Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Aprendizado de inglês

 

O QUE SIGNIFICA APRENDER
INGLÊS
?

 

Ricardo
Schütz

26 de outubro de 2007

Assim como você pode ser um bom motorista
sem saber qual é a diferença entre um motor diesel e outro a gasolina, assim como
conseguimos nos expressar bem em português sem sabermos o que é uma oração subordinada,
você pode também falar línguas sem ter que estudá-las.

A expressão “aprender inglês” está tão
batida e surrada, que já não tem um significado muito claro e não resiste a uma
análise mesmo superficial.

  • Se “aprender inglês” significa conhecer sua
    estrutura, saber formar frases interrogativas e negativas no seu caderno sem
    errar, decorar os verbos irregulares, algum vocabulário, e até transformar frases
    para a voz passiva, então você já aprendeu no 2° grau e não precisa mais se
    preocupar – está pronto para este novo século.
  • Se “aprender inglês” significa memorizar
    frases e expressões de forma mecânica e repetitiva, terminar o Livro
    X
    do Cursinho Y, ou ter um certificado do Cursinho Z,
    muitos de vocês também já estão prontos.
  • Entretanto, se “aprender inglês”
    significa falar com naturalidade, sentir-se à vontade na presença de estrangeiros,
    acompanhar filmes e as notícias da BBC ou da CNN, ter acesso a toda informação
    disponível na Internet, argumentar, defender seus pontos de vista, comprar e vender em
    inglês, construir laços de amizade ou namorar em inglês, funcionar como um ser humano
    normalmente funciona em sociedade, conhecer os costumes e as diferenças culturais,
    notar quando alguém fala com sotaque, então talvez você não esteja ainda pronto
    para este século.

No 1° caso acima, “aprender inglês”
significa armazenar informações e conhecimento a respeito da estrutura gramatical
da língua na sua forma escrita predominantemente.

No 2° caso, significa marchar no compasso
de um plano didático predeterminado, memorizando vocabulário, frases e expressões
de forma mecânica ou repetitiva em contextos fora da realidade do aluno. O pensamento
continua a se estruturar nas formas da língua materna, e o esforço é todo dirigido
a traduzir rapidamente. O aluno dificilmente alcançará espontaneidade na comunicação.

No 3° caso, significa desenvolver
habilidade funcional. É o que a lingüística moderna denomina de language
acquisition
– assimilação natural. É um processo equivalente ao de assimilação
da língua materna pelas crianças. É reaprender a estruturar o pensamento, desta vez
nas formas de uma nova língua. Usa-se mais os ouvidos do que os olhos e cada um
desenvolve de acordo com seu próprio ritmo, num processo que produz habilidade
prática, comunicação criativa, e não necessariamente conhecimento. É comportamento
humano, fruto de convívio, de situações reais de interação em ambientes da cultura
estrangeira. O aprendiz é protagonista e não espectador, e sua realidade faz parte
do contexto em que a comunicação ocorre. Ensino e aprendizado são vistos como
atividades que ocorrem num plano pessoal-psicológico.

Portanto, quando pensamos em “aprender
inglês” precisamos entender exatamente o que queremos para saber onde buscá-lo.

 


COMO APRENDER INGLÊS


 

Momento e lugar são os dois principais fatores determinantes. Quanto
ao lugar, há dois caminhos: no exterior ou no Brasil. Quanto ao momento, pode variar desde a infância, até a terceira
idade.

Sem dúvida, no exterior o aprendizado é mais eficaz, mas em
muitos casos demasiadamente caro ou inviável por outros motivos. Já no Brasil, as possibilidades de aprendizado eficaz
são mais escassas e há necessidade de mais cuidado na escolha.

Quanto ao momento, quanto antes melhor. A assimilação de línguas
é um processo paralelo ao desenvolvimento cognitivo da pessoa. O ser humano perde gradativamente a facilidade de assimilar
línguas à medida que se desenvolve e amadurece.

As situações descritas abaixo representam, por ordem de preferência,
aquelas que proporcionam aprendizado máximo (mais rápido e mais completo).

N

O

 

E

X

T

E

R

I

O

R

1) Na infância, por fatores circunstanciais,
você vive com sua família em país de língia estrangeira, freqüentando escola e convivendo
com crianças da mesma faixa etária e, ao longo de sua vida, mantém contato com a língua.
É uma das formas mais perfeitas de aprendizado.
2)
Aos 17 ou 18 anos você participa de um programa de intercâmbio em país de língua
inglesa, de preferência com duração de 10 meses. Em todos os ambientes em que
convive (familiar, escolar, social) não há conterrâneos. É a outra forma mais perfeita
de imersão e de aprendizado. Veja aqui mais sobre intercâmbio
para adolescentes em high shool
.
3)
Assim que você conclui sua carreira acadêmica, participa de um programa de estágio
remunerado para aperfeiçoamento profissional, em país de língua inglesa, de preferência
com duração mínima de 6 meses. Nos ambientes que freqüenta não há conterrâneos.
Leia aqui sobre estágios remunerados no exterior.
4)
Em qualquer momento de sua carreira profissional, você participa de um programa
de desenvolvimento profissional junto à matriz da empresa multinacional em que
trabalha, em país de língua inglesa – obviamente, longe de conterrâneos.
5)
A qualquer momento em sua vida (quanto antes melhor) você participa de um programa
de ESL (intercâmbio para estudo de inglês) em país de língua inglesa. Quanto maior
a duração do programa, tanto melhor. Veja aqui mais sobre programas
de ESL/EFL (intercâmbio p/ adultos)
.

 

N

O

B

R

A

S

I

L

6)
Quando jovem, você tem a felicidade de fazer o ensino fundamental e médio numa
escola internacional como as encontradas nos grandes centros,
onde cerca da metade das disciplinas são ministradas em inglês, por
professores falantes nativos. Tais escolas oferecem um ambiente de language acquisition
quase perfeito, uma vez que o inglês se constitui não em objeto de estudo, mas
sim em instrumento de estudo. Veja aqui uma lista de escolas
internacionais no Brasil
.
7)
Você trabalha numa empresa multinacional e, em seu ambiente de trabalho (por exemplo:
departamento de exportação), fala-se predominantemente inglês.
8)
Você participa de um grupo pequeno de conversação de inglês com um instrutor com
plena competência lingüística e cultural, hábil em construir relacionamentos e
improvisar atividades voltadas às necessidades e aos interesses do aprendiz. Veja
aqui como escolher um bom programa de inglês no Brasil
e como identificar o bom instrutor
.
9)
Você freqüenta ambientes como bares, clubes recreativos ou desportivos, freqüentados
também por estrangeiros, onde você encontra ocasionalmente oportunidades de confraternizar
com essas pessoas em inglês. Uma iniciativa desse tipo muito interessante, por
exemplo, é a do English Club Brazil
– um grupo de pessoas falantes nativas de inglês e brasileiros também falantes
de inglês que reúnem-se informalmente no Finnegan’s Pub, um bar na cidade de São
Paulo.
10)
Você é autodidata e se dedica, com muito esforço e força de vontade, à prática
de escutar músicas, ouvir gravações, assistir filmes, e à leitura de textos,
tudo em inglês. Exemplo de material útil: o site Voice
of America Special English
(com texto e arquivos MP3 que podem ser baixados
gratuitamente), o site do British Council denominado Listening
Downloads
, ou
a revista Speak Up com seu respectivo CD.

Frases com to bring down

Inglês – inversão do sujeito e verbo

Irregular verbs – Verbos irregulares 2

Passado dos verbos irregulares

Números em inglês

Verbos to wash e to brush

Pronúncia dos pronomes

Inglês – partes do corpo

Frases em inglês iniciante

Verbos to be e to want

Pronúncia escrita de palavras

Pronúncia escrita de músicas

Verbos irregulares

Plural de palavras inglesas

To bring back

To break in

To break down and To break up

To break away

To break of

Pronúncia e tradução – Letras U V Y

Tradução e pronúncia – Palavras em T

Tradução e pronúncia – Letra s

Tradução e pronúncia – Letra R

Tradução e pronúncia – Letra P

Traduçao e pronúncia – Letra O

Tradução e pronúncia – Letra N

Tradução e pronúncia – Letra M

Tradução e pronúncia – Letra L

Tradução e pronúncia – Letra I

Tradução e pronúncia – Letra H

Tradução e pronúncia – Letra G

Tradução e pronúncia – Letra F

Tradução e pronúncia – Letra E

Tradução e pronúncia – Letra D

Tradução e pronúncia – Letra C

Tradução e pronúncia – Letra B

Tradução e pronúncia – Letra A

Pronúncia e tradução de músicas

Dicionário de inglês 2 – S

Frases em inglês 2 -R

Pronúncia de frases de inglês 2 – P

Dicionário de pronúncia inglês 2 – O

Dicionário de pronúncia inglês 2 – N

Dicionário de inglês com frases 2 – M

Dicionário de pronuncia escrita inglês 2 – L

Frases em inglês 2 – JK

Pronúncia escrita de frases 2 – I

Pronúncia e tradução de palavras inglesas  2 – H

Lista de palavras inglesas 2 – G

Dicionário de inglês 2 – f

Vocabulário de inglês 2 – E

Dicionário de inglês 2 – D

Dicionário inglês II – C

Inglês – Segunda fase B

Inglês segunda fase A

 

 

abril 26, 2014 Posted by | Inglês | , , | 53 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: