Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Algas que combatem o aquecimento global

pesquisas de geoengenharia

Controle do CO2

Ao ser fertilizado com ferro, cresce o fitoplâncton nos oceanos que logo absorve o dióxido de carbono que provoca as mudanças climáticas.

Um estudo oceanográfico mostra que fertilizar os oceanos com ferro, faz crescer o fitoplancton que ao morrer absorve grande quantidade de dióxido de carbono, esfriando a Terra.

Isto conclui um estudo oceanográfico recentemente publicado na revista Nature.

Desde 2.004, os cientistas realizaram experimentos para o desenvolvimento, em grande escala, de algas no Oceano Antártico e descobriram que o ferro ajuda na fertilização, ajudando no crescimento rápido do fitoplâncton que ao morrer, absorve o dióxido de carbono responsável pelo aquecimento global.

A equipe do professor Victor Smetasek, do Instituto de Pesquisa Polar e Marinho, Universidade de Wegener, Alemanha, espalhou sete toneladas de sulfato de ferro em várias partes do Oceano Antártico, onde o nível de ferro era muito baixo. Em apenas uma semana havia já havia um grande crescimento de fitoplâncton. Três semanas mais tarde, começaram a morrer e seus restos foram para o fundo do mar onde absorveram dióxido de carbono (CO2).

De acordo com o oceanólogo John Cullen, este estudo serve para melhorar a compreensão dos processos bioquímicos que o clima influencia.

A equipe de Smetasek ressalta que este método de geoengenharia, no futuro, poderia absorver pouco mais de um giga toneladas (ou bilhões de toneladas) de CO2 por ano, quatro dos quais se acumulam na atmosfera. No entanto, apenas o bloqueio de parte do CO2 poderia afetar de forma significativa a mudança climática, alertam os especialistas.

Além disso, os investigadores opinam que o uso de ferro para esse fim seria muito mais barato que outros possíveis métodos de geoengenharia e reconhecem a necessidade de haver mais experiências para se obter resultados mais precisos.

Fonte: RT-TV

Geoengenharia

julho 22, 2012 Posted by | Ciências | , , , , , | 4 Comentários

A mídia americana mente para os americanos

aquecimento global

Efeito estufa

Uma pesquisa, realizada pela Centro Pew, nos Estados Unidos, constata que 35% dos americanos não considera o aquecimento um problema sério. A mesma pesquisa mostra que apenas 57% acreditam que o aquecimento esteja acontecendo; no ano passado, a mesma pesquisa mostrava que 71% acreditava no fenômeno de aquecimento global

Essa pesquisa confirma uma desconfiança minha, em relação a mídia americana. As empresas americanas de comunicação estão mostrando mentiras, relacionadas ao efeito estufa.

Nos estados Unidos, berço do capitalismo, os interesses das grandes empresas capitalistas, patrocinadoras da mídia, estão evitando que notícias alarmantes veiculem pelo país. Isso explica, por exemplo, a queda de 71% para 57% de crença no aquecimento da Terra.

O acordo de Copenhague não saiu, foi um fracasso, para o mundo inteiro. Nos Estados Unidos, a imprensa divulgou que houve o acordo tão esperado, acredito que foi esse tipo de decisão, de acordo, que levou os americanos a invadirem o Iraque, passando por cima das decisões da própria ONU.

O mais interessante é que o Brasil, considerado peça chave no acordo, na negociação, não faz sequer parte do Conselho de Segurança da ONU.

O interesse dos americanos, sempre dependeu da anarquia dos países em desenvolvimento. com o surgimento de novas potências emergentes, como China e Índia, os EUA perderam seu poder paternalista, para não falar imperialista, que tinham.

O golpe militar de 64, a ditatura de Vargas, tudo tinha o aval dos EUA. Já a eleição de Lula mostrou, pela primeira vez, o apoio da China, frente a grandes instituições mundiais, como o FMI e o Banco Mundial.

Cerca de 60%, dos 51% que acreditam no aquecimento da Terra, não acreditam que isso seja provocado pelo homem. Na América, ainda há a crença na perfeição do sistema e, caso aconteça alguma desgraça na Terra, eles nem notaram, anestesiados pelos filmes pós-apocalípticos.

Morreram todos acreditando que o governo encontrará uma saída, enquanto o governo estará embarcando em algum foguete, para sobreviver mais algumas horas.

By Jânio

dezembro 21, 2009 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , | 20 Comentários

Quando tudo estiver perdido

Ultima saída

A hora do fim

Há duas hipóteses a serem analisadas, sobre o pensamento humano:

Quando o homem pensa – Na primeira hipótese, surgem os problemas quando o homem começa a pensar. Sem nenhuma capacidade crítica, o homem expõe o mundo a situações críticas, devido a pensamentos elitizados, interesseiros, onde a ambição direciona-nos a destruição total do planeta.

Quando o homem não pensa – Se a elite tem tanta facilidade, para impor sua verdade, é sinal que noventa por cento não estão pensando, ou estão sendo manipulados, pela mídia ou outras formas de comunicação.

O fato é que todos os problemas da sociedade, de certa forma, resultam de falta de planejamento estratégicos, onde a classe média desempenha um papel chave. Enquanto a classe média for manipulada, nada será resolvido, nem os problemas sociais, nem problemas mais sérios, como é o caso do aquecimento global, que também é um problema da sociedade.

Por outro lado, os cientistas já criaram um plano b, em caso de o planeta estar totalmente sem alternativas de sobrevivência. Situações desesperadas, requerem medidas desesperadas.

Assim surgiu a Geoengenharia, que não deve ser confundida com Geotécnica, Geologia ou Geofísica. A Geoengenharia é uma ciência que estuda formas de combater o aquecimento global, o efeito estufa, provocado pela emissão de gases na atmosfera.

Recentemente, até o arroto do gado foi incluído na lista de emissões de gases nocivos à atmosfera. Pensando nisso já está em fase de pesquisa, a criação de uma carne sintética, para quem, realmente, não consegue ficar sem comer carne.

Está sendo testado, também, a possibilidade de se usar os vulcões no combate ao aquecimento global. Recentemente, com a erupção de vulcões, verificou-se a possibilidade do uso desse fenômeno em prol da habitabilidade na Terra.

O uso de aerossóis de enxofre estratosféricos, a criação de árvores artificiais e fertilização de ferro nos oceanos, tudo isso está em fase de pesquisas, pela Geoengenharia.

Um grande problema que surge em meio a discussão, é o fato de a Geoengenharia ser vista como uma eventual solução, o que provocaria um efeito moral negativo nos países ricos, desencorajando os avanços nos acordos ligados a mudanças climáticas, aquecimento global.

A complexa ciência Geoengenharia envolve conhecimentos de: Química Atmosférica, Ecologia, Meteorologia, Biologia Vegetal, Aeronáutica, Arquitetura Naval, Balística, Gestão de Riscos e Investigação Operacional.

O homem ainda não domina todos esses conhecimentos, portanto, não tem domínio da Geoengnharia, nem tem tempo para isso. O Uso da Geoengenharia pode desencadear efeitos inesperados no clima e no Planeta, assim como nas mudanças climáticas, na Geoengenharia haverá um preço caro a se pagar, talvez o preço seja caro demais para a vida no planeta.

As organizações interessadas na Geoengenharia são: NASA, Royal Society, Institute of Mechanical Engineers. Organizações ambientais como Amigos da Terra e Greenpeace alertam para o fato da Geoengenharia enfraquecer acordos de redução de gases de efeito estufa na atmosfera, além de não serem totalmente conhecidos os efeitos colaterais.

Os efeitos de escurecimento global para a redução de luz solar na Terra, são observados através de erupções vulcânicas e, ironicamente, incêndios de florestas, enquanto que outras idéias, como o teto legal ou pavimentação de superfícies. onde o mundo ficaria todo pintado de branco, para refletir os raios do sol, a mesma função dos pólos árticos e antárticos, através de suas geleiras. Nesse caso, a luz do sol seria refletida na Terra, através de um mundo completamente pintado de branco.

O uso de tubos verticais no oceano para misturar águas profundas mais frias e água quente de superfície tem sido proposto. Esta tecnologia também tem sido sugerido para o rompimento de furacões por Bill Gates e outros em um recente pedido de patente.

Duas constatações observadas.

O tempo continuará sendo um elemento importante, no caso de considerar-se a Geoengenharia.

Além do fato de os cientistas mais importantes reconhecerem que o futuro é incerto, não dá para prever a reação do Planeta, exceto pela avaliação do que já está acontecendo, ainda há o fato de interesses econômicos, onde cria-se uma expectativa manipulada, evitando-se que a população, dos países mais ricos, tome conhecimento da verdade, como sempre foi feito, desde que o mundo é mundo.

A Geoengenharia, por mais eficiente que se possa se transformar, através de suas atuais técnicas, e novas técnicas a serem descobertas, deverá ser usado apenas como medida estratégica, conscientes de seus efeitos colaterais.

Dessa vez, não haverá tempo para manipulações da opinião pública, todas as alternativas possíveis, são acompanhadas de riscos e efeitos inesperados. De um jeito, ou de outro, todos pagaremos o preço por destruir a camada de ozõnio da Terra.

By Jânio.

dezembro 18, 2009 Posted by | Reflexões | , , , , , , , | 12 Comentários

Até mulheres viram moeda, na tragédia indiana.

sinais de aquecimento global

sinais de aquecimento global

O mundo começa a sentir os efeitos do aquecimento global, segundo cientistas, responsável por trinta por cento dos problemas relacionados a seca.

As velhas idéias de deserto, como o Saara, estão começando a se tornar comum em lugares onde isso não era observado.

O país que mais sofre com a seca, é a Índia. A tragédia da seca, na Índia, pode ser comparada a partes de textos do apocalipse da Bíblia, legião estrangeira ou filmes pós-apocalípticos, nada que tenhamos visto igual.

As poucas reservas de água, na região de seca, são guardadas por homens armados. As pessoa mais pobres não tem condições de adquirir equipamentos para retirar água do subsolo.

Agricultores endividados, são vítimas de agiotas inescrupulosos que em troca costumam pegar a própria família do devedor inadimplente. Há registro de um caso de um homem que, para pagar uma dívida, cedeu sua esposa para trabalhar em troca da dívida, o problema é que a mulher não retornou.

Há também registros de suicídios de camponeses endividados, arruinados, que não suportaram a situação.

As chuvas que costumam vir entre junho e setembro, não chegaram, desencadeando uma onda de desespero na classe mais sofrida em todo o mundo, a classe de agricultores.

O setor agrícola, apesar de não ter a maior influência no PIB indiano, apenas 17%, é responsável pelo sustendo de 60% da população, só isso já seria motivo para uma das maiores tragédias que o país já viveu, mas ainda tem os efeitos sobre os preços dos produtos, o que deve piorar ainda mais a situação do país.

A Índia, como nós sabemos, faz parte da BRIC, países emergente, possui a vanguarda de uma parte da tecnologia que nem a China possui, mas, como o Brasil, ou pior, é cheia de contrastes, de um lado uma grande massa de pessoas pobres, de outro, poucos ricos, criando uma instabilidade cruel, típica de sistemas capitalistas.

A índia é apenas um exemplo de problemas que vem sendo observados, além da desertificação, provocado pelo aquecimento global, que já ameaça quase a metade dos países do planeta Terra.

By Jânio;

outubro 24, 2009 Posted by | Internacional | , , , , , , , | 2 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: