Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

A mulher que tinha pinto

Senhora Pinto

Problemas de Mulheres

Quando eu descobri que minha amiga tinha um nome muito comum no Brasil, Pinto, mas que não deixava de constranger as crianças daquela idade, chamou-me a atenção o fato de todos estarem humilhando-na. Eu sei o que é passar por uma humilhação e senti na pele.

Decidi ir consolá-la, mas isso também não deu certo, estávamos na fase dos clubes da Luluzinha e do Bolinha, menino não pode chegar perto de menina. Ela não gostou da intimidade, olhou para mim e me intimou – Você vai ter de namorar comigo!

Nessas alturas eu já me via envolvido na bagunça da molecada e respondi – Tudo bem, eu namoro, mas se você quiser casar, vai ter de tirar o pinto do seu pai fora.

Ela respondeu furiosa – O pinto do meu pai eu não tiro, não. Se eu tiver de tirar o pinto do meu pai fora, eu não caso!

Uma outra menina, muito encrenqueira, lembrou-me que um dos professores também se chamava Pinto.

– Eu quero ver se você é homem de perguntar o nome para ele – disse ela.

Naquela idade, desafio público era sempre um problema difícil de evitar. Assim, quando o professor chegou, eu fiz a pergunta que quase acabou com a minha carreira de estudante.

– Professor, o senhor é da família dos Pintos?

– Vai se f****! – respondeu ele.

Ninguém acreditou que um professor fosse falar um palavrão daqueles, numa sala repleta de crianças. Eu senti até um frio na barriga.

Pouco tempo depois, o professor veio se desculpar. Ele disse que o nome era o seu ponto fraco.

Eu lembrei-lhe que uma menina também tinha esse nome e que para homem não tinha problema, era mais fácil.

Eu também lembrei-lhe – O nome daquele escritor pode ser mais fácil para as mulheres, mas par os homens, nem tanto.

– Qual escritor? – perguntou-me ele.

– José Lins do Rego, professor, autor de “Menino de Engenho”.

Anos antes, Chico Buarque tinha causado furor com a frase musical: “Joga pedra na Geni; joga b**** na Geni…

A música foi censurada e lembrou a todos que a liberdade no Brasil não era questão de ditadura mas, sim, da própria sociedade.

Vinte anos mais tarde, foi o próprio Governo Federal que teve problemas quando, durante a campanha contra AIDS, houve uma campanha paralela para descobrir como seria chamado o p****, e dessa vez não era um nome, era o próprio caminhãozinho.

O nome escolhido foi Bráulio, mas não demorou para que os Bráulios ricos do país inteiro processassem o Governo. Resultado: toda a campanha teve de ser reiniciada, dessa vez com outro nome.

Também teve aquela vez que a professora perguntou se era justo que a mulher fosse chamada de sexo frágil, mas essa fica para a próxima.

By Jânio

O problema das galinhas são os pintos

Dia bom do ladrão bão

As piadas mais racistas do mundo

Anúncios

outubro 9, 2013 - Posted by | Piadas | , , , , ,

1 Comentário »

  1. […] * Publicado no MadeInBlog […]

    Pingback por Ver! | Blog | A mulher que tinha pinto | outubro 13, 2013 | Resposta


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: