Made in Blog

Política, curiosidades, notícias, entretenimento, blogosfera,

Jovens homens velhos

falta de passado

Velha Sociedade

É natural que a responsabilidade dos mais velhos passe para os mais jovens e isso deveria ocorrer gradativamente, sem traumas. O homem mais velho não precisa necessariamente ser velho para ceder o seu lugar no trabalho, nem deveria abandonar suas funções definitivamente.

Ao ler notícias políticas nos jornais, podemos notar o quanto as velhas raposas desprezam a ética, dando um bom mau exemplo de como não se deve comportar. Graças a esses velhinhos malditos, os jovens homens velhos não tem uma boa aposentadoria e acham certo continuar trabalhando, enquanto jovens de trinta anos ainda procuram o seu primeiro emprego.

Eu já pude comprovar que muitas pessoas, principalmente aquelas que trabalham à noite e plantonistas, costumam acumular cargos, para conseguir pagar a faculdade e a saúde dos filhos. Também há pessoas que trabalham até vinte horas por dia, num único emprego, e isso não é muito comum entre os escravos brasileiros.

Algumas profissões permitem que as pessoas trabalhem acima de seu limite físico, mas o seu limite psicológico nem sempre suporta essa jornada tão desgastante. Quando a saúde acaba, o jovem homem velho descobre que não planejou sua vida como deveria, e nem educou os filhos.

Jornadas dobradas de trabalho ajudam a aumentar ainda mais a desigualdade social, eu já pude ver até onde vai a degradação humana.

Cada vez que surge um novo conjunto habitacional, financiado pelo governo, eu noto como a especulação imobiliária atrai aventureiros dispostos a tudo para conseguir sua casa. Enquanto isso, pessoas sem influência políticas tem de mendigar ou se prostituir para conseguir sua vaga.

Alguns grupos de pessoas se organizam e invadem propriedades abandonadas, financiadas com dinheiro público, para em seguida sofrerem as consequências de seu ato impensado, ou mal pensado. Já surgiu até um modo de ganhar dinheiro com essas invasões, onde as supostas vítimas negociam suas terras com o governo, pelo dobro do preço, para supostamente ajudar as pessoas necessitadas.

No interior do Brasil também há pessoas que invadem as terras, nativas ou de povos indígenas, com a intenção de vender, passar para seus patrões, proporcionando um grande lucro. Essas práticas dão uma ideia de como a reforma agrária é um processo complexo.

Os seringueiros sabem como funciona essa legislação seletiva e a libertação de um dos homens presos por matar uma freira americana, mostra a política cruel do STF, além de ajudar a explicar a discriminação dos brasileiros lá fora.

A injustiça brasileira, combinada com o sistema elitizado, deixam uma pergunta: Há tanta gente importante assim no Brasil, ou será que é o crime organizado que chegou ao seu limite? Afinal, quando é que vamos todos começar roubar e matar, para conseguirmos sobreviver?

Você acredita que o Brasil está melhorando? Eu também acredito, assim como eu acredito que a inexperiência de um partido político no governo, mostrou como nosso sistema político é sujo e desprezível – Esse “crescimento” do Brasil tem provocado polêmicas lá fora.

A maioria dos meus leitores tem opiniões parecidas, relacionadas com o crescimento do Brasil: “Não foi o Brasil que cresceu, foram os outros que caíram.”

Enquanto os estrangeiros chegam para empreender e ocupar as vagas que a nossa infra-estrutura não teve competência para suprir, brasileiros embarcam rumo ao seu destino desconhecido, provavelmente para limpar privadas em países de primeiro mundo.

O crescimento brasileiro tem sido motivo de polêmicas pelo mundo inteiro, afinal, nosso país sempre foi muito rico, com um povo muito pobre, mas nunca tivemos tanta atenção das comunidades internacionais.

Essa responsabilidade com o desenvolvimento sustentável e com a economia mundial, poderá nos trazer problemas. Haverá uma exigência muito grande por parte do novo mundo globalizado – não confundir com economia globalizada.

Resta saber qual será a maior preocupação do governo, satisfazer as exigências de um desenvolvimento sustentável, economicamente e ecologicamente, ou o nosso desenvolvimento social?

Certamente, deveríamos nos preocupar com tudo o que é certo e correto, mas isso será impossível, enquanto a máfia estiver no comando.

By Jânio

A política torta do Brasil

Eu não acredito em teoria da conspiração

Mortes misteriosas de celebridades

Presidentes do Brasil

A história de José Sarney

PT acerta o próprio pé

Políticos com problemas na justiça

O massacre do sítio caldeirão

A crise da PPP

Ficha Limpa

Trinta anos de escândalos no Brasil

agosto 29, 2012 Posted by | Reflexões | , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Nome de santo

santo_batismo

Nome Santo

Em cidades pequenas, mesmo no Brasil, onde as tradições não prevalecem por muito tempo, há uma cultura muito forte aos santos.

As culturas latinas de em modo geral são muito passionais, mas um santo deve ser alguém que dê o exemplo, alguém que tenha se destacado, alguém que tenha sido um mártir, defendido uma causa nobre, tenha sido convincente com a sua fé ou tenha passado a vida sem cometer erros ou pecados graves.

O respeito por essas pessoas é tão grande que de alguma forma, milagres acontecem, mesmo depois dessas pessoas terem deixado as suas vidas terrena.

Não dá para duvidar que os milagres venham da fé.

Quando os milagres são relacionados às pessoas que conheceram esses santos, podemos notar o reconhecimento à vida daquelas pessoas, mas quando já se passaram séculos, nota-se que às pessoas pedem uma benção em nome de alguém que julgam dignos da compaixão de Deus.

Há muitas controvérsias doutrinárias sobre essa forma indireta de se ter fé, em santos, antes de Deus, mas a humildade e a fé dessas pessoas certamente nunca será contestada.

Quando vão batizar os bebês, os padres alertam para a importância do nome de um santo. Antes de batizar a criança no registro civil, a criança é batizada na igreja, para que não corra o risco de morrer sem passar por esse momento considerado tão importante.

Não é só a fé indireta em Deus que chama a atenção aqui, eu noto também os valores tradicionais indiretos.

Ao invés de seguir a tradição familiar de condes, duques ou princesas, o que seria impossível em famílias humildes, segue-se a tradição dos santos.

Desde os dez anos, eu sempre fui consultor em minha cidade. Antes disso eu já dava conselhos, mas foi depois dos dez anos que esse costume aumentou.

Quando alguém me perguntava sobre o nome de uma empresa, eu nunca tinha dúvidas, deveria ser o nome de um santo, de preferência do santo protetor da família desse empresário.

Em cidades pequenas a religião é muito importante, e sendo essa a única tradição existente no Brasil, torna-se mais importante ainda.

O nome do santo certamente não será suficiente para manter a imagem do estabelecimento, mas acaba demonstrando boas intenções e a vontade de alguém que está começando e que deverá ter muita fé em tudo: fé no homem, fé no santo, fé em Deus, fé em si mesmo.

By Jânio

setembro 2, 2011 Posted by | Empreendedorismo | , , , , , , , , | 6 Comentários

Qual é o significado dos sonhos

 

sonhos e pesadelos

Interpretação dos sonhos

Seguindo a análise do funcionamento do cérebro, vamos aos poucos passando para uma área muito sensível de nossa mente, o inconsciente (subconsciente). A grande realidade é que a mente, consciente ou não, é obscura; sob certos aspectos a consciência é mais obscura que a própria inconsciência, já que a inconsciência funciona naturalmente.

Em alguns casos, a psicanálise ameaça usar a hipnose para ajudar a desvendar os mistérios de nossa mente, o problema é que nem todos estão dispostos a abrir mão de sua privacidade. Se alguém entra em sua mente, invade o mais intimo de sua existência.

No mais tradicional processo da psicanálise, a pessoa conversa consigo mesma, vai se revelando aos poucos, enquanto o psicanalista  vai motivando, convencendo essa pessoa de que não há nada anormal em sua vida, tudo pode ser lembrado e resolvido, para que a consciência pare de ser incomodada pela inconsciência. A consciência pesada, aqui, seria o peso de algo que atormenta a pessoa, o processo da inconsciência para aliviar esse problema.

Conscientemente tudo pode ser (des)controlado, mas, inconscientemente, tudo é muito instável e natural, sem noção de tempo e espaço.

Durante os sonhos, essa instabilidade da inconsciência chega ao limite. Isso acontece porque tudo o que é reprimido pela consciência, sob pressão da sociedade ou autocensura, durante os sonhos é liberado.

Enquanto o cérebro mantém todo o corpo em repouso, durante o sono, a mente é liberada em todo o seu potencial, podendo resolver os problemas mais impossíveis. Aqueles problemas que a consciência  mantém reprimidos, nos sonhos, eles são manifestados em formas disfarçadas pelo super ego, num universo que só a inconciência entende o seu significado.

Nem todo sonho é disfarçado ou complexo, alguns são bem conhecidos das pessoas, comum a todos. Muita gente já sonhou que estava voando, esse sonho, segundo especialistas, leva a uma interpretação de que a pessoa é ambiciosa, sonhadora, mas, por associação poderia levar a interpretações de que essa pessoa deseja independência, liberdade, isso poderia ser revelado por qualquer amigo que a ouvisse, nem precisa ser um psicanalista.

A combinação do sonho de voar, com a queda, é uma manifestação clara dos riscos da ambição, liberdade e poder.

Na religião, José, no Egito, interpretava sonhos dos egípcios. Sua interpretação mais famosa foi para o faraó, o sonho das vacas gordas e das vacas magras.

“Haviam sete vacas gordas e sete vacas magras pastando no campo, de repente, as vacas magras e feias comeram as lindas vacas gordas.”

Nesse sonho, josé avisava ao faraó que deveria guardar mantimentos durante os sete anos de fartura (tempos de vacas gordas). Durante os sete anos de seca no Egito (tempos de vacas magras), o faraó teria mantimentos para saciar a fome do povo, não fica claro se havia a vontade de Deus, apenas implicitamente.

Essa é uma das tradições que bate de frente com a história de Moisés e do revolucionário Jesus Cristo: Segundo  Jesus, Deus sempre proverá seus filhos. Isso também ficou evidente no deserto, quando Moisés levou o povo para um lugar isolado, sem comida nem água.

Um homem muito rude que sonhe que é uma mulher, poderia significar sua busca de equilíbrio, uma nescessidade de compreender as pessoas frágeis, o oposto de si, algo que se mantém inconsciente, mas que conscientemente seria inaceitável.

Há pessoas que acreditam que o sonho é uma forma de prever o futuro, por isso sonhar com animais, para elas,   pode significar o que vai dar no “jogo do bicho”.

Sonhar que está caindo, poderia significar uma fobia de altura. Como nós dissemos no outro artigo, a fobia está relacionada a um evento  ao qual não queremos nos lembrar, encarando esses medos poderíamos nos lembrar de algo que não queremos.

Esse é um grande dilema: Como poderíamos saber o nível de gravidade daquilo que não queremos lembrar? – Será que vale a pena lembrar esse fato? – Se a fobia está se manifestando, inconscientemente, estamos tomando a decisão de que está na hora de enfrentarmos esses temores.

Quando passamos a sonhar que estamos caindo, seguidamente, todas as noites, então não devemos ser acordados, para que percamos o medo e estejamos preparados para enfrentar determinadas situação.

Segundo o site “O Guru”,  sonhar com corvo pode significar pessoas de olho no que é seu, querendo “infernizar sua vida”, mas também pode significar pureza do ambiente.

Como nós podemos notar no sonho do corvo, há dois níveis de sonho: Um mais vulgar e direto, e outro muito mais sofisticado e complexo, influenciado pelo nível de formação da pessoa.
 
http://www.oguru.com.br/sonhos/significados.php?busca=Voar

O sonho também pode ser uma simples realização de nossos desejos. Ao contrário de nossos pesadelos, nesse caso, nossa mente se encontra em total harmonia.

Sonhar com cobras, tanto pode significar nossa falta de confiança em um determinado grupo ao nosso redor, como poderia ser algo mais complexo, mas é preciso sonhar até o fim, para vencer esse medo.

Conclusão: O  mais importante não é necessriamente interpretar o sonho, mas sonhá-lo até o fim.

Principal fonte: Wikipedia

fevereiro 9, 2011 Posted by | Ciências | , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 25 Comentários

As influências e tradições egípcias

historia do egito

Civilização egipcia

Segundo a história conhecida dos egípcios, os faraós, vistos como semi-deuses, eram considerados descendentes de divindades.

As divindades teriam sido os primeiros a reinar sobre as terras do Egito. Assim o deus Rê foi o deus dos deuses, quando esse se retirou, em seu lugar assumiu Shu que mais tarde deixaria o trono para seu filho Geb.

Geb era o pai de Osiris que assumiu seu lugar, quando esse foi para o céu.

Quase toda a cultura do antigo Egito tem como base o reinado de Osiris, foi Osiris quem implantou a cultura egipcia, uma das mais conhecidas do mundo antigo.

Osiris aboliu a antropofagia e deu início a produção de pães, cerveja e vinho, além de fundar vários templos e culto aos deuses.

O povo egípcio, apesar de ser um povo extremamente fechado, quando o assunto são as classes sociais, proporcionou muitos intercâmbios culturais com os maiores nomes e culturas da história das civilizações.

A cultura mais presente no Egito, além da sua própria, era a hebraica, ou judaica, devido ao longo tempo em que conviveram pacificamente juntos. Segundo a Bíblia, só com o nascimento de Moisés, um nobre egípcio que mais tarde descobriria ser descendente dos hebreus, tirando todo o povo judeu do Egito, outrora bem tradado, transformado em um povo escravo.

Na passagem do povo judeu pelo Egito notamos vários fatos misteriosos, entre eles: O povo judeu sempre foi superior aos seus anfitriões, devido a sua estrutura social, comparada a de poucos povos do passado, como a cultura da Babilônia e a cultura grega.

A Grécia, aliás,  foi um povo com muita proximidade com o povo egípcio, devido a suas culturas, ambas consideradas avançadas até os dias de hoje. Esse intercâmbio cultural proporcionou aos dois povos um conhecimento tão vasto que, talvez por questões estratégicas, boa parte dessa tecnologia é desconhecida até hoje. Dos conhecimentos abertos ao público, a maior parte foi destruìda, devido a guerras e destruições da maior biblioteca da antiguidade, onde estavam a maior parte dos escritos gregos, egípcios e hebraicos.

Apesar desse intercâmbio, os dois povos, egípcio e grego, sempre mantiveram a sua independência. Sua harmonia era tanta que até alguns de seus deuses eram identificados em ambas tradições religiosas.

Essa tolerância ao politeísmo, facilitou uma aproximação dos grandes gênios gregos ao Egito, por outro lado, a matemática, geometria e astronomia, pode ter sido um dos motivos de os intelectuais gregos terem tanto interesse na cultura egípcia, os egípcios, é claro, aproveitavam a ciência desses sábios gregos para evoluírem ainda mais. A cultura egípcia só seria interrompida pelas invasões e guerras, para as quais não estavam preparados.

Segundo especialistas, as pirâmides são o simbolo da eternidade, apesar de alguns estudos recentes afirmarem que as pirâmides são anteriores aos faraós, o fato é que as pirâmides estão arraigadas a cultura egípcia e aos faraós.

Segundo esses estudos, a pirâmite representa, não só a hierarquia política e social desse povo, mas também a sua religião, assim a cultura egípcia tinha muito mais em comum com as tradições hebraicas e gregas do que nós poderíamos imaginar.

No topo dessas pirâmides, está o faraó, representando também a Hórus, o primeiro faraó, filho de Osíris a última divindade a reinar sobre a Terra. Assim, quando todo Hórus morria, ascendia para Osiris, o deus, sendo suscedido por seu filho que passaria a ser o novo Hórus.

Segundo sua tradição, o faraó não era quem governava por conquista mas por ascensão

Apesar de o faraó poder ser um mortal, sua coroação era seguida de um ritual misterioso, o qual identificava quem de fato seria o escolhido, aquele que tem a divindade. Essa cerimônia nos faz lembrar das cerimônias que escolhem o Papa.

Segundo a tradição egípcia,  a sucessão dos faraós era hereditária, já que o faraó era considerado um deus. Será que o sangue azul tam alguma coisa a ver com isso? – e ascender para o sol, para o deus Amom Ra, teria a ver com acender o fogo?

Nas pirâmides, o faraó representava o topo, não só o maior poder, mas também aquele que tem ligação direta com o divino, portanto todo egípcio sob o seu poder, estaria também sob o poder do sol, de Amom Rá.

Assim como na Igreja católica, onde os mistérios mais avançados são restritos a poucos sacerdotes, os faraós também eram iniciados nos mistérios de sua religião, além serem assessorados pelos magos.

A passagem em que um mago egípcio se envolve em um embate de magia com Moisés, onde o bastão de Moisés vira uma serpente e devora a serpente em que fora transformado o bastão do mago, tornou-se clássica.

A era dos faraós não foi perfeita, houve muitos fatos pouco explicados, como a morte do jovem Tutankhamon, supostamente assassinado. O fato é que foi uma civilização que durou milhares de anos, teria continuado, se não fossem as guerras.

Ao contrário de outras civilizações, na civilização egípcia não havia conflitos, todo o poder era muito bem definido, a hierarquia era perfeita, mesmo em casos de conspirações.

Algumas sociedades secretas, até hoje, se inspiram em rituais egípcios.

By Jânio

Segundo Heródoto:

“Declara-se, portanto, a verdade, e seja Hércules considerado, como o é, um deus muito antigo, porque se ouvimos os egípcios desde a época em que os oito deuses engendraram aos outros doze, entre os quais contam a Hércules, até o reinado de Amasisi, transcorreram não menos de 7000 anos.

A propósito do referido, diziam-me os egípcios e seus sacerdotes, e o comprovavam com seus monumentos, que, contando desde o primeiro rei até o sacerdote de Vulcano, haviam passado naquele período 341 gerações de homens, em cujo transcurso sucederam-se no Egito outros sumos sacerdotes e igual número de reis. Contando, então, 100 anos por cada três gerações, as 300 referidas dão uma soma de 10.000, e, com as 41 que restam, compõem 11.340 anos. No espaço destes, diziam que não houve nenhum deus na forma humana, acrescentando que nem antes nem depois, no que diz respeito aos reis que existiram no Egito, se viu coisa semelhante.

Verdade é – acrescentam – que antes destes homens, os deuses reinavam no Egito, morando e se conservando entre os mortais, tendo sempre um deles imperado de forma soberana. O último deus que reinou ali foi Hórus, filho de Osíris, chamado pelos gregos de Apolo, o qual terminou seu reino depois de ter acabado com o de Tífon (Seth). Em grego, Osíris é chamado de Dionísio, isto é, o Livre“ .

Escritos de Manethon:

“O primeiro homem-deus dos egípcios é Vulcano (o equivalente grego do egípcio Ptah), que também é famoso entre os egípcios por ter sido o descobridor do fogo. Sucedeu-o o Sol, depois Sosis; depois Saturno; logo Osíris; Tifon, irmão de Osíris; e finalmente Hórus, filho de Isis e Osíris. Estes foram os primeiros que regeram o Egito. Depois a realeza passou de um a outro em uma sucessão ininterrupta até Bidis (Bistes), ao longo de 13.900 anos.

Depois dos deuses, os heróis reinaram 1.255 anos, e logo após teve outra linha de reis que governaram 1.817 anos. Em seguida, vieram 30 reis de Menfis que reinaram 1790 anos, depois reinaram 10 reis de Tis durante 350 anos.

A este reinado, seguiu o dos Manes e dos heróis durante 5.813 anos.

O total chega a 11.000 anos, sendo estes períodos lunares, ou seja, meses, porque certamente o governo completo de que falam os egípcios – o governo dos deuses, reis e Manes – deve ter compreendido no total de 24.900 anos lunares, o que dá 2.206 anos solares”.

fevereiro 16, 2010 Posted by | Piadas | , , , , , , , , , | 17 Comentários

Pedro Malazartes vai para o céu

sertão

imagens sertanejas

Depois de muito perambular pelo mundo, Pedro Malazartes morre. O eterno caipira, tão falado e comentado, nos três cantos do Brasil, vai para o céu.

Pedro sentia que alguma coisa não estava certa, tudo estava calmo demais, chegou até a pensar que estava dormindo, mas era o branco, havia branco por toda parte. Pedro sempre foi informal, sempre andou todo mal trapilho, exceto em um alguns bons momentos, onde o malandro se deu muito bem.

Será que alguém estava casando, afinal de contas, porque havia tanto branco naquele lugar.

Ao avistar um senhor idoso, numa velha porteira, finíssima por sinal, Perguntou.

- Sim siôr, será que tem argum trabaio preu fazê por aqui?

O homem respondeu:

- Aqui não, aqui todos descansam em paz.

Pedro pensou que esse era o lugar dos sonhos, só poderia estar sonhando, não pode haver um lugar desse.

- Se o Siôr me permite, eu vô entrá pra dá umas proza com o dono da fazenda.

O homem se alterou na hora:

- Está ficando louco? – aqui o senhor não entra não, ainda mais com a sua fama, Senhor Pedro Ma-la-zar-tes.

Pedro não gostava muito de sua fama de malandro ter se espalahdo por todo o Brasil.

- Por gentileza, em que parte do Brasil nóis tâmu.

- Aqui não é o Brasil não, senhor Pedro – falou o homem.

Pedro começou a ficar curioso, será que sua fama já tinha ultrapassado fronteiras – pensou ele.

- O Siôr pode me dizer que lugar é esse, que eu não estou reconhecendo?

- O Senhor está no céu – tornou a falar o homem.

Pedro teve uma sensação a qual nunca havia experimentado antes.

- Eh! Diacho! eu acho que eu tõ te conhecendo xará, o Siôr é São Pedro?

- Isso mesmo – respondeu o homem – e o senhor não pode entrar no céu, é uma má influência.

Pedro pensou, pensou e perguntou.

- Intão o Siôr não vai querer saber a notíça boa que eu tenho pro Siôr?

- Que notícia?

- Dispois que o Siôr saiu da Terra, ela mudou muito. O Siôr tá muito bem lá.

- O Senhor pode me dizer como eu estou lá?

- Só se o Siôr deixar eu entrar.

- Está bem entra logo, mas se a notícia não for boa vai se dar muito mal.

Depois que entrou, Pedro olhou todo feliz, para São pedro e disse.

- Dispois que o Siôr deixou a Terra, sua fama se ispaiô pelo mundo todo, o Siôr se tornô um dos hôme mais rico da Terra.

Sem pôder acreditar, São Pedro disse:

- O Senhor pode me explicar melhor isso?

_ ixplicá não, mas o siôr é muito rico. Por toda parte há fazendas São Pedro, sítios São Pedro, lojas São pedro, e outra infinidades de bens, impossível de se contar.

São pedro ficou todo feliz e procurou Jesus, finalmente se valor havia sido reconhecido. Sabendo disso, Jesus procurou Pedro, e perguntou.

- Senhor Pedro, fiquei sabendo que o meu melhor discípulo ficou rico na Terra, gostaria de saber como está meu nome, poderia me dizer?

Pedro coçou a cabeça, fez uma cara de dar dó, uma careta que ele sabia fazer muito bem, e respondeu.

- É mió o Siôr não voltar lá na Terra não?

Jesus perguntou:

- Porque não?

Pedro malazartes respondeu quase chorando.

- Não é certo o que tão fazeno com o Siôr não. O Siôr tem a maió dívida do mundo, maió que todas as dívidas externas de todos os países juntos.

- Como assim Senhor Pedro?

- Tudo o que fazem, ou compram, deixam para o Siôr pagar, até favô. Argumas pessoas falam, Deus lhe pague, outras, Deus te ajude, Deus te dará em dobro. O Siôr está com uma dívida enorme.

By Jânio

Foto Wikipedia

dezembro 27, 2009 Posted by | Piadas | , , , , , , , , | 10 Comentários

Ascensão e queda do império inca

território inca

Todas as pessoas que conhecem a China, com suas diversas línguas e dialetos, costumes e tradições, ficam maravilhados com as riquezas culturais propiciadas por suas tradições, entretanto, não é preciso ir tão longe para se maravilhar com tantos conhecimentos históricos e curiosidades da natureza humana.

Um bom exemplo disso, fica na América do Sul, nas ruínas do outrora majestoso Império Inca. Os números reunidos por pesquisadores a respeito desse povo, que viveu entre 1.200 e 1.553 depois de cristo, mostram como uma Nação pode evoluir tão rapidamente, desenvolver tanto, acumulando em tão pouco tempo tantos conecimentos.

imperador inca

Evidentemente que se pensarmos bem, chegaremos a conclusão de já existir uma cultura razoável na região, afinal, um grande Estado não consegue se desenvolver, se não houver bases tornando isso possível. Daí, cocluímos já haver muita cultura e respeito, na região onde nasceria o grande Império Inca, apesar dos conflitos havidos ali, antes de seu nascimento.

Estudos iniciados em 2.004, mostram ter havito ali uma civilização vançada em cerca de 3.000 anos antes de Cristo. O que mostra toda a sabedoria de Sócrates a respeito da natureza humana – “´Só sei que nada sei” – qundo mais se aprende, mais se descobre a respeito de nossa própria pequenez.

machu picchu

Levanta uma dúvida, também, sobre a certeza de ser a Ásia os colonizadores da Europa. Eu sempre defendi uma tese de o homem só poder pensar em sima de uma estrutura de pensamento completa, não consegue pensar dentro do hipotético. Surgindo, daí, muitos pensamentos confusos. Sócrates quem o diga.

Nessa região falava-se cerca de 8O línguas diferentes, a mais falada, no tentanto, era quichua a língua escolhida para ser a língua oficial do império, até por ser também a mais falada.

A vastidão do império pode ser notada com uma breve análise do mapa, onde pode se sentir a grandiosidade desse povo. O Império Inca se estendia pelo Equador, Colômbia, Argentina e Chile, mas eram Peru e Bolívia os países onde, em toda a totalidade de seus territórios, estava localizada parte do império.

Por volta de 1.800 a.c essa civilização extremamente avançada deixou a região do Norte do Peru, sepalhando sua cultura por boa parte da América do Sul, dando origem, muito tempo depois ao grande Império Inca.

A civilização inca se destaca, entre tantas outras técnicas e criações, pela suas estradas e irrigação, uma mostra de milhares de anos de evolução, totalmente isolada do resto do mundo.

Quando a Civilização Inca, finalmente atingia seu apogeu, por volta do século quinze, graças a genialidade de seus governos que pregava um sistema de vida se lutas, sem fome e feliz, do outro lado do mundo, o homem vivia em sua mania de expasão, egoísmo e busca de novos teriitórios. No choque dessas duas vertentes evolucionistas, as consequências trágicas mostram o que a sabedoria popular está cansada de repetir. É mais f´cil destruir do que construir, matar a dar a luz, assim terminando com tudo.

Pachacuti, um dos mais brilhantes e poderosos homens da cultura inca, era também um grande diplomata, antes de invadir um território, enviava um mensageiro, com as protostas de se juntar ao império, mantendo o controle local, e tendo em troca educação, passando a se tornar parte da nobreza do império.

Essas téticas lembram muito a Cézar, do império romano, mostrando a evolução do homem de duas formas, dos dois lados do mundo.

Em troca de se aderirem ao império, os povos pagavam impostos, recebiam toda a tecnologia do império, como os eficientes sistemas postais, onde os mensageiros, chasquis, transportavam mensagens em uma forma de escrita, onde uma pequena cortina feita de pequenas cordas, ou barbantes, onde os nós significavam a mensagem.

Os postos postais se localizavam de 20 em 20 km, propiciando um tráfego de informação muito eficiente. Durante um único dia, uma mensagem poderia percorrer centenas de quilômetros, cento e vinte cinco milhas, por esse sistema, útil também para se enviar mensagens oficiais.

Além do eficiente serviço postal, outro sistema muito eficiente, eram as estradas. Eram milhares de quilômetros de estradas, percorrendo todo a vastidão do império.

Por essas estradas, eram transportados, principalmente, alimentos, além de serem úteis para as guerras.

No auge de seu império, os incas chegaram a atingir toda a região andina, cerca de 3,000 km.

O imperador Manco Capac, ou Manku Qhapaq, foi o primeiro imperador do império inca, Tawantinsuyu em quíchua, o último foi Atahualpa, assassinado pelos espanhóis, de pois de pagar toneladas em tesouros pelo seu resgate.

Em seu lugar foi nomeado um imperador fantoche.

Na religião politeísta dos incas, eram contruídos templos, em forma de pirãmides, dedicados ao deus Sol. A semelhança, aqui, em relação à civilização egípcia é clara, a diferença é que, enquanto os faraós egípcios eram o próprio deus, e eram enterrados nas pirâmides, na civilização inca, o imperador era divinizado, acreditavam numa força superior, mas as pirãmides eram templos e não túmulos, mesmo assim a cultura egípcia é muito parecida.

O fato dos incas terem o calendário de trinta dias, poderia se explicar o fato de Matuzalem, famoso personagem bíblico ter morrido com mais de 900 anos, poderia ser um erro na tradução, como nós sabemos a tradição cristã exige fidelidade na escrita, o que foi estendido para a tradução dos textos também.

Cada mês tinha o seu festiva, na cultura inca, onde Janeiro, significava pequena colheita, até dezembro, festival magnífico.

Os incas adoravam os deuses e ofereciam safrifícios humanos, mas os escolhidos se sentiam honrados pois só as corretas eram escolhidas, mulheres belas ou crianças. Eles acreditavam em reencarnação e mumificavão seus mortos.

O imperador era chamado de “O Inca”, daí surgiu a espressão civilização inca.

A escrita feita através de um cordão, onde eram amarrados outros, onde ficavam os nós. Cada cordão poderia significar unidade ou dezena.

Atahualpa, o último imperador inca, viveu num momento conturbado, numa guerra ciil contra seu próprio irmão, em disputa da vaga de imperador deixada por seu pai.

Foi nesse cenário, com o país abalado pelas guerras, imperador enlouquecido que surgiu Francisco Pizarro, com seu exército de espanhóis.

Os incas praticavam o escambo, mas, com a chegada dos espanhós, coneceram o valor do ouro, das doenças européias. Com a mote do imperador por Pizarro, o império entrou em decadência.

O império abalado pela guerra civil, a invasão dos espanhois, provocando infração, ganância pelo ouro, andes desconhecida pelos incas, e o descontentamento do povo, gerado fome, falta de alimento e crueldade dos invasores, provocou a ruína da civilização inca.

Assim, numa região onde tão montanhosa, onde um homem comum tem dificuldade sequer de sobreviver, os incas criaram um sistema de agricultura quase perfeito, numa altitude de zero a seis mil metros, as plantações eram as mais variadas.

O império acabou, mais os povos sobreviveram, sem organização ou tradição de culturas, coisa que dificilmente será recuperado.

Definitivamente, o império inca, com dez milhões de habitantes, tinha muito a ver com o império egípcio.

Principal fonte: Wikipedia

by Jânio

novembro 10, 2009 Posted by | curiosidades | , , , , , , , | 4 Comentários

   

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 219 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: