Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

COG – O humanóide quase perfeito.

o robô mais inteligente do mundo.

o robô mais inteligente do mundo.

No filme 2001 – Uma odisseia no espaço, um dos personagens principais era um robô.

Dotado de um banco de dados, nunca antes imaginado pelo cinema, esse fantástico robô, possuía inteligência artificial, tinha personalidade própria, era consciente, conseguia, através de rotinas programadas, tomar uma decisão.

Pensando bem, a programação não está longe disso. Quando tentamos executar um procedimento não previsto pelo programador, recebemos uma mensagem de erro, onde o programa conclui que isto não pode ser realizado.

O Sistema de busca da Google, ao contrário do buscador da Microsoft, deixou de aceitar uma “expressão entre aspas”, isso porque a equipe da google chegou a conclusão que a mensagem de erro, “busca não encontrada”, não ficava bem  para um sistema tão “perfeito”, sem aspas não corriam esse risco, para sua sorte, seu sistema era sofisticado, suficientemente, para funcionar sem o uso das aspas.

A conclusão, a que chegamos, é a de que o programa, quando não encontra a solução, tem duas alternativas a serem tomadas: A primeira, optar pela mensagem de erro, Microsoft, é o caso de frases entre aspas, deixando claro a exigência de busca específica como frase exata; a segunda alternativa seria ignorar as aspas, Google, procurando uma resposta mais próxima do resultado, sem a exatidão exigida.

Resumindo: Quando o programa prevê o erro e opta por uma outra solução, evitando o erro, está sendo mais inteligente que a concorrência.

No filme de Kubrick, o robô, através de câmeras, lia os lábios dos astronautas, concluía, através de programação, seu desejo de desligá-lo, em seguida executava formas de anular, eliminar, ou caso não conseguisse, negociar uma forma alternativa, necessária a sua sobrevivência.

Seu banco de dados, além dos requisitos básicos para sua sobrevivência, suas funções, possuía também dados referentes a música, filosofia, sociologia, poesia e outros.

Como vocês podem ver, no conceito de inteligência, mesmo que artificial, estava descartada a hipótese de uma programação, exata, definida, sem questionamentos.

Foi pensando nisso que que o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, MIT, criou uma equipe de profissionais, de vária áreas, com o intuito de criar um humanoide perfeito, pelo menos como humanoide.

Profissionais, das mais variadas áreas, foram reunidos com esse propósito, entre eles: Matemáticos, de onde se origina a lógica; mecânicos, ligados aos processos mecânicos do humanoide; técnicos em informática, para a parte de programação e filósofos, onde entra o processo de inteligência, tomadas de decisão.

Com tanta gente envolvida, é claro que o resultado seria, no mínimo, notável.

O humanoide é desenvolvido de forma a que o seu desenvolvimento seja ligado ao seu contato com o mundo exterior, como uma criança que esta nascendo.

Vejam bem que notamos dois fatos interessantes aqui: primeiro – o reconhecimento da incapacidade de se elaborar, simular, um processo humano, utilizando apenas a tecnologia da informática; segundo- o fato de se começar do nível zero, reconhecer o fato do humanoide não ser nada, antes de seu nascimento, começando a interagir a partir do seu nascimento ou criação, sob o ponto de vista da filosofia.

O nome do humanoide, do projeto, é COG, e o principal responsável é Rodney A. Brooks, as principais funções do humanoide serão simular os sentidos vitais de um ser humano.

A linguagem utilizada por Brooks será adaptada da LISP, criada por John McCarthy em 1927.

O humanoide será desenvolvido por Brooks e Lynn Andrea Stein, com o auxílio de vários assessores, e computadores, utilizando processamentos múltiplos dentro da área de robótica.

O humanóide foi construído a partir de silício e vidro, além, é claro, do metal. A intenção é a criação da primeira máquina consciente do mundo, nem que para isso a tecnologia tenha que repensar o próprio conceito de consciência.

Seus olhos são pequenas câmeras que se movem na medida que alguém entra no local, quando pegamos sua mão, elas pressionam como se sentissem, de fato, uma emoção.

O comportamento do humanoide já começa a assustar, inclusive os próprios envolvidos, que acompanham o projeto. O projeto está longe de seu objetivo, mas apenas as pequenas partes que já foram concluídas, começam a assustar, principalmente porque são muito mais realistas do que no cinema, nossa principal referência, quando o assunto é robótica.

by Jânio

junho 25, 2009 Posted by | curiosidades | , , , | 13 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: