Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

The living daylights A-ha

Living Daylights

Living Daylights

Hey driver, where’re we going?
Hey motorista, onde nós estamos indo?

I swear my nerves are showing
Eu juro (que) meus nervos estão transparecendo

Set your hopes up way too high
Colocou suas espectativas nas alturas

The living’s in the way we die
O (modo de) vida está na maneira como morremos

Comes the morning and the headlights fade away
Chega a manhã e os faróis diminuem ao longe

Hundred thousand people… I’m the one they blame
Cem mil pessoas… Eu sou o cara (que) elas culpam

I’ve been waiting long for one of us to say
Eu estive esperando muito (tempo) para que um de nós disesse

Save the darkness, let it never fade away
Salve as sombras, nunca deixe ela desaparecer

Ooh… In the living daylights
Ooh… Nas vivas luzes do dia

Ooh… In the living daylights
Ooh… Nas vivas luzes do dia

“In the living daylights…”
“Nas vivas luzes do dia…”

All right, hold on tight now
Tudo bem, segure firme agora

It’s down… Down to the wire
Na queda… Queda por um fio

Set your hopes up way too high
Colocou suas espectativas nas alturas

The living’s in the way we die
O modo de vida está na forma como nós morremos

Comes the morning and the headlights fade in rain
chega a manhã e os faróis desaparecem na chuva

Hundred thousand changes… Everything’s the same
Cem mil mudanças… e tudo está igual

I’ve been waiting long for one of us to say
Eu tenho esperado muito tempo para que um de nós dissesse

Save the darkness, let it never fade away
Salve-se na sombra, nunca a perca de vista

Ooh… In the living daylights
Ooh… Nas vivas luzes do dia

Ooh… In the living daylights
Ooh… Nas vivas luzes do dia

“In the living daylights…”
“Nas vivas luzes do dia..”

Ooh… In the living daylights
“In the living daylights…”

Comes the morning and the headlights fade away
Chega a manhã e os faróis desaparecem ao longe

Hundred thousand people… I’m the one they frame
Cem mil pessoas… e eu sou o cara que eles culpam

Ooh… In the living daylights
Ooh… Nas vivas luzes do dia

Ooh… In the living daylights
Ooh… Nas vivas luzes do dia

“In the living daylights…”
“Nas vivas luzes do dia…”

Set your hopes up way too high
Colocou suas expectativas nas alturas

The living’s in the way we die.
O sentido da vida está no modo como nós morremos

Set your hopes up way too high
Colocou suas expectativas de um jeito inalcansável

The living’s in the way we die…
O modo de vida está na forma como nós morremos

_____________________________________

Palavras em destaque:

Living – livinn – Vivificante, vivo, evidente, manifesto, modo de vida, subsistência, sustento.

While living – em vida

Down – dáunn – adv. e prep. – em baixo, para baixo, em descida, abaixo de, sob controle de, em estado menos ativo – Verbo trans. e intrans. – derrubar, subjugar, largar, descer, cair – adj.- em declive, desanimado, abatido – subst. – ferrugem (das aves), pêlo, fiapo, duna, colina (perto do mar), revés da fortuna, abaixo, senta, deita.

To go down the wind – ir em decadência

To lie down – deitar-se

To set down – mencionar, citar, notar, apontar.

wire – Uáir – fio elétrico, arame, telegrama, corda de instrumento musical – verbo – prender com arames, instalar fios elétricos, telegrafar.

Fade – fêid – murchar, desfinhar, desaparecer gradualmente, desbotar, desmaiar.

Fading – esmorecido, pálido, passageiro, fugaz, definhamento, desbotamento

Frame – frêimm – estrutura, composição, carcaça, esqueleto, construção, organização (do corpo), disposição do espírito, bastidor, caixilho, moldura, forma, figura, classe, banco de torneiro, formar uma estrutura, compor, inventar, dispor, arranjar, adaptar, enquadrar, fabricar, fazer versos.

Canções de 007

Cifras de James bond

Textos relacionados:

007 melhores músicas 90 – 2.000

Top canções 80 – 70

007 – A maior produção da história do cinema

dezembro 4, 2012 Posted by | Música. | , , , , , , | 2 Comentários

Nobody does it better – Carly Simon

nobody does it better

Carly Simon

Nobody Does It Better
Ninguém faz isso melhor

Makes me feel sad for the rest
Faz-me sentir triste pelo resto (do tempo)

Nobody does it half as good as you
Ninguém faz a metade tão bem quanto você

Baby you’re the best
Baby você é o máximo

I wasn’t looking
Eu não estava procurando

But somehow you found me
Mas, de algum modo, você me encontrou

I tried to hide from your lovelight
Eu tentei me esconder da luz do teu amor

But like heaven above me
Mas como os céus acima de mim

The spy who loved me
O espião que me amava

Is keeping all my secrets safe tonight
Está mantendo todos os meus segredos a salvo nesta noite

And nobody does it better
E ninguém faz isso melhor

Though sometimes I wish someone could
As vezes eu gostaria que alguém pudesse

Nobody does it quite the way you do
Ninguém consegue fazer isso exatamente do jeito que você faz

Why d’you have to be so good?
Por que você tem de ser tão bom?

The way that you hold me
O jeito que você me abraça

Whenever you hold me
Sempre que você me abraça

There’s some kind of magic inside you
Há algum tipo de magia dentro de você

That keeps me from running
Que me mantem (longe da ideia) de fugir

But just keep it coming
Mas só mantenha isso (a magia) vindo

How’d you learn to do the things you do
Como você aprendeu a fazer as coisas que você faz

And nobody does it better
E ninguém faz isso melhor

Makes me feel sad for the rest
Faz-me sentir triste pelo resto (das pessoas)

Nobody does it half as good as you
Ninguém faz a metade, tão bem quanto você

Baby baby darling
Baby, meu bem, querida

You’re the best
Você é a melhor

baby you’re the best
Meu bem, você é a melhor

Áudio da pronúncia 1

Áudio da pronúncia 2

Cifras e áudio

Canções de 007

novembro 9, 2012 Posted by | Música. | , , , , , , , , | 1 Comentário

Live and let die – Paul McCartney

paul McCartney

Live and let die

When you were young
Quando você era jovem

And your heart was an open book
E seu coração era um livro aberto

You used to say live and let live
Você costumava dizer “Viva e deixe viver”

You know you did
Você sabe que dizia

You know you did
Você sabe que dizia

You know you did
Você sabe que dizia

But if this ever changing world
Mas se este mundo sempre em mutação

In which we live in
No qual vivemos

Makes you give in and cry
Faz você se render e chorar

Say live and let die, live and let die
Diga “Viva e deixa morrer”

What does it matter to you
O que importa para você?

When you got a job to do
Quando você tem trabalho a fazer

Ya got to do it well
Você tem que fazer direito

You got to give the other fella hell
Você tem que mandar os outros pro inferno

You used to say live and let live
Você costumava dizer “Viva e deixe viver”

You know you did
Você sabe que dizia

You know you did
Você sabe que dizia

You know you did
Você sabe que dizia

But if this ever changing world
Mas se este mundo sempre em mutação

In which we live in
No qual vivemos

Makes you give in and cry
Faz você se render e chorar

Say live and let die, live and let die
Diga “Viva e deixa morrer”

———————————–

Áudio da pronúncia 1

Áudio da pronúncia 2

Áudio da pronúncia 3

Àudio da pronúncia 4

Canções de 007

Áudio da pronúncia 5

novembro 3, 2012 Posted by | Música. | , , , , , | 2 Comentários

007 – Operação skyfall

007 2.013

Operação Skyfall

Skyfall

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Dirigido por Sam Mendes

Produzido por Michael G. Wilson e Barbara Broccoli

Escrito por John Logan, Neal Purvis e Robert Wade

Baseado em James Bond de Ian Fleming

Estrelando:

Daniel Craig

Javier Bardem

Ralph Fiennes

Naomie Harris

Bérénice Marlohe

Albert Finney

Judi Dench

Música de Thomas Newman

Cinematografia – Roger Deakins

Edição – Stuart Baird

Estúdio – Eon Productions Danjaq LLC

Distribuído por Metro-Goldwyn-Mayer e Columbia Pictures

Tempo de duração – 143 minutos

País – Reino Unido

Linguagem – Inglês

Orçamento – 150 milhões dólares

Skyfall é o vigésimo terceiro filme de espionagem na Eon Productions para a série James Bond, produzido para a MGM, Columbia Pictures e Sony Pictures Entertainment. Daniel Craig está em seu terceiro filme como James Bond, e Javier Bardem é Raoul Silva, o vilão do filme. O filme foi dirigido por Sam Mendes e escrito por John Logan, Neal Purvis e Robert Wade.

Mendes foi convidado para dirigir o filme após o lançamento de Quantum of Solace, em 2008. No entanto, a produção foi suspensa quando a MGM teve problemas financeiros, e não recomeçou até dezembro de 2010. Durante este tempo, Mendes permaneceu ligado ao projeto como um “consultor”. Embora o roteirista original, Peter Morgan, tenha deixado o projeto durante a suspensão, logo que a produção foi retomada, Logan, Purvis e Wade continuaram a escrever o que seria a versão final do roteiro, inclusive incorporando idéias de Morgan nele.

As filmagens começaram em novembro de 2011, e foram realizadas, principalmente, no Reino Unido , China e Turquia.

O lançamento do filme coincidiu com o 50º aniversário da série, que começou com “Dr. No”, em 1962.

Quando uma operação em Istambul termina em desastre, James Bond desaparece e presume-se que ele esteja morto. É quando as identidades de cada agente secreto MI6, na ativa, vazam na internet. Na sequência, são levantadas questões sobre M, a capacidade de se executar o serviço secreto, e isso torna-se objeto de uma avaliação do governo, sobre a manipulação da situação.

Quando os agentes são atacados, o reaparecimento repentino de Bond dá a M o pretexto para procurar Raoul Silva, um perigoso vilão, alegando uma conexão pessoal com os dois – mas como ele segue uma trilha de Londres para o Mar da China Meridional, Bond logo encontra a sua lealdade em M, arriscando segredos de seu passado.

Elenco

O elenco principal de Skyfall foi oficialmente anunciado em uma conferência de imprensa realizada no Hotel Corinthia, em Londres, em 3 de novembro de 2011, 50 anos a partir do dia em que Sean Connery foi anunciado para interpretar James Bond no filme “Dr. No”.

Daniel Craig como James Bond, o agente 007. O diretor Sam Mendes descreveu Bond como sendo como experimentar “a combinação de tédio, cansaço, depressão e a dificuldade com que ele escolheu para ganhar a vida”.

Javier Bardem como Raoul Silva, o principal antagonista do filme. Silva é um ex-agente do MI6, virou um cyberterrorista que está em busca de vingança contra aqueles que ele considera responsáveis pela traição. Bardem descreve Silva como “mais que um vilão”, enquanto Craig afirmou que Bond tem uma “relação muito importante” com Silva. Para escolhê-lo para o papel, o diretor Sam Mendes admitiu que fez lobby para Bardem aceitar, Mendes reconheceu nele o potencial para o personagem a ser reconhecido como um dos mais memoráveis da franquia e assim quis criar “algo que esteve ausente dos filmes de James Bond por um longo tempo”. Ele sentiu que Bardem era um dos poucos atores à altura da tarefa de tornar-se “incolor” dentro do universo do filme, mais que uma estratégia do enredo, por isso, sofreu para convencer o ator para fazer parte do elenco. Na preparação para o papel, Bardem teve o script traduzido para seu espanhol nativo, a fim de melhor compreender sua personagem, que Mendes citou como sendo um sinal do compromisso do ator para com o filme. Bardem tingiu o cabelo de loiro para o papel, depois de debater idéias com Mendes, para chegar ao visual do personagem.

Judi Dench como M, a chefe do MI6 e comandante de Bond. Skyfall é o sétimo filme consecutivo de Dench no papel.

Ralph Fiennes como Gareth Mallory, o Presidente do Comité de Segurança e Inteligência. Sua posição lhe dá a autoridade para regular MI6. Fiennes afirmou que não poderia dizer nada específico sobre o papel: “a parte realmente interessante, é que foi muito divertido”.

Naomie Harris como Eva. Primeiras especulações sugeriram que Harris iria interpretar Miss Moneypenny, embora o primeiro nome do personagem tenha sido revelado como “Eva”, sem sobrenome. Ela foi especificamente descrita como “um agente de campo”. Apesar das especulações em curso de tablóides, sobre Eva ser identificada como Moneypenny, Harris rejeitou as alegações de que ela estaria interpretando a personagem. De acordo com Harris, Eva “acredita que é igual a Bond, mas ela é mais jovem “.

Bérénice Marlohe como Severina. Marlohe descreveu seu personagem como “fascinante e enigmática”, e que se inspirou na vilã Xenia Onatopp, de GoldenEye (interpretada por Famke Janssen) para interpretar Severina.

Albert Finney como Kincade.

Rory Kinnear como Bill Tanner , o Chefe de Gabinete do MI6.

Helen McCrory como Clair Dowar, uma política britânica. McCrory se juntou ao elenco depois de Sam Mendes entrar em contato com ela pessoalmente e lhe oferecer o papel.

Ola Rapace como Patrice, um mercenário francês que “é um homem de poucas palavras” e “ama a violência”.

Ben Whishaw como Q .

Jens Hultén também aparecerá no filme, supostamente interpretando um cúmplice do personagem de Javier Bardem. Ben Loyd Holmes confirmou no Twitter que ele teve um papel no filme. A modelo grega Tonia Sotiropoulou, que fez audição para o papel de Séverine, revelou que havia sido escalada para um papel secundário no filme.

Desenvolvimento

A produção de Skyfall foi suspensa em 2010 por causa de problemas financeiros da MGM. Eles retomaram a pré-produção após a saída da MGM da falência, em 21 de dezembro de 2010, e em janeiro de 2011, a produção divulgou a data de lançamento, através da MGM e da família Broccoli. O orçamento do filme foi estimado em $ 150 milhões, abaixo dos US $ 200 milhões gastos em Quantum of Solace.

O filme faz parte das celebrações do 50º aniversário do “Dr. No”, um filme da série 007. Segundo o produtor Michael G. Wilson, uma equipe de documentário está programada para acompanhar a produção do filme para comemorar o aniversário.

Título

Em agosto de 2011, vários sites de notícias repostaram um boato que apareceu originalmente no jornal sérvio Blic, afirmando que o filme de Bond seria uma adaptação do romance de continuação de Jeffery Deaver. Em 30 de agosto, Eon Productions oficialmente negou qualquer ligação entre 007 e “carta branca”, afirmando que “o novo filme não teria nada a ver com o livro Deaver Jeffery”. Em 3 de outubro de 2011, 15 domínios, incluindo jamesbond-skyfall.com ‘e’ skyfallthefilm.com ‘foram registrados em nome da MGM e Sony Pictures, na internet, pelo serviço de protecção de marcas, MarkMonitor. Isso levou à suposição da mídia que o filme teria o nome de “Skyfall”. Estes relatórios não foram confirmados pela Eon Productions, Sony ou MGM. Skyfall foi confirmado como o título na conferência de imprensa de Novembro, durante a qual a co-produtora Barbara Broccoli disse que o título “tem algum contexto emocional que vai ser revelado no filme “.

Skyfall é dirigido por Sam Mendes , que foi o primeiro contratado para o projeto logo após Quantum of Solace foi lançado, e permaneceu a bordo como um “consultor” durante o período de incerteza em torno da situação financeira da MGM. Especulação na mídia sugeriam que Mendes havia encomendado reescrever o script para “remover cenas de ação em favor da performance com a intenção de ganhar um Oscar. Mendes negou os relatos, dizendo que as cenas do filme de ação planejadas eram partes importantes do filme.

Peter Morgan foi originalmente contratado para escrever um roteiro, mas deixou o projeto quando a MGM declarou falência e a produção do filme foi interrompida; apesar de sua partida, Morgan declarou mais tarde que o roteiro final foi baseado em sua idéia original, mantendo o que ele descreveu como o “gancho” do filme. O roteiro final foi escrito por roteiristas regulares de James Bond, Neal Purvis e Robert Wade, bem como John Logan.

Roger Deakins assinou como diretor de fotografia, tendo trabalhado anteriormente com Mendes em Jarhead e Revolutionary Road. o figurinista é Jany Temime, Alexander Witt é o diretor da segunda unidade, o dublê coordenador é Gary Powell e Chris Corbould irá supervisionar os efeitos especiais, enquanto o supervisor de efeitos visuais é Steve Begg. Todos têm trabalhado em filmes de James Bond. Daniel Kleinman voltou para o design gráfico.

Música

Thomas Newman, que trabalhou com Sam Mendes como compositor de Beleza Americana, Estrada para Perdição, Jarhead e Revolutionary Road, substituiu David Arnold como compositor, tornando-se o nono compositor na história da série. Quando perguntado sobre as circunstâncias de sua saída do papel, David Arnold comentou que Newman tinha sido selecionado por Mendes por causa de seu trabalho em conjunto, e não por causa do compromisso de Arnold para trabalhar com o diretor Danny Boyle como compositor para a Cerimônia de Abertura do Verão 2012 Jogos Olímpicos.

Em outubro de 2012, a cantora e compositora Adele confirmou que ela tinha escrito e gravado a canção tema do filme, com seu compositor regular, Paul Epworth. Mais tarde, ela postou as partituras da canção “Skyfall” no Twitter, creditando a composição para ela e Epworth, com arranjos para ambos, Epworth e orquestrador JAC Redford. A música foi lançada on-line 5 de Outubro de 2012, um dia chamado “Dia de James Bond” por parte dos produtores, uma vez que marcou 50 anos até o dia do lançamento do Dr. No.

Fontes: RT-TV

Trailer: Operação Skyfall

Textos relacionados:

007 melhores músicas 90 – 2.000

Top canções 80 – 70

007 – A maior produção da história do cinema

outubro 28, 2012 Posted by | Política | , , , , , | Deixe um comentário

All time high – Rita Coolidge

clássicos de James Bond

Canção de James Bond

Rita Coolidge – All Time High

All I wanted was a sweet distraction for an hour or two.
Tudo o que eu queria era uma doce distração para passar uma hora ou duas

Had no intention to do the things we’ve done
Eu não tinha a intenção de fazer o que fizemos

Funny how it always goes with love,
Engraçado como sempre acontece o amor

When you don’t look, you find
Quando você não está procurando, você encontra

But then we’re two of a kind, we move as one
Mas nós somos do mesmo TIPO, agimos com um só

We’re an all time high,
Nós estamos o tempo todo de alto astral

We’ll change all that’s gone before
Nós mudaremos tudo o que (sempre) foi antes

Doing so much more than falling in love
Fazendo muito mais do que nos apaixonarmos

On an all time high,
Sempre em alto astral

We’ll take on the world and win
Nós conquistaremos o mundo e venceremos

So hold on tight, let the flight begin
Então, segure-se forte, deixe o voo iniciar

I don’t want to waste a waking moment
Eu não quero estragar este momento 

I don’t want to sleep
Eu não quero dormir

I’m in so strong and so deep, and so are you
Eu estou (me sentindo) tão forte e isso é tão profunto, tanto quanto você está (sentindo)

In my time I’ve said these words before, but now I realize
Em meus (bons) tempos, eu disse essas palavras antes, mas agora eu realizei

My heart was telling me lies, for you they’re true.
Meu coração estava me contando mentiras, enganando, para você é verdade

We’re an all time high,
Nós estamos em alto astral o tempo todo,

We’ll change all that’s gone before
Nós mudaremos o que sempre foi igual

Doing so much more than falling in love
Fazendo muito mais que só apaixonar

On an all time high,
E sempre em alto astral,

We’ll take on the world and win
Nós conquistaremos o mundo e venceremos

So hold on tight, let the flight begin
Então segure forte, deixe o voo iniciar

So hold on tight, let the flight begin
Então segure bem forte, deixe decolar

On an all time high,
E sempre em alto astral,

Áudio da pronúncia 1

Áudio da pronúncia 2

Áudio da pronúncia 3

outubro 27, 2012 Posted by | Política | , , , , , , , | 1 Comentário

007 As melhores canções das décadas de 70 e 80

Melhores músicas

Música no Cinema

Como dissemos no artigo de ontem, 007, a série mais longa da história, tem como principal qualidade sua produção. A produção de 007 vai desde recursos técnicos, passando pela escolha cuidadosa dos atores que farão o papel principal.

A música de John Barry divide com as belas canções, ao longo de cinquenta anos, o requinte e o bom gosto do que se vê nas telas. Todos os cantores que tiveram o talento para participar de uma produção de 007, serão lembrados para sempre, nas enciclopédias e publicações especializadas em cinema.

Desde os primeiros filmes, com temas ligados à guerra fria, houve uma evolução, o tema passou pela choque da chegada da AIDs, mas a doença não chocou tanto quanto a saída dos astros famosos. Sem a guerra fria, as histórias perderam a grandiosidade de se ter um maluco comunista querendo dominar o mundo.

Inevitavelmente, as histórias passaram, de vez, para o campo da ficção, James Bond continuará tentando evitar que o mundo se acabe, mas agora não é mais culpa da União Soviética.

A única coisa que não vai mudar nunca, são as belas músicas que continuarão emocionando mais que as próprias histórias. Eu continuo achando a abertura dos filmes a melhor parte.

No artigo passado nós postamos os seguintes video clipes:

https://icommercepage.wordpress.com/2010/05/08/007-a-maior-producao-da-historia-do-cinema/

01 – Moscou contra 007 (From Rússia with love) – Canção cantada por Matt Monro.

02 – 007 contra Goldfinger (Goldfinger) – Shirley Bassey

03 – 007 contra a chantagem atômica (Thunder Ball) – Tom Jones

04 – Com 007 só se vive duas vezes (You only live twice) – Nancy Sinatra

05 – Cassino royale (Cassino Royale) – Herb Alpert and The Tijuana Brass

06 – 007 a serviço de Sua Majestade (On her Majesty Secret Service) – Louis Armstrong
07 – 007 Os diamantes são eternos (Diamonds Are Forever) – Shirley Bassey

08 – Com 007 viva e deixe morrer ( Live and let die) – Paul McCartney and The Wings

09 – 007 Contra o homem da pistola de ouro (Man With the Golden Gun) – Lulu

10 – 007 – O espião que me amava (The Spy Who Loved Me) – Carly Symon

11 – 007 Contra o foguete da morte (Moonraker) – Shirley Bassey

12 – 007 Somente para seus olhos (For Your Eyes Only) – Sheena Easton

13 – 007 contra Octopussy (Octopussy) – Rita Coollidge

14 – Nunca mais outra vez (Never Say Never Again) – Lani Hall

15 – 007 Na mira dos assassinos (A View to a Kill) – Duran Duran

16 – 007 Marcado para a morte (The Living Daylights) – A-Ha

17 – 007 Permissão para matar (Licence to Kill) – Gladys Knight

By Jânio

Músicas de 007 décadas 90 e 2000

maio 9, 2010 Posted by | Música. | , , , , , , , | 20 Comentários

007 – A maior produção da história do cinema

007 - Os filmes

Melhor produção do Cinema

Em quem você pensa, quando o assunto é agente secreto? – Se você respondeu 007, saiba que esse é apenas um número de identificação do nome, ou codinome, do agente mais famoso da história, James Bond.

Parece irônico, o fato de o agente mais famoso do mundo ser ficção, mas a inspiração é real. Curiosamente, a principal característica do personagem também é a ironia.

O criador do personagem, Ian Fleming, conhecia o universo do serviço secreto bem de perto, chegou a trabalhar no serviço secreto da marinha britânica, apesar de, pelo que se especula, nunca ter chegado a ser um agente secreto.

No final das contas, o dom falou mais alto.

Eu sempre digo que o nosso verdadeiro dom vem da infância, do primeiro elogio real, onde você sente que não é apenas um elogio, mas você é realmente melhor no que faz.

Ian Fleming foi ajudante de tipógrafo e redator, antes de embarcar em suas aventuras, rumo a realização de seus sonhos.

No final de sua vida, o filho pródigo retornou onde tinha começado, realizando, finalmente, todos os seus sonhos, antes de morrer. Ian Fleming morreu dois anos depois de ver seu livro virar sucesso de cinema, com três filmes e Sean connery na pele do famoso agente secreto James Bond.

Há muitos detalhes, na trajetória do famoso agente, que são notáveis, um exemplo, é o famoso jargão: “Meu nome é Bond…James Bond” – onde o personagem vacila para se identificar, o mais próximo da verdade sobre ele é o número 007, onde “OO” implica em liberdade total, licença para matar, se a situação exigir, o que também serve como um aviso para se manter afastado.

O personagem é exatamente o inverso da personalidade de Ian Fleming, seu criador: Antipático, sem carisma, reprovava em testes/concursos e não tinha a menor vocação para jogos, onde perdia tudo o que tinha. A boa vida parecia manter-se a distância de Fleming, a astúcia também.

Quando escreveu “Cassino Royale”, em 1953, Fleming finalmente realizava seus sonhos, as mulheres que ele nunca conquistara, pela falta de carisma e astúcia, agora se jogavam aos seus pés. O mundo inteiro queria saber quem era ele, de onde vinha ele, quem era, de fato, James Bond, cuja única certeza era de morte “OO7”.

Apesar do sucesso que teria, Cassino Royale não foi a história que lançou OO7 ao mundo, foi o segundo livro “Live em let die” o responsável por conseguir a vitrine do mundo, EUA, para OO7. A partir daí o sucesso foi rápido.

Quando os produtores Albert R. Broccoli e Harry Saltzman adquiriram os direitos de James Bond/OO7, a maior produção da história do cinema estava para começar, tudo o que se referia à história de 007 se tornaria imortal, inclusive as histórias dos próprios produtores.

Como todas as histórias de super-produções, não dá para ver o filme e dizer que não há nada de seu interesse, sempre vai haver um motivo para que você veja o filme. Um leitor do livro pode querer comparar as obras literária e cinematográfica; os amantes da boa música podem se interessar pelo talento de John Barry, responsável pelas músicas da maioria dos filmes de 007; os convidados mais que especiais fazem papéis de vilões, como são os casos do eterno encrenqueiro Orson Welles, Adolfo Celi e até Louis Jourdan; alguns não tem nada a ver com o gênero, mas quem é que não quer ser imortal?

Certa vez, quando um grande amigo me perguntou qual a parte do filme, de 007, que eu tinha gostado mais, não vacilei – da música – respondi. Meu amigo ficou extremamente decepcionado, eu insisti: “Vai dizer que você não acha uma obra-prima as aberturas dos filmes da série, acompanhadas de um bela e linda canção romântica?

Vendo a cara de frustração de meu amigo, lembrei-lhe das cenas de ação, com dublês, aí ele se animou. Não é para menos, a série 007 é reconhecida pelo arrojo de seus dublês que faziam a festa, na ausência de efeitos especiais, boa parte da história das dublagens de ação pode ser contada através da série 007.

A história do cinema, de certa forma, pode ser contada através da série, não só com os dublês de ação, mas com as belas canções, atrizes que se consagraram com esses filmes como as musas de pintores famosos.

Além de tudo isso, há particularidades ligadas a própria série, como é o caso do estrelismo de Sean Connery. Alegando estar ficando marcado pelo personagem, e com medo de ficar conhecido apenas como 007, como foi o caso de celebridades como Johnny Weissmuller, o tarzã.

Sean Connery abandonou a série a partir do quinto filme “Com OO7 só se vive duas vezes”, deixando os produtores numa bela encrenca, Sean Connery não era apenas um ator, era um bom ator, apesar de não ser o primeiro a ser cotado para interpretar o personagem.

Com a saída de Connery, os dois filmes seguintes foram muito aquém do desejado, Connery chegou a declarar que nunca mais encarnaria o personagem novamente.

Connery só viria a comprovar o velho ditado capitalista: “Todo homem tem seu preço” – mais tarde, mais de dez anos depois.

Depois de dois filmes, os produtores “imploraram” para que Sean Connery voltasse, Cannery pediu uma fortuna e mais condições no contrato. Treze anos depois, logo no título vinha estampado “Never say never Again”, apesar de não ser da mesma produtora, James Bond se vingaria do ator que o personificou pela primeira vez, Sean Connery.

Depois do trauma da saída de Sean connery, a série se estabilizou, OO7 desencarnou-se de Connery, o que foi bom para ele e para Connery também, que pode seguir sua carreira de ator, apesar de uma pequena dor de cotovelo.

Dentro de dois anos OO7 completará 50 anos, como uma das três séries que mais faturam e cativam o público durante várias gerações, ao lado de Tarzã e Guerra nas Estrelas.

A seguir postarei algumas das canções da série que fazem parte da minha vida.

by Jânio

maio 8, 2010 Posted by | Cinema | , , , , , , , , | 11 Comentários

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: