Made in Blog

Divulgação, internet, downloads, blogs, web2.0

Epilepsia – Quando a mente tem um ataque

Limite da Mente

Famosos Epilépticos

Wikipedia – “Epilepsia é uma alteração na atividade elétrica do cérebro, temporária e reversível, que produz manifestações motoras, sensitivas, sensoriais, psíquicas ou neurovegetativas (disritmia cerebral paroxística). Para ser considerada epilepsia, deve ser excluída a convulsão causada por febre, drogas ou distúrbios metabólicos, já que são classificadas diferentemente. A palavra epilepsia vem do grego epilepsia – doença que provoca repentina convulsão ou perda de consciência.”

Vamos começar esse estudo – baseado na prática e não na teoria, apesar das especulações serem baseadas nas teorias – da melhor maneira, ou seja, com uma pergunta: Se a epilepsia não é uma doença, porque deve ser tratada?

Aqui, iniciamos as nossas especulações.

Considerando-se a epilepsia como um estado psicológico alterado, notamos que as pessoas com um “ataque epiléptico”, passam por certos conflitos, antes desses ataques.

Talvez as pessoas com eplepsia sejam algumas das que mais sofrem preconceitos da sociedade, pior, por vergonha, a própria pessoa passa a negar essa condição.

Vamos começar com os cuidados que devem ser tomados com pessoas epilépticas, lembrando que não estamos mais na Idade Média, longe disso, na era digital Torna-se imperdoável a falta de informação.

Segundo os especialistas, entre os primeiros 2 a 3 minutos, a pessoa que tem um ataque epléptico está em fase aguda, portanto, não deve ser removida.

As próprias pessoas com epilepsia garantem que, durante um ataque epléptico, não necessitam de cuidados especiais. Essas pessoas deitam de lado, para não se afogarem na saliva, já que seus reflexos motores encontram-se debilitados.

Uma pessoa próxima, ou não, poderia ajudar, retirando um possível excesso de saliva de sua boa, com um lenço, evitando que a pessoa se afogue, além de facilitar sua respiração.

O preconceito da sociedade e a vergonha da própria pessoa com ataque, tendem a piorar a situação, visto que a eplepsia está claramente ligada a um possível conflito psicológico.

Segundo os especialistas, diabetes, drogas e alcoolismo podem agravar a eplepsia – Nesse caso é uma questão de lógica, não é mesmo?

Os médicos também apontam como prováveis causas da epilepsia, traumas e/ou problemas no parto, infecção, tumor, derrames, parasita, meningite etc.

Há probalidade de se abortar um ataque epiléptico antes de seu início, isso será abordado em outro artigo sobre o tema.

A epilepsia não é contagiosa, essa é a notícia boa, a notícia má é que a epilepsia é sintomática, ou seja, é uma consequência de outra doença, como a meningite, nesse caso pode ser transmitida, inclusive de pais para filhos, não a eplepsia, mas a meningite. Lembrando que a meningite tem cura, portanto, não há problema de contaminação.

Pessoas epilépticas, com dificuldade de aceitação, ou caso a função social exija, podem fazer tratamento, mas, nesse caso, poderão ter de tomar remédios a vida toda. A aceitação da eplepsia, como um estado psicológico alterado, e a simples adaptação a essa situação, tendem a ser o melhor caminho.

O fato da epilepsia não ter cura, mas simplesmente desaparecer em algumas pessoas, reforça a minha teoria de uma condição psicológica.

Mulheres grávidas devem seguir orientação médica, como qualquer outra pessoa faria, com uma probalidade de o bebê nascer saudável em mais de 90%.

O fato de os especialistas afirmarem ser a epilepsia um excesso de atividade do cérebro, deixa-me intrigado e disposto a relacionar a epilepsia ao transe.

A epilepsia pode ser parcial, em apenas uma parte do cérebro, ou total. Isso descarta a inconsciência, já que fica comprovada que pode haver vários níveis de ataques, com inconsciência ou não.

A doutora que formulou “O despertar da superconsciência“, chegou a esse nível depois de passar por um estágio de estudo em crises de eplepsia. O que eleva a eplepsia a um estágio de estudo avançado, inclusive relacionado as teorias de expansão natural da mente.

O percentual de pessoas eplépticas varia de região para região: Nos países desenvolvidos, entre 40 e 50 pessoas em cada grupo de 100.000 habitantes; países em desenvolvimento, 120 a 190 pessoas por 100.000 habitantes; cerca de 50 milhões de pessoas já tiveram pelo menos uma crise epiléptica; países em desenvolvimento concentram cerca de 85% dos casos; eplepsia é mais comum até os 25 anos e depois dos 65, apesar de ocorrer em qualquer idade; há mais homens que mulheres com epilepsia.

Vamos analisar esses números: Países desenvolvidos tem melhor qualidade de vida; países em desenvolvimento tem acesso a produtos de má qualidade; países pobres são menos expostos a alimentos industrializados, justamente por não ter possibilidade de industrializar ou importar tais produtos; entre os 25 e 65 anos, as pessoas tem menos problemas, portanto, menos conflitos emocionais; você tem alguma dúvida de que o homem tem mais conflitos psicológicos que a mulher?

Estudo realizado no Brasil, mostrou que há uma variação muito grande de ocorrências da epilepsia, de 1/1000 a 18,6/1000 – Sabem aquele velho problema de desigualdade social…?

Fatores que poderiam desencadear crises epilépticas: Mudanças na intensidade luminosa, luzes a piscar; computador, televisão, discotecas; falta de sono; àlcool; febre; ansiedade; cansaço; drogas e medicamentos; verminoses; nervosismo.

Pessoas famosas que tiveram epilepsia:

01 – Alexandre o Grande, Imperador da Macedonia.

02 – Alfred Nobel, criador do prêmio Nobel.

03 – Caio Júlio César, estadista romano.

04 – Arquiduque Carlos da Áustria (1771 – 1847)

05 – Fiódor Dostoievski, escritor russo.

06 – Gustave Flaubert, escritor francês, autor de Madame Bovary. Um caso avançado de eplepsia que apresentava sintomas como terror, pânico, alucinações, pensamentos forçados e fuga de idéias.

07 – Hermann von Helmholtz, físico alemão (1821 – 1894)

08 – Ian Curtis, roqueiro inglês. O vocalista da banda Joy Division (criada em 1977, época seguinte ao estouro do movimento punk) teve a primeira crise convulsiva logo após a estreia em Londres. O show foi decepcionante e a crise o abalou. Devido ao trauma, tinha crises constantes nos shows.

09 – Moreira César, coronel das forças Armadas brasileiras teve um ataque durante a expedição do exército a Canudos.

10 – Machado de Assis, escritor brasileiro.

11 – Margaux Hemingway, atriz americana (1955 – 1996), cometeu suicídio ainda jovem, assim como seu avô, o famoso escritor Ernest Hemingway.

12 – Napoleão Bonaparte, imperador francês.

13 – D. Pedro I, imperador do Brasil.

14 – Maria Isabel de Alcântara Brasileira, segunda condessa do Iguaçu, foi a terceira filha do imperador D. Pedro I.

15 – Richard Burton, ator inglês.

16 – Saul, rei bíblico.

17 – Sócrates.

18 – Van Gogh, pintor holandês.

19 – Lenin, revolucionário russo (1870-1924).

20 – Eric Clapton, guitarrista.

Fonte: epilepsia+wikipedia

Texto: By Jânio

Textos relacionados:

O que uma pessoa com epilepsia sente

  • Sonhos Lúcidos
  • Lado obscuro da mente
  • Pesadelos reais
  • Significado dos Sonhos
  • julho 19, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , | 63 Comentários

       

    Seguir

    Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

    Junte-se a 217 outros seguidores

    %d blogueiros gostam disto: