Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

O mistério do Triangulo das Bermudas

misterio do caribe

desaparecimentos inexplicáveis

Iniciamos esse texto sobre um dos temas mais misteriosos da história, um tema que dificilmente será explicado, estabelecendo o limite de conhecimentos do homem.

Com a tecnologia de satélites, aliada a todas as outras parafernálias tecnológicas, temos uma sensação antiga de domínio do mundo. Tudo pode ser controlado, a vida das pessoas vasculhadas, acessos de dados no mundo inteiro pela internet.

Essa segurança termina numa região selvagem do Caribe, entre o sul da Flórida, as Ilhas de Bermudas e Porto Rico. Nessa área, a força da natureza vence a tecnologia, deixando o homem de volta a pré-história, sem nenhum controle de nada.

É surpreendente a quantidade de aviões e navios que desaparecem nessa região, sem deixar pistas.

O que não faltam são explicações, isso temos de monte, algumas explicam o afundamento de navios, outras, a queda de aviões, o que não se explica é como não sobram nenhuma pista, como se tudo desaparecesse no ar.

Um mistério como esse, é uma fonte inesgotável para especulações e história de ficção.

Um jornalista do Associated Press foi o primeiro a registrar uma obra relacionada ao triângulo do diabo, como ele chamou, depois do registro de vários naufrágios, sem pistas, na região. A obra foi documentada em 1950.

Em 1.964, foi a vez do sensacionalismo entrar em cena, com Vincent Gaddis. Foi ele, com O livro “Horizontes invisíveis” que deu o nome de Triângulo das Bermudas, termo usado até hoje.

A partir daí, o mito foi crescendo e se unindo a várias outras lendas, nem a lendária Atlantida escapou.

Curiosamente, o Triângulo do Diabo, ou Triângulo das Bermudas, coincide com uma outra região no Japão, o Mar do Diabo, na mesma latitude de 35 graus, onde desaparecem mais navios do que no Triângulo das Bermudas, surgindo daí uma teoria curiosa, o buraco da minhoca, o que estaria engolindo aviões e navios.

Naturalmente os japoneses não consideram a região japonesa tão misteriosa assim, decretaram a região perigosa para navegação.

Há relatos de aeronaves que voaram por regiões turbulentas, na região, constatando alterações de tempo no diário de bordo, em relação ao tempo real.

Não se sabe o que acontece, o que podemos especular é que uma força muito grande tem provocado o sumiço desses aviões e navios, desafiando a ciência e a tecnologia, mantendo a última fronteira do desconhecido longe do alcance do conhecimento humano.

Veja a lista de ocorrências na área do Triângulo das Bermudas.

1840 – Rosalie – embarcação francesa encontrada meses após o seu desaparecimento, na área do Triângulo das Bermudas, navegando com as velas recolhidas, a carga intacta, porém sem vestígios de sua tripulação.

1872 – Mary Celeste – Apesar do navio ter sido abandonado na costa de Portugal, ele teria antes supostamente batido em um recife perto da costa de Bermuda.

1880 – Atlanta – Fragata britânica, desapareceu em Janeiro, com 290 pessoas a bordo.

1902 – Freya – embarcação alemã, ficou um dia desaparecida. Saiu de Manzanillo, em Cuba no dia 3 de outubro. Foi encontrada no dia seguinte, no mesmo local de onde havia saído, porém sem nenhuma pessoa a bordo: todos os tripulantes desapareceram.

1909 – The Spray – pequeno iate do aventureiro canadense Joshua Slocum, que desapareceu nesta área.

1917 – SS Timandra – embarcação que iria para Buenos Aires que tinha partido de Norfolk (Virgínia) com uma carga de carvão, e uma tripulação de 21 passageiros. Não emitiu nenhum sinal de rádio.

1918 – Cyclops – embarcação carregada com 19.000 toneladas de aprovisionamentos para a Marinha Norte-americana, com 309 pessoas a bordo. Desapareceu a 4 de março em mar calmo, sem emitir aviso, mesmo dispondo de rádio.

1921 – Carroll. A. Deering – cargueiro que afundou no cabo Hatteras, cerca de 1000 km a oeste das ilhas Bermudas.

1925 – Raifuku Maru – embarcação que afundou em uma tempestade a cerca de 1000 km ao norte das ilhas Bermudas.

1925 – Cotopaxi – embarcação desaparecida próximo a Cuba.

1926 – SS Suduffco – embarcação que afundou em um furacão no triângulo.

1931 – Stavenger – cargueiro desaparecido com 43 homens a bordo.

1932 – John and Mary – embarcação desaparecida em Abril. Foi encontrada posteriormente à deriva, a cerca de 80 quilômetros das ilhas Bermudas.

1938 – Anglo-Australian – embarcação desaparecida em Março, com uma tripulação de 39 homens. Pediu socorro quando estava próxima ao Arquipélago dos Açores.

1940 – Gloria Colite – embarcação desaparecida em Fevereiro. Foi encontrada com tudo intacto, mas sem a tripulação.

1942 – Surcouf – submarino francês que foi atacado pelo cargueiro norte-americano Thompson Lykes perto do Canal do Panamá, cerca de 1800 km do triângulo

1944 – Rubicon – cargueiro cubano desaparecido em 22 de outubro. Foi encontrado mais tarde pela Guarda Costeira Norte-americana próximo à costa da Flórida.

1945 – Super Constellation – aeronave da Marinha Norte-americana desaparecida em 30 de Outubro, com 42 pessoas a bordo.

1945 – Voo 19 ou Missão 19 (“Flight 19”) – esquadrilha de cinco aviões TBF Avenger, desaparecida em 5 de Dezembro.

1945 – Martin Mariner – hidroavião enviado na busca do Vôo 19, também desapareceu em 5 de dezembro, após 20 minutos de vôo, com 13 tripulantes a bordo.

1947 – C-54 – aeronave do Exército dos Estados Unidos, jamais foi encontrado.

1948 – DC-3 – aeronave comercial, desaparecida em 28 de dezembro, com 32 passageiros.

1948 – Tudor IV Star Tiger – aeronave que desapareceu com 31 passageiros.

1948 – SS Samkey – embarcação que afundou a 4200 km a nordeste do triângulo e a 200 km a nordeste dos Açores.

1949 – Tudor IV Star Ariel – aeronave que desapareceu no triângulo.

1950 – Sandra – cargueiro transportando inseticida, desapareceu em Junho e jamais foi encontrado.

1950 – GLOBEMASTER – Avião desaparecido em março. Era um avião comercial dos Estados Unidos.

1952 – YORK – Avião de transporte britânico. Desaparecido em 2 de fevereiro. Tinha 33 passageiros a bordo fora a tripulação. Sumiu ao norte do Triângulo das Bermudas.

1954 – Lockheed Constelation – aeronave militar com 42 passageiros a bordo que desapareceu no triângulo.

1955 – CONNEMARA IV – Desapareceu em setembro e apareceu 640km distante das bermudas, também sem tripulação.

1956 – MARTIN P-5M – Hidroavião desaparecido em 9 de novembro. Fazia a patrulha da costa dos Estados Unidos. Sumiu com 10 tripulantes a bordo nas proximidades do Triângulo das Bermudas.

1957 – CHASE YC-122 – Desaparecido em 11 de janeiro. Era um avião cargueiro com 4 passageiros a bordo.

1962 – Um avião KB-50 desapareceu em 8 de janeiro. Tratava-se de um avião tanque das Forças Aéreas dos Estados Unidos. Desapareceu quando cruzava o Triângulo.

1963 – MARINE SULPHUR QUEEN – Cargueiro que desapareceu em fevereiro sem emitir nenhum pedido de socorro.

1963 – SNO’BOY – Desaparecido em 1º de Julho. Era um pesqueiro com 20 homens a bordo. Nunca foi encontrado.

1963 – 2 STRATOTANKERS KC-135 desapareceram em 28 de agosto. Eram 2 aviões de quatro motores cada, novos, a serviço das forças aéreas americanas. Iam em missão secreta para uma base no Atlântico, mas nunca chegaram no local.

1963 – CARGOMASTER C-132 – Desaparecido em 22 de setembro perto das ilhas Açores.

1965 – FLYNG BOXCAR C-119 – Desaparecido em 5 de junho. Era um avião comercial com 10 passageiros a bordo.

1967 – WITCHCRAFT – Desaparecido em 24 de dezembro. Considerado um dos casos mais extraordinários do Triângulo. Tratava-se de uma embarcação que realizava cruzeiros marítimos. Estava amarrado a uma bóia em frente ao porto de Miami, Flórida, a cerca de 1600 metros do solo. Simplesmente desapareceu com sua equipe e um passageiro a bordo.

1970 – Milton Latrides – cargueiro francês que partiu de Nova Orleans em direção à Cidade do Cabo. Levava uma carga de azeite vegetal e refrigerante. Afundou no triângulo em Abril.

1973 – ANITA – Desaparecido em março. Era um cargueiro de 20.000 toneladas que estava circulando próximo ao Triângulo com 32 tripulantes a bordo.

1976 – Grand Zenith – petroleiro, afundou com pessoas e bens a bordo. Deixou uma grande mancha de petróleo que, pouco depois, também desapareceu.

1976 – SS Sylvia L. Ossa – embarcação que afundou em um furacão a oeste das ilhas Bermudas.

1978 – SS Hawarden Bridge – embarcação que foi encontrada abandonada no triângulo.

1980 – SS Poet – embarcação que afundou em um furacão no triângulo. Transportava grãos para o Egito.

1995 – Jamanic K – cargueiro que afundou no triângulo, depois de sair de Cap-Haïtien.

1997 – Iate – É encontrado um iate alemão.

1999 – Genesis – cargueiro que afundou depois de sair do porto de São Vicente; sua carga incluía 465 toneladas de tanques de água, tábuas, concreto e tijolos; informou de problemas com uma bomba um pouco antes de perder o contato. Foi realizada uma busca sem sucesso em uma área de 85.000 km² (33.000 milhas quadradas).

Outros eventos:

Um Cessna 172 é “caçado” por uma nuvem, o que resulta em funcionamento defeituoso de seus instrumentos, com conseqüente perda de posição e morte do piloto, como informaram os passageiros sobreviventes.

Um Beechcraft Bonanza voa para dentro de uma monstruosa nuvem cúmulo ao largo de Andros, perde o contato pelo rádio e logo recupera-o, quatro minutos depois, mas descobre que agora está sobre Miami, com mais vinte e cinco galões de gasolina do que deveria ter-quase exatamente a quantidade de gasolina que seria gasta pelo aparelho numa viagem Andros-Miami.

Um 727 da National Airlines fica sem radar durante dez minutos, tempo em que o piloto informa estar voando através de um leve nevoeiro. Na hora de aterrissar, descobre-se que todos os relógios a bordo e o cronômetro do avião perderam exatamente dez minutos, apesar de uma verificação da hora cerca de trinta minutos antes da aterrissagem.

Possíveis explicações para os desaparecimentos:

Explicações Cientificas e de ficção

Anomalias no campo eletromagnético do planeta Terra.

Restos de cristais da Atlântida, a cidade perdida.

Teoria conspiratória forjada para desenvolver reações no mundo da Guerra Fria

Alienígenas

Monstros marinhos

Roda-moinhos gigantes

Explicações Naturais

Variações nas Bússolas, provocadas por anomalias no campo eletromagnético da Terra.

Atos deliberados de destruição – causados por atos de guerra, pirataria ou traficantes.

Erros Humanos, furacões, ondas gigantes.

Hidrato de gás de metano – A comprovação desse gás na área mostra que ele poderia ser um dos causadores, já que esse gás diminui a densidade da água, fazendo o navio afundar.

No caso dos aviões, o gás metano poderia: Mudar a densidade do ar, descontrolar o altímero dando a sensação de estar subindo, alterar a taxa de oxigênio da gasolina.

Informações: Wikipedia

By Jânio

janeiro 14, 2010 Posted by | Arquivo X | , , , , , , | 26 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: