.

ALL THAT JAZZ – O SHOW DEVE CONTINUAR – 1.979 – Talvez um dos últimos grandes diretores de musicais, Bob Fosse morreu cerca de dez anos depois desse filme. A história mostra a vida do próprio diretor que sofre um enfarte e vê todo o seu passado, onde sua vida é disputada por quatro mulheres: sua esposa, namorada, filha e a morte. O filme é comovente, situando um momento de transição do cinema Hollywoodiano, da arte para o pop-rock.

FAMA – 1.980 – A história mostra o cotidiano de vários jovens estudantes de arte, lutando contra seus limites, vivendo seus sonhos e frustrações.

FLASHDANCE – 1.983 – O ex-publicitário Adrian Lyne começava a sua tragetória de filmes para incomodar, mais tarde faria 9 1/2 Semanas de amor. Flashdance tem a cara de propaganda de sabonete, com muita música de sucesso e uma história juvenil para acompanhar.

FOOT LOOSE – Ritmo louco – 1.984 – Esse filme tem o mesmo estilo de Flashdance. Numa cidadezinha de interior, vários jovens se rebelam contra a censura e costumes e se encontram para noitadas com muita dança e bebida. Os destaques são os hits da época.

Dirty Dancing – 1.987 – Esse primeiro sucesso de Patrick Swayze, lembra tando flashdance, que chega a citá-lo em sua música principal. Fora isso, o filme tem muitas música de sucesso, músicas de mambo e muita dança.

A pobre menina rica começa a se envolver com jovens dançarinos de mambo, comtra a vontade da família.

LOVE IS IN THE AIR – 1.992 – A força do cinema australiano volta com a corda toda, mais uma vez mostrando o choque de culturas e a vitória do amor sobre as diferenças.

MOULIN ROUGE – O AMOR EM VERMELHO – 2.001 – Depois de um bom tempo sem produzir grandes músicais, o cinem voltou com força.

Uma dançarina francesa tem que se entregar a um homem rico, para conseguir dinheiro para financiar a peça escrita pelo seu amado, sem que esse saiba o motivo. O que ele não sabe também, é que ela está condenada a morte, doente de tuberculose.

A australiana, Nicole Kidman, ex mulher de Tom Cruise, é a estrela principal, ao lado e Ewan Mcgregory.

Veja a lista dos vinte e cinco melhres músicais da história segundo o pelo American Film Institute .

01 – Cantando na Chuva (BR) – \ Serenata à Chuva (PT) – 1952 – Direção: Stanley Donen – Com: Gene Kelly, Debbie Reynolds, Donald O’Connor.

02 – Amor, Sublime Amor (BR) – \ West Side Story (PT) – 1961 – Direção: Robert Wise – Com Jerome Robbins Natalie Wood, Rita Moreno, George Chakiris.

03 – O Mágico de Oz (BR) – \ O Feiticeiro de Oz (PT) – 1939 – Direção: Victor Fleming Judy Garland.

04 – A Noviça Rebelde (BR) – \ Música no Coração (PT) – 1965 – Direção: Robert Wise – Com: Julie Andrews, Christopher Plummer, Eleanor Parker.

05 – Cabaret (BR) – / Cabaret, Adeus Berlim (PT) – 1972 – Direção: Bob Fosse – Com: Liza Minnelli, Joel Grey, Michael York.

06 – Mary Poppins (BR/PT) – 1964 – Direção: Robert Stevenson – Com: Julie Andrews, Dick Van Dyke.

07 – Nasce uma Estrela (BR) -1954 – Direção: George Cukor Judy Garland, James Mason.

08 – Minha Bela Dama (BR) – \ Minha Linda Senhora (PT) -1964 – Direção: George Cukor – Com: Audrey Hepburn, Rex Harrison.

09 – Sinfonia de Paris (BR) – / Um Americano em Paris (PT) – 1951 – Direção: Vincent Minnelli – Com: Gene Kelly, Leslie Caron.

10 – Agora Seremos Felizes (BR) – 1944 – Direção: Vincent Minnelli – Com: Judy Garland, Margaret O’Brien.

11 – O Rei e Eu (BR) – 1956 – Direção: Walter Lang- Com: Yul Brynner, Deborah Kerr.

12 – Chicago (BR/PT) – 2002 – Direção: Rob Marshall – com: Renée Zellweger, Catherine Zeta-Jones, Richard Gere, Queen Latifah, John C. Reilly.

13 – Rua 42 (BR/PT) – 1933 – Direção: Lloyd Bacon Warner Baxter – Com: Bebe Daniels, George Brent.

14 – O Show Deve Continuar (BR/PT) – 1979 – Direção: Bob Fosse – Com: Roy Scheider, Jessica Lange.

15 – O Picolino (BR) – 1935 – Direção: Mark Sandrich – Com: Fred Astaire, Ginger Rogers.

16 – Uma Garota Genial (BR) – Funny Girl (PT) – 1968 – Direção: William Wyler – Com: Barbra Streisand, Omar Sharif.

17 – A Roda da Fortuna (BR) – 1953 – Direção: Vincente Minnelli – Fred Astaire, Cyd Charisse.

18 – A Canção da Vitória (BR) – Canção Triunfal (PT) – 1942 – Direção: Michael Curtiz – Com: James Cagney.

19 – Um dia em Nova Iorque (BR) – 1949 – Direção: Stanley Donen – Com: Gene Kelly, Frank Sinatra, Ann Miller.

20 – Grease – Nos Tempos da Brilhantina (BR) – / Grease – Brilhantina (PT) – 1978 – Direção: Randal Kleiser – Com: John Travolta, Olivia Newton-John.

21 – Sete Noivas para Sete Irmãos (BR) – 1954 – Direção: Stanley Donen, Com: Howard Keel, Jane Powell, Russ Tamblyn.

22 – A Bela e a Fera (BR) – / A Bela e o Monstro (PT) – 1991 – Direção: Gary Trousdale – Com: Kirk Wise – Vozes de: Angela Lansbury, Jerry Orbach.

23 – Garotos e Garotas (BR) – 1955 – Direção: Joseph L. Mankiewicz – Com: Marlon Brando, Jean Simmons, Frank Sinatra.

24 – Magnólia – O Barco das Ilusões (BR) – 1936 – Direção: James Whale – com: Irene Dunne, Allan Jones, Paul Robeson.

25 – Moulin Rouge – O Amor em Vermelho (BR) – / Moulin Rouge – 2001 – Direção: Baz Luhrmann – Com: Nicole Kidman, Ewan McGregor.
Fonte: Wikipedia

Melhores filmes de ficção científica

Top movies com pessoas paranormais

Filmes de viagens no tempo

Texto: By Jânio

junho 3, 2010 Posted by | Música. | , , , , , , , | 13 Comentários

Filmes polêmicos que deram muito o que falar

polêmica bíblica

Filme mais polêmico

1 -The Passion Of The Christ – A Paixão de Cristo –

A vida de Jesus Cristo já é, por si só, muito polêmica, ninguém poderia imaginar que Mister Gibson fosse provocar tanta controvérsia, concentrando apenas nas últimas horas de vida de jesus Cristo, mas ele conseguiu.

Talvez Mel Gibson seja o católico mais famoso do mundo, depois do Papa naturalmente, isso influenciou muito no ponto de vista do filme, na questão de quem matou Jesus, quem foram os verdadeiros culpados.

A sociedade não muda, sempre haverá uma elite, com seus interesses obscuros, sempre haverá um grande rebanho abandonado à própria sorte, onde um pastor decidirá seus rumos, a Bíblia poderia disciplinar isso, mas ela já foi separada do estado para evitar o pior.

Mel Gibson arriscou toda sua reputação, já que grande parte dos produtores e profissionais de Holywood é judeu. ao iniciar esse filme, acusado inclusive de ser anti-semita. O filme é extremamente violento, talvez não tanto quanto a realidade daqueles tempos, mas, com certeza, bem menos que o suportável para as mentes de hoje. Evidentemente que eu estou falando da violência física, e certos setores, como as comunidades das favelas não estão incluídas.

2. A CLOCKWORK ORANGE (1971) – A Laranja Mecânica – Stanley Kubrick sempre esteve entre os maiores diretores da história, o que não é pouco, mas ele tem uma vantagem sobre a maioria, ele conseguiu se aventurar em todos os Gêneros, e, em todos eles, manteve seu estilo incomparável, tornando-se referência inclusive.

Em 2.001 – Uma Odisseia no Espaço, aproveitou um best seller que, supostamente, seria profético, mostrando o homem viajando pelo espaço, a falta de gravidade e de tempo, fora do planeta.

Assistindo ao filme, temos uma ideia do porque algumas pessoas não acreditarem que o homem tenha ido a lua; através do filme de Kubrick, tem-se a certeza que uma montagem seria perfeitamente possível, tamanha perfeição das imagens fictícias; só ficou um problema, como explicar um livro, tão complexo, em duas ou três horas de filme? – nem mesmo a consultoria do autor do livro resolveu o problema, resultado: surgiram muitos sites especializados para explicar o filme e interpretar o livro.

Kubrick dirigiu lolita, sobre a história de um pedófilo (drama); Spartacus, sobre um gladiador romano, ex-escravo, que desafiou o poder de Roma (épico); O Iluminado, mostrando uma visão assustadora da obra de Stephen King (terror).

Até seu último filme “De Olhos bem fechados”, mostra um momento em que Kubrick prevê seu final, o momento em que as cortinas se fecham, deixando claro que deveria aproveitar cada minuto. No caso de inteligência artificial, fica claro que Spielberg exorcizou Kubrick.

Para quem conhece a obra de Stanley Kubrick, e tem um mínimo de bom senso, fica a pergunta: “Porque Laranja Mecânica foi considerado um filme proibido, censurado até o final da década de 80?”.

O filme narra a história de um psicopata que comanda uma gangue perversa, até ser preso e submetido a uma lavagem cerebral, mas algo sai errado, é impossível sobreviver no mundo de hoje, sendo bonzinho.

Numa coisa os censores tem razão, Stanley Kubrick provoca: em cada cena, mostra os erros, como podemos ser normais num mundo tão caótico. Ele chega a insinuar que os psicopatas é que são naturais, por agirem exatamente como o sistema os transforma, sendo nós os loucos (talvez seja uma interpretação minha, mas tudo bem).

3. FAHRENHEIT 9/11 (2004)

Estrelado e dirigido por Michael Moore, esse documentário é polêmico ao referir-se ao atentado do dia 11 de setembro (11/9 ou 911), polêmico para os americanos; também chama a atenção para os verdadeiros motivos da invasão do Afeganistão e Iraque, o que, na verdade, não teria nada a ver com o atentado. Aqui, começou a ruína da família Bush, história que começou com o garoto propaganda de Hollywood, Ronald Reagan.
DEEP THROAT (1972)

Eu não entendi o motivo de um filme adulto ser considerado polêmico, mesmo a temática sendo um pouco forte. Melhor nem entrar em detalhes.

5. JFK (1991)

Ninguém, em sã consciência, poderia duvidar de uma conspiração, conhecendo a história do assassinato de John Kennedy, principalmente depois que seu irmão teve o mesmo destino. A questão, para os americanos, é: “Havia, realmente, uma conspiração dentro da suposta sociedade perfeita, ou esses assassinos seriam apenas psicopatas, casos isolados?” – Oliver Stone responde.

Oliver Stone não é polêmico para nós, é polêmico para o próprio povo americano que não consegue ver o óbvio. Se tivessem um mínimo de senso crítico, hoje não estariam nessa situação.
6. THE LAST TEMPTATION OF CHRIST (1988) – A última tentação de Cristo

Estava na cara que a ideia de mostrar Jesus Cristo como uma pessoa comum, não ia dar certo, só mesmo a França, a capital do cinema polêmico, para imaginar isso. Uma pessoa comum tem muito erros, muitos acertos; difícil é mostrar os erros.

7. THE BIRTH OF A NATION (1915) O Nascimento de uma Nação

Bom, primeiro, vamos ver a data do filme; Agora, vamos imaginar que os Estados Unidos tenham sido o primeiro país a aprovar uma lei eugênica, de segregação racial, sendo proibido o casamento entre raças no Alabama até a década de 80, sem se esquecer que o racismo americano é especificamente contra os negros; agora imagine um filme mostrando, em 1.915, todo o contexto cultural da segregação racial e a importância da Ku Klux Klan para a cultura racista americana.

Eu vou ficando por aqui, para não me complicar ainda mais: Bom dia! Boa tarde! Boa noite!
8. NATURAL BORN KILLERS (1994) Assassinos por natureza

Se você sempre imaginou o que aconteceria quando a mente insana de Quentin Tarantino se encontrasse com o polêmico diretor Oliver Stone, eis a resposta.

A história começa com um casal de apaixonados que adoram matar, mas sempre deixam um vivo, para contar a história – a semelhança com Bonnie e Clyde começa e termina aqui, até porque Bonnie e Clyde é uma história real. Quando a mídia entra na história, eles vão parar na tv, transformando tudo num grande espetáculo.

9. LAST TANGO IN PARIS (1972) – O último tango em Paris

Eu nunca descobri se o filme se tornou polêmico pela sua temática, ou se foi a presença de Marlon Brando no elenco. Todos nós sabemos da importância de Marlon Brando. A idéia de ver o mito em um filme erótico, chamou a atenção do público e da censura também.

10. BABY DOLL (1956) – A voz do Desejo

A história de Tennesse Williams, dirigido por Elia Kazan, o filme foi premiado no Oscar, com quatro prêmios, e no globo de ouro, apesar disso, a comunidade católica não se sensibilizou com a história de uma menina que se casa com um homem, sendo que o casal se envolve com um empresário que explora a ambos. Será que eu notei uma pitadinha de underground aqui?

11. THE MESSAGE (1977) A menssagem

Anthony Quinn é Maomé um homem devoto a Deus, segue os ensinamentos como reza a tradição, por isso é banido, junto com seus seguidores de Meca para Medina. A polêmica do filme, começa no fato de o Profeta Maomé não poder ser imaginado e nem descrito, sob pena de cometer-se um grande pecado.

Ah! Eu ia me esquecendo, se há um homem que gera mais polêmica que Jesus Cristo, esse homem é Maomé.

12. THE DEER HUNTER (1978) – O Franco Atirador

Essa foi uma das primeiras história a mergulhar fundo nas questões envolvendo a Guerra do Vietnã. Uma guerra que nunca deixou muito claro o papel dos americanos; uma guerra que mostrou tudo, menos a verdade que o povo cobra até hoje, mas que insiste em aparecer nos filmes e na ficção.

13. THE DA VINCI CODE (2006)

O Código da Vinci seria, na minha opinião, o inverso do “A Paixão de Cristo”. Tentar mudar a história da Bíblia, supor que o vaticano oculta segredos em suas salas, em seus antigos livros sagrados, pode ser perigoso. Além de querer insinuar e ver Jesus Cristo como uma pessoa humana, o filme não esperou o ataque do vaticano, partiu logo para a ofensiva.

14. THE WARRIORS (1979) – Os Selvagens da Noite

Esse filme foi o primeiro a mostrar a realidade das ruas, como vivem as gangues. A idéia de abandonar a ficção e mostrar a realidade, gerou uma reação violenta entre as próprias gangues, coisa que nem o diretor do filme imaginava.

15. TRIUMPH OF THE WILL (1935) – O Triunfo da vontade

“Filme feito por Nazistas, para nazistas e sobre nazistas”. Seria tudo muito simples, se não fosse o filme/propaganda, ser feito à imagem e a pedido de Adolf Hitler, com participação do próprio nos créditos do filme. O filme mostra o começo de tudo, o desenvolvimento do congresso do Partido Nacional Socialista, na Alemanha.

16. UNITED 93 (2006) – O Vôo United Airlines 93

A história é referente ao dia 11 de setembro de 2001, o dia do atentado às torres gêmeas. É bom não se esquecer que eram quatro aviões, sendo que três atingiram seus alvos, deixando os americanos com uma certeza, os EUA já não são mais os mesmos, a ficção se tornou realidade; um espetáculo aterrador que foi assistido ao vivo, principalmente o segundo avião a se chocar.

Foi quase uma visão do apocalipse, deixando muitas dúvidas sobre possíveis interesses obscuros nos ataques.

17. FREAKS (1932)

Em um circo, a trapezista Cleópatra tem um caso com Hércules, o homem forte, mas se casa com um anão, herdeiro de uma grande fortuna, o que gera uma série de situações posteriormente.

Eu não vi nada de polêmico, mas o filme foi proibido até os anos 60, e era considerado o filme de terror bizarro, para pessoas anormais, pelo menos para os padrões sociais americanos.

18. I AM CURIOUS (YELLOW) (1969) – Amarelo

O filme sueco mostra muita violência e cenas de sexo, acompanhado do drama da personagem principal, contracenando com ideias filosóficas.
19. BASIC INSTINCT (1992) Instinto Selvagem

Esse filme coincide com o início da decadência americana, Hollywood já não era mais a mesma. O filme, em si, tirando as cenas explicitas de Sharon Stone, seria apenas mais um bom e descartável filme polícial, no estilo psicopata, mas o diretor preferiu fazer o que mais gosta, provocar.

20. CANNIBAL HOLOCAUST (1985)

Sabe aqueles filmes de terror que dizem que é assustador, e você não assiste, porque sabe muito bem o que vai encontrar? – Esqueça! – esse filme passa dos limites, não é terror, é mais no estilo reality show. O problema é que o realismo foi tão forte que gerou desconfiança, o resultado você já imagina, não é mesmo? – todo mundo na cadeia.

Quando mostrei o filme para um conhecido meu, um grande maluco, avisei, é por sua conta e risco. Ele entendeu o recado e não assistiu, eu fiquei me perguntando porque uma pessoa normal, como eu, teria assistido – Seria curiosidade?

21. BONNIE AND CLYDE (1967)

Eu não entendi o porque da polêmica desse filme, tudo bem que é violento para a época e que mostrar pessoas da classe média se aventurando no mundo do crime, não ficava bem para os americanos. Eu vi nesse filme, uma versão do nosso bom e velho “Lampião”. Em época de crise, dois jovens se tornam assaltantes e desafiam a polícia – Seria porque eles eram dois jovens apaixonados, normais demais? – nas comunidades das favelas tem muito casos assim.

22. DO THE RIGHT THING (1989) – Faça a coisa certa

O filme é de Spike Lee, e Spike Lee é uma das pessoas mais engajadas do mundo, portanto, a questão racial será o tema principal.
23. KIDS (1995)

O filme mais polêmico de Gus Van Sant, em plena época de AIDS. A bela Chloe Sevign faz uma das jovens que desafia o perigo, em busca de sexo, drogas e rock and roll.

A sociedade odeia que se mostre essas realidades ocultas nas telas, não dá para acreditar que jovens assim habitem a nossa sociedade, sociedade americana, evidentemente.

24. CALIGULA (1980)

Essa foi a primeira super produção pornô da história, mas só isso não basta para ser um filme polêmico, é preciso incluir no elenco estrelas do cinema como: Richard Harris, Malcom Mcdowell, Peter O’Toole e Helen Mirren.

Esse filme foi dirigito por Tinto Brass, diretor de arte, mas que gosta de bancar o diretor pornô também. O filme também foi acrescido de cenas produzidas pela produtora Penthouse (Alguém foi enrolado aqui)

Podemos dizer que esse filme mostra o lado pessoal do homem que botou fogo em Roma, não literalmente, como o imperador Nero fez, mas sim metaforicamente. Se o polêmico imperador era cruel e perverso, isso nós já sabemos, mas o pouco de sanidade que poderia haver naquela mente doentia, acabou aqui.

25 Aladdin (1992)

A clássica história do gênio da lâmpada, que não se chama Aladdin, dessa vez imitando celebridades e políticos. A cena dos políticos foi cortada.

Se o filme foi polêmico, antes de 11 de setembro de 2001, imagine depois. Vamos dizer que depois de 11 de setembro, seria preciso pensar um pouco, antes de falar certas coisas.

Melhores filmes de ficção

Melhores filmes de viagem no tempo

Top Musicais

by Jãnio

maio 26, 2010 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , , , | 21 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: