Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Relação das 74 ameaças à direitos em tramitação no Parlamento

PMDB controla o poder

Golpe do PMDB

1. Regulamentação da terceirização sem limite permitindo a precarização das relações de trabalho (PLC 30/15 – Senado, PLS 87/10 – Senado);

2. Redução da idade para início da atividade laboral de 16 para 14 anos (PEC 18/11 – Câmara);

3. Instituição do Acordo extrajudicial de trabalho permitindo a negociação direta entre empregado e empregador (PL 427/15 – Câmara e PL 6.705/16 – Câmara);

4. Impedimento do empregado demitido de reclamar na Justiça do Trabalho (Câmara e PL 7.549/14 – Câmara);

5. Suspensão de contrato de trabalho (PL 1.875/15 – Câmara);

6. Prevalência do negociado sobre o legislado (PL 4.193/12 – Câmara, PL 4.962/16 – Câmara; PL 944/15 – Câmara);

7. Prevalência das Convenções Coletivas do Trabalho sobre as Instruções Normativas do Ministério do Trabalho e Emprego – MTE (PL 7.341/14 – Câmara);

8. Livre estimulação das relações trabalhistas entre trabalhador e empregador sem a participação do sindicato (PL 8.294/14 – Câmara e PL 6.711/16 – Câmara);

9. Regulamentação do trabalho intermitente por dia ou hora (PL 3.785/12 – Câmara e PLS 218/16 – Senado);

10. Estabelecimento do Código de Trabalho (PL 1.463/11 – Câmara);

11. Redução da jornada com redução de salários (PL 5.019/09 – Câmara);

12. Vedação da ultratividade das convenções ou acordos coletivos (PL 6.411/13 – Câmara);

13. Criação de consórcio de empregadores urbanos para contratação de trabalhadores (PL 6.906/13 – Câmara);

14. Regulamentação da EC 81/14, do trabalho escravo, com supressão da jornada exaustiva e trabalho degradante das penalidades previstas no Código Penal (PL 3.842/12 e PL 5.016/05 – Câmara e PLS 432/13 – Senado);

15. Estabelecimento do Simples Trabalhista criando outra categoria de trabalhador com menos direitos (PL 450/15 – Câmara);

16. Extinção da multa de 10% por demissão sem justa causa (PLP 51/07 – Câmara e PLS 550/15 – Senado);

17. Susta a Norma Regulamentadora (NR) 12 sobre Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos (PDC 1.408/13 – Câmara e PDS 43/15 – Senado);

18. Execução trabalhista e aplicação do princípio da desconsideração da personalidade jurídica (PL 5.140/05 – Câmara);

19. Deslocamento do empregado até o local de trabalho e o seu retorno não integra a jornada de trabalho (PL 2.409/11 – Câmara);

20. Susta Norma Regulamentadora 15, do Ministério do Trabalho e Emprego, que regula as atividades de trabalhadores sob céu aberto (PDC 1.358/13 – Câmara);

21. Susta as instruções normativas 114/14 e 18/14, do Ministério do Trabalho, que disciplinam a fiscalização do trabalho temporário (PDC 1.615/14 – Câmara);

22. Estabelecimento da jornada flexível de trabalho (PL 2.820/15 – Câmara e PL 726/15 – Câmara);

23. Estabelecimento do trabalho de curta duração (PL 3.342/15 – Câmara);

25. Aplicação do Processo do Trabalho, de forma subsidiária, às regras do Código de Processo Civil (PL 3.871/15 – Câmara);

26. Reforma da execução trabalhista (PL 3.146/15 – Câmara);

27. Substitutivo apresentado na Comissão de Agricultura estabelece a inexigibilidade do cumprimento simultâneo dos requisitos de “utilização da terra” e de “eficiência na exploração” para comprovação da produtividade da propriedade rural (PL 5.288/09 – Câmara);

28. Alteração da Lei 5.889/73, que institui normas reguladoras do trabalho rural, e da Lei 10.101/00, que dispõe sobre a participação dos trabalhadores no lucro ou resultados da empresa, visando a sua adequação e modernização (PLS 208/12 – Senado);

29. Alteração da Lei 1.079/50, para definir como crime de responsabilidade de governador de Estado a recusa ao cumprimento de decisão judicial de reintegração de posse (PLS 251/10 – Senado);

30. Alteração da Lei 8.629/93, para dispor sobre a fixação e o ajuste dos parâmetros, índices e indicadores de produtividade (PLS 107/11 – Senado);

31. Regulamentação da compra de terra por estrangeiros (PL 4.059/12 – Câmara);

32. Alteração da Lei de Biossegurança para liberar os produtores de alimentos de informar ao consumidor sobre a presença de componentes transgênicos quando esta se der em porcentagem inferior a 1% da composição total do produto alimentício (PLC 34/15 – Senado);

33. Dispensa do servidor público por insuficiência de desempenho (PLP 248/98 – Câmara);

34. Instituição de limite de despesa com pessoal (PLP 1/07 – Câmara);

35. Criação do Estatuto das Fundações Estatais (PLP 92/07 – Câmara);

36. Regulamentação e retirada do direito de greve dos servidores (PLS 710/11 – Senado e PLS 327/14 – Senado; e PL 4.497/01 – Câmara);

37. Extinção do abono de permanência para o servidor público (PEC 139/15 – Câmara);

38. Estabelecimento de independência do Banco Central (PEC 43/15 – Senado);

39. Proibição de indicar dirigente sindical para o conselho dos fundos de pensão públicos (PLP 268/16 – Câmara);

40. Estabelecimento do Código de Mineração (PL 37/11 – Câmara);

41. Demarcação de terras indígenas (PEC 215/00 – Câmara);

42. Cancelamento da política de Participação Social (PDS 147/14 – Senado);

43. Alteração do Código Penal sobre a questão do aborto, criminalizando ainda mais as mulheres e profissionais de saúde (PL 5.069/13 – Câmara);

44. Instituição do Estatuto do Nascituro – provavelmente a maior ameaça aos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres. Seria concretizada a criminalização generalizada das mulheres, inviabilizando, inclusive, o aborto previsto no Código Penal (PL 478/07 – Câmara);

45. Instituição do Estatuto da Família – retrocesso para grupos LGBT e mulheres: não reconhecimento como família – ficam fora do alcance de políticas do Estado (PL 6.583/13 – Câmara);

46. Redução da maioridade penal (PEC 115/15 – Senado);

47. Instituição do Estatuto do desarmamento (PL 3.722/12 – Câmara e PDC 298/15 – Câmara);

48. Estabelecimento de normas gerais para a contratação de parceria público-privada para a construção e administração de estabelecimentos penais (PLS 513/11 – Senado);

49. Aumento do tempo de internação de adolescentes no sistema socioeducativo (PL 7.197/02 – Câmara e PLS 2517/15 – Senado);

50. Atribuição à Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania do exame do mérito das Propostas de Emenda à Constituição (PEC), acabando com as comissões especiais (PRC 191/09 – Câmara);

51. Alteração da Constituição para que entidades de cunho religioso possam propor Ações de Constitucionalidade perante o STF (PEC 99/11 – Câmara);

52. Estabelece o trabalhador multifuncional (PLS 190/16 – Senado);

53. Escola sem partido (PL 867/15, PL 7.180/14 – Câmara e PLS 193/16 – Senado);

54. Reforma da Previdência – fim das aposentadorias (PEC 287/16 – Câmara);

55. Reforma Trabalhista – negociado sobre o legislado e novos tipos de contrato de trabalho (PL 6.787/16 – Câmara);

56. Refinanciamento das dívidas dos Estados com maldades para os servidores públicos estaduais (PLP 343/17 – Câmara);

57. Reforma trabalhista em nível Constitucional – negociado sobre o legislado e aumento de jornada de trabalho (PEC 300/16 – Câmara)

58. Normas gerais de tutela do trabalho – fim da ultratividade e da hora extraordinária (PL 6.324/16 – Câmara)

59. Processo do trabalho – aumento da jornada de trabalho sem necessidade de acordo coletivo (PL 6.323/16 – Câmara)

60. Convenções e acordos coletivos de trabalho – parcelamento das férias em três períodos (PL 6.322/16 – Câmara)

61. Aplicação da arbitragem nas relações de trabalho (PL 6.561/16 – Câmara)

62. Fracionar as férias em três períodos (PL 6.714/16 e PL 6.715/16)

63. Permissão de que a compensação de jornadas, na modalidade de banco de horas, possa ser firmada por acordo escrito entre empregador e empregado (PL 5.881/16 – Câmara)

64. Permite a prorrogação da jornada de trabalho em atividade insalubre por negociação coletiva (PL 5.902/16 – Câmara)

65. Liberação de terras para o mercado e fragilização da organização social no campo (MP 759/16 – Senado);

66. Estringe a possibilidade de multiplicação de sementes protegidas e exige autorização do detentor da patente para que o agricultor comercialize o produto da colheita (PL 827/15 – Câmara);

67. Fragilização do processo de controle dos agrotóxicos no Brasil (PL 6.299/02 – Câmara e PL  3.200/15 – Câmara);

68. Fim da licença ambiental (PL 3.729/04 – Câmara, PDC 118, 119 e 120/15 – Câmara e PLS 654/15 – Senado).

69. Abordo como crime hediondo (PL 4.703/98 – Câmara, PL 4.917/01 – Câmara, PL 7.443/06 – Câmara e PL 3.207/08 – Câmara);

70. Contra o reconhecimento de pessoas LGBT (PL 4.508/08 – Câmara, PL 620/15- Câmara, PL 7.382/10 – Câmara, PL 1.672/11- Câmara, PL 3.875/12 – Câmara e PDC 395/16 – Câmara);

71. Veta o debate sobre a igualdade de gênero – ou a promoção da ideologia de gênero — por qualquer meio ou forma do sistema de educação (PL 2.731/15 – Câmara, PL 3.236/15- Câmara e PL 3.235/15 – Câmara);

72. Direito a Laicidade do Estado (PL 309/11 – Câmara, PL 943/15 – Câmara e PL 8.099/14 – Câmara);

73. Permite a divulgação de imagem de criança ou adolescente a quem se atribui ato infracional (PL 7.553/14 – Câmara); e

74. Criminalização dos movimentos sociais (PL 5.065/16 – Câmara e PLS 272/16 – Senado).

Diap

abril 12, 2017 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Todo homem é igual perante a lei

leis pobres

Sem Direitos

Esse é um tema que ficaria muito melhor na seção de piadas, mas como eu não consigo rir, melhor deixá-lo para refletir.

“Todo homem é igual perante a lei”

Até o termo já está ultrapassado. Hoje, utiliza-se mais a palavra ser humano em lugar de homem, afinal, as mulheres também foram lembradas.

Aliás, essa mania de luta de classes também não tem muito sentido. O ideal seria que todas as classes se unissem por um ideal, olhando além do próprio nariz.

Feitas as observações, vamos ao texto:

Onde está a igualdade?

Até há pouco tempo atrás, falar em lei, era falar em direito penal, apesar disso, conceitos de lei e de justiça sempre foram distintos.

Em sistemas burocratizados – todos são, mas o nosso é pior – tudo é muito confuso e isso propicia a elitização da sociedade, onde os mais pobres não tem acesso a direitos fundamentais.

Quando uma pessoa chega a um hospital, há dois procedimentos a serem tomados: Se for pobre, entra numa fila interminável que em muitos casos termina em morte; se for rico, é encaminhado para uma área privada, com direito a um acompanhante, onde a diária pode ultrapassar ao que um pobre ganha em um ano, trabalhando.

Isso dificultava a doação de órgãos que os pobres sabiam que nunca iriam ter direito. Mas essas leis também vem mudando, para que todos os pobres sejam doadores, a não ser que entrem na justiça para não doar.

Agora só falta criarem leis obrigando as pessoas a doarem sangue, o que deveria ser um dever de todos.

O transporte público não é gratuito, é pago, mas a qualidade é péssima. Pela lei deveria ser proibido, pela falta de segurança, mas isso pararia o país inteiro.

O transporte é administrado por grupos mafiosos que criam verdadeiros cartéis, cada um com sua região. Quando esses grupos não atendem a demanda, alguns aventureiros arriscam empreender na área e pagam caro por isso.

É muito fácil criar monopólios, quando se financia políticos preguiçosos e incompetentes.

Talvez a área em que os direitos fundamentais estejam mais em falta, seja na segurança, onde sociedade passou a questionar o que é melhor, chamar a polícia ou fazer a sua própria lei, através de acordos com milícias, grupos de extermínio ou porte ilegal de arma. A polícia começa a ter dificuldade para cuidar de sua própria segurança, confundindo policiais com marginais ou tendo de fugir de grupos organizados.

Na educação fica fácil notar as desigualdades, alguns cursos chegam a 100 ou 200 candidatos por vagas. Se não havia faculdades para todos, agora, as novas faculdades são de péssima qualidade, pior, não há como resolver esse problema com a ajuda da lei.

Quem passa num vestibular de faculdade a distância, passa a defender um sistema do qual nunca terá direito nenhum.

A televisão faz propaganda de pessoas que ganharam na loteria, como se isso fosse a coisa mais fácil do mundo, vendem o sonho brasileiro.

Enquanto os estrangeiros chegam para ocupar vagas de profissionais em falta no país, como a de engenheiros, brasileiros preparam suas malas para fazer intercâmbio e lavar privada no exterior. Enquanto o STF se vê em meio a um jogo político, sem saber fazer o que sempre fizeram, burocracia, o assassino de um crime anunciado é solto pelo próprio STF, o assassino da freira Dorothy Stang.

E o STF, a maior autoridade judiciária do país se questiona: “As CPIs do mensalão e Cachoeira podem manchar a nossa reputação.”

De qual reputação eles falam? O STF sempre foi político e todos nós sabemos que não há reputação na política brasileira.

By Jânio

agosto 23, 2012 Posted by | Reflexões | , , , , , , , | 2 Comentários

O Contrato Social

primeira republica

República Moderna

“O homem nasceu livre e em toda parte acha-se acorrentado…

Renunciar à sua liberdade é desistir da sua qualidade de homem, dos direitos de liberdade, mesmo de seus deveres…

Tal renúncia é incompatível com a natureza do homem.”

“A alienação total de cada associado com todos os seus direitos á comunidade. Aqueles que se entregam a todos, não se dão à ninguém. Como não existe associado sobre o qual adquiramos os mesmos direitos que lhe concedemos sobre nós, ganharemos o equivalente a tudo o que perdermos, e mais força ainda, para conservarmos o que temos.”

“O Estado, em relação aos seus membros, é senhor de seus bens, graças ao contrato social…

O Estado é juiz da liberdade de cada pessoa. Pode impor uma religião civil, necessária à sociedade, banir os que não creiam nela, condenar a morte os que, depois de aderirem à essa religião, “se portem como se nela não acreditassem”, pois esta atitude constitui uma porta aberta para a arbitrariedade.”

Rousseau.

vejam bem, a democracia não surgiu na época do Iluminismo, Independência dos Estados Unidos ou Maquiavel, Surgiu muito tempo antes.

O princípio básico da democracia, sempre será liberdade, direito, responsabilidade.

“O direito de uma pessoa termina onde começa o direito da outra”. Essa é uma regra implícita, é preciso saber o que a outra pessoa pensa , o que ela sente, enfim, é preciso se colocar no lugar dela.

Em época de Web 2.0, uma pessoa que não conheça estes fundamentos é uma pessoa excluída, socialmente, digitalmente, economicamente…

“Libertas Quae sera tamen.” Essa expressão faz referência ao princípio básico da democracia, não a partir do Iluminismo ou de Maquiavel, mas da República/Império Romano, por sua vez inspirada na democracia da Grécia antiga.

Essa expressão foi traduzida como “Liberdade ainda que tardia”, sua tradução , entretanto, lembra-me uma discussão cordial com uma professora, quando eu disse: “…mas se eu fosse uma criança de seis anos, faria uma tradução literal e inocente: “Libertas que serás também”, ou seja, não mudaria nada.

Considerando a tradução da criança de seis anos, chegamos a conclusão de que os inconfidentes eram, de fato, muito irônicos em sua essência filosófica.

Toda a expressão “Liberdade ainda que tardia”, concentra-se em uma única palavra da expressão latina, “Libertas”. Ao invés de traduzir toda a expressão, os inconfidentes ironizavam, não o Império, mas o próprio povo.

Poderíamos dizer que a tradução é ambígua, ao mesmo tempo em que provocava a monarquia, em latim, incitava o povo: “Já chegará tarde, essa tal liberdade.”

Rousseau faz uso de uma argumentação clássica: “É preciso ser homem” – Ao mesmo tempo, inteligentemente, foge de uma possível armadilha, uma ideia revanchista, ideia revolucionária: Renunciar à sua liberdade é desistir da sua qualidade de homem, dos direitos de liberdade, mesmo de seus deveres…

Rousseau também faz um alerta: “A alienação total de cada associado com todos os seus direitos á comunidade. Aqueles que se entregam a todos, não se dão à ninguém. Como não existe associado sobre o qual adquiramos os mesmos direitos que lhe concedemos sobre nós, ganharemos o equivalente a tudo o que perdermos, e mais força ainda, para conservarmos o que temos.”

Traduzindo: A submissão do cidadão ao sistema, não deve tirar a sua força para crescer, mas acrescentar benefícios ainda maiores. Deve fazer com que sua comunidade cresça diante de seus olhos, motivando-o a continuar lutando para “vencer na vida”, vendo senão a si, aos seus entes queridos entrarem na “Terra prometida”, a qual lhe é de direito, já que lhe fora prometido.

O princípio da ética também é observado claramente: “Aquele que se entrega a todos, não se dá à ninguém”. Nesse caso, o cidadão deve pensar unicamente na sociedade como um todo, deve obedecer, servir, a sociedade, não ao interesse e ideologia do ditador que toma o poder.

Na última linha do texto citado, Rousseau é taxativo. Segundo o seu pensamento, quem não seguir as leis, deve ser banido da sociedade onde imperam essas leis, e vai mais longe, quem aderir a essas leis depois romper com elas, deve ser condenado a morte, pois essas pessoas são o maior perigo para o fim dessa sociedade.

Portanto, vivemos numa anarquia total, desde o momento em que vendemos, ou compramos o voto, até o momento em que nos corrompemos diante das dificuldades, impostas inteligentemente pelo Estado Elitista, através de altas cargas de tributo.

Todos que não vivem na elite, classe média alta, e não aderem a “PPP”, estão definitivamente banidos da sociedade.

Somos escravos, vivemos fora do círculo, sem nenhum dever ou direito.

Sem condições de nos submetermos as regras duras, impostas pelo sistema, somos obrigados a nos prostituir diante da sociedade, Igreja e de nossos próprios ideais.

Na outra ponta, no lado de cima, as regras sociais continuam valendo: “O Estado é juiz da liberdade de cada pessoa. Pode impor uma religião civil, necessária à sociedade, banir os que não creiam nela, condenar a morte os que, depois de aderirem à essa religião, se portem como se nela não acreditassem, pois esta atitude constitui uma porta aberta para a arbitrariedade.”

Qualquer pessoa que ameace as estruturas elitizadas da comunidade do poder, será condenado a morte. Aqueles que não concordarem com ela, deverão permanecer fora, banidos, sem direitos nem obrigações em relação á ela.

Os Estados Unidos foram os primeiros a aderir à evolução de democracia, até agora.

Na França, a principal idealizadora da nova ordem democrática, houve um princípio de mudanças, inspirados na Independência dos Estados Unidos, que por sua vez haviam se inspirado no Iluminismo, sendo apoiados pela França, em sua luta pela independência.

…mas Robespierre tornou-se um sanguinário, condenando a guilhotina todos os que lhe faziam oposição, fazendo muitos inimigos, até o golpe da burguesia.

By Jânio

março 11, 2011 Posted by | Policia | , , , , , , , , , , , , , , , , | 7 Comentários

Com os dois lados do cérebro

right intelligence

Lado Certo

Essa pesquisa era para ser sobre os ambidestros, ou seja, pessoas que tem habilidades com os dois lados do corpo, mas é muito difícil falar em ambidestro sem falar do canhoto. Na realidade, o canhoto é um assunto muito mais interessante para se estudar, o canhoto enfrenta mais problemas.

Quando nascemos, apesar das aparências, não temos preferências por nenhum lado do cérebro. O cérebro é dividido em dois hemisférios, onde o hemisfério esquerdo controla o lado direido do corpo, e o hemisfério direito controla o lado esquerdo, portanto, cada hemisfério controla o lado oposto.

Essa constatação foi feita quando, em indivíduos com lesão no lado esquerdo, apresentavam paralisação do lado direito.

Como tudo o que se observa na sociedade, a simples observação de um canhoto pode gerar muito preconceito, podendo chegar até a religião ou superstições e crendices.

Quando as crianças nascem, elas não tem muita preferência, podem usar tanto a mão direita quanto a mão esquerda. Com o passar do tempo, a criança passa a sentir a necessidade de desenvolver sua habilidade, então, sente a necessidade de escolher um dos lados.

Escolhendo o lado direito, tudo bem, a grande maioria das pessoas são destras, portanto ela se encaixa perfeitamente. Quando a criança escolhe o lado esquerdo, aí, começam os seus problemas.

Segundo relatos de pessoas canhotas, quando eram crianças, foram forçadas a usar o lado direito, mas resistiram e continuaram a usar o lado esquerdo. Algumas famílias não são tão pacientes, exigem que a criança use a mão esquerda, isso provoca transtornos que vão desde falta de habilidade parcial, confusão, até traumas permanentes.

Há ainda, casos de pessoas que desenvolvem a ambidestria, habilidade com ambas as mãos:

WIKIPEDIA: “Ambidestria é a capacidade de se ser igualmente habilidoso com ambas as mãos direita e esquerda (ou, de forma mais limitada, com ambos os pés). A palavra “ambidestro” tem origem no Latim: ambi significa “ambos” e dext significa “certo”.

Quando eu era jovem, minha irmã, já falecida, sempre insistia para que eu pegasse tudo com a mão direita, isso era um problema, já que o lado direito do cérebro estava sempre controlando o lado e esquerdo do corpo, sempre estava mais ativo. Pessoas com esse tipo de transtorno, acabam apresentando insegurança na hora de escolher o lado “certo”, podendo ter problemas, devido a confusão dos lados.

Segundo a minha irmã, aprendendo a usar o lado direito, eu teria mais facilidade na sociedade, inclusive para aprender na escola. Alunos canhotos tem dificuldades para aprender a escrever, além da possibilidade de terem problemas de postura, caso os professores não sejam pacientes.

“Falsos destros” podem confundir a mão esquerda com a direita,  isso pode fazer com que um motorista entre pela contramão, podendo causar até acidentes. Isso acontece pela confusão provocada pelo cérebro, onde o direito não significa exatamente  o certo.

Eu sempre usei o lado direito, mas havia problemas, por exemplo: Para chutar a bola com força, eu sempre tinha distensão no perna direita. Descobri, logo, que para chutar com força, teria que chutar com a perna esquerda.

Depois de uma acidente de carro, ainda na infância, onde o lado direito ficou ainda mais comprometido, o lado esquerdo passou a ser ainda mais importante. Apesar disso, eu continuava sendo destro.

Quando me convidaram para participar de um jogo amistoso, contra a seleção brasileira master, desenvolvi um drible quase perfeito. Com a dificuldade com a perna direita, principalmente para chutar forte, desenvolvi um drible quase perfeito, com as duas pernas. 

Um drible normal, as pessoas estão sempre em igualdade de condições, mas, para marcar um canhoto, é preciso mudar o jeito de marcar. Quando a pessoa é ambidestra, fica quase impossível de ser marcada.

Cada vez que eu executava esse drible, eu perdia um amigo, ninguém parava em pé, o drible sempre era executado no contrapé do adversário. Fiquei conhecido como falso canhoto, na realidade, eu sempre fui um falso destro; quando eu começo a usar o lado esquerdo, meus amigos sabem que não devem chegar perto.

É muito comum o desenvolvimento da ambidestria em canhotos forçados a utilizarem a mão direita, apesar disso, é muito estimulada em esportes, como natação, lutas e instrumentos musicais.

A melhor forma de observar se uma pessoa é falso destro ou falso canhoto, é observar quando ela vai olhar um microscópio, o lado mais ativo do cérebro passa a dominar.

Canhotos tem reclamado da exclusão social a que são submetidos, onde tudo é feito para destros, até fechadura de portas. Alguns canhotos são forçados a desenvolver habilidades inversas ao funcionamento de seu cérebro, principalmente no trabalho.

Em uma pesquisa realizada entre crianças, destras e canhotas, o resultado foi:

Entre os destros, 72% apresentavam superioridade na mão direita, enquanto 12% não tinham preferênca.

Entre os canhotos, 55% apresentavam mais habilidade com a mão esquerda, 30% não apresentavam diferênça.

Como podemos notar, as circunstâncias sociais a que são submetidos os canhotos, levaram eles a desenvolverem uma habilidade na outra mão também. Há uma idéia polêmica de que os canhotos são mais inteligentes que os destros.

Apesar de todas as pesquisas feitas, não foi possível descobrir as causas do canhotismo. Parece ser natural, já que o fator genético também não foi comprovado.

Ambos os pais são canhotos.

50% dos filhos são canhotos.

Um pai canhoto e o outro destro.

17% dos filhos são canhotos.

Ambos os pais são destros.

2% dos filhos são canhotos.

Até para desenhar, nota-se uma diferença, o canhoto desenha o perfil voltado para a esquerda, o destro para a direita. Caso isso não ocorra, então é um falso destro.

FAMOSOS CANHOTOS

No esporte brasileiro:

Ayrton Senna – Melhor piloto brasileiro de todos os tempos na Fórmula 1. Tricampeão mundial, sendo campeão em 1988 com o recorde de vitórias numa temporada.

Pelé – Atleta do século, melhor jogador de futebol de todos os tempos no mundo. Tricampeão mundial pela seleção brasileira. Ele e o presidente dos Estados Unidos da América são as pessoas mais conhecidas no planeta.

Romário – Grande craque de futebol e o atacante mais consagrado atualmente no futebol. Teve grande participação na conquista do Copa do Mundo em 1994.

Fernando Meligeni – Argentino naturalizado brasileiro. É o segundo melhor tenista brasileiro na atualidade.

Esporte Internacional:

Bill Russell, Chris Mullen, David Robinson, Goran Ivanisevic, John McEnroe, Larry Bird, Lenny Wilkins, Marcelo Rios, Martina Navratilova, Monika Seles, Thomas Muster.

Literatura:

HG Weels – Romancista e ensaísta inglês. Ganhou nomeada como auotor de livros de ficção científica.

Machado de Assis – Escritor brasileiro, um dos maiores da língua portuguesa de todos os tempos. Sua obra inclui romances como Dom Casmurro e Quincas Borba. Foi um dos fundadores e primeiro presidente da Academia Brasileira de Letras.

Líderes Mundiais:

Alexandre – o Grande – Um dos maiores generais da história. Foi rei da Macedônia em 356 a.C. Venceu os persas e estendeu seu império até a Índia. Fundou Alexandria, no Egito.

Fidel Castro – Líder revolucionário e estadista cubano. É o atual presidente de Cuba.

Mahatma Gandhi – Líder nacionalista indiano, expoente da doutrina da não-violência.

Napoleão Bonaparte – General e estadista, imperador dos franceses.

Bill Clinton – ex-presidente dos Estados Unidos da América.

Há ainda outros líderes como Júlio César, Príncipe Charles (Ing), Elizabeth II, George Bush, John D. Rockefeller.

Música:

George Michael (Wham!), Glenn Frey (the Eagles), Jimi Hendrix, John Lydon a.k.a. Johnny Rotten (Sex Pistols), Kurt Cobain (Nirvana), Ludwig van Beethoven, Natale Cole, Paul McCartney (the Beatles; Wings), Phil Collins (Genesis), Phil Everly (The Everly Brothers), Robert Plant (Led Zepplin), Tony Iommi (Black Sabbath).

Arte:

Pablo Picasso – Pintor espanhol radicado na França, considerado o maior do século vinte.

Leonardo da Vinci – Artista e pensador italiano, um dos maiores gênios da história. Foi pintor, escultor, arquiteto, engenheiro e cientista. Criador do quadro mais famoso do mundo “Mona Lisa”

Miguelângelo e Raphael.

Atores:

Bruce Willis, Charlie Chaplin, Jerry Seinfeld (comediante), Julia Roberts, Keanu Reeves, Marilyn Monroe, Nicole Kidman, Peter Fonda, Robert DeNiro, Robert Redford, Sarah Jessica Parker, Tim Allen, Tom Cruise, Whoopie Goldberg.

Outros canhotos famosos:

Albert Einstein – Físico de origem alemã, naturalizado norte-americano. Teve grande contribuições com suas leis para a humanidade. Recebeu o Prêmio Nobel de fisiologia ou medicina em 1908.

Aristóteles – Filósofo grego, um dos maiores pensadores de todos os tempos.

Bart Simpson – personagem de desenho, escolhido entre as 100 maiores personalidade do século.

Bill Gates – O homem mais rico do mundo. Dono de uma das maiores empresas de informática do planeta “Microsoft”.

Neil Armstrong – Astronauta norte-americano, o primeiro homem a pisar na Lua.

Isaac Newton – Matemático e físico inglês, um dos maiores célebres sábios de todos os tempos.

Billy the Kid (William Bonney), David Rockefeller (banqueiro), Dwight F. Davis (criador da Copa Davis, no tenis), Jack o Estripador, Joana D’arc (Heroína francesa), Matt Groening (cartunista criados dos Simpsons), Ramses II (Faraó Egípcio).

CRENÇAS E SUPERSTIÇÕES:

As roupas de homens e mulheres são abotoados de lados contrários. Segundo Fincher (1977), o costume veio do período Vitoriano, quando uma mulher nobre era usualmente vestida por sua empregada, e pelo fato das empregadas serem geralmente destras, era mais fácil para elas, abotoarem da esquerda para direita. Ao contrário, um nobre senhor usualmente se vestiam sozinhos e não precisavam de ajuda para fechar os botões.

As alianças de casamento são usadas no terceiro dedo da mão esquerda. No início, os egípcios acreditava que a Vena amoris (veia do amor) ia do terceiro dedo da mão esquerda para o coração e por isso colocavam o anel de casamento neste dedo que proveria uma relação mais próxima com o coração da pessoa.

Chineses e europeus acreditam que se alguma pálpebra esquerda for arrancada algo muito ruim acontecerá, e algo bom irá acontecer quando alguém arrancar uma pálpebra direita.

Os irlandeses acreditam que quando você está numa viagem e vê três pega ou pica-pica (uma espécie de corvo) na sua esquerda, você estará com azar. Dois pegas na sua direita, porém, significa sorte. Você terá um ano inteiro de sorte quando você ouvir um cuco na sua direita.

Se sua palma direita coçar, você ira receber algum dinheiro; se sua palma esquerda coçar, você perderá dinheiro. Esta superstição pode ser encontrada na Europa, América, algumas partes da África, e entre alguns ciganos.

Quando você entrar numa casa da Escócia e pisar primeiro com o pé esquerdo você estará trazendo demônio ou mal azar para dentro de casa. Esta é o famoso costume “primeiro passo” que pode ser encontrado na Europa.

Esquimós acreditam que todos os canhotos sejam poderosos feiticeiros.

Em Marrocos canhotos são considerados como demônios ou pessoas malvadas.

No passado (talvez isto continue se manifestando nos dias atuais), todos judaicos tinham que estar longe de algum dos “cem defeitos físicos” listados por Maimonides. Inclui-se na lista cegos, mancos, anões, etc… e canhotos.

No budismo, Buda descreve que o caminho para o Nirvana (o estado de purificação e salvação) se divide em duas partes. Um é o caminho da mão esquerda que é o jeito errado de se viver, e que as pessoas deveriam evitar e seguir o caminho da mão direita porque este é o caminho digno para a purificação da alma.

Nos países islâmicos e na Índia, as pessoas são proibidas de comer com sua mão canhota porque isto é considerado sujo – literalmente. As pessoas destes países certa vez já usaram a mão esquerda para limpar o corpo, de maneira incorreta, depois de defecarem, uma vez que o papel higiênico é uma invenção recente. Esta restrição é um jeito fácil de se destinguir a mão suja da mão com que se deve comer (eles usam a mão para comer) para propostas higiênica.

No Irã, os ladrões capturados têm suas mão direitas decepadas como punição. O motivo é simples: sem a mão direita, o ladrão precisa usar a esquerda. Usar a mão

esquerda, no Irã, é considerada uma atitude desonrosa. Essa mão é usada apenas para fazer higiene anal.

O preconceito destro está em todos os lugares como superstição e herança de costume: fazer o sinal da cruz com a mão direita, entrar em casa no Ano Novo com o pé direito, quando alguém está infeliz dizemos que ele acordou com o pé esquerdo.

CONCLUSÃO:

Uma criança, a partir dos seis anos, tem definido o lado mais desenvolvido do cérebro, então, ela poderá escolher a mão, pé e olho que irá usar com mais frequência; não deve ser corrigida.

Os professores, principalmente os pedagogos, devem estar atentos à postura dessas crianças. Um pedagogo mal preparado poderá levar a criança a adquirir maus hábitos.

Os pais devem deixar as crendices e superstições de lado e observar que se seu filho não se tornar um gênio, como esses acima citados, certamente já tem a personalidade igual, ou superior à deles.

Com o tempo, a criança desenvolverá suas habilidades com as mão direita, usando-a somente em caso de última necessidade.

Fonte: Wikipedia

By: Jânio

outubro 17, 2010 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 55 Comentários

Eutanásia – no limite da lei

decisão final

Direito de morrer

Se a pena de morte já é um assunto polêmico, aceito por alguns países,  proibido para outros, gerando muito controvérsia, a eutanásia fica no limite.

A eutanásia é o ato de abreviar a vida de uma pessoa,  com a participação de terceiros, pessoas que se utilizarão de técnicas adequadas para esse fim. A eutanásia não deve ser confundida com o suicídio assistido, onde é a própria pessoa quem executa o ato, com ajuda de outrem.

Eutanásia ativa – quando a pessoa negocia com terceiros os meios com os quais a eutanásia será realizada.

Eutanásia passiva – quando a pessoa não está em condições de decidir, ou seja, já  se encontra em fase terminal, cabendo a sua família a decisão de deixar de ministrar os remédios, desligar os aparelhos, acelerando o processo de uma situação que já era irreversível, mas que trazia sofrimento além do suportável, tanto físico, quanto psicológico.

Reparem que a eutanásia ativa é a mais dramática, já que é a própria pessoa quem decide como será decidido o seu destino, quando a fase terminal se iniciar.

Essa forma de eutanásia tem gerado muita discussão, rendendo inclusive boas histórias em Hollywood. Nesse caso, quando a pessoa se encontra num estado vegetativo, sobrevivendo às custas de aparelhos, sofrendo dores insuportáveis, sua decisão já está tomada, cabendo aos seus familiares decidirem sobre o que é certo.

Antes de qualquer discussão, é bom que se diga que tanto no Brasil, quanto em Portugal, a prática da eutanásia é considerada ilegal, portanto um caso de homicídio.

Temos presenciado, através de noticiários, casos em que enfermeiras decidem pela eutanásia, sendo consideradas homicidas, consideradas monstros pela sociedade. As razões do crime variam muito, mas, na maioria das vezes, acaba sendo considerado um crime normal, como o caso de donos de asilos, que ficam com a aposentadoria, ou a própria família, achando que o crime vai passar despercebido.

Enquanto os defensores dessa prática, consideram o sofrimento um motivo suficiente para o ato, os opositores alegam já haver analgésicos suficientes para que a vida seja prolongada, a espera de um milagre ou de um avanço da ciência, que possa sanar a doença.

A eutanásia envolve tanto a questão ética, quanto direito; envolve a religião, envolve também os sentimentos e a filosofia de cada um, resultando numa responsabilidade muito grande, por parte de quem toma a decisão.

É bom que se diga que a eutanásia existe, mesmo sendo proibida pela lei. A morte sempre acontece antes do esperado, por mais que a pessoa tenha planejado, sempre fica alguma coisa por resolver, portanto, o arrependimento é sempre um elemento a se considerar.

Até o fator político-social entra nessa polêmica, quando um médico precisa decidir, em um pronto socorro, entre a vida de uma pessoa e a outra, não podendo atender a ambas, ao mesmo tempo.  O número de vagas nos hospitais, destinados a saúde pública, também é levado em consideração, nesse caso, condenado pela sociedade.

Na legislação, há citações onde deixa bem claro que ninguém deve ser submetido a tortura ou tratamento desumano, defendido pelos defensores da eutanásia. Essa citação é negada pelas pessoas que rejeitam a prática, contestando, justamente, o termo desumano, onde desumano seria a eutanásia.

Até entre os indígenas, há uma lei milenar, para que o mais jovem sobreviva, é necessário que o mais idoso se vá. Nesse caso, a tradição é cultural, é um ato de amor; a mesma pessoa que protegeu a família e a tribo, durante toda a vida, opta por ceder sua vida ao mais novo.

Isso acontece em casos de falta de alimentos, em casos de povos nômade, onde a pessoa pode ser um peso a mais, literalmente falando.

Por parte dos médicos, há o juramento de Hipócrates, onde o médico jura defender a vida, mesmo que o paciente esteja com doença incurável, por meios condicionais, devendo procurar, nesse caso, formas alternativas para sua cura.

Em países subdesenvolvidos, na área da saúde o Brasil se encontra nessa situação, os mais pobres sentem na pele a falta de condições médicas e assistência, por parte do governo. Nessa área, é comum a eutanásia, na medida em que não há uma boa gestão de recursos; é comum o desvios de verbas, destinadas a atender as necessidades da área de saúde.

Mesmo assim, temos que admitir que cada caso é um caso. Assim como há radicais defendendo a prática da eutanásia, há radicais condenando a prática; não devemos tomar a lei como ponto de partida, para uma decisão final, a lei deve ser vista como um ponto final.

Precisamos nos colocar no lugar de quem está sofrendo, sentir na pele a situação, antes de termos uma opinião formada; o sentimento ainda é a melhor forma de decisão, para que não tenhamos que conviver com a consciência pesada, para o resto de nossas vidas.

Assim como no caso da pena de morte, a sociedade decide mas deixa para outrem a função do carrasco, como se o pecado fosse menor. A questão do aborto e da eutanásia eugênica, eu nem vou comentar, para não desequilibrar a discussão.

by Jânio

janeiro 21, 2010 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , | 12 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: