Made in Blog

Divulgação, internet, downloads, blogs, web2.0

A comunicação dos símbolos

linguagem dos símbolos

Comunicação Simbólica

Em artigos anteriores, eu chamei a atenção para as dificuldades que temos em passar os nossos pensamentos para outras pessoas, através da comunicação.

As mulheres tem uma certa facilidade para se comunicar, ler os lábios, prever uma situação e dizem até que elas tem sexto sentido.

Se o homem não tivesse desenvolvido a fala, como forma de se comunicar, certamente as mulheres teriam encontrado uma forma alternativa de comunicação.

Charles Chaplin, inconformado com o cinema falado, dizia que a verdadeira comunicação vinha das mímicas. Como ele é considerado o maior artista desse gênero, a gente até entende.

Pode parecer fácil para um artista como Charles Chaplin, comunicar-se através de mímicas, mas nem todos somos artistas como ele ou temos o seu dom para a mímica. Em outras palavras, é quase impossível nos comunicarmos, sem utilizar a fala ou a escrita – lembrando que a escrita é uma evolução da fala, utiliza também as palavras

Se a comunicação já é tão complexa, da maneira como a utilizamos, transmitir os verdadeiros sentimentos torna-se quase impossível. Naturalmente, eu não estou falando de interpretação para o teatro.

…mas há uma forma de demonstrarmos os nossos sentimentos, filosofia, ideologia, de maneira quase impecável. Ironicamente, nesses casos, submetemo-nos às pessoas que não obedecem esses mesmos códigos de conduta.

Há símbolos que trazem embutidos em si, toda uma tradição e culturas milenares, e nem mesmo depois serem submetidos à testes práticos da sociedade, preconceitos de uns ou interesses políticos de outros, permanecem com sua história intacta.

Um exemplo disso é a suástica, um símbolo milenar que já existia milhares de anos antes do nazismo. Essa foi a forma que Adolf Hitler escolheu para se comunicar com os seus aliados.

Essa comunicação teria sido perfeita, se Adolf Hitler fosse fiel aos seus princípios, assim como era fiel aos seus interesses políticos. Adolf Hitler não precisava dizer uma só palavra, bastava apresentar a suástica e tudo estava dito.

Entretanto, o símbolo mais importante no ocidente é a cruz. A cruz também apresenta o mal e o bem em sua simbologia.

A cruz também já existia antes de Cristo e, assim como na tragédia grega de Homero, foi preciso decidir entre os verdadeiros princípios e o próprio destino.

Homero já dizia: “Você pode ficar vivo e ser esquecido, ou lutar, morrer, e ser lembrado para sempre”. Essa imortalidade fictícia de Homero, parece negar, de maneira sublimar, suas crenças nos mitos.

Jesus Cristo aceitou a sua cruz em forma de destino, foi fiel aos seus princípios, e morreu em nome deles.

Quando uma família perde um filho querido, queima todos os seus pertences, ou os enterra junto a ele. Algumas pessoas são tão afetadas por sua morte que tem dificuldade em aceitar isso, mudando até de residência ou cidade.

A cruz que matou Jesus, poderia ser visto como algo triste e mal, mas acaba tendo outro significado. Acaba significando o bem acima do mal, a aceitação do destino.

Quando alguém carrega uma cruz, traz consigo toda uma ideologia representada por seu símbolo. Não é preciso comunicar o verdadeiro sentimento, apenas apresentar a cruz.

Yin e Yang, o bem e o mal se tornam um único símbolo. Esse é um dos simbolos mais representativos do Oriente. De certa forma, ying e yang representam a essência da tradição oriental.

O Mal está sobre o bem. Esse símbolo parece chamar a atenção das pessoas para a necessidade de resolução de seus próprios conflitos.

Esse símbolo representa, principalmente, que o bem e o mal estão presente na vida, e devemos nos habituar e aceitar isso como fato.

Os ideogramas são outra forma de comunicação oriental, onde, através de um único símbolo, é possível criar várias idéias ou textos.

Estão ligados a filosofia e constituem-se uma forma culta de escrita.

A filosofia ocidental segue o processo tradicional de aprendizado, isso já foi experimentado na religião também, mas o resultado não foi muito satisfatório não.

A grafia dos símbolos é muito interessante e importante, como forma de transmitir informações e comunicar-se. Algumas vezes a imagem pode se tornar uma representação de um grande projeto.

Leonardo da Vinci foi um pintor famoso, mas a arte de pintar não era a sua única qualidade. Um de seus projetos, ligados ao sonho do homem de voar, acabou se realizando.

No desenho de seu projeto, podemos notar que Leonardo da Vinci não via outra forma de manter o homem no ar. Mais tarde, esse mesmo projeto serviu de base para a criação do paraquedas.

Quando o homem voa de avião, não é o homem que voa, é o avião, o homem só vai de carona. Quando um homem pula de para-quedas, ele tem um contato direto com a natureza, e é preciso em seus objetivos.

Como podemos ver, Leonardo da Vinci se comunicava bem através de seus desenhos, afinal ele foi o pintor.

By Jânio

outubro 5, 2011 Posted by | curiosidades | , , , , , | 5 Comentários

Qual é o significado dos sonhos

 

sonhos e pesadelos

Interpretação dos sonhos

Seguindo a análise do funcionamento do cérebro, vamos aos poucos passando para uma área muito sensível de nossa mente, o inconsciente (subconsciente). A grande realidade é que a mente, consciente ou não, é obscura; sob certos aspectos a consciência é mais obscura que a própria inconsciência, já que a inconsciência funciona naturalmente.

Em alguns casos, a psicanálise ameaça usar a hipnose para ajudar a desvendar os mistérios de nossa mente, o problema é que nem todos estão dispostos a abrir mão de sua privacidade. Se alguém entra em sua mente, invade o mais intimo de sua existência.

No mais tradicional processo da psicanálise, a pessoa conversa consigo mesma, vai se revelando aos poucos, enquanto o psicanalista  vai motivando, convencendo essa pessoa de que não há nada anormal em sua vida, tudo pode ser lembrado e resolvido, para que a consciência pare de ser incomodada pela inconsciência. A consciência pesada, aqui, seria o peso de algo que atormenta a pessoa, o processo da inconsciência para aliviar esse problema.

Conscientemente tudo pode ser (des)controlado, mas, inconscientemente, tudo é muito instável e natural, sem noção de tempo e espaço.

Durante os sonhos, essa instabilidade da inconsciência chega ao limite. Isso acontece porque tudo o que é reprimido pela consciência, sob pressão da sociedade ou autocensura, durante os sonhos é liberado.

Enquanto o cérebro mantém todo o corpo em repouso, durante o sono, a mente é liberada em todo o seu potencial, podendo resolver os problemas mais impossíveis. Aqueles problemas que a consciência  mantém reprimidos, nos sonhos, eles são manifestados em formas disfarçadas pelo super ego, num universo que só a inconciência entende o seu significado.

Nem todo sonho é disfarçado ou complexo, alguns são bem conhecidos das pessoas, comum a todos. Muita gente já sonhou que estava voando, esse sonho, segundo especialistas, leva a uma interpretação de que a pessoa é ambiciosa, sonhadora, mas, por associação poderia levar a interpretações de que essa pessoa deseja independência, liberdade, isso poderia ser revelado por qualquer amigo que a ouvisse, nem precisa ser um psicanalista.

A combinação do sonho de voar, com a queda, é uma manifestação clara dos riscos da ambição, liberdade e poder.

Na religião, José, no Egito, interpretava sonhos dos egípcios. Sua interpretação mais famosa foi para o faraó, o sonho das vacas gordas e das vacas magras.

“Haviam sete vacas gordas e sete vacas magras pastando no campo, de repente, as vacas magras e feias comeram as lindas vacas gordas.”

Nesse sonho, josé avisava ao faraó que deveria guardar mantimentos durante os sete anos de fartura (tempos de vacas gordas). Durante os sete anos de seca no Egito (tempos de vacas magras), o faraó teria mantimentos para saciar a fome do povo, não fica claro se havia a vontade de Deus, apenas implicitamente.

Essa é uma das tradições que bate de frente com a história de Moisés e do revolucionário Jesus Cristo: Segundo  Jesus, Deus sempre proverá seus filhos. Isso também ficou evidente no deserto, quando Moisés levou o povo para um lugar isolado, sem comida nem água.

Um homem muito rude que sonhe que é uma mulher, poderia significar sua busca de equilíbrio, uma nescessidade de compreender as pessoas frágeis, o oposto de si, algo que se mantém inconsciente, mas que conscientemente seria inaceitável.

Há pessoas que acreditam que o sonho é uma forma de prever o futuro, por isso sonhar com animais, para elas,   pode significar o que vai dar no “jogo do bicho”.

Sonhar que está caindo, poderia significar uma fobia de altura. Como nós dissemos no outro artigo, a fobia está relacionada a um evento  ao qual não queremos nos lembrar, encarando esses medos poderíamos nos lembrar de algo que não queremos.

Esse é um grande dilema: Como poderíamos saber o nível de gravidade daquilo que não queremos lembrar? – Será que vale a pena lembrar esse fato? – Se a fobia está se manifestando, inconscientemente, estamos tomando a decisão de que está na hora de enfrentarmos esses temores.

Quando passamos a sonhar que estamos caindo, seguidamente, todas as noites, então não devemos ser acordados, para que percamos o medo e estejamos preparados para enfrentar determinadas situação.

Segundo o site “O Guru”,  sonhar com corvo pode significar pessoas de olho no que é seu, querendo “infernizar sua vida”, mas também pode significar pureza do ambiente.

Como nós podemos notar no sonho do corvo, há dois níveis de sonho: Um mais vulgar e direto, e outro muito mais sofisticado e complexo, influenciado pelo nível de formação da pessoa.
 
http://www.oguru.com.br/sonhos/significados.php?busca=Voar

O sonho também pode ser uma simples realização de nossos desejos. Ao contrário de nossos pesadelos, nesse caso, nossa mente se encontra em total harmonia.

Sonhar com cobras, tanto pode significar nossa falta de confiança em um determinado grupo ao nosso redor, como poderia ser algo mais complexo, mas é preciso sonhar até o fim, para vencer esse medo.

Conclusão: O  mais importante não é necessriamente interpretar o sonho, mas sonhá-lo até o fim.

Principal fonte: Wikipedia

fevereiro 9, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 25 Comentários

Nomes – O DNA de nossas tradições e culturas

nomes e culturas

Nomes

 

O nome é um peso na vida de algumas pessoas, quase um DNA, um peso tão grande que algumas pessoas não suportariam determinados nomes.

Por esse motivo, muitos nomes não são usados em bebês. Elementos como o preconceito, discriminação, religião, mitos, tabus e vários outros motivos, fazem com que alguns nomes estejam fadados ao obscuro e as lendas.

Através dos nomes, é possível observar que em qualquer cultura, o bem e o mal estão presentes. Antes de termos uma visão preconceituosa a respeito de um costume, é preciso estudarmos a fundo em que esse costume implica.

No Irã, uma mulher que trai o marido é apedrejada até a morte, isso implica em um costume primitivo. A pergunta é o que eles pensam disso, se a mulher não tem o direito de opinar, então de fato o costume é arcaico, se por outro lado a mulher tivesse os mesmos direitos dos homens de opinar e votar, então a lei seria legítima.

Legítimo também, deveria ser o direito dessas pessoas decidirem em que pais querem morar, como é o caso de Cuba, sem a parcialidade dos EUA, naturalmente.

Na medida em que a cultura vai se globalizando, a maior parte dela também vai se extinguindo, os paises perdem a seu livre arbítrio. Tudo se perde, a música, as tradições, as línguas, etc.

Nos costumes indígenas, há nomes interessantes como: Filho do trovão, raio negro, lobo vermelho e outros nomes que nossos preconceitos, tabus e religião nos impediríam de pronunciar. Ao contrário do que mostra os filmes do velho oeste, nomes como cavalo manco, cachorro com medo, não inplica em pessoas covardes ou más, por trás de cada nome há uma história, muitas vezes só a própria pessoa conhece.

De certa forma, o nome, em culturas indígenas, conta uma parte da vida da pessoa. No oriente, esse costume ainda é preservado.

Será que no ocidente essa tradição não existe? – Fazendo uma pequena pesquisa pela internet, logo notamos uma centena de sites com significado de nomes, desde os mais tradicionais, latinos, até os mais exóticos, ou seriam tradicionais, nomes indígenas.

Durante a pesquisa dos primeiros hieroglifos da história, o nome da antiga rainha do Egito, Cleópatra, foi fundamental para que se descobrissem os significados dos primeiros hieroglifos, iniciando a tradução dessa antiga escrita. Naquele tempo a simbologia poderia ser ainda mais forte, já que cada caractere, ou letra, era uma figura diferente, sendo o “a” uma ave.

As raises de todas as culturas está nos nomes, mesmo com a extinção das línguas, os nomes prevalecem.

Quando uma jovem mãe quer dar nome aos filhos, nos dias atuais, ela procura um nome mais bonito. Um nome bonito, pode ser aquele mais bonito na aparência, mas não tem nenhum significado concreto, real.

Jesus, ao dar nome aos seus discípulos, seguiu a tradição, suas origens. Ao dar nome à Simão, por exemplo, disse algo como: Tu serás Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja.”

Se analisarmos minuciosamente as palavras de Jesus, verificaremos o significado delas, a relação delas com a personalidade e natureza de pedro, e a função de pedro na religião cristã. Não é uma questão de defeitos ou virtudes, mas da pessoa certa no lugar certo.
 
Fazendo uma pesquisa a respeito dos nomes, descobrimos que nem tudo é o que a gente pensa. Algumas vezes o nome significa exatamente o que ele é, como é o caso de “Modesto”, outras vezes muda um pouco, como o nome “Romeu”, mas há nomes que mudam completamente em relação ao esperado, esse é o caso de “Manoel”.

Entre os nomes mais tradicionais, os nomes latinos quase se misturam aos nomes hebraicos, devido a sua proximidade, no momento mais glorioso de suas histórias – ou seria nosso história? -  Assim, josé se mistura a Paulo, Pedro se mistura a joão, ou vice-versa.

Há quem diga, inclusive, que escolher um nome, baseado em sua ascendência, seja meio discriminatório.

Na realidade não são os nomes que são escolhidos, são os pre-nomes, os nomes continuam intocáveis, são de família.

Wikipedia: “O prenome, na maioria das línguas indo-europeias, é o elemento onomástico que precede o apelido de família (sobrenome) na forma de designar as pessoas. Exemplos de prenomes comuns são José, João, Carlos, Antônio, Maria, Joana, Paula etc. O prenome também é conhecido como nome de batismo ou nome de pia.
 
Em algumas culturas e idiomas (por exemplo em húngaro, vietnamita, chinês, japonês ou coreano), o apelido de família precede o prenome na ordem do nome completo, como Deng Xiaoping, sendo Deng o apelido de família e Xiaoping o prenome.” 

Assim: João Carlos da Silva, fica sendo: Nome – Silva; sobrenome – Carlos;  prenome – João.

Para efeito de organização, ou burocracia: Silva, João Carlos da.

Pensei em fazer uma lista de nomes portugueses, descobri que nem mesmo os próprios portugueses conhecem seus nomes, já que são latinos. Os nomes portugueses confundem-se com os espanhóis, italianos, franceses…

Assim, desisti de explicar e simplifiquei de vez, ou seja, fiz uma lista de nomes latinos mesmo.

Muitos nomes que achamos ser novos, criativos, podem até ser criativos, mas de novos não tem nada, como é o caso de Lavínia.

NOMES LATINOS:

Abílio, Adauto, Afrânio, Agnes, Alba, Agostinho, Albino, Amado, Amália, Amâncio, Amaro, Atílio, Benedito, Benício, Bento, Bonifácio, Caio, Calvino, Camila, Candido, Carmem, Cassiano, Cecilia, Celeste, Celia, Celina, Celso, César, Cícero, Cintia, Clara, Cláudia, Colombo, Conceição, Constância, Cornélio, Dante, Décio, Delfim, Deodato, Diva, Domingos, Donato, Dória, Dulce, Elvira, Estela, Evaristo, Fábia, Fábiana, Fabrício, fausto, Felícia, Félix, Fidel, Flávio, Floriano, Florinda, Fortunata, Francisco, Genésia, Germano, Graciana, Graco, Hilário, Honorato, Hortência, Imaculada, Inácio, Isaura, Jânio, Januario, Jovino, Jovita, Julia, Juvenal, Juvêncio, Laudelino, Laura, Laurêncio, Lavínia, Leda, Lena, Léo, Leocádia, Leôncio, Letícia, Lídia, Lígia, Líliam, Liliane, Livia, Lombardo, Lorena, Lourenço, Lourival, Lucila, Lucino, Lúcio, Lucíola, Lupércio, Mabel, Magna, Marcelino, Marcelo, Márcia, Marcial, Márco, Margarida, Marina, Màrio, Maristela, Martins, Maurício, Mauro, Mira, Modesto, Natália, Nemo, Nívea, Olinda,

Otávio, Patrício, Paulo, Pilatos, Plínio, Pompéia, Primo, Priscila, Quirino, Regina, Renata, Salústia, Saturnina, Serena, Sérgio, Severo, Sílvia, Silva, Socorro, Stela, Taciana, Tércio, Tertuliano, Tiago, Tibério, Tibúrcio, Ticiana, Urbano, Valentim, Valentino, Valéria, Vera, Vicente, Vinício, Virgínio, Virgília, vítor,

CURIOSIDADES DE NOMES:

Jânio vem do latim e não é o masculino de Jane, que vem do Hebraico. Jane e João significam a mesma coisa, apesar de possuirem gêneros diferentes.

José e João realmente são Hebraicos e estão diretamente ligados á religião, tradição e cultura hebraica.

Luis é de origem teutônica e significa guerreiro famoso.

Manuel não é português, é hebraico e significa Deus Conosco.

Moacir, é Tupi, significa aquele que faz sofrer.

Adão – Hebraico, Feito de terra.

Carlos – Teutônico, fazendeiro.

Romeu – Peregrino à Roma.

Roberto – Brilhante na glória.

Sandra – Diminutivo de Alexandra, o que resiste aos homens. No masculino tem o mesmo significado.

Veja o significado de seu nome:

http://br.guiainfantil.com/nomes-de-bebes/168-significados-e-origem/181-nomes-para-meninos-e-meninas-com-a.html

Texto: By Jânio

janeiro 3, 2011 Posted by | curiosidades | , , , , , , , , , | 15 Comentários

   

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 217 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: