Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Cesar Ciello entra para a história da natação mundial.

brasileiro entra para a história.

brasileiro entra para a história.

O Brasil já teve o maior piloto de Fórmula Um do mundo, maior jogador de Futebol e, por incrível que possa parecer, até o melhor jogadodor de Tênis.

O esporte é um mundo onde a tradição conta muito,  investimento e apoio, coisa que o Brasil desconhece, como vimos no caso da Ginástica.

Quando ganhamos uma medalha, quando ficamos entre os quize, vinte, vinte e cinco melhores do mundo, mostramos o nosso potencial, paradoxalmente, nossos problemas começam a aparecer também.

A medalha de ouro passa-nos a idéia de que somos um exército de um homem só, a idéia de que foi pura sorte; um caso único no mundo. A mesma história se repete.

O menino pobre que abdicou de sua própria vida para “tentar alguma coisa”, como ele costuma dizer, César Ciello, entra para a história da natação, não do Brasil, como estão dizendo, mas do mundo.

Quantas vezes você já ouviu falar de um nadador que ganha as duas provas mais rápidas da natação, 50 e 100 metros nado livre.

Quando ele conseguiu a façanha de bater o récorde dos 100m, foi uma façanha incrível, quando eu vi que os 100 não eram sua especialidade, como ele mesmo disse na olímpiada, onde ele ganhou nos 50 metros, a prova mais nobre da natação, comecei a sonhar.

Torci muito por ele, para que viesse a segunda medalha de ouro, caso raríssimo no esporte brasileiro, para qualquer modalidade, não só na natação.

Pude confirmar o que já havia escrito em outro artigo, a primeira medalha de ouro tira o peso da responsabilidade, sem falar que tudo parece contra, como aquela medalha de prata que, por pouco, Gustavo Borges quase não perdeu, por erro da organização, Vanderlei Cordeiro de Lima que foi agarrado na Maratona, a vara da atleta de salto em altura.

A teoria da conspiração esta sempre presente, mas, algumas vezes, fica muito na cara, não dá para evitar, como é o caso do atletismo e natação, onde a história é feita de tempo, de números, não dá para enganar.

Aos poucos o Brasil vais se firmando como um país de tradição na natação, mesmo tendo que treinar seus atletas fora do país, por falta de investimentos e apoio.

Faltando apenas dois anos para as olimpíadas, podemos continuar sonhando para que Ciello, o novo  fenômeno da natação, brasileiro, continue em plena forma. Eu poderia achar que isso é muito difícil, devido a quantidade de atletas que está sempre se superando, como foi a ausência de Michael Phelps nos pódios deixando mais suspeitas, depois de alguns propeços em sua vida pessoal.

Apesar da grande probalidade de aparecimento de grandes atletas nos próximos anos, a grande verdade é que Cesar Ciello não teve sorte em Pequim, também não foi o seu auge, como se pode constatat hoje, ele está em franca evolução.

É difícil escrever alguma coisa, quando se está emocionado, hoje Cesar Ciello passa a ser o nadador mais famoso do mundo, tamanha sua façanha, tamanha a importância das duas provas mais mais velozes da natação.

Eu fiquei fazendo as contas aqui, 21,08s em 50 metros, isso dá mais de dois metros por segundo, até andando é difícil seguir o nadador mais rápido do mundo.

…e temos mais um grande exemplo de superação, para que jovens se espelhem nele, e mesmo que a maioria não tenha nem condição de ver uma piscina em sua frente, pelo menos que sirva de incentivo para quem tiver esse previlégio.

Parabéns Ciello, parabéns Ciello, duas vezes, duas medalhas de ouro, duas vezes o melhor do mundo. Agora você passa a ser medalhista olímpico e mundial, além de recordista, feito inédito para a natação, por um brasileiro.

by jânio

agosto 1, 2009 Posted by | esportes | , , , , | 4 Comentários

O valor de uma medalha de ouro de Cesar Ciello.

a raça brasileira.

a raça brasileira.

Ganhar uma medalha de ouro em uma olimpíada, pode ser um feito gigantesco para um país desorganizado e corrupto como o Brasil, mas ganhar uma medalha de ouro em uma única categoria e ainda bater o recorde mundial, isso faz qualquer atleta chorar.

Foi isso o que aconteceu com o nadador Cesar Ciello, hoje, depois de o Brasil ganhar a medalha de prata ontem, com um outro nadador fantástico, Felipe França, nos 50 metros peito, o Brasil volta a ter uma super equipe de natação e figurar entre as melhores equipes de natação do mundo.

A última vez que o Brasil teve uma equipe assim, foi com Gustavo Borges  e Fernando Scherer, o Xuxa, onde os dois impunham respeito e ainda se davam ao luxo de conseguir grandes marcas, elevando o prestígio do Brasil. O feito daquela geração só não foi maior porque na olimpíada não tiveram o mesmo desempenho do mundial.

A história de Cesar Ciello foi inversa, ele ganhou justamente a medalha de ouro na olimpíada primeiro, e ficou muito próximo do recorde, recorde, esse, que foi quebrado hoje.

Para se ter uma ideia do que é a quebra de um recorde, quando um atleta ganha uma medalha de ouro, muitas vezes isso acontece pelo fato de o recordista mundial, ou olímpico, estar contundido, ou algum outro problema, típico desta luta constante contra os limites do próprio corpo.

Quando o atleta bate um recorde, dissipa-se a dúvida, a consagração do atleta é total, ele não venceu um guerreiro caído, ele é o maior agora.

O Brasil precisa comemorar, é claro, e agradecer a Universidade americana onde Ciello treina e estuda, sem ela, certamente a tarefa seria um pouco mais trabalhosa.

Bastou Ciello estabelecer o recorde para a ladainha começar, isso eu vi ha muito tempo, quando Joaquim Cruz quebrou o recorde dos 800 metros rasos, no atletismo. Estaria o homem atingindo os seus limites.

Ciello respondeu em poucas palavras – “Limite não existe” – de fato, ninguém melhor do que ele para expressar o sentimento de um atleta.

Tiago Pereira ficou com quarto lugar, ao todo foram, até agora três quartos lugares, muito próximos de medalhas, mostrando que esta geração pode evoluir muito, principalmente no revezamento.

Parabéns Ciello, você faz parte dos brasileiros que ainda dão esperança a nossa raça, e nos faz esquecer as muitas desventuras de um povo sofrido, que luta contra a criminalidade, contra a corrupção e contra a injustiça social, nossa luta inglória do dia-a-dia.

Lembrando apenas que na olimpíada de Pequim, Cesar Ciello ganhou a medalha de ouro nos 50 metros livre, nos 100 livre ele disse que não era sua especialidade, Michael  Phelps faturou na época. Desta vez, Ciello bateu o reacorde, justamente , nos 100 metros, o que aumenta ainda mais sua façanha.

Amanhã Ciello ainda disputará os 50 metros,  modalidade em que ele foi medalha de ouro em Pequim e na qual ele disse ser sua especialidade, se bem que muita água rolou desde então.  Pelo menos Ciello já está com uma medalha de ouro no peito, isso diminui o peso em suas costas.

by Jânio.

julho 31, 2009 Posted by | esportes | , , , , , , | 3 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: