Made in Blog

Divulgação, internet, downloads, blogs, web2.0

Médico descobre que é louco

Pesquisa sobre a loucura

Médico Louco

Um professor americano de Neurologia descobriu que era psicopata enquanto realizava uma investigação sobre psicopatia. Em vez de ficar desesperado e ocultar o fato, decidiu continuar o estudo e acaba de publicar um novo livro.

James Fallon, professor emérito de Anatomia e Neurobiologia na Universidade da Califórnia, durante 40 anos, dedicou-se a estudar os problemas da psicopatia e comportamento violento. Depois de conhecer a longa história da delinquência entre seus pacientes, entre os quais pelo menos sete suspeitos de assassinato, incluindo a famosa assassina Lizzie Borden, decidiu estudar também os membros da família. Durante uma pesquisa às cegas, examinou as imágens PET (Tomografia por emissão de positrons) de vários assassinos, esquizofrênicos, Psicopatas e outros intercalados com pessoas normais, entre os estavam scanners cerebrais de sua família e o seu próprio exame.

Entre as tomografias cerebrais que pertenciam aos membros de sua família, encontrou uma imagem que demonstrava uma atividade reduzida nas áreas do lóbulo frontal e temporal, responsáveis pela empatia e moral, bem como do auto-controle, que normalmente está relacionada com o comportamento psicopático. Ele decidiu romper o lacre que o impedia de saber a quem pertencia e assim foi como descobriu que o psicopata era ele, já que o exame era de seu próprio cérebro.

Primeiro decidiu voltar a comprovar a hipótese de estas áreas específicas eram realmente as responsáveis pelo comportamento dos psicopatas, mas depois de um exame minucioso neurológico, genético e comportamental, confirmou que definitivamente era um psicopata. Decidiu continuar com o estudo e finalmente publicou, no mês passado, um livro intitulado “Psychopath Inside” (Psicopata Interior), onde explica que uma pessoa normal que nunca matou ou estuprou alguém, pode ter os mesmos sinais anatômicos que os assassinos em série.

Fallon se auto-denominou “psicopata pró-social”, um tipo de psicopata bom que, apesar de não sentir empatia, é capaz de corresponder a às normas sociais e até mesmo ser bem sucedido em seu trabalho e ter boas relações com outras pessoas, como é o seu caso, um cientista extraordinário e bem casado.

Atualmente a psicopatia é um transtorno mental que requer uma investigação aprofundada. Não aparece na lista de enfermidades do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtorno Mentais, porque nada tem a ver necessariamente com um comportamento instável ou violento. Ser um psicopata não equivale a ser um assassino, no entanto, pode determinar outro tipo de comportamento perigoso.

Faltam por estudar os fatores que determinam os diferentes tipos de comportamento entre pessoas com os mesmos tipos de cérebros, apesar de que os indivíduos que nascem e crescem em áreas perigosas, como em zonas de conflitos militares, correm o risco de se tornar delinquentes violentos, adverte.

Fallon acredita que seu sucesso se deve a uma infância feliz, graças ao amor e atenção de seus pais. No entanto, ele admite que não é uma “boa pessoa”. “Eu sou irritantemente compulsivo. Não deixo meus netos ganhar nos jogos”, confessa. Entretanto, ele sabe moderar seu comportamento, inclusive se sentir agredido. Prefiro brigar com palavras a dar golpes”, diz o cientista.

Fonte: RT-TV

Nossa própria cura

Mentes perturbadas

Extremista político

A história de Wellington Menezes

Lavagem cerebral

Descobertas interessantes sobre o cérebro

Cérebro que mente

Piores experimentos americanos com humanos

novembro 24, 2013 Posted by | Ciências | , , , , , , , | Deixe um comentário

Sonhos lúcidos

sonho lucido

Exploradores de Sonhos


Até onde pode chegar o nosso conhecimento a respeito de nossa mente? – A resposta para essa pergunta não é tão fácil de se obter, mas os meios para a busca dessa resposta, estão ao nosso alcance.

Como nós sabemos, os sonhos são a chave para vencermos os nossos medos. Durante os sonhos, em nossa mente, é travada uma luta entre nossa autocensura, superego, e a inconsciência pura, sem nenhum limite.

O problema é que quando nós acordamos, não nos lembramos de nada, pior, nossos medos podem surgir em forma de pesadelos, impedindo a resolução de nossos problemas, ou nos fazendo acordar. Dessa forma, esse processo pode demorar mais tempo do que deveria.

A solução para os problemas mais graves, estão nos sonhos lúcidos. Os sonhos lúcidos são conhecidos no Oriente, há muito tempo.

Praticantes do sonho lúcido também são conhecidos como onironautas, ou exploradores de sonhos – Talvez você seja um onironauta e nem esteja sabendo.

Como você poderia saber se é um onironauta? – É muito simples, mas primeiro vamos explicar o que é um sonho lúcido.

O sonho lúcido, também conhecido como semiconsciência, é o estágio em que uma pessoa se encontra no limiar do sono profundo, ou seja, adormecendo.

Esse estágio costuma ser muito rápido, mas só quando a pessoa está com muito sono. Aqui, deciframos a charada: Quem dorme sem sono, dorme demais, gosta de uma soneca, esses estão mais sujeitos ao chamado sonho lúcido.

Para se tornar um bom explorador de sonhos, faz-se necessário que essa pessoa seja muito sensível, mas essa sensibilidade também pode ser desenvolvida.

Ao contrário dos usuários de drogas e pacientes de sanatórios, expostos a produtos químicos, um bom onironauta consegue isso com um simples relaxamento.

Há vários procedimentos através dos quais costuma-se entrar em uma paralisia do sono, período em que a pessoa não atinge o sono profundo, mas também não está totalmente acordada. Há um ponto de equilíbrio entre a vigília e o sono, nesse ponto a pessoa tem os sonhos lúcidos.

Uma pessoa que dorme em média oito horas ao dia, quando dorme acima desse tempo, costuma sonhar. Se a pessoa dormir oito horas, levantar-se da cama, em seguida deitar-se novamente, seu sono será leve, nesse período poderá ocorrer o chamado sonho lúcido.

Apesar da situação citada acima, o sonho lúcido é mais comum quando a pessoa está adormecendo, até por razões óbvias. Durante as sonecas despretensiosas, a pessoa pensa muito.

Quando uma pessoa está tirando uma soneca, normalmente está feliz; quando se está feliz, seus pensamentos são positivos – Felicidade, aqui, não implica em comer, beber e dormir, refiro-me à meditação, reflexão, relaxamento. Uma pessoa pode refletir sobre uma guerra, mesmo assim estar relaxada – durante esse período, a pessoa pode começar a sonhar.

Eu tenho notado que o processo se inicia com pensamentos comuns, num momento de sonolência, esses pensamentos passam a ser mais reais, tornando-se os sonhos lúcidos.

Voltando a pergunta acima – Como saber se você é um onironauta? – é simples. Em um sonho normal, você nunca, em nenhuma hipótese duvidará que está sonhando, se isso acontece, você é um onironauta, esse é o portal de saída do sonho lúcido, portal para a lucidez total, pelo qual você poderá acordar.

Nesse momento, você terá duas alternativas: Você poderá sair, fugir dessa situação, mantendo o medo que oculta um problema psicológico mais grave, como vimos nos artigos anteriores. Você também poderá ficar e enfrentar essa situação, mas esse caso é diferente do sonho comum, que deverá ser interpretado.

No sonho lúcido, a partir do portal de saída, se você opta por ficar, você tem o controle sobre esse sonho, podendo controlar o próprio sonho, esse medo passa a ser reflexivo. Pelo menos durante esse sonho, ou pesadelo, você terá poderes supremos, vencendo qualquer tipo de conflito.

A vitória sobre os seus demônios interiores, torna-se um motivacional muito importante, não só para encarar a realidade, mas também para acreditar na possibilidade de se vencer tudo, já que ficará implantado em sua mente. É como se fosse um planejamento psicológico para a vida, um planejamnto virtual, mas com elementos orgânicos e realidades envolvidos.

Durante os sonhos lúcidos, foi constatado, cientificamente, que a realidade é muito superior a nossa realidade commum. Essa hiper-realidade é explicada pelo fato de ela já estar dentro do cérebro, não necessitar de nenhum elemento “periférico” – sentidos vitais – para captar essas sensações.

Um dos objetivos da prática do sonho lúcido é o autoconhecimento, isso faz com que a mente se torne muito mais criativa, sem essa limitação natural da autocensura. Com isso, escritores escrevem melhor; compositores compõe; problemas “insolúveis”, pessoais, profissionais, ou psicológicos, são resolvidos.

Quando uma pessoa acorda de um sonho, e desde que essa pessoa não esteja sob choque – esteja sonolenta – ela deverá relaxar e permanecer em uma posição na qual ela não tenha sonos profundos – algumas pessoas não conseguem ter sono profundo dormindo de costas no colchão.

Caso a pessoa acorde, durante um sonho lúcido, não deve se agitar, nem se mexer, nem se preocupar. Deve procurar pensar sobre o próprio sonho, relaxar e voltar para ele.

Durante os sonhos lúcidos, é normal que a pessoa tenha visões, alucinações e sensação de asfixia. Isso pode ser devido ao sono leve que a pessoa está tendo, onde os sons externos podem influenciar e atrapalhar o controle correto do sonho.

Três características essênciais para a identificação de um sonho lúcido, pode ser:

Diferenças – A diferença, algumas vezes exagerada, entre o sonho e a realidade – a percepção dessas diferenças faz com que a pessoa se sinta segura, consciente de que tudo não passa de um sonho, sabe que poderá acordar a qualquer momento.

Controle – Quando a pessoa, notando o absurdo da situação, passa a se adaptar a essa situação, passando a controlá-la.

Semi-consciência – A pessoa passa a ter consciência de que tudo não passa de um sonho, melhor, poderá sonhar como quiser.

Durante o Sonho lúcido, é normal, algumas vezes, a sensação de loucura, quando a pessoa perde a noção entre o real e o imaginário. Nesse momento a pessoa pode ter a impressão, durante algum tempo, que vai enlouquecer, vai morrer, está asfixiado, e, em caso extremos, no caso de fanáticos, que está possuída.

A paralisia do sonho, sonho lúcido, não deve ser confundido com desmaios, ou outros casos patológicos. Sonho lúcido é como pensar dormindo, ou sonhar acordado.

No caso dos portais para lucidez, há também casos em que a pessoa sonha que acordou, aumentando a hiper realidade do sonho, como se estivesse passando para um novo nível de dificuldade. Nesse caso, mesmo não tendo acordado de fato, havia a consciência de que aquilo era um sonho, tornou-se fácil demais, por isso houve a necessidade de acordar para um novo sonho.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sonho_l%C3%BAcido

By Jânio

fevereiro 14, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , , , , , , | 40 Comentários

Os melhores filmes de viagem no tempo

viagem no tempo

A Quarta Dimensão

A quarta dimensão, a dimensão do tempo, há muito tempo fascina a humanidade. A idéia de se viajar no tempo, vem sendo imaginada muito antes de Einstein nascer.

Herbert George Wells, ou simplesmente H. G. Wells, foi o primeiro escritor a se aventurar pelo tema de viagem no tempo. Em sua história, um homem cria uma máquina que possibilita ao seu criador viajar no tempo, até o ano de 802,701.

Nesse admirável mundo novo, há duas raças de criaturas, uma pacífica e outra selvagem.

A história foi filmada em 1.960 pelo genial George Paul, o diretor ganhou o Oscar de efeitos especiais.

Curiosidade: O personagem do filme recebeu o nome de George em homenagem a H. G. Wells, além do diretor também se chamar George.

Em 2.002, foi a vez de Simon Wells, bisneto de H. G. Wells filmar a história do viajante do tempo, na pele de Guy Pearce.

Com uma história bem mais dramática, o cientista perde a noiva em um acidente e cria uma máquina para tentar salvá-la, mudando seu destino. Quando se vê diante da impossibilidade de mudar o que aconteceu, viaja acidentalmente para o futuro.

Num mundo totalmente alterado, duas raças disputam o domínio da Terra. A raça pacífica serve como animais de estimação para as criaturas selvagens.

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Time_Machine

O Planeta dos macacos – Essa história lembra de alguma forma “A máquina do tempo”, principalmente no seu formato épico e na forma como as mudanças se transformam tão radicalmente.

Baseado no livro “La Planète des singes” do Francês Pierre Boulle, em 1.963, mais de um século desde a publicação do livro de H. G. wells, mesmo assim com uma grande originalidade e irreverência.

No livro, um casal fazendo um cruzeiro no espaço, encontram uma garrafa com o diário de bordo de Ulysse Mérou, um astronauta que conta sua história.

No diário, encontrado dentro da garrafa, o astronauta conta que viajaram em uma espaçonave, criada por um gênio, a qual viajava a velocidade da luz. Por alguma razão, algo saiu errado e eles se vêem num planeta onde os homens teriam evoluído para os macacos.

Na versão cinematográfica de 1968, não fica muito claro se os astronautas romperam a barreira do tempo, ou se estão em uma dimensão paralela. Durante toda a história os cientistas acreditam que atingiram o seu objetivo, chegar à uma galáxia distante, onde haveria vida.

É a tradução do título em Portugal que dá uma pista – “O homem que veio do futuro” – mas  o suspense é mantido até o final, numa das cenas mais antológicas da ficção científica, de todos os tempos.

Na versão de Tim Burton, onde o Mark Wahlberg assume o papel de Charlton Heston. Nessa segunda versão cinematográfica do planeta dos macacos, há mudanças consideráveis, mas mantém a base do original, sem nunca obter o mesmo êxito.

Desta vez, um chimpanzé usado para verificar uma tempestade eletromagnética, desaparece. Mark Wahlberg segue em sua busca e cai em um planeta, habitado por macacos que falam e humanos selvagens. As principais cenas foram modificadas por Burton, criando uma grande surpresa até para os fãs do filme original.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Planet_of_the_Apes_(filme_de_1968)

http://pt.wikipedia.org/wiki/Planet_of_the_Apes_(filme_de_2001)
O Mistério do Triângulo das Bermudas – Esse é um filme fascinante, indicado para quem é leigo em física mais gostaria de saber as teorias do que acontece na região do triângulo das bermudas, ou triângulo do diabo, uma região que desafia os conceitos da física e os conhecimentos humanos.

O filme pode ser analisado em duas partes: A primeira, onde tem se a impressão que vamos ver um super filme; a segunda, onde o fime mostra o que Hollywood faz de melhor, um final constragedor e falta de controle do roteiro.

Apesar de tudo, ainda é um filme bem acima da média, mas poderia ser melhor trabalhado.  Os mistérios do triângulo das bermudas merecia uma história melhor.

Os atores não são brilhantes mas são conecidos do público e fazem o que podem.

Cansado de ver seus barcos desaparecerem sem motivos aparente, um bilionário reúne um grupo de especialistas para resolver o mistério. O resto do filme tenta explicar o que acontece numa região misteriosa e com uma alta concentração de energia eletro-magnética.

Fatos inexplicáveis desafiam o conhecimento, a ciência e expõe os fantasmas adormecidos há muito tempo.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tri%C3%A2ngulo_das_Bermudas

O exterminador do Futuro – O filme de baixo orçamento que apresentou ao mundo toda a genialidade de James Cameron, um dos maiores nomes no cinema atual.

Ao contrário de Tim Burton que fazia sequências contra a vontade, James Cameron é um especialista em sequências. Seus filmes de ação estão entre os melhores de Hollywood, seus filmes trazem a sua marca registrada, um talento incrível para administrar a produção de efeitos especiais e cenas de ação.

A história de viagens no tempo já não era novidade, quando “The Terminator” foi desenvolvido.

Com um orçamento baixo, entrou para a história das produções com o melhor custo/benefício, lançando ao estrelato todos os envolvidos no projeto.

Arnold Schwarzenegger é o terrível ciborg que é enviado ao passado para matar John Connor, um homem que se torna o líder da resistência dos humanos às máquinas, depois que essas dominam o planeta.

O Ciborg viaja no tempo em busca de Sarah Connor, para matá-la antes de o  bebê nascer.

Kyle Reese é enviado para proteger Sara Connor, curiosamente, eles tem um relacionamento de onde vem a nascer John connor, o salvador da humanidade.

A série deu muito lucro aos produtores, mas perdeu sua originalidade. Sua popularidade não, essa continua intacta.

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Terminator

Matrix – Um dos filmes mais originais dos últimos tempos, criado para ser uma trilogia, tornou-se uma das trilogias mais rentáveis de todos os tempos.

Keanu Reeves leva uma vida normal típica do século vinte, onde as aparências enganam. A verdade só vem à tona quando ele é identificado como o escolhido.

Os rebeldes então o resgatam de um cultivo, onde as máquinas usam os humanos para produção, como se fossem máquinas. Em suas mentes é implantado um programa, a matrix, criando uma realidade virtual do século vinte.

Os humanos rebeldes que entram nos programas, conspirando contra as máquinas, são considerados vírus a serem combatitos pelos homens de preto e óculos escuros, os anti-vírus; a batalha é travada na realidade virtual, mas a realidade também sofre o ataque real das máquinas.

A história não é fácil de entender, coisa de era eletrônica, mas vale a pena um pequeno esforço, devido a riqueza de elementos, que vão da filosofia grega ao cyberpunk, dos filmes de ação aos filmes de ficção científica, com muita maestria; uma grande crítica ao jogo de aparências dos dias de hoje.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Matrix

Abre los ojos – ou Open your eyes – Preso na Escuridão – Com o pretexto de refilmar a história do filme de Alejandro Amenábar, Tom Cruise criou uma verdadeira cópia do original, levando até a atriz principal, Penélope Cruz.

Ele devia saber que isso não daria certo, as mocinhas não estão acostumadas a ver o galã defigurado por um acidente.

No filme ofiginal, César é o herdeiro de uma fortuna, tem tudo: Dinheiro, mulheres, beleza, saúde. Não tem nenhuma sensibilidade, até o dia em que sofre um acidente e tem o rosto deformado.

O filme não segue uma cronologia, isso faz com que os expectadores se envolvam na história, sem saber o que está acontecendo.

Uma grande qualidade, é mostrar o que a maioria dos filmes atuais não consegue, um final totalmente original.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Abre_los_ojos

Camisa de Força – The Jacket – A viagem no tempo ganhou um novo igrediente, os mistérios da mente. Tanto em Matrix, como vários outros filmes da primeira década do século XXI, apresentam essa indagação – Quem são os loucos?

Um jovem acusado injustamente por um assassinato, é abandonado à própria sorte em um manicômio.

As drogas e o tratamento pouco ortodoxo, acacabam por levá-lo a um estado de transe, rompendo com a barreira da realidade – ou seria do tempo?

Através dessas viagens, ele descobre que vai morrer, além de outras pessoas as quais passa ajudar.

Num recurso totalmente inédito, os personagens de tempos diferentes, se encontram, rompendo o conceito da física, mudando os seus destinos.

Atores famosos, aqui são meros coadjuvantes, totalmente irreconhecíveis. Jennifer Jason Leigh está completamente fora de seus papéis habituais, Kelly Lynch também; até Kris Kristofferson surpreende no papel de vilão, o médico louco.

http://pt.wikipedia.org/wiki/The_Jacket

O terceiro olho – Esse filme é mais um no estilo “parece mas não é”, onde o personagem não lembra, e não sabe, o que está acontecendo. Quando começa a lembrar, tenta mudar o que aconteceu a todo custo, mas não consegue.

Há até uma famosa frase no final do filme, mas ele não desiste e continua tentando, afinal, não tem nada a perder.

O clima de suspense é constante, mas o final é fraco, talvez o pior dessa safra de filmes de amnésia, mesmo assim merece ser visto.

http://cinesequencia.blogspot.com/2006/05/o-terceiro-olho.html

Efeito Borboleta – Inspirado na teoria do caos/efeito borboleta, essa história segue uma tendência sobre os mistérios do cérebro, onde a amnésia esconde uma capacidade que a mente apresenta de viajar no tempo e tentar mudar seu destino.

Além da viagem do tempo, através da mente, o que virou moda na primeira década do século XXI, há a qustão da loucura, aparência, medo de morrer e o desejo de apagar  os próprios erros.

Nesse filme, curiosamente, o personagem principal insiste em apagar cada erro de sua vida, mesmo que a tentativa de mudar o que tenha acontecido, implique em consequências ainda piores.

Time After Time – Um século em 43 minutos – Estrelado pelo “maluco” Malcolm McDowell, ele tem cara de quem parece viver no mundo da lua.

Aqui ele viaja no tempo atrás do homem que entrou por engano na máquina, supostamente, esse seria Jack “o estripador”.

A crítica não deixa de se fazer presente. Segundo os críticos, o suposto Jack se sentiria muito bem nos dias de hoje, já que os crimes viraram rotina.

Em algum lugar do passado – Essa é uma versão romântica da viagem no tempo através do pensamento.

Um homem recebe um beijo de uma senhora de idade avançada, ela diz: “volte para mim.”

Mais tarde pesquisando a vida daquela mulher, ele descobre uma foto, e é através da foto que ele consegue voltar no tempo e viver o amor.

Peggy Sue – Seu passado a espera – inspirado em um grande sucesso da época, Francis For Coppola desenvolveu essa história.

Durante uma festa de confraternização, Peggy Sue desmaia e volta no tempo, onde decide se vive uma história de amor que não vai dar certo, ou muda seu destino.

Kathleen Turner  está muito bem no papel, embora eu tenha achado ela muito velha para o papel.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Peggy_Sue_Got_Married

Melhores filmes de ficção

Top Musicais

Melhores filmes com pessoas paranormais

Textos: by Jânio

agosto 1, 2010 Posted by | Cinema | , , , , , , , , , , , | 33 Comentários

   

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 217 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: