Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

PF apreende bloqueador de telefone e lista de cargos em casa de Aécio

André Richter – Repórter da Agência Brasil*

A Polícia Federal (PF) encontrou um bloqueador de sinal telefônico e uma lista de indicações para cargos federais nas operações de busca e apreensão realizadas na semana passada na casa e no gabinete do senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG). Os mandados foram expedidos pelo ministro Edson Fachin na Operação Patmos.

No apartamento do senador, no Rio de Janeiro, foram apreendidos um bloqueador de telefone, 15 obras de arte, diversos documentos, entre os quais um papel azul com senhas, além de diversos “comprovantes de depósitos e anotações manuscritas, dentre elas a inscrição “cx 2”. A polícia não deu detalhes da inscrição e anotações.

Os relatórios das apreensões da PF foram anexados hoje (26) ao inquérito no qual Aécio Neves é investigado no Supremo com base nas delações premiadas dos irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS.

De acordo com os policiais, foram apreendidas no gabinete do senador planilhas que teriam nomes de indicados para cargos federais, com referência aos partidos que fizeram as indicações e à remuneração, além de uma agenda com marcação de reuniões com Joesley Batista e uma folha manuscrita com dados da empreiteira Odebrecht. Os celulares do senador também foram levados pelos policiais.

Nos depoimentos de delação premiada, Joesley Batista afirma que pagou R$ 2 milhões a Aécio e que a contrapartida seria a indicação para um cargo na Vale, que não se concretizou. Os executivos afirmam também que pagaram propina ao senador durante a campanha presidencial de 2014, com a expectativa de que ele atuaria a favor da empresa posteriormente, se fosse eleito presidente.

Na terça-feira (23), em vídeo publicado nas redes sociais, Aécio classificou de “injustificáveis” as operações que tiveram como alvo ele e sua família, resultando na prisão de sua irmã, Andrea Neves, e seu primo Frederico Pacheco.

“Eu reafirmo aqui, de forma definitiva: não cometi crime algum. Minha irmã Andrea não cometeu crime algum. Meu primo Frederico não cometeu crime algum. São pessoas de bem, que sofrem hoje com a injustiça das sanções que lhes foram impostas”, disse o senador.

Por meio de nota, o advogado do senador Aécio Neves, Alberto Zacharias Toron, disse lamentar “que citações sem qualquer informação real sobre a que se referem ou mesmo alguma contextualização que permita o seu devido esclarecimento estejam sendo divulgadas para a imprensa por agentes públicos envolvidos na investigação em curso”.

“Ainda assim, asseguramos que uma eventual referência a CX 2 não significa qualquer indício de ilegalidade. O senador Aécio reitera que em toda sua vida pública, nas campanhas de que participou, agiu de acordo com o que determina a lei.”

De acordo com o advogado, o senador está à disposição da Justiça para ser ouvido e esclarecer o que for necessário.

*Colaborou Iolando Lourenço
A matéria foi alterada às 19h36 para inclusão do posicionamento da defesa do senador Aécio Neves

Edição: Davi Oliveira
 
 

maio 28, 2017 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Delação aponta mais de R$ 60 milhões pagos em propina a Aécio

delação sem prêmios

Lista de Escândalos

Empresários da JBS disseram ao Ministério Público, em delação premiada, que pagaram pelo menos 60 milhões de reais em propina para o senador Aécio Neves, do PSDB de Minas Gerais, no ano de 2014.
Aécio teria recebido os recursos para atuar em favor dos interesses da holding  J&F.

Segundo o empresário Ricardo Saud, o tucano teria ajudado a liberar créditos de mais de R$ 20 milhões de reais de ICMS, o imposto sobre circulação de mercadorias e serviços.

 

E de acordo com o empresário Joesley Batista, uma conversa gravada com Aécio Neves no dia 24 de março deste ano em um hotel em São Paulo comprova que o tucano também teria recebido R$ 2 milhões de reais em propina para aprovar a lei de abuso de autoridade e anistia ao caixa DOIS.

Por causa da delação, O Ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, determinou a suspensão do mandato de Aécio, além de proibir a saída dele do país e qualquer comunicação com investigados ou réus.

 

O primo de Aécio Neves, Frederico Pacheco de Medeiros e a irmã do senador afastado, Andréa Neves, foram presos nessa quinta-feira (18) em operação da Polícia Federal.

Em nota, a assessoria de Aécio afirma que não existe qualquer ato dele como parlamentar ou presidente do PSDB que possa ter colocado qualquer empecilho aos avanços da Operação Lava Jato, e que, como presidente do partido, Aécio Neves foi um dos primeiros a apoiar a operação.

rádioagêncianacional
 

maio 19, 2017 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

Corrupção de Temer e Cunha é o maior escândalo da Lava a Jato

maio 18, 2017 Posted by | Policia | , , , , , | 1 Comentário

Aécio Neves cheira cocaína – Kajuru

Aécio

dezembro 17, 2016 Posted by | Política | , , | Deixe um comentário

A história obscura de Aécio Neves

novembro 23, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

As peripécias de Aécio Neves

A história de Aécio Neves

Homem Blindado

setembro 21, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Política obscura de Aécio

delação sem prêmios

Lista de Escândalos

setembro 20, 2016 Posted by | Política | , , , , | Deixe um comentário

Sérgio Machado e o PSDB

junho 27, 2016 Posted by | Política | , , , , , , , | Deixe um comentário

Como Aécio Neves foi eleito

André Richter e Mariana Jungmann – Repórteres da Agência Brasil

O ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, um dos delatores da Operação Lava Jato, disse que repassou ao senador Aécio Neves (PSDB-MG) recursos para viabilizar a candidatura dele à presidência da Câmara dos Deputados em 1998. Na época, Machado era senador e ocupava o posto de líder do partido no Senado.

De acordo com o delator, parte dos recursos foram obtidos no exterior. “Os recursos foram entregues aos próprios candidatos ou a seus interlocutores. Que a maior parcela dos cerca de R$ 7 milhões arrecadados à época, foi destinada ao então deputado Aécio Neves, que recebeu R$ 1 milhão em dinheiro. Que, com frequência, Aécio recebia esses valores através de um amigo de Brasília que o ajudava nessa logística”, acrescentou trecho do depoimento.

De acordo com o delator, à época o então presidente do PSDB, senador Teotônio Vilela (AL), e Aécio, então deputado federal, definiram “um plano de eleger a maior bancada federal” para viabilizar a candidatura à presidência da Casa. Segundo Machado, a forma encontrada foi ajudar financeiramente cerca de 50 deputados se elegerem.

Nota

Em nota, o senador Aécio afirmou que as acusações de Machado são falsas e covardes para ganhar os benefícios da delação premiada.

“Qualquer pessoa que acompanha a cena política brasileira sabe que, em 1998, sequer se cogitava a minha candidatura à presidência da Câmara dos Deputados, o que só ocorreu muito depois. Essa eleição foi amplamente acompanhada pela imprensa e se deu exclusivamente a partir de um entendimento político no qual o PSDB apoiaria o candidato do PMDB à presidência do Senado e o PMDB apoiaria o candidato do PSDB à presidência da Câmara dos Deputados. A afirmação feita não possui sequer sustentação nos fatos políticos ocorridos à época”, disse o senador.

PSDB

O PSDB também divulgou nota afirmando que “as delações premiadas são uma conquista da sociedade e não podem se transformar em acusações sem provas, em instrumento de manipulação da verdade e em esconderijo de interesses inconfessáveis de criminosos.”.

“O PSDB repudia as falsas acusações feitas pelo delator Sérgio Machado, envolvendo lideranças do partido. As mentiras ditas e que fazem referência a nomes do PSDB na articulação e recebimento de recursos de caixa 2, na campanha eleitoral de 1998, são afirmações feitas no desespero de quem está tentando se livrar da responsabilidade pelos crimes que cometeu”, afirmou o texto.

O partido considerou ainda que as delações de Sérgio Machado são “afirmações descabidas e contraditórias, que não guardam qualquer relação com os fatos políticos da época”. A nota reiterou que o partido “confia que as investigações revelarão a verdade dos fatos, assim como os interesses dos que se escondem por trás das calúnias”.

* Matéria alterada às 20h20 para inclusão de novas informações.

Edição: Armando Cardoso

junho 15, 2016 Posted by | Política | , , , , , , | Deixe um comentário

Gilmar autoriza inquérito contra Aécio e Paes

 protógenes
André Richter – Repórter da Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes autorizou hoje (6) abertura de novo inquérito para investigar o senador Aécio Neves (PSDB-MG). Com a decisão, também será investigado o ex-deputado e atual prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (PMDB) e o ex-governador de Minas Gerais Clésio Andrade (PSDB). Eles serão investigados a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

A investigação está baseada em um dos depoimentos de delação premiada do ex-senador Delcídio do Amaral. Segundo o ex-parlamentar, em 2005, durante os trabalhos da Comissão Parlamentar Mista de Inquéritos (CPMI) dos Correios, criada para investigar denúncias da Ação Penal nº 470, o processo do mensalão, Aécio Neves, então governador de Minas Gerais, “enviou emissários” para barrar quebras de sigilo de pessoas e empresas investigadas, as quais o Banco Rural.

Segundo Delcídio, um dos emissários era Eduardo Paes, então secretário-geral do PSDB. Conforme relato do ex-senador, o relatório final da CPMI foi aprovado com “dados maquiados” e Paes e o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) também tinham conhecimento dos fatos.

“Outros parlamentares também sabiam que esses dados estavam maquiados, podendo citar os deputados Carlos Sampaio e Eduardo Paes, já mencionado, dentre outros que não se recorda. Esses fatos ocorreram em 2005/2006. Esse tema foi tratado com Aécio Neves em Belo Horizonte, no palácio do governo”, diz trecho da delação do senador.

Carlos Sampaio

Inicialmente, a PGR pediu a inclusão do deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) nas investigações, mas o pedido foi rejeitado por Gilmar Mendes. O ministro entendeu que, mesmo citado no depoimento de Delcídio, a inclusão dele nas investigações é prematura.

“Delcídio do Amaral limitou-se a dizer que o parlamentar tinha ciência da omissão das informações financeiras. Não há narração de qualquer contribuição ativa de Carlos Sampaio para os fatos. Tampouco há uma explicitação da razão que levou Delcídio do Amaral a crer que Carlos Sampaio efetivamente tinha conhecimento dos fatos”, argumentou o ministro.

Outro lado

O pedido de investigação foi feito pelo procurador-geral da República no dia 4 de maio. Em nota, o senador Aécio Neves declarou que nunca interferiu nas investigações da CPMI. “O senador Aécio Neves renova sua absoluta convicção de que os esclarecimentos a serem prestados demonstrarão de forma definitiva a improcedência e o absurdo de mais essa citação feita ao seu nome pelo ex-senador Delcídio. O senador jamais interferiu ou influenciou nos trabalhos de qualquer CPI. As investigações isentas e céleres serão o melhor caminho para que isso fique de uma vez por todas esclarecido.”

Por meio de nota, Clésio Andrade declarou que não vai se pronunciar por não ter conhecimento da decisão. No entanto, ele afirmou que as delações parecem cumprir outra missão: “servir de instrumento de desequilibro político”.

Eduardo Paes disse reafirmou que está à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos. O prefeito também disse que Aécio Neves nunca pediu qualquer benefício nas investigações da CPI dos Correios.

Aécio é alvo de uma segunda investigação no Supremo autorizada pelo ministro Gilmar Mendes. Na investigação, Janot cita supostos crimes cometidos pelo senador em Furnas, empresa subsidiária da Eletrobras. O pedido também cita declarações de Delcídio do Amaral. Aécio recebia “pagamentos ilícitos”, pagos, segundo ele, pelo ex-diretor de Furnas Dimas Toledo.

Sobre a investigação de Furnas, em nota divulgada na semana passada, Aécio Neves disse que compreende o papel do Ministério Público em dar prosseguimento às investigações, mas que tem a convicção de que sua inocência será provada. “Tenho a absoluta convicção de que, ao final, ficará provado mais uma vez a minha inocência, como já aconteceu no passado, o que levou, inclusive, ao arquivamento dessas mesmas acusações”, disse o senador.

Edição: Juliana Andrade
Comentário: estou publicando esse texto só por publicar mesmo, todos nós sabemos que o Gilmar não queria esse processo, inclusive engavetou duas vezes o processo. Se ele autorizou foi porque o  procurador Janot pediu para a polícia investigar à revelia do STF.
Rodrigo Janot tem muita coragem porque a ordem era derrubar os partidos aliados do PT, tanto que Sérgio Moro nem sequer citou nomes do PSDB e de seus antigos aliados, e eu digo antigos porque o PSDB fez acordo com a Globo e finge ser aliado do governo do PMDB, mas as divulgações constantes de vazamentos contra o PMDB, deixam bem claro que o PMDB está com os dias contados. O PMDB terá sorte se sobreviver até o dia do julgamento da presidente Dilma.
Um possível golpe contra a presidente, o que está cada vez mais difícil, daria mais força para Temer e fará a máfia da Globo respeitá-lo.
Quanto ao ministro Gilmar Mendes, ele ficou famoso ao amanhecer na porta da delegacia para libertar o banqueiro Daniel Dantas. Depois disso, acusou o delegado de grampo telefônico, forçando o delegado da polícia federal a sair do país.
Não preciso dizer mais nada, né, gente?
Comentários by Jânio

junho 7, 2016 Posted by | Política | , , , , , , , | Deixe um comentário

Aécio Neves chama manifestantes para a briga

maio 27, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

Aécio Neves expulso na avenida paulista

maio 27, 2016 Posted by | Política | , , , | Deixe um comentário

   

%d blogueiros gostam disto: