Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Muere un juez del Tribunal Supremo encargado del caso Petrobras tras estrellarse su avión

No Brasil acontece o tempo todo

Morte Suspeita

Una avioneta bimotor en la que viajaba el juez del Supremo Tribunal Federal de Brasil, Teori Zavascki, encargado de la investigación por corrupción de la operación Lava Jato, se ha estrellado este jueves en el estado de Río de Janeiro, informa el portal UOL.

La aeronave, un Hawker Beechcraft C90GT, con unas cuatro personas a bordo, había salido de Sao Paulo y se estrelló en el mar frente a las costas de la localidad de Paraty. Los servicios de rescate han indicado que tres de los ocupantes murieron en el accidente, incluido el magistrado.

Zavascki era clave en la investigación de corrupción conocida como ‘Lava Jato‘, que sacudió el poder de Brasil. Él lideraba las investigaciones en la trama de corrupción en Petrobras, la operación que lleva dos años destapando centenares de casos de desvío de fondos públicos y sobornos entre la clase política, incluidos aquellos políticos que gozan de aforamiento y solo pueden ser investigados por la corte más alta del país. También tenía el poder de homologar decenas de confesiones de ejecutivos de la empresa Odebretch, en las que han descrito con detalle cómo sobornaban a la clase política y qué favores obtenían a cambio.

Se esperaba que Teori Zavascki decidiese en febrero si daba por buenas estas confesiones que implicaban a centenares de políticos, incluido los núcleos duros del gobierno actual, de Michel Temer, y del anterior, de Dilma Rousseff.

¿Quién liderará las investigaciones?

La investigación que lideraba Zavascki, involucraba al menos 6.400 millones de reales (unos 2.000 millones de dólares) en sobornos por contratos con empresas estatales, provocó el encarcelamiento de decenas de altos funcionarios y amenazaba con afectar a la coalición gobernante de Temer.

Según el reglamento de la Corte Suprema brasileña, el puesto de Zavascki sería reemplazado por un juez nombrado por el mandatario, pero se haría una excepción al tratarse de un asunto urgente, comentaron fuentes judiciales citadas por Reuters.

Por otro lado, el Gobierno brasileño ha decretado tres días de luto oficial por el fallecimiento de Zavascki, como muestra de un “modesto homenaje a quien tanto sirvió a la clase jurídica, a los tribunales y al pueblo brasileño”.

“Intelectual del Derecho, celoso por la ley y la justicia”

La exmandataria también ha lamentado la muerte del magistrado y ha enviado sus condolencias a la familia de Zavascki. “Hoy hemos perdido a un gran brasileño. Como juez y como ciudadano Teori se consagró como intelectual del Derecho, celoso por la ley y la justicia. Tuve el privilegio de nombrarle ministro del Supremo Tribunal Federal, donde realizó sus funciones como un hombre serio y de principios”, escribió Rousseff en su página web.

RT-TV

janeiro 19, 2017 Posted by | Espanhol | , , , | Deixe um comentário

Relator da Lava Jato no STF, Teori Zavascki morre aos 68 anos

No Brasil acontece o tempo todo

Morte Suspeita

Líria Jade – Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki morreu nesta quinta-feira (19), aos 68 anos, em um acidente aéreo. Ele já era viúvo e deixa três filhos. Membro do STF desde 2012, Teori foi o ministro responsável pelas investigações da Operação Lava Jato na Corte, tratando dos processos dos investigados com foro privilegiado. A morte de Teori foi confirmada pelo filho do magistrado Francisco Zavascki, em uma rede social.

Teori foi nomeado para o Supremo pela então presidenta Dilma Rousseff para ocupar a vaga de Cezar Peluso, que se aposentou após atingir a idade limite para o cargo, de 70 anos. Ontem, ele tinha interrompido o recesso para determinar as primeiras diligências nas petições que tratam da homologação dos acordos de delação de executivos da empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato.

Teori Zavascki nasceu em 1948 na cidade de Faxinal dos Guedes (SC), e é descendente de poloneses e italianos. Aprovado em concurso de juiz federal para o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) em 1979, ele foi nomeado, mas não tomou posse. Advogado do Banco Central de 1976 até 1989, chegou à magistratura quando foi indicado para a vaga destinada à advocacia no TRF4, onde trabalhou entre 2001 e 2003. De 2003 a 2012, Zavascki foi ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Respeitado nas áreas administrativa e tributária, Zavascki também era considerado minucioso em questões processuais. “Espero que todos os bons momentos apaguem minha fama de apontador ou cobrador das pequenas coisas”, brincou, ao se despedir da Primeira Turma do STJ, antes de ir para o STF. O ministro declarou em diversas ocasiões ser favorável ao ativismo do Judiciário quando o Legislativo deixa lacunas.

Atuação na Lava Jato

Ao longo de sua atuação como relator da Lava jato no STF, Zavascki classificou como “lamentável” os vazamentos de termos das delações de executivos da Odebrecht antes do envio ao Supremo pela Procuradoria Geral da República (PGR).

Entre suas decisões relativas à operação estão a determinação do arquivamento de um inquérito contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) , a transferência da investigação contra o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para Sérgio Moro e a anulação da gravação de uma conversa telefônica entre Lula e a ex-presidenta Dilma Rousseff.  Além disso, Teori negou um pedido do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que investigações contra ele, que estão nas mãos do juiz Sérgio Moro, fossem suspensas e remetidas ao Supremo.

Sobre as críticas recorrentes de demora da Corte em analisar processos penais, Teori disse que “seu trabalho estava em dia”. No fim do ano passado, Zavascki disse que trabalharia durante o recesso da Corte para analisar os 77 depoimentos de delação premiada de executivos da empreiteira Odebrecht que chegaram em dezembro ao tribunal.

Durante seu trabalho na Lava Jato, chegou a criticar a imprensa. Ele disse que decisões sem o glamour da Lava Jato, operação na qual ele foi relator dos processos na Corte, muitas vezes mereceram pouca atenção da mídia. Ele também relativizou os benefícios do foro privilegiado, norma pela qual políticos e agentes públicos só podem ser julgados por determina Corte.

“A vantagem de ser julgado pelo Supremo é relativa. Ser julgado pelo Supremo significa ser julgado por instância única”, afirmou o ministro, acrescentando que processos em primeira instância permitem recursos à segunda instância e ao STJ, além do próprio Supremo. “Não acho que essa prerrogativa tenha todos esses benefícios ou malefícios que dizem ter”, comentou Zavascki.

Certa vez, ao participar de uma palestra na Associação dos Advogados de São Paulo (AASP) ele disse que achava “lamentável” que as pessoas que obedecem as leis são, algumas vezes, taxadas pejorativamente no Brasil. “Em muitos casos, as pessoas têm vergonha em aplicar a lei. Acho isso uma coisa um pouco lamentável, para não dizer muito lamentável”, afirmou o ministro.

O acidente

Um avião caiu na tarde de quinta-feira (19) no mar de Paraty, na Costa Verde do Rio de Janeiro. Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente foi próximo à Ilha Rasa. O avião saiu de São Paulo (SP) e caiu a 2 km de distância da cabeceira da pista. De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), outras três pessoas estavam a bordo. Na hora do acidente, chovia forte em Paraty e a região estava em estágio de atenção.

Agência Brasil

Teori ja é considerado o PC Farias da Operação Lava a Jato, operação que quebrou o Brasil e que poucas pessoas conhecem o seu objetivo. A operação Lava a Jato não prendeu ninguém da extrema direita, sequer abril processo. Eduardo Cunha foi um dos poucos políticos afetados no  centrão.

Além de quebrar o país, a Lava a Jato afetou empresas do mundo inteiro sob pretexto de fazer justiça, apesar de ficar bem claro que esse não era o objetivo, já que noventa por cento dos políticos estavam envolvidos no escândalo e foram chantageados pela extrema direita para que o golpe de estado fosse efetivado.

A pergunta que fica é: Esta será a única morte durante o processo da Lava a Jato, como foi a morte do candidato a presidente, ou haverá mais “acidentes”. 

Lembrando que os partidos de esquerda já quebraram e o medo é da direita, não de ser preso, já que Moro é “Juiz Amigo”. mas das reações que vem ocorrendo na internet, cada vez que nomes como Serra, Alkimin, Aécio e amigos, aparecem nos noticiários.  A diferença dos políticos que caíram para os políticos  amigos de Sérgio Moro é que os escândalos são eternos para aqueles que são blindados e isso não é necessariamente uma notícia boa.

A volta do MPL é muito bonita mas será que vai se transformar em MBL novamente ou será apenas pelos “dez centavos”, número hipotético.

Comentário by Jânio

janeiro 19, 2017 Posted by | Política | Deixe um comentário

A volta do MPL

poder democrático

Reação Brasileira

Bruno Bocchini -Repórter da Agência Brasil

O Movimento Passe Livre (MPL) iniciou, no final da tarde de hoje (19), a segunda manifestação do ano contra o aumento das tarifas do transporte coletivo na capital paulista. Os manifestantes partiram dá Estação dá Luz, na região central da cidade, em passeata até a prefeitura, no viaduto do Chá, onde a manifestação deve acabar.

Eles protestam contra o reajuste (que foi suspenso pela Justiça) da tarifa dos bilhetes temporais (mensal e semanal) e da integração da Companhia Paulista de Transportes Metropolitanos (CPTM) e do Metrô de São Paulo.

“Ao aumentar as tarifas em mais que o dobro da inflação, Dória e Alckimin penalizam a população mais pobre da cidade, que moram em lugares afastados por não ter condições de morar em regiões centrais. Esse aumento institui praticamente uma cobrança proporcional no sistema de transportes: paga mais quem percorre maiores distâncias. Tal lógica vai na contramão da condição de direito social do transporte público, reconhecido constitucionalmente”, destacou o movimento, em nota.

Apesar da decisão da prefeitura e do governo do estado de elevar o preço das passagens – com o aumento de R$ 5,92 para R$ 6,80 na integração e de R$ 140 para R$ 190 no bilhete mensal – as tarifas estão com o valor congelado por determinação de uma liminar da Justiça. Ontem, pela segunda vez, o Tribunal de Justiça (TJ) negou recurso do governo do estado, e manteve a decisão de primeira instância em vigor até o julgamento pelo colegiado do TJ.

Em nota, a Secretaria dos Transportes Metropolitanos informou que as tarifas de integração do Metrô e da CPTM foram alteradas e voltaram a ter o preço praticado antes do reajuste. Segundo o órgão, “o atendimento da ordem liminar impacta financeiramente de forma drástica e prejudicial o sistema de transporte e os cofres do governo do estado”. De acordo com o governo paulista, se a decisão que proibiu o reajuste for mantida, o impacto financeiro em 2017 será de R$ 220 milhões.

Edição: Augusto Queiroz

janeiro 19, 2017 Posted by | Política | , | Deixe um comentário

   

Karmas e DNA.

Direitos autorais: Fernanda vaz.

Academia New Star Fitness

A fine WordPress.com site

Gramofone Lunar

Músicas, Versos e Outras Histórias

baconostropicos

Documentário "Baco nos Trópicos"

relutante

leve contraste do sentimentalismo honorário

entregue a solidão

é oque me resta falar e oque me sobra sentir

RB Solutions

Soluções em informática, comunicação e tecnologia

Bora' para Ireland

Smile! You’re at the best WordPress.com site ever

sarahrosalie

A topnotch WordPress.com site

Suburban Wars

"Let's go for a drive, and see the town tonight"

Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

%d blogueiros gostam disto: