Made in Blog

Divulgação, internet, downloads, blogs, web2.0

Políticos brasileiros estão ficando mais sinceros.

chega mais perto

chega mais perto

A onda de sinceridade que assola a política brasileira me espanta, a sinceridade, em si, sempre houve, nos acordões, negociações no Congresso, Senado e Presidência, a política brasileira sempre “trabalhou” assim.

Para entendê-la, é preciso conhecer o significado de palavras como: articulação, legenda, voto de cabresto, curral eleitoral, liderança no Congresso, liderança no Senado, apoio político, mando político, além das maracutaias em outros níveis de Governo, como o estadual e o municipal.

Outras palavras são proibidas na política: Lavagem de dinheiro, caixa dois, paraíso fiscal.

O que se sabe, é que, com raras excessões, não há como praticar um grande crime, sem a conivência da política, a corrupção política é a principal causa de crimes em qualquer segmento da sociedade.

O que temos visto, atualmente, na política é um fenômeno que tem se tornado bastante curriqueiro, os políticos começaram a adotar uma postura diferente, já que não há Justiça, para que mentir, começaram a falar a verdade.

Assim frases ficaram famosas como:

“Está tudo sob controle”.

“Eu não sabia de nada”.

A frase do momento, mostra que a sinceridade chegou ao seu ponto máximo. Veja o que diz José Sarney.

“Se eu quisesse fazer alguma coisa errada, eu não teria esperado completar oitenta anos para fazer isso”.

Foi a frase mais sincera  que eu vi nos últimos anos, é tudo uma questão de saber interpretar as palavras, assim se chega ao verdadeiro sentido. Definitivamente, a Academia Brasileira de Letras nunca mais será a mesma, Sarney nem precisava dela para ser imortal, vai ser lembrado pelo resto da eternidade.

A volta de Renam Calheiros e Fernando Collor, mostra como como estamos numa fase onde se pode dizer o que quiser, a sinceridade está em alta.

Veja outras frases sinceras:

“O senhor é um coronel de terceira categoria”

“Pelo menos eu não preciso pagar a gasolina do jatinho com o dinheiro do congresso”.

“O Senhor foi o primeiro a apoiar o Presidente Collor, contra a Cassação”.

“O Senhor se referiu a minha geração política, eu quero que o senhor engula as palavras, ou digira, como achar melhor”.

Note vocês, que ninguém se preocupa em se defender, ao invés disso atacam também, tudo em nome da sinceridade.

Se fosse um crime que nós ainda não sabemos, nós sabemos que deve der milhares de crimes ocultos, entre as paredes do poder, eles não estariam dizendo.

Por isso dizer o que todo mundo já sabe, não ofende ninguém, aumenta a visão de sinceridade de seus eleitores.

Eu me pergunto por que os militares perderam tanto tempo com aquela sensura toda, aqui no Brasil, nós podemos ser sinseros sem medo de ser felizes, os políticos também.

A informalidade era a única forma de não se pagar impostos, em média de 50%, número hipotético, variando de 30% a 70%, na maoria dos impostos. Valendo a máxima brasileira, “Quem pode menos< paga mais”.

O incentivo para que camelôs e autônomos deixem a informalidade, para que possam ter benefícios  por parte do Governo, é pura sinceridade, por outro lado, isso esconde que, como o povo se recusa a pagar altas taxas de impostos, o orçamento mal gerido da contas públicas começa a minguar.

Se a onda de informalidade que se alastrava continuasse, desvios de verbas, gestões fraudulentas, nepotismo, prevaricação  e tantas outras, que só enriquecem e entristecem nosso vocabulário, teriam que ser investigados, com isso, os políticos teriam que deixar de ser sinceros, por isso é melhor que se sejam sinceros agora do que faltar com ela depois.

By Jânio.

agosto 13, 2009 Posted by | Política | , , , , , | 4 Comentários

   

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 218 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: